Como Fazer Poema Com Rimas

Tabelas de Rimas -> http://mpbsapiens.com/rimas-brasileiras/
ver http://mpbsapiens.com/aprender-a-fazer-poemas/     
e      http://mpbsapiens.com/aprender-a-fazer-poemas-2/

Antes de tudo é necessário um Motivo para escrever o Poema. Os assuntos podem ser vários, mas suponhamos que eu queira fazer um texto divertido sobre Funerais que, no fundo, são reuniões tristes para poucos e divertidas para a grande maioria dos presentes.

Usarei demonstrar isso usando a composição  A Opereta do Moribundo (Chico Buarque e Edu Lobo), do Lp O Corsário do Rei, onde eles fazem uma divertida análise comparativa dos velórios do rico e do pobre.

O assunto principal é o que mais vale no desenvolvimento do texto em versos, mas não me prenderei às análises de Métrica ou Cadência deles. Apenas às rimas usadas na confecção dessa Comédia Poética.

Deve-se evitar usar as rimas só pelos seus sons naturais parecidos. Elas têm que fazer parte do assunto abordado e, se possível, pertencerem ao pensamento descrito na estrofe em que o verso esteja. Assim:

                

Rico quando vai
Desta vida sempre vai de mau humor
Ir deitado de casaca é um terror
Abafado e morto de calor
Aturar a marcha fúnebre

            

Percebam que houve uma descrição de morte: Vai desta vida. Vai de mau humor por estar deitado, com casaca, abafado e Morto, também de calor, e tendo de aturar a famosa Marcha Fúnebre.

Usarei mostrar mais as Rimas Consoantes e com colocações padronizadas, tanto em fim quanto em centro de verso, embora esse trecho do texto esteja carregado de Rimas Toantes no interior, como Aturar a com Marcha, por exemplo.

http://mpbsapiens.com/rima-consoante-ou-perfeita/
http://mpbsapiens.com/rima-toante-ou-imperfeita/
http://mpbsapiens.com/rimas-de-extremidades/
http://mpbsapiens.com/rimas-centrais/

      

Só de imaginar
Que os amigos vão deitar nos seus sofás
Vão tomar os seus vermutes, os seus cristais
E as suas mulheres principais
Já na beira do seu túmulo

                      

Aqui se supõe o que poderia estar se passando pela cabeça do rico morto ao observar as reações do povo abutre que cerca o seu caixão. Embora o termo Fúnebre aparente ter ficado isolado no último verso do primeiro texto, o último do segundo trás o seu parceiro sonoro: Túmulo.

Nos dois trechos percebe-se que o curto verso 1 tem Rima Cruzada com o centro do longo verso 2, cujo final rima com os finais dos versos 3 e 4 em colocação Paralela.    

http://mpbsapiens.com/rimas-cruzadas-simples/
http://mpbsapiens.com/rimas-paralelas/

           

- Gente, quanta gente
Que excelente funeral
- Ficas bem de preto
E o cabelo ao natural
- Dizem que o eminente
Triplicou seu capital
- Vai sobrar para gente
Que nem viu ele vivo
- Tem até donativo
Para as obras do hospital.

          

Aqui pode-se perceber um trabalho de Assonâncias Nasais. Embora o fim do verso 3 aparente estar branco, o Preto tem uma Rima Toante com o Cabelo do verso seguinte. As rimas com o som al formam dois grupos, um com a consoante R e outro com a T.

http://mpbsapiens.com/assonancia/

Nesta estrofe Chico mostra que, quanto mais rico for o morto, mais “Fashion” é o velório, com disputadíssimos Modelitos em Preto, que dão aos cabelos soltos um charme sóbrio.

Normalmente os mais ricos costumam driblar o imposto de renda com fundações e outras atitudes benevolentes, o que acaba nos beneficiando de alguma forma, enquanto eles fazem as suas propagandas.

Vejamos agora como ficaria o nosso enterro:

            

Pobre quando vai
Sempre dizem que ele vai prumá melhor
Vai olhando aquela gente a seu redor
Todos com poeira e com suor
E ele achando a coisa ótima

           

Percebam que houve uma descrição de outra morte: Vai desta vida para outra melhor do que ela. Vai bem humorado e sem vestimentas desconfortáveis. A Marcha Fúnebre virou Coisa Ótima, embora as rimas tenham obedecido ao mesmo esquema das da morte do rico. Vejam porque:

           

Só de imaginar
Que os amigos vão pagar o seu caixão
O barbeiro, o aluguel do rabecão
O vinho do padre, o sacristão
E o sermão na igreja gótica

              

Aqui se supõe o que poderia estar se passando pela cabeça do morto pobre, ao observar as reações do triste povo que cerca o seu caixão. Embora o termo Ótima aparente ter ficado isolado no último verso do primeiro texto, o último do segundo trás o seu parceiro sonoro: Gótica, e com rimas bem melhores do que as das proparoxítonas do rico. Pobre é mais Dáctilo.

http://mpbsapiens.com/rima-dactila/

            

- Gente, não tem gente
Tem parente pobre só
- Esse teu modelo
Mais parece um dominó
- Nem o indigente
Quis herdar seu paletó
- Vai sobrar para a gente
Que nem viu ele vivo
- Tem até um passivo
No caderno do Jacó

              

Aqui pode-se perceber um trabalho mais “rico” de Assonâncias Nasais. Embora o fim do verso 3 aparente estar branco, porque o Modêlo, mesmo sendo único, é salvo pelo Esse que iniciou o verso,  que rima com o Parece do verso seguinte. As rimas com o som ó formam um só grupo.

 Nesta estrofe Chico mostra que, quanto mais pobre for o morto, mais chocante é o velório, com manjadíssimos Modelitos que, remendados em branco, dão ao ambiente os graciosos ares do Dominó, comumente jogado pelos pobres nas mesas dos periféricos Bares dos Jacós, que costumam anotar as contas deles em cadernetas.

 Normalmente os mais pobres costumam, nessa única ocasião, driblar a renda dos amigos com  “afundações” e outras despesas maledicentes, o que acaba nos lesando de alguma forma com outros Jacós, que não costumam fazer propagandas próprias.

Espero ter ajudado a esclarecer um pouco os caminhos das rimas nos textos. Elas devem sempre buscar seguir, o mais que puderem,  ao tema que originou o texto que as contém.

Não é um bicho de sete cabeças. Basta um uso mais frequente do dicionário, que permite identificar os significados das palavras que contenham os sons desejados. Daí para a frente é correr pro abraço, ou se divertir pra valer com o texto analisado, que foi o que acabei de fazer trajando o meu Dominó.

             

  del.icio.us isto!

1,434 Respostas até o momento »

  1. 1

    NíìH love said,

    September 29, 2009 @ 8:56 pm

    muito loko mais nem pa banho eu consigo fazer um poema

  2. 2

    admin said,

    September 29, 2009 @ 9:18 pm

    Nizinha Minha
    Parece muito loko
    Mas depois de um tempo
    Com um ou outro arranho
    O tempo fica pouco
    Virando sentimento
    E você dá um banho
    Regado a poesia
    Em qualquer dos tamanhos
    De casa ou boemia
    Nos versos dos marmanjos

    Parece difícil, mas porque você não tenta sozinha? Pode contar comigo.

  3. 3

    leticia heidi piovani said,

    October 17, 2009 @ 3:56 pm

    vou me deitar
    e começo a sonhar.
    ter amigos é divertido,
    ficar brincando escondido.

    eu tentei mais não sei se tá bom queria uma resposta.
    quem poder responder obrigado.

  4. 4

    admin said,

    October 17, 2009 @ 5:10 pm

    Leticia:

    Pro poema ganhar um pouco mais de charme na construção, evite usar Rimas Paralelas, que são essas que você usou – verso 1 com 2 e verso 3 com 4. Vou apenas trocar dois termos de lugar e veja como fica:

    Vou me deitar
    Ter amigos é divertido
    E começo a sonhar
    Ficar brincando escondido

    Mexi apenas nas rimas, mas a Métrica dos versos não está equilibrada. Isso não é fundamental para o poema, mas o torna mais gostoso na declamação quando a Métrica é equilibrada. Assim

    Agora vou me deitar
    Ter amigo-é divertido
    Pra começar a sonhar
    De-estar brincando-escondido

    Perceba que, apesar de mais longo no visual, o quarto verso ficou com a mesma quantidade de sílabas dos anteriores. Isso se chama Poema Regular, pois apresenta todos os versos com a mesma quantidade de sílabas. Embora seja uma técnica que aparente ultrapassada, é ainda a melhor delas para se aprender a fazer poemas.

    Brinque um pouco com Versos Regulares e volte sempre aqui pra mostrar. Pode contar comigo.

    Boa Sorte.

  5. 5

    brenda regina andrade da silva said,

    October 29, 2009 @ 2:41 pm

    tudo bem legal

  6. 6

    admin said,

    October 29, 2009 @ 3:04 pm

    Brenda:

    Alegra-me o fato de você ter gostado.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton

  7. 7

    mayse mirelly silva said,

    November 1, 2009 @ 12:05 pm

    adsorei achei ultra hiper mege legal

  8. 8

    admin said,

    November 1, 2009 @ 1:16 pm

    Mayse:

    Então volte sempre, pois hoje, curiosamente, coloquei uma postagem que trata também de Maysa.

    Grato pelo comentário.
    Dalton.

  9. 9

    Gilson said,

    November 25, 2009 @ 3:00 pm

    Tudo muito legal parabéns. Estou me apaixonando por poemas

  10. 10

    admin said,

    November 25, 2009 @ 3:30 pm

    Gilson:

    Espero qualquer dia postar aqui um poema seu com o orgulho de quem o iniciou.

    Boa Sorte e Grato.
    Dalton.

  11. 11

    **NICK** said,

    December 8, 2009 @ 3:41 pm

    tem gente que é problema,
    pois não é fiel.
    é por isso que escrevi este poema,
    porque gente fiel só existe no céu.

    naum sei se tá bom…+ espero resposta…

  12. 12

    admin said,

    December 8, 2009 @ 4:27 pm

    Nick:

    Bom o seu poema. Rimas Alternadas e Métrica quase exata. Para ficar ótimo bastaria você trocar o “pois” por um “porque”. Procura contar o número de sílabas dos versos:

    Tem / gen / te / que-é / pro / ble / ma – 6 sílabas.

    pois / não / é / fi / el – 5 sílabas
    por / que / não / é / fi / el – 6 sílabas

    é / por / is / so / que-es / cre / vi / es / se / po / e / ma – 11 sílabas
    por / que / gen / te / fi / el / só / e / xis / te / no / céu – 11 sílabas

    Sacou a pequena jogada nas sílabas?

    Vai firme. Tá no caminho certo.

    Dalton.

  13. 13

    rosalina da silva said,

    December 12, 2009 @ 5:13 pm

    Que pedra?
    No meu caminho tinha uma pedra
    Tinha uma pedra no meu caminho
    Pedra de cigarro
    Pedra de cocaina
    pedra de gelo na minha bebida
    Esta pedra chamada drogas,
    Que minha vida revirava
    E cada vez mais , eu juntava pedras
    Pedra da iginorancia,
    Que escondia minha arte
    Arte, de desenhar a vida, arte de colorir a alma
    Arte, de criar esperança e sonhos.
    arte de viver a vida
    Eta pedra maldita, cansei de juntar pedras, e com uma marreta, chamada fé
    Esmiucei a pedra.
    Tinha , de ter, no passado uma pedra no meu caminho
    No meu caminho tinha uma pedra de crack
    Autor: Rosalina

  14. 14

    rosalina da silva said,

    December 12, 2009 @ 5:20 pm

    DESCULPE E a palavra e IGNORANCIA

    e que pedra ? e o titulo estou começando e gostaria de sua opiniao

    bjos

  15. 15

    admin said,

    December 13, 2009 @ 5:06 pm

    Rosalina:

    O que você pretende que eu faça com o seu poema “Que Pedra”?

    Quer que eu o ajuste nas rimas, na métrica, no Ritmo ou quer apenas uma opinião à respeito dele?

    Estou disposto a ajudá-la, mas preciso saber como começar, ok?

    Beijos.
    Dalton.

  16. 16

    Lola said,

    December 15, 2009 @ 10:49 pm

    DEIXAREI APENAS DOIS VERSOS DE UM POEMA QUE FIZ (POR DIREITOS AUTORAIS) PRA VOCÊ ANALISAR, POR FAVOR..

    Minha terra tem pessoas
    que acham que são as tais,
    destroem a natureza,
    acabam com os animais.

    Não pensam no futuro
    de seu filho e seu irmão
    Estão acabando com o mundo
    sem um pingo de atenção.

  17. 17

    Lola said,

    December 15, 2009 @ 10:53 pm

    MAIS TRÊS VERSOS DE OUTRO POEMA:

    O Brasil que eu quero
    É um Brasil unido
    Onde exista um povo
    Que seja forte e destemido

    Eu quero um Brasil competente
    Que tenha apenas gente descente
    Um Brasil sem destruição
    E sem poluição

    Eu quero um Brasil
    Onde todos trabalham
    E onde ninguém passe fome
    E nem morem debaixo de pontes

  18. 18

    admin said,

    December 16, 2009 @ 6:09 am

    Lola:

    Bonito Poema feito com só um grupo de rimas por estrofe – tais com animais na primeira – irmão com atenção na segunda.

    Para o verso – Não pensam no futuro – sugiro que você coloque um “nem”, ficando Não / pen / sam / nem / no / fu / tu / ro – 7 sílabas

    Você tentou deixar todos os versos com o mesmo comprimento, sete sílabas, mas o penúltimo verso – es / tão / a / ca / ban / do / com / o / mun / do – tem nove sílabas. Quando muito, oito, caso você transforme o com+o em c´o.

    Sugiro então a seguinte mudança: Estão destruindo o mundo – Es / tão / des / tru / in / do-o / mun / do – 7 sílabas.

    Assim fica um bom exemplo de Poema Regular, que é aquele feito em versos com o mesmo comprimento:

    Mi / nha / ter / ra / tem / pes / so / as – 7 sílabas
    Que / a / cham / que / são / as / tais, – 7 síl
    Des / tro / em / a / na / tu / re / za, – 7 síl
    A / ca / bam / c´os / a / ni / mais. – 7 síl

    Não / pen / sam / nem / no / fu / tu / ro – 7 síl
    De / seu / fi / lho-e / seu / ir / mão – 7 sil
    Es / tão / des / tru / in / do-o / mun / do – 7 sil
    Sem / um / pin / go / de-a / ten / ção. – 7 sil

    Dalton.

  19. 19

    admin said,

    December 16, 2009 @ 7:57 am

    Lola:

    Nestas três estrofes tivemos o mesmo problema visto no poema anterior, Métrica.

    Na primeira estrofe você fez três versos com cinco sílabas e, no quarto, – Que seja forte e destemido – usou oito sílabas. Se você colocar apenas – Forte e destemido – além de ficar também com cinco sílabas, continuará com lógica na sintaxe, pela presença do “exista” no verso anterior:

    On / de-e / xis / ta-um / povo – 5 sílabas
    For / te-e / des / te / mi / do – 5 sílabas

    Na segunda estrofe eu sugiro o seguinte:

    Eu / que / ro-um / Bra / sil / com / pe / ten / te – 8 sílabas
    Que / só / te / nha / gen / te / de / cen / te – 8 sílabas
    Um / Bra / sil / sem / des / tru / i / ção – 8 sílabas
    Um / Brasil / sem / po / lu / i / ção – 8 sílabas

    Na terceira estrofe dá para fazer um trabalho de Métrica Progressiva, onde o verso posterior tem sempre uma sílaba a mais que o anterior, assim:

    Eu / que / ro-um / Bra / sil – 5 sílabas
    On / de / to / dos / tra / ba / lham – 6 sílabas
    E-on / de / nin / guém / pas / se / fo / me – 7 sílabas
    Nem / mo / re / de / bai / xo / de / pon / tes – 8 sílabas

    Fiz uma análise básica da Métrica, se você optar por uma visão mais voltada às Rimas, ou ao Ritmo Poético, me avise que voltarei ao assunto, ok?

    Agradeço a visita e Boa Sorte.
    Dalton.

  20. 20

    rosalina da silva said,

    December 16, 2009 @ 8:55 pm

    ola dalton adorei este site que encontrei aqui

    eu preciso de uma opiniao para continuar, quero saber se tenho talento
    se voce me orientar entao no ritmo eu posso continuar, e que ja vi acima como e metrica que sao as mesma quantidade de silabas ne? e as rimas alternadas viu aprendi tudo aqui so nao sei ainda o que e ritmo ok ?? bjos…

  21. 21

    Lola said,

    December 16, 2009 @ 9:44 pm

    Nossa!!! Muito obrigada pelas correções aí Dalton..
    Amei as dicas.. Me ajudaram e ajudarão bastante
    Parabéns pelo prazer de ajudar as pessoas
    e mais uma vez
    MUITO OBRIGADA!!!

  22. 22

    admin said,

    December 17, 2009 @ 5:21 am

    Rosalina:

    Seu poema toca fundo no coração de qualquer pessoa preocupada com o bem estar do próximo, e como professor espontâneo, comigo não poderia ser diferente, pois o poema, além de apresentar alguns recursos poéticos naturais de quem usa traduzir os sentimentos próprios, está bem perto das bases exigidas pela Ciência Poética.

    O Talento Natural você já possui, o resto é mais fácil, pois se trata apenas de lapidar, com os estudos de Versificação, o que já nasceu valioso.

    Vou estudar o seu poema e depois volto com a análise e as sugestões, no entanto, aqui vai uma idéia para o título:

    O Outro Lado Da Pedra (Rosa Silver)

    Que tal?

    Assim que puder volto. Bjs.
    Dalton.

  23. 23

    admin said,

    December 17, 2009 @ 5:23 am

    Volte Sempre Lola.
    Dalton.

  24. 24

    admin said,

    December 19, 2009 @ 6:21 am

    Rosalina:

    O original do poema que você colocou é a forma mais pura com que os poemas normalmente são escritos pelos poetas. Normalmente os pensamentos são escritos daquela forma, do jeito que vieram na cabeça no instante da criação.

    No segundo estágio, caso o poeta decida encaixar o poema nas regras da Versificação, para virar música, por exemplo, ele mexe no texto original.

    Quase todas as músicas foram feitas desse jeito.

    Como você pediu para que eu fizesse com o seu poema algo semelhante ao que foi feito com os poemas da Lola, procurei fazer com que ele, cujo título sugeri O Outro Lado da Pedra, pudesse ser musicado mais fácil.

    Mexi um pouco nos textos dos versos com duas intenções: Deixar a Métrica mais uniforme, e dar Rimas comuns, que são fundamentais para que o povo decore a letra. Do jeito que deixei, basta você achar algum músico capaz de colocar melodia no poema e você terá a música pronta.

    Sugiro que você estude estas postagens:
    http://mpbsapiens.com/metrica/
    http://mpbsapiens.com/a-silaba-poetica-e-sua-metrica/
    http://mpbsapiens.com/as-rimas/

    No meu caminho tinha uma pedra – (caminho – destino)
    Tinha uma pedra no meu destino
    Pedra de cigarro no sarro – (cigarro – sarro)
    Pedra-em cocaina por cima – (cocaina-cima)
    Pedra de gelo na minha bebida – (cima-bebida)

    Essa pedra chamada drogas, – (droga-torta)
    Que minha vida revirava – (revirava-juntava)
    E sempre cada vez mais torta
    Muitas pedras eu só juntava

    Pedra da ignorância, – (ignorância-esperanças)
    Que escondia minha arte – (escondia-descrevia)
    Arte que descrevia a vida – (descrevia-coloria)
    Arte que coloria a alma – (coloria-cria)
    Arte que cria esperanças e sonhos. – (cria-vivia)
    Arte que vivia a vida criança – (esperança-criança)

    Eta pedra maldita – (maldita-vida)
    Cansei de juntar pedras nos pés – (pés-fé)
    E com a Marreta da Fé – (marreta-pedra)
    Esmiucei a pedra da vida.

    Tinha de ter no passado – (tinha-caminho)
    Uma pedra no meu caminho – (caminho-destino)
    No meu destino
    Tinha uma pedra de crack

    Obs: Leia também a postagem
    http://mpbsapiens.com/escandir-escansao/

    Bom Estudo e Beijos.
    Dalton.

  25. 25

    rosalina da silva said,

    December 19, 2009 @ 10:58 am

    ADOREIIII FICOU LINDO

    com as correçoes aprendi muita coisa, colocar letras maisculas na palavra Marreta deixou ela mais forte, e tambem combinar um as rimas . valeuuuuu…

    a minha intençao e de fazer poesia, voce ja fala em musica rs rs rs

    entao ritmo e musica, certo?

    vou estar sempre por aqui aprendendo .

    beijosssssssssss

  26. 26

    nayara said,

    January 4, 2010 @ 9:54 pm

    jogo um poema para vc le a presença nao vai te
    logo_logo vc vai te uma paixao jogado no chao
    vc tem um nome bonito ?
    nunca se esquesa por q vc vai te esse nome
    muito lindo te uma paixao q vc que“““`
    ????sabe q eu nao sei oq e sinples e faisiu
    jogado no vaso ha isso jaja vai passa
    nao fique tris te solidao??????

  27. 27

    Luzia said,

    January 9, 2010 @ 11:28 am

    Bom dia e Feliz 2010!

    Criei um Blog para publicizar os meus ensaios poéticos e gostaria muito que você o visitasse e comentasse os embriões de poesia que coloquei.

  28. 28

    admin said,

    January 9, 2010 @ 6:06 pm

    Luzia:

    Obrigado pelo desejo de um feliz 2010 e pela referência poética atribuida ao MPB Sapiens, de modo que seria, no mínimo,
    deselegante eu não visitar o seu Blog.

    Lá estarei!

    Abraços,
    Dalton

  29. 29

    Luzia said,

    January 9, 2010 @ 10:49 pm

    Oi, Dalton!

    Obrigada pela visita. Gostaria você apontasse possibilidades de melhora no ritmo e na rima, já que na métrica sou bastante rebelde para conseguir me conter a tamanhos de versos. Se puder, escolhe um de meus ensaios para comentar aqui.

  30. 30

    bruna said,

    January 22, 2010 @ 8:46 pm

    bom ja como eu tenho 4 livros diria q isso nao é bem o que algumas pessouas gostariam de ler umas gostariam de ler romanses outras algo engraçado nao é bem o q eu prefiro mas faser oq!!!!!!!

  31. 31

    admin said,

    January 25, 2010 @ 1:59 pm

    Mestre Bruna:

    Vossê teim rasão. As çuas pessouas deve gostá mais dus seus livro. Num fasso romansse acim que nem vossê. Axo qui nunca fis, mas obrigado pela sua ilustre visita.

    Dalton.

  32. 32

    juliana said,

    March 26, 2010 @ 4:06 pm

    ola sou a juliana preciso muito fazer 3 poemas para nota de trabalho para faculdade e não tenho a minima ideia de como fazer, por favor pode me ajudar ficaria muito agradecida se me ajudar.

    Obrigada

    Juliana

  33. 33

    juliana said,

    March 26, 2010 @ 4:12 pm

    Ha me esqueci pode ser qualqer poema desde que seja 3, mas o professor quer que nós fassam o poema e não copiar das pessoas e nem da internet e no final por o nosso nome. Por favor me ajude. Mas se poder eu quero muito poema de: Amor, Amizade, e Professor. Obrigada.

  34. 34

    admin said,

    March 26, 2010 @ 4:42 pm

    Juliana:

    Você quer fazer os poemas aqui comigo?

    Bastam três assuntos distintos e podemos fazer algumas coisas bem didáticas.

    Escolha os assuntos e esboce alguma idéia em cada um deles. Trnasformo os esboços em poemas e explico como fiz. Tá Bom assim?

    Fico no aguardo.
    Dalton.

  35. 35

    juliana said,

    March 29, 2010 @ 12:55 pm

    A verdade é que eu nao sei fazer poema me mande por e-mail por favor o tema é: Amor (seria para o meu namorado), Felicidade (para minha pessoa eu) e Tristeza (para minha mãe). Te peço PORFAVOR ME AJUDE, e ficarei muito grata.

  36. 36

    brenda souza ferreira said,

    April 6, 2010 @ 5:06 pm

    Gente, quanta gente
    Que excelente funeral
    - Ficas bem de preto
    E o cabelo ao natural
    - Dizem que o eminente
    Triplicou seu capital
    - Vai sobrar para gente
    Que nem viu ele vivo
    - Tem até donativo
    Para as obras do hospital.

  37. 37

    admin said,

    April 6, 2010 @ 5:10 pm

    Brenda:

    “Excelente Funeral” é um pensamente pra lá de interessante, rs.

    Grato pela visita.
    Dalton.

  38. 38

    Lucas Gomes said,

    April 12, 2010 @ 12:54 am

    Então
    eu queria compor umas musicas tipo Cazuza
    mas elas ficam todas muito certinhas com as rimas e talz
    e eu andei reparando bem tem partes que nem rima tem
    que eu tenha reparado
    só que eu sempre fico aprisionado as rimas
    não tem algum jeito de escapar da rima ?
    não sei se fui claro

    “Todo dia a insônia me convence que o céu
    Faz tudo ficar infinito
    E que a solidão é pretensão de quem fica
    Escondido fazendo fita
    Todo dia tem a hora da sessão coruja
    Só entende quem namora”

    algo tipo assim
    tem alguma regra nisso ? eu nao consegui reparar
    i

  39. 39

    Lucas Gomes said,

    April 12, 2010 @ 12:55 am

    Muito legal aqui :D

  40. 40

    admin said,

    April 12, 2010 @ 9:06 am

    Lucas

    Quando se interpreta o significado completo do termo “Rima”, fazer um poema sem Ela é algo dificílimo já que, por definição, a Rima pode ser Consoante, quando apresenta identidade de sons nas palavras envolvidas, e apenas Toante, quando apresenta apenas uma semelhança de sons à partir das vogais tônicas das palavras.

    Pelo fato das rimas terem varias possibilidades de colocação, envolvendo fins, centros e inícios de versos, bem como apresentarem Ecos, quando pertencentes ao mesmo verso, é muito complicado evitá-las, já que dispomos, apenas, de 5 vogais em nosso alfabeto.

    Tomemos como exemplo os versos que você colocou acima:

    Todo dia a insônia me convence que o céu
    Faz tudo ficar infinito
    E que a solidão é pretensão de quem fica
    Escondido fazendo fita
    Todo dia tem a hora da sessão coruja
    Só entende quem namora

    convence-entende – Rima Toante
    infinito-fica-fita – Rimas Toantes
    solidão-pretensão – Rima Consoante de Eco
    pretensão-sessão – Rima Consoante de Centro

    Dê uma estudada nas minhas postagens sobre Rimas, olhe novamente a música do Cazuza e veja o quanto ele conseguiu fugir das rimas.

    Fico feliz pelo seu interesse, mas aconselho você a não perder tempo com esse detalhe: Fazer poema sem rimas; pois vale muito mais o seu pensamento original do que qualquer detalhe da Ciência Poética, que convém lembrar, é apenas um estudo nascido dos versos feitos naturalmente.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  41. 41

    Lucas said,

    April 12, 2010 @ 4:11 pm

    Puts é mesmo
    vo da uma estudada disso aqui :D
    Brigadao mesmo

  42. 42

    taiza said,

    April 18, 2010 @ 12:12 am

    pedro alvares cabral um cascudo nao faz mal alem o ceu alem do mar um progama a começa.

  43. 43

    taisa said,

    April 18, 2010 @ 12:19 am

    luz da escuridao que veio a nos salvar as plantas e as sementes que vieram a cantar o ceu a iluminar e os mares a navegar sempre com o seu amor vieram a nos salvar.

  44. 44

    admin said,

    April 18, 2010 @ 7:54 am

    Taiza e Taisa:

    Façam uma dupla, juntem os textos, transformem depois em versos e terão um Gênesis Poético do Brasil.

    Grato pelas visitas.
    Dalton.

  45. 45

    taisa said,

    April 18, 2010 @ 6:30 pm

    pedro alvares cabral um cascudo nao faz mal alem o ceu alem do mar um progama a começa e a luz da escuridao que veio a nos salvar as plantas e as sementes que vieram a cantar o ceu a iluminar e os mares a navegar sempre com o seu amor vieram a nos salvar.

  46. 46

    Herbert said,

    May 8, 2010 @ 1:53 pm

    eu quria muto fazer um poema çcom rimas de matematica sobre a formula de bhaskara..
    queria muito que alguem me ajuda-se por favor preciso apresentar esta terça se vcs tiverem um poema com este tema por favor envie para o meu e-mai eu sou perssimo em rimas.
    hherbertlindo@yahoo.com.br ou hherbertrodrigues@hotmail.com

  47. 47

    Herbert said,

    May 8, 2010 @ 1:55 pm

    eu quria muto fazer um poema com rimas de matematica sobre a formula de bhaskara..
    queria muito que alguem me ajuda-se por favor preciso apresentar esta terça 11/05/2010 se vcs tiverem um poema com este tema por favor envie para o meu e-mai eu sou perssimo em rimas.
    hherbertlindo@yahoo.com.br ou hherbertrodrigues@hotmail.com

  48. 48

    admin said,

    May 8, 2010 @ 4:49 pm

    Herbert:

    O poema é a parte mais fácil, o difícil é conhecer o assunto dessa esquisitíssima fórmula. Bhaskara, Bháskara ou Bhaskará. Saber a acentuação correta do nome ajuda bastante.

    Conte alguma coisa dessa fórmula que lhe faço O Soneto de Bhaskara dentro de todas as regras da Versificação.

    Fico no aguardo.

  49. 49

    Claudio said,

    May 13, 2010 @ 12:37 am

    Não tenho bases mas tenho gosto,não se ainda frequentas este site mas gostaria que me ajudasses a aperfeiçoar um defeito.Deixo aqui umas palavras

    Não vamos falar a toa,
    como muita gente o faz,
    gente boba que lã no fundo é boa,
    mas nao sabe o que faz,
    Nós damos ajuda a quem mais precisa,
    Voz entulha que dissipa muita mente maligna.

  50. 50

    julia cristina said,

    May 17, 2010 @ 5:29 pm

    Casa feliz

    dmnghbjmnk mkkm g,b

  51. 51

    admin said,

    May 17, 2010 @ 5:44 pm

    julia cristina:

    Obrigado e volte sempre.
    Dalton.

  52. 52

    giovanna said,

    May 19, 2010 @ 9:42 pm

    e legal fazer um poema

  53. 53

    giovanna said,

    May 19, 2010 @ 9:44 pm

    eu gosto muito de poemas adorei aqui

  54. 54

    admin said,

    May 20, 2010 @ 1:00 am

    giovanna:

    Fico feliz que tenha gostado daqui. Sinta-se em casa e agradeço a visita.

    Dalton.

  55. 55

    keti said,

    May 24, 2010 @ 3:16 pm

    eu queria q tivesse poema da cidade de Witmarsum(sc) seria muito grata se vcs botacem o poema até o dia 24/05/10

  56. 56

    admin said,

    May 24, 2010 @ 8:55 pm

    keti:

    Você quer que faça um poema sobre a cidade, é isso?

    Aguardo resposta.
    Dalton.

  57. 57

    Aline said,

    May 24, 2010 @ 9:43 pm

    gente
    Pobre rica
    Rica pobre (2x)

  58. 58

    admin said,

    May 24, 2010 @ 10:10 pm

    Aline:

    Como Refrão musical ficou legal. Faz o resto da letra e coloca para conversarmos.

    Obrigado pela visita.
    Dalton.

  59. 59

    Daanielli almeida said,

    May 29, 2010 @ 10:12 am

    Um dia, parei
    e pensei
    Por que o sabia
    vive a cantar

    Por que a pessoa que tudo queria
    tudo perdia
    e só sofria

    Por que eu escrevi esse poema
    se tudo que escrevi
    nada descobri

    Autora:Danielle almeida da Luz

    A poeta de Rondonia

  60. 60

    admin said,

    May 29, 2010 @ 4:09 pm

    Danielle:

    É um prazer tê-la por aqui.

    Venha mais vezes e grato pela visita.
    Dalton

  61. 61

    Graciene Soaress said,

    May 29, 2010 @ 11:46 pm

    Estou escrevendo um poema sobre CULTURA AFRO e gostaria que vc mim desse uma ajuda,algumas dicas do assunto. DESDE já´agradeco sua ajuda.

  62. 62

    admin said,

    May 30, 2010 @ 8:17 am

    Graciene:

    Posso ajudá-la com prazer, já que adoro o assunto. Primeiro é necessário que você escolha um tema cultural a ser abordado no poema. Religioso, escravidão, existencialismo, musical, segregação racial…

    Escolha o tema e escreva algo sobre o que você acha dele. À partir do seu texto, e com alguma intervenção minha, construiremos o poema que voc\~e tanto quer.

    Grato pela confiança.
    Dalton.

  63. 63

    lerinny said,

    June 8, 2010 @ 12:40 pm

    oi,eu quero fazer um poema mas ñ sei por onde começar.
    eu gostaria de fazer um otimo poema !
    olha o pedacinho que eu enventei:procurace uma flor… linda e bela .
    me responde logo por favor!
    des de ja agradeço!obg!!!

  64. 64

    admin said,

    June 8, 2010 @ 4:12 pm

    Oi lerinny:

    Fazer um poema é simples. Basta colocar o texto normal em versos com até 14 sílabas poéticas e, se quiser, usar rimas. Por exemplo:

    Procura-se uma flor
    Linda e bela
    Linda como aquela
    Que é bela como o amor

    Daí pra frente você vai trabalhando com as palavras e, na maioria das vezes, resulta em coisa bonita.

    Caso você queira aprender a sofisticar o poema, este site tem tudo o que você precisa saber. É só estudá-lo.

    Boa Sorte.
    Dalton.

  65. 65

    bia******************tiz said,

    June 9, 2010 @ 4:22 pm

    não sei fazer poemas

  66. 66

    admin said,

    June 9, 2010 @ 5:25 pm

    Bia:

    Quer aprender?
    Dalton.

  67. 67

    polyana said,

    June 17, 2010 @ 4:22 pm

    nao sei fazer, quero aprender

  68. 68

    admin said,

    June 17, 2010 @ 5:33 pm

    Polyana:

    Então, comecemos por um texto seu. Escreva um texto comum sobre alguma coisa que goste e, à partir dele, começaremos a transformá-lo em poema.

    Grato pela confiança.
    Dalton.

  69. 69

    KESIA said,

    June 18, 2010 @ 9:47 pm

    ADOREI ,TENHO Q FAZER UM POEMA NO TYRABALHO DA ESCOLA

  70. 70

    admin said,

    June 19, 2010 @ 7:32 am

    KESIA:

    Acho que aqui você terá o que precisa. Sinta-se em casa.

    Dalton.

  71. 71

    Lenita Soares said,

    July 1, 2010 @ 3:25 am

    Olá,

    Eu gostaria que você fizesse uma crítica sobre esse texto:

    FILHOS DA LUZ

    Há quem diga que não tenho filhos.
    Ledo engano, tenho muitos.
    Milhares de filhos e dezenas de filhas.

    Tenho filhos perfeitos e maravilhosos,
    filhos que só me dão alegria
    e que nunca me decepcionaram.

    Meus filhos, os versos, são amigos;
    minhas filhas, as músicas, são dádivas.
    Esses, nunca me abandonarão.

    Nunca mais serei solidão.

    Lenita Soares.

  72. 72

    admin said,

    July 1, 2010 @ 9:13 am

    Lenita:

    Embora eu procure analisar as letras da MPB, tento sempre lembrar ao leitor que só o redator do texto conhece bem os motivos que o levaram a escrevê-lo.

    Cada um tem formas próprias de escrever, o que acaba resultando nos “estilos” também próprios, mas posso dar uma idéia de como um consagrado poeta, Chico Buarque, já tenha descrito aos mesmos sentimentos seus diante do que você chamou de “Filhos da Luz”:

    As Minhas Meninas

    Olha as minhas meninas
    As minhas meninas
    Pra onde é que elas vão
    Se já saem sozinhas
    As notas da minha canção
    Vão as minhas meninas
    Levando destinos
    Tão iluminados de sim
    Passam por mim
    E embaraçam as linhas
    Da minha mão

    As meninas são minhas
    Só minhas na minha ilusão
    Na canção cristalina
    Da mina da imaginação
    Pode o tempo
    Marcar seus caminhos
    Nas faces
    Com as linhas
    Das noites de não
    E a solidão
    Maltratar as meninas
    As minhas não

    As meninas são minhas
    Só minhas
    As minhas meninas
    Do meu coração

    Percebe como esse sentimento seu, quanto aos
    milhares de filhos, se comporta na cabeça de um poeta com milhares de filhas?

    A análise da construção poética do seu poema eu posso até tentar, mas os motivos principais eu posso apenas supor, como fiz.

    Grato pela visita, continue escrevendo e volte sempre para me contar.
    Dalton.

  73. 73

    daniela said,

    July 1, 2010 @ 6:01 pm

    muitoooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo

  74. 74

    Alma Poética said,

    July 1, 2010 @ 8:35 pm

    Olá, Dalton,

    Gostei do que você falou sobre meu poema.
    Na verdade usei um pseudônimo “Lenita Soares”

    Esse Poema está no perfil do meu site.
    Quando quiser me visitar vou ficar muito feliz.

    Obrigada

    FILHOS DA LUZ

    Há quem diga que não tenho filhos.
    Ledo engano, tenho muitos.
    Milhares de filhos e dezenas de filhas.

    Tenho filhos perfeitos e maravilhosos,
    filhos que só me dão alegria
    e que nunca me decepcionaram.

    Meus filhos, os versos, são amigos;
    minhas filhas, as músicas, são dádivas.
    Esses, nunca me abandonarão.

    Nunca mais serei solidão.

    Pseudônimo – Lenita Soares.

    G.Cunha

  75. 75

    Lenita Soares said,

    July 2, 2010 @ 1:46 am

    Sr. Dalton,

    peço por gentileza que retire meu poema FILHOS DA LUZ dessa página.

    Obrigada.

    pseudônimo Lenita Soares

    G.Cunha

    Lei dos direitos autorais 9.610/98

    ……..

  76. 76

    admin said,

    July 2, 2010 @ 5:42 am

    Alma Poética e(ou) Lenita:

    Enquanto eu dormia
    Na fita da Alma
    Sonhando com os Filhos da Luz
    A bela poesia
    Em Lenita sem calma
    Perdia o que de fato a conduz

    Uma poetisa tirada de Alma
    Uma calma se perdendo em Lenita
    Alma me rodando uma fita
    Em que o lado de Lenita se exalta

    Era uma mistura
    De nome e de artista
    Na pista da mais pura emoção
    Hora agradecendo
    E num mesmo momento
    Perdendo-se em total confusão

    Tanto que lamento
    Os dois sentimentos
    Presentes numa só aflição
    E o sonho real
    Virou pseudônimo
    Toda a Alma de Lenita
    Perdeu calma no sinônimo…

    Afinal: – Quem é quem?

    Para quem quer que seja, ou não seja, aí foi uma homenagem às duas. Aproveitem da melhor maneira possível e podem, inclusive, dizer que o poema lhes pertence, já que, aos olhos da Arte, os poetas são apenas os seus Filhos da Luz contando apenas a história dela.

    Passarei lá pelo site de vocês mais tarde.

    Grato pelas visitas e voltem sempre.
    Dalton.

  77. 77

    admin said,

    July 2, 2010 @ 5:45 am

    Lenita e(ou) Alma Poética:

    Enquanto eu dormia
    Na fita da Alma
    Sonhando com os Filhos da Luz
    A bela poesia
    Em Lenita sem calma
    Perdia o que de fato a conduz

    Uma poetisa tirada de Alma
    Uma calma se perdendo em Lenita
    Alma me rodando uma fita
    Em que o lado de Lenita se exalta

    Era uma mistura
    De nome e de artista
    Na pista da mais pura emoção
    Hora agradecendo
    E num mesmo momento
    Perdendo-se em total confusão

    Tanto que lamento
    Os dois sentimentos
    Presentes numa só aflição
    E o sonho real
    Virou pseudônimo
    Toda a Alma de Lenita
    Perdeu calma no sinônimo…

    Afinal: – Quem é quem?

    Para quem quer que seja, ou não seja, aí foi uma homenagem às duas. Aproveitem da melhor maneira possível e podem, inclusive, dizer que o poema lhes pertence, já que, aos olhos da Arte, os poetas são apenas os seus Filhos da Luz contando apenas a história dela.

    Passarei lá pelo site de vocês mais tarde.

    Grato pelas visitas e voltem sempre.
    Dalton.

  78. 78

    rosalina said,

    July 3, 2010 @ 8:23 am

    eu adorei mas eu quero um poema do lugar onde moro

  79. 79

    admin said,

    July 3, 2010 @ 11:29 am

    Rosalina:

    Aonde você mora?

    Quem sabe eu conheça algum…

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  80. 80

    Ana Flávia said,

    July 15, 2010 @ 2:02 pm

    Só não te dou um rosa porque tem espinhos,
    Mas te dou o meu, amor com muito carinho.

  81. 81

    Ana Flávia said,

    July 15, 2010 @ 2:03 pm

    Gostei de todos os poemas são muitos lindos .. Bjs

  82. 82

    admin said,

    July 20, 2010 @ 11:04 am

    Ana Flávia:

    Perdoe pela demora na resposta, pois estive viajando na última semana.

    É um bonito pensamento, que na forma poética ficaria assim:

    Só não te dou um rosa
    Porque tem espinhos
    Mas te dou o meu amor
    Com muito carinho.

    Grato pela visita, volte sempre e Bjs.
    Dalton.

    Grato pela visita e volte sempre.

    Dalton

  83. 83

    diplomata negro said,

    July 28, 2010 @ 10:31 am

    meu esse site é loko.
    quando eu o vi fikei bobo.
    comecei a ler.
    eh de mais nada quiz saber.

    valeu dalton
    sangue bom………………

  84. 84

    admin said,

    July 28, 2010 @ 11:46 am

    Diplomata:

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  85. 85

    vanessa said,

    July 29, 2010 @ 3:20 pm

    cidadezinha cidadezinha cheia de graça… tão pequenina até causa dó! com seus burricos a pastar na praça…

  86. 86

    admin said,

    July 29, 2010 @ 4:31 pm

    Vanessa:

    Agora é só transformar em versos. Grato pela visita e volte com o poema pronto.

    Dalton.

  87. 87

    eliana said,

    July 29, 2010 @ 8:39 pm

    MUITO CHATO PREFIRO ESSE:
    Se alguém que muito ama rompeu com você, não se desespere. Eis a grande chance de uma autoavaliação.
    Evite relatar às outras pessoas os defeitos do ser amado. Isto demonstra fraqueza e desdém.
    Analise seu comportamento e verifique se você também não possui uma parcela de culpa neste rompimento.
    Saiba que sempre haverá alguém sedento deste amor. Mas vá com calma. Não se entregue por paixão à primeira pessoa que surgir. O tempo tem hora marcada e alguém que o mereça vai surgir em sua vida, como uma linda manhã de primavera, dando-lhe segurança e certeza de um amor verdadeiro.

  88. 88

    admin said,

    July 30, 2010 @ 8:39 am

    Eliana:

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  89. 89

    gabriella e dany said,

    July 30, 2010 @ 11:54 am

    vcs escreven muitas coisa nao dar pra ler nada e muito grande
    bjos ??

  90. 90

    admin said,

    July 30, 2010 @ 1:10 pm

    Gabriella:

    Prometo tentar explicar as coisas com menos palavras.

    Volte sempre e bjos.
    Dalton

  91. 91

    Raphael said,

    August 3, 2010 @ 7:35 pm

    Said me ajuda preciso fazer um poema sobre saudade e tem q se pra essa semana tipo ate dia 06 de agosto me ajuda to sem nenhuma criatividade e imaginação!!
    Desde ja agradesso!!!

  92. 92

    maria julia de a. araujo said,

    August 3, 2010 @ 8:35 pm

    quero mais dicas de como fazer o poema
    continue me dando mais dicas
    BJOS E MAIS BJOS
    TCHAU TCHAU

  93. 93

    admin said,

    August 3, 2010 @ 8:37 pm

    Raphael:

    Saiu agora, O Soneto Da Saudade. Se lhe perguntarem acerca do termo Soneto, convém você estar preparado, portanto sugiro que estude um pouco acerca dele.

    Você encontrará as explicações lá nas páginas Glossário Poético ou Ciência Poética, no cabeçalho do site.

    Quando penso que já estou curado
    Do amor que levei quase exemplar
    Sempre volta um ego mais safado
    Disposto apenas a me atormentar

    Saudade que parece estar distante
    Retorna como a força poderosa
    Daquilo que ficou num mero antes
    Voltando numa forma desastrosa

    Saudade é como um vidro de perfume
    Guardado lá no fundo de um armário
    Que esconde até um pouco do ciúme

    Que volta como sempre e de costume
    Deixando-me com cara de otário
    Rebobinando a vida em mesmo filme

  94. 94

    admin said,

    August 3, 2010 @ 8:58 pm

    Maria Julia:

    Estarei sempre aqui para responder. Basta que você especifique o assunto.

    Grato pela visita e Bjs.
    Dalton.

  95. 95

    bianca lima silva said,

    August 6, 2010 @ 11:40 am

    na minha rua

    na minha rua tem gente
    gente que vira e mexe
    vira indigente
    depois remexe
    e vira gente denovo
    na minha rua tem cachorro
    cachorro que passa fome e
    depois vem gente
    gente que ajuda o pobre cachorro
    na minha rua tem barro
    barro onde passa muito carro
    carro que espicha muito barro
    barro que suja muito gente
    na minha rua tem casas
    casa bonitas
    também tem o mercadinho
    mecadinho pequenininho
    na minha rua tem igrejas
    igrejas aqui
    igrejas lá.
    na minha rua tem minha casa
    onde eu fico a brincar

    Bianca lima silva

    então onde pode melhorar esse poema?

    p.s: eu tenho dez anos e esse poema e pra escola (estou na quarta serie).

  96. 96

    admin said,

    August 6, 2010 @ 1:15 pm

    Bianca:

    É um lindo poema. Para uma criança de 10 anos, o texto está bem avançado. Percebi apenas alguns pequenos erros de Português e me atrevo apenas a mudar isso. Veja onde foi:

    na minha rua tem gente
    gente que vira e mexe
    vira indigente
    depois remexe
    e vira gente denovo * (de novo)
    na minha rua tem cachorro
    cachorro que passa fome e
    depois vem gente
    gente que ajuda o pobre cachorro
    na minha rua tem barro
    barro onde passa muito carro
    carro que espicha muito barro

    barro que suja muito gente*

    (barro que suja muito a gente, ou,
    barro que suja muita gente). Você escolhe.

    na minha rua tem casas
    casa bonitas * (casa bonita ou casas bonitas)
    também tem o mercadinho
    mecadinho pequenininho
    na minha rua tem igrejas
    igrejas aqui
    igrejas lá.
    na minha rua tem minha casa
    onde eu fico a brincar

    Basta você corrigir apenas isso que fica excelente.

    Obrigado pela confiança e volte mais vezes, Bianca.
    Dalton.

  97. 97

    bianca lima silva said,

    August 6, 2010 @ 11:07 pm

    obrigado

    e esse blog é muito legal eu vi uns poemas que fiquei besta.

  98. 98

    Bianca Lima Silva said,

    August 6, 2010 @ 11:23 pm

    não sei

    Não sei se sou assim
    só sei que assim sou
    Não sei se me dão um sim
    Só sei que sim dou
    Não sei se me ver assim
    Só sei que eu assim vejo
    Não sei se de interessa
    Só sei que interessa a mim
    Não sei se ver o mundo assim
    Só sei que eu vejo assim

    E esse o que pode ser melhorado nesse poema,eu tbm preciso de um poema com o meu nome mais não sei o que rima com Bianca.

  99. 99

    admin said,

    August 7, 2010 @ 8:30 am

    Bianca:

    Todo poema tem um Ritmo Poético ditado pelas acentuações das sílabas do verso. Todo verso tem uma quantidade de sílabas, o que chamamos por Métrica.

    Um dos segredos do poema bem feito é procurar dar aos versos Métricas e Ritmos semelhantes. Não é necessário que todos os versos sejam iguais tanto em Métrica quanto em Ritmo, mas sim, que apresentem um equilíbrio nesses aspectos.

    Repare que eu separei o seu poema em duas partes, o que costumamos chamar por Estrofes. perceberá que na primeira estrofe tivemos dois tipos de Métrica e Ritmo: primeiro e segundo versos com 6 sílabas acentuadas em 2-4-6. Terceiro e quarto com 7 sílabas acentuadas em 2-5-7.

    Para conseguir equilibrar a estrofe fiz pequenas mudanças, inclusive, tendo de modificar, no segundo, a natural acentuação do termo asSIM para ÁSsim. Isso pode ser feito, pois, no poema, vale mais a acentuação que o poeta dá na leitura do que a gramática manda na escrita.

    não / SEI / se / SOU / as / SIM – 2-4-6
    só / SEI / que / ÁS / sim / SOU – 2-4-6
    não / SEI / se / me / DÃO / um / SIM – 2-5-7
    só / SEI / que / o / SIM / eu / DOU – 2-5-7

    Nesta segunda estrofe dei mais algumas mexidas, mas tivemos o interessante equilíbrio entre os versos 1,2,4 e 5, que ficaram 2-5-7, com os versos 3 e 6 que ficaram 2-4-7.

    não / SEI / se / me / VÊM / as / SIM – 2-5-7
    só / SEI / que-eu/ as / SIM / me / VE / jo – 2-5-7
    não / SEI / se / TE / in / te / RES / sa – 2-4-7
    só / SEI / que-in / te / RES / sa-a / MIM – 2-5-7
    é / CER / to / ver / MUN / do-as / SIM – 2-5-7
    só / SEI / que / EU / ve / jo-as / SIM – 2-4-7

    Quanto às Rimas, sugiro que você comece a estudá-las com maior vontade, pois embora fique gracioso jogar o SIM com o ASSIM, a coisa fica muito repetitiva. Tudo o que você precisa saber sobre colocação e qualidade das rimas, encontrará no cabeçalho do site, nas páginas de Ciência Poética e Glossário Poético.

    Uma boa rima para Bianca, é Franca, ou mesmo Branca, que é a tradução portuguesa da italiana Bianca.
    Tente fazer um Verso Acróstico com o seu nome. Ficará legal.

    Boa Sorte, menina.
    Dalton.

  100. 100

    jaqueline said,

    August 10, 2010 @ 11:51 am

    nao achei oq queria eu queria tentar fazer uma poesia ou poema que é trabalho de escola mas aqui nao tem entao vou casar eu outro site bjs…

  101. 101

    Raphael said,

    August 10, 2010 @ 4:28 pm

    Said queria agradecer o soneto q me mostro me ajudo muito tirei integral valeu mesmo e vo continua sempre por aki pra aprender a faze sozinho
    obrigadu

  102. 102

    admin said,

    August 10, 2010 @ 6:53 pm

    Jaqueline:

    Me perdoe se o site não lhe serviu. Boa sorte na sua busca por outro.

    Grato pela visita.
    Dalton.

  103. 103

    admin said,

    August 10, 2010 @ 6:55 pm

    Raphael:

    Espero que você aprenda a fazer poemas rapidamente.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  104. 104

    maria victória da silva pimentel said,

    August 11, 2010 @ 12:06 pm

    éééééééééééééééééé!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    boas dicas, parabens!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    vc é um gato, não um gatão que dá até pra fazer sexo com vc né!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  105. 105

    admin said,

    August 11, 2010 @ 4:43 pm

    Maria:

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  106. 106

    Marcos said,

    August 16, 2010 @ 9:15 pm

    O espelho da vida

    O tal pobre
    que caminha vagamente
    pelas ruas esperançosamente
    atrás de algo
    ou de alguém.

    E o rico
    que olha tudo com desprezo
    se achando um deus
    mas no fundo sooa seu medo.

    E o poeta
    que anda
    pensa, e escreve
    numa folha de papel descreve
    o que ve ao seu redor.

    e ai admin? como vc acha que ficou?

  107. 107

    admin said,

    August 17, 2010 @ 9:41 am

    Marcos:

    A idéia é boa, mas sinto que faltou metade do poema. Você tratou do pobre, depois do rico e, por fim, do poeta.

    Mas o poeta, apenas descrito por você, quer contar o que viu ao seu redor, e pode fazê-lo invertendo a ordem de entrada: primeiro dele, depois do rico e finalizando no pobre.

    Pensa nisso.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton-Adm.

  108. 108

    giovanna said,

    August 18, 2010 @ 11:34 am

    eu sou uma menina de 10 anos sou obrigada a fazer um poema po causa da minha escola , em sei como começa um poema entao vc que fez esse blog maravilhoso
    me mande um e-mail dizendo como posso começar ate as 11:00 do dia 18.08.2010
    me responda :

    COMO FAZER UM POEMA ?

    OBRIGADA PELA CONPREENçAO
    GIOVANNA
    ATE

  109. 109

    admin said,

    August 18, 2010 @ 11:39 am

    Giovanna:

    Sobre o que você gostaria de escrever?

    Escolha o assunto, escreva alguma coisa sobre ele e coloque aqui o que escreveu.

    Caso seja envergonhada, escreva o texto e mande para tonbarsan@hotmail.com, que tentarei ajudá-la.

    Está bom assim?

    Fico esperando.
    Dalton.

  110. 110

    jamilegatinhadeilhéus said,

    August 25, 2010 @ 9:14 pm

    AMOR DA MINHA VIDA

    EU TENHO UM AMOR
    EU TENHO UMA PAIXÃO
    GUARDO ELE AQUI
    DENTRO DO CORAÇÃO!

    MEU AMOR FOI EMBORA
    MAS SERÁ QUE ELE VOLTA?
    SENÃO VOU TER QUE JOGAR FORA
    TODA A MINHA HISTÓRIA!

    QUANDO EU CRESCER
    QUERO ME APAIXONAR
    TALVEZ IREI CASAR
    POR ISSO VOU ESPERAR!

    QUANDO MEU AMOR CHEGAR
    VOU ME ALEGRAR
    DESTE AMOR VOU CUIDAR
    PARA NUNCA ACABAR…………….

  111. 111

    jamilegatinhadeilhéus said,

    August 25, 2010 @ 9:18 pm

    EU TENHO 12 ANOS FIZ ESTE POEMA ”AMOR DA MINHA VIDA” POIS SOU ROMÂNTICA JÁ PARTICIPEI DO ”TAL”(TEMPOS DE ARTE LITERÁRIA) COM UMA POESIA SOBRE MULHER!!!

    UM BEIJO
    E LEMBRE-SE
    O AMOR QUEBRA QUALQUER BARREIRA, PRINCIPALMENTE SE FOR DOCE,PURO E VERDADEIRO!!

  112. 112

    admin said,

    August 25, 2010 @ 9:48 pm

    Jamile:

    Que você cresça assim, sempre gatinha e amorosa, e nunca perca esse amor que a carrega para os versos, pois, embora ainda nova, você tem muita segurança na linguagem poética. Gostei.

    Volte sempre e um Beijo.
    Dalton.

  113. 113

    Guilherme said,

    August 27, 2010 @ 3:17 pm

    Olá eu tenho de escrever um poema sobre meio ambiente então peço a vcs que daqui a pouco leiam meu poema e digam se ele está legal. Valeu?

  114. 114

    Kenji said,

    August 27, 2010 @ 3:36 pm

    Eu Presido de rimas com Brenda

    Meu Amor

  115. 115

    admin said,

    August 27, 2010 @ 10:44 pm

    Sem problemas Guilherme!

    Coloque o poema aqui e depois lhe darei um parecer.

    Grato pela confiança.
    Dalton

  116. 116

    admin said,

    August 27, 2010 @ 10:48 pm

    Kenji:

    Assim, de memória, lembro de Prenda, Fenda, Renda, Compreenda, Venda, Zenda, Vivenda, Moenda, Fazenda, Aprenda…

    Acho que isso já dá para que você Aprenda Meu Amor.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton

  117. 117

    Paulinha said,

    August 30, 2010 @ 5:05 pm

    Preciso urgentemente de um poema sobre estudar que tenha rima.
    por favor me ajudem!!!

  118. 118

    admin said,

    August 30, 2010 @ 5:17 pm

    Paulinha:

    Preciso de três informações: Da sua idade, da quantidade de versos e do tempo disponível para terminar o poema.

  119. 119

    Letícia said,

    September 11, 2010 @ 4:24 pm

    Olá, eu queria fazer um poema sobre algum assunto do cotidiano, que tivesse algum dialeto regional… tipo, de paulista ou sulista.
    Se puderem me ajudar com alguma dica ao menos, agradeço =)

    Bj

  120. 120

    admin said,

    September 12, 2010 @ 6:35 am

    Oi Letícia.

    A região sul é muito pouco usada nos poemas. Dê uma estudada em blogs dos CTGs, Centro de Tradição Gaúcha, que você terá um bom material de trabalho.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  121. 121

    ana beatriz said,

    September 12, 2010 @ 9:27 pm

    achei muito legal também engraçada.coleque a poesia de clecia !amo ela!!!!!!!!

  122. 122

    admin said,

    September 12, 2010 @ 11:53 pm

    Ana Beatriz:

    Eu não conheço essa poesia da Clecia. Você poderia colocá-la aqui para conhecermos?

    Gostei da sua visita.
    Dalton.

  123. 123

    anne said,

    September 21, 2010 @ 10:12 pm

    nossa to precisando fazer poemas de placas escritas erradas, muito dificil, a professora até devolveu meu trabalho…pra eu refazer…preciso de ajuda
    as placas são:
    VENDI SI
    PELADO CABELEIREIRO
    MANICURI E PEDICURE – FACA O PÉ E A MÂO E GANHE UMA SOMBRACELHA
    VEND -SE : TANPA, FRIZER

    AJUDA POR FAVOR.. RESPONDA NO MEU EMAIL..PRECISO DE AJUDA !

  124. 124

    admin said,

    September 22, 2010 @ 10:36 am

    Anne:

    Quando a professora explicar alguma coisa sobre versos, presta atenção e depois venha aqui dar um reforço, pois este site serve apenas como auxiliar do que é dado ou nõa dado na matéria Língua Portuguesa.

    Tentarei compor algo rápido:

    VENDI SI
    PELADO CABELEIREIRO
    MANICURI E PEDICURE – FACA O PÉ E A MÂO E GANHE UMA SOMBRACELHA

    Quando vende-se um Pelado Cabeleireiro
    Vendi-si álios por bugálios
    Quando vi a Mani Curi
    E pedi: Cure a faca o pé e a mão
    E ganhe uma sombra celha dos pelos
    Vend-se , ou tanpa-se, o frizo do frizer

    Tente se arranjar com isso, mas estude e volte sempre.
    Prof. Dalton.

  125. 125

    anne said,

    September 22, 2010 @ 8:07 pm

    Obrigada ! ajudouu mto ..

  126. 126

    anne said,

    September 22, 2010 @ 8:07 pm

    Obrigada !

  127. 127

    soldat said,

    September 28, 2010 @ 10:01 pm

    obrigado, valeu!
    tudo o que você falou me convenceu
    tu falastes diferente
    de um modo nada indigente

  128. 128

    admin said,

    September 28, 2010 @ 10:06 pm

    Soldat:

    Já que não fui indigente
    E você ficou contente
    Volte sempre.

    Dalton.

  129. 129

    lele said,

    September 29, 2010 @ 5:30 pm

    ve se ta bom

    quero falar…
    desabafar,gritar,chorar
    tirar tudo q tem dentro de mim
    quero ser feliz assim …enfim

    e ai?

  130. 130

    admin said,

    September 29, 2010 @ 6:57 pm

    Lele:

    Pra começo está muito bom, mas você deveria explicar melhor a coisa. Se mudar a posição das palavras no último verso, o pensamento vira a primeira estrofe do poema explicativo. Veja:

    quero ser feliz enfim, assim:

    No mundo em que fiz
    Dos enganos os encontros…

    E por aí afora até a criatividade mandar parar. Tenta.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  131. 131

    sarah said,

    October 5, 2010 @ 8:51 pm

    oi como vai tenho 7 anos

  132. 132

    admin said,

    October 5, 2010 @ 10:40 pm

    Muito prazer, Sarah!

    É sempre bom ver uma menina se interessar por poesia desde cedo.

    Volte sempre.
    Dalton.

  133. 133

    carolina said,

    October 9, 2010 @ 7:51 pm

    Meu nome é carol eu tenho 12 anos e preciso de dicas para um poema da escola sobre nascimento,infância,e adolescencia em 1(um)poema eu ja comecei me ajuda no resto por favor!Obrigada

    Nasci em um tempo em que a verdade era livre;
    um tempo de lágrimas e de emoções;
    mas posso reconhecei que logo percebi;
    as lágrimas que ali estavam,ali deixariam de existir.

    Encontrei um mundo que eu sou a justiça;
    eu sou o sorriso,a guerra e tambem a paz;
    um mundo de sentimentos um mundo de alegria;
    o jogo da fantasia.

  134. 134

    carolina said,

    October 9, 2010 @ 8:00 pm

    eu adoro poemas e alem do da escola venho fazendo outros vc pode avalia-los por favor?Obrigada

    Gostaria de apagar;
    o que está em minha mente;
    apalavrar o que aqui está;
    apalpar a emoção d meu peito;
    apanhar o sentimento de amar;
    apaniguar o odio dos olhos;
    aparelhar os sentidos e o pensar;
    apenas lhe peço algo;
    aperfeiçõe o seu olhar;
    para comigo se apaixonar.

    palavras do poema:

    apagar: excluir
    apalavrar: Combinar
    apalpar: Tocar
    apanhar: Retirar
    apaniguar: Proteger
    aparelhar: Preperar
    apenas: Só
    aperfeiçõe: Torne perfeito
    apaixonar: Amar

  135. 135

    admin said,

    October 9, 2010 @ 8:06 pm

    Calma Carolina.

    Acabei de entrar no site e ía começar a trabalhar no primeiro poema, mas, independente do que eu faça, procure dar uma olhada na letra da música João e Maria, do Chico Buarque, pois trata-se de uma conversa dele com uma das filhas, quando criança, que acaba caminhando pela imaginação dele supondo um tempo em que a menina crescesse.

    Creio que será bem útil a você.

    Grato pela confiança e aguarde.
    Dalton.

  136. 136

    admin said,

    October 9, 2010 @ 8:21 pm

    Carol 1:

    Nasci num tempo da verdade livre;
    Tempo de lágrimas e de emoções;
    Mas reconheço: – Logo percebi;
    Que o choro deixaria de existir

    Formei um mundo em que eu sou a justiça;
    Sou o sorriso e também guerra e paz;
    Mundo de sentimento e de alegria;
    Num tempo de jogo de fantasia.

    Carolina – Peguei o seu texto original e, com pequenas modificações, deixei todos os versos com a mesma Métrica (decassílabos).

    Não sei bem no que você quer que eu a ajude, se na estrutura poética ou no desenvolver do texto, da criança ao adulto.

    Dê maiores detalhes, pois, se tiver que mexer nas rimas, o texto perderá muito da originalidade.

    Fico aguardando o seu retorno.
    Dalton.

  137. 137

    Carolina said,

    October 11, 2010 @ 11:38 am

    Muito obrigada pelas dicas adorei!
    E ja sei como produzir meus poemas!

    P.S: Adorei esse site.

  138. 138

    admin said,

    October 11, 2010 @ 12:13 pm

    Carolina:

    Sinta-se em casa e bom estudo.
    Dalton.

  139. 139

    NAYLLA said,

    October 15, 2010 @ 10:59 pm

    O AMOR è NESSESARIO PARA SOBREVIVER NA VIDA è ASIM PODE COMVIAR EN MIM

  140. 140

    Sheila said,

    October 15, 2010 @ 11:30 pm

    Para uma otima poesia
    não é preciso pesquisar não
    a pessoa já tem talento
    que é melhor que vento.

  141. 141

    admin said,

    October 16, 2010 @ 7:05 am

    Naylla:

    Confio em você sim. Agradeço a visita e volte sempre.
    Dalton.

  142. 142

    admin said,

    October 16, 2010 @ 7:11 am

    Sheila Jacob:

    O que era assim:

    Para uma otima poesia
    não é preciso pesquisar não
    a pessoa já tem talento
    que é melhor que vento.

    Pode ficar assim:

    Uma ótima poesia
    Não precisa de pesquisa
    Quando nasce do talento
    Bem melhor do que o vento

    Você tem razão no pensamento, mas com um pouquinho mais de cuidado o poema pode ficar mais ajeitado em Metro, Ritmo e Rima.

    Agradeço a visita e volte sempre.
    Dalton

  143. 143

    lariane said,

    October 18, 2010 @ 10:11 pm

    olá!
    eu fiz uma posia e estou procurando caracteristicas para ela , pois tenho que basea-la em um movimento literario mas… não estou conseguindo , gostaria muitoo de receber opiniões o meu poema é :P OR FAVOR MANDE OPINIOES PELO E-MAIL

    DO NADA

    DO NADA NASCEU O EU
    E COM O NADA ELE PREVALECEU
    DO NADA FUI FELIZ
    DO NADA QUE EU FIZ

    DO NADA TE ENCONTREI
    E COM O NADA ME SEPAREI
    DO NADA EU FIZ
    O NADA QUE NÃO QUIS

    DO NADA APREENDI
    O NADA NÃO ENTENDI
    DO NADA RESISTI
    E COM O NADA PERDI.

  144. 144

    LAYNA said,

    October 18, 2010 @ 10:24 pm

    OLÁ!
    GOSTARIA DE SABER O QUE VC ACHA DO MEU POEMA OBRIGADA!
    MEU POEMA É:

    DE ONDE VEM

    DE ONDE VEM A SAUDADE?
    DE ONDE VEM AS PERGUNTAS?
    DE ONDE VEM A RAZÃO?
    EM QUE FALA MEU CORAÇÃO

    DE ONDE VEM MEUS SENTIMENTOS?
    DE ONDE VEM SEUS PENSAMENTOS?
    DE ONDE VEM SEU AMOR?
    QUE NÃO É BASEADO EM DOR

    DE ONDE VEM NOSSO QUESTIONAMENTO?
    PORQUE NÃO PARAMOS COM ESSE LAMENTO?
    E RESUMIMOS EM SENTIMENTOS, OS NOSSOS PENSAMENTOS?
    QUE SÃO FRUTOS DOS GRANDES MOMENTOS.

  145. 145

    admin said,

    October 18, 2010 @ 10:57 pm

    Layna:

    É um bonito poema, cujos questionamentos me permitem sugerir-lhe que procure ler e ouvir a música MORDAÇA, de Paulo Cesar Pinheiro, cantada pelo MPB4.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  146. 146

    admin said,

    October 18, 2010 @ 10:58 pm

    Lariane:

    Amanhã eu escrevo a você pelo email.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  147. 147

    bibis2lokinha said,

    October 19, 2010 @ 7:19 pm

    nossa issu e mutio bom pq minha prof aquele veia feia mando a gente fazer um poema horrivel ainda bem que assesei esse blog e tirei um 9.05 de nota

  148. 148

    LAYNA said,

    October 19, 2010 @ 10:06 pm

    OLÁ!
    SÓ ESTOU PASSANDO PARA AGRADECER PELA RESPOSTA
    MUITOO OBRIGADA!
    VOLTAREI SEMPRE =)

  149. 149

    lariane said,

    October 19, 2010 @ 10:07 pm

    OLÁ!
    SÓ ESTOU PASSANDO PARA AGRADECER PELA RESPOSTA , REALMENTE ME AJUDOU MUITO…
    MUITO OBRIGADA , QUE DEUS O ABENÇOOE!

  150. 150

    admin said,

    October 20, 2010 @ 5:56 am

    Bibis2lokinha:

    Conta para a professora que achou este site. Daí, quem sabe, ela fica menos véia e mais bonitinha.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  151. 151

    admin said,

    October 20, 2010 @ 5:57 am

    Layna:

    Estarei sempre por aqui.
    Dalton.

  152. 152

    admin said,

    October 20, 2010 @ 5:58 am

    Lariane:

    Fico feliz por tê-la ajudado.
    Dalton.

  153. 153

    silvia said,

    October 20, 2010 @ 2:44 pm

    Eu preciso fazer um poema com flores, paisagem ou pessoa mais eu não sei nem como começar podes me ajudar?

  154. 154

    admin said,

    October 20, 2010 @ 5:58 pm

    Silvia:

    Todo poema é um texto normal ajustado em versos. Por exemplo, imaginemos uma aurora no mar após uma noite chuvosa:

    A noite terminou chuvosa, mas o amanhecer naquela praia deu um novo ânimo às coisas. Pássaros cantavam junto com as ondas…

    Foi bem chuvosa a madrugada
    E o dia é lindo
    A natureza está sorrindo
    Entre as cores desse mar
    Se abrindo nas flores do lar

    O sol traz luzes renovadas
    Mescladas entre o verde e o azul
    Nem dá pra perceber
    Onde é que começa
    O amanhecer do sul

    Entre o verde do mar
    E o amarelo do sol
    Existe a linha da magia
    Que faz eu pensar
    Na maior fantasia

    Daí pra frente você imagina a fantasia que mais a interesse e a descreva em versos. Caso não consiga, volte aqui e deixe uma fantasia e amanhã eu vejo o que consigo, ok?

    Grato pela confiança.
    Dalton.

  155. 155

    silvia said,

    October 21, 2010 @ 6:11 pm

    Eu vi.
    Eu vi pessoas sentada no banco como se tivasse uma vidinha uma vidinha sem graça
    eu vi
    eu vi beleza
    eu vi poeira
    e depois sujeira?
    Eu vi uma multidao
    que se atropela numa confusão
    correndo uns pra lá e outros pra cá
    como se tivesse mede algo errado
    medo?
    Medo do que ?

  156. 156

    silvia said,

    October 21, 2010 @ 6:12 pm

    continuando…
    Medo de olhar para o própri lixo que acumula
    acumular?
    Acumular pra que ?
    Relembra do pasado do passado?
    Onde tudo era mais belo
    sera que eles não sabem que depois não restara nad alem de sua ignoransia
    ignorancia
    ignorancia pra que ?
    Para acordar e olhar ao seu redor não
    voltanto para o passado
    ainda resta uma beleza
    uma beleza de uma flor que vai fenecendo no jardim
    e ao entardecer o friozinho vai chegando e a caminha se arrumando
    para amanha mais um dia vai se realizar.

  157. 157

    silvia said,

    October 21, 2010 @ 6:22 pm

    você pode me ajudar a melhorar esse “poema” por que eu não sei se tá bom
    quer dizer tá um lixo mais tudo bem

  158. 158

    admin said,

    October 22, 2010 @ 5:10 am

    Silvia:

    Nunca imagine, e muito menos, diga, que um texto seu é um lixo, pois ele é uma espécie de impressão digital na filosofia da sua vida.

    Posso sim ajudá-la com o poema, quando tiver mais tempo para isso, já que às vezes folgo e às vezes não.

    Continue escrevendo e volte sempre pra me lembrar.
    Dalton.

  159. 159

    bruna said,

    October 25, 2010 @ 5:34 pm

    nao consigo fazer o poema mesma com sua ajuda

  160. 160

    bruna said,

    October 25, 2010 @ 5:34 pm

    nao consigo fazer o poema mesmo com sua ajuda

  161. 161

    juana freitas said,

    October 25, 2010 @ 5:42 pm

    Não consigo fazer um poema de jeito nenhum.E também não tenho nenhuma criatividade.

  162. 162

    juana freitas said,

    October 25, 2010 @ 5:43 pm

    Não consigo fazer um poema de jeito nenhum.E não tenho nenhuma criatividade.

  163. 163

    admin said,

    October 25, 2010 @ 6:48 pm

    Bruna:

    Então comecemos por um texto simples. Escreva alguma coisa, sobre o que bem entender, coloque o texto aqui, que irei transformá-lo em poema e explicar o que fiz. Pode ser assim?

    Fico aguardando

  164. 164

    admin said,

    October 25, 2010 @ 6:50 pm

    Juana Freitas:

    Você arranjaria alguma criatividade para escrever um texto simples, sobre a cidade ou o bairro onde mora?

    Tente e me mostre.

    Fico aguardando.

  165. 165

    silvia said,

    October 25, 2010 @ 7:43 pm

    você ainda não arrumou o meu texto! por favor
    quero ver se fico BOM

  166. 166

    admin said,

    October 25, 2010 @ 8:40 pm

    Silvia:

    Estou tentando fazer com ele o mesmo que fiz com o outro, mas tem vários assuntos no texto e é preciso cuidado para não deixar atrapalhado. Aguarde mais um pouco, pois o meu tempo é meio escasso.

    Dalton.

  167. 167

    Gustavo said,

    October 25, 2010 @ 8:54 pm

    Melhor coisa q eu consigue fazer foi isso

    Hoje e meu dia.
    Dia de deitar
    Deita a cabeça
    Vejo o tem passar
    Vida diferente só é assim você quer..
    Flw ate +

  168. 168

    admin said,

    October 26, 2010 @ 5:36 am

    Gustavo:

    E isso não foi pouco. Você pode não ter percebido, mas deixou aberta uma imensa porta para um outro assunto bem importante. Talvez, a maior razão dos poetas:

    Hoje é o meu dia
    Dia de deitar
    Com a cabeça fria
    Vejo o tempo passar

    Uma vida diferente
    É assim você quer
    Levando a coisa pra frente
    Ao lado de uma mulher…

    Pronto cara! Daí pra frente você só tem assunto pra falar DELA.

    Bom divertimento.
    Dalton.

  169. 169

    silvia said,

    October 26, 2010 @ 2:19 pm

    eu queria que vc arrumase a aminha poesia que eu fiz la em cima pq o final nao fico muito bom

  170. 170

    kathllen said,

    November 4, 2010 @ 2:49 pm

    o amor e a ilusão e a ilusão e a paixão
    e a paixão e a saudade

  171. 171

    kathllen vivian garcia costa said,

    November 4, 2010 @ 2:52 pm

    oi gente a quele com mentario e lindo ne me add no orkut nena_100%gata@yhaoo.com.br

    e no msn nena.gata.linda@bol.com.br te amo justin e neymar

  172. 172

    kathllen vivian garcia costa said,

    November 4, 2010 @ 2:59 pm

    te amo neymar amor en primeira vista

    te amo justin amor en primeira vista

  173. 173

    admin said,

    November 4, 2010 @ 6:04 pm

    kathllen:

    Também simpatizo com o Neymar, mas no futebol. Agradeço a sua visita, e embora tenha MSN, não o uso. Quanto ao orkut, vou tentar localizá-la e adidá-la.

    Dalton.

  174. 174

    admin said,

    November 4, 2010 @ 6:06 pm

    Silvia:

    Não a esqueci. Apenas o tempo é que anda meio inimigo nosso.

    Dalton.

  175. 175

    Hygor said,

    November 7, 2010 @ 5:12 pm

    Preciso fazer um poema sobre a minha pessoa, trabalho da escola, fiz certo ?

    Sou legal
    Mas não pise no meu calo
    Se não vou ficar de mal
    Sou amigo
    Mas não siga o meu caminho
    Porque pode se dar mal

    espero resposta, vlww..

  176. 176

    admin said,

    November 8, 2010 @ 7:54 am

    Hygor:

    Não sei quantos anos você tem, mas o poema está muito bom. Muitas sugestões eu poderia lhe dar, mas tudo virá normalmente, de acordo com o seu crescimento nos versos. Só dou uma dica:

    Você repetiu o termo MAL em dois versos. Não pega bem fazer isso, portanto sugiro o seguinte:

    Sou legal
    Mas não pise no meu calo
    Senão eu viro animal
    Sou amigo
    Mas não siga o meu caminho
    Porque pode se dar mal.

    Você mandou bem, mas assim, você mandará ótimo, eheh.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  177. 177

    Jem said,

    November 8, 2010 @ 2:34 pm

    Olá!Você pode me ajudar fazer um poema? Gostei muito daqui! :D

  178. 178

    Rochelle Ingrid said,

    November 14, 2010 @ 11:24 am

    me ajudem a ordenar um pouco pra melhorar galera…eh pra um trabalho da facu..

    QUEM SOU EU…

    Rochellinha

    Uma menina timida se encontrava ali
    No cantinho a espiar a criançada a correr
    Olhando sem pisca olha cá, olha aqui
    Com vontade de brincar querendo se divertir

    Na brincadeira quer entrar
    Vendo a diversão rolando
    Meninas e meninos brincando
    Espia curiosa a menina sem parar

    Sorrindo e chegando mais pra perto
    Devagar, e com seu jeito esperto
    Só esperando o convite
    Um menino então falou:
    - ei menina como cê chama?
    E ela mais que depressa:
    _Rochelle.
    _ Ãhm? Rogéria?
    _Não, Rochelleee… _ Repetia.
    _ah ta, Michelle?
    _Nãoo… Rocheeelleeeee!!! _ Já impaciente repetia novamente.
    _Aahh…vamos Rocéli!Que tal Gato-mia?

    Começou a correria…
    Mas e agora ?que tal cobra-cega?
    Ah meu Deus quanta alegria!
    Continuando com pega-pega, adoleta três marias…
    Até que o recreio acabou
    Foi então que um coleguinha virou e falou:
    _qual seu nome mesmo?
    _Rochelle, mas pode me chamar de Ro!!!

    Assim era no recreio da escola
    De brincadeira de roda á brincadeira de bola
    Em casa com as amiguinhas fazia comidinha
    Roupa suja cozinhando…
    Colocando pouco a pouco o barro na panelinha

    _Rochelleeee… vem entrar
    Estava no portão minha mãe a me chamar
    E no pique da brincadeira
    Que chato!Hora de almoçar

    de noite na minha porta
    a Carol vem me chamar
    ela fala bem baixinho
    pra minha mãe não escutar:
    _vem dormi lá em casa
    Então corro contente…
    Pego pijama, chinelo, faço a mala
    _ixiii… Esqueci a escova de dente!

    QUEM SOU EU…

    Rochellinha

    Uma menina timida se encontrava ali
    No cantinho a espiar a criançada a correr
    Olhando sem pisca olha cá, olha aqui
    Com vontade de brincar querendo se divertir

    Na brincadeira quer entrar
    Vendo a diversão rolando
    Meninas e meninos brincando
    Espia curiosa a menina sem parar

    Sorrindo e chegando mais pra perto
    Devagar, e com seu jeito esperto
    Só esperando o convite
    Um menino então falou:
    - ei menina como cê chama?
    E ela mais que depressa:
    _Rochelle.
    _ Ãhm? Rogéria?
    _Não, Rochelleee… _ Repetia.
    _ah ta, Michelle?
    _Nãoo… Rocheeelleeeee!!! _ Já impaciente repetia novamente.
    _Aahh…vamos Rocéli!Que tal Gato-mia?

    Começou a correria…
    Mas e agora ?que tal cobra-cega?
    Ah meu Deus quanta alegria!
    Continuando com pega-pega, adoleta três marias…
    Até que o recreio acabou
    Foi então que um coleguinha virou e falou:
    _qual seu nome mesmo?
    _Rochelle, mas pode me chamar de Ro!!!

    Assim era no recreio da escola
    De brincadeira de roda á brincadeira de bola
    Em casa com as amiguinhas fazia comidinha
    Roupa suja cozinhando…
    Colocando pouco a pouco o barro na panelinha

    _Rochelleeee… vem entrar
    Estava no portão minha mãe a me chamar
    E no pique da brincadeira
    Que chato!Hora de almoçar

    de noite na minha porta
    a Carol vem me chamar
    ela fala bem baixinho
    pra minha mãe não escutar:
    _vem dormi lá em casa
    Então corro contente…
    Pego pijama, chinelo, faço a mala
    _ixiii… Esqueci a escova de dente!

    QUEM SOU EU…

    Rochellinha

    Uma menina timida se encontrava ali
    No cantinho a espiar a criançada a correr
    Olhando sem pisca olha cá, olha aqui
    Com vontade de brincar querendo se divertir

    Na brincadeira quer entrar
    Vendo a diversão rolando
    Meninas e meninos brincando
    Espia curiosa a menina sem parar

    Sorrindo e chegando mais pra perto
    Devagar, e com seu jeito esperto
    Só esperando o convite
    Um menino então falou:
    - ei menina como cê chama?
    E ela mais que depressa:
    _Rochelle.
    _ Ãhm? Rogéria?
    _Não, Rochelleee… _ Repetia.
    _ah ta, Michelle?
    _Nãoo… Rocheeelleeeee!!! _ Já impaciente repetia novamente.
    _Aahh…vamos Rocéli!Que tal Gato-mia?

    Começou a correria…
    Mas e agora ?que tal cobra-cega?
    Ah meu Deus quanta alegria!
    Continuando com pega-pega, adoleta três marias…
    Até que o recreio acabou
    Foi então que um coleguinha virou e falou:
    _qual seu nome mesmo?
    _Rochelle, mas pode me chamar de Ro!!!

    Assim era no recreio da escola
    De brincadeira de roda á brincadeira de bola
    Em casa com as amiguinhas fazia comidinha
    Roupa suja cozinhando…
    Colocando pouco a pouco o barro na panelinha

    _Rochelleeee… vem entrar
    Estava no portão minha mãe a me chamar
    E no pique da brincadeira
    Que chato!Hora de almoçar

    de noite na minha porta
    a Carol vem me chamar
    ela fala bem baixinho
    pra minha mãe não escutar:
    _vem dormi lá em casa
    Então corro contente…
    Pego pijama, chinelo, faço a mala
    _ixiii… Esqueci a escova de dente!

    QUEM SOU EU…

    Rochellinha

    Uma menina timida se encontrava ali
    No cantinho a espiar a criançada a correr
    Olhando sem pisca olha cá, olha aqui
    Com vontade de brincar querendo se divertir

    Na brincadeira quer entrar
    Vendo a diversão rolando
    Meninas e meninos brincando
    Espia curiosa a menina sem parar

    Sorrindo e chegando mais pra perto
    Devagar, e com seu jeito esperto
    Só esperando o convite
    Um menino então falou:
    - ei menina como cê chama?
    E ela mais que depressa:
    _Rochelle.
    _ Ãhm? Rogéria?
    _Não, Rochelleee… _ Repetia.
    _ah ta, Michelle?
    _Nãoo… Rocheeelleeeee!!! _ Já impaciente repetia novamente.
    _Aahh…vamos Rocéli!Que tal Gato-mia?

    Começou a correria…
    Mas e agora ?que tal cobra-cega?
    Ah meu Deus quanta alegria!
    Continuando com pega-pega, adoleta três marias…
    Até que o recreio acabou
    Foi então que um coleguinha virou e falou:
    _qual seu nome mesmo?
    _Rochelle, mas pode me chamar de Ro!!!

    Assim era no recreio da escola
    De brincadeira de roda á brincadeira de bola
    Em casa com as amiguinhas fazia comidinha
    Roupa suja cozinhando…
    Colocando pouco a pouco o barro na panelinha

    _Rochelleeee… vem entrar
    Estava no portão minha mãe a me chamar
    E no pique da brincadeira
    Que chato!Hora de almoçar

    de noite na minha porta
    a Carol vem me chamar
    ela fala bem baixinho
    pra minha mãe não escutar:
    _vem dormi lá em casa
    Então corro contente…
    Pego pijama, chinelo, faço a mala
    _ixiii… Esqueci a escova de dente!

  179. 179

    admin said,

    November 14, 2010 @ 2:24 pm

    Rochelle:

    É quase um épico, eheh. Quantos dias você tem pra entregar o trabalho? Precisa ser desse tamanho ou posso diminuí-lo?

    Grato pela confiança e fico no aguardo.
    Dalton.

  180. 180

    farinha de trigo said,

    November 18, 2010 @ 3:33 pm

    No mundo perfeito
    Eu poderia ser alguém
    Eu poderia ser seu sol
    E eu vou brilhar
    Em cada passo que você dá

    Em um mundo perfeito
    Eu serei as estrelas à noite
    Então, eu poderia ser sua luz guiadora

    E se você está se sentindo fora do lugar
    Eu vou ser um cara amigável

    Então voe comigo, fique comigo
    Em um mundo perfeito
    Nós vamos ser tão livre
    No mundo perfeito

    No mundo perfeito
    Nós podemos ser tão livres
    Seja o que queremos ser
    Nada vai quebrar o nosso amor separado

    No mundo perfeito
    Onde magias realidade
    Um paraíso para mim e para você

  181. 181

    farinha de trigo said,

    November 18, 2010 @ 3:35 pm

    by-rodrigo

  182. 182

    farinha de trigo said,

    November 18, 2010 @ 3:36 pm

    tem alguen ai/?

  183. 183

    daniella said,

    November 19, 2010 @ 10:17 am

    Que Belo o som dos pássaros
    Que Passeiam no Jardim, á já ouvi bastante não posso vê-lo, mais Posso Sentir.
    Que Bom seria se eu pudesse ir bem longe,
    Onde os pássaros voam dando sinais que estão Ali.

  184. 184

    Felipe said,

    November 19, 2010 @ 4:57 pm

    ei cara, vc da aula disso ?
    vc é muito bom mesmo.. parabens

  185. 185

    admin said,

    November 19, 2010 @ 5:07 pm

    Daniella:

    É um bonito início de poema. Precisa de alguma ajuda nele?

    Grato pela visita e volte sempre.

  186. 186

    admin said,

    November 19, 2010 @ 5:10 pm

    Felipe:

    Estudei bastante isso. Já dei aula disso em escolas, mas a aula que eu dou por aqui acho mais gostosa.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  187. 187

    Pablo said,

    November 19, 2010 @ 8:06 pm

    Oi Dalton, to vendo q vc é muito inteligente em questôes de poemas , Você pode me ajudar no meu poema , arrumas algumas frases versos e tal’s
    Aqui estáa ele

    Amigo quero ti falar que
    Iria adorar se você me admirasse
    Como adimiro o seu cantar
    É como se eu o tocasse

    Era uma mistura
    Quando penso que já estou curado
    Do amor que levei quase exemplar
    Sempre volta um ego mais safado
    Disposto apenas a me atormentar

    É como se fosse o ar
    Bate sem saber de onde vem
    Sempre irei te amar
    Meu amigo

    Agora vou me deitar
    Ter amigo-é divertido
    Pra começar a sonhar
    De-estar brincando-escondido
    —-x—–
    Amigo, quero lhe fa/LAR
    Que-adoraria se vo/CÊ/ me-admirasse
    Como-admiro-o seu can/TAR
    É como se eu o to/CAS/se…

    Era minha-a dura mis/TU/ra
    Pois quando penso que-encon/TREI/ uma cura
    De-um amor que suspeitei /QUA/se exemplar
    Disposto-a me atormen/TAR
    Retorna-um ego da mais /PU/ra-aventura

    É como se fosse-esse /AR
    Que bate também com des/DÉM
    Fazendo eu sempre lhe-a/MAR
    Amigo no mal e no /BEM

    Agora vou me dei/TAR
    Ter amigo-é diver/TI/do
    Pra começar a so/NHAR
    De-estar brincando-escon/DI/do

    Pablo:

    Quando se faz um Poema Irregular (versos com diferentes comprimentos) temos de tomar cuidado em acentuar, internamente, os versos longos numa sílaba que esteja na posição da última tônica do verso curto. Foi o que fiz nas duas primeiras estrofes com a oitava sílaba dos versos.

    Nas outras duas, mais tendentes a Poema Regular (versos com mesmo comprimento), ficou mais fácil, tanto nos octo quanto nos heptassílabos. Aliás, sugiro a você, primeiro, treinar nos Poemas Regulares e depois tentar se aventurar nos Irregulares, que exigem maior cuidado no Ritmo Poético.

    Quanto às Rimas, procurei trabalhar com colocações Alternadas e Opostas, pois as Paralelas são menos nobres.

    Espero tê-lo ajudado.

    Vlw ‘-’ e Vlw “-”

  188. 188

    admin said,

    November 19, 2010 @ 8:25 pm

    Pablo:

    No momento estou meio ocupado. Posso devolver o poema amanhã?

    Aguardo.
    Dalton.

  189. 189

    Pablo said,

    November 19, 2010 @ 8:26 pm

    Tudo bem , nao tem importancia , Obrigado pela antenção ^^

  190. 190

    admin said,

    November 20, 2010 @ 7:21 am

    Pablo:

    Conforme combinado ontem, olhei e dei uma mexida no poema lá mesmo, no comentário que você usou para enviar. Fiz isso porque é muito mais fácil editar o assunto n local do que responder com outro comentário.
    Coisas do site.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  191. 191

    mantraBlack said,

    November 23, 2010 @ 8:49 pm

    ” – É meu ! ”

    ” Eu não me prendo ou vendo às normas
    É por isso que me sujo e deito sem ter forma
    De poema, por exemplo
    mas tem que ter a rima, o retrocesso e a melodia
    E com o genuíno em minhas mãos
    Apresento – o ao melancólico
    Possuidor das várias chaves potencializadas…”

  192. 192

    admin said,

    November 24, 2010 @ 11:40 am

    Mantra Black:

    Sobrou muito termo sem rima no seu texto, portanto dei uma mexidinha básica, mas conte a todos que o texto é seu por inteiro. Me deixe fora disso.

    Eu não me prendo ou vendo à norma
    É por isso que me sujo e deito sem ter forma
    De um marujo poema perfeito, por exemplo
    No meu templo a rima, o retrocesso e a melodia
    Se tornam poesia genuína do processo em minha mão
    Apresento – o então ao melancólico e às charadas
    De um simbólico aposento com chaves potencializadas

    Já que a Norma é jogar a Ciência Poética no lixo, resta apenas o divertimento das rimas, a parte mais simples de um poema.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  193. 193

    nayani said,

    November 25, 2010 @ 11:17 pm

    gente, em primeiiro lugar, eu ameeeei o site, concertez avai ajudar muitas pessoas !

    mas eu preciso de um favor :) preciso escrever um poema simbolista ou parnasiano e não sei nem por onde começar … sou péssima pra escrever este tipo de texto, e é pra um trabalho super importante da escola … pro dia 30/11 .

    por favoooor, me ajudem. ficarei muiito grata !!!

  194. 194

    admin said,

    November 26, 2010 @ 11:26 am

    Nayani:

    Tentarei, hoje ainda, fazer um poema pra você.

    Grato pela confiança e aguarde.
    Dalton.

  195. 195

    nayani said,

    November 27, 2010 @ 11:14 pm

    agradeço pela resposta :)

    o poema é pra terça feiira ta ? passarei aqui todos os dias para poder conferir, haha !
    desde já, obrigada *–*

  196. 196

    admin said,

    November 28, 2010 @ 5:22 am

    Nayani:

    Como estou com problemas no site, para responder a comentários que não sejam os três últimos, tenho respondido à maioria deles por email, inclusive o seu, mas pelo visto também lá, no hotmail, estou com problemas nas respostas. O que respondi foi isto:

    O Parnasianismo Brasileiro ficou marcado pelo surgimento do Poeta Livre, pois enquanto o resto do mundo parnasiano pregava a liberdade do verso, diante das regras da Versificação, os brasileiros conseguiram ir além, dando ao poeta a escolha de usar ou não as regras da Ciência Poética nos poemas.

    Entretanto, logo em seguida a isso, surgiu uma vertente mais descritiva do que poética: O Simbolismo, que deu origem ao posterior Imagismo e findou, bem mais tarde, na forma de Concretismo.

    Foi baseado nessa idéia que escrevi o poema, em Verso Irregular, mas com o cuidado de manter o Ritmo Poético coerente entre os versos nas estrofes. Essa forma, parnasianista brasileira, de compor um poema, que, inclusive, permitiu aos poetas do mundo inteiro escreverem as suas letras de músicas com maior conforto; foi a que escolhi para resolver o seu problema:

    Eu ponho o pensamento a viajar
    Num tempo do poema em ilusão
    Dois movimentos a dançar
    No literário da nação

    Com o nome poesia
    Anda a versificação
    Com jeitão Parnasiano
    No Simbolismo da canção

    Quem embarca nessa graça
    Vê que a antiga praça
    Não tem dono não

    Passa o Poeta Livre enfim
    De qualquer Regra pra compor
    Que de repente prega assim
    Um Simbolismo promissor

    Já não há mais música
    Na sua composição
    Mas a moda é súbita
    E muda em sua mão

    Espero ter ajudado.
    Dalton.

  197. 197

    nayani said,

    November 28, 2010 @ 4:07 pm

    aaaaaaaa *–*
    que ótiimo . . . mt mt mt obriigada .

    voc está me ajudando e muiito, vou indicar o site aos meus amiigos :) você está de parabéns :)

    novamente eu agradeço !

    PS.: vou classificar o poema como simbolista né ?

  198. 198

    admin said,

    November 28, 2010 @ 10:37 pm

    Nayani:

    É um poema com “jeitão parnasiano” que apenas fala do simbolismo, mas não é simbolista.

  199. 199

    andreza said,

    December 1, 2010 @ 7:13 pm

    voce e mia luz amor quado eu te amor meu coraçao bate rapido to apoixonado samia eu amor voce e mia boca meu amor e para vc samia eu posso morre porte eu te amor mas voce nao me amar eu vou
    eu posso morre eu sego meu coraçao para voce to ferido mas eu amor ela

  200. 200

    admin said,

    December 1, 2010 @ 8:54 pm

    Andreza:

    Você quer que transforme o que escreveu num poema? Me conta. Fico aguardando.

    Grato pela visita e volte.
    Dalton.

  201. 201

    Ana Beatriz said,

    December 2, 2010 @ 1:07 am

    A forma

    O silêncio da tua voz
    Vem ecoar em meu peito
    Claramente estreito ,
    Volúpio e feroz .

    Não sigo o gnosticismo
    Ele me traz dubitação
    Creio na desfragmentação
    Oriundo do misticismo .

    A alma que afaga
    É aquela que sonhou ,
    Agora sabe quem sou .

    A forma fluida e vaga ,
    E voraz teurgia ,
    Num espirito de liturgia .

    esse é um poema simbolista , eu fiz ele pra um trabalho de escola muito importante , preciso tirar total nele !
    será que tem como vooc fazer a metrificação correta dele pra mim ate amanha as 11:30 ? eu so fui descobrir vooc hooj haha’ e se vooc achar mais algum erro , pode corrigir ta ?
    to preciisando muito mesmo da sua ajuda , amanha eu volto aqui pra vê se vooc me repondeu !
    desde já , muito obg *-*’

  202. 202

    Ana Beatriz said,

    December 2, 2010 @ 1:09 am

    preciso desse poema de manhã aiinda , muito obg desde já *-*’

  203. 203

    Thaís said,

    December 2, 2010 @ 1:44 am

    Esse poema é simbolista ?

    A métrica do amor.

    Como eu queria mandar em meu coração
    E nunca deixar que se apaixonasse
    Evitando as infelicidades
    Entregando o coração a solidão.

    Pensando melhor em viver vazio
    Eu não quero ficar longe do amor
    Mesmo sendo sinônimo de dor
    É ter do sol seu brilho e calor
    A pior escuridão é viver sozinho.

    Triste é viver sem se apaixonar
    E não ter a essência de um ser
    Sentindo algo que não pode ver
    Aprendendo a amar sem poder tocar.

    Como eu queria mandar em meu coração
    Apagar todo medo da paixão
    Esquecendo essa tal de razão.

    Como não querer mandar por vontade
    Um coração com a dor da saudade
    De ter um grande amor pela metade.

    Como eu queria nunca me apaixonar
    Ah! Como queria me apaixonar…

  204. 204

    Thaís said,

    December 2, 2010 @ 1:45 am

    Boa noite,
    Esse poema é simbolista ?

    A métrica do amor.

    Como eu queria mandar em meu coração
    E nunca deixar que se apaixonasse
    Evitando as infelicidades
    Entregando o coração a solidão.

    Pensando melhor em viver vazio
    Eu não quero ficar longe do amor
    Mesmo sendo sinônimo de dor
    É ter do sol seu brilho e calor
    A pior escuridão é viver sozinho.

    Triste é viver sem se apaixonar
    E não ter a essência de um ser
    Sentindo algo que não pode ver
    Aprendendo a amar sem poder tocar.

    Como eu queria mandar em meu coração
    Apagar todo medo da paixão
    Esquecendo essa tal de razão.

    Como não querer mandar por vontade
    Um coração com a dor da saudade
    De ter um grande amor pela metade.

    Como eu queria nunca me apaixonar
    Ah! Como queria me apaixonar…

  205. 205

    Jukinha said,

    December 2, 2010 @ 3:47 pm

    Quero Aprender

  206. 206

    anderson said,

    December 3, 2010 @ 1:14 pm

    voce e mia luz quado chego e casa perso i voce amor

  207. 207

    andreza said,

    December 3, 2010 @ 1:16 pm

    quado chego na luz eu vejo voce amor quado chego nu ceu sua imagem ta a li ceu olho e a estrelas seu coraçao e meu

  208. 208

    andreza said,

    December 3, 2010 @ 1:21 pm

    sim admin

  209. 209

    admin said,

    December 4, 2010 @ 1:52 pm

    Anderson:

    O que você pretende que eu faça ou diga sobre o seu poema?

    Fico aguardando.
    Dalton.

  210. 210

    joaopedro said,

    December 7, 2010 @ 11:13 am

    vlw ai pela ajuda presisava msm to muito mal em redaçao

  211. 211

    joaopedro said,

    December 7, 2010 @ 11:14 am

    aki monta um poema ai q me ajude mais monta poemas :D

  212. 212

    admin said,

    December 7, 2010 @ 12:07 pm

    João Pedro:

    No que eu poderia ajudá-lo? Você diz que precisa de um poema para melhorar a nota de Redação na escola?

    Explica direito a coisa. Estou trabalhando e às vezes demoro para voltar no site, mas deixa o recado que leio e depois respondo.

  213. 213

    Murilo said,

    December 9, 2010 @ 1:10 pm

    Ei o que vcs acham do meu

    Fui aceitado pelos ghetos
    quando eu na minha propria favela era turista
    Viciei nesse lado negro
    Cada lado
    Gatilhos encontrado
    Meus peis ficaram pesados
    so de pensar
    na minha vida cheia de pecados

  214. 214

    Murilo said,

    December 9, 2010 @ 1:13 pm

    Fui aceitado pelos ghetos
    quando eu na minha propria favela era turista
    Viciei nesse lado negro
    Cada lado
    Gatilhos encontrados
    Meus peis ficaram pesados
    Minha vizao dava um zoomm
    so de pensar
    na minha vida cheia de pecados

  215. 215

    Murilo said,

    December 9, 2010 @ 1:25 pm

    Ou esse

    Seu nego

    Voce me mostro a amizade
    Voce me fez acreditar no amor
    Voce tapo buracos
    Voce destruiu obstaculos
    Voce se preoculpo
    do que eu fazia
    Voce deu valor
    para o que eu queria
    O dinheiro fez eu mudar de lugar
    A fama fez a gente se separar
    Eu sempre precisei de voce
    mas agora voce tem vergonha de me pedir moedas
    Voce sempre pode vir
    quando precisar de mim
    Eu posso ter mudado de lugar
    Eu posso estar usando roupas caras
    eu posso ter mudado tudo isso mas…
    o seu nego eu sou sempre o mesmo
    ate a morte

  216. 216

    Murilo said,

    December 9, 2010 @ 1:40 pm

    dz

  217. 217

    admin said,

    December 9, 2010 @ 8:21 pm

    Murilo:

    Só pude voltar ao PC agora, mas terei de sair novamente. O que você quer que eu faça com o seu poema?

    Apenas dê uma opinião sobre ele?
    O ajude na construção dos versos e nas rimas?

    Conte para mim que amanhã eu volto ok?

    Grato pela confiança e volte.
    Dalton.

  218. 218

    Murilo said,

    December 10, 2010 @ 4:31 am

    sera que voces tem como responde no meu email?

    brigado

  219. 219

    Murilo said,

    December 10, 2010 @ 4:33 am

    A oi Dalton a eu quero saber a opiniao e o que eu deveria acrecentar
    e me desculpa se eu falo errado mas e que faz tempo que n falo portugues e eu moro na europa xs
    Entao por favor me diz o que voce acha e o que eu devo acrecentar

    muito obrigado

  220. 220

    admin said,

    December 10, 2010 @ 6:44 am

    Murilo:

    Devolverei a você o poema, já corrigido quanto aos erros de redação e com algumas sugestões de construção poética. Aguarde algumas horas.

    Grato pela confiança.
    Dalton.

  221. 221

    Murilo said,

    December 10, 2010 @ 2:42 pm

    o Muito obrigado mano e espero que pode me ensinar um pouco mais xD

  222. 222

    admin said,

    December 11, 2010 @ 7:40 am

    Murilo:

    Fui aceito pelos guetos
    Quando eu na minha própria favela era turista
    Na pista dum lado negro
    E em cada lado dos gatilhos encontrados
    Meus pés ficaram pesados
    Só de pensar ou lembrar minha visão dava um zoomm
    Em meio a tantos pecados
    —–x—–

    Seu Nêgo

    Você me mostrou a amizade
    Você me fez ver o amor
    Você também tapou buracos
    Você me tirou obstáculos
    Você se preocupou, senhor
    C´o que eu fazia ou desfazia
    E me devolveu o valor
    Prás coisas que eu mais queria

    A grana mudou meu lugar
    E a fama nos fez separar
    Eu só precisei de você
    E agora me pede esmolas com vergonha
    Quando poderia vir sem cerimônia?

    Você sempre pode chegar
    Quando enfim precisar de mim
    Apenas mudei de lugar
    As roupas ficaram mais caras
    Porque mereci sim mudá-las
    Mas continuei sempre o mesmo
    Na vida ou na morte, Seu Nêgo!

    Não sei bem para qual finalidade você fez o poema. Se para dar um recadinho a alguém, ou para meter melodia e virar música, ou, o mais provável, transformá-lo num Rap.

    No caso de Rap, você precisaria também de um Refrão musicado. Sugiro isto:

    Véio Nêgo
    Eu voltei pra cá contente
    Véio Nêgo
    Sempre fui da minha gente

    Daí pra frente, você decide usar o refrão aonde achar melhor.

    Grato pela confiança e volte sempre.

    Dalton.

  223. 223

    Murilo said,

    December 11, 2010 @ 10:41 am

    O muito obrigado e e eu quero fazer um rap mas com um pouco de poesia e lindo muito obrigado

  224. 224

    Murilo said,

    December 11, 2010 @ 10:44 am

    pode me dizer qual e a diferenca entre rap e poema? eu n sei mermo xs

  225. 225

    admin said,

    December 11, 2010 @ 12:53 pm

    Murilo:

    O Poema obedece a algumas regras da Ciência Poética. No alto da página principal do site tem um item com esse nome. Clique nele que você poderá aprender tudo sobre as regras para se fazer poema bem feito.

    O Rap é apenas uma tentativa de se escrever poemas sem regras, onde a preocupação maior é a Rima. O que fiz no seu poema foi dar algum ajuste na Métrica, para que os versos tivessem comprimentos diferentes, mas equilibrados uns em relação aos outros.

    Todo Rap é um misto de Declamação e Canto, enquanto o Poema, ou é letra de música ou só é declamado. Entende?

    Dá uma lidinha na página Ciência Poética que você entenderá melhor o que estou falando.

    Volte sempre.
    Dalton.

  226. 226

    Murilo said,

    December 13, 2010 @ 6:08 am

    De boa ;D

    Olhe esse

    …Rap faz me sentir bem
    Com um tempo aprendo algumas lincoes tambem
    As vezes os meus textos tira minha raiva e violencia
    Pestes batendo nos inocentes sem razao e que aumenta
    Vivemos muitos dias dificeis
    Ja chega
    Ajudem me a levantar
    A nossa nacao Negra
    Neste mundo onde todos mentem
    Vamos fazer a paz crescer
    na nossa gente
    Quero viver
    Quero ser livre
    Saber perder
    Dar valor a coisas mais simples
    tenho medo de morrer
    e eu confensso
    O que o senhor vai fazer de mim ou dizer
    e o que eu espero
    Espero que quando eu morrer
    que exista paraiso para mim
    Sou pecador
    fui egoista
    Agora sou um G
    Derramando minhas lagrimas
    FAco a oracao
    dando agradecimentos e pedindo
    perdao e protecao
    Cada dia eu penso que vou morrer
    Choro por dentro
    Porque devo me meter nesses sentimentos …

    e uma parte do meu Rap quero ver se voce gosto se ta bem e tal

    Brigado Murilo

  227. 227

    admin said,

    December 13, 2010 @ 6:37 am

    Murilo:

    Vou olhar e depois respondo. Grato.
    Dalton.

  228. 228

    admin said,

    December 13, 2010 @ 9:21 am

    Murilo:

    Com você se definindo pelo Rap, as coisas ficam mais fáceis, porém devo alertá-lo que, qualquer que seja o estilo de descrição poética, a coisa só fica bonita se for escrita corretamente.

    Veja, por exemplo, o Gabriel Pensador. Ao contrário do que muita gente pensa, o cara trabalha com os poemas obedecendo muito à Versificação. Veja o truque:

    Eu escrevo o meu rap pra falar da violência
    Quase igual samba de breque, mas com menos paciência
    Nesse mundo de injustiça, chefiado pelo rico
    Eu vou fundo na preguiça, e sei que mais pobre eu fico

    refrão
    Mundo antigo
    Não é mais meu compromisso
    Meu amigo
    Você pode vir comigo

    Escrevi agora esse pedaço de um Rap do Compromisso, no estilo do Gabriel. Veja o que fiz:

    EU /es / CRE / vo / O / meu / RAP – 1-3-5-7

    PRA / fa / LAR / da / VI /o / / LÊN /cia – 1-3-5-7

    A / se-i / GUAL / sam / BÁ / de / BRE / que – 1-3-5-7

    MAS /com / ME /nos / PA / ci / ÊN /cia – 1-3-5-7

    NES /se / MUN /do /DE-IN / jus / TI / ça – 1-3-5-7

    CHE / fi / A / do / PE / lo / RI /co – 1-3-5-7

    EU / vou FUN / do / NA / pre / GUI / ça – 1-3-5-7

    e / SEI / que / mais / PO / bre -eu / FI / co – 2-5-7

    MUN / do-an / TI / go – 1-3

    NÃO / é / MAIS / meu / COM / pro / MIS / so – 1-3-5-7

    MEU / a / MI / go – 1-3

    VO / cê / PO / de / VIR / co / MI / go – 1-3-5-7

    Percebeu o que fiz? Contrui o poema em versos curtos e iguais, tanto no número de sílabas, quanto nas posições das sílabas tônicas (em maiúsculo); e depois apenas os juntei e transformei em versos longos, com uma pequena quebrada do ritmo no final do último, pra dar um molho de erro.

    É aí que mora o segredo do sucesso. Você pode escrever um monte de revoltas num Rap, mas se ele não tiver um Ritmo nos versos a coisa não pega.

    E esse negócio de ficar falando da pobreza do Negro já era, porque faz tempo que a pobreza é tanto do Negro quanto do Branco. Quando você faz a letra voltada só ao Negro, naturalmente, o Branco já dá menor importância, pois isso, goste você ou não, também é racismo, do qual todos querem fugir.

    Isso pode até fazer algum sucesso pequeno entre as menininhas negras da favela, mas o problema, por ser muito maior, deveria ser estendido a todos os pobres, independente da cor.

    Tente reescrever o seu poema da forma como fiz. Pode até usar o que fiz como introdução do seu. Se virar sucesso, depois, você me paga uma cerveja, mas o mais importante é que você tente escrever direito o seu poema. Use dicionário, pelo menos, para escrever e acentuar as palavras corretamente.

    Estarei sempre por aqui para ajudá-lo, mas quem tem que fazer a coisa direito é você, não eu. O MPB Sapiens tem tudo o que você precisa para aprender a fazer poemas corretamente. Estude, volte para mostrar, corrija e volte de novo… É assim que se aprende.

    Grato pela confiança e volte. Estarei sempre esperando.
    Dalton.

  229. 229

    Murilo said,

    December 15, 2010 @ 11:35 am

    Olha esse mano
    espero que seja um rap para voce e que de para entender xD

    Pense duas vezes
    Antes de abrir minha jaula
    Porque eu te juro cara
    Sairei no modo: Cao de Raiva

    Todos desesperados
    A procura de uma Fé (estou falando sobre ter fe em deus ou allah..)
    Tivemos muitas discuçoes
    Depois que casei com uma delas

    Penso nos dias dificeis
    Nas dificeis noites quando vou dormir
    Cada noite
    uma lagrima derramada em forma de agradecimento
    Cada noite de silencio
    Experniando por dentro
    exigindo perdao

    Pessoas estao dando mais valor a seu dinheiro
    Suas maes colocaram voces em 1caminho
    caminho brilhando pro futuro
    Mas voces sao lerdos
    Desviaram para pegar um caminho perigoso
    So porque e curto
    Burros que sao burros seram bem recompencados
    Burros so andam em um caminho reto
    Nao diz que estou errado
    Porque eu estou certo
    Eu sou uma prova

    Fui sempre feliz para a escola
    Me enganei com falsos amigos
    Depois de tudo que fiz por voces
    Voces querem me rastejar
    Tentei mostra-los como amar um ao outro
    voces tentam me apunhalar

    Voces falam de mim na minha frente
    Estava amarrado
    Quando me soltar
    Voces vao ver que fazer e dificil e falar e facil
    Hehe comigo e ao contrario
    Vou mostra-los que minha mae nao cria otarios …

    ainda to pensando no resto mas ver se ta bom xD

  230. 230

    lukas said,

    December 15, 2010 @ 3:39 pm

    legal

  231. 231

    admin said,

    December 15, 2010 @ 6:57 pm

    Lucas:

    Então volte sempre. Grato pela visita.
    Dalton.

  232. 232

    admin said,

    December 15, 2010 @ 6:58 pm

    Murilo:

    Acho que amanhã posso dar uma olhada.
    Dalton.

  233. 233

    Murilo said,

    December 16, 2010 @ 12:04 pm

    aff n eu fiz uma melhor man

    pera ja vou escrever

  234. 234

    Murilo said,

    December 16, 2010 @ 12:43 pm

    Olha esse e freestyle
    nao to afim de fazer poesia e dificiu xs

    Pense 2 vezes antes de abrir minha jaula
    Porque eu te juro
    Sairei no modo gorila em raiva

    Todos desesperados a procura de fé
    Se perguntando se vao pro inferno ou pro além
    Fumacando tudo, nao da para ver ninguem
    loucos metendo a faca e ousando a dizer ”amen!”

    pensando nos dias dificeis
    Nas dificeis noites quando eu ia dormi
    Cada noite uma lagrima
    agradecendo tudo a Ti
    Cada noite de silencio
    Esperniando por dentro exigindo perdao
    please!

    estou feliz
    por estar reppando
    Dinheiro e minha experiencia
    Pro topo esta mi levando

    Amigo batendo na minha porta
    Se envergonhando por pedir esmola
    Mano estamos juntos nessa historia
    voce pode escolher entre morar comigo ou viver la fora

    Foda!
    Fui amarrado
    Pelo dinheiro o mano foi desmascarado
    Ti dei comida, abrigo, rapariga
    na minha frente voce me esculhamba
    Voce me bateu, chuto e me amarro quando nao olhava
    oque eu vejo e eu preso e voce com minha grana

    Voce pode ficar zoando da minha cara
    Enquanto vou me soltando
    Quando mostrar minha raiva
    Me chame de gorila e nao de mano

  235. 235

    admin said,

    December 16, 2010 @ 5:53 pm

    Murilo:

    Se você não está à fim de aprender a fazer poemas, respeito a sua posição, porém pouco poderei ajudá-lo daqui pra frente.

    Sugiro que você abra o próprio Blog e comece a postar os seus textos nele. Perceberá que rapidamente terá a companhia de mais gente que escreve como você.

    O MPB Sapiens continuará por aqui com esse mesmo material para o aprendizado de poemas. Caso um dia você leve a coisa mais a sério, estarei sempre à disposição. Caso contrário, não.

    Boa sorte.
    Dalton.

  236. 236

    admin said,

    December 17, 2010 @ 9:11 pm

    Walter:

    E / la / PO / de / ME-ES / que / CER
    MAS / ja / MAIS / a-es / QUE / ce / REI
    NA / ra / ZÃO / do / MEU / vi / VER
    SEU / mo / TI / vo / EU / se / REI

    Não se deve ficar repetindo muito o “ela” num poema. Fica cansativo. Dei uma pequena mudada, sem perder alinha do pensamento original, mas mudei as rimas de lugar. Já deixei escandido pra você entender a simetria de Métrica e Ritmo Poético.

    Pega essa explicação e continue o poema, mas com suas palavras, e procurando obedecer a mesma jogada que fiz, com 7 sílabas.

    Grato pela confiança e volte depois pra me mostrar.
    Dalton.

  237. 237

    Walter said,

    December 17, 2010 @ 9:15 pm

    Queria que você desse uma olhada nesse trecho de um poema que eu escrevi, e me disesse o que eu posso mudar pra melhorar o poema:

    Ela pode até me esquecer
    Mas eu não esquecerei ela
    Ela é a razão do meu viver
    Eu sou o motivo da vida dela.

    Obrigado

  238. 238

    hoociorrums said,

    December 27, 2010 @ 7:26 am

    Account transatlantic gears to consolidation in well-founded the aggregate, interaction
    included, there is a long-legged demand on studying English communication in those parts of the area, where English is not a decisive language. This conclusion leads us that there is brobdingnagian howling into the treatment of English-speaking tutors, who are specializing in teaching English. South Korea is a unambiguous of most incontestable countries in terms of commonplace waken flippant, which means teaching English in Korea would be influentially profitable. Teaching English in Korea

  239. 239

    admin said,

    December 27, 2010 @ 7:35 am

    Hoociorrums:

    In any of the gears: Transatlânticas or Transpacíficas, of the English Language, exists only one certainty that urra:

    The Commerce and the fight in the Domain for the Money!

    Unhappyly, the Art also catches hitchhiking in this Pig´s World.

    Grateful for the visit.
    Dalton.

  240. 240

    TAMARA said,

    January 5, 2011 @ 10:41 am

    eu não robo nada porque eu não sou ladrão eu só robo amor do coração

  241. 241

    TAMARA said,

    January 5, 2011 @ 10:45 am

    batatinha quando nace espalhama pelo chão mamaizinha quando dorme bota a mão no coração.

  242. 242

    TAMARA said,

    January 5, 2011 @ 10:47 am

    poema do coração
    o foquete e rapido a tartaruga e lenta e a minha paixão e 250

  243. 243

    TAMARA said,

    January 5, 2011 @ 10:49 am

    a flor e rosa o gira sol e amarelo eu tenha um amor cego

  244. 244

    TAMARA said,

    January 5, 2011 @ 10:50 am

    melhor que chocolate melhor que bombom melhor que pirulito vc e muito bom.

  245. 245

    TAMARA said,

    January 5, 2011 @ 10:53 am

    paz
    paz e paz eu so quero paz.paz e a minha condição paz polo o amor o amor e a paixão.

  246. 246

    TAMARA said,

    January 5, 2011 @ 10:55 am

    medico cora dor medico cura drogado medico só não cura coração a paixonado.

  247. 247

    TAMARA said,

    January 5, 2011 @ 10:57 am

    eu não dou um rosa porque tem espinho mas te dou meu coração cheio de carinho.

  248. 248

    admin said,

    January 6, 2011 @ 7:16 am

    Tamara:

    Grato pelos versos e volte sempre.
    Dalton.

  249. 249

    Murilo said,

    January 18, 2011 @ 7:30 am

    Oi galera lol a de rochele foi legal :) tava lendo aqui e a galera sabe mermo ein ;D

  250. 250

    Murilo said,

    January 18, 2011 @ 7:50 am

    o adim sera que vc n tem como me ajuda no rap n xs porque nao acho nenhum site mano

  251. 251

    Murilo said,

    January 18, 2011 @ 7:55 am

    EU /es / CRE / vo / O / meu / RAP – 1-3-5-7

    PRA / fa / LAR / da / VI /o / / LÊN /cia – 1-3-5-7

    A / se-i / GUAL / sam / BÁ / de / BRE / que – 1-3-5-7

    MAS /com / ME /nos / PA / ci / ÊN /cia – 1-3-5-7

    NES /se / MUN /do /DE-IN / jus / TI / ça – 1-3-5-7

    CHE / fi / A / do / PE / lo / RI /co – 1-3-5-7

    EU / vou FUN / do / NA / pre / GUI / ça – 1-3-5-7

    e / SEI / que / mais / PO / bre -eu / FI / co – 2-5-7

    MUN / do-an / TI / go – 1-3

    NÃO / é / MAIS / meu / COM / pro / MIS / so – 1-3-5-7

    MEU / a / MI / go – 1-3

    VO / cê / PO / de / VIR / co / MI / go – 1-3-5-7

    wtf bro ? por favor me ajuda a entender essa idea por favoor adim

  252. 252

    Murilo said,

    January 19, 2011 @ 8:01 am

    Adim vc sabe fazer poesia usando palavras do jornal?

  253. 253

    admin said,

    January 19, 2011 @ 12:02 pm

    Murilo:

    Perdoe pela demora na resposta, pois tenho andado mais atarefado em outros assuntos profissionais, mas dei uma olhada na sua escansão da letra e pareceu não haver nada de errado.

    A jogada é aquela mesma, mas não precisa fazer todos os versos com o mesmo comprimento, pode mudar, desde que um verso não fique sem acompanhar o ritmos dos demais.

    Assim que aliviar a coisa por aqui eu volto. Enquanto isso, continue escrevendo a letra e depois discutimos as rimas.

    Grato pela confiança e aguarde.
    Dalton.

  254. 254

    Murilo said,

    January 20, 2011 @ 12:59 pm

    eu vo manda alguns trechos so para ver se ta indo bem

    Eu me lembro quando eu tinha 7 anos
    Vendo voce no quarto a chorar
    Voce esperniava e eu atraz da porta
    Nao sabia o que fazer
    Com medo de apanhar
    Caso voce me ver
    Mas eu fiz voce ver
    Que sempre te amo
    Assim fui te encher de beijos
    Me desculpe pela reclamacoens das escolas
    Mas para ti
    Eu tento ser um filho perfeito
    Somos pretos
    Pior… fomos pobres tambem
    Eu cheio de tristesa
    Mas voce mae
    Sempre me fez se sentir bem
    Alem de solteira
    Voce sempre foi sabia
    orgulhosa e guerreira
    Voce sempre teve um dicionario na cabeca quando eu a precisava
    Voce me fala tanto ditados que eu amava
    Eu fui sempre imaginario
    Nunca tive brinquedos
    Quando eu nao podia ir para rua
    Eu brincava com meus dedos
    Nao vou mentir
    Tambem roubava ums brinquedo de alguns guri
    Voce me bateu tanto
    Disse que ira ser dobrado
    Se ela mas uma vez descobri
    Eu sei que fui uma vergonha para ti
    Mae eu me lembro no dia das criancas
    Voce me compro um carro de controle remoto
    Foi tanta emocao que agora eu choro
    Mae voce sempre foi religiosa
    Voce falava que nas nossas vidas vai acontecer coisas milagrosas
    Eu fui sempre um idiota
    Fingia que escutava so para brincar la fora
    E agora
    Vejo que minha mae teve razao
    Tenho 17 anos
    Finalmente toda noite convercacao
    depois desses anos….

    Depois mando mais e que eu sestou na escola aqui na europa e tudo diferente

  255. 255

    Lucas said,

    January 20, 2011 @ 3:58 pm

    Murilo posso usa seu texto para manda para minha mae :) e muito bom ;D

  256. 256

    Murilo said,

    January 20, 2011 @ 3:59 pm

    haha lol nao cara issu fala sobre a minha historia seriu n pegue nao

  257. 257

    Lucas said,

    January 20, 2011 @ 5:48 pm

    hahaha

  258. 258

    murilo said,

    January 20, 2011 @ 5:51 pm

    d

  259. 259

    Death said,

    February 1, 2011 @ 11:35 am

    poema legal murilo, eu gostei :-D

  260. 260

    admin said,

    February 1, 2011 @ 3:29 pm

    Death:

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  261. 261

    franciely said,

    February 3, 2011 @ 1:00 pm

    muito enteresante esses poema
    gostei muito muito legal

  262. 262

    franciely said,

    February 3, 2011 @ 1:00 pm

    muito enteresante esses poema
    gostei muito muito legal

  263. 263

    admin said,

    February 3, 2011 @ 3:49 pm

    franciely:

    Então volte mais vezes. Grato.
    Dalton.

  264. 264

    Milena said,

    February 4, 2011 @ 5:17 pm

    eu preciso fazer um poema de 2 estrofes e 4 versos para a escola, e gostaria de algumas dicas . será que alguém pode me ajudar?
    esse poema é para entregar na terça dia 8 de fevereiro.
    por favor!
    obrigado

  265. 265

    admin said,

    February 5, 2011 @ 7:27 am

    Milena:

    Pelo que entendi, você precisa de um poema com duas estrofes de 4 versos cada, é isso? Qualquer que seja o assunto, sugiro escrever em versos com 7 sílabas. Convém lembrar que a contagem das sílabas de cada verso termina na última sílaba tônica dele. por exemplo:

    Mi / nha / que / ri / da / Mi / le / na – 1-4-7

    Os números à direita indicam o posicionamento das sílabas tônicas do verso: primeira, quarta e sétima.

    Agora escolha o assunto do poema, tente escrevê-lo da foma que sugeri e depois volte com ele para ver se ficou bom.

    Grato pela confiança e volte, que estarei aguardando.
    Dalton.

  266. 266

    murilo said,

    February 16, 2011 @ 12:22 pm

    death valew e lol poema? espero que seja axo mais rap

    adim pls pme diz se esse rap aki ta bom e sobre minha melhor amiga

    Conheci voce atravez da minha ex namorada
    sentavamos na areia de um rio ou era de uma praia??
    este pais ganancioso com o meu Brasil n comparava
    mas o tempinho que estava com voce
    o meu lindo brasil em voce eu conseguir ver
    a saldade voce me fez esquecer :d
    pensava que era o unico aqui
    eu todo guri com palavroes na boca
    mudei rapidin depois que ti vi
    menina precisava de alguem para falar e sabia que era ti
    voce conheceu minha historia dramatica
    fiquei tao orgulhoso de te conhecer
    porque com migo voce se preocupava
    te vi uma so vez na minha vida
    voce e a peca da minha vida que faltava
    cada vez que estava mau voce me animava
    querida por causa de ti minha cabeca nao anda mais baixa
    nesse tempo de solidao que vivo
    desde que cheguei aqui n vi niguem para considera como amigo
    bebe voce me fez ver que com 1 amiga eu consigo
    e vejo que so com voce eu me viro
    se viraar nesse pais cheio de rascismo
    e eu pensando que brancos sempre vao ser rasistas
    mas vc que e do rio
    loira e mais rica
    me mostro amor que nunca tinha visto
    amor que precisava desde o principio
    garota voce e tudo pa mim e meu destino
    por favor se voce precisa de algo pode contar comigo
    pq voce n e de usa e joga fora como lixo
    entao para o mundo eu aviso
    quem foder com ana fode comigo
    se alguem foder com ana
    irei foder contigo ( a tal pessoa ne nao com tigo lol)
    o play boy que se atrever a magoa seu coracaozito
    botarei medo ate pedir pinico
    pq n quero que seus olhos me veja a brigar
    gostaria de olha a tarde toda para eles ate neles chegar a mergulhar
    quero te abracar
    bem devagara para voce sentir que quero ser tanto seu amigo
    nao me importa quanto kilometros longe de mim voce esta
    a mil garotas para eu conhecer mas voce eu nunca vo contar
    quero que entenda que so voce me satisfaz
    nao te chamo de melhor amiga mas eu te amo de mais
    se eu perder contato com tigo
    n se esqueca
    que quando eu crescer
    o principio
    sera correr atraz de voce ;)

  267. 267

    admin said,

    February 16, 2011 @ 2:38 pm

    Murilo:

    Para um rap, está bom, mas tem alguns erros de escrita, como através e não atravez, comigo e não com migo e outros erros semelhantes.

    Corrigiu isso, pode mandar para a gata.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  268. 268

    murilo said,

    February 17, 2011 @ 10:07 am

    a lol desculpa ae e que eu n moro no brasil e meu portugues ta quebrado ;s

  269. 269

    admin said,

    February 17, 2011 @ 10:25 am

    Lembra do Dicionário?

    Bom Divertimento, rs.
    Dalton.

  270. 270

    murilo said,

    February 17, 2011 @ 11:04 am

    kkkk aki n vende dicionario portugues :s
    por isso eu leio biblia so para ver as palavras que n entendo e uns ditados para modificar e por no meu texto ;DD

  271. 271

    admin said,

    February 17, 2011 @ 12:29 pm

    Murilo:

    Na internet tá cheio deles. É só digitar no google a palavra “atravez”e aparece a seguinte pergunta: Você está procurando a palavra através?

    Não precisa rezar na bíblia não, eheh.

    Vai firme e ganha a menina.
    Dalton.

  272. 272

    Murilo said,

    February 17, 2011 @ 2:11 pm

    a e man :D
    mas na biblia tem palavras que nunca vi na vida ai vejo no dicionario online e uso elas ;D
    vlwmano adimiro seu trabalho ajuda mrmo :D

  273. 273

    Lorraine Alves said,

    February 17, 2011 @ 8:34 pm

    Olá , preciso de um poema com o meu nome para um trabalho de escola . Vc pode me ajudar?

    Adoreii o site ;*

  274. 274

    admin said,

    February 18, 2011 @ 6:02 am

    Lorraine:

    L ogo saberei
    O nde me encontrar
    R odando essa vida
    R ápido terei
    A penas de estar
    I ndo contra a brisa
    N o meu caminhar
    E studante e ativa

    Era só isso, um Acróstico com o seu nome?

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  275. 275

    karlla izabellle said,

    February 18, 2011 @ 8:48 am

    DISCULPA mas eu nao entedi nada tá!

  276. 276

    admin said,

    February 18, 2011 @ 10:24 am

    Karlla:

    Não tem que pedir desculpa, apenas diga o que você precisa saber e eu tento explicar melhor por aqui.

    Estou esperando.
    Dalton.

  277. 277

    Mariana Minervini said,

    February 18, 2011 @ 3:35 pm

    Rosas são vermelhas
    Violetas são azuis
    Sasuke,venha até mim
    Porque você é a minha nova luz!

    Obs:sasuke se pronuncia sasque

  278. 278

    admin said,

    February 18, 2011 @ 3:45 pm

    Mariana:

    É uma Quadra bonita, mas falta continuar explicando as razões da luminescência recente na sua vida. Faz o restante e depois me manda.

    Grato pela visita e volte.
    Dalton.

  279. 279

    Lorraine Alves said,

    February 18, 2011 @ 4:40 pm

    Obrigada !! me ajudou muito :D

  280. 280

    admin said,

    February 18, 2011 @ 5:19 pm

    Lorraine:

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  281. 281

    Murilo said,

    February 22, 2011 @ 11:19 am

    Mais que amizade
    Um
    R abisca para mim e rap
    I ncomodados que se mudem
    L icensa tem que pedir para entra
    O riginal e o meu codigo

    Kk n sei fazer issu

  282. 282

    admin said,

    February 22, 2011 @ 12:11 pm

    Murilo:

    M elhor que somente escrito
    U m texto mais serelepe
    R abisca-se no distrito
    I nsinuando-se em Rap
    L ocal, e bem trabalhado
    O nde é pra ser cantado

    M uito do que se escreve
    U ma linha que seja
    R ege de forma breve
    I lusória ou com cerveja
    L eva-se bem bonito
    O Português bem escrito

    D epois de tanto confete
    A lgum reparo compete
    L á no fundo do poema
    T rate de escrever direito
    O nde houver algum defeito
    N a sua entrada em cena

    Acróstico Duplo pra você e Simples pra mim.

    Viu como tudo fica mais fácil quando a gente se propõe a aprender a escrever?

    Faça isso e se surpreenderá com a própria capacidade, porque criatividade você tem. Só precisa levar o texto mais a sério.
    Dalton.

  283. 283

    Murilo said,

    February 23, 2011 @ 6:29 pm

    M e entrometo em tudo
    U nzip e meu programa
    R espiro letras
    I ncomoda me tanta fama
    L aço minhas veias
    O mem sem H ( quero dizer que os homens n prestao ne entum o que presta e o de sem h sei la ne invento besteira xD )

    aff ta bom? acho vergonhoso issu

  284. 284

    admin said,

    February 24, 2011 @ 7:51 am

    Murilo:

    M e (I)ntrometo em tudo
    U nzip e meu programa
    R espiro letras
    I ncomo(da-me) tanta fama
    L aço minhas veias
    O mem sem H ( quero dizer que os homens n presta(M) (ne entum) o que presta e o de sem h sei l(lá) n(é), invento besteira xD )

    Melhorou muito em relação aos anteriores, mas ainda tem erros, que deixei entre parênteses). Confesso que, apesar de menos erros, não consegui entender o Ne Entum. É alguma mistura de Nenhum com Então?

    Continue pensando besteiras, mas não deixe de escrevê-las sempre tentando num texto correto. Acho até interessante alguns símbolos que vocês usam em internet, como, por exemplo, o – :D – que quer dizer sorriso, mas isso não pode nunca virar um texto em nosso idioma, porque estaríamos jogando fora um dos nossos maiores valores, que é a Língua Portuguesa.

    Vai firme, cara.
    Dalton.

  285. 285

    Murilo said,

    February 24, 2011 @ 2:44 pm

    hahaha nao o ”Ne” e tipo ”ne vei !” xd e entum e entao :D vlw pela dica man

  286. 286

    Matheus said,

    February 28, 2011 @ 11:07 pm

    As rosas são como
    o simbolo da paixão
    Paixão é como um coração
    repleto de amor
    Amor é um
    anjo…

  287. 287

    Matheus said,

    February 28, 2011 @ 11:09 pm

    Eu sou poeta
    poeta de coração

  288. 288

    admin said,

    February 28, 2011 @ 11:35 pm

    Matheus:

    É um bonito princípio de poema. Continue escrevendo e me mostrando.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  289. 289

    Vanessa Eugênio said,

    March 1, 2011 @ 4:20 pm

    boa tarde Dalton,

    Entrei no seu blog por acaso, fazendo pesquisa para um trabalho escolar da minha filha e….. fiquei impressionada com sua facilidade em fazer poemas.

    PARABÉNS!!
    Fiquei até coim vontade de fazer também, tentei….. mas acho que não ficou bom. vou admirando sua explicações.

    Grata,

    Vanessa Eugênio

  290. 290

    admin said,

    March 1, 2011 @ 5:11 pm

    Vanessa:

    Fico feliz de ver mãe e filha aprendendo Versificação juntas. Não é difícil fazer poema, que é apenas um texto corrente disposto em versos.

    Essencial é o texto, que se bem escrito, facilita muito na transformação em versos. Sugiro a vocês duas, como exercício de Versificação, escreverem um texto em conjunto e depois tentem dividí-lo em versos.

    Caso precise de ajuda, conte sempre comigo.

    Grato pela visita, pelo elogio e volte sempre.
    Dalton.

  291. 291

    marcelinha said,

    March 1, 2011 @ 5:23 pm

    gostaria de te enviar um poema pra vc ver se estou no caminho certo…é um trabalho de faculdade. pode me ajudar?

  292. 292

    admin said,

    March 1, 2011 @ 6:11 pm

    Marcelinha:

    Com prazer, posso sim. Só peço que não seja muito longo, pois daí demora para eu devolver corrigido.

    Estou aguardando.
    Dalton.

  293. 293

    Jade Cristine said,

    March 12, 2011 @ 5:44 pm

    Olá, tenho 12 anos e preciso fazer um poema, mas não sei por onde começar, o tema é livre, então acho que fica mais difícil ainda, porque eu fico com um monte de ideia na cabeça e não sei o que fazer. Obrigada

  294. 294

    admin said,

    March 12, 2011 @ 6:40 pm

    Jade Cristine:

    Você deve ter mesmo muito assunto, mas suspeito que existam alguns mais fáceis de lidar. A sua antiga boneca predileta, por exemplo, que foi enxergada de diferentes formas à proporção em que você foi ficando mais velha.

    Ou mesmo um possível Diário particular, aonde você escrevia os seus segredos importantes que foram perdendo a importância ao longo dos anos.

    Tente conversar com um dos dois, boneca ou diário, agora. Sempre surgirão assuntos. Desenvolva a conversa num texto livre e depois eu a ajudo a colocar em versos, desde que a conversa não seja muito longa, certo?

    Grato pela confiança e volte para conversarmos.
    Dalton.

  295. 295

    ana caroline vicente da silva said,

    March 12, 2011 @ 9:13 pm

    Receita de bolo de poesia (a experimentar oportunamente)
    Toma-se uma porção de letras,
    Misturam-se com sabedoria
    Juntando acentos e pontuação,

    Mexe-se com sentimento
    E uma caneta na mão.

    Uma pitada de magia .

    Tendem-se as frases ainda quentes.
    Levam-se ao forno da imaginação

    Servem-se frias as palavras
    Cortadas em mil pedaços
    Acompanhadas de chá
    Sem prazo de validade

    Apenas a embalagem
    Tem de ser de qualidade
    Porque as palavras, essas
    Nunca perdem o sentido

    Apenas quem as prova
    É que pode andar perdido

    Nunca as frases se perdem
    Vão e voltam sempre cheias
    Trazendo nas suas letras
    Fragmentos de mil ideias

  296. 296

    Jade Cristine said,

    March 12, 2011 @ 11:04 pm

    Hum… A ideia da boneca é muito legal, porém me fez lembrar a minha melhor amiga que mora muito longe, achei legal fazer uma poesia sobre nós, que tal? =D Vou pensar em alguma coisa ainda rsrs e obrigada! ;*

  297. 297

    admin said,

    March 12, 2011 @ 11:06 pm

    Ana Caroline:

    A idéia do bolo associado aos elementos da escrita é muito boa. à partir do Parnasianismo o poeta ficou Livre para escrever o seu poema da forma que melhor entendesse. Seguindo ou não as receitas da Versificação.

    Como eu estudo a MPB, cujo sucesso pendeu mais para os poetas adeptos da Ciência Poética, principalmente, pelo uso correto das rimas, voltadas para a memorização por parte do ouvinte, só me coube competência para isto:

    le/TRI/nha/ DE/ ma/car/RÃO – 2-4-7
    tam/BÉM/ se/ TOR/na-o/bra/ PRI/ma – 2-4-7
    que-u/NI/das/ PE/la/ ra/ZÂO – 2-4-7
    VÂO/ a/ LÉM/ da/ POU/ca/ RI/ma – 1-3-5-7
    QUE/ não/ DE/ve/ SER/ dei/XA/da – 1-3-5-7
    de/ FO/ra/ DU/ma/ re/CEI/ta – 2-4-7
    PA/ra/LE/la-ou/ AL/ter/NA/da – 1-3-5-7
    DÂO/ be/LE/za-à/ COI/sa/ FEI/ta – 1-3-5-7

    NÂO/ pre/CI/sa/ TER/ o/ MES/mo/ ME/tro/ nos/ VER/sos – 1-3-5-7-9-12
    CO/mo/ FIZ/ na-es/TRO/fe-a/CI/ma – 1-3-5-7
    MAS/ o/ RI/t/MO/ não/ PO/de-es/TAR/ tão/ dis/PER/so – 1-3-5-7-9-12
    BEM/ no/ ME/io/ DA/ co/ZI/nha – 1-3-5-7

    o/ MA/car/RÂO/ a/gra/DE/ce – 2-4-7
    À-A/ten/ÇÂO/ do/ CO/zi/NHEI/ro – 1-3-5-7
    o/ MO/lho/ FOR/ma/-se-in/TEI/ro – 2-4-7
    E-O/ po/E/ma/ NÂO/ pa/DE/ce – 1-3-5-7

    pe/QUE/nas/ DI/cas/ pra/ LÁ/ de/ nor/MAIS – 2-4-7-10
    nas/ CU/li/NÁ/rias/ ex/PE/ri/men/TAIS – 2-4-7-10

  298. 298

    murilo said,

    March 14, 2011 @ 1:21 pm

    Minha vida foi azeda como manga verde
    e nao doce como cana
    Dormia sem sonhar
    A rua foi minha cama
    Deitava sem bocejar
    Para me aquecer nesse mundo frio
    Usei o Lençou da Vingança

    Cheiu de esperanca andava sozinho
    suspenso da escola
    Andava descalço que nem medingo
    Na mao da minha mae sempre tinha um cinto
    Para me educar
    é so na base da porrada
    Por minha causa vc sempre foi ferida
    enquanto eu tomava cintada
    Deixando cair lagrimas de sangue
    ao mesmo tempo vc as enxugava
    Sei que foi dificiu para ti
    Pq eu fui dificiu para mim
    Voce me fez ver que nao sou fraco
    Mama voce nunca crio otario
    Meu pai me deixo quando eu tinha 5
    Me virei um homem com 5
    mas nao fui responsavel
    mama tentando fazer de mim um homem responsavel
    mesmo que eu fosse para suas costas
    o saco mais pesado
    Eu n quero ser perfeito mas sim o seu orgulho mama
    Eu falava que vc n presta mas n e verdade
    voce sempre foi minha arma semi-anti-drama
    …(dps faco o resto agora e o refrao)

    E foda foder comigo
    Depois que eu foder contigo
    Eu devolvo o que recebo…
    E melhor aperta seu cinto
    Dinheiro e buceta
    E tudo que minha boca come
    Porque ter responsabilidade e fama
    Estao dando muita fome
    ( dps faco o resto)

    Ta bom?

  299. 299

    murilo said,

    March 14, 2011 @ 1:21 pm

    Minha vida foi azeda como manga verde
    e nao doce como cana
    Dormia sem sonhar
    A rua foi minha cama
    Deitava sem bocejar
    Para me aquecer nesse mundo frio
    Usei o Lençou da Vingança

    Cheiu de esperanca andava sozinho
    suspenso da escola
    Andava descalço que nem medingo
    Na mao da minha mae sempre tinha um cinto
    Para me educar
    é so na base da porrada
    Por minha causa vc sempre foi ferida
    enquanto eu tomava cintada
    Deixando cair lagrimas de sangue
    ao mesmo tempo vc as enxugava
    Sei que foi dificiu para ti
    Pq eu fui dificiu para mim
    Voce me fez ver que nao sou fraco
    Mama voce nunca crio otario
    Meu pai me deixo quando eu tinha 5
    Me virei um homem com 5
    mas nao fui responsavel
    mama tentando fazer de mim um homem responsavel
    mesmo que eu fosse para suas costas
    o saco mais pesado
    Eu n quero ser perfeito mas sim o seu orgulho mama
    Eu falava que vc n presta mas n e verdade
    voce sempre foi minha arma semi-anti-drama
    …(dps faco o resto agora e o refrao)

    E foda foder comigo
    Depois que eu foder contigo
    Eu devolvo o que recebo…
    E melhor aperta seu cinto
    Dinheiro e buceta
    E tudo que minha boca come
    Porque ter responsabilidade e fama
    Estao dando muita fome
    ( dps faco o resto)

    Ta bom?

  300. 300

    Rebeka said,

    March 14, 2011 @ 7:03 pm

    socorro :S:S
    preciso de uma poesia URGENTE pra religião!
    o tema é Liberdades que Aprisionam
    me ajudem PFV! preciso muito disso
    desde já, Agradeço!

  301. 301

    admin said,

    March 15, 2011 @ 8:28 am

    Rebeka:

    A Liberdade Escravagista é tão óbvia que não se tem muito o que falar sobre ela, mas consegui duas Quadras. Acho que bastam:

    Se nós temos bem ao lado um vizinho
    Sempre atento ao que ocorre em nossa casa
    Pra poder se comparar em seu caminho
    E explicar a caminhada que defasa

    Todo homem tem o corpo e o raciocínio
    Cada qual c´o próprio sonho de ser solto
    Mas no fundo são escravos um do outro
    Liberdade é mais um sonho ou um fascínio

    Boa sorte e volte sempre.
    Dalton.

  302. 302

    admin said,

    March 15, 2011 @ 9:25 am

    Minha vida foi azeda como (verde manga)
    e (não) doce como cana
    Dormia sem sonhar
    A rua foi minha cama
    Deitava sem bocejar
    Para me aquecer nesse mundo frio (que dança)
    Usei o (Lençol) da Vingança

    (Cheio de esperança) andava sozinho
    suspenso da escola
    Andava descalço que nem (mendigo)
    Na (mão) da minha (mãe) sempre tinha um cinto
    Para me educar
    é (só) na base da porrada
    Por minha causa vc sempre foi ferida
    enquanto eu tomava cintada
    Deixando cair lagrimas de sangue
    ao mesmo tempo vc as enxugava
    Sei que foi (difícil) para ti
    Pq eu (foi difícil) para mim
    (Você) me fez ver que (não) sou fraco
    Mama (você) nunca (criou otário)
    Meu pai me (deixou) quando eu tinha 5 (cinco o que?)
    Me virei um homem com 5 (cinco pintos?)
    mas (não) fui (responsável)
    mama tentando fazer de mim um homem (responsável)
    mesmo que eu fosse para suas costas
    o saco mais pesado
    Eu (não) quero ser perfeito mas sim o seu orgulho mama
    Eu falava que vc (não prestava) mas (não é) verdade
    (você) sempre foi minha arma semi-anti-drama
    …(dps faÇo o resto agora É o refrao)

    E foda foder comigo
    Depois que eu foder contigo
    Eu devolvo o que recebo…
    (É) melhor (apertar) seu cinto
    Dinheiro e buceta
    (É) tudo (o) que (a) minha boca come
    Porque ter responsabilidade e fama
    (Estão) dando muita fome
    ( dps faÇo o resto)

    Ta bom?

    Murilo:

    Ao invés de dizer se está bom ou ruim, peguei o que você escreveu e coloquei entre parênteses só os erros de Português, já que da outra vez aconselhei você a, antes de tudo, melhorar o seu texto.

    Confesso que o texto melhorou muito, se comparado com os anteriores, mas ainda está muito longe de se tornar bom.

    Qual é o problema do seu computador, ou teclado?

    Não tem acentos, ou a programação dele é em MS-DOS, um programa anterior ao Windows, usado nos anos 80, que não permitia que acentuássemos as palavras?

    Escreva sempre o seu texto antes no Word. Cada vez que houver algo errado com ele, surgirá uma barra vermelha abaixo. Clique com o botão direito do mouse e ele mostrará o erro.

    Quanto ao conteúdo filosófico da obra, a coisa ficou meio confusa, pois na primeira parte você tentou fazer uma exaltação à sua mãe, mas, no refrão abaixo, sugeriu até, de forma chula, ter havido com ela uma relação sexual.

    De homem pra homem: – Você anda comendo a sua mãe?

    Porque é essa a idéia que aquele infeliz refrão deu ao sofrível texto anterior.

    Cara! Eu tenho uma porrada de coisas para fazer. Se ainda respondo os seus comentários é porque, como educador, acredito que o aluno sempre possa progredir e, francamente, não vejo muitas possibilidades disso ocorrer com você enquanto não puser na cabeça que está escrevendo errado.

    A vida é dura para a maioria de nós, cada qual com os seus problemas.

    Deixo a você este endereço para que reflita a respeito do que ouviu:

    http://www.youtube.com/watch?v=7Og19OXHkwY&feature=related

  303. 303

    Murilo said,

    March 15, 2011 @ 11:37 am

    hhahahahaahaha
    nao mano ja te falei que to esquecendo do portugues mas vou estudar e nao ando comendo minha mae nao e que minha musica n esta pronta para vcs entenderem
    isso que eu fiz para voce ver e so uns trexos pa vc ver se ta rimando bom so issu dps vc vai ver a musica completa XD

  304. 304

    Murilo said,

    March 15, 2011 @ 11:37 am

    so me diz se eu rimei bem :s

  305. 305

    Rebeka said,

    March 15, 2011 @ 6:14 pm

    muuito obrigado!
    me ajudou muito!

  306. 306

    murilo said,

    March 18, 2011 @ 1:22 pm

    Eu amo uma menina
    e eu ainda estou a amar
    mesmo me causando danos
    porque eu sei que o meu amor por ela nao vai me matar
    mas eu vou mata-lo
    mesmo nao tendo pulmao
    eu vou inforca-lo
    mesmo nao tendo coracao
    eu vou conquista-lo

    Voce pensa que eu nao te amo
    menina mas que engano
    sempre quando chego em casa com uma fome
    vejo voce cozinhando
    e por isso que eu amo voce
    e depois do banho
    quero usar uma roupa limpa
    para dormi com voce
    te pago viangens para lugares lindos
    que se encontra laaaa longe
    so para sentir falta de voce
    nao importa aonde
    talvez irei beber
    pegar umas meninas sem querer
    mas voce sabe que
    eu nasci So para amar voce

    Boa agora?

  307. 307

    Felipe said,

    March 18, 2011 @ 9:12 pm

    aí galera esse site é foda ,
    ensina bem como se ensina na escola,
    gostei de vê esses rimas são fantásticos, e são de puta
    fantasia, o fundo verde me espira na minhas rimaas,
    falows irmãos vou indo embora deixando
    os meus rimas que foi show de bola .

    o que achouu ?

  308. 308

    admin said,

    March 19, 2011 @ 6:11 am

    Felipe:

    Grato pelo reconhecimento. Quanto às Rimas, você está num bom começo, mas estaria melhor ainda se o texto que as acompanha estivesse mais de acordo com as regras gramaticais, porém devo lembrar que um dia já escrevi assim, e cheguei a isto que você gostou corrigindo a minha forma de escrever.

    Valeu pela força.
    Dalton.

  309. 309

    Maycown Douglas said,

    March 20, 2011 @ 2:34 am

    Primeiramente, excelente o site cara. Explicações claras e concisas, e sua boa vontade pra ajudar a todos. Vou ir enviando minhas poesias aos poucos, gostaria de uma opinião, desde já, grato.

    “Como Pode?

    Como pode ser tão difícil escrever algo pra você?
    Como pode ser tão fácil alguma virtude sua descrever?
    Como pode ser tão agradável o simples gesto de lhe ver?
    Como pode ser tão difícil conseguir por um momento lhe esquecer?!

    São tantas excelências para citar,
    Que já me perco antes mesmo de começar.
    Nem sei, de fato,
    Se um começo realmente há.

    Pois são qualidades de grandezas infinitas
    Que não podem ser citadas, nem sequer descritas
    É algo que ignora completamente a razão,
    qualquer lógica, conceito ou compreensão .

    Expectativas que sempre são superadas
    Não importando as dificuldades encontradas
    A vitória, sua companheira, que caminha ao seu lado
    E ao lado dela o sucesso, por muitos, aclamado.

    Então, como pode haver?
    Uma pessoa que desperta na alma tanta admiração
    Um ser tão belo, aprazível, sereno…
    Alguém que supera os limites da perfeição…”

  310. 310

    admin said,

    March 20, 2011 @ 8:10 am

    Maycown:

    Hoje em dia, qualquer texto corrido, quando disposto em versos, é considerado Poesia, mas, mesmo diante de tanta simplicidade conceitual, existem algumas regras. Uma delas prega que a divisão dos conceitos de Poesia e Prosa está na quantidade de Sílabas Poéticas do verso. Se for menos de catorze é Poesia, se for mais é Prosa.

    Os seus quatro primeiros versos não pertencem à Poesia, e sim à Prosa. Ainda assim, é aceita como Poema a construção poética que, ultrapassando as catorze sílabas diferenciais, apresente regularidade em Métrica e Ritmo.

    Como você pretende que eu o ajude com o poema?

    Quer transformá-lo num Poema Regular de acordo com as regras deste?

    Num Poema Irregular, também de acordo com as suas regras?

    Para melhor se situar no assunto, bem como entender o que significam expressões como Poema Regular ou Irregular, Sílaba Poética etc; sugiro a você uma breve pesquisa no endereço Ciência Poética, postado no cabeçalho da página principal do site.

    Isso é o que normalmente faço com os leitores, que se instruem, fazem poemas e retornam para discutirmos.

    Você tem um texto muito bom, bem redigido, o que facilita em muito o entendimento da Construção Poética nos moldes da Versificação Tradicional.

    Aguardo um retorno seu.

    Grato pela confiança.
    Dalton.

  311. 311

    bruna said,

    March 24, 2011 @ 12:55 pm

    achei muito legal porque eu acho q um
    poema fica muito mais interessante quando
    tem rima!!!!!…

  312. 312

    bruna said,

    March 24, 2011 @ 1:01 pm

    esse site e muito legal porque
    ajuda nos os alunos a fazer um poema
    q pra mim não e facil q ja pra
    outros e molesa…

  313. 313

    admin said,

    March 24, 2011 @ 1:12 pm

    Bruna:

    Agora não tenho tempo, pois tenho de ir buscar o moleque na escola, mas tão logo possa, escreverei um poema especial para você. Beijos.

    Dalton.

  314. 314

    admin said,

    March 24, 2011 @ 3:40 pm

    Minha Bruninha lindinha
    Não culpe a professora
    Pela matéria aplicada
    No fundo ela está na minha
    Tentando somente agora
    Voltar à aula bem dada

    Ela sabe do problema
    Da educação brasileira
    Com a Versificação
    Que se esqueceu do poema
    Por geração quase inteira
    Na falta de vocação

    Mas você tem este site
    Pra aprender a fazer rimas
    No meio de um desabafo
    Pois este meu doce Sapiens
    Haverá de ver por cima
    Você virar uma Safo

    Mas antes cuide do texto
    Tem de ser melhor escrito
    Sem essa de “proficional”
    Por que daí eu contesto
    Não acho nada bonito
    E o poema fica anormal

    Beijos pra minha aluninha
    Também chamada Bruninha.

    Agora você entre no Google e veja quem foi Safo. É isso que eu espero de você.
    Dalton.

  315. 315

    Murilo said,

    March 25, 2011 @ 12:39 pm

    isso que quero aprende poema com rima..

  316. 316

    admin said,

    March 25, 2011 @ 12:46 pm

    Murilo:

    Talvez você estivesse a fim de escrever isto:

    É isso o que quero. Aprender a fazer poema com rimas.

    Fica meio complicado escrever poemas escrevendo na forma anterior.

  317. 317

    Rodrigo said,

    March 25, 2011 @ 1:21 pm

    De ficar sendo pertubado ou ameaçado comesso a morrer
    assim terei que ser mais duro
    Tenho que fazer que esses filhos da put@s
    me conhecerem no modo bruto
    melhor ainda como eles conhecerao doce suco
    Pois eu sou azedo, chupando limao fico mais puto
    VOce ta fudido quando eu te pegar no escuro
    Nao to nem ai para quem te fode
    porque eu fodo com todo mundo
    Se nao quer se molhar nao entre no meu Barco Corrupto
    Olha esse otariu com inveja do meu fundo..
    meu fundo de tela sao as put@s em 3D
    os Wanna Be’s correm atraz de mim so para poder me ver
    e se voce falar de mim, fale quando eu te ver
    Voce vai bater palmas para mim…
    enquanto eu a sua mae estiver a comer
    voce rir de mim pq eu faco capoeira
    voce faz taekwondo e ainda toma rasteira
    Todos que andam comigo e minha familia
    e barreira
    eles me amam mesmo vindo da pobreza
    mesmo com minhas letras assacinando a lingua portuguesa
    Eu faco mais estrelas na minha bandera brasileira
    Entao filho da putas nao se esqueca
    na minha bandeira sou a estrela negra
    Fui feliz com os guetos
    meu drama e tanta riqueza
    Dormi quente na favela
    Durmo frio na europa
    e voces rascistas vem me chamar de besta
    abram a minha jaula e voces vao ter a supresa

  318. 318

    Rodrigo said,

    March 25, 2011 @ 1:22 pm

    eu amo rap :s desculpa nao achei outro site

  319. 319

    admin said,

    March 25, 2011 @ 2:36 pm

    De ficar sendo pertu(r)bado ou ameaçado come(ç)o a morrer
    assim terei que ser mais duro
    Tenho que fazer que esses filhos da put(a)
    me conhecerem no modo bruto
    melhor ainda como eles conhecer(ã)o (o) doce suco
    Pois eu sou azedo, chupando lim(ã)o fico mais puto
    Voc(ê) ta f(o)dido quando eu te pegar no escuro
    N(ã)o to nem a(í) para quem te fode
    porque eu fodo com todo mundo
    Se n(ã)o quer se molhar n(ã)o entre no meu Barco Corrupto
    Olha esse otari(o) com inveja do meu fundo..
    meu fundo de tela s(ã)o as put(o)s em 3D
    os Wanna Be’s correm atr(ás)az de mim s(ó) para poder me ver
    e se voc(ê) falar de mim, fale quando eu te ver
    Voc(ê)e vai bater palmas para mim…
    enquanto eu a sua m(ã)ae estiver a comer
    voc(ê)e rir de mim pq eu fa(ç)co capoeira
    voc(ê)e faz taekwondo e ainda toma rasteira
    Todos que andam comigo e minha fam(í)ilia
    e barreira
    eles me amam mesmo vindo da pobreza
    mesmo com minhas letras assa(SS)cinando a l(í)ingua portuguesa
    Eu fa(ç)co mais estrelas na minha band(i)era brasileira
    Ent(ã)ao filho(s) da puta n(ã)ao se esque(çam)ca
    na minha bandeira sou a estrela negra
    Fui feliz com os guetos
    meu drama e(é) tanta riqueza
    Dormi quente na favela
    Durmo frio na (E)europa
    e voc(ê)es Ra(?s)cistas v(êe)em me chamar de besta
    abram a minha jaula e voc(ê)es v(ã)ao ter a su(r)presa

    Caro Rodrigo:

    Não tenho nada contra Rap, Funk, Hip Hop…; mas tenho tudo contra o texto mal escrito.

    Preste atenção em todas as correções que fiz, nisso que você me mandou, aprenda a escrever corretamente e volte.

    Não precisa ser um puta texto, mas tem que ser escrito direito, pois só assim eu posso sugerir algumas coisas.

    Caso contrário, não perca o seu tempo e nem o meu.

    Grato pela visita e volte quando possível.
    Dalton.

  320. 320

    Rodrigo said,

    March 27, 2011 @ 12:26 pm

    ui… desculpa me

  321. 321

    admin said,

    March 27, 2011 @ 9:59 pm

    Devo chamá-lo de Rodrigo ou Murilo?

    Não precisa se desculpar, apenas escrever menos errado. Não estou aqui para ficar corrigindo texto, mas para ensinar a transformar um texto em poema, desde que razoavelmente escrito.
    Dalton.

  322. 322

    samuel said,

    March 27, 2011 @ 10:26 pm

    axo que naum ficou bom….

    o garoto das rimas naum é um garoto como a gente
    vive doente e tem a cara de “bocó”
    ele não tem um dente
    e não é nada atranete
    pois é meio demente
    e gosta de chingar a gente mas certamente ele ja foi atranete
    ai aconteceu dele quebrar o dente
    foi tudo muito derepente e rapidamente
    ele caiu no chão e sentiu um gosto ardente
    na sua boca agora sem dente escorria sangue incontrolavelmente foi ai que tudo ficou diferente

  323. 323

    admin said,

    March 27, 2011 @ 11:39 pm

    Samuel:

    O texto está tão mal assim. Possui alguns erros, mas só posso cuidar disso amanhã, ok?

    Grato e aguarde.
    Dalton.

    Dalton.

  324. 324

    Murilo said,

    March 28, 2011 @ 7:23 am

    Como se sabe que sou eu? xD eu fiz isso porque eu me envergonho da minha lingua quebrada :s

  325. 325

    admin said,

    March 28, 2011 @ 9:09 am

    Murilo:

    Qualquer professor mais antigo, que aplicava provas escritas e sem testes com alternativas, conhecia cada um dos seus alunos pelo tipo de texto. Com o seu não foi diferente. Erros idênticos nas duas escritas e, o mais bandeiroso, a Europa presente nos dois casos.

    Aprenda a escrever corretamente e faça com que eu me engane. Esse é um desafio só seu, não meu. O meu é o de poder ficar feliz por ter sido enganado.
    Dalton.

  326. 326

    admin said,

    March 28, 2011 @ 9:39 am

    Samuel:

    Na minha resposta anterior, o correto seria escrever: O texto não está tão mal assim. A pressa causou o meu engano.

    Pude dar uma avaliada no seu texto e corrigi algumas coisas. Agora compare o que você me escreveu com o que eu corrigi.

    Para virar um poema equilibrado, e de acordo com a Versificação, falta alguma coisa ainda, o que você pode aprender acessando, no cabeçalho da página principal do site, os endereços Ciência Poética e Glossário Poético.

    Boa sorte e volte sempre.
    Dalton.

  327. 327

    murilo said,

    March 28, 2011 @ 12:22 pm

    Ok, o proximo irei escrever correto.

  328. 328

    admin said,

    March 28, 2011 @ 12:50 pm

    Murilo:

    Você só terá a ganhar com isso.
    Dalton.

  329. 329

    dionisia said,

    March 29, 2011 @ 6:06 pm

    Ola Dalton,
    Eu gosto de escrever, e normalmente escrevo em formas de verso aquilo que sinto.
    Não tenho tecnica ou comenhcimento das regras. Vendo teu site, me encantou!
    Tentei arriscar escrever estes versos e gostaria que você me desse sugestão do que devo fazer para melhorar. Quero saber o que é muito berrante, e oque no texto é interessante.
    Um abraço.

    Vou aprender saber dizer
    Tudo aquilo que não sei
    Com coragem e precisão
    Pra poder morrer tranquila
    E, não virar lá no caixão.

    Sei que um dia vou morrer
    Tenho então que entender
    O tempo é muito curto
    E a morte não avisa
    Quanto tempo vou viver.

  330. 330

    admin said,

    March 29, 2011 @ 8:03 pm

    Dionisia:

    Com exceção dos versos 1 e 5, que apresentaram 8 sílabas poéticas, os demais tiveram a mesma medida, 7 sílabas poéticas. A Sílaba Poética difere da Gramatical pela tendência da fala. Por exemplo:

    Vou/ a/pren/der/ sa/ber/ di/zer – 8 sílabas poéticas ou gramaticais, já que não houve fusões.

    Tu/do-a/qui/lo/ que/ não/ sei – 7 sílabas poéticas, pois houve uma fusão de sílabas átonas.

    Se você tentar fazer o segundo verso ficar com 8 sílabas, conseguirá, mas soará estranho pela própria tendência da nossa fala natural, que funde o (do) de Tudo, com o (a) do Aquilo.

    Veja no terceiro verso como a coisa é interessante:

    Com/ co/ra/gem/ e/ pre/ci/são – 8 sílabas gramaticais, mas se você tentar pronunciá-lo com as 8 sílabas gramaticais o som ficará desconfortável na pronúncia, já que fundimos naturalmente o (gem) de Coragem, com o (e) que vem depois.

    Como primeira lição, quero que você refaça a primeira estrofe, cujo nome é Quintilha, por apresentar cinco versos, e tente deixar os versos 1 e 5 também com 7 sílabas poéticas.

    Daí pra frente continuaremos trabalhando no poema com outros elementos da Ciência Poética, certo?

    Grato pela confiança, faça a lição e volte. Abraços.
    Dalton.

  331. 331

    Murilo said,

    March 30, 2011 @ 7:41 am

    @Samuel
    au de ler até sinto… :c

  332. 332

    dionisia said,

    March 30, 2011 @ 6:05 pm

    Caro Dalton,
    Obrigada pelas dicas.
    Tentei refazer a primeira estrofe mas não tenho certeza se entendi bem o que você me sugeriu.
    Ai vai!

    Quero aprender dizer
    Tudo o que não sei
    Com vontade decisão
    Pra poder morrer tranquila
    E naõ virar no caixão.

    E quanto a segunda?

    Te agradeço a atenção. um abraço.
    Dionisia

  333. 333

    admin said,

    March 31, 2011 @ 10:21 am

    Dionisia:

    A estrofe ainda não ficou boa, veja porque:

    Que/ro/ a/pren/der/ di/zer -7
    Tu/do/ o/ que/ não/ sei -6
    (Tu/do-a/qui/lo/ que/ não/ sei – 7) – sugestão minha
    (Com/ von/ta/de-e/ de/ci/são -7) – sugestão minha
    Pra/ po/der/ mor/rer/ tran/qui/la – 7
    E/ não/ vi/rar/ no/ cai/xão. -7

    Quanto à segunda estrofe, pelo que lembro não havia problemas, mas não tenho tempo de ver agora, pois vou sair.

    Continue exercitando. Abraços.
    Dalton.

  334. 334

    dionisia said,

    March 31, 2011 @ 11:59 am

    Ok Obrigada.
    Abraço.
    Dionisia.

  335. 335

    murilo said,

    March 31, 2011 @ 4:24 pm

    Thema: Amizade

    ”Acordei hoje de manha
    lagrimas de mim derramarao
    dramaticamente
    esperniando por dentro pelos meus amigos
    de antigamente
    infelismente é presente
    popularidade e carisma botao o pé agora na minha frente
    a amizade mais fraca
    conseguiu levanta esse negro (eu)…
    que a tristeza foi seu peso
    voce me disse que sempre estaria ao meu lado
    felizmente entendi que amizade nao tem preço
    com 5 anos meu pai me abandonou
    desesperadamente
    precisava de um verdadeiro amigo
    com 14 anos deixei meu pais onde ninguem me conhecia
    Me sentia um turista a procura de um novo inicio
    Minha mae e irma sempre estiverao comigo
    Graças a deus eu dou os ouvidos
    voces sao juntas um arco-iris dos dias de chuva
    que fazem o meu amanha fica colorido
    nao esqueço daqueles que tambem andao comigo
    todos que estao sempre na correria comigo
    os considero como familia
    Nunca irei usa-los e jogar no lixo
    Voces manos
    fizeram meu drama estar extinto
    Botei os 7 pecados no meu tabaco e o gosto foi doce
    Tao doce que meu pulmao fica podre
    Sou pecador manos mas nao sou senhor do tempo
    mas a mudança e um evento
    que estou tentando fazer a tempo…

    espero que tenha pucos erros porque o teclado daqui nao tem acentos que nem o teclado do brasil + foi bom??

  336. 336

    murilo said,

    April 1, 2011 @ 11:23 am

    ”poucos”

  337. 337

    admin said,

    April 3, 2011 @ 9:52 am

    Murilo:

    Vou lembrar um pouco da história sua por aqui.
    Você chegou com um Rap quilométrico e muito mal escrito. Aconselhei, inicialmente, que você melhorasse o texto, lesse um pouco de Ciência Poética, postada no cabeçalho da página principal do Sapiens e voltasse em seguida com o mesmo rap, só que melhor escrito e com alguma coerência poética.

    Você agradeceu gentilmente, mas logo em seguida veio com outro rap quilométrico, mal escrito e poeticamente incoerente.

    Pacientemente, sugeri tudo novamente, mas você insiste até hoje com os mesmos defeitos, argumentando problemas co os teclados europeus. Devo lembrar que estamos lidando com Língua Portuguesa e Portugal fica aí na Europa, sabia?

    Você não está interessado em aprender a fazer poemas, mas apenas colocar o que pensa que pensa na forma de versos argumentando estar fazendo poemas, quando, na verdade, só quer mesmo saber o que achei das rimas, portanto sugiro que você procure um dos vários Dicionários de Rimas existentes na internet e faça o que melhor entender com elas. Ou tenha paciência e espere até eu colocar o meu aqui no Sapiens.

    Tenho muitos leitores que querem aprender a fazer poemas. Alguns tentam e desistem, mas a maioria volta e mostra que aprendeu, tanto a escrever corretamente, quanto a fazê-lo dentro das regras da Ciência Poética.

    São muitos, distribuídos entre 458 postagens que já fiz, e não acho justo dedicar o meu tempo a quem já demonstrou não ter grande interesse em aprender, portanto sugiro a você que crie o próprio Blog e coloque os seus textos nele. Aparecerá muita gente escrevendo igual a você, pode crer, com esses textos longos que lembram muito mais a capítulos da Bíblia do que a poema urbano.

    Vá em frente. Você consegue.
    Dalton.

  338. 338

    murilo said,

    April 4, 2011 @ 2:43 pm

    ok vo fazer isso agora… vou ficar um tempo sem passar por aqui. abracos e obrigado

  339. 339

    Rosario said,

    April 10, 2011 @ 9:23 am

    Gosto de poema mas pouco sei de como o fazer . Deixo meu poema

    Saudades

    Muitas são as saudades
    que tenho por ti
    minha doce amada
    de alegria, mil sao vontades
    só uma não e realizada
    a de te ter aqui.

    Deixo um de pedaço de mim
    este poema de amor
    por mais que tudo chegue o fim
    sentirei saudades mesmo que de dor.

  340. 340

    admin said,

    April 10, 2011 @ 12:16 pm

    Caro Rosário:

    Fiz algumas alterações no original e o seu texto virou um poema de amor dentro das regras da Ciência Poética.

    Muitas são as saudades
    Que eu tenho de ti
    Minha doce amada de alegria
    Mil são as vontades
    Mas sem tê-la aqui
    Meu dia vira escravo da agonia

    Deixo um pedaço de mim
    Neste poema de amor
    Por mais que tudo um dia chegue ao fim
    Terei saudades mesmo que de dor.

    Me perdôe a ousadia de mexer no seu texto, mas eu acho que se você usar essa nova forma a mulher verá com maior interesse a sua proposta.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton

  341. 341

    paula said,

    April 15, 2011 @ 1:33 pm

    a
    vi da e triste a vida e sofrida mais en algun momentos a vida e linda

  342. 342

    paula said,

    April 15, 2011 @ 1:35 pm

    a inda que eu andi sozinha nao temerei o mrdo pois o senhor estais com migo

  343. 343

    andrey said,

    April 19, 2011 @ 10:09 pm

    Eu tenho um amigão
    Que tem um cabeção
    Na escola ele parece
    O menino malucão

    Tem também o
    Matheus limão
    Que só faz desenho
    Desenho de montão

    E não pode esqueçer
    Do guilhermão que
    Na educação física
    Ele dibla de montão

    Nós na escola faz
    Bagunça de montão
    E os professores
    Fica bem locão…
    gente da sua opiniao por favor

  344. 344

    admin said,

    April 20, 2011 @ 6:54 am

    Andrey:

    Grande Andrey! Excelente o poema pela sua idade. aliás, você está em que ano na escola?

    O poema já nasceu ritmado e rimado, o que é o mais importante. Precisaria apenas de pequenos ajustes métricos e correções no texto.

    Parabéns! Continue escrevendo e me mostrando. Devagar conversaremos sobre os pequenos ajustes no texto de um futuro grande poeta.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  345. 345

    rogerio said,

    April 20, 2011 @ 3:50 pm

    nao sou muito de verso mais me deu um negocio, vou fazer meu poema mais e melhor nao chora se da pena

  346. 346

    rogerio said,

    April 20, 2011 @ 3:58 pm

    quando che go de manhã
    me da um negocio que eu vou comer uma maçã
    quando faço um poema ja ganhei
    meus carates ja sou conheciodo tenho amigos que eu sempre falo ei
    mia sempre continul ganhado premios de rimas obrigado .

    Robson , 10 anos de vida e 5 de poesia

  347. 347

    kathelin said,

    May 3, 2011 @ 12:25 pm

    ola eu sou a kathelin td bem com vc

  348. 348

    admin said,

    May 3, 2011 @ 12:50 pm

    Olá Kathelin:

    Comigo também tudo bem.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  349. 349

    Giovana said,

    May 3, 2011 @ 11:40 pm

    preciso de um poema lindo com o nome giovana por favor

  350. 350

    admin said,

    May 4, 2011 @ 11:33 am

    Giovana:

    Espero que goste de Acrósticos:

    G ostaria de poder
    I nventar algum poema
    O u tratar do mesmo tema
    V endo o dia amanhecer
    A o tratar de uma beleza
    N ascida desta certeza:
    À Giovana oferecer.

    Boa sorte. Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  351. 351

    Guilherme Nascimento said,

    May 4, 2011 @ 12:10 pm

    Fisico de atleta, pensamento de poeta,
    tenho objetivos,algumas metas,
    quero fazer a diferença,
    quero desfrutar da minha sapiência,
    escrever versos com coêrencia,
    porem não sei se tenhu têndencia,
    talvez oque me falte seja experiência.
    Eu quero escrever conforme a metrica,
    quero fazer poesia conforme a estetica.
    Gostaria muito aprender,
    e com meu aprendizando surpreender,
    a dona do meu coração,
    quero usar poesias feitas por mim,
    como forma de expressão,
    e que quando ela leia sinta toda a emoção,
    pois ela é minha fonte de inspiração.

    ( eu gostaria muito de ajuda,pois só estou começando,eu decidi começar pq de certa forma percebi q não é dificil rimar, o dificil é fazer poema e poesia, e sei q as minhas rimas são rimas pobres. E não sei se oq escrevi a cima pode ser chamado de poesia ou poema,tambem nunca fui muito bom com portugues, eu tentei escrever algo seguindo a metrica , só q minhas ideias fugiram a metrica, e não sei se oq me falta eh criatividade, gostaria q me ajudacem apartir das palavras q deixei a cima qlqr ajuda eh bem vinda, obg.)

  352. 352

    guilherme nascimento said,

    May 4, 2011 @ 12:51 pm

    Fisico de atleta, pensamento de poeta,
    tenho objetivos,algumas metas,
    quero fazer a diferença,
    quero desfrutar da minha sapiência,
    escrever versos com coêrencia,
    porem não sei se tenhu têndencia,
    talvez oque me falte seja experiência.
    Eu quero escrever conforme a metrica,
    quero fazer poesia conforme a estetica.
    Gostaria muito aprender,
    e com meu aprendizando surpreender,
    a dona do meu coração,
    quero usar poesias feitas por mim,
    como forma de expressão,
    e que quando ela leia sinta toda a emoção,
    pois ela é minha fonte de inspiração.

    ( eu gostaria muito de ajuda,pois só estou começando,eu decidi começar pq de certa forma percebi q não é dificil rimar, o dificil é fazer poema e poesia, e sei q as minhas rimas são rimas pobres. E não sei se oq escrevi a cima pode ser chamado de poesia ou poema,tambem nunca fui muito bom com portugues, eu tentei escrever algo seguindo a metrica , só q minhas ideias fugiram a metrica, e não sei se oq me falta eh criatividade, gostaria q me ajudacem apartir das palavras q deixei a cima qlqr ajuda eh bem vinda, obg.)

  353. 353

    admin said,

    May 4, 2011 @ 4:06 pm

    Guilherme:

    Não se preocupe com os comprimentos dos versos, mas sim com os seus Ritmos. Não é necessário ao poema ter todos os versos com a mesma quantidade de sílabas, mas o posicionamento das sílabas tônicas dos versos tem de se mostrar coerente, para que o verso se mostre diferente do texto comum. Por exemplo:

    Fisico de atleta, pensamento de poeta,
    tenho objetivos,algumas metas,

    Isso que você escreveu ficaria melhor assim:

    FÍ / si / CO / de-a / TLE / ta
    MEN / te / DE / po / E / ta
    TE / nho-o/ BI / je / TI / vos
    E / al / GU / mas / ME / tas

    Percebeu como, com pequenas mofificações, o pensamento ganhou coerência rítmica?
    O fato dos versos terem ficado do mesmo tamanho foi só uma consequência. Poderia ser assim:

    FÍ / si / CO / de-a / TLE / ta-a / ma / DOR
    MEN / te / DE / po / E / ta
    TE / nho-al/ GU / mas / ME / tas
    E/ o / BI / je / TI / vos / no-a / MOR

    Dois dos versos ficaram mais compridos, mas nenhum deles ficou sem o seu parceiro, tanto no Ritmo quanto nas Rimas. Estude, lá no cabeçalho do site, a postagem Ciência Poética, mais especificamente “A Sílaba Poética e sua Métrica”.

    Grato pela visita e bons estudos.
    Dalton.

  354. 354

    Guilherme Nascimento said,

    May 4, 2011 @ 5:17 pm

    Valeu mesmo Dalton muito obrigado pela dica,
    eu vou estudar sim e me esforçar p aprender e por em pratica !!!
    agradecido pela atenção !!

  355. 355

    murilo said,

    May 6, 2011 @ 11:05 am

    Criado por ti
    Educado na rua

  356. 356

    murilo said,

    May 6, 2011 @ 12:00 pm

    Poxa cara é o dia das maes aqui e nao to focado porque estou no meiu da aula pensando em um texto para minha mae. Pode dizer se este ta bom?

    Criado por ti
    Educado na rua
    Voce trabalhou por mim
    Voce desafiou minhas lutas
    Nunca fui ganancioso
    Nao adianta me testa em um lugar pobre
    ou perigoso…
    Eu sou teimoso
    Ando em chamas sem deixar cair suor do meu pescoço
    Posso ser do gueto mas nao sou mentiroso
    Manos ja tentaram me derruba
    contando com ajuda de outros
    Mas minha mae nao cria otarios
    Veja as cicatrizes no meu corpo
    Nao perco tempo com tattoos
    Porque elas (cicatrizes) fazem me sentir precioso
    Por isso nao tive nenhum centavo no meu bolso
    Porque eu vim da minha mae
    Ela é mais valiosa do que ouro
    Mae porque voce me chama de tesouro
    se eu sou um corno
    Deveria agradecer cada noite por ter voce
    Mas a fome me fez pediz pao e biscoitos
    Deveria te ajuda em vez de dormi o dia todo
    Eu deveria estudar
    em vez de beber so para ficar doido
    Agora percebi que nao é duro ter comida
    mas a vida é mais dura que osso de galinha
    que pena que nao podemos roer a vida
    mas sim amolecer-la
    Obrigado por ter feito a minha vida ficar molinha
    A vida passa e pode fazer agente esquecer
    Nao sou senhor do tempo mas nao deixarei esquecerem de voce

  357. 357

    murilo said,

    May 6, 2011 @ 12:02 pm

    desculpa ae mas o pc aqui owna tudo ;s

  358. 358

    Grazi said,

    May 6, 2011 @ 10:14 pm

    preciso de um poema sobre residuos pra escola, só tenho 9 anos e nao consigo pensar, preciso desse poema até o dia 20/05/11
    me ajudemmmmmmmmmm
    :O :O :O :O :O :O :O :O :O :O :O :O :O :O

  359. 359

    admin said,

    May 7, 2011 @ 6:23 am

    Grazi, minha Linda:

    Fiz um especial para você, com todos os versos começando por uma letra do seu nome. Espero que goste.

    G ostaria de poder ver os
    R esíduos bem aproveitados
    A lumínio tratado com cuidado
    Z inco voltando a ser laminado no
    I nfinito do lixo reciclado

    Boa sorte e volte sempre.
    Dalton.

  360. 360

    murilo said,

    May 7, 2011 @ 6:40 am

    Poxa cara é o dia das maes aqui e nao to focado porque estou no meiu da aula pensando em um texto para minha mae. Pode dizer se este ta bom?

    Criado por ti
    Educado na rua
    Voce trabalhou por mim
    Voce desafiou minhas lutas
    Nunca fui ganancioso
    Nao adianta me testa em um lugar pobre
    ou perigoso…
    Eu sou teimoso
    Ando em chamas sem deixar cair suor do meu pescoço
    Posso ser do gueto mas nao sou mentiroso
    Manos ja tentaram me derruba
    contando com ajuda de outros
    Mas minha mae nao cria otarios
    Veja as cicatrizes no meu corpo
    Nao perco tempo com tattoos
    Porque elas (cicatrizes) fazem me sentir precioso
    Por isso nao tive nenhum centavo no meu bolso
    Porque eu vim da minha mae
    Ela é mais valiosa do que ouro
    Mae porque voce me chama de tesouro
    se eu sou um corno
    Deveria agradecer cada noite por ter voce
    Mas a fome me fez pediz pao e biscoitos
    Deveria te ajuda em vez de dormi o dia todo
    Eu deveria estudar
    em vez de beber so para ficar doido
    Agora percebi que nao é duro ter comida
    mas a vida é mais dura que osso de galinha
    que pena que nao podemos roer a vida
    mas sim amolecer-la
    Obrigado por ter feito a minha vida ficar molinha
    A vida passa e pode fazer agente esquecer
    Nao sou senhor do tempo mas nao deixarei esquecerem de voce

  361. 361

    admin said,

    May 7, 2011 @ 6:51 am

    Criado por ti
    Educado na rua
    Você trabalhou por mim
    Você desafiou minhas lutas
    Nunca fui ganancioso
    Nao adianta me testar em um lugar pobre
    ou perigoso…
    Eu sou teimoso

    Ando em chamas sem deixar cair suor do meu pescoço
    Posso ser do gueto, mas não sou mentiroso
    Manos ja tentaram me derrubar
    contando com a ajuda de outros
    Mas a minha mãe não cria otários

    Veja as cicatrizes no meu corpo
    Nao perco tempo com tattoos
    Porque essas cicatrizes me tornam precioso
    Por isso não tive nenhum centavo no meu bolso
    Porque eu vim da minha mãe
    Que é mais valiosa do que ouro

    Mãe, porque você me chama de tesouro
    se eu sou um corno?

    Deveria agradecer cada noite por ter você
    Mas a fome me fez pediz pão e biscoitos
    Deveria te ajudar em vez de dormi o dia todo
    Deveria estudar em vez de beber só para ficar doido

    Agora percebi que não é duro ter comida
    mas a vida é mais dura do que osso de galinha
    que pena não podermos roer a vida
    e assim amolecê-la

    Obrigado por ter feito a minha vida ficar molinha (?) (molezinha)
    A vida passa e pode fazer a gente esquecer
    Não sou senhor do tempo mas não deixarei esquecerem de você

    Apenas corrigi o texto. Molinha é uma pequena mola.

    Boa sorte.

  362. 362

    Alessandro said,

    May 8, 2011 @ 6:45 pm

    Olá caro Dalton,
    gostei muito desse blog, gosto muito de ler poemas, mas não tenho o “dom” de cria-los. Li cada pergunta sobre os tais poemas e suas respostas para eles, mas encontro muita dificuldade para pensar em criar algum.

    Gostaria que me ajudasse a criar um belo poema, para mim perceber de “como é” feito, assim me ajudando a poder criar outros por minha propria vontade.

    Grato, deste já.

  363. 363

    Alessandro said,

    May 8, 2011 @ 7:38 pm

    Gostaria de compor um que citasse as palavras, Anjo, Sonho, Verdade, Dadiva, Privilégio, Duvida, Realidade, Pergunta, e se não bastasse só essas palavras, como as proprias ja querem dizer, queria fazer deste poema para uma pessoa especial.

    Mais uma vez, agradecido só de ler esses desejos de uma pobre mente incapaz de certos feitos. Obrigado.

  364. 364

    admin said,

    May 9, 2011 @ 10:54 am

    Alessandro:

    Aprender a fazer poemas não é difícil. Basta escrever corretamente e estudar um pouco do que coloquei, no cabeçalho da página principal do site, com o nome Ciência Poética. Quanto ao poema pedido, espero que goste:

    Anjos cercados de sonhos
    Na forte verdade da dádiva
    Se tornam risonhos
    No doce privilégio da dúvida
    De uma realidade conjunta
    Que apenas se pergunta

    Grato pela visita, bons estudos e volte sempre.
    Dalton.

  365. 365

    Alessandro said,

    May 9, 2011 @ 12:40 pm

    Grato pela pela resposta, grato pelo poema, que me serve para um exemplo, e parabenizar mais uma vez o blog e a você por dedicar seu tempo as pessoas que necessitam de ajuda para tal.
    Irei me dedicar a ler o cabeçalho e se não for pedir muito, quando eu conseguir escrever algo, gostaria que me avaliasse.

    Muito obrigado.

  366. 366

    murilo said,

    May 9, 2011 @ 1:54 pm

    Entro na escola com o pe direito e todos saiem correndo
    me sinto muito quente mais do que seu forno fervendo
    meu hobby e toda sexta com meus amigos sair bebendo
    ir pro club das 10 as 10 isso e que eu pretendo

    bebo e caio é o que as putas vem dizendo
    50 conto no bolço delas elas vem foder em forma de agradecimento
    elas preferem chupar meu pau que nem meu bagulho fedorento
    Porra eu nao pago 50 conto para ouvir comprimentos

    enrolar meu bagulho é…
    …que nem desenrola bala (doçe)
    Dinheiro nao me deu vida que nem aquela gente bem arrumada
    Money so deu buceta, casa, droga e roupa lavada
    espero que seja isso que minha mae esperava

    vim de la do gueto amo ser preto
    nao perdemos tudo e voce ficam com uma cara…
    …cara de fome, cara pobre, cara dramatica
    Voces fazem a galera pensa que nao valemos nada
    temos Praia, sol, Homies, mulherada…
    … futebol, carnaval, capoeira e etcetraa!

    Aff adim nao to nem ai se falo errado sabe…
    minha galera entende muito bem e a maioria dos rappers famosos falam errados do que nem eu entao por favor com todo respeito so me fale se meu texto ta bom nao quero ouvir erros :s

  367. 367

    admin said,

    May 9, 2011 @ 5:41 pm

    Murilo:

    Mais uma vez, e agora última.

    Se você não está nem aí para escrever corretamente ou não, mas memo assim quer uma opinião minha, informo que você procurou a pessoa errada.

    Se até hoje, pacientemente, tentei sugerir a você que escrevesse direito foi porque tive alguma esperança de que um dia isso viesse a acontecer, para o bem da literatura brasileira.

    Você está certo. Tem muita gente que gostaria de escrever tão bem quanto você dentre os ilustres Poetas do Rap, portanto vá pedir opinião a eles porque tenho muito mais do que fazer, gratuitamente, para quem humildade e precise de ajuda.

    Esta é a última vez que perco o meu tempo respondendo algo a você. Quando surgem os comentários do site, eu tenho algumas opções como Aprovar, Editar, Responder e Excluir. As três primeiras são as que mais uso, mas agora começarei a dar mais valor para a última no seu caso.

    Fui, e não venha mais.

  368. 368

    admin said,

    May 9, 2011 @ 6:02 pm

    Ellen:

    Se você pretende escrever um texto, evite dar a ele esse título Sem Palavras, pois fica meio absurda a coisa. Tente algo como Em Poucas Palavras.

    Você me perguntou
    O que eu queria ser pra você
    E eu sem saber o que dizer
    Só falei que não sabia
    Quando apenas queria
    Dizer ser só pra você

    A lua que ilumina a sua noite
    O sol que brilha no seu dia
    O vento que lhe toca o rosto
    A água que se banha no seu corpo

    Eu quero ser apenas sua
    E para sempre sua

    Evite começar um texto usando a Terceira Pessoa do Singular (Você), e sem mais nem menos mudar para a Segunda (Te). Pode ficar mais gostoso de ouvir, mas é também mais ruim de ler.
    Tente sempre separar os assuntos dos textos em estrofes próprias, porque além de darem ao poema um formato mais definido, serve para valorizar as partes do texto, o que não ocorre com os textos colocados sem pausas.

    Grato pela confiança, volte quando quiser e boa sorte.
    Dalton.

  369. 369

    Eliseu said,

    May 11, 2011 @ 11:40 am

    Olha! kurti das dicas, mas acrediito que vou fazer alguns poemas

  370. 370

    admin said,

    May 11, 2011 @ 11:45 am

    Eliseu:

    Mas o site é pra isso mesmo. Apenas dar as dicas para que você descubra o poeta que é.

    -Vai Firme!

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  371. 371

    laura said,

    May 12, 2011 @ 6:46 pm

    oi dalton sou laura qria saber se esse poema ta bom;:
    MAE

    minha mae meu mundo
    minha mae meu tudo
    de um lugar bem quente e confortavel eu nasci
    sobre seu colo adormeci
    e sobre os pes de minha mae eu cresci
    nas horas mais dificeis me apoiou
    mas quando estive errada nao me ajudou
    e sim me castigou
    e sempre me perdoou
    mae é um ser unico
    mae é meu tudo
    meu MUNDO!!!

  372. 372

    laura said,

    May 12, 2011 @ 6:48 pm

    rsrs ficou bom/?

  373. 373

    admin said,

    May 12, 2011 @ 7:10 pm

    Laura:

    Para eu lhe orientar sobre poemas, neste instante, seria difícil, porque estou no meio de um trabalho importante, todavia eu dei uma mexida nos mesmos versos e os reagrupei de forma mais adequada.

    Me perdoe pela pressa, ou mesmo pela ousadia de mexer no seu texto:

    Minha mãe meu mundo
    Minha mãe meu tudo

    Do seu conforto quente eu nasci
    E sobre o seu colo adormeci
    Nas horas mais dificeis me apoiou
    Quando estive errada não me ajudou
    E sobre os pes da mãe eu cresci
    Porque me castigou
    Mas sempre perdoou

    Mãe és um ser unico
    O todo do meu tudo
    O fundo do meu MUNDO!!!

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  374. 374

    fernanda said,

    May 19, 2011 @ 12:11 pm

    qundo

  375. 375

    admin said,

    May 19, 2011 @ 12:18 pm

    Fernanda:

    Veja que interessante. No exato momento em que eu postava, na página principal do site, uma Rima do Existencialismo de Newton, você escreveu o seu esclarecedor comentário:

    -qundo!

    Grato pela oportuna observação.
    Dalton.

  376. 376

    fernanda said,

    May 19, 2011 @ 12:23 pm

    quando me deparei contigo imaginei que tivesse encontrado um grande amigo,mas depois de um tempo nassia um lindo sentimento;pensei que estava iludida nao tinha das coisas da vida.tudo isso para mim nao significava nada cheguei ate a pensar que estava apaixonada.o que adianta amar e nao ser amada ou expressar paixao e nao estar apaixonada;quando lembro de voce nao sei o que acontesse sinto que minhas pernas se extremessem ;meu coraçao fica disparado e como se voce estivesse do meu lado;aqui se acaba a historia mas jamais se apagara da minha memoria.

  377. 377

    admin said,

    May 20, 2011 @ 6:16 am

    Fernanda:

    Você quer alguma ajuda com o seu texto, ou simplesmente colocá-lo aqui?

    Aguardo.
    Dalton.

  378. 378

    agislane said,

    May 20, 2011 @ 8:15 pm

    eeu achei lega

  379. 379

    admin said,

    May 21, 2011 @ 7:39 am

    Agislane:

    Então volte sempre. Grato.
    Dalton.

  380. 380

    Renato said,

    May 23, 2011 @ 12:55 am

    Dalton, muitíssimo interessante o seu site. De verdade, aprendo cada vez mais com o que você expõe aqui.
    Tenho minha singela página de poemas e estou pensando seriamente em fazer um livro que mistura contos e poesias. No entanto percebo o quão imatura está essa ideia. Queria sua opinião sincera, Dalton, tanto dos meus poemas quanto da ideia do livro. Se possível, mande-me por email ou como queira.

    http://sitedepoesias.com/poetas/Renatogasp

    Agradeço desde já.

    Ps: Chico Buarque é um Gênio!!!

  381. 381

    um chacal said,

    May 24, 2011 @ 12:14 am

    “O MUNDO ANDA TÃO COMPLICADO”
    Ainda lembro-me daquela ultima tarde que te encontrei foi UM DIA PERFEITO eu lembro que nos despedimos ANTES DAS SEIS, depois eu lembro que parei na praia e pensava o quanto estava feliz de esta com você, e sentia o VENTO NO LITORAL, era como o som da sua voz, aquele dia não sai da minha cabeça.
    Sinto-me às vezes triste por não ter Força naquela época de vencer A MONTANHA MAGICA desse amor e A TEMPESTADE do medo de falar. E HÁ TEMPOS que peço a Deus uma oportunidade de falar sobre os meus sentimentos.
    Espero que não seja TEMPO PERDIDO para dizer que eu sou muito apaixonado por você; e não senti por ninguém o que sinto por você, e o tempo não destruiu esse amor; POR ENQUANTO eu vou ao litoral e sinto o vento como fosse a sua voz e o tempo passa, mas é tão bom aquele vento, meus amigos me chamam e eu digo AINDA é CEDO, e no momento é como você me disse-se pode ir estarei sempre no seu pensamento e amanhã SERÁ melhor que hoje, e dizia EU SEI, ai vou, mas fico pensando sempre em você.
    Um dia estava na praia e conversava com os meus amigos e falávamos dos nossos amores, e em um momento eu propus: VAMOS FAZER UM FILME, e pensamos em alguns nomes, O TEATRO DOS VAMPIROS ou PAIS E FILHOS e o chegamos ao conceito e o nome escolhido foi COMEDIA ROMANTICA, ai começamos a elabora tudo escolhemos uns MENINOS E MENINAS para conta a historia de cada um.
    QUESE SEM QUERER irmos esquecer-nos de colocar os INDIOS, porque o filme seria uma historia que aconteceu em um FAROESTE e teria muitos CABOCLOS.
    E ai formos deixando pra depois e outros compromissos vieram e não tivemos tempo para terminamos.
    Mas sempre falava pra mim mesmo que QUANDO SOL BATER novamente em meu coração
    Faria novamente o filme, e já comecei, mais não sei que serve pra essa GERAÇÃO COCA-COLA, elas só querem MAIS DO MESMO.
    Agora que te encontrei pego o GIZ escrevo todos os dias algo pensando em você.
    E converso o quanto estou apaixonado por você e imagino como vai ser DEPOIS DO COMEÇO é como um METAL CONTRA AS NUVENS para mim isso que sinto; nossas vidas tomaram rumos tão diferentes, mas dentro de mim nada mudou tenho A CRUZ E A ESPADA cravada no meu peito, que poder é esse que vem de você, que QUIMICA é essa?
    Parece uma FABRICA do amor!
    Saiba que ter descoberto a primeira fez a paixão e ter sido por você, é um prazer maior do que O DESCOBRIMENTO DO BRASIL.
    Eu poderia quere muitas coisas na minha vida ate o MONTE CASTELO, mas tudo que preciso é de você SERENÍSSIMA.

    UM CHACAL!

    ah! quero saber se tem algum site para colocar meus poemas e citações para difugar e para meus amigos lerem, obrigado!!!!

  382. 382

    admin said,

    May 24, 2011 @ 8:57 am

    Caro Chacal:

    Esse seu texto não é um poema. Diria que mais parece uma linguagem cifrada, pela presença de fragmentos em letras maiúsculas, mas que tem um endereço certo que só você sabe.

    Talvez, ELA, a razão do seu texto, seja uma frequentadora do Sapiens, portanto, seja lá como for, ou não for, o seu recado está dado.

    Se você quer publicar os seus pensamentos em algum Blog, sugiro procurar o Blog do Nassif, que costuma editar textos de leitores. Tente também criar um Blog particular pelo WordPress, que costuma atender bem os iniciantes.

    Grato pela visita e boa sorte.
    Dalton.

  383. 383

    Fátima Bezerra said,

    May 24, 2011 @ 9:27 am

    Dalton, gostei muito da leitura que fiz com suas orientações a respeito de poesia. Em minha cidade esta acontecendo um concurso literário sobre poesia e quem tirar os três primeiros lugares serão premiados pela instituição que promove o evento. O tema não posso dizer, pois como o seu saite é muito visitado, corro o risco de ser plagiada, mas já tenho algo pronto. Gostaria de ganhar para poder dar a minha mãe um colchão de densidade 32 recomendado pelo médico por causa do seu problema de coluna. Por favor me ajude e me responda através do meu e-mail. Fico no aguardo na esperança que Deus me enviou um anjo que me ajudará a realizar o meu sonho pela a saúde de minha mãezinha.

  384. 384

    admin said,

    May 24, 2011 @ 11:03 am

    Fátima:

    Já respondi por e-mail.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  385. 385

    victoria said, said,

    May 24, 2011 @ 10:28 pm

    eu preciso fazer um poema sobre animais natureza essas coisas e queria muito que voçê^me ajudar-se obrigada

  386. 386

    victoria said, said,

    May 24, 2011 @ 10:29 pm

    eu preciso fazer um poema sobre animais natureza essas coisas e queria muito que voçê me ajudar-se obrigada:)

  387. 387

    victoria said,

    May 24, 2011 @ 10:30 pm

    Eu preciso fazer um poema sobre animais, natureza essas coisas, e queria muito que voçê me ajudar-se obrigada:)

  388. 388

    victoria said,

    May 24, 2011 @ 10:32 pm

    É trabalho e é para apresentar amanhã obrigada:)

  389. 389

    admin said,

    May 24, 2011 @ 10:36 pm

    Victoria:

    Amanhã a que horas?

    Você já escreveu alguma coisa?

    Fico aguardando.
    Dalton.

  390. 390

    Maria Rita said,

    June 1, 2011 @ 12:12 pm

    Nossa adorei o blog
    mas olha você poderia me dar uma ajudinhaa,é para umtrabalho do colégio. Tenho que fazer um poema sobre o bullyng,e não tenho a mínima ideia de como começo.
    Sou meu tapada para isso se você me der ao menos uma estrofe que eu terminarei e mandarei de volta pra ti
    porfavor!!!

  391. 391

    Alessandro said,

    June 1, 2011 @ 2:35 pm

    Olá Dalton,
    não sei se lembra, mas ja comentei em dias passados aqui no seu blog.
    Naquele dia procurava ideias, meios de criar um poema, enfim eu acho que eu consegui. Claro, sem a elegancia ou a competencia de conseguir algo métrico, conforme tanto falado, mas não consigui até então.

    Se fosse possivel, me responder por email, e eu te passar minhas ideias por este, e assim você me avaliar se possivel. Pode ser?

    Grato, abraços

  392. 392

    admin said,

    June 1, 2011 @ 3:29 pm

    Tudo bem Alessandro. Tão logo eu volte à minha caixa de e-mail, escrevo pra você.

    Grato pela confiança.
    Dalton.

  393. 393

    admin said,

    June 1, 2011 @ 3:32 pm

    Maria Rita:

    Posso ajudá-la sim, contanto que você ao menos tente dar uma explicada no que é usado tal termo.

    Grato pela confiança e volte.
    Dalton.

  394. 394

    Maria Rita said,

    June 1, 2011 @ 5:18 pm

    Oi!
    estava anciosa pela resposta.
    Todo ano na minha escola tem um projeto de redação,e esse ano todos tem que fazer um poema do tema relacionado ao bullyng, mas eu não tenho ideia de como fazer!!!
    Sou do 7º ano(6ªsérie)
    Se você me der pelo menos uma estrofe prometo que le darei um poema lindo.
    Grata!

  395. 395

    admin said,

    June 1, 2011 @ 8:10 pm

    Maria Rita:

    Fazer o poema é a parte mais fácil, o difícil é eu interromper o que estou fazendo para achar o significado do termo Bullyng. Procura aí no google e depois volta com a resposta. OK?

  396. 396

    Maria Rita said,

    June 1, 2011 @ 9:23 pm

    Acho que isso ajuda!!!
    Bullying é uma situação que se caracteriza por agressões intencionais, verbais ou físicas, feitas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas. O termo bullying tem origem na palavra inglesa bully, que significa valentão, brigão. Mesmo sem uma denominação em português, é entendido como ameaça, tirania, opressão, intimidação, humilhação e maltrato.”É uma das formas de violência que mais cresce no mundo”, afirma Cléo Fante, educadora e autora do livro Fenômeno Bullying: Como Prevenir a Violência nas Escolas e Educar para a Paz Segundo a especialista, o bullying pode ocorrer em qualquer contexto social, como escolas, universidades, famílias, vizinhança e locais de trabalho. O que, à primeira vista, pode parecer um simples apelido inofensivo pode afetar emocional e fisicamente o alvo da ofensa.Além de um possível isolamento ou queda do rendimento escolar, crianças e adolescentes que passam por humilhações racistas, difamatórias ou separatistas podesm apresentar doenças psicossomáticas e sofrer de algum tipo de trauma que influencie traços da personalidade. Em alguns casos extremos, o bullying chega a afetar o estado emocional do jovem de tal maneira que ele opte por soluções trágicas, como o suicídio.

  397. 397

    admin said,

    June 2, 2011 @ 8:29 am

    Maria Rita:

    Aí está. Quando paro algo importante para escrever um poema, não consigo ser didático e mandar apenas uma estrofe para o aprendiz, todavia, nada a impede de trabalhar sobre essa estrutura entrando com alguns pensamentos seus, mas sempre procurando respeitar Métrica, Cadência e Rima. Ao invés de ficar apenas relatando as qualidades da violência de tais grupos, preferi mandar um recado a cada um dos elementos desses mesmos grupos, que sempre têm um chamado Eminência Parda, que é aquele que só incita à violência mas não coloca a cara na frente. Espero tê-la ajudado.

    Vê Se Cresce, Cara!

    Eu repito
    Que não entro nessa turma ou nessa dança
    Violenta por um bando de crianças
    Dominadas por alguém a se ocultar

    Já foi dito
    Que por trás de todo grupo que se alarda
    Tem um tal que é o Eminência Parda
    Que domina mas só sabe acovardar

    Cada qual no seu caminho
    Quando sente estar sozinho
    Não se arrisca a criar a confusão
    Mas depois quando se junta
    No seu gueto da bagunça
    Se transforma no moleque valentão

    Deixa disso
    Vê se cresce de uma vez nessa cabeça
    Antes que algo pior lhe aconteça
    Vê se encontra o caminho que é só seu

    Seja omisso
    Nessa sua valentia de otário
    Vire homem, mesmo sendo solitário
    Pois assim terá o respeito todo meu

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton

  398. 398

    Maria Rita said,

    June 2, 2011 @ 12:17 pm

    Nossa, agradeço pela ajuda.Não achei que fosse responder de forma tão concreta.
    Mais tarde mandarei o MEU poema. rsrs’
    Grata!
    Maria Rita

  399. 399

    admin said,

    June 2, 2011 @ 1:28 pm

    Maria Rita:

    Vou lhe contar um segredinho. A MPB está cheia de estruturas poéticas que obtiveram grande sucesso quando surgiram. Quando surge um Mote, no seu caso, o do grupo de vândalos, é só puxar pela memória e lembrar de alguma obra semelhante que tratou do mesmo tema. Muda-se então o texto, as rimas, mas se mantendo a estrofação, a métrica e a cadência; fica fácil reconstruí-la em outro poema.

    A música básica do poema que reconstruí para você é Universo do Teu Corpo, de Taiguara. Procure no Yotube, escute, preste atenção na letra e verá que o que foi dito tem muito a haver com a mensagem original, só que menos romântica, claro. Essa é uma boa forma de se exercitar com os poemas. Escolha algumas músicas e tente reescrevê-las com um texto novo. Perceberá que você é bem mais poetisa do que supõe, porque quase todos os compositores fazem isso.

    Boa sorte e volte pra me mostrar.
    Dalton.

  400. 400

    Alessandro said,

    June 5, 2011 @ 2:15 pm

    Grato pela resposta, e aguardo seu envio.

    abraços

  401. 401

    Rosangela said said,

    June 6, 2011 @ 2:29 pm

    Por favor me ajude…preciso fazer um poema com o assunto de um livro “Alex e os indios terenas”. Esse livro conta uma historia de um menino q vai com o pai ate a fazenda da familia para tentar resolver um problema que esta assustando toda o vilarejo e fazendas proximas.Os animais estao morrendo e a agua esta contaminada. La tem muitos indios todos assustados com esse problema. Alex descobre junto com seus novos amigos indios o motivo para aquilo.Era um fazendeiro o sr Ruivo que colocava veneno emtudo para q os fazendeiros vendesse as terras para ele para q ele comprasse ,pois achava q tinha ouro naquela regiao. Esse poema tem que ter esse assunto todo contido nele. nao tem numero de estrofes nem verso. Por favor me ajude! Obrigada!!!

  402. 402

    Dieliane said,

    June 6, 2011 @ 2:50 pm

    Me ajuda?

    Gosto muito de escrever…
    Tenho vários textos, mas não sei bem as regras…
    As vezes penso que fiz um soneto, ora percebo
    um montuado de verso…
    Assim vai, uma dúvida atrás da outra.
    Sera que tem poesia em tudo que escrevo?
    Se paro, sofro
    Não há festa…
    Continuo sem regra?
    Ou você tem uma bibliografia que me interessa?

    Obrigada

  403. 403

    admin said,

    June 6, 2011 @ 3:32 pm

    Dieliane:

    Sugiro que você vá até o cabeçalho da página do site e ache o endereço Ciência Poética. Nele você encontrará todos os endereços capazes de fazê-la compreender o que é o Poema, bem como fazê-lo de acordo com a sua escolha.

    Comece pelo assunto Sílaba Poética.

    Grato pela confiança, bom estudo e, diante de qualquer dificuldade encontrada, volte aqui para orientá-la.
    Dalton.

  404. 404

    admin said,

    June 6, 2011 @ 3:33 pm

    Rosangela:

    Ando meio sem tempo, mas posso tentar algo. Para quando é o seu trabalho?

    Dalton.

  405. 405

    Rosangela said said,

    June 6, 2011 @ 5:20 pm

    O trabalho é para amanhã (07/06/2011) se vc tiver tempo por favor me ajude
    Obrigada

  406. 406

    admin said,

    June 6, 2011 @ 7:47 pm

    Rosangela:

    Só foi possível fazer isso às pressas porque adoro fábulas infantis:

    Era apenas um menino
    Com preocupações pequenas
    Como as de seus amiguinhos
    Vizinhos das tribos Terenas

    A natureza viçosa
    Circundava a casa ao redor
    E era tão majestosa
    Sem ser melhor ou pior
    A casa de uma fazenda
    Era da sua família
    E os terenas na tenda
    Tinham a própria trilha

    Um dia tudo mudou
    Sem se saber a razão
    A natureza adoecera
    O verde quase acabou
    E o rio já sem vazão
    Sem peixes, quase morrera
    Com todos já preocupados
    Com aquela situação

    Surgiu de repente um menino
    Brincando com o seu barco
    Na água e sem direção
    Manejava o seu barquinho
    Feito inteiro de plástico
    Com um galão de herbicida
    O que mostrava ser drástico
    Talvez até suicida

    O indiozinho inocente
    Disse onde achara o barquinho
    Nas terras de um indecente
    Doente de tão mesquinho
    Que tinha a clara intenção
    De envenenar o lugar
    Pra depois tudo comprar
    A preço de ocasião

    Era um tal senhor Ruivo
    Que avermelhara as águas
    E o rio em que se nadava
    Não mais ouvia os úivos
    Dos lobo que o havitava
    Foi quando os amiguinhos
    Se dirigiram ao castor
    Que morava acima nos rios
    Pedindo pra ele ajudar

    Um contingente castor
    Pôs-se então a trabalhar
    E seja lá como for
    Fizeram um dique em favor
    A natureza fez o resto
    Despencando algumas cascatas
    Na casa do impostor
    Que ficando sem um teto
    Ou mesmo sem as bravatas
    Se retirou pro exterior

    E tudo voltou ao normal
    Ou melhor, ao natural
    Os peixes voltaram ao rio
    O vento ao seu assovio
    O lobo ao seu velho úivo
    E nada pro senhor Rúivo

    Boa sorte e depois volte aqui pra contar o resultado. Acho que mereço, não acha?
    Dalton.

  407. 407

    Rosangela said said,

    June 6, 2011 @ 8:04 pm

    Adorei,muito obrigado! Assim que tiver o resultado entrarei em contato contigo! Muito obrigado pela rapidez e preocupaçao da resposta!!!

  408. 408

    admin said,

    June 6, 2011 @ 8:05 pm

    Vai lá garota, mas volte pra contar mesmo.

  409. 409

    Ruy said,

    June 7, 2011 @ 10:50 pm

    Existe pessoas
    Elas tem duvida de um coisa
    Duvida do meu amor
    Duvida de mim
    Mas eu ainda creio
    Que tem alguem
    Que acredita no meu amor
    E acredita que eu faço o bem

    ( esta bom esse? )

  410. 410

    admin said,

    June 8, 2011 @ 9:02 am

    Ruy:

    Tente ser mais econômico e menos repetitivo com as palavras. Veja:

    Há pessoas
    Que duvidam do meu amor
    Que implicam comigo à toa
    Mas ainda creio
    Que há quem me dê o valor
    De no amor não fazer feio
    E também fazer coisa boa

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton

  411. 411

    Rosangela said said,

    June 9, 2011 @ 4:52 pm

    Óla sera que tem como você fazer um poema para mim hoje ? O tema é livre tem q ser formado por 3 estrofes. deve conter 4 versos e as estrofes devem apresentar rimas. Não precisa neste poema tê muitas linguagens complicada de entender tipo linguagem de adultos pq é para meu filho.
    Obrigada

  412. 412

    admin said,

    June 9, 2011 @ 5:41 pm

    Rosangela:

    Por que você não tenta fazer você mesma junto com ele?
    Creio que ficaria bem melhor para o entendimento entre mãe e filho. Faz o poema e traz aqui que corrijo, certo?

    Fico aguardando.
    Dalton.

  413. 413

    Rosangela said said,

    June 9, 2011 @ 5:47 pm

    Gostaria muito de fazer isso so q estou no trabalho e meu filho esta em casa e eu chego muito tarde em casa e quando chego ele ja esta dormindo.
    Vou enviar para o email dele agora, logo apos q vc me ajudar
    Obrigada

  414. 414

    admin said,

    June 10, 2011 @ 7:01 am

    Rosangela:

    Eu queria ser poeta
    E poder cantar com verso
    Mas gosto da bicicleta
    E o futuro é incerto

    Mesmo aqui na minha escola
    Tem um monte de gatinhas
    Que divido com a bola
    Nas diversões que são minhas

    Poeta tem que ter rima
    Nos versos de uma poesia
    O cara fica por cima
    E eu com a minha alegria

    Taí. Não sabendo a idade dele, procurei jogar alguma coisa escrita por adolescente.

    Boa sorte e grato pela confiança.
    Dalton.

  415. 415

    Rosangela said said,

    June 10, 2011 @ 11:11 am

    Obrigada mais uma vez! O resultado da poesia anterior foi maravilhoso,todos gostaram! E com certeza irao gostar dessa tbm! Muito obrigado por essa ajuda,que Deus continue iluminando essa magnifica inteligencia e dedicaçao ! Abraços

  416. 416

    Alessandro said,

    June 12, 2011 @ 3:04 pm

    Dalton, grato por sua ajuda noutro dia.
    Acredito ter conseguido arrumar algumas coisas,
    Mas em termo de ritmar meus versos, não consigo te garantir.
    precisaria que você me ajudasse a rever isso mais uma vez, se não for te incomodar.
    ja lhe enviei o poema outra vez. Desta vez acabado.
    preciso de sua ajuda para terminar de vez até segunda, pois terça será a surpresa.
    haha

    Grato mais uma vez pela ajuda e pelas dicas.

  417. 417

    cleilson gonçalves said,

    June 13, 2011 @ 10:25 am

    bob marley com sua mensagem
    sempre fez surgir na nação
    um sentimento de amor
    e outro de revolução

    eu sempre quis compou rimas mas não sabia por onde começar, fiz essa, e preciso de uma opinião,

    cleilson gonçalves 22 anos.

  418. 418

    admin said,

    June 13, 2011 @ 1:31 pm

    Cleison:

    Isso que você fez se chama Estrofe Quadra, porque possui 4 versos. Como a sua preocupação maior é com a Rima, posso dizer que nunca é bom deixar versos sem rima numa estrofe, como ocorreu com o primeiro e o terceiro. Numa Quadra você tem estas possibilidades: Rima Paralela (v1com v2 e v3 com v4) – Rima Alternada (v1 com v3 e v2 com v4) e Rima Oposta (v1 com v4 e v2 com v3. Por exemplo:

    bob marley com sua mensagem
    sonhou com a nação miragem
    com um amor no coração
    e outro de revolução

    Ou

    bob marley com sua mensagem
    sempre fez surgir na nação
    um sentimento de amor na bagagem
    e outro de revolução

    Ou

    bob marley com sua mensagem
    sempre fez surgir na nação
    o amor como devoção
    E a revolução como bagagem

    As paralelas são consideradas colocações pobres, mas as alternadas e opostas são nobres. Pense sempre nisso antes de compor.

    Não me preocupei com os demais elementos da construção poética. Apenas com as Rimas. Por sinal, aqui mesmo neste site você poderá xeretá-las em Todas As Rimas Brasileiras, que fica no cabeçalho da página do site.

    Grato pela confiança, boa sorte e volte sempre.
    Dalton.

  419. 419

    Alessandro said,

    June 14, 2011 @ 1:31 pm

    Olá, Dalton.

    Rapaz! Obrigado!

    Agora que você enviou o poema todo elaborado, percebi o que queria dizer com escrever o poema em forma de texto no word. Me quebrava toda a cabeça em tentar fazer um texto e dele um poema, mas agora vi como.

    Obrigado mais uma vez pela atenção, pela ajuda, por todo o tempo gasto.
    Darei noticias da reação dela. haha
    Se a minha vale por alguma coisa, fiquei muito impressionado. Muito bom.
    Obrigado

    Abraços e boa semana.

  420. 420

    leonardo said,

    June 15, 2011 @ 7:46 pm

    gostaria de que você me ajudasse com
    um poema sobre o nome dela
    Paula Reis

    Abraços

  421. 421

    admin said,

    June 16, 2011 @ 9:04 am

    Leonardo:

    Embora você não tenha me dito quem é “ela”, escrevi suspeitando ser “aquela uma”.

    P aula, meu destino
    A penas gostaria de fazer
    U m poema de menino
    L embrando o que haverá de ser
    A partir de agora o meu hino

    R efletido no balanço do harpejo
    E u me perco nas raízes do compasso
    I mplorando por um breve ou longo abraço
    S abendo que me encontrarei num beijo

    Boa Sorte, mas estude um pouco de poemas, porque ela certamente gostará mais do que você escreva.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  422. 422

    cleilson gonçalves said,

    June 19, 2011 @ 3:38 pm

    trabalho e criança são antônimos
    isso todos devemos de concordar
    concordar com os direitos da criança
    criança e educação caminhando juntos devem estar

    criança protegida tem que tá
    do trabalho e da exploração
    os adultos devem lhe dá
    amor segurança e educação

    criança tem que estudar
    adulto sim pode trabalhar
    justo sim é criança brincar
    injusto é esse ter que trabalhar

    por favor peço que analise essas rimas,

  423. 423

    Ruy said,

    June 19, 2011 @ 9:54 pm

    vlw me ajudou
    vou tentar criar um outro poema
    VLW

  424. 424

    Ruy said,

    June 19, 2011 @ 10:07 pm

    Mês do verão
    um beijo no coração
    Sol e mar
    estou sempre a beijar
    Entrar e nadar
    No mar
    Quando vejo
    O sol e mar
    Eu penso em rimar
    quando vejo o sol
    nao tenho vontade
    De pegar o farol

  425. 425

    Ruy said,

    June 19, 2011 @ 10:10 pm

    sera q esta bom esse poea grato

  426. 426

    admin said,

    June 20, 2011 @ 8:07 am

    Cleilson:

    Temos três formas para analisarmos a qualidade das rimas:

    Quanto à Colocação delas numa Estrofe, quanto à Vulgaridade dos Sons utilizados e quanto à semelhança nas Categorias gramaticais das palavras.

    Sugiro a você que pesquise em Ciência Poética, cujo endereço está no cabeçalho da página do site, o tema Rimas. Lá você poderá julgar melhor a qualidade delas no seu poema.

    Caso tenha dificuldades, volte aqui e tentarei orientá-lo.

    Grato pela confiança e volte.
    Dalton.

  427. 427

    admin said,

    June 20, 2011 @ 8:15 am

    Ruy:

    Tente colocar as rimas de forma alternada nos versos. Mesmo usando esses sons AR e ÂO, que são os mais vulgares do nosso vocabulário, o poema fica mais nobre. Assim, por exemplo:

    Mês de verão
    Sol e mar
    Um beijo no coração
    Estou sempre a beijar…

    Tente algo assim, sem repetir as palavras nas rimas, que ficará muito bom.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  428. 428

    cleilson gonçalves said,

    June 20, 2011 @ 1:42 pm

    obrigado pela força, e o incentivo.

  429. 429

    Ruy said,

    June 21, 2011 @ 9:44 pm

    vc poderia fazer um poema com

    Ruy Carulli

  430. 430

    admin said,

    June 22, 2011 @ 11:01 am

    Ruy:

    Abra um site só de Acrósticos, negocie bem o produto e volte pra cá para dividirmos, eheh.

    O outro poema seu eu vejo depois.

    R emando contra a maré
    U m dia me perguntei: – Tu és?
    Y es, respondeu-me a consciência inglesa

    C orreu o meu tempo à pé
    A penas buscando a certeza
    R etida na própria pobreza
    U nida por minha fé
    L ançada no próprio espaço
    L evado com dócil passo
    I nventando o futuro até…

    Bom divertimmento.
    Dalton.

  431. 431

    Kláudia 100% said,

    June 27, 2011 @ 4:44 am

    Olá…é a primeira vez que estou visitando e pensei em deixar uma marquinha de que estive por aqui…não é uma poesia ou poema…apenas é a descrição de um sentimento meu.

    Porque conhecí voce?
    Hoje parei pra pensar
    o que me prende a voce
    Finalmente pude entender
    o porque de tanto te querer
    Minha vida era rotina
    Não existia paixão
    Derrepente voce chegou
    E despertou o meu coração
    Sentindo uma atração absurda
    Eu te procuro
    Ao mesmo tempo recuo
    Por saber que não há futuro
    Preciso me afastar,preciso te deixar
    É dificil e sofrido
    Porque o que eu quero é ficar
    Pensando tento achar uma saída
    Pra ficar fora da tua vida
    Mas tudo o que eu faço
    Me arrasta pra voce
    E eu sigo aderiva
    Sempre ao teu encontro
    Me sinto atraída
    Me sinto perdida e desorientada
    Sem forças pra te deixar
    Eu sigo calada
    Me retiro por um tempo
    Mais a saudade me agita
    Me enlouquece e quase grita
    Querendo te encontrar
    Eu volto derrotada
    Não entendo mais nada
    Se não era pra ter voce
    Porque tive que te conhecer?
    Quando te vejo meu corpo reclama
    Eu não quero
    Mais tudo em mim te ama
    Sinto uma alegria sem fim
    Sempre que voce procura por mim
    Já fiz de tudo que podia
    Tentando te evitar
    Me diz como renunciar
    Se tudo o que eu quero
    É te amar!!!
    Uma música acompanha bem este “sentimento escrito aqui”
    Felipe e Falcão – Seguindo Seus Passos.
    Tenho ele gravado em video por um amigo da Flórida com uma voz linda…esta no meu canal do youtube…é só procurar por Kláudia 100%…ou klaudiasolitaria
    Beijus.

  432. 432

    admin said,

    June 27, 2011 @ 7:43 am

    Kláudia:

    Sugiro a você esta aqui:

    http://www.youtube.com/watch?v=H263F_Ds298

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  433. 433

    Kláudia 100% said,

    June 27, 2011 @ 11:29 pm

    Olá Dalton!
    Obrigada amigo,ameiiii…que letra linda!
    Beijus.

  434. 434

    Isaac Almeida said,

    July 2, 2011 @ 2:51 pm

    Olá, peço que divulguem.

    1º Concurso Nacional Novos Poetas
    Prêmio Augusto dos Anjos
    Inscrições Gratuitas
    Até 12 de Julho
    Pelo site:
    http://www.concursonovospoetas.com.br
    Realização Videira Editora

    Obrigado
    Isaac Almeida

  435. 435

    admin said,

    July 3, 2011 @ 4:05 am

    Pronto Isaac:

    Iniciativas como essa da Videira Editora são sempre bem vindas.
    Boa sorte a todos.

  436. 436

    Thallyta SanTtos said,

    July 18, 2011 @ 8:00 pm

    ‘Eu falei com a minha mãe, ela me falou que isso era uma pessima idéia.
    Ela ainda disse que se eu realmente, Quisesse algum trabalho não tentaria isso porque, não tenho nenhum futuro pela frente.
    Fiquei bastante triste, mais afinal ela tá certa mesmo.. Obrigado poor tuudO.

  437. 437

    admin said,

    July 18, 2011 @ 10:17 pm

    Thallyta:

    O crescimento de uma pessoa é proporcional à sua capacidade de decisão própria. Isso requer vários fatores, sobre os quais pouco poderei opinar, em benefício da estabilidade familiar, mas, mesmo assim, nunca é demais lembrar de alguns ensinamentos contidos na MPB, como, por exemplo, a música Roda-Viva de Chico Buarque:

    Tem dias que a gente se sente
    Como quem partiu ou morreu
    A gente estancou de repente
    Ou foi o mundo então que cresceu
    A gente quer ter voz ativa
    No nosso destino mandar
    Mas eis que chega a roda viva
    E carrega o destino prá lá

    Roda mundo, roda gigante
    Roda moinho, roda pião
    O tempo rodou num instante
    Nas voltas do meu coração

    A gente vai contra a corrente
    Até não poder resistir
    Na volta do barco é que sente
    O quanto deixou de cumprir
    Faz tempo que a gente cultiva
    A mais linda roseira que há
    Mas eis que chega a roda viva
    E carrega a roseira prá lá

    Roda mundo, roda gigante
    Roda moinho, roda pião
    O tempo rodou num instante
    Nas voltas do meu coração

    A roda da saia mulata
    Não quer mais rodar não senhor
    Não posso fazer serenata
    A roda de samba acabou
    A gente toma a iniciativa
    Viola na rua a cantar
    Mas eis que chega a roda viva
    E carrega a viola prá lá

    Roda mundo, roda gigante
    Roda moinho, roda pião
    O tempo rodou num instante
    Nas voltas do meu coração

    O samba, a viola, a roseira
    Que um dia a fogueira queimou
    Foi tudo ilusão passageira
    Que a brisa primeira levou
    No peito a saudade cativa
    Faz força pro tempo parar
    Mas eis que chega a roda viva
    E carrega a saudade prá lá

    Roda mundo, roda gigante
    Roda moinho, roda pião
    O tempo rodou num instante
    Nas voltas do meu coração (4x)

    http://www.youtube.com/watch?v=HRFw5u5wR4c

    Estarei sempre por aqui, volte sempre.
    Dalton.

  438. 438

    Ruy said,

    July 19, 2011 @ 8:46 am

    obrigado

    hoje é verão
    pela praia
    vou passear com o cão
    quando eu te encontrei
    no restaurante
    acordei
    pensando em você
    Te amo
    Você é como uma flor
    quando eu estou dormindo
    penso em você
    Minha flor

  439. 439

    admin said,

    July 19, 2011 @ 10:07 am

    Ruy:

    Não sei se no mês passado confundi o seu nome com o de outro Ruy, mas pude localizar esse seu comentário sem uma resposta minha, portanto, peço perdão pela deselegância do atraso na resposta.

    Quanto ao seu poema, fiquei confuso quanto aos tempos nas conjugações. Veja:

    obrigado

    hoje é verão
    pela praia
    vou passear com o cão

    Este fragmento está no Presente do Indicativo. Para que tenha lógica no restante do texto, é fundamental que esteja isolado numa estrofe, para separá-lo do que foi dito posteriormente e conjugado no Passado:

    quando eu te encontrei
    no restaurante
    acordei
    pensando em você
    Te amo
    Você é como uma flor
    quando eu estou dormindo
    penso em você
    Minha flor

    Outra possibilidade é você, ao invés de dizer “Vou passear” , mudar para “Fui passear”. Escolha uma das possibilidades e volte para continuarmos a conversa.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  440. 440

    jonatas cruz braz said,

    July 19, 2011 @ 5:15 pm

    Olá Danton

    Vi que você é um profundo conhecedor, sobre poemas, versos, músicas… muito boa suas analises e dicas.

    Se puder me ajudar, dar alguma dica opinião sobre este texto que fiz, escrevo algumas coisas em forma de poema outras não e transformo em música.

    segue abaixo:

    Presente constante

    Eu sou, a minha liberdade
    Vivo, as minhas verdades
    Minhas manias, eu não vou contar
    Eu não vou contar…

    Não sou, melhor do que ninguém
    Sou apenas mais um no meio da multidão
    Buscando, o meu espaço

    Vivendo, lutando e sonhando

    Sinto que estou no melhor momento da minha vida
    Vivendo e aproveitando os momentos que ela me proporciona

    Estou feliz com tudo, que esta acontecendo

    Mais sigo, vivendo, lutando e sonhando

    Minhas angústias, ficaram para traz
    Meu coração, imensa alegria e paz
    E o medo, já não me ronda mais
    Já não me ronda mais…

    Não sou, escravo de ninguém
    Muito menos, o dono de alguém
    Mais sei, em quem confiar

    Vivendo, lutando e sonhando

    Sinto que estou no melhor momento da minha vida
    Vivendo e aproveitando os momentos que ela me proporciona

    Estou feliz com tudo, que esta acontecendo

    Mais sigo, vivendo, lutando e sonhando

  441. 441

    admin said,

    July 22, 2011 @ 7:53 am

    Jonatas:

    Quando queremos aprender a transformar um texto em poema, bem como colocar música no pensamento, o melhor é deixarmos o poema com os versos parecidos nas quantidades de sílabas formadoras, pois facilita a harmonia.

    Sugiro que inicie o aprendizado lendo algo sobre A Sílaba Poética e Sua Métrica, que consta nos endereços – Ciência Poética e Glossário Poético – que se encontram no cabeçalho da página frontal do Sapiens.

    Uma outra dica: Corrija esse erro de confundir MAS com MAIS, pois a coisa fica melhor com o texto escrito corretamente.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  442. 442

    PC Freitas said,

    July 25, 2011 @ 5:46 am

    Dalton,

    Gostaria de saber sua opinião sobre este poema. Junto me diga o que mais de fazer para melhorar. Indique-me também livros dos quais poderei ter um maior conhecimento, não só sobre a poesia, mas a literatura.

    De Repente

    De repente uma atroz tempestade
    Com a Face rosada e na boca mel
    Fez-se bonança na minha cidade
    Pensei na maldade
    Esta calamidade vinda do céu
    De repente não pensei

    De repente jurou o amor paz
    Fez de minha mente boa
    Esta que era tão falaz
    Sem pensar no que mais
    Taquei-me duma proa
    De repente senti

    De repente fui travesso
    Mesmo e paz queria caça
    Topei com meu reflexo me virei do avesso
    Chorei o precipício duma taça
    De repente sou eu

    De repente me abalou
    Desse amor rogo ao senhor
    Mas de repente não feneci
    De repente o amor
    Seja um levado louvor
    De repente te conheci

    O poema é este, desde já fico grato. Queria te lembrar de esquecer de me falar sobre a metrica, é uma questão que ainda não aprendi -e muitas outras- então queria além da analise um melhor conteúdo sobre essas questões.

  443. 443

    PC Freitas said,

    July 25, 2011 @ 6:05 am

    Eita! Mandei sem perceber, houve um erro na terceira estrofe.

    Corrigindo…

    “De repente fui travesso
    Mesmo com a paz queria caça
    Topei com meu reflexo, me virei do avesso
    Perdi-me a lança, que não conheço
    Chorei o precipício duma taça
    De repente sou eu”

  444. 444

    admin said,

    July 25, 2011 @ 11:09 am

    PC Freitas:

    Comecei a responder ontem e terminei só hoje. Como a resposta ficou longa, e útil para os demais leitores, tomei a liberdade de colocá-la na forma de postagem oficial do site. Espero não tê-lo decepcionado, mas a primeira resposta às suas dúvidas estão no endereço http://mpbsapiens.com/nascimento-poema/

    Grato pela confiança, pelo nascimento de uma nova postagem e volte sempre.
    Dalton.

  445. 445

    Felipe Lopes said,

    July 26, 2011 @ 4:46 pm

    Amizade é uma coisa muito boa,
    mais tem hora que é muito boba
    na hora de brincar,
    vamos se alegrar
    e quando não estou por perto,
    eles vão me chamar,
    para nós ir brincar.

  446. 446

    Robert said,

    August 14, 2011 @ 8:41 pm

    Eu ainda não consigo fazer poesia poderes me ajudate??????? mais?????

  447. 447

    admin said,

    August 15, 2011 @ 8:50 am

    Robert:

    Posso sim ajudá-lo. Escreva um texto simples e lhe mostrarei como transformá-lo em poema.

    Está bom assim?

    Grato pela visita e volte.
    Dalton.

  448. 448

    Raíssa do Vale said,

    August 17, 2011 @ 12:03 am

    é meu primeiro poema e o tema não é muito incentivador,mas tenho conteúdo porém não facilidade para rimas.Pode me falar se ficou bom? e se tiver algo para corrigir por favor me fale ^^ obrigada

    ”O começo da informação

    A imprensa Régia é um órgão de publicação
    É o principal legado da época de 1808
    Que veio ao Brasil com um pessoal de outro comboio
    E até hoje presta importante serviço a nação.

    Já foi chamada de Tipographia Nacional,Tipografia Imperial
    Mas o que realmente ficou foi imprensa nacional.
    Foi o avanço da cultura e da nacionalidade,
    Que trouxe ao país uma eterna versatilidade.

    E junto com ela a mulher se apoderou
    Se apoderou da importância,
    Como fez Joana França.

    Como primeira servidora tinha muita responsabilidade
    Mas também uma grande felicidade,
    Pois foi o marco de uma evolução
    Designado à população.”

  449. 449

    admin said,

    August 17, 2011 @ 8:37 am

    Raíssa:

    Essa sua Descrição Poética ficou boa. Há alguns detalhes que poderiam torná-la melhor, como, por exemplo, dividir os assuntos dos versos mais longos em novos versos, tornando ambos mais curtos. Quanto ao uso das rimas, sugiro que tente, desde o início, fazer com que os versos rimem de forma Alternada (1 com 3, 2 com 4…).

    Tente reescrever o poema, já usando essas dicas que dei, e o coloque novamente aqui para discutirmos.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  450. 450

    SuúH said,

    September 2, 2011 @ 3:39 am

    Por favor, me ajude. Não consegui aprender nada lendo sobre estrutura de um poema, mas peço que me oriente.
    Se possível, divida as estrofes e deixe-o estruturamente adequado. Preciso muito desse poema bem padronizado o mais rápido possível. Mude o que tiver que ser mudado, só peço que me ajude. Conto com você.
    Com relação aos erros de português, corrija. Até agradecerei, pois bem sei o quanto um professor deseja que aprendamos o português.

    Parecia sonho, mas pesadelo se tornou.
    Parecia mágica, mas feitiço virou.
    Pensava que estava na estrada
    Da felicidade tão almejada
    Felicidade que nunca imaginara.
    Mas que pena, era mito.
    E o pobre coração ficou ferido
    E de tanto maltratado
    Este pobre coração magoado
    Em dois se partiu
    E assim desistiu
    Decidiu não mais lutar
    Para a tal felicidade encontrar
    E o tempo passou
    Dito tinha pra si:
    ‘tanto amei que me feri
    Mas sendo assim, decidi.
    Coração magoado
    Nunca mais se sentirá amado
    E nem lembrará que um dia amou’
    Mas um dia quase que sem querer
    Voltou a viver
    Pois humano se sentiu
    Quando da escuridão saiu
    E um outro alguém encontrou
    Resistir tentou
    Mas não há resistência
    Quando se encontra o verdadeiro amor
    Reviver tentou,
    Felicidade encontrou
    Sonhou, amou e assim feliz se tornou.

    Agradeço desde já.

  451. 451

    admin said,

    September 2, 2011 @ 9:05 am

    SuúH:

    Não tenho tido muito tempo para parar por aqui, portanto refiz o poema procurando manter a base do seu pensamento. Espero que goste:

    Parecia sonho
    Mas era pesadelo medonho
    Parecia mágica
    Mas virou bruxaria trágica.

    Pensava que estava na estrada
    Da saudade que só imaginara
    Na felicidade tão almejada

    Mas que pena, era mito
    E de tanto maltratado
    O coração se partiu
    Depois ficou mais aflito
    E este peito magoado
    Por fim desistiu

    Deixou de almejar felicidade
    Que se iludia em encontrar
    Preferiu ter a certeza da saudade
    Decidiu não mais lutar

    Hoje, apenas diz para si:
    -Na ilusão de ser amado
    Acabei só magoado
    E com o amor eu me feri!

    -Nunca mais se sentirá amado
    E jamais lembrará que amou!

    Depois de um tempo renasceu
    Da escuridão se fez luz
    Lembrando do que sofreu
    Mas outro alguém o conduz

    Nada como a experiência
    Sentida na própria pele
    Na forma de cicatriz
    Pra refazer a existência
    Nas mãos de quem mais a zele
    E apenas a faça feliz.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  452. 452

    SuúH said,

    September 2, 2011 @ 12:57 pm

    mas me diz uma coisa. Se eu dividir as estrofes mais ou menos
    como você dividiu fica em forma padrão?

  453. 453

    admin said,

    September 2, 2011 @ 5:22 pm

    SuúH:

    O único padrão que podemos imaginar para as estrofes está associado ao Período Sintático da gramática, cujas orações são os seus versos, porque o poema não passa de um texto normal, cujo pensamento total é dividido em explicações parciais que definem os parágrafos.

    Por questões de Estética, alguns poetas optam por deixar todas as estrofes com a mesma quantidade de versos, mas isso não é uma regra. Não é raro o poema que se apresenta descrito em Estrofes Décimas (10 versos), entremeadas por Estrofes Monósticos (1 verso). Para tal, basta que o verso único inicie e encerre o assunto. Uma exclamação, por exemplo.

    Leia Estrofação, Versificação Regular e Irregular.

    Bom estudo.
    Dalton.

  454. 454

    bruna said,

    September 6, 2011 @ 8:12 pm

    ficou o maximo lola said

  455. 455

    admin said,

    September 7, 2011 @ 2:39 pm

    Bruna:

    Então volte sempre. Grato pela visita.
    Dalton.

  456. 456

    Rafael said,

    September 9, 2011 @ 2:22 pm

    Bah não sei se fikou boa a poesia mas se vc poder me dar alguma dica pra melhorar ela fikarei grato ….( AH É A PRIMEIRA VEZ QUE EO FAÇO UMA ”POESIA”)

    Teos olhos verdes são mais lindos que a aurora do amanhecer pois só olhando pra eles que eo consigo viver,e não adianta eu tentar te esquecer ,porque a aurora me faz lembrar de viver…

  457. 457

    admin said,

    September 10, 2011 @ 7:10 am

    Rafael:

    Tudo indica que você seja gaúcho, portanto aceite o meu complemento como homenagem. Quanto ao poema, procure dividir o pensamento em versos e ter mais atenção na escrita das palavras, porque mulher nenhuma gosta da coisa feita sem capricho.

    Teus olhos verdes são mais lindos
    Que a aurora do amanhecer
    Que agora se mostra infindo

    Pois só consigo viver pelos pampas
    Se eu puder contemplá-los
    Não adianta eu tentar te esquecer pelas tantas
    Auroras feitas para lembrá-los

    Grato pela confiança, pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  458. 458

    Rafael said,

    September 10, 2011 @ 11:43 am

    sim sim sou gaúcho obrigado gostei mt …

  459. 459

    sarah said,

    September 14, 2011 @ 8:48 am

    este site e muito legal parabens a quem o fez

  460. 460

    admin said,

    September 14, 2011 @ 1:11 pm

    Sarah:

    Grato pela visita e elegância.
    Dalton.

  461. 461

    Junior Lois said,

    September 17, 2011 @ 4:04 pm

    O Grande irmão
    Em todos os momentos
    se fez presente
    mesmo sendo
    pequeno irmão

    Provaste tu ser irmão grande
    Apesar de ser irmão pequeno
    De certo es tu um Grande irmão

    Onde passo … vejo irmãos
    Seja eles pequenos irmãos
    Irmãos pequenos, irmãos grandes
    e Grandes irmãos.

    Estão eles espalhados
    Por todos os lugares
    Alguns os conheço
    Outros não

    Más o que importa
    E que todos são
    Meus irmãos

    Que presente
    Que bença divina
    Saber que todos
    São meus irmãos!

  462. 462

    admin said,

    September 17, 2011 @ 7:51 pm

    Junior Lois:

    Grato pela colaboração e volte sempre.
    Dalton.

  463. 463

    Jack said,

    September 29, 2011 @ 8:29 am

    Olá,Dalton.

    Gostei muito do site,me ajudou bastante na minha Prova de Redação.

    Abraços,Jack

  464. 464

    admin said,

    September 29, 2011 @ 9:11 am

    Jack:

    O fato de tê-lo ajudado de alguma forma só mostra que devo continuar sempre. Grato pela confiança e volte toda vez que precisar.
    Dalton.

  465. 465

    Fábio said,

    October 2, 2011 @ 4:27 pm

    Dalton

    Em primeiro lugar, parabéns pela página. Espero poder trocarmos algumas idéias.

    Seguem uns versos para sua análise, ok?

    Não precisava ser assim
    quero ser livre como qualquer pessoa
    você me aprisiona em mim
    sinto minha vida vivida à tôa

    Não sou mais uma criança
    posso tomar minhas decisões sozinho
    o piá ficou na infância
    me deixe seguir feliz o meu caminho

    Não sei porque você ainda resiste
    quanto tempo isso vai durar
    com nós dois nunca existiu nada triste
    assim é difícil sonhar

    Mas nem imagine que eu não te amo
    quero é que todos saibam
    mesmo que assim pásse a cada ano
    que pai e filho se amam

    Não podemos perder o nosso tempo
    com brigas na empresa
    que tenhamos pelo menos o alento
    de falarmos com leveza

    Desejo profundamente de coração
    para o resto da vida
    que seja sempre forte nossa união
    e nunca interrompida

    Amigo, essa foi a terceira tentativa nos meus 34 anos de vida de fazer um poema. Não encontro os dois anteriores para postar. Tive vontade de escrever depois de analisar a vida do meu ídolo Raul Seixas e ficar me deliciando com uma caixa de cd’s do Noel Rosa. Assim pude analisar as letras, rimas e contexto histórico dos temas das músicas. Coisas que me fascinam, me apaixonam…

    Grande abraço
    Fábio M.
    Poa-RS

  466. 466

    admin said,

    October 3, 2011 @ 8:28 am

    Fábio:

    Belo poema “tchê”!

    Tanto na construção poética quanto na profundidade do texto. Foi a primeira vez que me deparei com o estratégico pensamento de estar “aprisionado a si” pelo pai. Genial.

    Um dos maiores problemas da educação brasileira é a perda do diálogo familiar, o que impede que a Tradição Oral siga o seu curso normal de manter as raízes culturais do país, e essa sua forma de recuperação do relacionamento entre as gerações imagino ser a mais adequada, justamente pela leveza da não competição.

    Não perca a vontade de escrever poemas, porque você tem a Lira. Basta usá-la, que os versos se encaixarão cada vez mais com as rimas.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  467. 467

    Fábio said,

    October 4, 2011 @ 9:34 am

    Pô, bixo, muito obrigado pelo elogio. Fiquei surpreso pelo teu retorno ser positivo dessa maneira. E mais surpreso ainda por “ter a lira”…..Valeu mesmo.

    Dalton, pretendo, sinceramente, continuar a escrever, afinal de contas, senti como que uma terapia produzir algo, escrevendo, e ainda ter um razoável resultado. Assim te pergunto: tu me indicarias algum material para eu ler e assim refinar minhas palavras, textos?????

    Assim que der te mando mais algumas coisas,ok??

    Abração
    Fábio

  468. 468

    admin said,

    October 4, 2011 @ 10:09 am

    Fábio:

    As leituras podem, e devem, ser variadas. Todo poeta é, por natureza, um retratista do interior alheio pelo próprio, e suas estratégias descritivas vêm dos motes extraídos das leituras.

    Por incrível que pareça, muito do que Chico Buarque escreve nas músicas é retirado da Bíblia. Embora os textos mais antigos sugiram a idéia de ultrapassados, muitas vezes são vistos como novidade, tamanha é a distância cultural entre o atual e o passado.

    Por exemplo, as traduções das aventuras de Júlio Verne sempre foram muito bem abrangentes. Livros como O Homem Que Calculava (Malba Tahan), mesmo iludindo trilhas mais voltadas à Matemática, possuem um poder descritivo cativante e levam a mente do poeta a caminhos inimagináveis.

    Vinícius de Moraes e Gilberto Gil são excelentes narradores poéticos mais elaborados, por outro lado, não menos importante é a obra de Paulo Cesar Pinheiro, que possui uma penetração popular muito maior.

    São várias as sugestões, mas creio que essas especificadas já abram inúmeras portas para você.

    Boa sorte, abraços e volte sempre.
    Dalton.

  469. 469

    Fábio said,

    October 4, 2011 @ 11:57 am

    Mas que beleza, Dalton. Chico Buarque e Vinícius de Moraes eu tenho ouvido e lido muito à respeito. Faz pouco que acabei de ler o livro do Chico…”Histórias de canções” do Wagner Homem. Então dessas fontes estou e sempre fui muito sedento. Pelo jeito estou no caminho e suas dicas estão me fazendo muito bem.
    Desde já te agradeço muito.

    Mas tchê, preciso tirar uma dúvida do coração aqui: porquê eu tenho a sensação de que qualquer pessoa pode fazer um simples poema??? No fundo sinto uma necessidade de construção muito forte, mas ao mesmo tempo tenho essa dúvida que talvez me deixe a estima um pouco baixa…independente do que eu produzir, não foi mais do que o vizinho aqui e ali não possa fazer…
    Encontrei no “escrever” uma boa válvula de escape que está começando a deixar minha vida mais leve…

    Abração, meu novo amigo, e obrigado por tudo.
    Fábio

  470. 470

    admin said,

    October 4, 2011 @ 12:12 pm

    Fábio:

    Essa incerteza é comum aos poetas natos, como você, e nem um pouco presente em analistas, como eu, que sabe até escrever versos bonitos, numa construção poética simétrica, mas que não tem o sentimento inconsciente do texto que está por vir sabe-se lá de onde.

    Um dos grandes desgostos de certos poetas é, diante de uma análise bem feita do poema, descobrir que escreveram sobre coisas que jamais imaginaram na hora da tradução da inspiração pelas palavras. Alguns, como o Chico, até se ofendem quando um cara como eu descobre certas coisas acerca de uma composição musical.

    Se você tiver um tempinho, procure no Índice Geral do cabeçalho a postagem sobre Angélica e a Poesia dos Anjos do Chico. Entenderá bem as diferenças entre um poeta e um analista, sem que seja vergonhoso para qualquer deles ignorar a arte do outro.

  471. 471

    Fábio said,

    October 4, 2011 @ 1:55 pm

    Bah, Dalton, “poeta nato”???? Jamais sonhei ser chamado assim…. Mas que situação diferente está acontecendo na minha vida depois desse texto que te mandei…minha cabeça não pára de rodar!! Estou muito contente com essa descoberta de escrever, ainda mais com o seu retorno e espécie de “aval”.
    Assim que eu conseguir vou ver essa postagem que você me recomendou. E vou procurar ler tudo que puder, além de ser um prazer quero refinar futuros textos.

    Abraço
    Fábio

  472. 472

    Fábio said,

    October 4, 2011 @ 3:43 pm

    Tchê, aqui vai um agradecimento. Fiz agora no carro, antes de voltar para o serviço.

    Mas que surpresa boa
    descobri uma novidade
    não sou qualquer pessoa
    pintou poeta na cidade

    Jamais pensei em letras
    gostava pouco de estudar
    lia menos poemas
    não sonhava aqui chegar

    Mas para meu espanto
    boca aberta, estupefato
    tem um cara e tanto
    me diz: “poeta nato”

    Esse amigo, Dalton
    que incentivou o meu pensar
    é um mestre muito bom
    pois muito ajuda a sonhar

    Estou é motivado
    para seguir essa estrada
    aqui vai “obrigado”
    à você novo camarada

    Eheh….um poema bom humor agradecido..

    Abraços

  473. 473

    admin said,

    October 4, 2011 @ 4:19 pm

    Bah, meu irmão
    Nessa condução
    Escreve a canção
    Nessa terra dos pampas
    Escalando novas rampas
    Nos caminhos dessas tantas da emoção

    Eu só liguei
    Ou incentivei
    O que mesmo sei
    Lembrei desse seu Rio Grande
    De outrora ou doutro instante da razão

    Que já fez poeta
    E bem teve a meta
    Nos manteve a seta
    Numa mesma reta com orgulho
    Nos brindando com Getúlio à direção

    Muito do que aprendi sobre poemas, devo aos Farroupilhas. Muito do que entendi sobre a enigmática música Vai Passar, devo ao Getúlio Vargas. Só não costumo ficar enfiado nos fandangos que nem Bugio de Proveta. Abraços, poeta.

  474. 474

    Fábio said,

    October 4, 2011 @ 4:38 pm

    Mas barbaridade
    Fiquei mais feliz que lambari em sanga
    Aqui da cidade
    Teu aprendiz sabe:poema tu é que manja

    eheheh….bah, mas depois desse teu poema gaudério sensacional desisto de escrever…eheh

    Valeu, Dalton
    Abraço

  475. 475

    admin said,

    October 4, 2011 @ 4:42 pm

    Outro abraço, mas continue escrevendo, porque o Rio Grande e o país estão muito carentes dos seus poetas novos.

  476. 476

    Fábio said,

    October 4, 2011 @ 4:47 pm

    Obrigado. Vou continuar, sim. Assim que der encaminho novos textos.

    Fábio

  477. 477

    adriana said,

    October 4, 2011 @ 11:09 pm

    gostaria de fazer um poema do lugar que moro. só que não estou conseguindo. moro em uma comunidade , que algum tempo era um terror , hoje em dia está bem melhor.por favo me ajude? abraços.

  478. 478

    Fábio said,

    October 5, 2011 @ 1:32 am

    Buenas, Dalton

    Encontrei os outros dois textos que eu não localizava. Seguem para sua apreciação. Em ordem, seguem o primeiro que fiz e o segundo. O terceiro é o da relação pai e filho, já publicado.

    1.

    Tenho saudade de um tempo
    onde brincava na rua
    voava com os amigos como o vento
    e só ia dormir no brilhar da lua

    Nunca pensei que tudo passava depressa
    sinto a agonia no peito só da lembrança
    é que a vida vez em quando prega peça
    e não avisa quando não se é mais criança

    Mesmo assim a vida continua
    a maturidade vem com a mulher que se ama
    junto de uma filha que é sua
    e a família feliz dorme unida na cama

    2.

    A força vem quando menos se espera
    seja forte e não se entregue
    no fundo temos em nós uma fera
    que briga brabo quando se deve

    Aguente firme o breve problema
    não deixe a tristeza ganhar
    siga em frente sem dilema
    pois seu único lema deve ser se amar

    E para terminar, olhe para cima
    lembre-se sempre com a cabeça em pé
    você domina sua auto estima
    continue em frente e siga com fé

    Estou aguardando de forma sofrida o fim de semana para poder produzir alguma coisa mais, já que essa semana tenho chegado tarde e não consigo tempo para escrever. Se sairem algumas palavras, te encaminho.

    Abraço
    Fábio

  479. 479

    admin said,

    October 5, 2011 @ 7:45 am

    Adriana:

    Ajudo sim, com prazer, mas para isso dependo de melhores informações sobre o local, pois as expressões “era um terror” e “está bem melhor” são muito amplas.

    O terror era em que aspecto? Criminalidade, saneamento básico, educação?

    Preciso de dados mais específicos para contar como “a coisa melhorou”. Escreva alguma coisa que gostaria de mostrar e transformaremos o seu pensamento em poema.

    Fica bom assim?

    Grato pela confiança e fico esperando um retorno seu.
    Dalton.

  480. 480

    admin said,

    October 5, 2011 @ 8:38 am

    Fábio:

    Todo poeta tem na memória um instante fotográfico de uma espécie de quadro, o qual traduz por palavras na forma de poema. A esse conjunto mágico dá-se o nome de Inspiração. O maior problema do poeta é conseguir traduzir a grandiosidade do quadro pelas limitadas palavras do código verbal. Pelo fato de sempre imaginar o texto original como incompleto, ele começa a lapidá-lo como se fosse um ourives diante de uma pepita bruta. É nessa fase que entram os elementos da Ciência Poética, tais como Ritmo Poético, que induz os versos ao Equilíbrio Métrico, Estrofação e Rimas; sem esquecer que quem manda nos restantes é o Ritmo.

    Seus poemas chegam a mim como gemas poéticas, e o máximo que posso fazer é ousar dar alguma dica de lapidação. No momento, ousarei diretamente só nas Rimas.

    As Rimas Alternadas (1-3, 2-4) são nobres, mas não únicas em nobreza. Tente também usar as Rimas Opostas (1-4, 2-3) em outras estrofes. Por exemplo, coloque Alternadas numa Quadra (1-3, 2-4) e faça a estrofe seguinte na forma de Sextilha com Rimas Opostas. A Sextilha mais nobre é a que apresenta (1-2, 3-6, 4-5).

    Outro aspecto a ser considerado é a possível vulgaridade no uso de certa palavra da rima. Veja como poderia ter ficado o último verso do primeiro poema:

    E a família feliz escreve junta o seu drama

    Por um erro de interpretação ao longo dos anos, algumas palavras têm o seu significado original alterado no cotidiano popular. É o caso de Drama, normalmente confundido com Tristeza, quando originalmente surgiu para definir Tragicomédia, que trás o misto de Tristeza da Tragédia com a Alegria da Comédia. Como a Vida usa alternar esses dois sentimentos no cotidiano, a lógica faz com que Drama seja um sinônimo de Vida.

    Quando alterei a qualidade da rima de um verso, sem que se perceba, abri novos horizontes para que o poeta possa reescrever sobre o tema já visto. Ao conjunto de obras do poeta sobre o mesmo tema dá-se o nome de Tomo Poético, e ao conjunto de tomos dá-se o nome de Antologia ou Lira.

    Dediquei mais texto a este comentário para dar-lhe uma idéia de como lapidar e alojar os seus futuros poemas nas prateleiras compatíveis da mente, pois você escreverá sobre vários assuntos, proporcionalmente às novas leituras adequadas aos episódios novos do seu Drama cotidiano particular. Convém sempre lembrar um consagrado pensamento do Vinícius de Moraes que trata da Inspiração:

    E da paixão fez-se o pré-sentimento
    E do “momento imóvel” fez-se o Drama

    Leia Ciência Poética, que fica no cabeçalho do site. Abraços.

  481. 481

    Fábio said,

    October 5, 2011 @ 9:45 am

    Maravilha, Dalton.
    Gostei muito da sua análise porque alivia minha angústia por falta de conhecimento sobre poemas e o que eu mais sinto falta é de ORIENTAÇÃO, afinal de contas, sentei na cadeira e me pus na frente do papel com a caneta para escrever o que vinha em mente. Essa é a única técnica que sei e uso. E à partir dos seus comentários começo a ver o horizonte de evolução que tenho que percorrer. E aí está um belo e romântico desafio para mim. Com certeza irei atrás desses conhecimentos e treinos.

    Valeu!!
    Abraço

  482. 482

    Fábio said,

    October 5, 2011 @ 3:19 pm

    Dalton

    Consegui rabiscar alguma coisa conforme tuas indicações. Misturei um pouco as rimas acrescentando algumas sextilhas também. Ainda não consegui ver os ensinamentos da tua página, só vou ter tempo no fim de semana, segui o modelo que você indicou aqui mesmo, ok?
    Estou ansioso para ver o que achou..

    Abraços

    Sofre, sem amor, meu coração
    como um deserto escuro, é solidão
    mas a esperança não pode morrer
    já passei por tanto problema
    e sei que valeu a pena
    mas quando, meu Deus, vou parar de sofrer?

    Nessa vida tudo é aprendizado
    sei que não podemos baixar a cabeça
    e que um mal momento, se esqueça
    mas não amo e não sou amado..(subistituí de “mas ando mudo, sem ser amado)

    Está difícil suportar assim
    quero ser feliz com um novo amor
    o destino que lembre de mim
    plantar no meu peito e regar uma flor

    Realizado o meu desejo
    vou selar meus lábios na boca do beijo
    amar outra metade que a vida me deu
    e assim sendo amado poderei partir
    entrar no paraíso a sorrir
    e lembrar com saudade: foi feliz e morreu.

  483. 483

    francielly said,

    October 5, 2011 @ 4:31 pm

    por favor preciso fazer um poema pra entregar amanha e nao consigo fazer o tema e livre ou sobre o nossso mundo q vivemos por favor mim ajuda

  484. 484

    admin said,

    October 5, 2011 @ 5:55 pm

    Pois é, Fábio, mandou bem na jogada!

    Agora comece a estudar um pouco mais do Ritmo Poético e tente equilibrá-lo nos versos da estrofe.
    Não importa a quantidade de sílabas em cada verso, mas a posição das tônicas tem que apresentar lógica simétrica.
    Por exemplo, se o primeiro verso apresenta acentuação nas sílabas 1-3-5, e o segundo verso nas 3-6, tanto um quanto outro terá de ter algum parente na mesma estrofe, mesmo tendo mais sílabas. 1-3-5 com 1-3-5-7; 3-6 com 3-6-9 e assim por diante.

  485. 485

    admin said,

    October 5, 2011 @ 6:07 pm

    Quando meus pais me geraram
    O mundo ao redor parou
    No grande instante de amor
    No tanto que eles se amaram

    Por mais que essa vida dure
    Com nossa existência impura
    Restou-me esta clausura
    E a vida por testemunha

    Francielly. Foi o que deu para fazer de imediato, pois estou com o tempo inteiro tomado.

    Boa sorte e volte sempre.
    Dalton.

  486. 486

    Fábio said,

    October 7, 2011 @ 1:19 am

    Buenas amigo Dalton

    Fiz uma brincadeira sobre a idéia que não vem, a tentativa frustrada e consequência irritadiça.

    O que eu poderia dizer?
    teria alguma história a contar?
    diversas memórias poderia puxar
    quanta idéia queria ter

    Mas nesse instante não sai nada
    não consegue voar nenhum pensamento
    mas não se entregue, cabeça de vento
    vá adiante nessa jornada

    Estou espremendo a caixola
    eu sei que está quase faltando o ar
    já pensei em matar-me tentando sangrar
    mas vou é baixar minha bola

    Isso está me dando sono
    preciso agora ir pra cama dormir
    não demora, idéia volta a sorrir
    vou deitar voando ou morro

    Abraço

  487. 487

    Fábio said,

    October 7, 2011 @ 2:13 am

    Dalton….aí vai mais um.

    Escrever é aliviar a alma
    é deixar a vida mais leve
    pensar a corrida que deve
    a correr para treinar sua calma

    Em frente ao papel eu me acho
    um mundo em palavras transformo
    de tudo falar o que posso
    bem contente ao léu eu encaixo

    Coração na ponta da caneta
    inspirado em mais retratar
    sou tentado amar o amar
    da visão que monta o planeta

  488. 488

    admin said,

    October 7, 2011 @ 8:30 am

    O “amar da visão que monta o planeta” foi um toque de classe no texto primeiro. Quanto ao assunto do segundo, veja como já trataram dele antes:

    http://www.youtube.com/watch?v=Xpa1WaCs654

    Só faltou colocar Inspiração no lugar do Coração na última palavra.

  489. 489

    Fábio said,

    October 7, 2011 @ 10:02 am

    Bah, Dalton mas é verdade!!!! Que bobeada…

    Inspiração na ponta da caneta
    inspirado em mais retratar (ou iluminado do mais retratar)
    sou tentado a amar o amar
    da visão que monta o planeta

    Bem melhor, bem melhor…..

    Bah, eu não conhecia essa do Chico….que música genial!!!!! Que letrista…

    Valeu as dicas,Dalton…..

  490. 490

    admin said,

    October 7, 2011 @ 12:05 pm

    Fábio, não interprete como bobeada a primeira tradução por escrito, porque a coisa funciona assim mesmo. Põe a gema pra fora e depois lapida.
    Venho há algum tempo trabalhando com os verbos para adicionar os sons das conjugações aos das palavras já colocadas no Rimas Brasileiras. No momento, estou na terminação IR.
    Cada vez que deparo com uma novidade, vou ao Sapiens e comemoro com um pensamento, como acabou de ocorrer, e esse foi o único motivo pelo qual voltei pra cá neste momento.
    Encardir não significa somente Sujeira, mas também se refere ao Coração recebendo um tônico salutar chamado Cardina.

    O nosso vocabulário é de um valor inestimável, não acha?

  491. 491

    Fábio said,

    October 7, 2011 @ 3:44 pm

    Po, Dalton..tem um valor inestimável e é um oceânico conjunto de sons, formas e palavras…
    Essa do “encardir” não podemos saber sem ter esse estudo, sem absorver conhecimento. Imagino o universo de outras palavras com critério semelhante…O teu site é um dicionário poético completíssimo. Escolhi o portal para ser meu guia. Assim posso aprender mais sobre os poemas.

    Fiz outro no carro, no almoço. Preciso de tempo pra fazer as sextilhas, como não tenho tempo essa semana, vou te mandando os que tenho mais facilidade…

    Abração

    O artesão da percepção

    O que faz o poeta
    se não apenas moldar
    temas que sente no ar
    que a paz faz eterna

    É alguém que sente as cores
    que tem da gente os amores
    sentindo o aroma das flores
    fluindo, o toma das dores

    Alimentado, sentindo de tudo
    o artesão trabalhando palavras
    aprisionado, abrindo o mundo
    o coração vai amando estradas

    A sua vida é sentimento
    o seu amar também é tormento
    ao caminhar aquém e ao vento
    sua lida, assim, é alento

  492. 492

    admin said,

    October 7, 2011 @ 8:11 pm

    Bonito poema, Fábio. A palavra está para o poeta, assim como o tear está para o artesão. Uma cumplicidade sadia, que confundi as noções de tempo, tamanha a distância entre os universos do verso e do social. Algo como:

    …Querendo no espaço encontrar
    Alguém que veio ou se foi
    O artesão de um tear
    Tramado pra depois…

  493. 493

    Fábio said,

    October 8, 2011 @ 3:13 am

    Muito obrigado. Quem bom que gostou. Passei em frente ao que me pareceu uma oficina de móveis e me veio “artesão” à cabeça. E como eu acho um belo trabalho, pois também gosto muito de coisas feitas em madeira, para o poema foi um pulo…

    Fiz outro, Dalton.
    Aí vai:

    Cicatrizes do amor ( Bah, me inspirei nos lamentos do Lupicínio Rodrigues… )

    Atolado na lama doída da dor
    vou engolindo, sofrido, minha aflição
    estou indo, aflito, à destruição
    mal amado na trama moída do amor

    Que pesares sofrem meus anseios
    tão sentidos de dor tão profunda
    vão metidos no horror que afunda
    nos olhares de quem galanteio

    Esse tormento que me apanha
    que corrói minha alma pesada
    que destrói a quem ama a amada
    espinhento, ele vem e arranha

    Das cicatrizes que levo no peito
    amo todas que só lembram de ti
    caso eu morra, que todos saibam que vi
    os infelizes infernos do leito

  494. 494

    lucas said,

    October 8, 2011 @ 4:47 pm

    pai é a unica pessoa que faz questão de nos escutar.
    ele dar o conselho pra me ver,
    que se nós pegar as coisas melhores que o mundo nos dar..
    com força de coragem podemos vencer..

    fazendo poemas para um trabalho da escola… estou mandando uma ideia pra voce… pode me ajudar corringindo os erros…esperando aqui
    abraço

  495. 495

    Fábio said,

    October 9, 2011 @ 2:45 am

    Buenas amigo, aqui vai mais uma gema…..

    Recusa ao partir

    Como é linda a alegria da criança
    no olhar de quem vê brincando
    lembra ainda os dias na infância
    ao lembrar, vê descer o seu pranto

    Com saudade, pensando no tempo
    a idade, passando ao vento
    vê sangrar o seu coração
    o menino que agora cresceu
    vê, sentido, a hora do adeus
    de encontrar à Deus no caixão

    Fica assim o protesto de ter
    que deixar essa vida pra sempre
    e a mim, detesto em crer
    terminar a corrida da gente

    Como pode uma vida feliz terminar?
    como morte, corrida infeliz,encontrar?
    que semente a esperança me dera
    que subindo, eu encontre a paz
    no infinito, o doce que traz
    novamente a criança que era

    Abraços
    Fábio

  496. 496

    admin said,

    October 9, 2011 @ 9:43 am

    Fábio:

    Tu és gremista?

    Ficar lembrando do Lupicínio indica essa tendência em ambos os poemas. A dor de cotovelo no primeiro e a busca da infância no segundo.
    Como não tenho tempo de ficar fazendo uma análise criteriosa dos poemas, darei algumas dicas quando reparar em alguns pontos lapidáveis. Veja esta estrofe:

    Co/mo-é/ lin/da-a-a/le/gri/a/ da/ cri/an/ça 1-3-6-8-10
    No/ o/lhar/ de/ quem/ vê/ brin/can/do 1-3-6-8
    Lem/bra-a/in/da/ os/ di/as/ na/ in/fân/cia 1-3-6-8-10
    Ao/ lem/brar/, vê/ des/cer/ seu/ pran/to 1-3-6-8

    Preste atenção no Ritmo, porque para salvar o último verso tive de tirar o “o” da frente do “seu”.

    Peguei essa de relance, porque sempre me preocupo primeiro com o pensamento do texto, mas você mesmo procure interpretar com rigor científico os próprios versos.

    Abraços.

  497. 497

    Fábio said,

    October 9, 2011 @ 7:28 pm

    Dalton…

    Quando nasci, em 1977, anunciaram na rádio Gaúcha: “nasceu o primeiro neto homem, mais um colorado na família do humorista Pinguinho”. E à partir daí, tudo é vermelho pra mim. Colorado de quatro costados…..
    Mas admiro quem é bom, mesmo que seja um gremista…..

    Tá ótimo, se der algumas dicas de lapidação já está bom demais.
    Vou tentar prestar atenção nesses detalhes que você sugeriu.

    Muito obrigado.
    Abraço

  498. 498

    admin said,

    October 10, 2011 @ 7:48 am

    Fábio: Fiz menção ao Grêmio apenas pelo fato do Lupicínio Rodrigues ter composto o hino do clube, cujo histórico do Mote foi interessante, pois foi composto no dia em que o clube teria uma importante peleja no interior do Rio Grande, mas tendo os Ferroviários entrado em greve exatamente em tal data, a torcida foi à pé mesmo ao jogo, o que serviu ao Lupa para escrever os primeiros versos:

    Até à pé nós iremos
    Para o que der e vier…

    Se, em alguma discussão com gremista, você perguntar sobre o histórico do hino e ele não souber, dá até para tirar um sarro do cara com a informação. Com coisas do tipo:

    - Os torcedores colorados sempre sabem do que estão falando, mesmo sendo do adversário ignorante!

    Ao menos, para isso a informação lhe serve. Abraços.

  499. 499

    Fábio said,

    October 10, 2011 @ 9:56 am

    Dalton

    Com tua explicação me cai mais umas fichas, de forma clara, porque estudando a história dos acontecimentos podemos fazer poemas quase que brincando, tamanha a facilidade de encontro de palavras, não é verdade?

    Bah, sensacional!!! Isso vai dar um belo poema!!

    Internacional, sensacional, maior vencedor em grenal….
    Ignorante, se acha muito confiante, gremista falante…
    Grenal é anormal, bando de loucos mas nenhum pode viver sem o outro….

    Isso vai dar pé…eheh

    Valeu
    Grande abraço, Dalton

  500. 500

    admin said,

    October 10, 2011 @ 7:50 pm

    Fábio:

    O que é o poeta, que não um fotógrafo retórico do sentimento?

    Segue em frente com seu Verso dos Pampas. Cante a história do Rio Grande, porque o sentimento cisplatino que pulsa em cada gaúcho merece ser contado.

  501. 501

    weslanny said,

    October 11, 2011 @ 10:08 am

    nem sonhando eu consigo criar um poema acho que vou mi deitar e comesar a sonhar um poema cada ves que acorda ir escrevendo kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  502. 502

    admin said,

    October 11, 2011 @ 12:36 pm

    Bom sono, weslanny!

    Grato pela visita.
    Dalton.

  503. 503

    Fábio said,

    October 13, 2011 @ 12:59 am

    Buenas, Dalton

    Fiz um poema em homenagem à minha filha (melhor inspiração impossível…)
    Não me preocupei muito com as sílabas, tentei prestar mais atenção aos números de sons nos versos. Também encaixei sextilhas e formas menos nobres sem padrão de colocação no texto. Estou treinando…..

    Filha amada, minha vida
    como pode o peito suportar?
    só me move o jeito de te amar
    minha estrada, trilha infinda

    Teu jeito doce, minha flor
    enfraquece o forte coração
    engrandece e move a paixão
    meu peito, hoje, finda dor

    Suas mãos são delicadas
    nuas vão, tão dedicadas
    acarinhar seu ser amigo……..(acarinhar meu ombro amigo)
    e me entregando muito amor
    e eliminando a minha dor
    a acabar sofrer antigo……..(me faz sonhar meu sonho antigo)

    Sofrer antigo só quando você não existia
    e foi assim que então nasceu
    e foi em mim que paixão cresceu
    querer cumprido sonhando você não desistira

    O cheirinho de nenêm
    é gostinho que me vem
    vem vontade de abraçar
    nem metade de acabar

    Teu abraço carinhoso
    que enlaço mais gostoso
    as minhas cordas de segurança
    esse colado, faz chorar
    desse chorado, paz amar
    são muitas voltas de esperança

    Sorriso solto de verdade
    vestido florido à lá princesinha
    o grito em volto à novidade
    dedinho sofrido, a machucadinha

    O seu brincar é fantasia
    tão bondoso é o seu olhar
    quão gostoso é o seu amar
    o seu chorar me alucina

    Se machucar, vem cá correndo
    vem arrancar que tá doendo
    sofre lágrima corrida de dor
    abraço firme e encaixado
    encaixo, diz-me abraçado:
    corre página contida de amor

    Seu ótimo senso de humor
    seu sólido jeito de amor
    são paralelos lado a lado
    são meus castelos encantados

    Nessa morada linda de campo
    onde em meio às flores do reino
    donde eu freio as dores do peito
    passa a amada filha que amo

    Um abraço, amigo Dalton

  504. 504

    admin said,

    October 13, 2011 @ 8:45 am

    Bonito, Fábio.

    Há certos poemas em que não devemos mexer em nada do que chega originalmente. Talvez este seja um caso, já que você, assumidamente, não se preocupou com o Ritmo. Não sei a idade da sua princesa, mas, quanto mais rebuscado o texto, menor é o seu entendimento pelas gerações últimas.

    Tente, se possível e como exercício, escrever o mesmo poema num palavreado mais semelhante ao dela, ou mesmo, escreva um outro com menos homenagens e mais interação, já que todo poeta adora escrever sobre as suas qualidades presentes em outra pessoa, e um filho sempre as tem, genética ou atavicamente. Aqui vai um clássico do Vinícius de Moraes pra você sacar mais ou menos como os grandes poetas abordaram tal assunto. Abraços:

    http://www.youtube.com/watch?v=kXnlJtUY1W4

  505. 505

    Fábio said,

    October 13, 2011 @ 9:55 am

    Bah, lendo a letra dessa maravilhosa canção deu pra sacar bem, sim, o que tu me sugeres. Dentro do possível vou tentar fazê-la conforme tua indicação.

    Ah, a Vitória tem 8 anos. E realmente ficria difícil de entender…rsrs. Vou melhorar o texto para ela.

    Valeu, Dalton

    Abraço
    Fábio

  506. 506

    Fábio said,

    October 13, 2011 @ 3:09 pm

    Dalton…

    Minha filha leu o poema hoje ao meio-dia. Eu distraído vendo tv, a guria pula no meu pescoço e me abraça chorando: ela entendeu tudo, disse que me amava e que foi a primeira vez que ela chorou de felicidade!!!! Estou nas nuvens e precisava te contar! Mas que poder tem o amor e que força tem as palavras, não é mesmo?
    Estou escrevendo os poemas num caderno de folhas avulsas, recicladas, de cor bege. Pra minha surpresa, quando fui ler o poema dela, na página estavam dois pingos de lágrimas dos olhos dela! Simplesmente, o poema ficou mais poético depois que ela leu!!!E eu mais apaixonado ainda. Tamanha a sensibilidade da minha filha…..

    Só pra dividir contigo…..

    Abraço
    Fábio

  507. 507

    Fábio said,

    October 14, 2011 @ 12:48 am

    Dalton…segue o treino

    O meu sonho é jogar futebol
    não me agrada estudar
    eu me ponho a roçar sob o sol
    mão a enxada empunhar

    Roçando eu capino desejos
    jogando em campinhos pequenos
    sou o rei se jogando na escola
    sou ninguém estudando na bola

    Meu pai morreu da bebida
    a mãe sofreu a ferida
    irmão tentou se matar
    então restou é tentar

    Sou um grande meio de campo
    eu sei que vou conseguir
    vou avante, creio que mando
    serei um novo Didi

    Com sorte na meia-direita
    tentar conquistar o mundo
    pro norte, na Terra inteira
    ganhar, arriscar a fundo

    Mas se eu tiver que voltar
    pra minha cidade doída
    passe eu viver estudar
    ainda metade da vida

  508. 508

    admin said,

    October 14, 2011 @ 7:28 am

    Fábio:

    Fiquei feliz com a reação, ainda que já esperada, da guria. Se, por um lado, às novas gerações falta muito do que as anteriores tiveram em termos sociais, por outro, tal lacuna social é preenchida pela sensibilidade.

    Quanto ao jogador de futebol, você não tem idade para ter conhecido o Didi, do Botafogo, mas, com certeza, conheceu o futebol de Falcão, Batista, Carpegiani; do Inter, que, cá pra nós, não ficavam muito aquém dele, que teve a sorte de disputar as copas do mundo jogando ao lado do Pelé. Na única vez em que jogou contra, foi como técnico do Peru em 1970, e levou um chocolate, mas como esquecer da “Folha Seca”? Aqui vai mais uma sobre o assunto. Abraços:

    http://www.youtube.com/watch?v=Zddcu5ffR58

  509. 509

    Fábio said,

    October 14, 2011 @ 9:44 am

    Bah, Dalton….se tem um assunto que podemos conversar bem tranquilos num boteco e do qual sou apaixonado…esse assunto é o futebol do passado!!
    Daria um bom poema com Zizinho, o mestre “Ziza”, que levava o Bangú à maravilosas vitórias, o grande Tesourinha, Carlitos, o maior goleador na história dos grenais. Posso falar ainda sobre o Tostão e o seu centro-médio, também genial, Zé Carlos, que pouca gente fala.
    O “Divino”, Ademir da Guia e o mais divino ainda, seu pai, Domingos da Guia, considerado o maior zagueiro da história. São tantos….Julinho Botelho, Canhoteiro, Ademir Menezes…..bah, e o príncipe, Danilo Alvim????
    E o caneco, ponta direita do santos que dava as lambretas que o Damião dá hoje?
    Tem até o Ipojucan, meia direita que jogou no vasco e atravessou o campo inteiro fazendo balãozinho até fazer o gol antológico, mas quem sabe essa???
    E o gol do mais bonito da carreira do Tostão, em 1969, que deu três chapéus antes de fazer o gol?? Mas poucos sabem desse. Esse é primo do gol do pelé, que deu quatro chapéus nos zagueiros do juventus antes de mandar para rede.
    Bah, não posso esquecer do Nena, parada 18, meu zagueirão do meu Rolo Compressor da década de 40 do colorado, que ficou na reserva na copa de 50 e, segundo o eterno Nílton Santos, se tivésse jogado, o Brasil não perderia….
    Acho que nasci na época errada….

    Ah…quanto ao príncipe etíope de rancho…..eu queria jogar como ele!!!

    Abraços

    Ah, essa do Chico eu conhecia….mais uma genial!!

  510. 510

    Fábio said,

    October 15, 2011 @ 2:24 am

    Dalton…aí vem mais um…

    Da janela do pensamento
    vejo o mundo girar
    da favela ao apartamento
    becos e tudo fitar

    Dos ricos, os altos salários
    dos filhos, os carros, assaltos
    o pobre em viela cheirando
    o nobre branquela imitando

    Vejo tudo ocorrer lá embaixo
    desço mudo, ao me ver, eu abaixo
    o ladrão lá em cima me mata
    o patrão lá da vila me acha

    Das alturas do meu morro
    das agruras é que corro
    desagrada levar essa vida,
    que cansada me dá a descida!

    No chão da cidade eu me acho
    colchão na metade eu encaixo
    sonhar e dormir ao relento
    desejo ao senhor que me mande
    o beijo do amor e me arranje
    amar, desistir do tormento

    Talvez trabalhando na rua
    cuidar do seu carro, madame
    da dez pra malandro, perua
    gastar o seu alto arame* * Arame = Dinheiro

    Ou quem sabe eu ainda encontre
    um serviço bem diferente
    botar piso, tem de servente
    que me acabe em tinta de monte

    Na verdade tudo que quero
    na bondade, mudo espero
    trabalhar e ganhar meu dinheiro
    batalhar e voar do canteiro

    Desejo muito ser respeitado
    por querer melhorar minha vida
    por temer, megulhar na ferida ( por temer terminar fim da vida )
    eu vejo mundo ter me chegado

    Abraços
    Fábio

  511. 511

    admin said,

    October 15, 2011 @ 10:49 am

    Aquela do Kaneko eu assisti pessoalmente na Vila. O gol não foi dele, mas do Toninho Guerreiro. Por sinal, foi de Letra e Saltado. Toninho nem comemorou, só apontou para o Kaneko. Se não me falha a memória, aí mesmo no Beira-Rio, houve um lance do Fernando Baiano, jogando pelo Inter, e que, ao contrário do Damião na Argentina, acabou em gol.

    Também presenciei um jogo se entrega de faixas de campeão paulista para o Santos. O adversário era o Palmeiras, com um respeitável time desde o meio de campo. Dudú e Ademir da Guia, e um arrasador ataque: Julinho, Tupanzinho, Ademar Pantera, Servílio e Rinaldo.

    Tive de aguentar cinco carimbos na faixa de santista. Por sinal, o Dudú é tio do Dorival Júnior, atualmente comandando o seu Inter.

    Quanto ao poema acima, justifica cada vez mais o recohimento do homem de bem à segurança do próprio lar, onde normalmente é ouvido e respeitado, o que ocorre cada vez menos para fora da porta de casa.

    Com artista também acontece isso. Veja esses dois exemplos:

    http://www.youtube.com/watch?v=vZdyk3vBAbA

    http://www.youtube.com/watch?v=TICL4HIn3uo

  512. 512

    Fábio said,

    October 15, 2011 @ 2:26 pm

    Po, cara…tu estavas na Vila no gol do Toninho Guerreiro???? Então tu passas na tela da minha tv quando assisto as minha fitas de vídeo cassete onde tenho esses jogos gravados. O gol dele foi de calcanhar, sim, meio de lado, exatamente como tu disseste…sensacional!!
    O gol que tu te referes foi do Fábio Baiano, pelo Grêmio, no Olímpico.

    Po, se o Dorival tivésse 1% do talento do Dudú…rsrs
    Mas que privilégio a vida te reservou ao ver esses dois “canos” duelando…
    Fico imaginando o duelo entre o Pepe e o Djalma Santos…acho que eu não dormiria após o jogo!!
    Aí se liga a tv pra ver o que se vê hoje…..que tristeza…

    Abraços, amigo

  513. 513

    admin said,

    October 15, 2011 @ 9:23 pm

    Sobre os duelos de Pepe e Djalma Santos pouco lembro, porque Pepe não era um grande driblador, e o Djalma, um excelente marcador desde os tempos da Portuguesa, o conhecia muito bem. Pepe pouco corria com a bola dominada. Preferia lançá-la em profundidade, ou mesmo arriscar um tiro de longa distância que resultava, no mínimo, num rebote do goleiro, que jogava sem luvas e tinha de encarar uma bola de capotão.

    As recordações que tenho do Djalma, infelizmente, ficaram marcadas por um episódio triste que presenciei. Ocorreu no começo de 1966, com um ponta esquerda contratado pelo Santos junto ao XV de Jaú. Como na época eu ía duas vezes por semana para Santos, costumava acompanhar os treinos da equipe. Houve uma ocasião em que reparei no Pelé, sentado sobre uma bola, só observando o jogo do novato ponta. Ao ser interpelado pelo Lima, do porque estar ali parado, Pelé, na época já considerado o melhor do mundo, apenas respondeu: – Estou aprendendo novos dribles, Lima. Esse moleque é atrevido e dribla como poucos!

    O moleque atrevido era o Edu, que no fim de semana enfrentou o Djalma Santos numa partida contra o Palmeiras. Acostumado com Pepe, Djalma não esperava, naquela idade, pegar pela frente um garotão tão hábil. Foi um vexame que, por sinal, foi comentado entre os jogadores do Santos na semana seguinte, onde o Zito, famoso médio-volante do Santos e das seleções de 58 e 62, decicidiu não mais ir para a seleção, que disputaria a copa na Inglaterra. Apenas pelo que presenciou ter ocorrido com o amigo Djalma no fim de semana.

    De tanto sucesso que fez, o Edu até foi convocado em 66, mas acho que nem jogou. O fato de ter chegado a uma seleção brasileira numa idade inferior à do Pelé pesou muito na carreira do despreparado Edu, cujo futebol nunca progrediu fora do Santos. É por isso que defendi o fato do Dunga ter-se recusado a levar Neymar e Ganso nesta última copa, pois poderia queimá-los à exemplo do ocorrido com Edu em 66.

    Embora triste, o episódio deixou várias lições, e dentre elas destaco a seguinte: – Um rei só se mantém rei quando consegue enxergar o valor da plebe! Foi o que o Pelé fez, sentado sobre aquela bola para aprender a arte de um desconhecido.

    Qualquer dia te conto sobre os duelos do Pepe, mas com o goleiro Valdir Joaquim de Moraes, do Palmeiras, que, por sinal, acho que era gaúcho.
    Abraços.

  514. 514

    Fábio said,

    October 16, 2011 @ 1:39 am

    Minha nossa senhora….estou falando com uma enciclopédia do futebol, versão 2….porque a primeira tu não pode roubar ou pegar empresatada do compadre do Mané….eheh

    Bah, Dalton…..o Valdir é gaúcho, sim!! Campeão gaúcho de 1954 pelo Renner aqui de Poa…com o eterno Ênio Andrade na meia-esquerda…..

    Uma vez li na Zero Hora que o Claudio Dienstmann, jornalista daqui que ama o futebol do passado e a história do futebol, encontrou um filme do campeonato Pan-Americano de 1956 que o Brasil ganhou, ao empatar com a Argentina , na final, em 2×2…eu li e enlouqueci…
    O filme ia passar na Casa de cultura Mário Quintana, mas eu tinha aula na Puc de Administração de Empresas….o que fazer???? Matar a aula, óbvio….
    Corri para o centro e assisti o filme….
    Estavam lá ex-jogadores da dupla, entre eles o famoso formiga, centro-médio do grêmio da década de 60 e mais uns que não recordo….jornalistas e outros…
    Eu sei que entrei na sala de cinema e me senti uma criança dentro de um parque de diversões pela primeira vez….
    Vi o filme, preto e branco, e meus sonhos viraram mais sonhos ainda imaginando estar naquele campo, naquela época, vendo os jogadores fazerem o que faziam na década de 50: jogar futebol!!!
    Larry e Bodinho tabelando meus neurônios…e Chinesinho na esquerda…que depois foi para o Palmeiras, aí em SP…..
    Cara…a vida é maravilhosa hoje, em 2011..imagina em 1952!!!!!!!!
    Era, praticamente, um orgasmo….eheh

    Ah, outro dia te conto a história do autógrafo que peguei do Nilton Santos, furando uma fila de 50 pessoas, no centro, matando aula de tenebrosa matemática, na Puc….e óbvio, tremendo as pernas de nervoso…rsrs

    Abração

  515. 515

    Fábio said,

    October 16, 2011 @ 1:42 am

    Ah…o Edú era foda…….foi pra seleção com 16 anos, né????
    Era sensacional….ele e o Tostão eram novatos na seleção de 66….e o Bugre Chucro também…. o Alcindo, irmão do Kim e do Alfeu, que por sinal, me treinou na escolinha do colégio Dom Bosco aqui em Poa…..
    Belíssimas histórias…

  516. 516

    Fábio said,

    October 16, 2011 @ 1:43 am

    Putz…é XUCRO……Bugre Xucro…….

  517. 517

    Fábio said,

    October 16, 2011 @ 4:10 am

    Dalton,

    hoje é sábado,15.10.2011, e acabei de assistir a “Tristão e Isolda”…romance sensacional que se pássa na idade média. Tomara que tu tenhas visto, pois o poema abaixo eu fiz baseado na história dos dois amantes, personagens principais.

    PS – Óbvio que os amantes são personagens principais, se fôssem os amantes personagens secundários o amor seria rebaixado à segundo nível e aí tudo estaria perdido e o mundo não teria sentido. Um brinde ao amor, principalmente, hoje, ao de Tristão e Isolda….

    Entre um gole de cerveja e outro, te escrevo,às 3:51 da manhã de domingo:

    Separados no mar da distância
    amparados no ar da infância
    vão-se, ansiosos, do amor
    aguardando chegar sua hora
    e mandando amargo embora
    dão-se, fogosos, no ardor

    Assim, se encontrando ao acaso
    enfim, se tentando um passo
    se conhecem aos poucos com medo
    e amanhecem em loucos momentos

    Diferenças de suas nações
    se esqueçam em seus corações……..( se esqueçam em muitas ações )
    atitude em vencer sua dor
    amiúde temer seu amor

    No princípio, momentos roubados
    no início, tormentos calados
    cultivando secretos segredos
    vão amando bem sérios, atentos……..( vão amando com medo, atentos )

    Confiança no seu coração
    esperança no rei da nação
    o destino pregando uma peça
    um cretino rezando outra era

    Traição, esperando chegar
    a paixão, dispersando no ar
    o punhal direção ao seu peito
    no momento de luta com seus
    sofrimento, amargura e Deus
    com aval do irmão, para o leito

    Cavada a cova do amado
    ajoelhado se pôs esperar
    amada, que eu morra apressado
    ao teu lado, eu corro, ficar

    Te aguardo na beira do rio
    pra selar nosso amor te abraçando
    se amado me queiras, no frio
    terminar, sonhador, te amando.

    Abraços e bom domingo

  518. 518

    admin said,

    October 16, 2011 @ 10:52 am

    Deixa disso Fábio. Temos várias “Enciclopédias do Futebol” ainda transitando por aí, como o jornalista Orlando Duarte, por exemplo.

    Como já disse, eu apenas ía semanalmente para Santos. Primeiro, quando ainda criança, para caçar caranguejos em Cubatão e vender às margens da Via Anchieta, e após, até os quinze anos, já como nadador do Corinthians, trabalhando para o “Quaresma” nas boates do cais com “jeitinhos” de cigarros. Os americanos adoravam os nossos cigarros sem filtro, e o preço dos cigarros deles, com filtro, ficavam bem atraentes no Brasil. Eu apenas “treinava” um pouco em águas salgadas transportando pacotes impermeáveis e flutuantes amarrados ao pescoço.

    Na época, segunda metade dos anos 60, os militares proibíam qualquer importação, e o Quaresma se preocupava muito com o “intercâmbio cultural” entre os países, claro, eheh.

    Depois cursei Educação Física na USP e tive a sorte de virar aluno do professor Carlos Teixeira, esse sim, uma Enciclopédia Biométrica do futebol, pois tinha um invejável arquivo de fichas dos jogadores com que trabalhou nos diversos clubes por que passou.

    Num dos trabalhos escolares da disciplina, cujo tema era “Sentimento Diagonal do Atacante”, acabei indo parar no Morumbi, onde pude conhecer Gino Orlando, famoso centroavante do São Paulo nos anos 50, que me contou ter tal termo surgido, Sentimento Diagonal, com a chegada do técnico húngaro Bella Guttmann ao Brasil para dirigir o clube em 1957. Guttmann, que já dirigira a famosa seleção húngara de 54, que jogou como nunca e perdeu como sempre naquela copa; percebendo que o jogador brasileiro era um habilidoso driblador, e um péssimo finalizador, instituiu o famoso Quadro de Números atrás do gol nos treinamentos. Foi quando o Canhoteiro finalmente aprendeu a chutar em gol.

    Coincidente e curiosamente, as chefias das seleções brasileiras anteriores a 58, que eram todas de gente do Rio de Janeiro, então capital da federação, deixou de sê-lo pela primeira vez, quando o comando foi entregue a Paulo Machado de Carvalho (Marechal da Vitória), que convocou o restante da turma de dirigentes do São Paulo para compor a Comissão Dirigente, e o então técnico do clube, Vicente Feola, que trabalhara com Guttmann, para armar a Comissão Técnica.

    O Brasil só também deixou de jogar como nunca e perder como sempre, graças à feliz presença de Guttmann no São Paulo um ano antes, o que permitiu a educação dos nossos jogadores, treinadores e dirigentes para não mais perderem em finais, como ocorrera com o próprio em 54, por conta de uma discussão com o Puskas na semifinal, acerca da escalação do time húngaro.

    Nunca foi confirmado nada a respeito, mas tá na cara que os jogadores fizeram corpo mole naquela final contra a Alemanha, que, por sinal, a própria Hungria humilhara com goleada na fase classificatória.

    Conversando com o Gino, fui informado que Canhoteiro poderia ser encontrado na Baixada do Glicério, em Sampa, pois se tornara um boêmio e cantor de sambas nos bares da região. Fui atrás dele, encontrei, e das nossas conversas, pude contatar uma outra nobre figura futebolística, o Toninho Guerreiro, que habitava um outro local próximo, a Cantina do Marinheiro. Curiosamente, em ambos os locais, pude notar também a presença de Paulo Planet Buarque, da mesma turma da Comissão de 58, que me indicou ter o São Paulo F.C.; ao menos na época, uma preocupação com o cotidianos de seus ex-jogadores, como o Canhoteiro e o Toninho Guerreiro, que se tranferira do Santos pra lá. E à partir de 1975 comecei a frequentar esporadicamente tais locais, onde pude aprender muito do submundo futebolístico, como esse da copa de 58, por exemplo. Como tive a sorte de contar com informações até de dirigentes, outros episódios envolvendo o Brasil nas copas foram conversados.

    Acabei me perdendo por aqui e tenho de voltar para os meus Verbos. Falar sobre futebol sempre dá nessa perdição, eheh. Abraços.

  519. 519

    beatriz said,

    October 16, 2011 @ 3:19 pm

    quanto tempo faz
    que eu nao tenho paz
    por nao ter vc aqui
    o quanto eu sofri
    amanhacer
    viver
    e sonhar
    até vc chegar
    estou de esperando
    com o coraçao na mao
    esperando o perdao
    nao aproveitei a oportunidade
    e agora estou com saudades
    como eu queria mais uma chance
    de viver mais um estante
    ao seu lado eu estar
    sonhar
    e te amar

    nao sei se ficou legal
    + eu quero uma resposta

  520. 520

    Fábio said,

    October 16, 2011 @ 8:20 pm

    Puxa vida, mas que histórias!!!! Parabéns por esses privilégios todos, Dalton!! Pô, tudo que eu queria era poder ter um dedo de prosa com os craques do passado. Me fascina as belas histórias do futebol! Bah e sentar com Canhoteiro e Toninho Guerreiro para bater papo???..putz…

    Segundo o Zizinho, o Canhoteiro era mais habilidoso que o Garrincha. Tu achas também? Fico imaginando um ataque com Garrincha num lado e Canhoteiro no outro….é o céu….

    Não sabia da discussão do grande Puskas com o técnico!! Agora, talvez, eu tenha entendido como é que a seleção da Hungria perdeu para a Alemanha. Eles meteram 8, se não me falha a memória, na fase de classificação. Aí vão pra final e deixam o mundo incrédulos com a derrota.

    Paulo Machado de Carvalho…o organizador do cenário todo da seleção para conquistarmos nosso primeiro caneco!! Que beleza…

    Mas Dalton, como é que com a formação na Educação Física tu fôsse acabar nos caminhos da literatura, letras, MPB…???? Muito legal esses multi-movimentos….

    Abração
    Fábio

  521. 521

    admin said,

    October 17, 2011 @ 7:28 am

    Fábio:

    Poema construído sem qualquer erro no Ritmo, mesmo quando os versos variaram em métrica. Acho que apenas mereceria, por questões de compreensão do texto, um “o” antes do “amargo”, e isso pode ser feito sem qualquer perda de Ritmo ou Métrica, já que, sendo precedido por outro “o” em sílaba átona, admite fusão. Os versos Eneassílabos com cadência 3-6-9 são viciantes no Ritmo. Esse exercício de tentar fazer os versos rimarem por inteiro é raro nas construções poéticas, e você conseguiu fazê-lo sem perder a objetividade no texto. Parabéns.

    Abraços.

  522. 522

    admin said,

    October 17, 2011 @ 7:55 am

    Beatriz:
    Beatriz:

    O que você tentou fazer no poema, de buscar uma estética métrica, recebe o nome de Efeito Ropálico, onde os versos crescem ou diminuem nas quantidades de sílabas em forma ordenada. Todavia, na contagem original das sílabas, percebi certas irregularidades e tomei a liberdade de sugerir-lhe algumas mudanças. Espero que não se chateie comigo.

    quanto tempo faz – 5
    que eu não tenho paz – 6
    por não ter você aqui – 7
    o quanto eu sofri – 6
    para-amanhecer – 5

    É viver – 3
    e só sonhar – 4
    pra você chegar -5
    estou lhe esperando – 6
    com o coração na mão – 7
    esperando outro perdão – 8
    desprezei a oportunidade – 9
    e agora estou com saudades – 8
    só queria uma-outra chance – 7
    de viver outro-instante – 6
    O-amando-a sonhar – 5
    Só pra viver – 4
    Por você – 3

    Quando se faz a primeira conjugação no poema, todos os demais versos deverão obedecê-la. No seu poema, você usou a Terceira Pessoa do Singular (você), portanto o “te”, que pertence à Segunda Pessoa do Singular, teve de ser trocado pelo “lhe” e pelo “o”.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  523. 523

    Fábio said,

    October 17, 2011 @ 8:37 am

    Coisa boa, Dalton. Obrigado.

    Tenho feito os poemas conforme tuas orientações à respeito do ritmo, as sílabas, a musicalidade etc. Antes eu fazia os poemas sem uma preocupação técnica, até porque, não conhecia. À partir de agora, as idéias vêm, e fico com essa preocupação sempre. Com o tempo vou estudando, no site, as outras informações disponíveis para ir melhorando os poemas.

    Valeu
    Abraço

  524. 524

    admin said,

    October 17, 2011 @ 8:43 am

    Fábio:

    Como venho de uma secular família de educadores, e gostava de esportes, juntei o atavismo às preferências da época e a coisa deu certo, mas lido com construções poéticas desde adolescente, quando colaborava com sambistas, da zona leste de Sampa, nas feituras das letras dos sambas que concorriam para o carnaval das escolas. Era um jeito de ganhar algum troco fazendo o que mais gostava e cheio de mulher bonita ao redor. Como evitar tal “péssimo” estado de coisas?
    Como na época o regime militar exigia das escolas que só voltassem os enredos para temas mais patrióticos, para fazer a coisa direito tive que estudar História do Brasil em vários aspectos, inclusive os literários.

    Foi quando deparei com a música Roda-Viva, do Chico, em 1968. Percebi que ele cometera um grave erro de Ritmo e Métrica no quarto verso, sem deixar de prestar atenção no texto do verso, que, além de ter uma sílaba a mais, finalizava em “cresceu”.
    Intrigado, comecei a analisar a obra do Chico e notei que ele fazia muitas vezes isso nos versos: Errava a construção, mas, curiosamente, os textos dos versos davam alguma explicação para a ocorrência.

    Acabei estudando a obra inteira, e para fazê-lo de forma honesta e educadora, tive de me envolver com muita História Geral, o que acabou me fornecendo essa bagagem distinta da Ed. Física. Pensei até em escrever livros sobre os assuntos, mas como desde a década de 60 existe uma espécie de Máfia das Editoras, na maioria das vezes o escritor perdia dinheiro escrevendo livros. Fiquei na minha até surgirem os blogs e sites da internet onde, sem qualquer gasto, posso dar uma satisfação aos ancestrais educadores e sem qualquer parceria comercial ao redor da informação, que sempre leva o leitor a outros espaços que findam, fatalmente, em endereços de sacanagem.

    Tive muitas ofertas de parceiros comerciais para o site. Experimentei alguns, mas quando observei as consequências de um “mouse distraído”. Parei com parcerias. Por mim, eu não sairia da frente do PC, mas a vida exige que ganhemos algum dinheiro. Tentei resolver o problema falando com o Ministério da Cultura, mas me mandaram tentar algum incentivo pela chamada “Lei Rouanet”, cujo sucesso dependeria de acertos com empresas comerciais.

    Consultei algumas, e todas foram unânimes na conclusão: Superfatura-se a iniciativa e recupera-se, com propaganda, o mais que possível do dinheiro “perdido para o governo” nos impostos.

    Não entro nessas sacanagens financeiras, todavia, a Lei Rouanet não deixa de ser uma boa alternativa para incentivo da cultura, desde que haja sensatez e honestidade entre todas as partes envolvidas. É uma pena que seja tão mal usada.

    Aliás, para um administrador de empresas como você, estudá-la seria uma boa chance de auferir lucros de maneira honesta. Basta fazer um cálculo correto de custos e promover um entendimento com o departamento de marketing. Você promove o encontro do artista ou escritor com o empresário e ganha o seu percentual por tal trabalho. A internet tá cheia de gente igual a mim, que dá a informação apenas pela simples necessidade educadora de fazer a sua parte pelo crescimento cultural do país.

    Ainda pode-se ganhar dinheiro honestamente se usando das iniciativas governamentais, que embora saudáveis, diante da péssima fiscalização sempre acabam dando em falcatruas, como Blog de Maria Bethânia e shows do Caetano Veloso, ambos bem acima de um milhão de reais aprovados pelo governo.

    Pense nisso. Abraços.

  525. 525

    Fábio said,

    October 17, 2011 @ 9:08 pm

    Pô, valeu a dica, bixo. Dentro do possível vou me informar à respeito do assunto, sim.

    Muito legal a tua iniciativa. Conforme eu te disse antes, nunca pensei em me meter no meio cultural, porém, eu aprendi, sozinho, a tocar bateria, sempre gostei e tirava boas notas em Literatura e tive meu avô, por parte de pai, que era um famoso humorista de rádio das décadas de 40, 50, 60 e 70 aqui no Rio Grande amado. Ah e torço pro colorado, um time que tem, na sua história, o futebol bonito e bem jogado, em detrimento do futebol força do Grêmio…eheh.
    Então, sempre fui apaixonado pela arte, cultura, as coisas feitas com paixão, mesmo sem saber, quando era mais piá. E aí descobri esse lado meio poeta e me apaixonei. Então quando achei o teu site aqui, me identifiquei muito, fiquei muito curioso e meus poemas começaram a sair mais “motivados” pelo grande horizonte de conhecimentos que encontrei na página para melhorar os poemas.
    Assim, te agradeço novamente por tudo.

    Até a próxima
    Abraços

    Fábio

  526. 526

    Fábio said,

    October 18, 2011 @ 12:00 am

    Dalton, fiz uma homenagem ao maior rockeiro desse país!!

    Raulzito Seixas

    Nascimento na linda Bahia
    no momento, ainda de dia
    começava, então, sua estrada
    o chiclete, a coluna entortada
    o topete, a japona rasgada
    venerava a mão na guitarra

    Os amigos do peito chegavam
    pra tirar mais um rock no grito
    bem aflitos, bem feito, gritavam
    pra matar pais, avós e os primos

    Diferente dos outros já era
    bem esperto, pra tudo, frieza
    e na frente de todos a fera
    tem de certo Maluco Beleza

    No início da sua carreira
    com seu vício à sua maneira
    se mandava ao Rio de Janeiro
    na cidade que move promessas
    a maldade da fome começa
    veraneava num frio derradeiro

    Chateado por dias frustrados
    ele volta pro seu doce lar
    de revolta, temeu por seu ar
    bem letrado ele lia um bocado

    Da leitura, formou pensamentos
    da postura, criou movimentos
    e assim foi compondo seu som
    foi cantando, crescendo, gritando
    encantando, bebendo, inventando
    e pra mim foi mostrando que é bom

    O total dos seus fãs vem nascendo
    tem em mim o maior já formado
    anormal nos meus vãs pensamentos
    vem assim o fervor cá contado

    Me pergunto porquê foi embora
    agradeço por tudo que fez
    eu me junto à você qualquer hora
    e padeço sortudo de vez

    Abraço

  527. 527

    admin said,

    October 18, 2011 @ 7:52 am

    Pois saiba que todo bom compositor musical não abre mão de dois elementos fundamentais tanto à Letra quanto à Melodia: Percussão e Contrabaixo.

    Agora você esclareceu uma dúvida que eu tinha sobre a sua facilidade para trabalhar com o Ritmo Poético dos versos, que é o elemento mais complicado do poema.

    Já escutei vários bateristas bons, mas destaco o lendário Gene Krupa, do Jazz, e o brasileiro Milton Banana, surgido na Bossa-Nova. Há um outro arrepiante trabalho de percussão num acústico do Gil. porém o que mais me assombrou, em tal assunto, veio do Rock. Aí vão os quatro:

    http://www.youtube.com/watch?v=IOVZ1gZDexo&feature=related

    http://www.youtube.com/watch?v=Ivq9OK1D2_E&feature=related

    http://www.youtube.com/watch?v=wVEZzX214FQ

    http://www.youtube.com/watch?v=dLDalZ4-53g

  528. 528

    admin said,

    October 18, 2011 @ 8:02 am

    Esse lance de matar a família, Raul tirou do Baghavad Ghitá, um dos livros religiosos do Vedas, onde há um diálogo entre Arjuna (um jovem mortal) e Krishna (Criador), onde o primeiro enxerga uma batalha a ser travada por ele para tornar-se homem pleno. Só que todos os seus inimigos são parentes.

    O livro é uma boa leitura, já que, no seu caso, tem parte da essência filosófica do primeiro poema que você mandou para mim.

    Abraços.

  529. 529

    Fábio said,

    October 18, 2011 @ 8:44 am

    Bah mas até do Raul tu manja a história…que maravilha!!

    Dalton, não conhecia o Milton Banana….muito bom mesmo!!! Eu sempre gostei muito do Zimbo Trio junto com a Eliseth Cardoso…bah, sempre devorei os discos do meu pai!!!

    E cara, eu começo a sacar que vários recursos que a gente tem, então, facilitam na construção poética, como o lance da bateria, por exemplo. É muito bom ir descobrindo, com tua ajuda, como funcionam essas construções.

    Olha só: o Raul tem uma música chamada “Um som para Laio”, onde ele diz que “…na minha cabeça uma guitarra toca sem parar…”
    Eu costumo dizer que na minha cabeça uma bateria toca sem parar…eheh.
    Porque depois que terminamos a banda, que durou de 1995 à 1998, por aí, eu nunca mais toquei e sempre senti muita falta.

    Mas as coisas começam a se explicar de diversas formas, então. Beleza.

    Abraços

  530. 530

    Fábio said,

    October 18, 2011 @ 8:50 am

    Bahhh…agora tirei o chapéu pra ti…Santana!!! Grande lembrança, maravilhosa percussão!!!
    Melhor que isso só se eu tivésse na platéia…eheheheh

    Abraço

  531. 531

    Fábio said,

    October 18, 2011 @ 11:24 pm

    Dalton,

    Essa vem da saudade da época que não vivi…..

    Era uma vez, nos chalés e bares da rua da Praia, na boêmia Porto Alegre de 1939, à luz dos lampiões de querosene dos postes de ferro fundido…..

    A tarde vai dormir no escuro
    oh noite vem, acorde o breu
    alarde sai, ouvir noturno
    só move quem sacode os seus

    Romance amado, belas ruas
    no transe atado, velas, lua
    casais sentados, os amantes
    o vento lambe seus cabelos
    momento ame seus anseios
    amai em fados os cantantes

    Instantes doces, bons, suaves
    que cante hoje o som das aves
    visões sentidas, ver nascer
    paixões bem vindas, merecer

    Na madrugada do amor
    apaixonada, com fervor
    o seu querer se faz crescer
    o seu poder, de paz viver

    Amando sempre, eternamente
    dançantes, os casais felizes
    avante, sem finais, deslizes
    andando nesse céu ardente

    Manhãs chegadas, repousados
    dormir sereno, mãos em nós
    maçãs dentadas, seus pecados
    sentir sem medo, vão a sós.

    Abraços
    Fábio

  532. 532

    admin said,

    October 19, 2011 @ 7:25 am

    Um poeta muitas vezes escreve sobre coisas que supõe não ter vivido, mas acaba descrevendo com exatidão. Esse é o enigma da arte. Abraços.

  533. 533

    Fábio said,

    October 19, 2011 @ 2:06 pm

    Putz, errei Dalton.

    Na quarta quadra, pra seguir a cadência 2-4-6-7 no segundo verso, devo tirar o “com” e colocar um “e”!! Procede???

  534. 534

    admin said,

    October 19, 2011 @ 9:35 pm

    Fica melhor, de fato, mas não está ruim.

  535. 535

    larissa said,

    October 20, 2011 @ 12:56 am

    que ridiculo estas rimas , poemas , versos seila faz algo com sou a sou b sou gostoza pode cre ai nao sei nem praque que eu fui ver estes trem de funeral que o povo ainda chama de poesia !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! cruses

  536. 536

    nathalia said,

    October 20, 2011 @ 1:00 am

    lindo . oooooh parabens pra quem fez ta di parabens eu gostei de todos , pena que nao deu pra veeeeh todos eu parei no numero 2 , 1 ou 2 nao sei mais um seculo eu ainda concigo terminar de ler todos

  537. 537

    nathalia said,

    October 20, 2011 @ 1:04 am

    ooooohi so eu denovo eu tambem fis uma poesia si e que pode se chamar isso de poesia na verdade sao 2 1primeira nao tenho tudo que amo mas amo tudo que tenho e a outra e assim amo a lua amo o luar amo voce em primeiro lugar epero que gostem

  538. 538

    admin said,

    October 20, 2011 @ 6:51 am

    Olha que a vida é tão linda
    E se perde em tristezas assim
    Desce o teu rancho cantando
    Essa tua esperança sem fim
    Deixa que a tua certeza
    Se faça no povo a canção
    Pra que o teu povo
    Cantando o teu canto
    Ele não seja em vão…

    Querido Vandré:
    Esse é o resultado do seu Porta-Estandarte?
    - Cruses!

  539. 539

    admin said,

    October 20, 2011 @ 6:55 am

    Nathalia:
    Quantos anos você tem?

    Para iniciar nos poemas, você colocou pensamentos bonitos.
    Volte quando desejar e leia tudo.

    Grato pela visita, pelo elogio e volte sempre.
    Dalton.

  540. 540

    Fábio said,

    October 22, 2011 @ 10:02 pm

    Buenas amigo Dalton.

    Te encaminho mais um poema.

    Numa terra encantada
    uma era é renovada
    lá na vila pescadora
    cada vida é sonhadora

    Na antiga falta, o peixe
    de saudade do seu dono
    por vontade do seu povo
    na voltinha, nada à rede

    No controle da matança
    tem sucesso o seu progresso
    sem regresso ao retrocesso
    novo ode à bonança

    Grandes barcos comerciantes
    que outrora se fartavam
    sem demora se deparam
    diante fatos relevantes

    Povaredo bem unido
    tem no mar seu aliado
    morto em medo, o inimigo
    sem nadar foi afogado

    Na defesa do seu peixe
    há beleza que se beije
    terminando com comércio
    eis de volta seu trabalho
    que se possa, sem atalho
    ver findando o impropério

    A feliz comunidade
    continua seu reinado
    com a lua, mar, pescado
    aprendiz com humildade

    Abraço
    Fábio

  541. 541

    admin said,

    October 23, 2011 @ 8:04 am

    Grande Gaúcho:

    Se ao invés de “diante fatos” você colocar “ante fatos” fica melhor, porque devemos evitar o abuso desse recurso poético, o de contrair os sons que normalmente estejam separados no linguajar cotidiano. Concordo que o “dian/te”, na estrofe, acabou virando parceiro sonoro do “co/mer/cian/tes”, mas, numa declamação do poema, o ouvido de quem escuta acha meio estranho.

    Espero que você esteja guardando bem esses poemas que costuma enviar para mim, pois têm um valor literário muito grande e deveriam navegar mais “mares nunca dantes navegados”.

    Você já pensou em montar uma espécie de Clube da Poesia Gaúcha? Imagino que o Rio Grande deva guardar mais poetas como você que necessitariam de uma boa vitrine para expor os seus trabalhos mais voltados aos costumes e escritas regionais.
    Não se trata de uma idéia literária separatista, mas sim da manutenção de um texto menos carregado de gerundismos e conjugações simplistas, cujos males acabaram assolando de forma quase que irrecuperável os textos da Língua Portuguesa nas demais regiões do país, ao observarmos a extinção gradativa das conjugações em Segunda Pessoa do Singular, ou mesmo da Primeira do Plural, com a troca de “fazemos” por “a gente faz”, que vem tendendo rapidamente para o absurdo de “a gente fazemos”.

    Faço o que posso aqui pelo Sapiens, mas creio que mais pessoas deveriam se preocupar com isso. Tente conversar com o povo da Secretaria da Cultura do Rio Grande, ou mesmo com o da Fundação Mario Quintana. Exponha os seus trabalhos e incentive os mais jovens.

    Vocês gaúchos possuem uma incrível essência colonizadora, e o próprio crescimento agrícola do norte e nordeste brasileiro é apenas um pequeno exemplo disso.

    Quem você pensa que conseguiu melhorar aquelas terras áridas de lá? A essência comercial do sudeste ou a disposição prática e objetiva do sul? O pessoal do comércio usa o telefone e o gaúcho sobe no trator.

    Planto cá as minhas sementes, mas como quem mais entende de colonizar pela lavoura é o seu povo, empresto com prazer as minhas “sementes certificadas” do Sapiens para qualquer grande lavoura gaúcha. Se tantos as usam para o comércio, como já pude observar, por que não autorizá-las para para lavouras mais honestas. Copie e semeie também, pois estará apenas contribuindo com o meu sonho educacional.

    Abraços, Tchê!

  542. 542

    Fábio said,

    October 23, 2011 @ 9:34 am

    Dalton

    Não percebi a simplicidade abaixo do nariz. E te confesso que, além de achar estranho, sim, o “adiante” ao escrevê-lo, demorei pra pensar outra palavra, quando ela estava caindo de maduro, bahh….
    Já providenciei o conserto.

    Estou guardando todos, sim, Dalton. Todos estão num caderno especial, para mim, pois veio da Itália, de presente, para minha esposa (tomei emprestado por tempo indeterminado..rsrs) e suas folhas parecem pergaminhos, beges, num material reciclado. Show de bola o caderno. Escrevo ainda à caneta preta de tinta. Me sinto um bibliotecário escrevente da Idade Média…rsrsrs. Só falta uma caneta tinteiro daquelas clássicas…

    Bah, bixo, se você diz que tem um valor literário muito grande, obviamente que fico muito feliz, e tentarei, sim, verificar alguma coisa nessa questão de “navegar em mares nunca dantes navegados”……..

    Imagino como as pessoas do meio, como você, se sentem ao ler as diversas formas tenebrosas de escrever, principalmente, da gurizada da era da internet. Acho esse tipo de escrever um treino equivocado para o cérebro, pois numa redação, no colégio, duvido que, sem perceber, não escrevam muitas palavras da mesma forma.

    Grande abraço
    Fábio

  543. 543

    Fábio said,

    October 23, 2011 @ 10:16 pm

    Dalton, fiz um bem legal e com carinho especial…..

    Saudades da infância

    Encravados na minha memória
    acabados em finda história
    os saudosos momentos se movem
    caminhando além do presente
    e chorando quem tem o que sente
    calorosos tormentos explodem

    Explodindo saudade sentida
    eu vou indo na idade perdida
    na lembrança dos doces da vida
    na infância, nas dores sofridas

    Na saudade do meu coração
    onde moram amigos do peito
    onde foram benditos os feitos
    amizade se deu não em vão

    Bem jogado o jogo no campo
    na caçada, o peixe pescado
    da amada, se beije apertado
    vem pegado, um louco sarampo

    Muita febre e dor de barriga
    assolaram as minhas andanças
    pus, de leve, se pôs na ferida
    acordaram as minhas entranhas

    Tem corrida e tem futebol
    vem chovida, que bem pune o sol
    escutar as canções que ninguém
    a lembrar armações se contêm

    Picolé, o gibi devorado
    algodão que é doce, comido
    fiz de pé o xixi apertado
    alçapão me esconde, fugido

    Recordar é viver, diz ditado
    das lembranças do nosso passado
    relembrar é dizer, milindrado
    pra infância eu volto apressado

    Abraços

  544. 544

    admin said,

    October 24, 2011 @ 7:10 am

    Fábio:

    É impressionante como poeta gosta de tratar dos confortáveis tempos idos. O futuro, por ser incerto, costuma representar um desafio particular do poeta. Tente também exercitar-se nas profecias. Quanto ao poema de hoje, a pressa me permitiu somente uma breve olhada e observei o seguinte:

    Ao invés de “eu vou indo”, acho que “vou seguindo” ficaria mais suave. Não fique “melindrado” comigo, eheh.

    Abraços.

  545. 545

    Fábio said,

    October 24, 2011 @ 8:42 am

    Prometo não ficar melindrado…eheheh

    É fica melhor, sim…melhor encaixe no verso.

    Humm, “confortáveis tempos idos”…essa verdade é uma busca por segurança, por algo imutável e aí se faz a ausência de risco, não é mesmo?? Preciso pensar mais à respeito, com certeza, até porquê, preciso de novos desafios, preciso evoluir…..

    Valeu, Dalton
    Abraço

  546. 546

    Fábio said,

    October 25, 2011 @ 11:23 pm

    Dalton…

    Tive um dia pesado, encheção de saco hoje, e pra completar, chove….
    Aí fui escrever…..e saiu um troço atravancado, ranzinza, sei lá..

    Tem dias que a gente se sente
    com todo o peso do mundo
    no poço do peito, no fundo
    bem fria se sente a vertente

    A chuva caindo lá fora
    vem forte, molhando o dia
    sem sorte, soprando a via
    a bruma saindo agora

    A névoa cegando desejos
    qual cela celando anseios
    a água que veio do espaço
    afoga meus bons sentimentos
    decora meus dons de tormentos
    há nada no meio do abraço………..(há nada, sou feio, bagaço)

    Assim como não se amando
    em mim, morro, então, me calando
    sentindo, tolhida do peito
    se indo, a vida sem feito

    Ah, escrevi lembrando do gol do Alex, contra o meu colorado aos 44min do segundo tempo….só pra inspirar a desgraça….eheheheh

    Abraços
    Fábio

  547. 547

    admin said,

    October 26, 2011 @ 7:18 am

    Fábio:

    Um dos grandes problemas que os analistas de construção poética sofre é pegar um poema iniciando num verso já consagrado em outro poema. “Tem dias que a gente se sente” é o primeiro verso de uma das músicas mais significativas do Chico Buarque: Roda-Viva; e por mais que tentemos não lembrar dela, os versos restantes não saem do nosso Ritmo Interior.

    Quanto ao seu Cântico Atravessado, não o despreze. A cadência 2-5-8 é muito forte e deve ser melhor trabalhada em outros poemas, que podem, inclusive, usar alguns dos versos já feitos.

    Quanto ao Alex, posso dizer que o meu Santos sofre do mesmo mal do seu Inter: Produz o craque nas bases, vende pra Europa e eles voltam ingratos jogando noutros times. Veja o Renato, do Botafogo. Fez parte da geração Robinho em 2002, foi pra Espanha e voltou para dar trabalho pro sofrível zagueiro Edu Dracena.

    Quem manda formar direito o jogador na base. A culpa por tudo isso é do Rubens Minelli.

    Abraços.

  548. 548

    Fábio said,

    October 26, 2011 @ 8:33 am

    Ah, entendi, entendi…..

    Cara, pior é que até me lembrei do início da Roda Viva, mas a primeira música que me veio foi “As Profecias” do Raul, onde os primeiros versos são:

    “Tem dias que a gente se sente
    um pouco, talvez, menos gente
    um dia daqueles sem graça
    de chuva cair na vidraça…”

    Que coisa…

    Pois é, tchê, como dói formar bons jogadores e vê-los voar para Europa e ligeirinho, ligeirinho, o Damião tá batendo asas pra lá. Infelizmente o futebol virou um negócio onde o dinheiro está acima da ética, dos valores etc. Exemplo é o Inter que está faz um século para assinar com a Andrade Gutierres porque, no mínimo, os dirigentes estão discutindo quem embolsa mais…

    Abraço

  549. 549

    maria leticia said,

    October 26, 2011 @ 9:20 am

    e porque eu tenho uma competiçao e quero saber sobr isso

  550. 550

    admin said,

    October 26, 2011 @ 11:42 am

    Leticia:

    Antes de qualquer coisa, você precisa de um assunto sobre o qual irá escrever um texto. Uma vez escrito o texto, traga-o para cá que eu a ensino a transformá-lo em poema. Fica bom assim?

    Aguardo resposta.
    Dalton.

  551. 551

    Bruno Lama said,

    October 27, 2011 @ 10:45 am

    Olá Dalton, estou começando a criar alguns poemas, gostaria de sua opinião, vou deixar aqui um dos que eu escrevi.

    Processos em mim

    Quando no final do ato desmaiei
    A imagem que via
    Era como um teto preto cheio de estrelas
    Que num movimento alucinado faziam música
    Enquanto ruídos e tremidos vindos da chuva
    Inundavam o meu corpo e o lavava as fuças
    Escorregando nas pedras de belas curvas
    Quando…
    No final de uma estrada com pontas agudas, as notas escutei

    E na intensidade da clave
    De sol, de lua e de anzol
    Deitado estava o corpo
    Ali meio de lado, exausto
    Do tanto que move mesmo parado

    Recobrando os sentidos
    Abrindo os olhos e desentupindo os ouvidos
    Desdobrando os dedos
    Negando um amigo e sem sentido
    Sentindo

    Para logo depois dar razão ao sentir
    Abrindo o peito naquilo que diz
    Tocando o seio de delicado bico
    Retornando aquele estado
    Onde deitado fica (ou está?)

    A esmerar-se entre as bases sólidas
    De músculos frágeis
    Que não sabem se quer que, estão a agir
    No sentido contrário do diluir
    Transformar em líquidos
    E nas espirais de vínculo fluir

    A lidar com o desespero
    A fugir dos movimentos
    A discordar do “vamos ali”
    A preocupar-se com o que sente aqui
    A perguntar-se sobre o porquê sentiu
    A depurar as partes e a enxergar a fio
    Que o corpo e o ato, se trata como fosse raro
    Pois todo ele é único e não está num retrato
    Onde possa analisar e dizer: Exato, é isso de fato!

    Colocando num quadrado aquilo que é liquido
    Perdendo-se do seio de lindo bico
    Há vontades que morrem antes de partir
    Deixando de lado a oportunidade de um lindo sorriso abrir
    E por isso, não deixo de gritar aquilo que vivi e ainda vivo
    Em todas as partes de mim

    Entoando palavras da sintonia e buscando a harmonia
    Do amar em pequenos gestos
    Reconhecendo o movimento das vidas que me cercam
    Agindo naquilo que reconheço como sincero
    Errando, negando, escutando as coisas sem culpa nem ego
    Deixo atingir, presto atenção no eco
    E assim, espero
    Pois num desmaio de silêncio, as coisas se revelam

  552. 552

    admin said,

    October 27, 2011 @ 6:03 pm

    Bruno:

    Embora com uma textura descritiva bem subjetiva, há algumas regras que distinguem o poema da prosa. A principal delas permite ao verso nada além de catorze sílabas poéticas. Para ultrapassá-las, e continuar sendo poema, é necessário um bom trabalho de Métrica e Ritmo Poético. Você pode, por exemplo, fazer um verso com 24 sílabas poéticas, desde que cada metade dele apresente o mesmo comprimento e ritmo. Como num dobre de Alexandrinos com acentuação nas sílabas pares, o que daria ao verso a seguinte configuração rítmica: 2-4-6-8-10-12-14-16-18-20-22-24; num dobre de alexandrinos jâmbicos.

    Nada de querer misturar versos com comprimentos diferentes num só, pois a regra exige que a Cesura ocorra na exata sílaba central:

    eu/SEI/que/TE/nho-em/MIM/um/JEI/to/IN/co/MUM/ /de/CONS/tru/IR/o/MEU/po/E/ma/NA/can/ÇÃO

    Algo assim é aceito nos poemas desde o tratado de versificação ocorrido no Parnasianismo. Se for para ultrapassar as 14 sílabas poéticas, os Hemistíquios do verso têm de apresentar igualdade no ritmo.

    O trabalho sonoro das rimas é muito bom, capaz até de sustenir os paradoxais bemóis sugeridos no final da primeira estrofe e princípio da seguinte.

    Não sei qual é a sua intenção com o poema. Basta que você o entenda ou quer que mais gente o faça? Caso seja a segunda opção, você terá que vulgarizar mais o seu texto para torná-lo objetivo, com enredo compreensível etc. Caso entenda o poema como algo tão pessoal que só deva ser entendido pelo íntimo do poeta, o valor é o mesmo, todavia, para manter-se poema, terá de seguir as regras da Ciência Poética, que consta no cabeçalho das páginas do Sapiens.

    Aqui vai um exemplo de paradoxo poético escrito por ninguém menos do que Chico Buarque:

    http://letras.terra.com.br/chico-buarque/86002/

    Grato pela confiança, bom estudo e volte sempre.
    Dalton.

  553. 553

    Fábio said,

    October 30, 2011 @ 8:42 pm

    Buenas amigo Dalton…

    Como vais, depois do show do Neymar?…..rsrs pergunta idiota, eu sei…

    Tchê, depois de um belo passeio em Gramado e Canela, nesse fim de semana, onde levei a gatinha para ver a Cascata do Caracol, me inspirei num poema sobre o rio da cascata. Eu que dou um dedo para estar no mato, pescando, me embrenhei com a gatinha rio adentro e daí sairam os versos abaixo. Abraços

    O rio dos meus sonhos

    O rio, veloz, correndo a montanha
    caminho feito, rastro molhado
    no frio, feroz, vertendo se assanha
    abrindo denso mato fechado

    Contorna tocos, rochas, dilemas
    reflete céu e verdes plantados
    serpentes, mel, sementes, os patos
    adora todos, forma belezas

    Histórias descem plantas molhadas
    memórias crescem, tantas passadas
    batalhas vivas, bichos comendo
    a cada dia, vivos morrendo

    Os sons das águas vão se passando
    os dons em cada grão, germinando
    o rio fervendo vida no curso
    as flores dormem sono na noite
    odores correm soltos no front
    no frio, comendo, lida o urso

    A bruma branca pousa no escuro
    manhã chegada, aves cantando
    oh, rã pelada, nade pulando
    o puma alcança pomba no pulo

    Descendo calmo, rápido, lento
    tecendo traços, ávido vento
    assim formando belos caminhos
    no fim quebrando galhos nos ninhos

    Molhados bichos, peixes nadando
    dourados nichos, feixes dourando
    da mata saltam sapos, aranhas
    araras falam alto, sacanas

    Pra sempre rio, andando a nadar
    protege vidas, mata aguando
    a sede vinda trata doando
    no quente, frio, nadando pro mar

  554. 554

    Fábio said,

    October 30, 2011 @ 8:45 pm

    Ahh..e de quebra vim com um Mário Quintana de lá: “Apontamentos de história sobrenatural”.

    Abraço

  555. 555

    admin said,

    October 30, 2011 @ 10:33 pm

    Fábio:

    Mais uma vez, um belo poema. Talvez um outro título como Um Dia, Um Rio… ficaria mais íntimo. O Quintana era chegado nesse tipo de título contrastante. Não me surpreenderia nem um pouco se um dia, ou noite, em certo poema tivesse colocado o nome: Recordações do Futuro. Aliás, não é possível que ele não tenha feito esse poema. Se não há qualquer registro em sua Lira, creio ter sido por puro esquecimento de fazer, porque o poema já nascerá como dele em qualquer época, eheh.

    Quanto ao Neymar, o cara é assombroso, pois foram seis ou sete gols num mesmo jogo. Quatro que valeram e dois ou três anulados. Houve uma ocasião, que não presenciei, onde o Pelé fez sete ou oito gols num mesmo jogo. Dos jogos que pude assistir, o que mais me marcou foi um do Santos contra o Náutico pela antiga Taça Brasil: 4×0 pro Santos, todos do Toninho Guerreiro num jogo com o Pelé em campo.

    Naquele jogo, quem fez a diferença foi o ponta-esquerda Abel, avô desse reporter Abel Neto. O cara era liso que nem quiabo, mas por pegar o Pelé sempre um pouco adiantado, a sobra ficava pro Toninho.

    Isso que o Neymar fez era tão comum em outros tempos. Infelizmente, ainda não pude ver o vt do jogo. Só o dos gols feitos e anulados. Talvez, durante a semana eu consiga.

    Também conheci Canela e Gramado em 1972, quando viajei de carro de Sampa para Porto Alegre. Como só conheci as cidades vistas da estrada, o que mais me impressionou foram as Hortênsias, enormes e multicoloridas.

    Abraços e Parabéns.

  556. 556

    Fábio said,

    October 31, 2011 @ 9:09 am

    Bixo, tens razão…que título óbvio e vulgar que coloquei…vou seguir tua sugestão, sim!!

    “…o poema já nascerá como dele”…sensacional…preciso me interar bem sobre o Mário Quintana, afinal, tenho que beber em boas fontes.

    Essa história que você contou é mais uma da série: maravilhas do Toninho Guerreiro….barbaridade. Quando eu nascer de novo vou aparecer entre as décadas de 40 e 50, escreve aí!!!

    Dalton, quando puder, não deixa de viajar à Gramado e até mesmo outras cidades da Serra aqui!! Pra te apaixonar mais um pouco!!

    Obrigado pelas dicas e histórias…

    Abração

  557. 557

    admin said,

    October 31, 2011 @ 10:32 am

    Pelo que pude ouvir do Toninho, nas poucas vezes em que se dispôs a conversar comigo na Cantina do Marinheiro, deu para deduzir que era de uma frieza fora do comum. Não gostava muito de ficar lembrando dos gols que, por sinal, pouco comemorava.

    Lembro que a vez que ficou mais animado para falar deles, foi quando observei que ele pouco corria em campo. Costumava mais passar a bola e ir caminhando para dentro da grande área. E isso ele gostou de explicar:

    “Todo ponta ou lateral tem um drible para fazer antes de cruzar para o miolo da área. Cada um tem uma característica de drible que consome um longo tempo. Conhecendo as características do cara, basta calcular o tempo, estar no lugar certo e no momento exato do cruzamento. Pra que correr? às vezes não dava certo e eu pedia desculpas, mas na maioria dava e eu apenas agradecia.”

    O cara era uma “Frigidaire”, ou mesmo “Brastemp”. No lance do gol com o Kaneko ele teve apenas o “desconforto” de saltar para bater de letra, iludindo o goleiro com a perna esquerda e colocando a direita para trabalhar por detrás.

    Como você tem o gol aí, pode reparar que ele nem comemorou, pois o dono da grande jogada foi o ponta.

    Lembra do gol da reestréia de Robinho no Santos? ele fez o mesmo com o Rogério Ceni. Deu a perna esquerda pra ele se divertir e meteu uma letra com a direita, com a bola passando entre o goleiro e a trave. Não teve a linda carretilha, mas o drible foi igual ao do Toninho naquele memorável gol.

    Toninho gostava muito de ficar só, beliscando uns camarões e tomando a sua cerveja. Tinha lá os seus motivos que nunca saberemos.
    Abraços.

  558. 558

    Fábio said,

    October 31, 2011 @ 8:06 pm

    Minha nossa senhora, mas que maravilha de história!!! De gênio e louco todo mundo tem um pouco, mas ele tinha mais……

    Vou pegar minhas fitas novamente, mas esse gol tá na retina, cara. Nunca esqueci dessa jogada….pra você ver como me encantava o futebol preto e branco, mas completamente de ouro: eu lembro do gol do Toninho Guerreiro mas não recordo desse do Robinho…que coisa!!

    E essa história divina que o cara contou???? Mas que espetáculo, que provilégio!!
    E que inteligência!! É por essas e outras que se vê o jogador diferenciado, inteligente!! O cara estudava os jogadores e as suas características….muito bom!!

    Outro cara frio era o Quarentinha, do Botafogo, que não comemorava os gols, não é mesmo? Mas esse um pouco mais pra trás…..Garrincha, Quarentinha, Paulo Valentin, Didi e Zagalo….

    Abração
    Assim que der te mando mais poemas

  559. 559

    admin said,

    October 31, 2011 @ 10:37 pm

    Quarentinha era uma das figurinhas carimbadas da página do Botafogo nos antigos álbuns. Um Quarentinha valia muitos Belinis do Vasco, ou Didas do Flamengo, ou Pampolinis da Portuguesa nas trocas.

  560. 560

    Fábio said,

    October 31, 2011 @ 11:55 pm

    eheh…grande historiador futebolista….

    Dalton, sinto os poemas fluindo mais facilmente. Acho que os treinos estão ajudando. Te encaminho mais um, mas olha só: eu juntei dois quadrantes pra ficar melhor entendido o conteúdo dos dois, na hora que o divã fala….não sei se pode isso no poema….o que me dizes??? Pode ser feito assim, ou separo os dois???

    Desafios, momentos chegados
    os meus brios, mexendo gelados
    amanhã me espera vencendo
    meu suspiro me vence no peito
    me atiro de frente, com medo
    um divã me manera, dizendo:

    “No conforto do teu paradeiro
    vem chegando um jogo pegado
    te deixando um pouco de lado
    todo torto teu eu jaz inteiro
    Inseguro mas já decidido
    os teus medos serão controlados
    teus receios terão encontrado
    o teu duro tentar conseguido”

    Esperança crescendo de dentro
    a bonança querendo desejo
    trabalhando focado na luta
    batalhando trabalho, labuta

    Me vem doce sucesso chegando
    e me coube progresso tentando
    eu venci, vem a glória sentida
    esforçado soldado guerreiro
    esperando, pensado, penseiro
    consegui a vitória querida

  561. 561

    admin said,

    November 1, 2011 @ 10:27 am

    Fábio:

    Venho reparando que você evita usar os Artigos Definidos, tanto singular quanto plural, nos poemas. Se, por um lado, o texto ganha uma configuração poética mais nobre, por outro, perde a objetividade na compreensão do leitor. Como tais artigos são muito prestativos às fusões em sílabas poéticas, logo, poucas consequências causam à Métrica e Ritmo dos versos, convém o poeta não furtar-se ao uso, sob pena de tornar os poemas cada vez mais paradoxais. Quanto à possibilidade de cuzar assuntos distintos num mesmo poema, tal recurso é até comum entre os poetas mais famosos, desde que mantenham nos textos isolados algum vínculo entre as partes no contexto, sob pena de perder-se a objetividade. Veja um famoso exemplo:
    http://www.youtube.com/watch?v=H263F_Ds298
    Na música, o poeta conversa consigo mesmo, escrevendo cartas para si mesmo, que nunca envia (aí seria até paranóia). Como se fosse um Diálogo dele com seu Divã da consciência.

    Agora estou meio sem tempo e não dá pra procurar o endereço da minha postagem aqui no Sapiens sobre a obra. Vá você mesmo até um dos índices do cabeçalho, Alfabético ou O Livro, procure a composição pelo nome e leia. Será muito útil.

    Dei algumas mexidas no texto original apenas “supondo” estar na mesma linha filosófica. Repare que tais mexidas deram ao poema novas propostas, das quais destaco a ênfase no diálogo Poeta e Divã, com o segundo se referindo diretamente ao primeiro, ou vice-versa, num aviso.

    Mais uma vez o poema lembra um fragmento do livro védico Baghavad Ghitá, nos diálogos de Krishna com Arjuna, tão apreciados e majestosamente descritos pelo querido Raul em versos, e também tão bem aproveitados pelo oportunismo de escritores que o cercavam.

    Reflita sobre tudo isso. Abraços.

    Desafios, momentos chegados
    os meus brios, mexendo gelados
    o-amanhã me espera vencendo
    meu suspiro vencendo no peito
    me atiro de frente, com medo
    e-um divã me manera, dizendo:

    “No conforto do teu paradeiro
    vem chegando um jogo pegado
    te deixando um pouco de lado
    todo torto-o teu eu jaz inteiro
    Inseguro mas já decidido
    os teus medos serão controlados
    teus receios terão encontrado
    o teu duro tentar conseguido”

    a-Esperança crescendo de dentro
    a bonança querendo-o desejo
    trabalhando, focado na luta
    batalhando, trabalho-a labuta

    Veio doce-o sucesso chegando
    e me coube-o progresso tentando:
    - Eu venci, vêde-a glória sentida
    esforçado soldado guerreiro!
    esperando, pensado, penseiro
    consegui a vitória querida

  562. 562

    Fábio said,

    November 1, 2011 @ 12:55 pm

    Ah saquei, saquei, beleza…..

    Na verdade, Dalton, eu não uso por dois motivos: fico em dúvida sobre a junção dos artigos definidos com as palavras e a quantidade de sílabas (embora com seus retoques já me liguei como usá-los mais tranquilamente) e porque sempre que te mando os poemas, o faço logo depois de tê-los produzido, sem lapidá-los, e acho que aí que está meu erro, não é mesmo??

    É que eu os faço quando dá na telha e aí fico ansioso pra colocá-los no site e no meu caderno, aí não fico analisando pra ver os erros. Mas vou começar a estudá-los pra ver as imperfeiçoes.

    Valeu, bixo….abração

  563. 563

    Fábio said,

    November 1, 2011 @ 8:55 pm

    Dalton, preciso tirar uma dúvida contigo:

    Eu sei que as letras de músicas são poemas, no entanto, em algumas músicas que fico analisando, noto que as cadências mudam, por exemplo, da primeira estrofe para a segunda. De um 3-6-9, vai para um 2-5-7, etc.
    Essa é considerada “licença poética” para música???
    A música não precisa seguir as “regras” de um poema não-musicado???

    Abraço
    Fábio

  564. 564

    admin said,

    November 2, 2011 @ 8:17 am

    Buenas Colorado!

    Vamos fazer uma brincadeirinha de paródia:

    Ouviram la dos pampas colorados
    De-um povo heróico-o brado retumbante
    Pois alvi-rubros eram-os raios fúlgidos
    Iluminando-a bola muito antes

    Se-há penhor nessa igualdade
    Entre-a bola e um Falcão, não vem do norte
    Pois o seio da liberdade
    Cabeceio de Escurinho dita-a sorte

    Oh pátria amada, idolatrada, salve, salve
    Meu Inter, sonho-intenso-em raio vívido
    De-amor e de-esperança-à bola cresce
    E-ao teu formoso céu risonho-e límpido
    É-a-imagem Beira-Rio quem reza-a prece

    Gigante pela própria natureza
    Que preza-ao futebol de tantas glórias
    Minelli só mostrou a trajetória
    Pra poucas bolas
    Dentre outras mil, alguma vil não é história
    Dos filhos deste solo-és pai gentil
    Colorado-é Brasil

    A melodia você deve conhecer bem. Embora paródia, a letra seguiu os mesmos atributos poéticos da original, em Métrica, Ritmo Poético e Estrofação nos versos, que apresentaram distintos comprimentos tanto nas estrofes diferentes quanto na mesma estrofe. Quanto à Métrica, temos dois tipos de poema: Poema Regular (versos com Métrica e Ritmo idênticos em todo o poema) Poema Irregular (versos com Métrica diferente, mas Ritmo coerente). Isso não é Licença Poética. Um exemplo dessa licença está no terceiro verso, quando fundi “eram+os” em dois tempos. A gramática sempre condenou essas tentativas de sílaba poética, mas teve de aceitar que, embora as suas leis não permitam, o natural som do linguajar popular usa e abusa desses tipos de fusão, onde some com a vogal e inventa um plural “erams” no som resultante.

    Embora se veja muita música por aí com a poesia toda capenga (pés quebrados), o que difere a qualidade de uma bem escrita de uma mal feita, normalmente, é a resposta do ouvido popular, que costuma gostar mais daquelas que obedeçam os fundamentos da Ciência Poética, caso contrário, Lupicínio Rodrigues, Chico Buarque, Ary Barroso, Gilberto Gil, Noel Rosa… não se preocupariam tanto com tais elementos em suas construções de letra, tampouco teriam tanto sucesso com suas músicas.

    Como você conhece alguns outros instrumentistas, que não bateristas, por aí, eu sugiro que também comece a pensar em colocar melodia nos seus poemas. Normalmente, embora não tanto usados, os contrabaixistas costumam criar lindas melodias. Bastará ao letrista medir os comprimentos dos versos melódicos e ocupar as notas musicais com sílabas. Esse é o segredo da composição musical, vulgarmente tratada por “música”. Como você é do rock, veja este exemplo de Charlye Brown Jr.

    Você já éraá
    Eu vou fazer dum jeito que-ela não vaisquecer (vai+esquecer)

    O cara sabe do que está escrevendo. Tem intimidade com a Lira, eheh.

    Gostou do Hino? Ficou melhor escrito?

    Boa sorte com o seu Inter por aí, que, por aqui, eu apenas me preocupo em não fazer tão feio no Mundial. Treinador de time é algo tão sério, que deveria ser escolhido por voto popular. A diretoria de um clube faz as besteiras e o resto do país amarga a vergonha? Vocês deveriam riscar o Roth do mapa colorado para sempre, porque além de incompetente, é muito mais grato ao Grêmio. Só falta agora trocar o Dorival pelo Felipão. Não que o segundo seja mal técnico, pois já provou o contrário, mas é, sabidamente, muito mais do rival do que da casa.

    Boa sorte em ambos os campos, o da bola e o da poesia.

    Abraços.

  565. 565

    Fábio said,

    November 2, 2011 @ 11:44 am

    Bah, mas que espetáculo de hino…eheheh
    “cabeceio de Escurinho dita a sorte”..ficou demais, e não tinha pra ninguém, mesmo….eheh

    O hino ficou sensacional….muito obrigado!!!!

    Dalton, quando tu escreveu sobre a diferença entre uma letra mal escrita e uma bem feita, e cita os gênios que citou logo em seguida, e diz que a resposta à qualidade é a que o ouvido popular decide,pelo uso dos fundamentos da Ciência Poética…….me caiu a ficha!!!

    Apesar de eu escutar a vida toda esses caras, por causa do meu pai, que adora também, eu nunca pensei na Ciência Poética. E aí é que está a questão (assim como pro Noel “…sair do Estácio é que é o x do problema”…eheheh) pra mim, me parece mais claro, que a Ciência Poética é o x da minha dúvida…..

    Tchê, o Ganso, que pra mim, ligeirinho, será o melhor meia armador do mundo (tomara que se recupere logo), junto do Neymar, vão encomodar o timáço do Barcelona, e imagino que vão trazer o caneco para o Brasil!! Será o jogo do novo século!!!!!
    Eu também não suporto esse Roth, é muito ruim e metido ainda por cima.
    E vou te dizer: quero é mais que o Dorival fique por anos no Inter, pois coloca o time pra frente e, se tiver o Dagoberto para o ano que vem e, Deus queira, que o Damião não seja vendido (acho impossível, mas…), aí as coisas mudam de figura….

    Ah…já tenho uns camaradas para tentar musicar alguns versos, vou fazer meus contatos….

    Valeu Dalton..obrigado mesmo..

    Nos falamos…

    Agora vou lá arrumar, com carinho, a minha C-O-S-T-E-L-A, que jaz repousada na minha tábua……eheheheh ( Não fica babando por aí que a patroa briga contigo…eheheh)

    Abração
    Bom feriado

  566. 566

    admin said,

    November 2, 2011 @ 4:48 pm

    Fábio:

    Você citou a música onde Noel trabalhou de forma mais malandra o aspecto Ciência Poética. Fazia muitos truques com métrica, ritmo e rimas nos textos dos versos. Veja:

    Nasci no Estácio! 2-5
    Fui educado na roda de bamba 1-4-7-10
    Sou diplomado na escola de samba 1-4-7-10
    Independente conforme citei 1-4-7-10

    O único verso que destoa dos demais em metro e ritmo e rimas é o primeiro. Agora veja o texto dessa Quadra, onde os versos 2, 3, e 4 se “dependem” em metragem e ritmo, todavia o quarto, onde anunciou a “independência” foi o único em que ele usou a vogal E como tônica na estrofe. Colocou Rima de Eco nos 3 versos interdependentes e deixou o primeiro diferente. Sacou a jogada do texto explicando a construção?

    Isso não é coincidência coisíssima alguma, porque ele fez numa porrada de músicas.

    São coisas que atingem o inconsciente do ouvinte e tornam as músicas pegajosas sem que ele saiba. Algo quase subliminar.

    Bom churrasco!

  567. 567

    Fábio said,

    November 2, 2011 @ 5:42 pm

    Humm…..conforme tu vais explicando eu vou analisando as orientações nas músicas. E com o tempo vou sacando, sim.
    Importante, para mim, é seguir a orientação até cair as fichas e ,então, aprender as formas de construções.
    Vou dar uma olhada nas letras novamente, de agora em diante e, em vez de simplesmentes curtí-las, vou analisar suas construções.

    Fiz um poema ontem à noite e terminei hoje.

    Bem reflete nos meus olhos
    os teus lindos traços móveis
    me aquece nos meus sonhos
    teus queridos braços dóceis

    Lembro tudo do passado
    penso, mudo, no acabado
    o silêncio me alucina
    me pergunto do ocorrido
    no meu mundo mais sofrido
    eu padeço a minha sina

    O momento imprevisto
    dolorido, não avisa
    sofrimento vem, crescido
    com sofrido não da vida

    Duas vidas separadas
    luas vivas, apagadas
    o carinho adormecido
    o caminho interrompido

    O destino sem memória
    não lembrou do seu trabalho
    encurtou o seu atalho
    hoje eu vivo sem ter glória

    Vem saudoso o pensamento
    doloroso o sentimento
    quem me dera ver chegando
    a paixão de apaixonado
    coração em ser gostado
    que se entrega ao ser amado

  568. 568

    Fábio said,

    November 2, 2011 @ 5:58 pm

    opa, opa…

    Onde se lê “…que se entrega ao ser AMADO”..troque-se a última palavra por AMANDO.

    “que se entrega ao ser, amando”

    Falou???

  569. 569

    admin said,

    November 3, 2011 @ 7:42 am

    Fábio:

    Uma das formas de você entender melhor as composições musicais, nas construções poéticas, é observar o que já fiz sobre isso por aqui. No cabeçalho das páginas do Sapiens há um endereço: O Livro. Lá coloquei as músicas do Chico em ordem cronológica, e a maioria delas apresenta no rodapé da página um outro endereço. Por exemplo:

    http://mpbsapiens.com/noite-dos-mascarados-analise-poetica/

    Dê uma olhada e veja como a coisa é feita.

    Abraços.

  570. 570

    Fábio said,

    November 3, 2011 @ 8:25 am

    Beleza……teu site é meu “livro de cabeceira” online…

    Estou navegando bastante…

    Valeu

    Abração
    Fábio

  571. 571

    Fábio said,

    November 5, 2011 @ 8:31 pm

    Buenas, mestre Dalton

    Como vais?

    Tchê, depois do belo passeio que fiz hoje, na Feira do Livro, na Praça da Alfândega, que, de quebra, me rendeu 9 livros, me inspirei para escrever sobre as fachadas velhas, lindas e misteriosas dos prédios antigos. Aí vai…

    As fachadas velhas e apagadas
    dos seus prédios lindos esquecidos
    privilégios vivos, merecidos
    de quem passa delas, mal amadas

    Esquecidas sob olhar alheio
    são queridas do fitar que tenho
    as ferrugens nos seus ferros sujos
    são temperos doces, saborosos
    dos anseios, hoje, temerosos
    me iludem nos meus berros mudos

    Que segredos guardam do passado?
    que momentos fardam bem pesado?
    as histórias sofrem apagadas
    são paixões vividas entre muros?
    traições mal vistas no futuro?…..(sentidas no escuro?….. sentidas sem futuro?)
    as memórias doem mal lembradas

    O que contam os mistérios surdos?
    os passados morrem nas paredes
    e calados correm sorridentes
    e se formam cemitérios mudos

    Nas cansadas linhas dos seus traços
    mal tratadas pelo tempo atroz
    são amadas, minhas, nos meus passos
    e lembradas no meu peito e voz

    Abraços, amigo

  572. 572

    Fábio said,

    November 5, 2011 @ 8:38 pm

    Dalton…

    Mudança na primeira sextilha, verso 5 e verso 6:

    Troquei… (DOS anseios, hoje, temerosos) para
    (NOS anseios, hoje, temerosos)
    Troquei….(me iludem NOS meus berros mudos) para
    (me iludem OS meus berros mudos)

    Abraço colorado, peixe..

  573. 573

    Fábio said,

    November 5, 2011 @ 11:40 pm

    Putz…

    Na segunda sextilha, no segundo verso é PESADOS…no plural…..

  574. 574

    admin said,

    November 6, 2011 @ 5:34 am

    Fábio:

    Outro belo poema retratista. Você pode até ser mais contemporâneo do que eu, mas a sua construção poética é rigorosamente de outra época. É como se o Tempo estivesse fazendo um depoimento sobre o que fazemos enquanto ele corre, usando a rígida Versificação Regular do Clacissismo grego, para explicar um Presente social que tende à extinção da construção poética pelo Verso Livre.

    Leia o que já postei sobre Anáclase. Facilita muito a objetividade dos textos em Verso Regular.

    Amplexos Gaudérios.

  575. 575

    Fábio said,

    November 6, 2011 @ 10:18 am

    Bah, gostei de ler isso…eheheh

    Puxa vida, obrigado pelo elogio!!

    Preciso entender melhor a “construção poética rigorosamente de outra época”….
    Só sei que eu que sinto uma saudade enorme de uma época que não vivi. Não sei o que é isso, mas sou apaixonado pelas coisas preto e branco que vivem na minha imaginação!!

    Vou pesquisar o Clacissismo Grego e a Anáclase, mas é já!!!

    Valeu Dalton
    abraço

  576. 576

    admin said,

    November 6, 2011 @ 10:36 am

    Mesmo porque as notas eram surdas
    Quando um deus sonso e ladrão
    Fez das tripas a primeira Lira
    Que animou todos os sons

    http://www.youtube.com/watch?v=aTRTvlzOafA

    Hermes era o nome da fera criança, que roubou uma das reses Nelore de Apolo, mas não sabendo o que fazer com as tripas, acabou, à partir de um galho curvo, inventando um brinquedinho chamado Lira, que o imponente deus olímpico gostou e adotou como instrumento nos recitais dos seus poemas. Como os poemas de Apolo eram voltados aos próprios feitos, a presença da Lira acompanhando deu origem ao termo Lírico, que é o poeta que escreve sobre si mesmo.

    “Mesmo porque estou falando grego com sua imaginação”, o termo Classicismo pode parecer meio careta, mas foi o mais fértil em criatividade, já que nasceu da própria Mitologia Grega.

    Bom divertimenteo.

  577. 577

    Fábio said,

    November 6, 2011 @ 10:47 am

    Dalton, a anáclese é o que ocorreu no penúltimo quadrante do poema, então??

    o que contam os mistérios surdos?
    os passados morrem nas paredes
    e calados correm sorridentes
    e se formam cemitérios mudos

    Termina um verso com sílabas átonas e começa outro com sílaba átona????

  578. 578

    Fábio said,

    November 6, 2011 @ 11:08 am

    Bah…não vi que tu já tinhas me respondido…..por isso perguntei as dúvidas acima.

    Esse movimento me interessa muito, já que tenho muita curiosidade sobre os gregos, a arte etc. Linda história do Apolo e da criação da lira, hein???

    Valeu as dicas…..já comecei a me divertir no primeiro poema que te mandei. Agora o que eu mais quero….é continuar me divertindo…eheh
    E aprendendo, e aprendendo,sempre.

  579. 579

    admin said,

    November 6, 2011 @ 7:52 pm

    Anáclese funciona como uma fusão normal de sílabas átonas em poética, mas requer vogais contração de duas vogais, ou mesmo a identidade sonora das sílabas envolvidas. Veja que anáclese interessante pode ser feito com os dois primeiros versos da estrofe que você citou acima:

    o que contam os mistérios surdos-os
    passados que morrem nas paredes.

    ou mesmo:

    o que contam os mistérios sur
    dos-os passados morrem nas paredes.

    Essa fusão dos+os pode pertencer à contagem métrica de qualquer dos dois versos. O poeta é quem determina, mas não podem atender à métrica de ambos os versos. Tal recurso poético permite ao poeta colocar, por exemplo, no verso anterior um “E”, necessário à sintaxe do texto, mas incabível no verso seguinte por questão de ritmo ou métrica.

    Vai estudando aí nos fandangos, tchê.

  580. 580

    Fábio said,

    November 6, 2011 @ 9:14 pm

    humm…tá bom, tá bom….vou estudando porque é o que me resta…eheheheh

    Valeu……

  581. 581

    Fábio said,

    November 8, 2011 @ 9:18 pm

    Buenas amigo, Dalton

    Não me aguentei e tive que escrever alguma coisa, cara. Que loucura que me bate: do nada me vem uma agonia no peito e começam a surgir algumas idéias e depois vem uma vontade de escrever que depois de feito, é quase que um orgasmo, tamanho alívio…eheheh

    Fiz uma brincadeira de um assunto que sou apaixonado: os animais selvagens!! Bichos que me fascinam, apaixonadamente, aqui no meu pampa!! Quem dera ter competência pra colocar todos nos versos, deixei uns clássicos de fora, como Quero-quero, Jaguatirica, Sabiá, Bem-te-vi…fazer o quê??

    Abraços

    Aí vai…

    Grunhindo abaixo dos galhos
    fugindo o Gato-do-mato
    pulando do meio do rio
    roncando o feio Bugio

    A Lontra na água pescando
    na sombra da mata, tentando
    o Puma fitando a Cotia
    Ratão-do-banhado roendo
    Furão, esfomeado, comendo
    na bruma, ciscando, a Rolinha

    Se vê Graxaim que é do campo
    correr no capim, saltitando
    Zorrilho comendo a serpente
    caminho, fedendo, se sente

    Ouriço subindo no tronco
    Preás assustadas sem jeito
    os bichos sumindo bem loucos
    voar melindrados de medo

    Veado-mateiro se esconde
    na rala da mata fechada
    a Páca não pára deitada
    calados no meio da noite

    Gavião-Carcará elegante
    cuidando dos ratos ligeiros
    chegando o Gato-Palheiro
    ladrão, a matar no instante

    Meu Rio que é Grande do Sul
    com brio, vai adiante no azul
    do céu mais amado que viste
    me traz lindos bichos gaudérios
    em paz, vivo os nichos, bem sério
    no mel mais melado que existe

  582. 582

    admin said,

    November 9, 2011 @ 8:43 pm

    Fábio, não esqueci do seu poema. É que quando comecei a responder, os assuntos foram ligando e tudo virará uma postagem do Sapiens, que suspeito publicar amanhã.
    Abraços.

  583. 583

    Fábio said,

    November 9, 2011 @ 11:48 pm

    Pô, sem stress, bixo. Nos falamos quando der.

    Grande abraço
    Fábio

  584. 584

    admin said,

    November 10, 2011 @ 11:51 pm

    Pronto Fábio:

    Ficou uma longa postagem, onde misturei parte como resposta a você e parte como informação para todos os que costuma ler o que escrevo. Peço desculpas por tê-lo usado para a segunda finalidade sem aviso prévio, mas creio que vc entenderá bem o porque. A postagem está na primeira página do Sapiens. Continuaremos este papo por lá.

    Grato e abraços.

  585. 585

    Fábio said,

    November 11, 2011 @ 7:37 am

    Mas que é isso cara, não precisa pedir desculpas por nada, tchê!! Eu é que sou só agradecimentos.

    Valeu a atenção.

    Abraços
    Fábio

  586. 586

    Fábio said,

    November 11, 2011 @ 11:55 pm

    Dalton,

    Terminei agora um poema que tinha começado uns dias atrás. É um resumo bem resumido da história de como “fisguei meu peixão”…eheheh

    Bah…me inspirei nas letras malandras, irônicas e maldosas do Noel Rosa…tomando cerveja!!!

    Te vejo passando, tranquila
    na paz do teu morno casório
    rapaz, o teu noivo, simplório
    teus beijos amando na vida

    Contentes pensando em montar
    caliente e manso, um lar
    na felicidade iludida
    vão presos na sua ilusão
    vão cegos de alguma paixão
    na sua idade querida

    Aos poucos, sofrendo, cortejo
    bem louco, querendo, desejo
    o seu doce amar, me amando
    espero em bem pouco tempo
    tolero meu louco tormento
    o meu soluçar acabando

    Sem ver, o teu noivo te entrega
    aos meus braços bem decididos
    nos teus traços bem definidos
    te ter, o meu corpo te leva

    O teu meio-amado se foi
    perdeu a mulher que lhe vinha
    correu, com os galhos de boi
    meteu a colher que não tinha

    eheheheh…..esse ficou bom!!

    Abraços
    Fábio

  587. 587

    Fábio said,

    November 12, 2011 @ 12:46 am

    Dalton,

    pra você, que tem bom gosto de arte na música, preciso contar:

    postei, entre um gole e outro, o poema acima vendo o Nelson Motta apresentar um pedaço de programa sobre o grande João Nogueira!!!!! Espetacular é pouco, não é vero??

    Ao som dum téco-teleco-téco da melhor qualidade, me depeço, por hoje:

    Boa noite!
    Fábio

  588. 588

    Fábio said,

    November 12, 2011 @ 1:06 am

    Eu sei que sou chato….mas depois do João Nogueira, veio o Pelé entrevistado pelo Jô Soares!!! Sou obrigado à dormir mais tarde…..to indo dormir nas núvens…..

  589. 589

    grazielly said,

    November 12, 2011 @ 9:19 am

    ESPERANÇA
    com esperança consigo paz
    com esperança consigo amor
    com esperança te beijo e
    consigo um verdadeiro amor!

    não sei se tá bom mais manda a resposta
    obrigado por ter lido!!!

  590. 590

    Fábio said,

    November 12, 2011 @ 12:57 pm

    Dalton:

    Achei sensacional a entrevista com o Chico Buarque. Quando ele começou a explicar sobre o palhaço, o circo, o poeta, me deu um estálo. Sempre pensei em fazer um poema sobre o palhaço e o poeta, acho que os dois se fundem num mesmo caminho e criam a mesma arte, fazem a mesmíssima coisa.

    Sou fã dos Trapalhões e choro até hoje, vendo “Os satimbancos trapalhões”E quando toca atrilha sonora, então, eu não me seguro, viro uma criança pedindo colo, e sei lá porquê.

    Conforme já te contei, meu avô foi humorista de rádio e circo, aqui no RS. Muito famoso, fazia dupla, na rádio, com o Walter Broda. O vô colorado e o outro gremista.
    Assim, juntei saudade, circo, poeta e palhaço e fiz, em lágrimas, o seguinte poema, que chamei:

    Pinguinho de palhaço versado

    O palhaço se transforma no poeta
    o poeta toma forma no palhaço
    puras metas como norma no espetáculo……( ia colocar “pedaço”)
    com retalhos de manobras bem seletas

    Se confundem dois caminhos percorridos
    nos iludem os amigos, bem sabidos
    a alegria vem chorada, confundida
    poetando lindos sonhos inventados
    inventando risos, choros poetados
    da agonia vai risada, explodida

    Nesse circo, cuja lona não esconde
    verso livre, muita onda no horizonte
    vão voando como o vento vem ventando
    misturadas, suas artes coloridas
    encantadas, duas partes movediças
    vão criando como invento inventando

    Um Pinguinho de paixão e de família
    um caminho de emoção e de quadrilha
    nas lembranças lembra, forte, o coração
    dos seus netos, filhos grandes e esposa
    prediletos, indo avante de saudosa
    fala mansa, densa e forte, em oração

    O seu povo, que saudoso o idolatra
    sempre diz que o seu passado encantado
    bem feliz se deu amado e presenteado
    no meu vô, o ser idoso das piadas

    Abraços

  591. 591

    admin said,

    November 12, 2011 @ 5:09 pm

    Grazielly:

    Quantos anos você tem?

    Vou contar um segredo: Procure não repetir as palavras nos finais de verso ao usar a rima. Fica meio pobre o poema. Dei uma pequena mexida e veja como ficou:

    com esperança consigo paz
    com esperança cultivo a flor
    com esperança te beijo e mais
    consigo o verdadeiro amor!

    Viu como é? Volte toda vez que precisar.
    Dalton.

  592. 592

    admin said,

    November 12, 2011 @ 5:20 pm

    Fábio:

    Não sei se você viu, mas respondi o seu comentário anterior com outra postagem, que considerei necessária pela proposta que fiz.

    Caso a fábula ganhe ares gaúchos, como ela é quase toda escrita em versos, talvez o texto deva ganhar um sotaque mais adequado, e isso eu deixararia para você mudar o que achasse meio fora da linguagem daí. Assim que deixarmos a coisa encaminhada ou não, também mando ou não a peça toda por e-mail e vamos conversando por ele.

    Já está registrada, tanto na Biblioteca Nacional quanto nos Direitos Autorais, portanto isso não será uma preocupação sua e imediata.

    Quanto ao poema acima, saiba que na peça há algo que aproveitei dos Saltimbancos, mas peço que me dê um tempo até amanhã para retornar, porque tenho outros afazeres mais urgentes por aqui hoje. Abraços.

  593. 593

    Fábio said,

    November 12, 2011 @ 8:47 pm

    Beleza, mestre Dalton!!!

    Eu vi que você respondeu, mas não consegui ler toda a resposta. Até amanhã eu vejo e te respondo, bixo!! As minhas gatinhas estão brigando comigo pelo uso do PC…ehehe

    Mas amanhã te respondo…

    Valeu, Dalton

    Abração

  594. 594

    Fábio said,

    November 14, 2011 @ 8:25 am

    Dalton, respondi no outro comentário já.

    Abraços

  595. 595

    admin said,

    November 14, 2011 @ 9:30 am

    Fábio:

    Me perdoe pela demora nas respostas, pois estou no meio de uma postagem importante. Assim que terminá-la tratarei de mandar um e-mail pra você com orientações primárias e, em anexo, o texto da peça. Creio que isso só poderá ser feito depois do almoço, pois requererá uma calma maior.

    Abraços.

  596. 596

    Fábio said,

    November 14, 2011 @ 11:35 am

    Tranquilo, Dalton. Sem problemas, imagina.

    Valeu
    Abraço

  597. 597

    Fábio said,

    November 15, 2011 @ 10:37 pm

    Dalton:

    Fiz um poema baseado numa frase que ouvi vendo o DVD do Mário Quintana. A frase era mais ou menos isso: “a casa das 7 portas”. E aí comecei a pensar algumas coisas….

    Bah, e ainda me atrevi fazer algumas anáclases…..vê aí o que tu acha, ok??

    Aí vai…

    Do meio da casa eu vejo as portas
    às vejo fechadas: um meio de rotas
    que metas escondem as cinco trancadas?
    serão os passados, sofridos, refeitos?
    virão os sonhados caminhos perfeitos?
    secretas, envolvem, à mim, contempladas

    Na porta primeira encontro a saudade-e
    só vejo a infância, florindo, faceira
    em meio à distância, sorrindo, arteira
    da porta inteira, o socorro à idade

    Na porta segunda encontro a amizade-e
    confio, tranquilo, em belo presente
    mantido, querido, me pego contente
    da porta segunda eu movo a cidade

    Da porta terceira eu vejo a bondade-e
    me pego pensando que o mundo precisa
    me levo tentando de tudo na vida
    em novas maneiras, desejo à vontade

    Na quarta encontro o bondoso carinho-e
    nos lares devemos fazer, afagado
    nos ares queremos é ver, assoprado
    da falta, se novo, é honroso caminho

    Na quinta eu encontro e vejo o amor
    na vida eu perdôo e passeio, sem dor
    me sinto fechado em santa esperança
    na casa temida das portas do medo
    escadas, subidas, nas rotas me vejo
    abrindo os cercados em tantas andanças

  598. 598

    admin said,

    November 16, 2011 @ 7:36 am

    Fábio:

    Uma anáclase não transfere o registro de um verso para o outro. Veja como os versos 1 e 2 da segunda estrofe deveriam ser escritos:

    Na porta primeira encontro a saudade
    E só vejo a infância, florindo, faceira

    Por ser apenas uma questão de interpretação sonora de sílaba poética, a anáclase é apenas sentida na declamação, mas o registro original e correto permanece.

    Há também um outro recurso chamado Cavalgamento, que transfere de um verso pra outro parte do conteúdo sintático. O Cavalgamento é considerado um recurso poético de alta nobreza, mas tem regras muito severas. Dê uma estudada lá no glossário e depois comece a tentar enobrecer algum dos poemas com tal estratégia.

    Abraços.

  599. 599

    Fábio said,

    November 16, 2011 @ 8:34 am

    Barbaridade, mas eu compliquei algo que é simples!!
    Mas tá entendido.

    Certo, verei o Cavalgamento.

    Valeu
    Fábio

  600. 600

    stefany said,

    November 17, 2011 @ 5:10 pm

    eu nao sou poeta

  601. 601

    admin said,

    November 17, 2011 @ 7:48 pm

    Como você sabe disso, Stefany? Conta pra mim.

    Grato pela visita e volte.
    Dalton.

  602. 602

    Fábio said,

    November 19, 2011 @ 12:57 am

    Buenas, mestre Dalton

    Me inspirei na floresta mostrada num programa de TV e fiz o seguinte poema:

    Mata virgem, intocada
    vem fuligem, temperada
    e chegando o seu momento
    a acabar a sua vida
    e deixar floresta viva
    ver morrendo o movimento

    Homem branco e as doenças
    bem trouxeram as desgraças
    inventando as negras crenças
    terminaram com a graça

    As florestas esverdeadas
    de moléstia, derrubadas
    vão chorar a água fresca
    onde bebem os sedentos
    homens brancos, violentos
    a cortar as tábuas densas

    Animais em desatino
    correm mais em sacrifício
    a salvar a sua vida
    sem saber que no correr
    correm bem para morrer
    no tentar sua corrida

    Dependendo uns dos outros
    ao morrer uma espécie
    sem querer, desaparece
    um morrendo, morrem todos

    E o branco “inteligente”
    que acha franco o que ele sente
    se ilude por pensar
    que cortando a floresta
    vai montando sua festa
    para o chefe lhe pagar

    Acabando o nosso verde
    vai secando a nossa sede
    e os bichos definhando
    precisamos de socorro
    do amor do nosso povo
    para os nichos ver cuidando

    Abraços, gaudério-paulista

  603. 603

    admin said,

    November 19, 2011 @ 9:17 am

    Algumas dicas úteis:

    “águas tensas e tábuas densas” caem bem na parada.

    A cabeça do Homem Criador inventa a Serra-Fita, usa a Criatura para ganhar o dinheiro daquele que dita a espessura da tábua e a Serra-Circular finaliza o processo, tirando as cascas laterais da tábua, que foi de uma tora, que um dia pertenceu a uma árvore.

    Toda essa putaria sócio-ecológica pode ser descrita assim:

    Com todo-esse meretrício
    Os bichos em sacrifício
    Só visam salvar a vida
    Sem saber que no correr…

    Caso a filosofia acima seja outra, tem também – difícil, precipício, male ou benefício, início, hospício…

    Perde, vêde, vêdes..

    Quando for lapidar a criança, dê um pulinho em Todas as Rimas Brasileiras, que fica aí no cabeçalho, e encontrará um monte de possibilidades.

    Depois o paulista aqui é que vira um gaudério?

    Por falar nisso, agora justificarei o atributo pedindo um favor:

    Há um jogo memorável que gostaria de poder guardar comigo para assistir quando sentisse vontade de rever a criatividade perdida do futebol brasileiro. O jogo é Santo André 3 x 2 Santos, que foi a final do campeonato paulista de 2010. Embora não tenha feito nenhum gol, o Ganso participou diretamente em dois gols e foi decisivo na retenção de bola para não levar mais gols. Em tal jogo ele inventou algo inédito no futebol, que foi cobrar o escanteio para si mesmo, esperar algum adversário perceber o que ocorrera, para em seguida marcá-lo com a intenção de, se possível, cavar mais um escanteio. Fez várias jogadas semelhantes nessa mesma partida.

    - Como faço para conseguir ter tal jogo comigo. Você sabe?

    Fico no aguardo e abraços.

  604. 604

    Fábio said,

    November 19, 2011 @ 6:22 pm

    Fala, mestre Dalton

    Cara, te confesso que não lapidei nenhum dos poemas que te mandei. Depois de feitos, o êxtase é tão grande que viro pro lado e durmo!! Bem salafrário, eu não olho mais pra eles para lapidar, só para admirá-los, cegamente.

    Já senti que tenho que ajeitar todos eles. Vou tentar, vou tentar…

    Bah, esse jogo tá na minha retina até agora, parece que foi ontem. Sempre que o Ganso vai jogar eu procuro ver o jogo, com o Neymar junto, então….
    E nesse jogo ele deixou o Neymar na cara do gol com passe de letra…genial bailarino!!

    Dalton, eu entender de computador e coisas on-line é como o Grêmio ganhar algum campeonato, tamanha ruindade…..Em todo o caso, acho difícil conseguir o jogo inteiro. Pelo menos nunca vi, nem ouvi falar de alguém que tenha conseguido. Agora, se for melhores momentos que tu queres, no youtube, tu deves saber melhor do que eu, dá para baixar por um programa que tu deves ter aí no teu PC.

    De todo jeito, vou conversando com uns amigos, aqui, entendedores desses causos. Se conseguir alguma informação, te aviso, ok?

    Abraços

  605. 605

    admin said,

    November 19, 2011 @ 7:52 pm

    Fico então na espera. Abçs.

  606. 606

    Fábio said,

    November 24, 2011 @ 3:04 pm

    Buenas, mestre Dalton

    Tchê, consegui o site do jogo que tu queres.

    Digita aí: http://blog.futvideos.org/

    Está tudo explicado no site, tranquilo pra baixar. Inclusive já vi que tem o seu Santo André x Santos que tu queres,ok??

    Grande abraço
    Fábio

  607. 607

    admin said,

    November 24, 2011 @ 4:08 pm

    Obrigado Fábio.

    Vou lá bisbilhotar. Abraços.

  608. 608

    deer antler spray said,

    November 24, 2011 @ 7:32 pm

    I’m frequently to running a blog and i truly admire your content material. The article has actually peaks my interest. I’m going to bookmark your internet site and preserve checking for new details.

  609. 609

    admin said,

    November 24, 2011 @ 8:46 pm

    Welcome and thanks for the visit.
    Dalton.

  610. 610

    admin said,

    November 24, 2011 @ 9:53 pm

    Fábio:

    Fui lá no site, mas só achei os melhores momentos, e mais uma vez, nada do escanteio. Mas valeu a tentativa. Se tudo der certo, amanhã coloco mais uma parte das Raízes.
    Abraços.

  611. 611

    Fábio said,

    November 25, 2011 @ 8:54 am

    Putz, mas que azar, meu! Jurei que os jogos eram completos. Que pena. Mas tudo bem, continuo a busca por aqui. Achando eu te mando.

    Ok, terminei de ler a segunda parte ontem.

    Abraço

  612. 612

    Fábio said,

    November 25, 2011 @ 10:15 am

    Dalton

    Faz tempo que quero tirar uma dúvida contigo.

    Lembra que uma vez tu me disse que é raro o fato de tentar rimar todas as palavras dos versos??? Pois é, eu faço isso porque eu tenho a sensação de que assim é “mais correto”. Parece que, se eu não fizer assim, o poema fica capenga ou incorreto, pelo menos é a sensação que eu tenho.
    Como sou muito perfeccionista em tudo que me proponho a fazer, acho que os versos seguem essa linha também.
    Tenho notado, nas minhas leituras, pelo menos do que li até agora, que na maioria dos textos, os versos são rimados mais no final. Não vi ninguém rimar o verso inteiro.
    E aí fiquei pensado no seguinte:

    Quando eu tento rimar um verso inteiro, eu travo uma luta desgraçada para tentar achar uma palavra que encaixe com a do verso anterior mas que tenha a mesma rima, obviamente. Quando vem uma idéia, se eu não acho uma palavra, EU DESCARTO A IDÉIA DO VERSO, e tento encaixar outra idéia para a futura palavra a ser encontrada com a mesma rima. Ao ponto que, se eu rimar somente os finais dos versos, a idéia pode seguir, porque fica muito mais fácil achar uma única ou duas palavras para rimar ao final do verso.
    Acho que rimando os finais dos versos, me abre um leque muito maior de opções de palavras a serem encaixadas pelo contexto do verso para completar a idéia do conteúdo que quero transmitir.

    Te pergunto:
    O que tu achas??? O que eu deveria fazer???

    Fico no aguardo, bixo

    Abraços
    Fábio

  613. 613

    admin said,

    November 25, 2011 @ 11:14 am

    Fábio:

    Leia um pouco mais sobre os recursos sonoros, Aliteração e Assonância. Não é necessário encontrar palavras que rimem perfeitamente no interior do verso, mas, em caso de Assonância, por exemplo, procurar repetir ao longo do verso a mesma vogal tônica. Ex:

    Fábio trata da safada abstrata a cada fornada – Aliteração (A)
    A fada falada fasta e afagada – Aliteração (F) + Assonância (A)

    Não devemos correr o risco de repetir esses efeitos sonoros inúmeras vezes em mesmo poema, porque isso o torna cansativo ao ouvido de quem escuta.

    Quanto a rimar os versos por inteiro, veja o exemplo:

    Garoto e Poetinha, gente humilde a desfilar
    Maroto esse sambinha num Brasil do Calabar

    Esses versos são parte de um samba que fiz para a Mangueira em 1997. Não fiz isso no samba inteiro. Por falar nisso, você entende de endereços musicais? Venho tentando escutar esse samba e não tenho conseguido. Caso possível, peço o favor de ir até o endereço abaixo e tentar escutá-lo. Caso consiga, depois me conte:

    http://mpbsapiens.com/mangueira-98/

    Grato e aguardo

  614. 614

    Fábio said,

    November 25, 2011 @ 9:04 pm

    Tá certo. Entendi, entendi.

    Dalton eu tentei ouvir e não consegui. Quando se clica no link “mangueira 98″ ele vai direto para o 4shared. Esse é o programa que eu uso para baixar músicas, mas a sua eu não achei. Não consegui ouvir.

    Posso ir tentando fuçar por aqui para tentar encontrá-la.

    Mas Dalton, como é o nome da música????

  615. 615

    admin said,

    November 25, 2011 @ 11:11 pm

    Fábio:

    O nome é “Chico Buarque da Mangueira”.

    Grato por enquanto.

  616. 616

    Fábio said,

    November 26, 2011 @ 8:29 am

    Ok. Por enquanto não consegui ouvi-la. Mas no fim de semana vou procurá-la com mais calma.

    Abraços

  617. 617

    admin said,

    November 26, 2011 @ 9:55 am

    Grato e abraços

  618. 618

    anttonia said,

    November 27, 2011 @ 8:48 am

    ser surpe heriona é legal maneiro e nunca cança tenho 8 anos gosoto de escreve no notebook nem to escrevedo opoema s falanso e muito meu nome é antonia

  619. 619

    admin said,

    November 27, 2011 @ 9:31 am

    Antonia:

    Por enquanto você é Super-Princesa de poema infantil, mas com certeza vai virar logo uma Super-Heroína de muitos poetas.

    Obrigado pela força e venha sempre com o seu notebook. Um Beijo.
    Dalton.

  620. 620

    Ivan Carlos Maldaner said,

    November 28, 2011 @ 12:27 pm

    Amigo estou com um monte de provas e tenho que fazer um poema. será que vc nao poderia quebrar um galho pra mim e fazer um poema.

  621. 621

    admin said,

    November 28, 2011 @ 4:07 pm

    Ivan:

    Já passei por tudo isso e sei como é difícil a coisa, portanto me vinguei da escola por nós dois na nobre forma de Soneto Italiano, pois a vingança tinha de vir em forma forma Heróica:

    Soneto das Provas

    É provas sobre provas nessas provas
    Como é cruel a vida do estudante
    A escola sempre joga nas suas covas
    O poema que era pra vir antes

    Antes de todas as provas horrorosas
    Que as sovas de uma escola-o submetem
    Os versos do poeta nas desovas
    Se perdem e novas provas se remetem

    Talvez não seja muito elegante
    Fazer um bom soneto desse jeito
    Nos versos vérsus provas dá vareio

    Pras provas nessas sobras do estudante
    Poeta todo aberto no seu jeito
    Porém c´o verso, o peito e o saco cheio

    Faça bom uso, mas aqui vai um conselho: Diminua o número de atenções menos importantes ao seu redor, assim você fica mais forte nas restantes, como as da escola, por exemplo. Livre-se dela o mais rápido possível e use o diploma para que a vida lhe garanta fazer o que bem entender, mas antes consegue o canudo.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  622. 622

    Fábio said,

    November 29, 2011 @ 9:40 pm

    Buenas, Dalton

    Terminei de ler o livro do Vinícius de Moraes: “Para viver um grande amor” e em muitos poemas dele, vi que a estrutura do texto, no final, termina com seis versos, sendo 3 e 3, assim como seu poema, acima.

    Já vi também, que Camões e outros grandes poetas faziam esse tipo de estruturação de poema. Te pergunto:

    Como se chama essa forma de fazer poema??
    E qual regra a seguir para poder concebê-lo??

    Abraço
    Fábio

  623. 623

    admin said,

    November 30, 2011 @ 7:28 am

    Vinícius e Toquinho também fizeram música com esse nome:

    Para viver um grande amor, Primeiro
    é preciso sagrar-se cavalheiro
    Ser de sua dama por inteiro
    Seja lá onde for

    Atente para o Cavalgamento que o Vinícius colocou em três das estrofes para dar melhor “estética” a elas. Antigamente os poetas se preocupavam também com o visual do poema lido, embora o truque exigisse maior cuidado com a declamação, pois deve ser dada breve pausa no interior do verso cavalgado (anterior) antes da recitação do verso cavalgador, no caso, o seguinte.

    Esse é o motivo pelo qual forneceram apenas uma introdução musical no poema já pronto, cuja precaução do Vinícius transformou em declamado na música:

    http://letras.terra.com.br/vinicius-de-moraes/86815/

    Quanto às questões camonianas, dê um passeio por aqui:

    http://mpbsapiens.com/rima-camoniana-ou-oitava-camoniana/

    Por falar em Vinícius, Camões e Decassílabos Heróicos, você já experimentou fazer algum Soneto?

    Usa êsse Ócio Gaudério pra premiar o Sapiens com um belo soneto. Italiano ou Inglês, pode escolher.
    Abraços.

  624. 624

    Fábio said,

    November 30, 2011 @ 8:56 am

    Bah, mas só se for agora, fazer o soneto. Mas o que é esse bicho, Dalton? Que regras uso para definir o soneto??? Por enquanto só sei fazer os poemas conforme você orientou.Nem no google fui ainda para ver a definição de soneto, mas estou louco para aprender para desenvolver esse desafio.

    Cara, esqueci de te falar: o Chico está fazendo shows aqui em Poa. Hoje é o último, no Teatro do Sesi, e eu vou lá ver o poeta de perto!!!
    Alguma dica para eu prestar atenção???? Na batera espero que esteja o Wilson das Neves, pra eu entender, de vez, que nunca toquei bateria de verdade..eheh

    Abraço

  625. 625

    admin said,

    November 30, 2011 @ 10:04 am

    O Principal endereço para iniciar a pesquisa é:

    http://mpbsapiens.com/soneto-e-assim-que-se-faz/

    Quanto ao Chico, não tenho acompanhado muito o que ele ainda faz de aproveitável para alguém, que testemunhando a sua obra desde o início, consegue pouco entendimento do que faz agora, com uma ou outra excessão, como Sou Eu, por exemplo.
    Aliás, tenho me dedicado ao registro do pacote completo da Ópera do Malandro em Quadrinhos, cuja página principal postei há pouco no cabeçalho do Sapiens.

    Como há um grande vácuo histórico, na Crítica Musical, sobre a obra dele, não tem como fugir do pensamento que já coloquei há alguns dias por aqui:

    Sempre é preciso muito sapiens
    Pra encarar o breu
    Mesmo que esse Sapiens seja-o meu

    Se você quiser dar uma brincadinha com o Chico, quando encerrado o show e ele voltar para alguns pedidos de Bis, chegue próximo ao palco e peça: “Cante aquela do Isaías, do Velho Testamento, Tchê!”. Mas antes convém dar uma conferida:

    http://mpbsapiens.com/rosa-dos-ventos-analise-de-texto/

    Ele costumava ficar contente quando algum fã, instruído por mim, fazia esses pedidos nos shows anteriores, pois era uma forma de saber que estava tratando com uma “Semente Certificada” da sua Agricultura Literária, porque nesse breu todo da crítica, só um cara soube desvendar certos segredinhos das suas letras, e ele sabe quem.

    Se ele perguntar alguma coisa pra você, diga apenas que está trabalhando na Fábula da Roda Nova, mas não se anime muito em ficar contando, pois pode atrapalhar o nosso trabalho. Só cite e deixe o resto pra ele, que sabe sobre a peça menos do que gostaria, eheh.

    Vai lá e depois me conta, porque agora voltarei para a minha Ópera em Quadrinhos.

    Abraços, Tchê!

    Há um grande vácuo histórico na obra dele

  626. 626

    Fábio said,

    November 30, 2011 @ 2:04 pm

    Opa, beleza, beleza.

    Consegui lugar na platéia baixa, mais perto do palco. Se der vou falar, sim, deixa pra mim.

    E realmente, do cd “Carioca” de 2006 e esse agora”Chico” de 2011, eu esperava mais. E já li gente falando a mesma coisa.

    Valeu, Dalton

    Abraços

  627. 627

    admin said,

    November 30, 2011 @ 3:10 pm

    O show dele é que nem jogo de futebol com meia lotação. Aos 30 do segundo tempo todo o povo da geral e arquibancada já estará sentado nas numeradas e invadido também as cativas. Se bobear, na hora do Bis ele ainda distribui autógrafos.

    Boa sorte, mas, por curiosidade, Poá daí tem quantos habitantes?

  628. 628

    Fábio said,

    December 1, 2011 @ 12:20 am

    Amigo Dalton

    Fiz um soneto na corrida. Bem fraquinho, mas é o início do treino.
    Cheguei do show agora, amanhã coloco aqui meus pareceres.

    Abraço

    Faço um soneto para te exaltar
    pois talvez alivie a minha dor
    pequeno remédio de um sofredor
    que faz do silêncio um jeito de amar

    Doídas lembranças do coração
    caminham comigo sem descansar
    alimentam a dor sempre a lembrar
    o fim do amor e da linda paixão

    Ainda que o fogo queime no peito
    escrevo sonetos em oração
    e espero que em paz eu deite no leito

    Quero encontrar no infinito perfeito
    o soneto mais lindo escrito à mão
    e sentir o amor nascido a meu jeito

  629. 629

    admin said,

    December 1, 2011 @ 8:34 am

    Fábio:

    Corrija os Ritmos da maioria dos versos a partir do terceiro da primeira estrofe. Talvez, “Um pequeno remédio salvador” fique melhor, por causa da sexta sílaba tônica, exigência dos Decassílabos Heróicos nos sonetos, tanto Inglês quanto Italiano.
    A configuração está certinha e nobre, com o uso das Rimas Opostas em Quadras e Alternadas nos Tercetos. Os decassílabos também, mas têm que apresentar a sexta sílaba tônica para serem Heróicos.
    Vinícius foi o nosso maior poeta em Sonetos.

    Abraços.

  630. 630

    Fábio said,

    December 1, 2011 @ 8:51 am

    Buenas, Dalton

    Porto Alegre tem em torno de 1 milhão e 400 mil habitantes.

    Cara, o show do Chico foi muito legal, o cara é muito bom músico e tal, ótimo letrista, um poeta, conforme sabemos. Mas me ficou uma ponta de frustração:

    Achei ele muito frio, esquivado, como uma bicho acuado. Ele foi enfiando música em cima de música, não interagia com o público, balbuciava alguma coisa de quando em vez. Sabemos que ele tem o jeitão meio tímido, sempre teve, mas me pareceu um cenário meio “oportunista”, pois foi tudo muito rápido. Parecia que ele estava com pressa. Fiquei meio decepcionado com isso. Ah, e não teve autógrafo para ninguém. O pessoal se amuntuou na frente do palco, no final, esticou os livros e nada.
    Ele tinha que ter feito o público sentir que ele queria estar ali.

    Não sei se o cara tava louco pra se mandar já que era o último show em Poa. Pode até ser. Ou se é estratégia dele de deixar o pessoal com gostinho de quero mais, sei lá.
    Lembro que meu avô dizia: “Nunca chegue perto do teu ídolo demais, deixe ele ir, quieto. Tu podes te sentir decepcionado ao constatar alguns defeitos dele e perceber que ele é uma pessoa normal como a gente. E isso pode te fazer ver o teu ídolo com menos brilho”. Alguma coisa assim, ele dizia. Talvez o Chico saiba disso e mantenha certa distância de propósito.

    Ou tá de saco cheio de pentelhação mesmo. Direito dele.

    Teve duração de 1h e 40min, mais ou menos. Mesmo assim foi muito bom celebrar um pouco a vida com show do Chico Buarque.

    Abraços

  631. 631

    admin said,

    December 1, 2011 @ 10:14 am

    Fábio:

    Havia esquecido que Poá é tão Grande Porto Alegre, quanto a Poá daqui é da Grande São Paulo.

    O seu avô foi bem razoável no argumento Ídolo x Fã, porque a maioria dos nossos ídolos se parecem conosco em virtudes e defeitos, e com o Chico não é diferente, mesmo genial diante dos demais ídolos da MPB. E esse é o motivo pelo qual nunca me permiti maior aproximação dele, embora tivesse recebido tentadoras ofertas para fazê-lo, tanto de irmãs dele quanto de fãs frequentadoras do Polithema, seu time particular de futebol.

    Certa vez, uma das irmãs dele, a atual Ministra da Cultura, fazendo uso de algumas anotações minhas brincou com a cabeça do irmão por um ano, citando algumas coisas da obra que jamais poderia ter observado por dois motivos: Não se interessava tanto assim pelos históricos das músicas do irmão, e vivia próxima a ele.

    A brincadeira dela durou até que ela, desobedecendo um pacto que fizéramos, mostrasse a ele de onde recebia tais informações. Ambos, eu e ele, ficamos putos da vida com a infeliz iniciativa dela. Eu, pela exteriorização das análises particulares, e ele, por saber que havia alguém analisando a obra, na surdina, com uma profundidade maior do que a da crítica literária de então.

    Conclusão: Parei de mostrar as coisas pra ela e ele parou de receber as minhas coisas por ela. Num elas por elas diferente, eheh.

    Posso dizer que, curiosamente, ele de alguma forma retribuiu parte do que havia lido de mim na ocasião. Basta comparar um dos trechos enviados, que consta em:

    http://mpbsapiens.com/a-missao-do-artista/

    com a letra da música Paratodos. Assim que possível farei nova postagem acerca da música Construção, mas aí deixo pra você a curiosidade da espera.

    Quanto à perda de qualidade observada, dê uma olhada no que escrevi em O Livro, que fica no cabeçalho do site.

    O cara não suporta quem o contrarie de alguma forma. Se por um lado fica vaidoso com uma análise aprofundada da obra, por outro emputece quando encontram erros de concordância em suas músicas já feitas. Por exemplo, Sem Fantasia. Começou conjugando na terceira pessoa do singular e terminou na segunda:

    Que da noite pro dia
    VOCÊ não vai crescer
    Vem, por favor não EVITES…
    Vou TE envolver nos cabelos

    Só quem analisa todas as sílabas dos versos é que consegue enxergar essas “heresias” nas letras do Chico. Sou apenas um desses poucos heréges, mas o único que se avilta até a brincar com o caso:

    Sem Fantasia – O Começo do Auto-Exílio
    http://mpbsapiens.com/sem-fantasia-auto-exilio-analise-de-texto/

    Assim como o pouco do que faz hoje não apaga o muito do que fez ontem, o tanto que fez ontem deve sim ser registrado hoje para que se torne eterno, o que facilita a coisa pela internet.

    Primeiro vem a Literatura Brasileira e depois o Chico, que é apenas uma das felizes passagens dela numa época.

    Abraços, e sinto muito pela constatação de ontem.

  632. 632

    admin said,

    December 1, 2011 @ 10:16 am

    E o Corcunda, anda fazendo muito sinal de “Diê num gostê” por aí?

  633. 633

    Fábio said,

    December 1, 2011 @ 10:01 pm

    eheheheheh…..o Quasímodo, criador da Linguagem dos Sinais??

    Cara, é viciante a leitura da peça, mas te confesso que tenho que voltar algumas vezes para ler o início novamente. Meus neurônios limitados não entendem num determinado momento e tenho que ler de novo.

    Eu vi que tu meteu até os Golden Boys na jogada…eheheh…muito bom!!!
    “Non negociê avec essê safadê”….tu tirou onda a peça inteira???rsrsrs

    abraços

    Dalton, não te esquece de dar um pitaco sobre o soneto que fiz mais acima….estou curioso sobre dicas, falou??

  634. 634

    Fábio said,

    December 1, 2011 @ 10:02 pm

    Bah, para tudo! Não vi que tu já comentou sobre o soneto.

    Valeu, valeu….

  635. 635

    Fábio said,

    December 1, 2011 @ 10:09 pm

    Dalton…

    Todos os versos de um soneto devem, obrigatoriamente, ter a sexta sílaba tônica??? Inclusive nos Tercetos??? E o que significa “heróicos????

  636. 636

    admin said,

    December 1, 2011 @ 10:10 pm

    Lembra quando te falei que tinhas a Lira?

    Não é algo simples escrever sonetos, e tu erraste só na cadência dos decassílabos. Essa você tira de letra, que nem o Toninho Guerreiro naquele gol com carretilha do Kaneko. Sei que você conseguirá fazer o Italiano rapidamente. Depois tente o Inglês e mais tarde a Balada, que foi a primeira construção poética de Forma Fixa, cujo histórico remonta aos tempos de Baco.

  637. 637

    admin said,

    December 1, 2011 @ 10:28 pm

    Hoje em dia escrevem qualquer poema com duas Quadras e dois Tercetos e chamam de Soneto. Mas a regra deles exige que os versos sejam todos Decassílabos Heróicos, que possuem a sexta sílaba tônica, que o difere dos demais decassílabos. Entre lá no Glossário Poético e procure sobre Decassílabos. Lá terá todas as informações sobre eles. Quer se divertir um pouco? Vai ver o que acabei de postar na página principal do site. Resolvi contar a Ópera do Malandro em Quadrinhos. Foi uma das melhores coisas que fiz nos últimos tempos. É pura diversão. Uma delícia. Agora tenho que sair.
    Abraços.

  638. 638

    Fábio said,

    December 2, 2011 @ 8:28 am

    Ah, lembro sim!!! Eheheh…grande Toninho Guerreiro!!!
    Saquei o esquema do soneto.

    Pois eu ainda tenho que ver o Raízes IV.À partir de hoje conseguirei ler todos com tempo.

    Obrigado
    Abraços

  639. 639

    admin said,

    December 2, 2011 @ 11:52 am

    Acabei de postar a última Raiz, a V. Bom divertimento.

  640. 640

    Fábio said,

    December 2, 2011 @ 1:59 pm

    Ok. Valeu!!!!!

  641. 641

    Fábio said,

    December 3, 2011 @ 1:17 am

    Buenas, meu bom mestre Dalton

    Eu só vejo o programa “Globo repórter” quando passa matéria sobre bichos e florestas. Hoje passou e me dei conta que precisava fazer um poema sobre uma das minhas várias paixões: os índios!!!

    Aí fiz o dito poema e chamei, originalmente e diretamente, O ÍNDIO!

    Minha vida, com a mata, faz história
    infinita, esverdeada, em doce glória
    meus caminhos vão, selvagens, percorridos
    com o vento a soprar me refrescando
    e no tempo, a galopar, eu vou pescando
    com famintos filhos, virgens, socorridos

    Na caçada do alimento vou lançando
    na calada, em movimento, vou flechando
    ritual de cantoria me acompanha
    nessa luta e retorno à aldeia
    luz da lua, povo em volto à fogueira
    um lual de alegria nos assanha

    Minha paz é o meu convívio na floresta
    onde jaz meu sacrifício, a minha festa
    sempre rezo aos ancestrais que me protejam
    eu me pinto para a guerra se preciso
    eu só vivo para a terra onde piso
    só me apego aos animais que me desejam

    Não permitam, os bons deuses, que acabem
    com os índios que pertencem aos selvagens
    mundos verdes, sonhos feitos de pescados
    equilíbrio natural de velha história
    um convívio ancestral que tem memória
    sonho prenhe e filhos mortos, acabados

    Não esqueci dos sonetos.É que dei atenção especial à minha paixão pelas sextilhas!!!! No fim de semana vou treinar os sonetos!!!

    Abraços
    Fábio

  642. 642

    admin said,

    December 3, 2011 @ 8:11 am

    Fábio:

    Trajetória é muito útil na turma de glória, memória, história…

    Tente também os Hendecassílabos com ritmo 2-5-8-11.

    Embora você já tenha adquirido maior intimidade nas Sextilhas com Rimas Opostas, tente também usar as Sétimas com Opostas (1 com 4 e 7; 2-3; 5-6).

    Outro bom exercício é usar as Sétimas acima usando versos com 7 sílabas. O poema ganha uma densidade incrível.

    Gaúcho do verso nobre
    Aceite a nova matéria
    Feita agora c´oa pilhéria
    Que sobre num verso pobre
    E apenas trate das ética
    Que guarde na sua sétima
    Com pouco ouro e mais cobre

    Abraços.

  643. 643

    Fábio said,

    December 3, 2011 @ 12:56 pm

    Bah, mas que maravilha de desafio!!!!
    Que bom saber que existem outras combinações para fazer os versos. Vou fazê-los, com prazer!!!

    Assim que estiver pronto te mando para sua análise!!

    Seguirei o modelo do poema.

    Valeu, bixo

    Abraços

  644. 644

    Fábio said,

    December 3, 2011 @ 4:46 pm

    Dalton, olha aí o que saiu:

    Eu venho me descobrir
    num verso a encontrar
    pois quero me deleitar
    me empenho em viver, sentir
    a sétima com opostas
    na prévia de tão gostosa
    me atenho em tentar parir

    Pois acho que bem consigo
    criar um textinho esperto
    tentar direitinho, acerto
    o encaixo onde bem eu digo
    palavras em versos toscos
    manobras de mero esforço
    eu laço o “dizer” que eu vivo

    Quem sabe eu consiga ser
    um cara que rima tudo
    que encara e viva o mundo
    poeta que sabe ter
    as coisas do coração
    as sétimas da canção
    pro mestre que vem me ler

    Bah, puxação de saco no final foi o que coube rimar…eheheheheheh

    Abração
    Fábio

  645. 645

    Fábio said,

    December 3, 2011 @ 5:26 pm

    Mas puxação de saco de coração, né meu?? Afinal de contas tenho que agradecer demais o que tenho aprendido contigo.

    Até

  646. 646

    admin said,

    December 3, 2011 @ 5:51 pm

    Viu como a minha parte é a mais fácil?

    Ciência Poética é que nem Agricultura. A Semente Natural resulta em novas e poucas sementes naturais. Semente Transgênica resulta num monte de grãos inférteis.

    Talvez, essa seja a respectiva diferença entre o Educador em extinção e o Formador de Opinião em franca multiplicação.

    Grato pelos resultados, Fábio…

  647. 647

    Fábio said,

    December 3, 2011 @ 6:15 pm

    Opa, valeu, Dalton!!!

    Realmente, conforme o tempo vai passando ( que coisa óbvia ) e eu vou percebendo e entendendo os ensinamentos que tu passas, também me caem as fichas na questão do EDUCADOR e do FORMADOR DE OPINIÕES.

    O primeiro é você e o segundo é o jornal casado com a televisão!

    E se tu estás me agradecendo pelo resultado da trajetória dos teus ensinamentos e do meu aprendizado, tu me oportunizas dizer que, em anos de colégio, eu aprendi um mínimo. E no pouco que estamos vendo, pela internet, aprendi e tenho aprendido muito, com você. A diferença entre educador e formador de opinião nunca esteve tão clara para mim.

    Eu é que agradeço:
    Muito obrigado!

    Fábio

    Estou lendo nesse momento, o Rock Raizes IV…espetacular……

  648. 648

    admin said,

    December 3, 2011 @ 7:53 pm

    Fábio:

    Acima do Educador e do Formador de Opinião está o Educando, logo, acima do que você lê aqui ou nos jornais está o Homem que opta por um ou outro caminho. Não estou sozinho nisso, pois há várias formas de se sentar ao lado do aluno até que ele descubra que sabe, e o Sapiens é apenas uma das mais fáceis.

    Mas há educadores outros que fizeram da própria arte um instrumento educacional da formação integral do Homem. Como a maioria deles já não está mais por aqui, só me cabe preencher o vácuo educacional lembrando do que fizeram. Por exemplo:

    Se és capaz de manter tua calma, quando,
    todo mundo ao redor já a perdeu e te culpa.
    De crer em ti quando estão todos duvidando,
    e para esses no entanto achar uma desculpa.

    Se és capaz de esperar sem te desesperares,
    ou, enganado, não mentir ao mentiroso,
    Ou, sendo odiado, sempre ao ódio te esquivares,
    e não parecer bom demais, nem pretensioso.

    Se és capaz de pensar – sem que a isso só te atires,
    de sonhar – sem fazer dos sonhos teus senhores.
    Se, encontrando a Desgraça e o Triunfo, conseguires,
    tratar da mesma forma a esses dois impostores.

    Se és capaz de sofrer a dor de ver mudadas,
    em armadilhas as verdades que disseste
    E as coisas, por que deste a vida estraçalhadas,
    e refazê-las com o bem pouco que te reste.

    Se és capaz de arriscar numa única parada,
    tudo quanto ganhaste em toda a tua vida.
    E perder e, ao perder, sem nunca dizer nada,
    resignado, tornar ao ponto de partida.

    De forçar coração, nervos, músculos, tudo,
    a dar seja o que for que neles ainda existe.
    E a persistir assim quando, exausto, contudo,
    resta a vontade em ti, que ainda te ordena: Persiste!

    Se és capaz de, entre a plebe, não te corromperes,
    e, entre Reis, não perder a naturalidade.
    E de amigos, quer bons, quer maus, te defenderes,
    se a todos podes ser de alguma utilidade.

    Se és capaz de dar, segundo por segundo,
    ao minuto fatal todo valor e brilho.
    Tua é a Terra com tudo o que existe no mundo,
    e – o que ainda é muito mais – és um Homem, meu filho!

    If – Rudyard Kipling (trad. Guilherme de Almeida)

  649. 649

    Fábio said,

    December 4, 2011 @ 12:02 pm

    Tá certo, tá certo. Baita poema e diz tudo, né?

    Abraços

  650. 650

    Bárbara said,

    December 4, 2011 @ 10:40 pm

    Mas, se te magoarem olhe para cima e continue caminhando. faça eles se perguntarem poque ainda esta sorrindo

  651. 651

    admin said,

    December 4, 2011 @ 10:46 pm

    Bonito pensamento, Bárbara!

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  652. 652

    alice albuquerque said,

    December 6, 2011 @ 11:19 pm

    vou falar uma poesia

    dizem que o fogo e forte mas a água apaga o fogo dizem que a água e forte mas o
    vento corta a água dizem que o vento e forte mas as montanhas não deixam o vento passar dizem que a montanha e forte mas o homem corta as montanha dizem que o homem e forte mas a morte mata o homem dizem que a morte
    e forte mas Deus ganha da morte

  653. 653

    admin said,

    December 7, 2011 @ 6:51 am

    Alicinha:

    Bonita a sua poesia. Venha sempre.
    Dalton.

  654. 654

    marcelo said,

    December 8, 2011 @ 4:01 pm

    tou fazendo um poema do crescimento populacional quroe so que me confirme se t bom

    natalidade assunto tão pouco abordado
    tema polemico, muito a ser questionado
    vista ideologica, religiosa e cultural
    para sa classes altas como evitar anticoncepcional.

    sociedade brasileira
    pouco recursos, e menor preocupação
    sendo que o maior ploblema do país e a prostituição

    mesmo evitando abortos
    muitas crianças abandonadas
    nas cidades brasileiras
    crescimento da população indesejada……

    me digam se ta bom ou precisa melhorar ???

  655. 655

    admin said,

    December 8, 2011 @ 4:39 pm

    Pode ser melhorado sim. Os Ritmos Poéticos estão desencontrados nos versos. As Rimas Paralelas (verso rimando com o seguinte) são meio pobretonas. Tente jogar as rimas alternando verso 1 com 3 e 2 com 4. Agora estou muito ocupado, mas reescreva o poema e poste um novo comentário. Amanhã cedo terei mais tempo pra ajudar.

    Grato pela confiança e volte.
    Dalton.

  656. 656

    Fábio said,

    December 10, 2011 @ 12:35 am

    Fala, Dalton….

    Tchê, tentei dar uma arrumada naquele soneto que fiz com o ritmo equivocado, anteriormente. Te encaminho para os pitacos, ok??

    Abraços

    Eu escrevo um soneto a te exaltar
    pois talvez alivie a minha dor
    um veneno-remédio salvador
    a beijar meu silêncio à consolar

    São doídas lembranças de tensão
    que caminham comigo sem cansar
    alimentam a dor sempre a lembrar
    as sofridas mudanças sem paixão

    Eu espero montar em verso feito
    o soneto mais lindo escrito à mão
    e sentir meu amor versar em beijos

    Muito embora me queime a dor no peito
    eu escrevo o soneto em oração
    em sonhar encontrar a paz no leito

  657. 657

    admin said,

    December 10, 2011 @ 9:58 am

    Gaudério:

    Ficou ótimo, mas poderia ficar excelente sem aquele “beijos”. Já ficaria melhor se só deixasse no singular. Se quisesse dar maior ênfase, trocaria o EM por NO ou NUM; mas continuaria com o indesejável J antes do O, entre o Feito e o Peito.

    Como quem sentiu o poema foi você, posso apenas sugerir-lhe estas consultas:

    eijo – http://mpbsapiens.com/s-eeiade/

    eixo – http://mpbsapiens.com/s-eeiva/

    ejo – http://mpbsapiens.com/s-eejo/

    eito – http://mpbsapiens.com/s-eeito/

    eto – http://mpbsapiens.com/s-eeto/

    Uma das grandes utilidades do dicionário de rimas para o poeta é que, de uma simples pesquisa, nascem muitos outros poemas.

    Bom estudo e abraços.

  658. 658

    Fábio said,

    December 10, 2011 @ 10:41 am

    Bah, Dalton…maravilha as tuas dicas, cara!! Sempre após tuas análises consigo enxergar o “como fazer”. E aí procuro acertar o esquema. Me abre um horizonte desafiador e esse sentimento é muito bom, muito bom mesmo.

    Aprender é tudo, né meu??..eheh

    Hoje vou estudar o material todo.

    Valeu, bixo

    Abraços

  659. 659

    Fábio said,

    December 10, 2011 @ 10:45 am

    Dalton!!!!!

    Versar perfeito,versar perfeito para subsituir…

    Ficaria bom, não????

  660. 660

    admin said,

    December 10, 2011 @ 1:18 pm

    Fábio:

    Estou aprendendo a lidar com as fotos somente agora. Não há idade para ser aprendiz. Como enquanto há vida há aprendizado, o dia em que não houver mais ele também não haverá mais ela.

    Aliás, o “verso perfeito” ficaria idem.

    Abraços.

  661. 661

    Fábio said,

    December 10, 2011 @ 5:13 pm

    Beleza, beleza….

    Abraços

  662. 662

    Fábio said,

    December 10, 2011 @ 9:32 pm

    Dalton

    Venho estudando os conteúdos dos ensinamentos para melhorar meus toscos poemas e percebi que a música do Chico “Geni e o Zeppelin” é toda feita em sextilhas (que é uma das minhas novas paixões)!! Aí lembrei, também, quando você me falou que o Gaúcho da Fronteira manja das coisas, igualmente, e que o “Samba Vanerado” também é feito de sextilhas.

    Estou dividindo isso com você porque me chamou a atenção de como a música feita em sextilhas soa bem ao ouvido. Muito interessante, mesmo. E aí me dei conta do porquê eu sempre simpatizei, com carinho especial, por certas músicas, sem saber porquê, como com a “Geni e o Zeppelin”. Na medida que vou analisando as letras, o que se tornou um hobby, atualmente, vou me dando conta dessas coisas e isso vai sendo importante para um melhor entendimento desse prazer que é fazer uns poeminhas.

    Até, cumpadi

  663. 663

    admin said,

    December 10, 2011 @ 11:54 pm

    Inteira feita em sextilhas e só com versos Redondilhas, que são Menores só nas expressões: Maldita (ou bendita) Geni.

    Estive tratando do Genival agora há pouco, contrabandista de perfumes e bijuterias na Ópera do Malandro. Logo surgirá a Geni e os seus 96 versos redondilhas.

    As rimas dessa música são espetaculares Edifícios com Orifícios. As palavras começam a rimar duas letras antes da vogal tônica, pode?

    Abraços.

  664. 664

    Fábio said,

    December 13, 2011 @ 11:17 am

    Tchê…..e dá-lhe Santos!!!!

    O trio vai fazer a diferença: Ganso, Neymar e Borges!!!

    Abraço

  665. 665

    admin said,

    December 13, 2011 @ 12:16 pm

    Deus te ouça pelos anjos atacantes, porque na defesa temos um Diabo Entregador chamado Edu Dracena, que sem o anjo de guarda Adriano, deita e rola nas diabruras de entrega!

  666. 666

    Fábio said,

    December 13, 2011 @ 2:01 pm

    rsrs…verdade! Torçamos pra que o Muricy corrija, dê um jeito!!
    Tem que trazer o caneco de qualquer jeito.

  667. 667

    Fábio said,

    December 14, 2011 @ 9:54 am

    Vamos Ganso…só falta o teu!!!!!!…eheh
    Messi que nos aguarde!! Vai provar do verdadeiro talento brasileiro!!

  668. 668

    admin said,

    December 14, 2011 @ 11:28 am

    Ele vai fazer o dele na hora certa, e o Guardiola que não vascile muito contra aquele técnico uruguaio que, aliás, até dirigiu o Inter, pois o cara é cheio dos esquemas pra empatar jogo e decidir nos penaltis. Quanto à defesa, é aquilo mesmo. Adora tomar gol de escanteio.

    Animei com o que vi, pois o Muricy não se preocupa com posse de bola, mas com a eficiência nos chutes a gol, pois é essa quem decide os jogos. Chutamos a gol sete vezes. Três entraram, duas foram na trave e o goleiro deles só defendeu duas.

    Quem jogava assim era o P.S.V. Eindhoven na época do Romário, que durante o jogo todo tocava na bola 4 vezes e três delas viravam gols.

    Se o Barcelona conseguir ir à final, teremos um bom jogo, porque não é só o Neymar que preocupa, mas o Borges mostrou que continua fazendo direito o que sempre soube fazer, com a vantagem de agora ter aprendido a chutar de fora da área.

  669. 669

    Fábio said,

    December 14, 2011 @ 2:04 pm

    Boa, boa.

    Pena que não pude ver, acompanhei pela internet.
    Quase tive um troço quando me falaram que o Ganso meteu um chapéu num guaipeca lá e eu não pude ver!!

    O Santos só tem que ser esperto e se fechar bem quando o Barcelona vier com o famoso toque de bola perto da área. Todo mundo marcando. Tem que anular as tabelas do Barcelona. E no mais é o Ganso acionar a frente com seus passes magistrais e chegando de trás, mais o Arouca e o lateral direito, quando puder.

  670. 670

    milena said,

    December 14, 2011 @ 3:35 pm

    O fim esta proximo
    sinto as trevas em seu coração
    o mundo esta acabando…
    havera eternas destruiçoes..
    O fim esta proximo
    as trevas estão vindo
    junto dela o anjo caido
    O fim esta proximo
    crianças chorando..
    almas se libertando
    e o mundo inteiro queimando…
    O fim esta proximo
    lagrimas escorrem sem amr
    para onde foram os sentimentos??
    td se acabou…
    O fim esta proximo
    fogo por td canto
    trevas por td parte..
    esses e o mundo d um certo anjo..
    O fim esta proximo
    a depressão ti destruira
    e apenas ele..
    podera ti salvar…
    O fim esta proximo
    faço meu coração bater mais frio
    agr nenhuma….
    nenhuma emoção me atinge….
    de:milena . ales
    queria saber se esta bom??e se nao o que posso mudar??pod me ajudar??

  671. 671

    admin said,

    December 14, 2011 @ 7:10 pm

    Por falar em lateral-direito confere o terceiro gol.

    Abraços.

  672. 672

    admin said,

    December 14, 2011 @ 7:26 pm

    Posso sim, Milena.

    Não sei quantos anos você tem mas aprenda uma coisa: Todo texto escrito corretamente agrada mais do que um lindo poema com texto mal escrito.

    Escreva esse seu poema novamente, mas usando o Word e o submeta à correção ortográfica da planilha. Verá muitos erros de digitação e outros de redação. Veja:

    O fim esta pro(ó)ximo
    sinto as trevas em seu coração
    o mundo esta acabando…
    havera(á) eternas destruiço(õ)es..
    O fim esta proximo
    as trevas estão vindo
    junto dela o anjo cai(í)do
    O fim esta proximo
    crianças chorando..
    almas se libertando
    e o mundo inteiro queimando…
    O fim esta proximo
    la(á)grimas escorrem sem amOr
    para onde foram os sentimentos??
    td se acabou… (evite usar essa escrita de td; vc, d, q…)
    O fim esta proximo
    fogo por td canto
    trevas por td parte..
    esse(s) e(é) o mundo d um certo anjo..
    O fim esta proximo
    a depressão ti(e) destruira(á)
    e apenas (E)ele..
    podera(á) ti salvar…
    O fim esta proximo
    faço meu coração bater mais frio
    agr (agora ou agra?) nenhuma….
    nenhuma emoção me atinge….

    Uma vez corrigido o texto, podemos começar a tratar da estrutura poética desse seu Apocalipse particular. Aliás, Apocalipse dá uma boa rima com Após Calipso.

    Grato pela confiança e volte.
    Dalton.

  673. 673

    admin said,

    December 14, 2011 @ 9:57 pm

    Fábio:

    Acabei gravando o Samba da Mangueira e coloquei uma página no cabeçalho do Sapiens. Agora dá para escutar sem problemas.
    Abraços.

  674. 674

    Fábio said,

    December 16, 2011 @ 9:09 am

    Buenas, Dalton

    Maravilha, vou tentar escutar em casa, aqui no PC da empresa tá complicado. O computador não tá ajudando.

    Valeu, cumpadi

    Abraços

  675. 675

    Thiago Jefferson said,

    December 16, 2011 @ 2:13 pm

    O que acham desse? Falo do enredo do poema, os versos são livres:

    Quem me dera fosse ar
    Para acariciar teu cabelo
    Tocar teu lábio com beijo
    Como uma brisa, sentimental!

    Quem me dera fosse água
    Para te refrescar em dia quente
    Descer em teu corpo eloqüente
    Oh musa, imortal!

    Quem me dera fosse terra
    Pra beijar os teus pés lentamente
    Te sustentar sutilmente
    Pro teu corpo, pedestal!

    Quem me dera fosse fogo
    Para aquecê-la por inteiro
    Fazer brotar o desejo
    Do amor, incondicional!

  676. 676

    admin said,

    December 16, 2011 @ 3:49 pm

    Thiago Jefferson:
    Eu já te respondi ontem, só que brinquei ao chamá-lo de Thiago Poeta. Pode conferir nos comentários anteriores.

  677. 677

    Fábio said,

    December 16, 2011 @ 9:56 pm

    Dalton

    O Chico tem músicas feitas em sétimas com opostas????

  678. 678

    Fábio said,

    December 17, 2011 @ 12:30 am

    Mestre Dalton

    Não pude não me inspirar no teu belo samba e tive uma coceira de buteco pra fazer alguma coisa. Vê se tu acha que dá samba esses versos.

    Abraços

    Minha nêga não estranhe
    se eu sumir da sua frente
    se eu fugir de dor doente
    e você que não me avance

    Seu ciúme doentio
    que espantou os meus amigos
    que afastou os meus queridos
    nos queixumes mais sombrios

    Me encomoda no boteco
    onde canta o seu sambista
    um bom samba, o seu artista
    lá na roda em que me entrego

    Sempre amei o meu pandeiro
    como a ti meu, doce amor
    minha nêga, minha flor
    eu te dei meu corpo inteiro

    Lembre sempre do passado
    quando, preso, eu me encontrava
    no xadrez, eu te esperava
    quente, louco e apaixonado

    Vê se muda o teu defeito
    pois meu samba eu vou cantar
    como um bamba eu vou tocar
    não me iluda com seu beijo

    Eu preciso de você
    como bem meu instrumento
    não me vem com seu ciumento
    beijo frio fazer sofrer

  679. 679

    admin said,

    December 17, 2011 @ 7:44 am

    Tem sim, só falta lembrar agora. Acho que me deparei com uma da própria ópera há dias atrás. Depos te conto. Caso eu esqueça, me lembre.

    Abraços.

  680. 680

    admin said,

    December 17, 2011 @ 8:04 am

    Dá um puta samba! Mas não sambinha pagodeiro para consumo, e sim um samba nascido do seu interior poético, que não tem preço. Coisa de Martinho da Vila mesmo. Por falar nele, veja como nasce um samba por ele:

    http://letras.terra.com.br/martinho-da-vila/287287/

    Explica o seu sentimento?

    Veja depois a minha resposta ao seu comentário sobre o samba da Mangueira e entenderá a letra do Martinho, da sua, da minha…

  681. 681

    Fábio said,

    December 17, 2011 @ 9:07 am

    Ok. Qualquer coisa te lembro, sim.

    Tá louco….”coisa de Martinho da Vila”????? Mas aí tu quer que eu não durma mais…eheheheh

    Que loucura, Dalton. Martinho da Vila sempre foi um ícone lá em casa, na infância e adolescência. Passei minha vida inteira escutando Martinho, João Nogueira, Zeca, Candeia, etc…. Meus pais adoram os caras, em especial, o Martinho…Essa vou ter que contar pra minha mãe, a véia vai ter um troço….eheh

    Vou passar o texto pro meu irmão, que é sambista e capoeirista e faz parte de um projeto chamado “Projeto Resgate”, onde só tocam samba de raiz.

    Valeu, bixo
    Abraços

    Vou lá ver tua resposta.

  682. 682

    Fábio said,

    December 17, 2011 @ 9:26 am

    Dalton, não encontrei a resposta. Tu respondeste onde, gaudério??

  683. 683

    admin said,

    December 17, 2011 @ 12:03 pm

    Lá no comentário que você deixou na música propriamente dita. É só clicar novamente nela que os comentários surgirão abaixo.

  684. 684

    Fábio said,

    December 17, 2011 @ 11:04 pm

    Beleza. Tudo certo. Já encontrei.

    E dá-lhe Santos!!!

    Boa sorte amanhã.

    Neymar, Ganso e Borges….os nomes do jogo!!

    Abraços

  685. 685

    admin said,

    December 17, 2011 @ 11:29 pm

    Curiosamente, sonhei que uma japonesa tava fazendo tricô com “A Lã Kardec”, eheh.

  686. 686

    Fábio said,

    December 18, 2011 @ 7:48 am

    óóó…..será um presságio?

    eheh

    De qualquer forma será a oportunidade de ver a arte pura em campo…

  687. 687

    Fábio said,

    December 18, 2011 @ 12:21 pm

    Tem que mandar quebrar as duas pernas do Edu Dracena e do Durval….não vai fazer falta, mesmo.Cornos cagalhões!!!!

    E o Ganso, vou te contar: bota sangue nesse corpo, guri!!

    É muito dinheiro na cabeça dessa gurizada….

    Mas convenhamos: que time de futebol!! Eu diria que revolucionário futebol nesse século!! Que o Brasil aprenda esse novo modelo de se jogar, que era o que o injustiçado Falcão queria fazer com o meu Inter, mas as mentes pequenas da direção não conseguem acompanhar essa evolução.

  688. 688

    admin said,

    December 18, 2011 @ 12:47 pm

    Fábio:

    Que chacoalhada!

    Não costumo ver os jogos de futebol internacional e fui surpreendido. Semelhante ao ocorrido em 1974 com a Holanda de Rinus Mitchel e Cruyff.

    Não foi a menor qualidade do jogador brasileiro a razão de tal derrota, mas o brilhante esquema de jogo do treinador adversário, que transformou o campo de futebol em várias quadras de futebol de salão e colocou os jogadores para treinarem com os times de salão do Barça.

    O número de passes errados no futsal é bem menor do que no campo, e qualquer time treinado em quadra pega o jeito, apesar da diferença dos tamanhos nas bolas. Há muito tempo que o futebol de campo vem ficando cada vez mais parecido com o de salão.

    Isso é uma bosta, porque acaba com toda a arte dos dois jogos, à exemplo do que ocorreu tanto com o Volibol quanto com o Basquete. Neste último, ainda bem, o que acaba decidindo as partidas é o melhor aproveitamento dos arremessos de 3 pontos, e é desse fato que tiro a solução para enfrentar times que joguem como o Barcelona: A Arte da Precisão.

    Na copa passada o Dunga até previu isso numa declaração. Quando perguntado se aqueles chutões pra frente, que tanto o Júlio Cesar quanto a zaga davam, não prejudicavam o time?; respondeu:

    Os times hoje jogam compactados, e qualquer um deles que tenha um atacante veloz é capaz de decidir uma partida a partir do chutão!

    Vide as atuações do Robinho.

    Na derrota para o Inter de Milão, pela eurocopa do ano retrasado, os dois gols do Inter saíram desses lançamentos do Júlio Cesar, mesmo com um jogador a menos e com o Etoo jogando de lateral esquerdo.

    Qualquer treinador mais esperto deve pensar em contratar, como um dos auxiliares, algum especialista em lançamentos longos e precisos. Tipo Gerson na seleção de 70, ou mesmo Ailton Lira, num Santos menos antigo. Aliás, em 2002, quem fazia isso no Santos era esse mesmo Elano. Só que o cara decidiu virar meia avançado pra fazer gols e perdeu o poder de lançamento longo, que sempre encontrava o Diego na direita e o Robinho na esquerda pra servirem o Alberto na completada do serviço.

    Rivelino também era bom nos lançamentos longos pro Paulo Borges e o Flávio decidirem no Corinthians, mas à partir da copa de 74 ficou parecido com o Elano e perdemos mais um lançador.

    Na copa de 94, a semifinal contra a Holanda caminhava bem parecida com a de hoje até o Aldair fazer aquele lançamento pro Bebeto que resultou no nosso primeiro gol. Aquilo não foi um chutão, mas um lançamento longo. Pode conferir.

    Não tem que ficar querendo jogar igual, transformando futebol de campo em futsal múltiplo. Tem que recuperar o Lançador e transformar os atacantes em Cafuringas, Valdomiros, Edú Balas, Juaris… Todos grandes velocistas, mas igualmente hábeis.

    Tomara que gente mais importante também veja isso, para o bem do futebol em campo e quadra, pois caso contrário a coisa ficará muito mais automatizada do que já está, como pudemos ver hoje.

    Daniel Alves nunca foi um grande jogador, mas como simples peça de tabuleiro se mostra bem útil. O dia em que acreditarmos nisso e não contrário, o futebol já terá deixado de ser artístico, assim como os jogos de basquete trocarão a precisão dos arremessos pelas truculentas enterradas. Quanta Arte!

  689. 689

    admin said,

    December 18, 2011 @ 1:16 pm

    O teu Inter mesmo é um bom exemplo disso. Caçapava não carregava só pianos. É fato que só sabia lançar pra direita, mas sempre encontrava o Valdomiro no chamado Ponto Futuro, que ficou famoso pelo técnico Claudio Coutinho, embora o Rubens Mineli o usasse bem antes. Quantos gols o Escurinho, que era um jogador mais lento, não fez com os precisos lançamentos longos do Carpegiani? Claudiomiro era um foguete muito bem aproveitado tanto por Carpegiani quanto por Batista ou Falcão.

    Não sei se ainda brincam por aí com a famosa “Cordinha do Mineli”, colocada no portão de entrada do gramado a 1,75m do chão. Jogador que passasse por baixo dela era tudo dispensado. Corria-se o risco de perder-se jogadores do tipo de Pelé, mas tinha-se sempre times bem fortes e cruéis no jogo aéreo. Mineli tinha outras manias, como a dos doze segundos para atacantes. Qualquer tempo acima desse nos 100 metros reprovava.

    Hoje, os colorados mais velhos lembram com saudades daqueles times campeões dos anos setenta. Cada qual com seu jogador preferido, mas quantos lembram do Mineli, para mim, o maior injustiçado na seleção. Confesso que o cara não era chegado a “tapinhas nas costas” e muita educação no trato com jornalistas. Podia até jogar feio, mas ganhava. Como fez com o São Paulo em 1975, com um time horrível, sobre o encantador Atlético Mineiro de Telê Santana em pleno Mineirão.

    Se ao invés do Telê nas copas de 82 e 86 tivessem colocado o Mineli no comando, o time poderia até jogar menos bonito, mas ganharia ao menos uma delas, com ou sem estrelas.

    Ainda bem que sou novo o bastante para quem sabe poder testemunhar a volta do lançador ao futebol. Enquanto isso não acontece, fico por aqui me divertindo com a Ópera do Malandro em quadrinhos.

  690. 690

    Fábio said,

    December 18, 2011 @ 3:23 pm

    Pois é…e os lançamentos do Riva pro Gil, no Fluminense, também.

    Esse negócio do Minelli só querer jogadores altos é uma merda, eu acho: tem muita gente boa que jogava demais, como o baixinho Luizinho, do Corintians da década de 50, por exemplo, e tantos outros.

    Mas esperemos um novo jeito de jogar e que o dinheiro não termine com os nossos bons jogadores, que, ao sair de uma derrota, se consolem num mar de coisas compradas pelo dinheiro.

    Fiquei INDIGNADO, ao ver o Edu Dracena, apertando a mão dos cabeças da FIFA, sorrindo…..como se o ocorrido em campo fôsse só uma coisinha de nada, sem importância. Fico puto com isso. Os caras têm que se mostrar indignados, com brio….e o Ganso foi outro que ria no final……o futebol tá se mostrando uma decepção pra mim, sem um mínimo de amadorismo, um mínimo de paixão, de coração, bom senso, curtição por uma camisa, defender uma bandeira.

    A vida está ficando sem arte, sem pureza, sem coração……

    É muito vídeo-game e infantilidades pra esses marmanjos coordenados por frios cartolas, representantes e empresários.

    Se eu perdesse, eu caía no choro….se eu ganhásse, ídem…

    Terminou a identificação…..cresceu o “negócio”, o “business”…

  691. 691

    admin said,

    December 18, 2011 @ 5:18 pm

    Dizem que a Sátira é o último recurso de quem um dia tentou falar sério sem ser ouvido.

    Infelizmente, diante da realidade que nos cerca pelo cotidiano, uso me divertir com os quadrinhos, então aceite este presente:

    http://www.youtube.com/watch?v=H17VVeXysy0

  692. 692

    Fábio said,

    December 18, 2011 @ 5:43 pm

    Essa eu não conhecia, da Blitz. E olha que até hoje escuto.
    Baita som. Letra do Chico e Edu Lobo…..muito bom.

    é isso aí…..

    Abraços

  693. 693

    Fábio said,

    December 18, 2011 @ 6:11 pm

    Mestre Dalton…

    Ao fazer um poema posso misturar estrófes de sétimas com opostas com estrófes de 4 versos e sextilhas ou existe um padrão mais aceitável???????

  694. 694

    admin said,

    December 18, 2011 @ 6:41 pm

    Pode misturar sim. A sensatez no Ritmo e a continuidade nas Rimas ditam as regras.

  695. 695

    Fábio said,

    December 18, 2011 @ 6:52 pm

    ok…..

  696. 696

    Fábio said,

    December 18, 2011 @ 7:57 pm

    Dalton, vê o que tu achas desse aqui.

    Abraços

    Lá na vila do buraco quente
    muita gente vive sem chorar
    e contentes querem trabalhar
    numa vida de trabalho em frente
    traficar labuta na maconha
    trabalhar a coca sem vergonha
    pois tem fila de chapado e gente

    Produtivo em tiros e facadas
    o trabalho segue na ladeira
    e no atalho em frente a ribanceira
    segue vivo em muros, breus e escadas
    troca-troca sem os “hômi” perto
    na vitória, traficante esperto
    inventivo de um futuro à balas

    No temor do morador decente
    que da vila do buraco quente
    fez seu pouso pra viver em paz
    pede à Deus que os filhos seus que cuide
    pois no breu, caminho escuro ilude
    e no choro do sofrer se faz

    A influência de um trabalho sujo
    sem decência, vira um caso duro
    que preocupa os pais de bons costumes
    na esperança, a reza forte impera
    na bonança, preza a sorte e espera
    na volúpia e em paz, sem maus abútres

  697. 697

    Fábio said,

    December 18, 2011 @ 8:10 pm

    No último verso da terceira estrofe faltou um “É” no início…

    “…é inventivo de um futuro à balas…”

  698. 698

    admin said,

    December 19, 2011 @ 7:35 am

    Fábio:

    Como de costume, o poema está muito bom na denúncia social. Aparentemente, não houve qualquer deslize no ritmo 1-3-5-7-9. Só soa um pouco estranho as rimas do Paz com Faz, único grupo sonoro em oxítonas perdido entre os demais com paroxítonas. Se tais versos forem fundamentais à idéia original, mantenha-os mas tente colocar mais um grupo em oxítonas ao menos numa das outras estrofes. Abutres não leva acento.

    Abraços.
    Dalton.

  699. 699

    Fábio said,

    December 19, 2011 @ 8:34 am

    Ah, ok…

    Bom, eu posso trocar o “paz”…..por “tranquilo” e o “faz” por “temido”…

    Ficaria:

    No temor do morador decente
    que da vila do buraco quente
    FEZ SEU POUSO PRA VIVER TRANQUILO
    pede à Deus que os filhos seus que cuide
    pois no breu, caminho escuro ilude
    E DO CHORO VEM SOFRER TEMIDO

    Ah e sem acento no abutres…eheh

    Valeu…
    Abraço

  700. 700

    admin said,

    December 19, 2011 @ 10:01 am

    E a luz os livra então daquilo – também cai no jeito.

  701. 701

    Fábio said,

    December 19, 2011 @ 10:45 am

    Beleza, beleza…..

    Valeu, tchê

  702. 702

    bruno said,

    December 19, 2011 @ 2:54 pm

    eu n sei fazer essa merda morro maluco a morre diado flw

  703. 703

    admin said,

    December 19, 2011 @ 3:20 pm

    Precisa de ajuda, Bruno?

    Diz aí o que pretende transformar em poema que eu ensino como faz, vlw?

  704. 704

    Buy Fan said,

    December 20, 2011 @ 7:23 am

    Extra Reading…

    [...]we like to honor other sites on the web, even if they aren’t related to us, by linking to them. Below are some sites worth checking out[...]…

  705. 705

    Fábio said,

    December 22, 2011 @ 10:54 am

    Buenas, mestre Dalton

    Quando tu conseguires me dá um toque sobre alguma música do Chico feita em 7 versos com rimas opostas??? Tu tinhas pedido pra eu te lembrar, bixo..

    Abração
    Fábio

  706. 706

    admin said,

    December 22, 2011 @ 3:01 pm

    Fábio:

    Estou no fim da ópera, mas continue lembrando.

    Abraços.
    Dalton.

  707. 707

    Fábio said,

    December 22, 2011 @ 3:38 pm

    Combinado.

    Abraço

  708. 708

    Fábio said,

    December 24, 2011 @ 1:31 am

    Fala mestre Dalton…

    Andei fuçando no site e encontrei os Versos Alexandrinos Românticos, onde tu disse que são os preferidos do pessoal da MPB. Aí tentei fazer alguma coisa na cadência obrigatória 4-8-12, um encantador desafio.
    Vê o que tu achas, por favor.

    Abraço colorado….

    Esquecerei seus mentirosos jogos sujos
    depois de tudo que passei em desencanto
    enfim, do fundo que nadei em largo pranto
    aprenderei com seus chorosos olhos mudos

    O que me ensinas do seu jeito enganador
    que me domina com seu beijo encantador
    amargamente eu aprendi que a minha vida
    não deve ser sofrida, impura e amarga assim
    mas deve ser querida, pura e amada, enfim
    eternamente eu entendi o fim da sina

    No meu caminho dos meus passos mais sonhados
    agora eu brilho num abraço mais dourado
    com meu destino feito em mim de coração
    eu me perdi mas eu me achei e me encontrei
    eu te esqueci, te exterminei e agora eu sei
    desce caminho nasce, assim, nova paixão

    Uma paixão que a vida inteira eu procurei
    que me esperava no escondido aprendizado
    e maltratava o meu sofrido amor sonhado
    o coração me presenteia eu me entreguei

  709. 709

    Fábio said,

    December 24, 2011 @ 1:34 am

    No último verso…mude-se:

    “…ao coração que presenteia eu me entreguei…”

  710. 710

    admin said,

    December 24, 2011 @ 12:44 pm

    É isso cara! Lindo poema em Alexandrinos Românticos. Pense algo acerca de “nós sizudos ou desnudos” pra resolver o primeiro problema. Já o segundo caso vislumbra um “entendi o fim da “brida” que o comandava qual cavalo. Acertando isso, fica perfeito.

    Tô gostando de ver.
    Abraços Rubros.

  711. 711

    admin said,

    December 24, 2011 @ 12:46 pm

    Aliás, sempre que posso dou uma olhada nas Sétimas em Opostas.

  712. 712

    Fábio said,

    December 24, 2011 @ 1:29 pm

    Beleza pura, Dalton. Muito obrigado, bixo…

    Esse negócio virou um vício sem possibilidade de cura…

    Já aproveito pra te desejar um ótimo natal, pra você e familia, ok??
    Grande abraço

    Saravá, cumpadi…

    Fábio

  713. 713

    admin said,

    December 24, 2011 @ 5:46 pm

    Igualmente para você e a família por aí!

    Abraços.

  714. 714

    FELIPE SIMIONOVSKI said,

    December 28, 2011 @ 11:17 am

    Buenas…navegando atrás de dicas de rimas e composição chegeui até o teu site, como vi que é bem ativo em bem solícito nos comentários, mando abaixo o que eu pretendia que se tornasse uma música, com o relato de como eu e minha namorada nos conhecemos, pretendia usar no pedido de noivado, se puder dar uma analisada… gostaria da sua opinião se arrisco ou não usar…rsrs

    Abraço
    Felipe

    UM DIA MEIO SEM QUERER
    ALI DEITADA AVISTEI
    PARECENDO UMA APOSTA
    EU NÃO ACREDITEI
    UM ROSTO DE ANJO
    NUM CORPO DE MENINA
    ENTRANDO NA ÁGUA
    ELA SE APROXIMOU
    COMO NUNCA IMAGINEI
    SEU CORPO DOURADO BRILHOU,
    DE PERTO, SEU OLHAR ME ENFEITIÇOU
    SEM SEU NUMERO, NO CINEMA OU NUM BAR
    FOI COMO TUDO COMEÇOU…
    ESTE SORRISO MEIGO ME FAZ VIVER
    QUANDO ESTA LONGE FICO A PENSAR,
    NO QUE POSSO FAZER
    PARA O TEMPO VOAR
    SUAS CORES LINDAS
    TUDO MISTURADO
    O VERDE DOS SEUS OLHOS
    O SEU CORPO DOURADO
    CADA VEZ QUE TE VEJO
    FICO MAIS APAIXONADO
    E AGORA CADA VEZ MAIS PERTO
    UM PEDIDO EU FAREI
    SEJA SIM, NÃO OU TALVEZ
    SÓ SEI QUE TE AMANDO EU ESTAREI…

  715. 715

    admin said,

    December 28, 2011 @ 10:20 pm

    Felipe:

    Me perdoe pela demora na resposta, mas me conte em que tipo de música você quer colocar essa letra. MPB, Rock, Funk…?

    Tem muito a se fazer quanto às rimas e o texto, mas dependendo da música mexe-se mais ou menos na letra. Aguardo a sua resposta.

    Grato pela confiança.
    Dalton.

  716. 716

    FELIPE SIMIONOVSKI said,

    December 29, 2011 @ 7:50 am

    Olá Dalton, queria um estilo mais MPB, voz e violão… imaginei que não estivesse das melhores, confesso que esse não é meu forte…mas se tu estiver disposto…vamos lá…. coloquei mais esta estrofe no final….

    ps.: algumas frases como PARECENDO UMA APOSTA, e SEM SEU NUMERO, NO CINEMA OU NUM BAR, pode parecer sem sentindo, mas é que é uma particularidade….só para exemplificar… e retirei o “MEIO” na primeira frase… mas pode alterar a vontade… se achar necessário…

    E AGORA CADA VEZ MAIS PERTO
    UM PEDIDO EU FAREI
    SEJA SIM, NÃO OU TALVEZ
    SÓ SEI QUE TE AMANDO EU ESTAREI…

    Valeu!
    Felipe

  717. 717

    admin said,

    December 29, 2011 @ 9:27 am

    A melodia já está pronta ou você ainda a fará? Preciso saber disso, porque pra mexer numa letra de música já pronta exige que eu obedeça todos os tempos das sílabas, cada qual com a sua nota musical já colocada. Veja o exemplo:

    A/ go / ra / ca / da / vez / mais / per / to – 9 notas

    Um / pe / di / do / eu / fa / rei – 6 notas ou

    Um / pe / di / do-eu / fa / rei – 5 notas?

    Percebeu as diferenças? Com a melodia já pronta preciso, além dos versos, o número de notas de cada um, ou cada verso com as sílabas ligadas por hífen quando assim ocorrer, que nem no último verso com 5 notas. Dá uma lida na postagem Escandir-Escansão, que está em Ciência Poética, no cabeçalho do Sapiens.

    Boa Sorte.
    Dalton.

  718. 718

    FELIPE SIMIONOVSKI said,

    December 29, 2011 @ 9:48 am

    Ainda farei a melodia, pode mexer na letra a vontade.

    Sim da para perceber as diferenças, vou ler o post que me indicou….

    Abraço!

  719. 719

    ivana said,

    December 29, 2011 @ 6:43 pm

    essas poesias estao muintos lindas adorrei por isso entao adorrooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo

  720. 720

    admin said,

    December 29, 2011 @ 9:13 pm

    Então volte sempre, Ivana.

    Grato pela visita.
    Dalton.

  721. 721

    Fábio said,

    December 30, 2011 @ 3:52 pm

    Fala, mestre Dalton

    Tudo bem com o amigo??

    Tchê…passando pra te desejar um ótimo 2012!!! Sucesso, felicidade, saúde, dinheiro, música, poemas e muito Sapiens pra ti.

    Grande abraço colorado
    Até breve nos próximos poemas.

    Fábio

  722. 722

    admin said,

    December 30, 2011 @ 6:30 pm

    Obrigado, Fábio. Que os pampas amanheçam anunciando dias cada vez melhores pra vocês. Abraços.

  723. 723

    FELIPE SIMIONOVSKI said,

    January 3, 2012 @ 11:29 am

    Olá Dalton, conseguiu dar uma olhada na minha letra?

    abraço

  724. 724

    admin said,

    January 3, 2012 @ 12:39 pm

    Felipe:

    Acabei virando parceiro. Só na música, claro, eheh. Como você pretende colocar melodia no poema, preferi deixar todos os versos com o mesmo comprimento porque isso facilita muito a coisa (em poemas, o verso termina na sua última sílaba tônica). Coloquei rimas opostas nas estrofes Sextilhas e agora o resto é com você. Acho que não fugi muito do que você pretendia originalmente no seu texto. Boa sorte com a garota e depois que colocar a melodia dê um jeito de me mostrar como ficou, certo?
    Prometo que não irei reclamar direitos autorais.

    Abraços.

    Foi num dia que nem sei
    Ali deitada-avistei
    E-a enxerguei como-aposta
    Um puro rosto de anjo
    Tomando forma-em arranjo
    Da minha musa suposta

    Não entendi o que vi
    Só percebi-o que vivi
    Ao ver seu corpo na água
    Daquele olhar de menina
    Eu fabriquei minha sina
    Do-amor num rosto sem mágoa

    Pois ela se-aproximou
    E logo me-enfeitiçou
    Como nunca-imaginei
    E sem saber registrar
    Um número-um cine-um bar
    Mesmo-assim eu me-entreguei

    Ao brilho-em corpo dourado
    Com olhar enfeitiçado
    Senti que me renovara
    Pois tudo-ali começou
    Na nova forma de-amor
    Que-a vida me premiara

    Com seu sorriso-infinito
    Acalmando-um ego-aflito
    Meu corpo pôs-se-a voar
    No meio de lindas cores
    Nascidas dos seus amores
    Hoje me resta lembrar

    Aquele olhar de-esperança
    Que me devolvera-à dança
    Não era-apenas o verde
    Presente nos olhos meigos
    Anunciavam que-os beijos
    Viriam daquele flerte

    Agora nada se perde
    Da soma daquele verde
    No mesmo corpo dourado
    Por mais que-a vida te-afaste
    Por mais que a sina me gaste
    Serei sempre-apaixonado

  725. 725

    Fábio said,

    January 4, 2012 @ 4:50 pm

    Grande mestre Dalton….

    Como vai o amigo??

    Tchê, só pra te dizer: encadernei os poemas e mandei para registro no EDA/BN. Agora estou mais tranquilo quanto aos direitos autorais, conforme você me orientou.

    Quando eu conseguir vou te encaminhar os últimos poemas que fiz com o intuito de sambas,ok?

    Deram 45 poemas ao todo. E o legal é que, claramente, se percebe a evolução da construção dos poemas.

    Aproveito para te agradecer os imensos ensinamentos que você tem me dado.
    Valeu, bixo!!!

    Grande abraço
    Fábio

  726. 726

    admin said,

    January 4, 2012 @ 7:57 pm

    Meu Gaudério:

    Estou no fim da primeira parte da Ópera do Malandro, que é a mais simples das análises. Descobri muita coisa dos bastidores dela mantendo contato com parentes dos cantores líricos que participaram do evento. Por falar nisso, como anda a Fábula por aí? Não sei se lhe contei a respeito, mas cada sílaba de texto que escrevemos tem cor e nota musical próprias, aliás, toda a Roda Nova teve cada sílaba calculada nas cores e notas. Só não lembro se mandei junto essa parte. Faz tempo que trabalho com essa parte nos estudos, mas de nada adianta colocá-la adiante quando não se mostra o básico, que é o casamento das sílabas poéticas com as notas musicais na composição.
    Como você é músico, sugiro que escolha um dos seus poemas mais curtos que irei calculá-lo pra você. Isso facilita pro músico trabalhar com a melodia natural do poema, pois terá a nota musical média de cada verso dele.
    No momento estou me divertindo com esta música. Uma loucura nos tons azuis, aniz e violetas:

    http://www.youtube.com/watch?v=st9v3We7CNU

    Você fez muito bem de registrar a sua obra porque, por ser muito mais fácil, na praça tem muito mais pirata do que poeta.

    Abraços.

  727. 727

    Lola said,

    January 6, 2012 @ 11:58 am

    Olá Dalton!!

    Gostaria que me ajudasse no poema seguinte, em que eu posso melhorar, o que eu devo mudar. E gostaria de sugestão para título. Desde já, agradeço. Abraços.

    Ano Novo, início do mês,
    Dia chuvoso e eu aqui outra vez
    Pensando na vida, resolvendo problema
    Nunca desistir, este é o meu lema

    Longe de meus pais
    Longe de todos mais
    Em uma sala sozinha
    Aguardando alguém na linha

    Sim! A linha do telefone
    Ou pelo menos alguém chamar meu nome
    Pode ser pessoalmente
    O que acontece dificilmente

    Ou então que o tempo passe
    Pra eu ir embora com classe
    No ônibus que me levará
    Para onde minha família está.

    Desde já, agradeço. Abraços.

  728. 728

    Lola said,

    January 6, 2012 @ 12:39 pm

    Ou fica melhor rimar o 1º verso com o 3º e o 2º com o 4°?

    Ano Novo, início do mês,
    Nunca desistir, este é o meu lema
    Dia chuvoso e eu aqui outra vez
    Pensando na vida, resolvendo problema

    Longe de meus pais
    Em uma sala sozinha
    Longe de todos mais
    Aguardando alguém na linha

    Sim! A linha do telefone
    Ou pode ser pessoalmente
    Ou pelo menos alguém chamar meu nome
    O que acontece dificilmente

    Ou então que o tempo passe
    Pra chegar o ônibus que me levará
    Pra eu ir embora com classe
    Para onde minha família está.

  729. 729

    admin said,

    January 6, 2012 @ 1:39 pm

    Lola:

    Esta possibilidade de distribuição das rimas em final de verso na estrofe é considerada mais nobre. São as chamadas Rimas Alternadas. Mais nobres do que eleas, só as Rimas Opostas (1 com 4 e 2 com 3). Devo alertá-la quanto ao Ritmo Poético, que é determinado pelo posicionamento das sílabas tônicas nos versos de uma estrofe. Por exemplo:

    A/no/ NO/vo,/ i/NÍ/cio/ do/ MÊS, – 1-3-6-9
    NUN/ca/ DE/sis/tir,/ ES/te-é-o/ meu/ LE/ma – 1-3-6-9
    Diá/ chu/VO/so-e-eu/ a/QUI/ ou/tra/ VEZ – 1-3-6-9
    Pen/SAN/do/ na/ VI/da,/ RE/sol/VEN/do/ pro/BLE/ma – 2-5-7-9-12

    Não é necessário que todos os versos tenham o mesmo comprimento, mas é fundamental que apresentem equilíbrio no ritmo das tônicas e o último verso não teve como acertar pelas sílabas poéticas.

    Essa disposição que fiz das sílabas nos versos foi para tentar deixar a estrofe equilibrada numa declamação, pois acima do que é escrito, o poema vale mais pelo som que resulta dos versos. Usei um truque no terceiro verso, pois há uma forma de de se pronunciar o “Dia” em um só tempo, mas para isso tem-se que modificar a acentuação tornando-o oxítono Diá.

    Sugestão para o último verso:

    RE/mo/EN/do-es/ta/ CE/na/ re/VEN/do/ pro/BLE/ma – 1-3-6-9-12

    Não importa que tenha ficado com 12 sílabas, porque o ritmo acompanhou o dos anteriores e o verso não ficou Manco na estrofe.

    Gostei muito do texto, cuja independência sintática dos versos permite serem dispostos em qualquer posição da estrofe, dando chance até à colocação em Rimas Opostas. Isso é dificílimo de se conseguir. Parabéns. Cuide apenas do Ritmo Poético, o que creio não ser muito difícil pra você, que escreve bem e tem vastos recursos do nosso vocabulário.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  730. 730

    Lola said,

    January 6, 2012 @ 1:55 pm

    Muito Obrigada pela ajuda Dalton, o restante do poema está bom?
    Gostaria de sugestão de um título para ele.

    Você tem algum e-mail que eu comunique com você?

    Até mais

  731. 731

    admin said,

    January 6, 2012 @ 4:25 pm

    Lola:

    Não tive tempo de analisá-lo num todo rítmico e métrico. Quanto ao título acho que caberia uma colocação do incerto Futuro no distante Passado. Algo como Revivendo o Futuro.

    Por favor, me perdoe por não atendê-la melhor agora. Tenho que responder a várias pessoas enquanto continuo trabalhando na Ópera do Malandro. Não posso prometer que faça isso até amanhã, mas devo pedir que me lembre disso amanhã. Pode ser?

    Grato pela confiança e me dê uma lembradinha, tá?
    Dalton.

  732. 732

    Lola said,

    January 7, 2012 @ 3:52 pm

    Olá Dalton

    Você pediu para eu te lembrar a analisar o poema num todo rítmico e métrico..
    Mas não se preocupe, eu te compreendo. Não estou com pressa.

    Obrigada

  733. 733

    Fábio said,

    January 7, 2012 @ 6:04 pm

    Fala, mestre Dalton

    Tchê, a Fábula da Roda Nova, por enquanto está parada. A época em que estamos não ajuda, pois o baixista está na praia e o guitarrista estava de mudança de residência e me disse que estava sem tempo. E o pior é que a bateria é do cara!!! Ele tem o estúdio na casa da mãe dele e os ensaios estão para ocorrer lá.
    Infelizmente vou ter que esperar.

    Louco pra tocar me pus a esperar…..1-3-5-7-10..eheh (vai dar poema!!)

    Cara, não sabia dessa história de cores, que, aliás, me agrada muito a idéia.

    Olha só, vou te mandar 3 poemas que fiz, com a cabeça em samba!! Não te mandei antes por que não os tinha registrado. Como agora já estão todos registrados, fico tranquilo pra te encaminhar.

    Se tu achares que são muito grandes, te mando um mais curto pra você me ensinar o esquema das cores, ok??

    Abraços

    1. Fingida mulher

    Porque chorar, porque sofrer
    se o teu penar fez merecer?
    pois eu te amei, imensamente
    meu coração batia ao som
    na adoração do que era bom
    mas me enganei, ingenuamente

    Você mentiu e agora eu sei
    pois permitiu e eu enxerguei
    o seu amor nunca existiu
    o teu calor formou meu frio

    Agora chora em fingimento
    da minha doce indiferença
    que em mim me coube penitência
    que enfim adora o seu tormento

    Eu quero ver você penar
    ao me encontrar, beijando, enfim
    espero ver no seu olhar
    meu novo amar, amando assim

    E quando ver-me amar tranquilo
    teu pranto queime o olhar fingido
    e o teu remorso te cortando
    não deixe o teu dormir, sereno
    que banhe o teu sentir, veneno
    em dor, disperso, envenenando

    2. Açougueiro carrasco

    No interior do nosso lar
    nós vivemos belo sonho
    nos amamos lá no morro
    no fervor da nossa paz

    Eu levava com você
    uma vida de alegria
    colorida em fantasia
    só pensava em te querer

    Mas meu fim começa agora
    vou contar a breve história
    que me fez só padecer
    e aumentar o meu sofrer

    Lá na casa da Maria
    se cantava noite e dia
    quando o samba começava
    rapaziada se chegando
    pra noitada vir sambando
    muito bamba se encontrava

    O açougueiro o seu Batista
    cachaceiro e bom letrista
    tem o dom galanteador
    e entre um trago e o seu sambinha
    fez o estrago em cantoria
    me tomou meu doce amor

    Fui traído sem pudor
    por um vil conquistador
    nem briguei com meu carrasco
    resisti pela Maria
    decidi com agonia:
    ” terminei com meu churrasco ”

    3. Nas cordas do meu violão

    Nas cordas do meu violão
    lamento chorosas lembranças
    momentos de nossas andanças
    que choram no meu coração
    saudades de um tempo passado
    que invadem meu peito magoado
    e moram na dor da emoção

    Você me abraçou friamente
    nem fez a questão de explicar
    por que da paixão se acabar
    por que me deixou francamente
    tristonho me fiz só sofrer
    sem sonhos pedi pra morrer
    morrer na ilusão a chorar

    O meu violão me restou
    parceiro a contar triste história
    tentei musicar trajetória
    da dor da paixão que acabou
    porém estouraram-se as cordas
    e assim acabaram-se as notas
    e até o violão se chorou

    É isso aí, bixo!!!

    Grande abraço
    Fábio

  734. 734

    Fábio said,

    January 7, 2012 @ 6:11 pm

    Putz….

    Onde se lê: “…morrer na ilusão a chorar…”, troque-se por:

    “…morrer na ilusão SIMPLESMENTE…”

  735. 735

    admin said,

    January 9, 2012 @ 11:15 am

    Fábio:

    Gostei da forma como variou as categorias gramaticais em algumas das rimas, bem como o entendimento do som como principal elemento dela – Existiu – Frio. Repara nesta estrofe do Chico:

    Você diz que-a minha rosa-é frágil
    Que-o meu samba-é plágio
    É só lugar-comum
    No fim do mês
    Sei que você vem ágil
    Passa-um curto-estágio-
    -E-eu fico sem nenhum

    Tá cheio de sons semelhantes e escritos de forma diferente no nosso vocabulário. O uso deles torna as rimas mais ricas.

    Abraços.

  736. 736

    Fábio said,

    January 9, 2012 @ 11:51 am

    Beleza, Dalton.

    Na medida que vou fazendo os poemas e estudando nas músicas e no site vou me dando conta de mais detalhes, assim como esse.

    Obrigado
    Fábio

  737. 737

    raiana ketellen SOUZA DA SILVA said,

    January 13, 2012 @ 1:55 pm

    não dou para voces uma rosa por que nela tem espinho mas dou o meu coração por que nele tem carinho

  738. 738

    raiana ketellen SOUZA DA SILVA said,

    January 13, 2012 @ 1:58 pm

    ame que te ama adore quem te odeia seja apaixonada por quem te fez e esse alguem é jesus

  739. 739

    raiana ketellen SOUZA DA SILVA said,

    January 13, 2012 @ 1:59 pm

    mme adds ednaeleandro@hotmail.com

  740. 740

    admin said,

    January 13, 2012 @ 3:59 pm

    Raiana:

    Grato pela visita, pelos pensamentos e volte sempre.
    Dalton.

  741. 741

    andreza vitorino said,

    January 16, 2012 @ 6:24 pm

    um dia
    quando a solidão tomar conta de você
    seus olhos chorarem por alguém
    e seus lábios não souberem mais sorrir
    lembre-se que em algum lugar
    onde você nem imagina
    existe alguém que o ama
    alguém que sofre em silêncio
    e por você até morreria
    só para lhe fazer feliz.

    ESTE POEMA NÃO TEM TITULO QUEM GOSTOU COMENTE AE!!!

  742. 742

    admin said,

    January 16, 2012 @ 6:42 pm

    Grato pelo poema e volte sempre, Andreza.
    Dalton.

  743. 743

    Adriel de Oliveira Neves Santos said,

    January 19, 2012 @ 7:22 pm

    Oi, começei a ler sobre poemas e acabei tentanto fazer um, sobre o assunto amor, é o primeiro e sinceramente gostaria de melhorá-lo.
    Se ajudar agradeço, indicando erros, e talvez como melhorar.

    Amar,beijar,existir
    entretatno não por acaso
    apenas você me faz sorrir

    Mesmo por um breve momento
    quando não há vejo
    sinto grande sofrimento

    Ou talvez por um milênio
    fique sem você
    com frio e medo

    Realmente você me faz feliz
    sem você é claro
    sou totalmente infeliz

  744. 744

    admin said,

    January 19, 2012 @ 9:17 pm

    Adriel:

    Todo poema começa por um título ou nome, que normalmente é o motivo pelo qual se escreve.

    A forma mais fácil de começar a fazer poemas é aprender a colocar as sílabas tônicas das palavras nas mesmas posições nos versos. Isso recebe o nome de Ritmo Poético, mas para isso você deve aprender as diferenças entre a Sílaba Gramatical e a Sílaba Poética. Todo verso encerra a contagem das sílabas na sua última sílaba tônica. Por exemplo:

    O seu poema fala de amor – Separando as sílabas, o que é conhecido por Escandir o verso, podemos ter as seguintes possibilidades para o exemplo: (Maiúsculas=sílabas tônicas e minúsculas=átonas)

    1- o / SEU / po/E/ma/ FA/la/ DE/ a/ MOR – 2-4-6-8-10

    2- o / SEU / po/E/ma/ FA/la/ de-a/ MOR – 2-4-6-9

    No primeiro exemplo eu escandi o verso só considerando as sílabas gramaticais, que podem se transformar ou não em sílabas poéticas ao gosto do poeta. Mas se ao invés dele querer dar para o verso essas 10 sílabas e escrevê-lo com 9, como fiz no segundo exemplo, também pode. Conclusão: Toda sílaba gramatical pode ser também poética, mas o contrário não. Continuando com o poema, escolherei o primeiro exemplo:

    o / SEU / po/E/ma/ FA/la/ DE/ a/ MOR – 2-4-6-8-10

    da/QUE/le-a/MOR/ sen/TI/do-e/ SEM/ ju/Í/zo – 2-4-6-8-10

    do/ TI/po/ QUE/ au/MEN/ta/ DE/ va/LOR – 2-4-6-8-10

    dum/ JEI/to/ FIR/me-e/ SEM/pre/ SEM/ a/VI/so – 2-4-6-8-10

    Não se esqueça que a contagem das sílabas do verso encerra na última tônica. O que fiz no exemplo foi uma estrofe com 4 versos, cujo nome é Quadra sendo a mais usada na poesia mundial. Você reparará também que rimei o primeiro verso com o terceiro e o segundo com o quarto, o que recebe o nome de rima com colocação Alternada. Todos os versos apresentaram o mesmo Ritmo Poético, também conhecido por Cadência Poética.

    Para o aprendizado é sempre mais fácil fazer versos com a mesma quantidade de sílabas, pois facilita também no Ritmo. No cabeçalho do site você verá Ciência Poética e Glossário Poético. Procure em qualquer desses endereços sobre Sílaba Poética, Escandir-Escansão e Ritmo Poético. À proporção em que você evoluir conversaremos melhor sobre as Rimas. Antes, cuide do Ritmo.

    Espero ter ajudado. Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  745. 745

    Fábio said,

    January 20, 2012 @ 8:47 am

    Buenas mestre Dalton…

    Como vai o amigo??? E o seu Santos, tem contratado pra nova temporada??

    Tchê, preciso tirar uma dúvida contigo sobre os nossos gênios da MPB:

    O Noel Rosa estudou medicina e posteriormente largou para se dedicar à música. O Chico fez arquitetura e igualmente largou para cuidar do seu talento na música. Talvez outros dos nossos grandes músicos devam ter passado por históricos parecidos. Te pergunto o seguinte:

    Se eles eram grandes entendedores da ciência poética, de onde eles tiraram esse aprendizado já que suas áreas de atuação, no passado, não tinham relação com a métrica em escrever, poesia, ritmo, textos etc???

    Aprenderam com outros músicos??? Tinham contatos diferenciados???

    Aguardo para aprender mais um pouco…
    Grande abraço

    Fábio M.

  746. 746

    admin said,

    January 20, 2012 @ 6:42 pm

    Fábio:

    Versificação era matéria obrigatória no Conteúdo da disciplina Português até o princípio dos anos 70. No tempo do Noel a exigência no estudo da Língua Portuguesa era fortíssima. No tempo do Chico não deve ter sido muito diferente, mas ele teve sobre o Noel uma grande vantagem, porque o Vinícius de Moraes e o Manuel Bandeira eram amigos do Sérgio Buarque, pai dele e viviam conversando sobre o tema enquanto o Chico ficava espiando pelo vão da porta.

    Mas mesmo assim era um poeta sofrível quando jovem. Basta você dar uma olhada nos primeiros poemas dele na postagem “Os Primeiros Versos”, que consta no cabeçalho no endereço O Livro. Foi preciso ter umas aulas particulares com o Vinícius para poder começar a compor direito a partir de Tem Mais Samba, em 1964. Daí pra frente foi só genialidade.

    Eu mesmo sou formado em duas faculdades e aprendi tudo isso depois de resolver melhorar o que havia aprendido na escola dos anos sessenta. Havia também a vantagem dos jornais abrigarem críticos literários bem mais capazes do que os que vieram já no final dos anos sessenta.

    Ajudou? Abraços.

  747. 747

    Fábio said,

    January 21, 2012 @ 10:38 am

    Barbaridade se ajudou!!!!

    Tá explicadíssimo o que eu queria saber. E vem ao encontro do que eu pensava: à medida que o tempo passa vai diminuindo a arte de um modo geral. Não surgirão mais grandes gênios e craques num mesmo tempo. Vai pintar um grande cara hoje, no samba, e um outro daqui a sei lá quanto tempo. No futebol, idem. Na arte, mesma coisa.
    Se as escolas perdem a qualidade conforme tu informas, por exemplo, na matéria de Português, excluindo a boa escrita, a versificação, o que esperar na formação das pessoas?? Que pena.

    Valeu, Dalton, me ajudou muito.
    Abraço

  748. 748

    admin said,

    January 22, 2012 @ 7:00 am

    O que mudam são as escalas de valores, porque a maioria das civilizações apresenta a mesma história nas escritas.

    Iniciam nos primeiros desenhos rupestres, evoluem até o alfabeto, encontram a plenitude artística no segundo milênio e perdem tudo isso no terceiro até a extinção. Sempre foi assim com ou sem sionismo, que apenas acelera a perda cultural no terceiro milênio, como ocorre conosco.

  749. 749

    tiago said,

    February 2, 2012 @ 8:34 pm

    quanta coisa hem!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  750. 750

    admin said,

    February 2, 2012 @ 8:47 pm

    Muita, Tiago!

    Mas acho que vale a pena. Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  751. 751

    wltenize Izolina Ferreira de Melo said,

    February 6, 2012 @ 10:16 am

    Quero que olhe um soneto que fiz e peço que diga a sua opinião.

    Ontem fui criança, feliz da vida estava
    Quando em silêncio passou
    Tudo que eu tinha o covarde tirou
    Restando uma foto, a qual o registrava.

    Hoje sou adolescente, aprendendo viver
    E o mesmo sujeito vai passando
    De mãos dadas comigo passeando
    Para um caminho sem conhecer.

    amanhã serei adulta, passará ao lado
    Aquele que destrói sonho e leva magoa
    É o tempo cumprindo seu trabalho.

    No entanto, o bom de viver
    É que não importa o que está vivendo
    A vida passa com o tempo.

    Wltenize Melo.

    Obrigada.

  752. 752

    admin said,

    February 6, 2012 @ 8:40 pm

    Witenize:

    Temos dois tipos de sonetos, o Inglês e o Italiano, este mais usado. Ambos possuem os mesmos 14 versos, só que no primeiro estõ em 3 quadras e 1 Dístico e o segundo em 2 Quadras e 2 Tercetos, como o que você tentou. Em ambos os tipos a regra exige que os versos sejam Decassílabos Heróicos (aqueles com a sexta sílaba forte). Quanto às regras das rimas, o Inglês exige apenas que as do Dístico sejam Rimas Paralelas. O Italiano exige que haja ao menos um grupo de rimas comum aos dois Tercetos.

    Você separou os versos corretamente nas estrofes, como exige um soneto Italiano, mas quase não usou os decassílabos Heróicos e nem colocou rima comum aos dois tercetos. Portanto não é um soneto.

    Caso interesse conhecer melhor as regras dos sonetos, no cabeçalho das páginas há dois endereços: Ciência Poética e Glossário Poético. Em qualquer deles achará dados interligados que lhe darão uma boa base.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  753. 753

    eduarda said,

    February 8, 2012 @ 12:06 am

    muito bom gostei muito eu serei uma futura poetisa

  754. 754

    admin said,

    February 8, 2012 @ 8:35 am

    E eu ainda poderei ter a honra de dizer que um dia troquei cartas com a famosa poetisa “Duda Safo”.

    Duda, de Eduarda. A Mitologia Grega apresentou vários poetas, mas o maior deles, Aracne, era só um dos pseudônimos da poetisa Safo.

    Grato pela visita, pela certeza do sucesso e volte sempre.
    Dalton.

  755. 755

    Fábio said,

    February 8, 2012 @ 9:54 pm

    Olá amigo Dalton….

    Tudo bem com o amigo??

    Me surgiu uma dúvida,Dalton. Aqui nos meus treinos estou fazendo a escansão de uns versos de uma música do Lenine e fiquei em dúvida na junção de umas sílabas poéticas.

    “…eu apenas não me-afundo…”

    A escansão é:

    EU / A / PE / NAS / NÃO / ME – A / FUN / DO Ritmo 3-5-7

    ou

    EU – A / PE / NAS / NÃO / ME – A / FUN / DO Ritmo 2-4-6

    Desde já, obrigado.

    Abraços

  756. 756

    admin said,

    February 9, 2012 @ 7:22 am

    Olá Gaúcho:

    Quando a vogal anterior está numa sílaba tônica, as possibilidades de fusão com a posterior em Sílaba Poética diminuem. Eu + A não dá liga em um só tempo poético, e pela força do ritmo, tudo me leva a crer que o verso seja 1-3-5-7. Veja que interessante a solução deste outro problema: É uma cova grande.

    É-u/ma/ co/va/ gran/de – 1-3-5

    Aqui deu certo a fusão com a vogal anterior sendo tônica por causa do som ÉL.

    Abraços.

  757. 757

    Fábio Marinho said,

    February 9, 2012 @ 8:32 am

    Maravilha, Dalton.

    É verdade, na pronúncia de EU + A, tentando colocá-las num só tempo poético dói no ouvido.
    Saquei mais esse aprendizado.

    Valeu, Dalton

    Abraços e até a próxima.
    Fábio

  758. 758

    Fábio Marinho said,

    February 10, 2012 @ 3:56 pm

    Mestre Dalton, buenas…

    Faz tempo que não coloco um poeminha no Sapiens. Fiz um agora a pouco pensando em mandar pra ti.
    Tenho feito muitos em sextilhas e sétimas com opostas, mas esse fiz todo em quadras por ser mais rápido.
    Assim que eu conseguir registrar os outros, te encaminho uns, ok?

    Abraços

    Meu caminho eu mesmo traço
    na cadência dos meus passos
    os meus sonhos eu embalo
    com suor do meu trabalho

    Na rotina de serviços
    eu me entrego sem cansaço
    a labuta me faz vivo
    levo a força nos meus braços

    Pro trabalho eu dou a força
    pro’s colegas amizade
    pro patrão a lealdade
    e o dinheiro pra patroa

    Dou exemplo pro’s meus filhos
    não me abalo com encrencas
    não me calo ou faço cenas
    eu não mexo com buchichos

    Levo-a vida à duras penas
    prezo muito o bom convívio
    não tolero o desperdício
    dou a mão a quem mereça

    Noite chega é sexta-feira
    pro buteco eu corro enfim
    na caixeta eu pego assim
    pra tocar a noite inteira

    Eu espero por Domingo
    por gre-nal tão aguardado
    futebol depois um bingo
    com meus filhos colorados

    Quando enfim termina o dia
    colorado vitorioso
    para os braços, bem gostoso
    volto a amar, beijando a tia

  759. 759

    Fábio Marinho said,

    February 10, 2012 @ 3:58 pm

    Ah, tu vais lembrar dos versos que roubei na primeira quadra…rsrsrsrs

  760. 760

    admin said,

    February 10, 2012 @ 4:42 pm

    Colorado saiu
    Pela vida a vencer
    Sem ser vil
    Pra ter vez
    Quando acontece uma rima de convencer
    Sempre enaltece a família pra ver e ser

    Mas precisamos acalmar toda essa nossa gentileza porque Colorado e Peixe cairam na mesma chave da Liberta e logo estarão se enfrentando.

    Por falar nisso, estou pensando em fazer alguma coisa associando música a futebol em vídeo. Como sei que você coleciona vídeos das nossas seleções em distintas épocas, pedirei alguns emprestados, porque não sei copiar vídeos do yotube e depois editar pelo windows movie maker.

    Me conte alguma coisa sobre isso. Abraços.

  761. 761

    Fábio Marinho said,

    February 10, 2012 @ 5:31 pm

    rsrsrs…verdade. O bicho vai pegar em março quando duelarmos..eheh

    Ótima idéia. Estarei atento a essa fusão de futebol e música em vídeo.

    Sem problemas, Dalton, tenho as fitas de vídeo K7 em casa. Mas como é que posso te ajudar?? Devo passá-las pra DVD primeiro?? Não manjo bem desse universo eletrônico, on-line….

  762. 762

    admin said,

    February 10, 2012 @ 8:31 pm

    Como tenho sido obrigado a transformar os meus LPs de vinil em mp3 com um cara daqui, acho que o mesmo deve ocorrer com as suas fitas por aí. Fazemos uma parceria no vídeo, colocamos no Sapiens e divulgamos pelo Youtube.

    Veja o último vídeo que fiz e ainda nem coloquei o histórico por aqui:

    http://www.youtube.com/watch?v=Q8guBy3g-v4&context=C3e1a41bADOEgsToPDskKOWkXc1wcx9E1OVIF-dt-5

    Pense nisso. Abraços.

  763. 763

    Fábio Marinho said,

    February 11, 2012 @ 8:58 am

    Mas que beleza de vídeo, tchê.

    Farei isso, Dalton. Vou passar as fitas para DVD, então. Vou procurar por aqui quem faça esse trabalho e depois entro em contato contigo e a gente pode combinar para eu te encaminhar por sedex!!

    Que tu achas?

    Tem um Carrefour aqui perto do serviço, semana que vem dou um pulo ali pois acho que os caras trabalham com esse esquema.

    Abraço

  764. 764

    admin said,

    February 11, 2012 @ 11:26 am

    Ainda estou decidindo sobre a música de fundo, mas certamente usarei 25 trechos. Um para cada ponta de estrela das nossas cinco estrelinhas. Não é necessário que pertençam a determinada copa, mas que justifiquem os porquês das copas. Como aquela carretilha do Kaneko com a letra do Toninho, por exemplo. Ou bolas que mereciam ter entrado, como a também carretilha do Damião contra a Argentina. Tem que ser algo grandioso, só filé. Abraços.

  765. 765

    admin said,

    February 11, 2012 @ 11:29 am

    Você tem aquele gol do Robinho num amistoso contra a Itália, em Londres creio?

  766. 766

    Fábio Marinho said,

    February 11, 2012 @ 11:52 am

    Cara, não tenho, não. Os vídeos são de jogos, documentários curtos, grandes duelos, histórias, entrevistas, gols, obviamente e por aí afora. Tudo até 1990, se não me falha a memória. Depois disso não tem nada.

    Pra ti ter uma base:

    Entrevistas com Tostão, Paulo Borges, Edu, Domingos da Guia, Zizinho, Ademir da Guia, Dadá Maravilha etc….

    Brasil x Colômbia em 1959 – 9 x 0, copas de 1930, 1950, 58….., inter x palmeiras, 1979 Falcão metendo 2, Didi no Real Madrid com Puskas, Gento e Di Stefano etc,etc….

    E muitas histórias……

    Eu gravava do programa “Grandes momentos do esporte” da TVE aos sábados às 14hs.

    Vai te servir pra o que tu queres?

  767. 767

    admin said,

    February 11, 2012 @ 7:59 pm

    Claro que tudo isso será aproveitado, Fábio!

    Existe muita música que mistura sentimentos de alegria, tristeza e deboche simultaneamente. Pretendo começar a associar essas músicas, instrumentais ou letradas, para explicar pelo futebol.
    Assim como fiz com as músicas da Ópera do Malandro, levando os textos mais para a realidade contemporânea ou para a História Econômica do Brasil desde D.Pedro I.
    Você viu o vídeo da Ópera?

    http://www.youtube.com/watch?v=Qd2DNxRl5oQ&context=C379f8ebADOEgsToPDskIbKitMbQaufJ2FLEftwAKQ

    É mais ou menos assim que imagino fazer. Muita coisa pude observar com o nosso futebol desde 1958, e como cada uma das conquistas ou derrotas foram cercadas por episódios histórico-sociais, nada mais gostoso do que estudar História tendo o futebol como base de estudos. Em termos educacionais, o nome disso é Estratégia na aplicação dos Conteúdos.

    Manda bala no material, por favor. Abraços.

  768. 768

    Fábio Marinho said,

    February 13, 2012 @ 10:11 am

    Buenas Mestre Dalton…

    Cheguei agora da praia e lá estava sem internet no fim de semana.

    Beleza, então. Essa semana vou pegar as fitas e passá-las para DVD. Mantenho contato, te aviso quando estiverem prontos.

    Saquei o esquema do vídeo. Vi a ópera, sim. Espetacular!!

    Grande abraço

  769. 769

    Fábio Marinho said,

    February 13, 2012 @ 5:08 pm

    Dalton, lembra do samba vanerado do Gaúcho da Fronteira, né? Olha o que fiz na beira da praia…( Diga-se de passagem, que lugar maravilhoso pra fazer poema, com o som das ondas…bahhh)

    Abração

    Samba reclamado do corno magoado

    Fiz um samba reclamado
    Pra cantar em todo estado
    Mas também no meu Brasil
    A mulher da minha infância
    Que eu casei quase criança
    Par de guampas me serviu

    Pra quem manja do riscado
    Na cabeça tem plantado
    Par de chifres reluzentes
    Por favor me dê conselhos
    Pois em frente ao meu espelho
    Não consigo olhar de frente

    O que eu faço nessa vida
    Pra curar a dor sofrida
    Que me dói no coração
    Essa vaca vai pagar
    Pois pro inferno eu vou mandar
    Pra casar com capetão

    Já lustrei a guampa à mão
    Já afiei o meu facão
    Pra arrancar as pernas dela
    E peguei o meu pandeiro
    Pra tocar no seu enterro
    E enterrar essá cadela

    Seu capeta meu querido
    Faz favor pro seu amigo
    Leva a dona encrenca embora
    Pois você tem guampa boa
    Tem dois chifres, ri à toa
    Com mais dois não se apavora

    Seu capeta vai casar
    E no inferno vão brilhar
    Quatro chifres no malandro
    E no bar da minha esquina
    Vou bebendo o fim da sina
    E sorrindo vou sambando

  770. 770

    admin said,

    February 13, 2012 @ 6:07 pm

    Ficou muito bom, Fábio. Dá pra cantar direitinho. Abraços.

  771. 771

    Fábio Marinho said,

    February 14, 2012 @ 8:24 am

    Pois é….vou meter esse samba aí nas muvucas das churrascadas por aqui…eheh

    Abraços

  772. 772

    admin said,

    February 14, 2012 @ 11:00 am

    Pois fará sucesso! Boa sorte e abraços.

  773. 773

    Fábio Marinho said,

    February 14, 2012 @ 5:37 pm

    Opa, tomara…..

    Dalton, estou te encaminhando um poema que fiz ontem à noite.

    Queria te pedir mais uma gentileza, entre tantas:

    queria que tu me dissésse como tu percebes o conteúdo dos versos dispostos e a forma como me expresso nos meus poemas, se o histórico que coloco é bem explicado, se quem lê consegue sacar direitinho a idéia, manja?? Estou preocupado com o entendimento de quem lê mas com a forma que os versos estão colocados também. Os recursos poéticos já tenho estudado e tu tens me explicado.

    Desde já, obrigado.
    Abração

    Saudades da Maria

    Lembro sempre do sorriso
    que Maria sempre dava
    quando a roda começava
    com meus versos de improviso
    ela vinha rebolando
    me beijando e provocando
    me excitava sem aviso

    Toda noite após meu samba
    eu deitava nos seus braços
    pra curar o meu cansaço
    mas então começa a dança
    a mulher me beija a boca
    se despindo quase louca
    faz no bamba umá festança

    Hoje eu faço a batucada
    vou tentando um improviso
    mas me falta o seu sorriso
    pois Maria a minha amada
    que sambava ao verso meu
    hoje mora junto à Deus
    pra no céu sambar com asas

    Eu que assim to cá na Terra
    lembro sempre a nossa cama
    aventuras de uma dama
    que acabava em peripécias
    mãos divinas seguravam
    as vergonhas que duravam
    mas o fim não te interessa

  774. 774

    admin said,

    February 15, 2012 @ 7:49 am

    Fábio:

    Evite repetir palavras em versos próximos, como ocorreu com “Sempre” nos dois primeiros versos. Tente algo como: Lembro sempre do sorriso / Que Maria me guardava. O texto da segunda estrofe ficou meio perdido, pois a idéia de “Recomeço” não ficou clara. Talvez assim: Daí recomeça a dança… Um outro truque bom seria dar uma cruzada nas rimas ds versos 1 e 2 da terceira estrofe: Hoje eu faço a batucada / Baseada no improviso. Ou mesmo: Pois Maria minha amada / Sambada no verso meu/ Hoje samba junto a Deus / E dança no céu com asa.

    Lembra quando te falei que o poema chega na forma de pedra preciosa para depois ser lapidado? Pois foi o que acabei de fazer em parte dele, quando o correto seria você fazê-lo, senão a Antologia do Gaudério vira meio parceria, eheh.

    Estude um pouco mais sobre Rimas Cruzadas. Preste atenção no que o Zé Ramalho fez em Admirável Gado Novo e veja o belo trabalho cruzado dele nas rimas. Abraços Gaúcho.

  775. 775

    Fábio Marinho said,

    February 15, 2012 @ 9:00 am

    Ah, tá certo. Vou cuidar essas repetições de palavras sim. (Pior é que não me dei conta mesmo).

    Cara, a idéia da segunda estrofe que eu quis passar é que depois do samba ele se deita pra descansar com ela e ela começa a fazer carinho nele, não deixando ele descansar.”Mas então começa a dança” ,começam a se beijar porque ela é muito fogosa (se despindo quase louca) e aí ela “faz no bamba uma festança”….eles começam a transar.

    Na verdade não fiz com idéia de “recomeço”. Acho que me expressei mal, mas não estou conseguindo ver onde. Vou ter que lapidar o bicho todo pelo jeito…eheh

    Bah, gosto muito do Zé Ramalho, vou dar uma olhada mais de perto na obra dele, então.

    Valeu Dalton. Obrigado pelo meu presente de aniversário….eheheh

    Abração

  776. 776

    admin said,

    February 15, 2012 @ 9:42 am

    Parabéns pelo dia, mas você pode vir receber presentes nos demais dias que não me aborrecerei.

    Voltando à mulher do poema, não se esqueça que todo aquele fogo começou na estrofe anterior e recomeçou na cama da segunda.

    Tem uma gozação do Chico com tal assunto no último LP. Sou Eu:

    http://www.youtube.com/watch?v=2IxyQctm4u8

    Aliás, repara na jogada cruzada:

    Porém depois que essa mulher ESPALHA
    Seu fogo de PALHA no salão

  777. 777

    Fábio Marinho said,

    February 15, 2012 @ 9:48 am

    Baleza, beleza…valeu Dalton.

    Abraços

  778. 778

    Fábio Marinho said,

    February 15, 2012 @ 11:19 am

    Ah, ok.

    Preciso fazer uma auto-crítica forte dos poemas, lapidá-los bem,pois ainda não me dou conta de várias coisas. Depois das tuas explicações vi que o caminho é mais longo ainda..rsrs. No fundo isso é ótimo pois é um excelente motivo para estudar cada vez mais a Ciência Poética.

    Bah, Dalton, estou debulhando esse CD do Chico. Comprei 1 semana depois que fui no show e já sei quase todo de cor…
    Tenho tentado prestar atenção nas rimas e essa aí ficou muito clara, mas tem outras músicas que estou tendo dificuldade pra entender, principalmente as métricas. Como as das músicas “Nina” e “Sem você 2″…

    E esse tipo de rima interna eu ainda não tentei fazer, mas vou tentar copiar fazendo algum poema tentando substituir a letra, como fiz com o vanerão sambado, mas esse bem mais fácil….

    Obs – Que voz do Wilson das Neves na música “sou eu”…além de baita batera é um baita cantor também…

    Valeu

    Abraço

  779. 779

    admin said,

    February 15, 2012 @ 7:38 pm

    É isso aí. Fica cada vez melhor. Abraços.

  780. 780

    laine said,

    February 26, 2012 @ 11:23 pm

    eu sou uma criança feliz
    gosto de estudar e brincar
    sou muito estrovetida
    e sou bricalhona
    gosto de tudo e todas pessoas
    que gosta de mim
    e tambem como sou
    e como me entende
    por isso sou uma criança
    feliz e elegante
    e uma pessoa que sabe comviver
    com as pessoas emrritantes
    e tambem gosto de pessoas do jeito que for

  781. 781

    admin said,

    February 27, 2012 @ 10:35 am

    Lindo o seu poema, Laine. Escreva mais e traga pra mim aqui.
    Dalton.

  782. 782

    Fábio Marinho said,

    February 27, 2012 @ 3:09 pm

    Buenas mestre Dalton

    Mas que bailarinos geniais o Ganso e o Neymar!!! Que encantamento vê-los em campo!!!

    Tchê, tudo encaminhado para a passagens das imagens das fitas para DVD!! Hoje vou tirar as fitas do armário para começar à vê-las novamente. Já tenho o lugar para fazer o processo. Os caras levam até 15 dias para aprontar e, assim que estiverem prontas, te dou um toque, beleza??

    Abraços
    Fábio

    Te encaminho um poeminha ABAB que fiz na empresa matando um pouco de serviço..rsrs

    Me perdi nos teus carinhos
    num momento escuro e triste
    sem amor no meu caminho
    que mudou quando sorriste

    Como a nau que avista a terra
    vai no porto se atracando
    qual o mel que abelha entrega
    nesse amor fui me dourando

    Seu sorriso iluminado
    adentrou meu quarto escuro
    onde fui acorrentado
    muito tempo sem futuro

    Nos meus sonos não dormidos
    no descanso mais cansado
    no porão escurecido
    no meu peito tão pesado

    Onde andavas nesse mundo?
    em que nuvens deslizavas?
    que castelo mais profundo
    Deus sagrado te hospedava?

    Aos arcanjos agradeço
    por abrirem minha cela
    por flecharem meus desejos
    e mostrar que a vida é bela

  783. 783

    admin said,

    February 28, 2012 @ 10:26 am

    Gaúcho:

    Nunca podemos desprezar a memória. Isso me preocupa, porque mais da metade desse time quem juntou foi o Dorival em 2010 e só agora que o Muricy está conseguindo deixar o time parecido com aquele dele, só que melhorado pouca coisa na defesa. Porém estamos acima dessas paixões menores e o destino haverá de premiar o mais competente, para a sorte de um e azar do outro, eheh.

    Quanto ao poema devo dizer que está construindo bem mesmo nas horas vagas. Por mais que a vida não nos deixe motivos para queixa, sempre buscamos a Musa Oculta nos poemas. Vinícius era um fissurado nela:

    http://letras.terra.com.br/vinicius-de-moraes/86813/

    Por mais que a gente tente, não tem como evitar o futebol brasileiro na cabeça. Até em música dos Beatles, interpretada pelo Ray Charles, cabem cenas dele. Veja porque:

    http://www.youtube.com/watch?v=n_B4nfEMxjg&context=C3d3ec6aADOEgsToPDskKiolROvjaYl3y15k8seyPq

    Fico aguardando um toque seu sobre os vídeos. Abraços.

  784. 784

    deborah said,

    February 28, 2012 @ 12:02 pm

    doce como açúcar azedo como limão, gosto de você mas prefiro seu irmão

  785. 785

    admin said,

    February 28, 2012 @ 4:19 pm

    Não se sinta culpada
    Com pena do meu amanhã
    Pois me arrumei c´oa cunhada
    Que dizem ser sua irmã

  786. 786

    Fábio Marinho said,

    February 28, 2012 @ 7:27 pm

    Cara, quase que me esqueço que vamos pelear pelas querências da Libertadores !!!

    Serão duas batalhas macanudas, tchê!!! eheh

    O Guiñazu vai ter que marcar o Neymar que é mais liso que mussum ensaboado!!

    Pois é…tudo acaba em mulher, futebol e samba! Se tem coisa melhor, tá com ele lá em cima!!

    Beleza, beleza….sempre estudando a Ciência Poética e nossos mestres!!

    O Vinícius, o Chico e o Manuel Bandeira viraram meus materiais de cabeceira!!!

    Grande Ray Charles…..o filme dele é ESPETACULAR!!!

    Abraços rubros

  787. 787

    admin said,

    February 28, 2012 @ 7:48 pm

    Tira dois dos médio-volantes, tira o Ronaldinho, coloca Ganso e Oscar armando mais o Lucas jogando com o Neymar e o Damião. Depois joga com a Bósnia com esse time novo e veja o que acontece.

  788. 788

    Fábio said,

    February 28, 2012 @ 9:08 pm

    Pelo amor de Deus…….mas que caos!!!!!!!

    Nunca se viu nada igual!! Que coisa deprimente…o Mano tá perdido, meu cumpadi….

    Se o Ganso não for titular dessa seleção eu não entendo mais nada dessa peleia!! Dá sequência pro guri.

    Perfeito, os dois armadores seriam o ideal.Também acho!!

  789. 789

    admin said,

    February 29, 2012 @ 9:35 am

    A CBF é no Rio e o Flamengo ainda fala alto nela. O que o Mano fez foi tentar mostrar dois times diferentes: Um com aquele peso quase morto em campo no primeiro tempo e outro sem ele no segundo, mas como a maioria dos nossos técnicos é idiota, e só consegue fazer substituições no time após os 15 minutos do segundo tempo, só sobraram 30 minutos pra ele denunciar a coisa, mostrando aquilo que o Brasil inteiro já sabe. O Ney Franco já tinha mostrado pro Mano o caminho das pedras com a seleção sub-20, que com ou sem Neymar e Lucas foi campeã mundial.

    O que aconteceu com o Santos no ano passado não diminuiu em nada a idéia de que o jogador brasileiro perdeu a habilidade, pois o jogo do Barcelona se destaca muito mais pela essência do esquema de Futsal do que pela qualidade dos jogadores. Se tirar o esquema de jogo fica que nem a seleção da Espanha, quase eliminada pelo Paraguai nas quartas de final da copa passada.

    Vocês aí do sul podem muito bem saber dos males que a mudança dos nossos jogadores para o futebol europeu causam nas originais habilidades. Por exemplo, veja o que ocorreu com o Lucas Leiva. Nada se parece com aquele médio-volante voluntarioso que chegava na área adversária, servia bem os atacantes, fazia gol de cabeça e de fora da área. E o Nilmar, o Sóbis, o Pato? Quanto jogam daquilo que jogavam por aqui antes de mudarem.

    Mas eu não me preocupo com essas exibições sofríveis que temos visto, porque em outras épocas era a mesma coisa. Times horríveis nos amistosos, seguidos de um bom tempo jogando somente no Brasil contra clubes ou combinados e surpreendente futebol na copa. O último que fez isso foi o Felipão em 2002, mesmo com toda a imprensa de olho. Lembro que a nossa defesa não se acertava e a bola demorava pra ir da dela ao ataque. Como a maioria dos jogadores daquele time era bem conhecida pelos europeus, Felipão escondeu o jogo e na copa enfiou três novidades no time: Edmilson, Kléberson e o Ronaldo com novas características.

    Não costumo ficar comentando o óbvio dos gols feitos, mas quantos repararam, por exemplo, nas construções desses mesmos gols? A maioria deles vinham de fulminantes contra-ataques e passavam obrigatoriamente pelos pés do desconhecido Kléberson. Quem imaginaria que um jogador do Atlético Paranaense fosse tão importante? Quantas bolas açucaradas o Rivaldo recebeu dele para transformar em gols? Passes longos vindos da ponta direita, com a bola passando por detrás da zaga adversária. E o Edmilson, então? Um verdadeiro Líbero, que atendia tanto como último homem da zaga quanto carregador de bola da defesa para o ataque e às vezes surgindo lá na frente até pra fazer gol de bicicleta.

    Depois da copa, tanto o Kléberson quanto o Edmilson foram vendidos para a Europa. Voltaram pra cá, mas tinham desaprendido tudo. O nome certo para 2014 é Oscar. Já mostramos demais esse garoto no último mundial. Que o seu Inter nem imagine em vendê-lo para o exterior, como o Santos fez com Wesley e Danilo, este último, um dos maiores responsáveis pela conquista da Libertadores no Santos. Tem também um moleque aí do Gremio, acho que chama Fernando, que também foi o carregador de piano no sub-20, mas com uma diferença em relação aos demais médio-volantes: Sabe lançar em profundidade os meias ou atacantes. Neymar e Lucas fizeram a festa com os garçons Fernando e Oscar, e mesmo quando não estavam mais no time sub-20, o Oscar foi lá e fez os três gols do Brasil na final fazendo as vezes até de centro-avante.

    A seleção da Bósnia é só um reflexo do que sempre ocorreu com o futebol mundial: Se somos menos ofensivos, o time vai ao ataque. Se menos, volta tudo pra defesa. Bastou reforçarmos o ataque no segundo para que os próprios caras entregassem o ouro no fim do jogo. Tá na cara que a solução ofensiva está nos mais jovens e não nessas porcarias viciadas em futebol europeu, balada e grana. O que esses moleques mais gostam é de jogar futebol, seja em amistoso, jogo beneficente, peladas de praia ou treinamentos. Têm habilidade, são obedientes e qualquer técnico mais voltado ao futebol do que aos conchavos com CBF faz a festa com eles. Veja o Ney Franco, por exemplo.

    Não tenho acompanhado o futebol aí do sul, mas pelo que conheço do Dorival, ele deve ter recuado um pouco o Oscar pra perto desse argentino pitbul careca do Inter, mas com liberdade para sair com a bola dominada e servir o Dalessandro ou o Damião lá na frente. Aliás, no jogo final contra Portugal, o Oscar só não jogou de goleiro, pois cortou de cabeça na nossa área, cobriu nas duas laterais, serviu pelo meio de campo e foi resolver lá na frente.

    Aliás, pelo bem do futebol brasileiro, acho que ele deveria ser transferido para o Santos, diante dessa briga toda entre o Inter, o São Paulo e o Fluminense nos bastidores da CBF.

    -Não é uma boa idéia, meu patriota colorado?

    Abraços aos pampas!

  790. 790

    Fábio Marinho said,

    March 1, 2012 @ 7:49 pm

    Dalton, acho que o esquema é esse todo da sua explanação mesmo.

    Aqui na aldeia Corinthians e Flamengo são odiados pelas duas torcidas. A CBF é uma máfia onde esse Ricardo Teixeira faz o que quer e nada acontece. Parece que agora apertaram a cueca o guaipeca um pouco, vamos aguardar se vai dar alguma coisa pro lado dele.

    O Ney Franco mostrou como é que se faz um time vencedor com a piazada. Foi um baita mundial e o Oscar acabou com os adversários.

    O Fernando é o centro-médio do Grêmio, sim, e joga muito. O negrão sabe das coisas.

    É difícil acreditar que o Brasil não possa fazer um time vencedor com essas pérolas: Lucas, Oscar, Damião, Neymar, Ganso, Hernanes, Dedé, Fernando, Casemiro, Danilo etc….

    Fico imaginando outros técnicos sonhando com jogadores desse nível…só nós temos!!

    Cara, por aqui o Oscar está jogando do meio pra frente, fica assim o quarteto final: Oscar, D’alessandro, Dagoberto e Damião.
    E ele é o que mais se movimenta, cai para os lados, cruza na área e ainda bate à gol, numa armação parecida com a do D’ale.

    eheheh, calma peixe! Deixa o guri se acertar e ficar por aqui comendo costela…rsrsrs

    Grande abraço pra terra do Pagão, Coutinho, Pelé, Edu, Pepe, Jair da Rosa Pinto…etc….só morto…rsrs

    Fábio

  791. 791

    admin said,

    March 2, 2012 @ 9:23 am

    Gaúcho, não uso assistir tv aberta. Só o globo esporte, porque simpatizo com a dupla jovem Thiago-Caio, apesar de trabalharem na globo. Pra quem foi obrigado a conviver com aquela Zebra, que é o Galvão Bueno, falando besteiras o tempo todo durante décadas, a jovem dupla chegou em boa hora. Embora o Caio tenha sido sempre um jogador de grande futuro sem conseguir virar uma grande realidade em todos os clubes pelos quais passou, é o melhor dos comentaristas do complexo globo, que também compreende os 3 canais do sportv. Já o Thiago é o próprio Miguel Falabela em início de carreira, quando apresentava o Vídeo-Show, mas com um leve sarcasmo do personagem Caco Antibes, do mesmo e posterior Miguel em Sai de Baixo.

    Milton Leite é o narrador e Gaciba o comentarista de arbitragens, que junto com os dois representam o quarteto de ouro esportivo da globo. Dificilmente são colocados juntos em mesma transmissão, e o motivo é bem simples: São somente 4 elementos inteligentes e comunicativos dentre um imenso contingente de puxa-sacos do finado Roberto Marinho, que a emissora usa para dar algum brilho nos programas esportivos, cada vez mais voltados para vender espaço de imagem bara poucos bons e muitos maus artistas vindos das feiras dominicais do Faustão.

    Com o futebol brasileiro não é diferente, porque quase todos os interesses federais se mudaram do Rio com o surgimento de Brasília. Exceto o futebol, há décadas dominado pela globo, cuja sede é também no Rio. Isso faz com que o restante do país seja obrigado a conviver com um bando de jornalistas de diversas regiões sendo obrigados a valorizar as transmissões esportivas de sofríveis jogos do campeonato carioca em detrimento da melhor qualidade de outros espetáculos simultâneos do restante do país. Por exemplo, Gremio e Caxias na semana passada. Um baita jogão acontecendo aí pra baixo e eu, um idiota, refém dum sofrível Flamengo contra qualquer coisa.

    Isso não quer dizer que o Rio não possua bons jogadores, aliás, são estes os mais prejudicados pelo normal sentimento Anti-Rio que a nação futebolística brasileira nutre por causa da globo e da cbf. Cito como exemplo o famoso gol perdido pelo Deivid há uns dias atrás. Só falaram do gol perdido. Ninguém citou a bela jogada do Leo Moura, um misto de habilidade, velocidade e raça; que propiciou o desdobramento da horrível cena final.

    Desde o Cafu que a seleção não sabe o que é um bom lateral direito. Basta comparar a cena anterior à do gol perdido com as jogadas do Cafu para perceber que existe sim um substituto com as mesmas qualidades, cujo único defeito é jogar no campeonato carioca. O Flamengo sempre tem um monte de estrelas cadentes, ou melhor, decadentes, no seu plantel. Todas cercadas por um monte de glórias jornalísticas em detrimento da única estrela útil do time, ofuscada pela incompetência das grandiosas que a cercam. Tem também o goleiro Felipe, que infelizmente acabou meio que parecido com o resto do time, embora de fácil recuperação.

    Dentre os vários times bem sucedidos e ainda possíveis do nosso futebol, imagine este:

    Felipe
    Leo Moura – Dedé – Rever – Marcelo
    Arouca – Oscar – Ganso
    Lucas – Damião – Neymar

    Imagine uma base dessas treinada três dias por trimestre até 2014. É tão difícil assim de se conseguir, já que, com excessão do Marcelo, todos jogam no Brasil?

    Quando o jornalista João Saldanha assumiu o comando da seleção em 1969, apesar de simples colunista, era esse o plano de ação: 3 dias por trimestre para poder treinar uma seleção, já que pra ganhar os jogos das eliminatórias bastaria fazer um mistão de Santos e Botafogo, que foi o que fez para nos classificar para a copa do México.

    Ele não estava muito errado, e o resultado disso pudemos comprovar no ano seguinte, com a melhor seleção de todos os tempos.

    É uma pena que ainda convivamos com todas essas falcatruas mais acima citadas. A última mais notável foi aquela palhaçada no final do brasileirão de 2005, à qual o atual prestígio de André Sanches muito deve, embora a tramóia tenha sido feita pelo Alberto Dualib com a Máfia russo-iraniana de Bóris Berezowiscki e Kia Korabichian. O Ricardo Teixeira, com o seu pupilo de ouro, Marcio Resende de Freitas, que também apitou a palhaçada de 1995, pode lhe contar melhor essa história eheh.

    Acho que vou me atrasar. Fui e abraços.

  792. 792

    Fábio said,

    March 3, 2012 @ 4:11 pm

    Po, esse Thiago aí é muito bom!! Também gosto muito do estilo bonachão, brincalhão e sem frescuras dele.

    E essa podridão da CBF faz isso aí mesmo: passa o Mengo guaipeca com o Ronaldinho capenga de tesão pra jogar e deixa outros grandes jogos ao vento….

    Baita time esse aí que você montou. É só botar a rapaziada pra jogar….

    Grande João Saldanha, de Santana do Livramento, terra fronteiriça do jornalista colorado Kenny Braga, integrante do programa Sala de Redação, da Gaúcha, o quel escuto todos os dias às 13hs.

    Tem uma história que o eterno Manga foi tirar as caras com o treinador Saldanha, sei lá porque, não lembro, e o gaudério correu o glorioso arqueiro a tiros do vestiário, se não me falha a memória….

    E outra é que o Saldanha quando saiu, deixando o Brasil invicto, nas eliminatórias, em 1969, com o Tostão como artilheiro, dizia que o próprio não poderia jogar junto com o Pelé…é isso Dalton??

    E o Zagalo, quando assumiu, já chegou dizendo que o Tusta era titular e fim de papo. E o mineirinho fez o que fez, mesmo depois de operar o olho, há poucos meses, nas eliminatórias, pra corrigir o deslocamento da retina de uma bolada do zagueiro Ditão, do Curintia…..

    O ano de 2005 foi um período de punhaladas nos corações colorados…cicatrizes abertas até hoje!! Essa corja curinthiana safada nos roubou o campeonato!!!

    Amanhã que o teu peixe atropele esses cabras safados!!!

    Abraços gaudérios

  793. 793

    Fábio said,

    March 3, 2012 @ 4:15 pm

    Vai um poeminha aí, mestre Dalton??

    Paixão platônica

    No caminho do trabalho
    passo em frente ao seu portão
    faço a prece em oração
    vou rezando com o orvalho
    na manhã com esperança
    sonho em ver as suas tranças
    um pedaço, um bom retalho

    Um cantinho de você
    que apareça na janela
    com seu pano de flanela
    e esses olhos de morrer
    quando limpa vaso e flores
    me derreto então de amores
    no acordar do amanhecer

    Vou abrindo a minha conta
    no boteco em sua frente
    para ver-te sorridente
    nesse lar em que te encontras
    toda noite no meu samba
    vou chorar com suas plantas
    com a lua que desponta

    No boteco a minha cota
    pendurada no caderno
    vai virando o meu inferno
    da cerveja que se anota
    pois bebendo eu vou sambando
    e sofrendo eu vou cuidando
    a mulher que não me nota

  794. 794

    admin said,

    March 3, 2012 @ 7:44 pm

    Saldanha não disse isso. Citou que tendo as mesmas características, só depois de muito treinamento conjunto poderiam pensar em jogar no mesmo time. O Saldanha era todo valentão, peitava até presidente da república, mas não era burro. Aquele time de 70 não tinha centro-avante fixo, mas dois meias para servir o Jairzinho que ocupava as funções de ponta direita e centro avante. Repara no terceiro gol contra a Itália e veja a posição do Jair. O cara fez gols em todos os jogos.

    Tomara que as tuas previsões para amanhã se concretizem.
    Abraços Rubros.

  795. 795

    admin said,

    March 3, 2012 @ 7:48 pm

    Bonito poema, Gaúcho. Tem um pouco de Quem Te Viu, Quem Te Vê misturado com outro tanto de Até Pensei e de Juca. Só que dos Pampas.

  796. 796

    Fábio said,

    March 3, 2012 @ 8:05 pm

    Tá certo. Grande furacão da copa…

    Bah, muito obrigado, Dalton.
    Dessa influência eu pretendo me embriagar muito….rsrs

    Valeu
    Abraços

  797. 797

    admin said,

    March 3, 2012 @ 8:18 pm

    Vou colocar mais uma influência agora mesmo. Bom divertimento!

  798. 798

    Fábio Marinho said,

    March 7, 2012 @ 10:01 am

    Ihh, bixo…..acho que o duelo vai pender, positivamente, para o teu lado.

    O Dorival escalou 3 volantes, com o lerdo do Bolatti e tirou o Dagoberto, acredita?? Na frente vai ficar o Damião com o Oscar!!! E tenho receio que morram de fome, se o Muricy anular o D’alessandro!! Eu mereço….

    Mesmo assim será um dos maiores duelos dos últimos anos, acredito!!!

    Abraços rubros e bom jogo

  799. 799

    admin said,

    March 7, 2012 @ 12:31 pm

    Nunca se sabe sobre a intenção e o fato de qualquer mudança no time. Na semifinal do paulistão do ano passado, o Santos tava levando o maior sufoco do São Paulo. No intervalo o Muricy tirou um dos avantes e colocou um terceiro zagueiro. Isso aliviou os volantes, o ataque produziu mais, o jogo terminou 2×0 pro Santos e o Carpegiani começou a perder o emprego.

    Seja qual for o resultado, ambos sabemos que o futebol brasileiro estará bem representado por qualquer deles.

    Bom jogo pra você também.

  800. 800

    Fábio Marinho said,

    March 8, 2012 @ 9:31 am

    Minha nossa senhora…….

    Mestre Dalton, obviamente que fico chateado em perder. Mas meu coração, apaixonado por futebol, batia feito um adolescente apaixonado ao ver a arte pura, de beleza quase indescritível, nos pés desse craque maravilhosos chamado Neymar!!!! Que jogador!!! Até meu ídolo-bailarino Ganso foi um pouco ofuscado pelo guri…
    Quase nada podia ser feito, além de começar com os melhores em campo, coisa que o Dorival não fez.

    Parabéns pela vitória!!

    E parabéns aos nossos motivos de viver : AS MULHERES!!!!

    Grande abraço
    Fábio

  801. 801

    admin said,

    March 8, 2012 @ 10:24 am

    Feitiço contra o Feiticeiro

    Um dos homens de maior confiança do Dorival no Santos era o Edu Dracena. Sei lá por qual razão, por ainda persistir no erro de vê-lo como grande zagueiro, não concentrou as jogadas do Inter sobre ele. Quando o Oscar resolveu dar uma desobedecida no técnico, o Inter descobriu o “Mapa sa Mina” na defesa do Santos, mas já era tarde, ou melhor, muito noite, já que o imprevisível se apoderou do Neymar novamente e logo em seguida.

    Sem ele em campo, creio que o jogo fosse equilibrado. Com chances de vitória para ambos os lados, conforme ocorreu contra o Corinthias no domingo, quando Neymar pouco fez e a partida foi decidida pelo Ganso.

    O que mais me tranquiliza é o Muricy sentado naquele banco, pois acostumou a ganhar títulos sem ter na mão grandes jogadores, portanto, conhece o caminho das pedras mais difíceis. Quase não se vêm mais tantas falhas no Dracena, e o dono do milagre atende por Henrique, que possui o jogo sacrificado pelo cargo de Pajem do Dracena. Qualquer descuido dele indo pro ataque surge um Oscar pra mostrar o quanto ele não pode sair de perto, eheh.

    Como é o regulamento? Classificam dois por chave?

    Abraços.

  802. 802

    Fábio Marinho said,

    March 8, 2012 @ 6:49 pm

    Bah, é verdade!.
    O Muricy é uma tranquilidade pra qualquer clube. Até hoje o pessoal aqui no Beira-Rio tem saudade dele, parece que mantêm contato até hoje com os dirigentes, principalmente com o Fernando Carvalho.

    Se classificam dois, sim, Dalton, nessa primeira fase. São 12 times que jogam eliminatórias em ida e volta. Os 6 vencedores passam adiante. E agora apertou o sapato pro meu lado….
    O Inter tem que ganhar daqui pra frente. E tratar de rever seus erros…

    Abraços

  803. 803

    micaela said,

    March 8, 2012 @ 8:03 pm

    oi, amei muito alguns poemas que li…. mas eu nao sou muito boa em fezer, em criar um poema, queria uma ajudinha, tenho avaliaçao amanha e é poema.
    obrigada!

  804. 804

    micaela said,

    March 8, 2012 @ 8:07 pm

    qureria ajuda pra fazer um poema

  805. 805

    admin said,

    March 8, 2012 @ 9:02 pm

    Micaela:

    Primeiro é necessário que você escreva um texto normal. Daí pra frente eu posso ajudá-la a transformá-lo em poema. Tá bom assim?
    Grato pela confiança e volte.
    Dalton.

  806. 806

    admin said,

    March 8, 2012 @ 9:04 pm

    E se Santos e Inter classificarem, quando é que se enfrentariam novamente? Na final ou antes dela?
    Abraços.

  807. 807

    Fábio Marinho said,

    March 9, 2012 @ 9:47 am

    Ih, Dalton…tenho que ver os cruzamentos pra te dizer.
    Não me interei dessa preocupação ainda, ainda mais depois da derrota. A libertadores anda mais fácil para se ganhar. Imaginava Santos, Inter e Corinthians com melhores elencos para a conquista, mas o meu, já estou tirando fora…

    Dou uma olhada nesses cruzamentos durante o dia e te aviso,ok??

    Abração

  808. 808

    Fábio Marinho said,

    March 9, 2012 @ 10:02 am

    Mestre Dalton

    Depois do meu desastre em Santos, fui ver o jogo do Grêmio x River de Sergipe…e pra aguentar a bola chorando de tão maltratada só fazendo um poeminha pra aliviar a alma….troquei até de sexo…temporariamente…eheheh

    Abraços

    Mulher carente, homem imaturo

    Nosso amor ficou pra trás
    frente ao tempo de mesmice
    nossa história muito triste
    das rotinas de cansar

    No começo, a fantasia
    nos seus beijos, as promessas
    dos desejos, nossa festa
    nos abraços, a alegria

    Mas então você mudou
    me mostrou o seu valor
    o seu dom galanteador
    o meu tempo assim roubou

    Toda noite o jogo e o bar
    e os amigos da rotina
    nos embalos da bebida
    e eu sozinha a sufocar

    Te esperando de cansaço
    nossa cama em sonhos quentes
    com a renda mais carente
    te querendo nos meus braços

    Quando enfim é madrugada
    e a fadiga te consome
    vem chamando por meu nome
    e eu sangrando a punhalada

    Meus carinhos se cansaram
    do respeito inexistente
    de um amor indiferente
    dos amigos que te amparam

    Hoje eu sei que o teu amor
    não passava de aventura
    sem noção e sem ternura
    imaturo e enganador

    Siga assim a tua sina
    sem saída, nem futuro
    pois sorrindo aos teus lamúrios
    vou seguindo a minha vida

  809. 809

    admin said,

    March 9, 2012 @ 10:16 am

    Fábio:

    Desde o século XVII, mais precisamente no Trovadorismo, que o poeta escreve como sendo a mulher falando as coisas que ele mais gostaria de ouvir delas. O nome disso “Cantiga de Amigo”. Veja:

    http://mpbsapiens.com/com-acucar-com-afeto-analise-poetica/

    Se você tomar certos cuidados não haverá problemas, pois é sempre bom lembrar das palavras do Mestre:

    http://letras.terra.com.br/falcao/758193/

    Abraços, eheh.

  810. 810

    admin said,

    March 9, 2012 @ 10:21 am

    OK. Mas olhe direito essa história dos “cruzamentos”. Se forem do Oscar para o Damião, tudo bem, dos times nas demais fases da Liberta, idem, mas os do Mestre são preocupantes…

  811. 811

    Fábio Marinho said,

    March 9, 2012 @ 3:45 pm

    Putz…me expressei mal e tomei a corneta….eheheh

    To fora, meu…quis dizer que tentei usar uma imaginação feminina. Deixei a bola picando e tu deu uma de Neymar e não perdoou….rsrsrs

    É como disse o Moreira: “…sentei no teste da farinha e tava tudo bem, tudo certinho…aqui só tem saída, entrada necas…never…”

    eheh

    Bah e Falcão é pra matar…tá louco….rsrsrs

    Não tinha visto o estudo da música do Chico…..vou ter mais um belo estudo pro fim de semana!!
    Beleza…

    Abraços

  812. 812

    Fábio said,

    March 11, 2012 @ 8:55 am

    Buenas Dalton…

    Tem alguns poemas que não te mandei e te encaminho agora,ok??

    Abraços

    Soneto do amor morto

    Morreu o nosso amor na escura treva
    do mundo mentiroso e traidor
    criado por você num falso amor
    sem luz da escuridão que te completa

    Desencantou-se o coração marcado
    das juras e intenções mais escondidas
    do fundo das verdades não cumpridas
    findando o início falso-apaixonado

    Não podes merecer a compaixão
    sentir e aliviar um sofrimento
    jamais no peito teu se fez morada

    No rosto a falsidade em dispersão
    me trouxe um solitário sentimento:
    que a vida com você não vale nada

    ———————————————————————-

    Homenagem ao bar

    Os bares perdidos nas esquinas das quadras
    são lares queridos de bebidas e mágoas
    que aguardam, paternos, os malandros boêmios
    conversas e brigas, bebedeiras ocorrem
    mulheres mais finas não agüentam e fogem
    se rasgam os ternos os safados briguentos

    Mas bebem, também, os seus boêmios românticos
    que querem, tão bem, os bons festeiros e cânticos
    ladrilhos hidráulicos decoram paredes
    antigos retratos de sambistas brilhantes
    artigos tão raros dão na vista de amantes
    amigos com fome comemoram com sede

    Poetas sentados vão sentindo o cenário
    escrevem, calados, permitindo o inventário
    aquilo que cabe em cada verso perfeito
    na mesa listrada vem nascendo o poema
    cerveja gelada acompanhando o dilema
    petiscos de carne mal passados, bem feitos

    Poema nascido da tontura do trago
    do tema querido da doçura do mago
    foi lido na mesa da seguinte maneira:
    “os bares, mulheres, os amigos e amores,
    se fazem eternos de queridos valores
    que brindo à cerveja na amizade faceira”

  813. 813

    estefany said,

    March 11, 2012 @ 4:04 pm

    queria que fizesse um poema pra mim , mais preciso dele pra hoje .
    teria como fazer , aguardo sua resposta

  814. 814

    admin said,

    March 11, 2012 @ 7:35 pm

    Estefany:

    Sobre qual assunto e com que tamanho.

  815. 815

    admin said,

    March 11, 2012 @ 7:37 pm

    Fábio, amanhã dou um retorno mais seguro sobre os poemas do último comentário. Abraços.

  816. 816

    Fábio said,

    March 11, 2012 @ 9:41 pm

    Beleza,mestre Dalton….até.

    abraços

  817. 817

    admin said,

    March 13, 2012 @ 8:23 am

    Temos alguns casos da vida que por mais que tentemos esquecer, eles de vez em quando nos surgem do nada na memória. Gostei da novidade no segundo poema. Uma par de Paralelas seguido de Opostas nas Sextilhas. Há uma outra forma de se trabalhar com as rimas em sextilhas, desenvolvida por Repentistas do norte e nordeste brasileiros: 1-6; 2-3; 4-5. Como o repentista tem que continuar o assunto do oponente, muitas vezes o cara faz um verso com som meio estranho e depois fica tentando achar uma rima para ele, enquanto continua cantando os outros versos. Normalmente, depois de pensar por 4 versos ele consegue finalizar a estrofe.

    Isso era comum acontecer em Sampa, quando juntava os gaiteiros daí do sul com os do norte em certas ocasiões da década de 60. Embora todos falassem Português, os termos eram bem diferentes. A configuração que apresentei acima era a alternativa mais usada para as rimas. Alguns, acreditando que conseguiriam achar a palavra depois de um verso, não conseguindo, faziam 1-6; 2-4; 3-5. Outros, com mais dificuldade, apelavam para 1-6; 2-5; 3-4.

    Repentista nunca gostou muito de trabalhar com sextilha. O negócio dele é Quadra de Redondilhas Maiores com rimas Paralelas. Toda vez que um partia para uma sextilha o outro ria, porque tinha causado um desconforto no oponente. E de desconforto em desconforto surgiam rimas geniais vindas da cultura popular urbana. Abraços.

  818. 818

    admin said,

    March 13, 2012 @ 8:25 am

    Aliás, você conseguiu sanar a sua dúvida depois da minha resposta em Com Açucar, Com Afeto?

  819. 819

    gabriel said,

    March 14, 2012 @ 6:55 pm

    muito legal esse poema

  820. 820

    admin said,

    March 14, 2012 @ 7:18 pm

    Grato, Gabriel.

    Volte sempre.
    Dalton.

  821. 821

    Gabby said,

    March 14, 2012 @ 7:32 pm

    Preciso fazer um poema de amor com rimas… É para um trabalho da escola, mas não nem por onde começa… Será que alguém pode me ajudar? A professora falou para nos inspirar em alguém, mas digamos que não ta adiantando muito fica pensando no meu namorado… :’(

  822. 822

    admin said,

    March 14, 2012 @ 8:00 pm

    Gabby:

    Poema pequeno. Assim tipo Soneto?

  823. 823

    Fábio said,

    March 14, 2012 @ 9:44 pm

    Tchê, fascinante a história da nossa cultura popular. Tenho me apegado facilmente aos movimentos literários que tu falas por aqui e às histórias da arte, poemas, escritores, músicos e tal. Por influência tua estou pesquisando, sempre que posso, esses movimentos.
    Tenho dado uma olhada no Trovadorismo, com os tipos de cantigas e etc. Apaixonante o negócio….

    Agora que você falou dos outros tipos de configuração das rimas nas sextilhas vou tentar alguma coisa diferente nos meus poemas.

    E Dalton, infelizmente não entendi ainda o esquema da mudança da métrica do Chico lá em Com açúcar, com afeto….sempre pensei que o Parnasianismo se destacá-se por métrica perfeita etc….

    Obrigado pelos ensinamentos..

    Abraços

  824. 824

    Fábio Marinho said,

    March 16, 2012 @ 5:03 pm

    Mestre Dalton….

    As duas fitas que eu encontrei já estão com o cara que vai passar pra DVD. Encontrei TODAS as minhas fitas numa caixa enpoeirada embaixo da cama que eu nem lembrava mais. De vagarinho vou passando uma a uma e assim que o cara me entregar a primeira, te mando por sedex. Ele leva até 15 dias para concluir o esquema. Tu vais ver: só tem PÉROLAS!!!

    Grande abraço
    Fábio

  825. 825

    admin said,

    March 16, 2012 @ 7:15 pm

    Fábio:

    Que bom, estou ansioso para vê-las, mas acho que não precisa gastar grana com o Sedex não. Como elas estarão em DVD, provavelmente estarão salvas como vídeos. É só você salvá-los no seu PC e colocá-los em algum comentário daqui que eu capturo.

    Peça informações ao cara que está fazendo a transformação que ele explicará direitinho como fazer. Você também pode abrir uma conta no youtube e colocar os seus vídeos por lá, porque essa turma mais nova precisa saber um pouco da história do futebol bem jogado. Abraços.

  826. 826

    Fábio Marinho said,

    March 17, 2012 @ 9:38 am

    Ahhhh mas tá certo, cara. Pra você ver que não saco bulhufas desse negócio…rsrs

    Farei isso, então.

    Tchê, tem muita coisa do teu peixe. Lembra de um tal de Pitico?? Tem uma história dele tentando marcar o grande Beckenbauer, mas o resto fica pra quando você ver…só pra ti ficar curioso…eheheheh

    Abraços

  827. 827

    admin said,

    March 17, 2012 @ 10:48 am

    Pitico? Nunca ouvi falar dele, o que é difícil, porque o Beckenbauer, se não me engano, foi mais famoso nos anos 70. Como nessa época a zaga do Santos era poderosa – Carlos Alberto – Ramos Delgado – Djalma Dias – Rildo – e o médio-volante Zito já se aposentara, agora ficou difícil lembrar quem o substituiu, já que havia no time o coringa Lima. Reconheço que fui pego de surpresa. Abraços.

  828. 828

    Gabby said,

    March 17, 2012 @ 10:55 am

    Ele tem que ter no minimo 16 “Linhas”… E a professora falou que não éh para fazer rimas “comum”… Que éh para abusar da criatividade… :’(

  829. 829

    Gabby said,

    March 17, 2012 @ 11:14 am

    Quanto maior, maior a nota segundo a professora… Ela disse que tem que ter no minimo 4 estofres com 4 versos cada uma…

  830. 830

    admin said,

    March 17, 2012 @ 8:36 pm

    Gaby:

    Foi você que me pediu outro dia um poema de amor, mas não tinha motivação para escrever sobre o tema? Em meio a tantos comentários aqui do site lembrei de algo assim, portanto escrevi agora um poema com os 16 versos pedidos, divididos em duas estrofes Sétimas e uma Dístico. Usei a colocação mais nobre das rimas – a Oposta – e encerrei com um par de Paralelas no final. Confesso que poderia ser mais criativo, tanto no tema quanto nas rimas, mas daí ficaria bem claro que você não tinha escrito o poema. Um dos grandes problemas do professor é dar aos alunos algumas noções de ética e a televisão destruir tudo na sua programação. Esse foi o motivo pelo qual optei por dirigir o seu amor no poema. Espero ter ajudado. Boa sorte e volte sempre.
    Dalton.

    A vida é repleta de amores
    Que tratam de histórias felizes
    De dramas com cicatrizes
    Nas tramas dos despudores
    Que hoje se tornam senhores
    Na vida do pobre aluno
    Que ainda encontra o seu rumo
    Nas mãos de alguns professores

    A educação pertence à escola
    Lutando co´a televisão
    No meio da luta a razão
    Do pobre aluno que se esfola
    E busca alguma nobre ética
    Na realidade cinética
    Que gosta da aula ou da bola?

    Na divisão dos meus amores
    Ainda escolho os professores

  831. 831

    Fábio said,

    March 18, 2012 @ 1:17 am

    Pitico, mestre Dalton….

    Foi marcar o Kaiser, num momento da carreira em que estava renovando o contrato. Aí ele e o presidente do teu peixe pechincharam um com o outro pra aumentar o salário em tanto, e o outro pra baixar o mesmo em tanto e assim foram até se acertarem em um determinado valor. Contrato fechado, assinado e vamos pro campo pra jogar. O técnico do Santos chama o Pitico pra entrar e diz pra ele marcar o centro-médio do time adversário e não deixar ele jogar….

    O Pitico olha pro campo e vê que o tal cabra é o Beckenbauer…..aí ele olha pro técnico e diz: “pô professor, por R$ tantos cruzeiros que eu acertei com o presidente pra marcar o Beckenbauer?????? Tá louco!!! Bota outro em meu lugar porque eu to fora!!!!”..ehehehhe..histórias maravilhosas que vivem só nos nossos sonhos!!! Hoje não tem mais disso!!

    Abraços, cumpadi
    Fábio

  832. 832

    admin said,

    March 18, 2012 @ 9:16 am

    O técnico do Santos devia estar louco quando tomou a decisão. Não é com qualquer “futebol pitico” que se marca um bom jogador, eheh. Abraços.

  833. 833

    Debora said,

    March 19, 2012 @ 8:46 pm

    Havia um lugar bem distante
    com dois malucos pares de elefantes
    que corriam de la pra ca
    e riam sem parar ca ca ca
    no meio de um campo sorridente

    Espero que gostem:)

  834. 834

    admin said,

    March 20, 2012 @ 9:28 am

    Debora:

    É um bonito poema. Dá até pra continuá-lo. Conte mais sobre os quatro elefantes sorridentes. Ficarei esperando. Grato.
    Dalton.

  835. 835

    naty said,

    March 20, 2012 @ 11:24 am

    O amor tem vontade,
    O amor tem saudades.
    Ele e lembrado,
    Ele e sentido.
    E uma emoção,
    Que nasce dentro do coração.
    O amor não se toca
    Com amor se encanta,
    Sem amor não a nada.

    ESPERO QUE GOSTEM!!!

  836. 836

    admin said,

    March 20, 2012 @ 12:03 pm

    É um bom poema, Naty. Continue escrevendo.
    Dalton.

  837. 837

    michael letras said,

    March 22, 2012 @ 10:24 am

    oi Dalton, eu estava viajando, mas já voltei ,se não tudo bem?

  838. 838

    admin said,

    March 22, 2012 @ 11:26 am

    Michael:

    Por aqui tudo bem? E você, fez boa viagem?

  839. 839

    michael letras said,

    March 22, 2012 @ 6:14 pm

    que bom, e a viagem correu me muito bem graças a Deus.

  840. 840

    michael letras said,

    March 23, 2012 @ 12:21 pm

    Dalton.

    E então sobre os textos que lhe enviei, nas viagens tentei modificar, mas sem sucesso, mas que tento quase nem sofre alguma modificação. Se pode me ajudar mais uma vez, com algumas algumas modificações.

    E também Escrevi alguns textos (não esta muito organizado), gostaria que transformasse em prosas.

    Abraços, até a volta!!

  841. 841

    admin said,

    March 23, 2012 @ 10:23 pm

    Michael:

    Mande-os por e-mail.

  842. 842

    dani said,

    March 24, 2012 @ 9:18 am

    o leçol tem 4 pontas
    4 pontas niguem tem
    se eu gosto de vc ña
    é da conta de niguem

  843. 843

    dani said,

    March 24, 2012 @ 9:20 am

    as criaças pedem briquedos
    os presos pedem liberdade
    e eu pesso a vc amor ea felicidades!

  844. 844

    dani said,

    March 24, 2012 @ 9:21 am

    se amr fosse iver
    vivo por que te amo!!!

  845. 845

    dani said,

    March 24, 2012 @ 9:22 am

    sua mãe é a padaria
    seu pai é o padeiro
    vc é o pão que eu com o tempo entero

  846. 846

    dani said,

    March 24, 2012 @ 9:23 am

    20 te ver
    100 vc não sei viver

  847. 847

    dani said,

    March 24, 2012 @ 9:25 am

    eu queria ser poeta,
    mais poeta eu
    não posso ser,por que
    poeta pensa muito
    só penso em vc ser

  848. 848

    dani said,

    March 24, 2012 @ 9:27 am

    escrevi seu nome na pedra
    escrevi seu nome no cão
    escrevi seu nome dentro do meu coração

  849. 849

    dani said,

    March 24, 2012 @ 9:28 am

    nunca machuca um coração
    pois vc pode estar dentro dele

  850. 850

    dani said,

    March 24, 2012 @ 9:28 am

    cada ovo quebrado,
    é um pinto julgado

  851. 851

    michael letras said,

    March 24, 2012 @ 3:18 pm

    Ta bom vou lhe enviar agora

  852. 852

    Fábio said,

    March 24, 2012 @ 7:00 pm

    Buenas amigo Dalton….

    Fiz um poeminha completamente influenciado pelo tal do seu Chico Buarque…rsrs
    Uma cantiga de amigo novamente para seguir o treino.

    Fiz em sextilhas com a tradicional rima que faço sempre. Ela é meio automática, esqueci de tentar os outros modelos de rimas que você me falou, quando me dei conta, já tinha feito. Mas tentarei os modelos dos repentistas pra variar o esquema.

    Valeu, gaudério…abraços

    Uma cantiga submissa

    Você me diz que volta cedo
    e assim pra eu não ficar com medo
    dos seus atrasos cotidianos
    das suas noites derradeiras
    nos bares altos da ladeira
    por onde nascem meus enganos

    Mas teu apego pelo samba
    por teus amigos de festança
    me deixa tensa te esperando
    nos meus anseios mais calados
    do coração dilacerado
    e o olhar que pede e reza aos prantos

    Teu mal estado retorcido
    assim que chegas escondido
    trazendo a gola avermelhada
    reflete na camisa branca
    nas cores do teu feito em manchas
    me destruindo a madrugada

    No despertar do amanhecer
    você levanta sem temer
    por meu amor doente e manso
    que aquece o pão e o teu café
    num bom carinho da mulher
    que enfim boceja os desencantos

    Enquanto contas no trabalho
    as aventuras em retalhos
    das noites quentes sem remorsos
    eu lavo a roupa do meu choro
    camisa branca e terno novo
    secando as lágrimas que posso

    Tu vens bebendo, bar em bar
    no teu retorno ao nosso lar
    e eu faço pouso no portão
    com meu sorriso inconseqüente
    sonhando a vida diferente
    mentindo a mim na devoção

  853. 853

    Fábio said,

    March 24, 2012 @ 7:11 pm

    Cara, mas eu sou um moscão mesmo…me esqueci que tinha feito as sextilhas com as rimas trocadas conforme você me orientou.

    Segue os rabiscos abaixo.

    Abração

    Desejo de amor que é amor de desejo

    Matéria-prima do meu peito
    veneno lento e sorrateiro
    remédio e luz do coração
    levita os pés de seus amantes
    reage em cores delirantes
    calor de dor e de emoção

    Conduz da treva e escuridão
    cegando os olhos ofuscados
    ardendo em si na troca mútua
    num sentimento apaixonado
    em passo lento e carne crua
    caminho vasto de paixão

    O transe atado dos teus beijos
    o abraço forte e sufocante
    de paz e de harmonia doce
    de amor que tu és e se não fôsse
    terias outro nome amante
    podendo te chamar desejo

  854. 854

    admin said,

    March 25, 2012 @ 10:15 am

    Dani:

    São bonitos pensamentos, cada qual merecedor de um poema, mas cuidado com a correção nos textos.
    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  855. 855

    admin said,

    March 25, 2012 @ 10:36 am

    Ficou mais interessante o jogo de colocação na terceira estrofe.

  856. 856

    admin said,

    March 25, 2012 @ 10:44 am

    Aqui ficou legal o conjunto de Paralelas com Opostas na mesma estrofe. Quanto ao Com Açucar, Com Afeto; dentro da obra do Chico, que costuma colocar o mesmo tema nas vozes do homem e da mulher, há também a música Logo Eu?, que é a versão do homem. Observe o contraste de opiniões:

    http://mpbsapiens.com/logo-eu-analise-de-texto/

    Abraços.

  857. 857

    michael letras said,

    March 25, 2012 @ 3:52 pm

    oi Dalton

    Meu Hotmail não ta funfando, e enviei-lhe a mensagem ontem, com o meu Email de Gmail.

    abraços.

  858. 858

    Tayane said,

    March 25, 2012 @ 5:43 pm

    -gostei muito dos poemas
    E as dicas são legais
    -eu vou usar isso nos meus poemas pode crê vão ser legais
    E ate mais
    -um bj e um abraço
    E um bom fim de semana tomara que seja legal

  859. 859

    admin said,

    March 25, 2012 @ 7:16 pm

    Tayane:

    Espero que as minhas informações possam ajudá-la nos seus poemas.
    Agradeço a visita, a confiança e volte sim. Beijos.
    Dalton.

  860. 860

    admin said,

    March 25, 2012 @ 7:17 pm

    OK, Michael. Abraços.

  861. 861

    Nathalia said,

    March 26, 2012 @ 9:16 pm

    Nossa as dicas me ajudaram muito,obrigada

  862. 862

    Fábio said,

    March 27, 2012 @ 12:04 am

    Buenas mestre Dalton…

    Fiz o poema com as rimas repentistas conforme tua orientação. Vê o que tu achas, ok???

    Grande abraço

    O meu amor

    A vida inteira eu procurei
    alguém que aceite se entregar
    que viva em doce amor recluso
    fazendo do seu par seu tudo
    amando sem cansar de amar
    no sonho que a sonhar, sonhei

    Me pego em devaneios loucos
    pensando em ti sem perceber
    do resto todo à minha volta
    no peito o coração que implora
    o amor nas veias a correr
    que encharca apaixonando o corpo

    Lembrando os teus carinhos lentos
    deitado e derretido ao colo
    na paz me perfumando em pele
    nos braços me enroscando, entregue
    a ti que enfim jamais eu troco
    meu lindo e puro sentimento

    Meu peito que é onde tua alma mora
    respira ao teu perfume intenso
    mantendo o nosso amor seguro
    com força em protetor futuro
    que é tudo sobre o amar imenso
    de quem me traz a nova aurora

  863. 863

    admin said,

    March 27, 2012 @ 8:49 am

    Ficou muito bonito, Fábio. Essa atual fase sua está mais voltada para as bases do Vinícius de Moraes. Há uma composição dele e do Toquinho que confronta as coisas do cotidiano com as do amor. Veja que interessante:

    http://letras.terra.com.br/vinicius-de-moraes/86746/

    Agora olha o que esse cara fazia com as rimas nos anos cinquenta, quando o parceiro era Ary Barroso:

    http://letras.terra.com.br/vinicius-de-moraes/49278/

    Repare que as rimas percorrem o interior dos versos naturalmente. O grande segredo da rima é procurar escondê-la pela naturalidade do texto. Como se fossem colocadas nele sem qualquer planejamento poético. Não foi à toa que o Chico aprendeu a fazer tudo o que faz. Vinícius foi o seu professor particular. Abraços.

  864. 864

    admin said,

    March 27, 2012 @ 8:50 am

    Então volte sempre, Nathalia. Grato pela visita.
    Dalton.

  865. 865

    Fábio Marinho said,

    March 27, 2012 @ 9:38 am

    Bah, mas que privilégio saber de mais essas dicas. Gostei muito de saber desse “segredo”, pois agora posso estudar e treinar meus textos com isso em mente, sempre.

    Beleza pura, Dalton!!

    Muito obrigado.
    Abraços

  866. 866

    gabriel said,

    March 28, 2012 @ 6:08 pm

    o mundo é azul
    a terra é marrom
    casas são de todas as coles
    mas o meu amor é vermelho

    eu não sei se ta bom,mas obrigado pelas dicas!!!

  867. 867

    admin said,

    March 28, 2012 @ 7:00 pm

    Gabriel:

    No das páginas do Sapiens você encontrará o endereço Ciência Poética. Comece o estudo por Sílabas Poéticas e verá que logo fará a coisa bem melhor. Grato pela confiança.
    Dalton.

  868. 868

    maura senna said,

    March 28, 2012 @ 8:43 pm

    obrigodo achei tudo bem maravilhoso

  869. 869

    Gabby said,

    March 28, 2012 @ 10:10 pm

    Muitíssimo obrigado pelo poema! A professora e meus colegas de classe adoraram! Quem sabe o próximo eu não consigo escrever sozinha usando as suas dicas…?! Obrigado! Fica com Deus!

  870. 870

    Fábio said,

    March 28, 2012 @ 11:30 pm

    Mestre Dalton…..

    Esse é um poema com orgulho especial…rsrsrs

    Abração

    Erva amada

    Erva verde venerada
    repousada em cuia escura
    me salivo ao teu sabor
    vou sorvendo o puro amor
    doce amargo que é loucura
    e é a paixão da gauchada

    Te admiro em lindo encanto
    que ao sugar o pó esverdeado
    meus olhares se dirigem
    pro teu campo em mata virgem
    que na cuia vai mateado
    mão em mão pra todo canto

    A amizade aqui começa
    da conversa em tua volta
    nessa roda dos amigos
    tradição de um tempo antigo
    que no frio se comemora
    e entre goles vira festa

    Meu querido chimarrão
    companheiro do Rio Grande
    onde o sangue corre verde
    vem sublime e vai perene
    eu te digo como amante:
    és o amor do meu rincão

  871. 871

    admin said,

    March 29, 2012 @ 8:24 am

    Com certeza, Gabi. Volte sempre.
    Dalton.

  872. 872

    admin said,

    March 29, 2012 @ 8:38 am

    Gaúcho. Só senti que a bomba ficou meio entupida com esse seu “pó esverdeado”. Assim, lendo, dá até para imaginar o verso com sete sílabas, mas tente declamá-lo. Foi muito truque de sílaba poética que resultou num som meio indigesto. Como se tivessem misturado folhas de Congonha e Bracatinga na erva, quando, em termos de construção poética, o Sapiens é mais chegado num legítimo Barbaquá, com Cancha de Imbúia e tocado a cavalo, para aceitar essas “misturas” mais modernas. Tererê é um outro papo, eheh.
    Corrige o verso e volta pra mostrar, Tchê!

    Abraços.

  873. 873

    Fábio Marinho said,

    March 29, 2012 @ 9:56 am

    eheheh…boa. Me botou na responsa pra fazê-lo mais gaudério.

    Inclusive percebi que devo colocar mais termos gauchescos do pampa aqui, não é mesmo, xirú??

    ” Buenas e me espalho que eu já vou puxando a faca, nem toda mulher é vaca, mas toda vaca é mulher “… (Almôndegas – Primeira banda dos geniais Kleiton e Kledir ) Tem muita influência boa pra eu arrumar o poema…..

    Abração

  874. 874

    admin said,

    March 29, 2012 @ 10:04 am

    Tô esperando. Abraços.

  875. 875

    camila said,

    March 29, 2012 @ 7:50 pm

    esses textos são mt bom,adorei refleti mt mim add ai=camila.linda.star@hotmail.com

  876. 876

    admin said,

    March 29, 2012 @ 9:11 pm

    Grtao pela visita e elegância, Camila. Volte sempre.
    Dalton.

  877. 877

    michael letras said,

    March 29, 2012 @ 10:05 pm

    Oi Dalton Uma dúvida, porquê que você coloca – nos encontros dos vogais no poema? É obrigatório?
    Ex: Que-a vida… era-apenas… tudo-ali…

    Abraços.

  878. 878

    admin said,

    March 30, 2012 @ 8:22 am

    Michael:

    O uso do hífen é um recurso que uso para demonstrar que houve uma fusão de sílabas gramaticais na formação de uma Sílaba Poética. Usando o seu exemplo acima, veja as possibilidades que eu teria para o verso:

    Que / a / vi / da / e / ra / a / pe / nas / tu / do / a / li – 13 sílabas

    Que-a / VI / da-e / ra-a / PE / nas / TU / do-a / LI – 9 sílabas

    As sílabas em maiúsculas correspondem às tônicas do verso, dessa forma, o seu Ritmo Poético é 2-5-7-9. Como não dá para escutar o som do verso por aqui, então uso isso para representá-lo em Métrica e Ritmo.

  879. 879

    michael letras said,

    March 30, 2012 @ 8:21 pm

    Valeu Dalton, muito obrigado pela rápida resposta.

  880. 880

    Fábio Marinho said,

    April 4, 2012 @ 11:16 am

    Buenas Mestre Dalton…

    Mas e agora, meu cumpadi?? Se perdi com o meio de campo titular, o que será do meu time com um bando de lentos no no coração do escrete?????

    Olhando o jogo com os olhos e tentando deixar o coração de lado, estou ferrado….rsrs

    Seja o que Deus quiser…..bom jogo!!!

    Quanto aos DVD’s, já devem estar saindo do forno. Te aviso em seguida.

    Abração

  881. 881

    admin said,

    April 4, 2012 @ 11:39 am

    Será um bom jogo, Gaúcho. Por menos que aparente, pela qualidade do elenco, o Santos só consegue jogar à vontade na Vila Belmiro. Aí pelo sul costuma ser menos ousado. Lembra daquele jogo contra o Gremio na Copa Brasil de 2010? Tá certo que aquele foi um jogo de dois jogadores: Jonas e Borges. Um, formado no próprio Santos, e outro que logo depois iria para a Vila.

    Você tem a desvantagem do gramado do Beira-Rio ser bem melhor do que o do Olímpico. Um gramado bom ajuda o bom jogador, e é tudo o que o Inter não precisa hoje contra os moleques. Vamos ver.

    Abraços.

  882. 882

    Fábio Marinho said,

    April 4, 2012 @ 3:50 pm

    eheh…valeu o consolo…rsrsrs

    Bom jogo.

    Ah….o Rio Grande amanheceu de luto, hoje, Dalton. Morreu o grande Airton Ferreira da Silva, o Pavilhão!! O melhor zagueiro da história do Grêmio. E que em 1960, jogou no teu Santos. Retornando ao sul em 1961, onde ficou defendendo o time deles até 1967. Dizem que encerrou a carreira depois que tomou um chapéu do Bráulio, o “menino de ouro”, meia-direita do Inter, extremamente técnico e rápido. Depois o Bráulio foi pro Curitiba.

    Segundo o Pelé, quando o Airton parou de jogar, ele disse que tinha encerrado a carreira o único jogador capaz de marcar o rei.

    Num jogo contra o Grêmio em que o Pelé foi pro gol, quando o juiz expulsou o Gilmar, o Airton jogou demais, depois de ter passado a noite anterior com 39, 40 de febre. Segundo consta, ele jogou demais, mesmo assim, o peixe meteu 4×3 neles.

    Abraços
    Fábio

  883. 883

    admin said,

    April 4, 2012 @ 9:09 pm

    Do Airton não lembro, mas do Bráulio sim. Jogava muito. O pelé sempre teve muita consideração pelos zagueiros leais. A própria história do argentino Ramos Delgado, para mim, o melhor zagueiro que o Santos já apresentou, teve a intervenção do Pelé na contratação, quando soube que o Ramos estava jogando na segunda divisão argentina. Pois o cara fez tanto sucesso no Santos que houve até uma tentativa do João Saldanha de naturalizá-lo brasileiro pra jogar na seleção de 70. É claro que os militares não permitiram tamanha heresia nacionalista, e esse foi um dos fatores que tiraram o Saldanha do comando.

    Entende como é difícil para mim ver alguma qualidade no Edú Dracena? Precisa sempre ter um auxiliar na sobra. Pra quem viu Ramos Delgado sair jogando limpo diante do perigo adversário, fica muito difícil passar tanto susto, eheh.

    Bom jogo e abraços.

  884. 884

    Fábio Marinho said,

    April 5, 2012 @ 10:06 am

    eheh…realmente. É difícil ver esses zagueiros de hoje em dia com esses craques colados na retina dos olhos…

    Outro craque foi o Calvet, não é mesmo?? Zagueiro que jogou no peixe e no Grêmio…..

    Abraço

    Que jogo ontem, hein? Um tempo pra cada time…e esse Neymar é um Guepardo correndo…rápido demais. E diferenciado junto com o Messi..o resto dos jogadores vem atrás…

    Lembro que o Nilton Santos, em entrevista, disse que o Garrincha tinha uma arrancada de 2, 3 metros muito rápida. Uma explosão enorme no início da jogada e aí pra buscar ninguém buscava mais e o Neymar também tem essa explosão. Impressionante. O Índio parecia estar em câmera lenta na corrida entre os dois que culminou na defesa do Muriel no chute do Neymar…

    Abraços

  885. 885

    admin said,

    April 5, 2012 @ 10:36 am

    Aliás, Muriel é um goleiraço. Não o conhecia. Foi um belo jogo, como prevíamos. Do Calvet eu lembro bem, mesmo porque era figurinha carimbada da página do Santos no álbum. Na base de troca, um Calvet valia dois Servílios (Palmeiras) e três Orecos (Corinthians). Abraços.

  886. 886

    Fábio Marinho said,

    April 5, 2012 @ 6:08 pm

    Bah, mas o Oreco é o mesmo que era do Inter, da década de 50???

    Quando terminou a era do Rolo Compressor, da década de 40, em 1949 (Ivo, Alpheu e Nena, Assis, Ávila e Abigail, Tesourinha, Russinho, Vilalba, Rui e Carlitos), veio um novo timáço, apelidado de Rolinho ( La Paz, Florindo e ORECO, Paulinho, Salvador e Odorico, Luisinho, Larry, Bodinho, Gerônimo e Canhotinho) que foi campeão na primeira metade da década de 50.
    Dois timáços, recitados na ponta da língua pelos senhores por aqui, tanto colorados quanto gremistas.

    É esse o Oreco, Dalton?

  887. 887

    admin said,

    April 5, 2012 @ 6:58 pm

    Pela posição que você colocou no tal “Rolinho”, que equivale à do “Center-Half” nos antigos esquemas WM ou 2-3-5, parece ser o mesmo. Afinal, Oreco não é um nome e nem apelido muito comum. Jogou bom tempo no futebol paulista na época em que o Corinthians tinha o famoso trio Tuffi, Grané e Del Débio.

    Nos anos sessenta ainda havia alguns times que jogavam nesse esquema ofensivo, embora na década anterior o Tim (Elba de Pádua Lima) já tivesse usado o 4-2-4 com êxito, cuja variação 4-3-3 foi a surpresa do Feola na copa de 58, com o Zagalo, um falso ponta-esquerda, fazendo o terceiro homem do meio de campo. Ganhamos três copas jogando desse jeito.

    Conheci o Oreco pessoalmente no final dos anos cinquenta, já que eu era Mirim da natação do Corinthians e sempre ía dar uma espiada no campo depois dos treinos meus, já que nasci e morei no bairro Tatuapé-Parque São Jorge por trinta anos.

    Conhecia a maioria dos jogadores corintianos, pois fazia ponto de engraxate num bar da rua São Jorge em que costumavam tomar cerveja. Antes era possível o Menor trabalhar e ganhar uns trocos pra ajudar em casa. Hoje, o pai vai preso se deixar. Abraços.

  888. 888

    Fábio Marinho said,

    April 5, 2012 @ 9:14 pm

    Bah…mas essas histórias que me fascinam!!! Que beleza!

    Pô, fico imaginando os valores que você encravou na alma com teus aprendizados desde cedo assim, tchê!! Muito legal. Belas histórias…

    Então é o mesmo jogador, sim.

    Sempre fico meio cabreiro do porquê do Zagallo na ponta-esquerda se tinhamos os excelentes Pepe e Canhoteiro, mas acho que é porque ele fechava mais pro meio e voltava até a linha divisória do gramado, não é mesmo??

  889. 889

    admin said,

    April 5, 2012 @ 9:36 pm

    Há uma curiosidade envolvendo a titularidade do Zagalo e não do Pepe. Tanto em 58 com o Feóla, quanto em 62 com o Aimoré Moreira, o titular era o Pepe e o esquema 4-2-4. Duas vezes o Pepe pediu o tamanco emprestado pro Zagalo. Duas vezes ele torceu o tornozelo no banho e não pode jogar nenhum jogo das copas.

    É óbvio que eu gostava mais do time ofensivo do Santos, alternando 4-2-4 com 2-3-5, mas a segurança defensiva era bem maior no 4-3-3, principalmente porque no Botafogo o Zagalo vivia trocando de posição com o Nilton Santos que virava ponta-esquerda. O gol dele contra a Áustria em 58 é só um exemplo disso.

    Na copa de 70 jogamos um 4-3-3 pra lá de gaudério e fingido, porque o terceiro homem do meio campo não era o Rivelino, e sim o Tostão. Se você prestar atenção no quarto gol do Brasil contra a Itália, a jogada começou com uma roubada de bola do Tostão na lateral esquerda, cobrindo o Everaldo, e o final sempre dava na sequência, Gerson-Pelé e gol de alguém.

    Imagine se aquele timaço de 70 tivesse o Ramos Delgado como zagueiro central e o Piazza de quarto zagueiro. Estaríamos bem próximos da perfeição se o Gilmar não tivesse parado com a seleção em 1969, já que o Félix era meio frangueiro desde os tempos da Portuguesa. Abraços.

  890. 890

    Fábio Marinho said,

    April 6, 2012 @ 2:34 am

    Bah, tenho gravado esse gol do Nilton Santos….ele fez de pé direito, se não me falha a memória….tocando meio de lado.

    A do Tostão eu lembro também, ele saía bastante da área e buscava muito o jogo. Gênio adorável…..E o jeito de jogar do Riva???…era único: ele trotava em campo, senhor absoluto da nêga aos seus pés, e colocava ela onde queria….muito bom!!

    Ah e o grande Clodoaldo segurando a onda no meio e fazendo aquele gol importantíssimo contra o Uruguai, empatando o jogo no final do primeiro tempo, com um passe MILIMÉTRICO do mestre Tostão….

    E o Tostão disse, numa das minha entrevisatas, que nos 15 minutos finais jogou chorando…tamanha emoção…

    eheh…o Félix eu achava engraçado mesmo…sei lá..meio estranho…

    Abraços, mestre Dalton…

  891. 891

    michael letras said,

    April 12, 2012 @ 1:56 pm

    Oi Dalton
    Passei aqui para ver as novidades e te perguntar sobre o texto.

    Abraços.

  892. 892

    fernanda abreu said,

    April 13, 2012 @ 12:08 am

    queria ser poeta mas poeta pensa muinto se nao so penso em vc com carinho fernada abreu do nacsmente familia sonia bertotte wilson jose sater do nacsimento ana paula abreu do nacsmento e maiany abreu do nacsmento kkk é bem legal escreve poema do fundo do meu caraçao em voces nao acha e
    a a familia vc ama eles xau foi um praser fala com voces adeu e eu esqucie de uma coisa boa note para todos que escreve aqui se vc escreve aqui relou xau meus queridos que deus o a bensoa com carinho……..xxxxaaaauuuuu……

  893. 893

    admin said,

    April 13, 2012 @ 11:56 am

    Michael:

    Não esqueci de você não. Apenas estou bem ocupado com as postagens de rimas do Sapiens, ok? Abraços.

  894. 894

    admin said,

    April 13, 2012 @ 11:57 am

    Grato pela visita e volte sempre, Fernanda.
    Dalton.

  895. 895

    michael letras said,

    April 13, 2012 @ 9:32 pm

    ok Dalton ta bom.

    Espero um dia te conhecer pessoalmente…

    Abraços

  896. 896

    admin said,

    April 13, 2012 @ 9:44 pm

    Se você morar aqui pelo interior de São Paulo, quem sabe não possamos conversar algum dia. Abraços.

  897. 897

    michael letras said,

    April 20, 2012 @ 10:14 pm

    ta bom Dalton um dia vamos nos conhecer.

  898. 898

    Luana Peres Moreira said,

    May 2, 2012 @ 9:49 pm

    Eu a cho que tem o poema mais lindso mundo que não e essis e vcs. acha né tem outros conetario la fora esquesi essas palavra e esquete o mundo né.

  899. 899

    Fábio Marinho said,

    May 2, 2012 @ 11:11 pm

    Buenas meu amigo Dalton….

    Quanto tempo. Andei meio perdido nas minha encrencas por aqui, mas sobrevivi..rsrs

    Tchê, as fitas de vídeo K7 que o cara estava passando pra DVD pra mim foram devolvidas ontem. Ele conseguiu passar pra DVD 1 única fita das 4 que eu entreguei pra ele e essa era a do nascimento da minha filha!! As de futebol ele disse que eram muito antigas e que as imagens não ficariam nítidas. Estou frustrado com a notícia, porém, pretendo entregá-las a outra pessoa para ter mais uma análise. Se conseguir os DVD’s vou passando as outras e te aviso, ok??

    Desculpe a demora frente a minha promessa do material. Mas não vou desistir de tentar. Assim que tiver novidades te encaminho.

    Grande abraço

    Poeminha…

    Francas esperanças

    Estou sozinha no abandono
    e espero um bom abraço forte
    do amor que acorde-me da morte
    e arranque aos beijos o meu sono

    Há muito tempo o meu tormento
    faz companhia lenta e triste
    ao coração que sangra, assiste
    o corroer de um sofrimento

    Do amor que sonho em me entregar
    cortejo as francas esperanças
    te balançar na minha dança
    do meu suplico pra me amar

    Eu te confio as minhas dores
    na segurança da amizade
    com parceria, na bondade
    na doce vida enfim de amores

    Os meus desejos mais secretos
    e até os segredos escondidos
    serão por ti também sabidos
    pois és o amor que eu quis, perpétuo

    Se me arrancares do porão
    escuro e frio em que eu me encontro
    suplico a ti o meu socorro
    te dou inteiro o coração

    Eu vou te amar na escravidão
    acorrentada em teus carinhos
    no calabouço, o nosso ninho
    adormecer-me de paixão

  900. 900

    admin said,

    May 4, 2012 @ 10:00 am

    Luana:

    Então encontre esse seu poema e coloque aqui pra nós. Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  901. 901

    admin said,

    May 4, 2012 @ 10:04 am

    Grande Gaúcho:

    De fato, faz tempo, mas os nosso times se classificaram e isso é o mais importante. Quanto aos seu vídeos, não se preocupe, ficarei esperando. Quanto à Cantiga de Amigo acima, poeta adora escrever sobre mulher carente dos carinhos dele. Veja esta música, do princípio dos anos sessenta: http://letras.terra.com.br/nara-leao/1391519/

  902. 902

    Fábio Marinho said,

    May 4, 2012 @ 9:34 pm

    Mestre Dalton..

    Te confesso que me inspirei nesse soneto do Chico. Cara, acontece uma coisa muito legal e engraçada quando eu vou fazer um poema:

    de vez em quando me pego pensando “bah que vontade de escrever alguma coisa, fazer um poeminha”, mas não sei exatamente sobre que assunto, aí eu coloco Chico pra rodar e pimba, me fixo num único verso que me chama a atenção no texto e dele sai o poema, relativamente mais fácil. É só colocar um som e me inspiro facilmente. Com o Noel também, aliás, foi escutando ele que me inspirei pra escrever meus primeiros poemas. Estou com 62 poemas desde setembro de 2011.

    Esse foi o primeiro: setembro 2011

    Saudades

    Tenho saudade de um tempo
    onde brincava na rua
    voava com os amigos, como o vento
    e só ia dormir no brilhar da lua

    Nunca pensei que tudo passava depressa
    sinto a agonia no peito só da lembrança
    é que a vida, vez em quando, prega peça
    e não avisa quando não se é mais criança

    Mesmo assim a vida continua
    a maturidade vem com a mulher que se ama
    junto de uma filha que é sua
    e a família, feliz, vive unida o seu drama

    e esse o mais atual: Maio de 2012

    Poema na madrugada

    Quem me dera ser teu amor
    nessa vida cheia de dor
    em que levo as mágoas do tempo
    cicatrizes duras, sofridas
    do meu peito amargas feridas
    que o passado trouxe no vento

    Minha cura vem de você
    no suplico cego de crer
    num momento doce do encontro
    nossos corpos quentes do feito
    temperados loucos de beijos
    na esperança crua que sonho

    Eu mantenho a fé sem tropeços
    acredito em meu recomeço
    ao teu lado enfim pra curar
    do veneno, ardente tormento
    que alimenta o meu sofrimento
    e me impede sempre de amar

    À você eu confio a oração
    em que rezo, humilde à paixão
    para juntos sermos um só
    e esquecermos das amarguras
    consumidas pela ternura
    que sentimos dentro de nós

  903. 903

    admin said,

    May 4, 2012 @ 10:03 pm

    Fábio:

    O nome desse fenômeno, o de escrever um poema à partir de certo verso lido, é Mote. Esse “Quem me dera” faz-me lembrar diretamente do Tango do Covil:

    http://www.youtube.com/watch?v=Rfeydm59iaA

    Boa sorte depois de amanhã e abraços.

  904. 904

    Fábio Marinho said,

    May 7, 2012 @ 2:10 pm

    Opa, beleza, Dalton. Não sabia desse nome nesse processo que me acontece.
    Obrigado, peixe.

    Muito bom o Tango do Covil….

    Tchê, mas quem tem esse Ganso e esse Neymar é um privilegiado. Onde é que esses caras vão parar?? Gênios…

    Abraços

  905. 905

    admin said,

    May 8, 2012 @ 10:38 am

    Onde eles vão parar eu não sei, mas gostaria que dessem uma paradinha na seleção brasileira principal junto com o Oscar, o Damião e a maioria daquela molecada campeã mundial no Sub-20. Nunca é demais lembrar que fizemos a final contra Portugal e não com a Espanha. Não tínhamos Neymar, nem Ganso e nem Damião naquela final onde o Oscar resolveu sozinho. Aquilo foi competência conjunta do Ney Franco com a arte do jogador brasileiro. Como o Mano Menezes pode ser tão cego assim, a ponto de ficar convocando Ronaldinho e até aventar a hipótese de reconvocar Kaká?

    A memória nossa é muito enganosa. Lembramos do que um jogador fez no passado, exaltamos a sua tranferência para o exterior e esquecemos dos fatos resultantes, inclusive esse favoritismo da Espanha, normalmente tida como sinônimo de Barcelona, que parece em nítido estado de queda. Qual teria sido o resultado da copa de 2010 se aquele infeliz paraguaio não tivesse perdido o penalti nas quartas de final quando o jogo com a Espanha estava 0×0?

    O bicho já asustou o que tinha pra assustar, e isso ficou comprovado no último mundial Sub-20.

    Abraços.

  906. 906

    Fábio Marinho said,

    May 8, 2012 @ 6:20 pm

    Pois é, Dalton, sinceramente ando meio assustado com o Mano. Esse cara só tá fazendo cagada e essa gurizada aí matando a pau. O que querem com o Ronaldinho?? O cara já mostrou que não quer mais saber de jogar e sim de grana e festa.

    O coitado do Oscar fez o gol de empate contra o Caxias, lá na Serra, e chorou, cara!! Foi emocionante, coitado do guri. Esse caso dele tá complicado, já não se sabe se ele joga quinta, contra o Flu. Tem água pra rolar ainda…

    Bem lembrado do pênalti desperdiçado do Paraguai contra a Espanha. Talvez a história mudásse se tivésse marcado o gol.

    Dalton, preciso te perguntar:

    Esse fenômeno do mote que acontece comigo pegando um verso e me inspirando pra fazer um poema inteiro, é normal?? É vantajoso?? Todo poeta tem?? Ele pode ser desenvolvido??

    Fiquei curioso com isso.

    Grande abraço, amigo
    Fábio

  907. 907

    admin said,

    May 8, 2012 @ 7:07 pm

    Fábio:

    Esse recurso de pegar como Mote o verso alheio é comum desde o Classicismo grego. Aqui pela MPB, tanto em versos quanto em melodia tivemos milhares de Motes e Plágios, que são diferentes. Veja esses exemplos de Plágio melódico grotesco:

    http://letras.terra.com.br/caetano-veloso/44739/

    Agora compare com esta:

    http://letras.terra.com.br/caetano-veloso/44739/

    Isso ocorreu em final dos anos sessenta, e o pior é que ambos, Caetano e Jose Feliciano, plagiaram de uma antiga melodia do folclórico cancioneiro italiano.

    Aqui pelo Brasil ocorreu algo divertido envolvendo Chico e Tom Jobim. Veja isto:

    http://mpbsapiens.com/ate-pensei-analise-de-texto/

    Por falar no termo Mote, ele aparece nesta música:

    http://letras.terra.com.br/chico-buarque/85943/

    “Tocando a bola no segundo tempo / Atrás de tempo tempo sempre vem”

    Bom divertimento e Abraços.

  908. 908

    kellen said,

    May 10, 2012 @ 9:25 pm

    oi. vc poderia me ajudar a melhorar esse poema que eu tentei fazer

    Talvez eu tenha medo
    medo de amar,medo de viver.
    Talvez eu sinta medo
    por que a vida já me fez sofrer.

    Talvez esse medo passe
    e não volte mais.
    Talvez ele fique
    e não saia nunca mais.

    Talvez eu sinta medo
    por que ele já me fez chorar
    ou talvez sinto medo
    por não poder amar.

    Esse medo que vai
    Esse medo que vem
    só sei que ele faz
    meu coração sangrar.

  909. 909

    Fábio Marinho said,

    May 11, 2012 @ 11:21 am

    Mestre Dalton…

    Obrigado pelos estudos. Ainda não consegui estudar esse material que você me indicou acima, mas assim que conseguir voltamos a conversar à respeito.

    Cara, à partir de agora, o colorado é Santista!! A minha zaga incompetente não merecia coisa melhor mesmo. O Dátolo (que foi o mesmo que errou o pênalti no primeiro jogo e que custou a desclassificação) tava uma inhaca e o Dorival demorou pra tirá-lo e colocar o Jajá. O ataque não consegue fazer mais de um gol e o D’alessandro fez uma falta tremenda, ficando só o Oscar pra armar o jogo e, talvez, com a cabeça não completamente boa pelas confusões extra campo.
    Perdemos por incompetência.
    Se tem um time pra ganhar, é nítido que esse é o teu peixe. Os 8×0 de ontem mostram um time com gana de vencer e o melhor: com o futebol mágico, de arte pura representada por dois expoentes geniais: Ganso e Neymar.

    Que venha o tetra pro Brasil. Pelo Santos. E o “curintia” que continue secando as lágrimas de sonhos, pois vão morrer no Vascão!

    Abraços, cumpadi

  910. 910

    admin said,

    May 11, 2012 @ 7:52 pm

    Fábio:

    Sou feliz por presenciar novamente um fenômeno muito raro no futebol, porque assim como ocorreu nos anos sessenta, quando o Santos escolhia o Maracanã para mandar os seus jogos nos Mundiais, tudo me leva a crer que o atual time conseguirá o mesmo carinho por parte do torcedor brasileiro, independente do time para que ele torça.

    O futebol bem jogado tem superado a violência nos estádios e os torcedores já têm apenas o prazer de assistir um bom jogo, e esses 8×0 foram apenas um exemplo disso, embora o Bolivar jogasse desfalcado do seu maior jogador: os 3.800 m da altitude de La Paz.

    Sempre foi assim nas eliminatórias de copa do mundo. Pouco a pouco lá e muito a zero no Maracanã.

    Torçamos para que o presidente do Santos consiga manter o padrão financeiro por ele proposto, e que até agora tem dado o retorno bastante ao não endividamento. Talvez também esteja nascendo um modelo administrativo exemplar para o nosso futebol.

    Abraços.

  911. 911

    admin said,

    May 11, 2012 @ 8:08 pm

    Kellen:

    Procure sempre evitar repetir as palavras nas Rimas. Você pode conseguir isso consultando a página Todas as Rimas Brasileiras, cujo endereço está no cabeçalho das páginas do site. Mão me preocupei com a Métrica e nem com o Ritmo Poético. Isso fica para depois, já que a dica sobre as rimas foi a primeira impressão que suspeitei ser melhor pra você. Espero que goste das mudanças. Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

    Talvez eu tenha medo
    medo de amar ou de viver.
    Talvez não seja cedo
    Pelo que a vida me fez sofrer.

    Talvez esse medo passe
    e não me retorne mais.
    Talvez se mantenha o impasse
    e não me abandone jamais.

    Talvez eu sinta medo
    por que ele já me fez chorar
    ou siga um outro enredo
    de não poder me entregar.

    Esse medo que vai
    Esse medo que vem
    Numa lágrima que cai
    meu coração sofre também.

  912. 912

    Luuuh said,

    May 14, 2012 @ 10:15 pm

    Bom,preciso de um poema com rimas para um trabalho da escola.Preciso de ajuda!! Obrigada,

  913. 913

    admin said,

    May 15, 2012 @ 9:12 am

    Luuuh:

    Tente você mesmo escrever alguma coisa sobre o tema do poema, coloque aqui e mostrarei como fica, ok?
    Grato pela confiança e volte.
    Dalton.

  914. 914

    cleverton santos said,

    May 15, 2012 @ 12:40 pm

    te ver feliz, me faz feliz .

    brinco sempre para te ver sorrir.
    não só por seu sorriso ser lindo
    mas tbm por te ver feliz,
    te ver feliz, me faz feliz . minha primeira vez rs’ oq deve mudar ??

  915. 915

    leonardo said,

    May 15, 2012 @ 3:06 pm

    o que acham deste poema de minha autoria?

    papel e caneta a mão
    e a vontade de fazer uma canção
    que toque o seu coração
    mas que pena estou sem inspiração
    deste jeito não poderei expressar minha emoção
    na tentativa de levar amor a nação
    estou sofrendo perseguição
    pelo fato de ouvir a voz do coração
    que por muitas vezes é obtusa e confusa
    mais nos dá alento e nos livra do sofrimento
    (Leonardo lucena)

  916. 916

    leonardo said,

    May 15, 2012 @ 3:19 pm

    pessoal este esta bom?

    A AGONIA DA NOSTALGIA
    Ao cair da noite chega a nostalgia
    que me dá sensação de tristeza e alegria
    esta sensação toma conta de todo meu ser
    e me faz repensar o sentido de viver,
    pois sinto falta do que não posso mais ver
    ao olhar para as estrelas a saudade aumenta
    e me lembro o motivo de ter entrado na placenta

    estou aqui e não quero fugir
    realizarei o trabalho que é meu
    e com amor me dedicarei,
    pois é verdade que um século é um piscar de olhos perante a eternidade

    sinto falta daquele lugar
    e para lá um dia irei retornar
    enquanto isso por ora
    só as lembranças na reminiscência da memoria me consolam
    (Leonardo Lucena)

  917. 917

    admin said,

    May 15, 2012 @ 4:03 pm

    Cleverton:

    Para início, está ótimo!

    Agora tente ir melhorando as Rimas. Evite repetir as palavras e pesquise mais o Dicionário de Rimas. No cabeçalho do site há um endereço chamado Todas as Rimas Brasileiras. Lá, por exemplo, verá que a palavra Feliz tem várias outras companheiras como: Aprendiz, Imperatriz, Giz, Condiz…

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  918. 918

    admin said,

    May 15, 2012 @ 4:09 pm

    Leonardo:

    Pra quem está começando, ambos os poemas estão muito bons. Sugiro que estude algo sobre A Sílaba Poética e Sua Métrica; bem como Colocação das Rimas. Ambos podem ser encontrados no cabeçalho do site, em Ciência Poética. Quanto ao texto, sugiro que preste atenção na diferença de significados entre MAS e MAIS.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  919. 919

    Luuuh said,

    May 15, 2012 @ 7:26 pm

    ah , ok. eu estou sem idéia e preciso disso para segunda feira,pode me ajudar?

  920. 920

    Helo said,

    May 16, 2012 @ 4:08 pm

    Desculpe do incômodo, mas eu preciso fazer um poema de 18 estrofes para amanhã, e não consigo imaginar rimas legais. O tema é : Cuidar do meio ambiente garante a saúde do corpo da mente. Eu já fiz um pouco :
    Eu imagino um mundo
    Um mundo sem poluição
    Com a paz sempre ao lado
    e amor no coração.

    Deus criou um ambiente rico e saudável
    Para os seres desfrutar
    Porém está sendo destruído
    Por não sabermos cuidar

    Bem, falta muito ainda, poderia me ajudar? Vale 8.0 ptns e estou desesperada!

  921. 921

    admin said,

    May 16, 2012 @ 5:06 pm

    Helo:

    Você tem certeza que o mínimo é 18 estrofes? Não seria 18 versos?

    Esse pedido de 18 estrofes sem determinar a quantidade de versos por estrofe é muito vago. Por exemplo, existe estrofe com um verso, com dois, com três etc. Veja direito o que foi pedido. Aguardo resposta.
    Dalton.

  922. 922

    admin said,

    May 17, 2012 @ 9:03 am

    Luuuh:

    A minha escola quer me atormentar
    Vou pra aula
    E depois volto pra casa pra me atarefar

    Fala sério
    Tanto impropério
    Que me está tomando inteira
    A matéria, co´a certeza
    Da poesia portuguesa
    Tá esquecendo que eu sou é brasileira

    Não sou fuleira
    Solto a letra num poema
    E resolvo o meu problema
    Pra estar livre na segunda-feira.

    Tá bom assim, Luuuh?
    Tomara que esteja, porque o tempo é bem curto. Boa sorte!
    Dalton.

  923. 923

    michael letras said,

    May 18, 2012 @ 10:26 pm

    Oi Dalton tudo bem?
    O texto ainda não está pronto?

    Abraços

  924. 924

    admin said,

    May 22, 2012 @ 10:09 am

    Oi, Michael. Outro dia comecei, mas tive que parar. Tenciono recomeçar logo. Abraços.

  925. 925

    michael letras said,

    May 22, 2012 @ 8:08 pm

    ok obrigado

  926. 926

    Thamires said,

    May 24, 2012 @ 11:50 pm

    Olhaa Esse Poema Aii
    -> As Rosas Sao Vermelhas Faço um Lindo Boque Meu Nome é Thamires Gosto Muito De Vc

    ? JESUS ?

  927. 927

    admin said,

    May 25, 2012 @ 10:08 am

    É um lindo começo de poema, Thamires, e todos também gostamos muito de você.

  928. 928

    Fábio Marinho said,

    May 26, 2012 @ 5:22 pm

    Grande mestre Dalton..

    Como vai o amigo?? Ah, feliz pela vitória sobre os coitados argentinos, óbvio…
    Traremos mais um caneco para o Brasil, e de lambuja, matando o curintia que tá se achando demais!!!

    Te encaminho uns poeminhas, ok???

    Angústias de um doente morto

    O amor que eu levo junto ao peito em chamas
    calado num silêncio apaixonado
    recluso qual menino envergonhado
    me queima em febre que o meu corpo emana

    Confesso sem sossego e quase em surto
    que amar sem ser amado é pra morrer
    parar sem ter lutado faz sofrer
    mas sofro com meu peito cor de luto

    Aos calafrios de um tormento lento
    vou definhando qual doente ao leito
    suando angústias frias nos lamentos

    Chegando sorrateiramente aos beijos
    a morte vem dançando ao som do vento
    roubando a vida sem amor, sem feito

    ________________________________________________________

    Me inspirei com “último desejo” do Noel…..

    Não desista de nós

    Nosso amor iluminado
    dos momentos lindos, vastos
    e que teve o seu começo
    entre olhares de um acaso
    junto a nós em cada passo
    sem retalhos, sem tropeços

    Balançando segue agora
    o meu peito dói e chora
    pelo estrago de um engano
    das pessoas que, maldosas
    que fizeram tão chorosa
    a mulher que agora eu amo

    Das mentiras dessa gente
    os sorrisos sorridentes
    da paixão da minha vida
    se encerrou na boca quente
    e calou amargamente
    minha amada mais querida

    Sofro agora meus motivos
    pois o amor que me fez vivo
    que eu amava tão feliz
    entra em dúvidas cruéis
    com certezas tão fiéis
    de um momento que eu não quis

    Meu amor nunca se esqueça
    que de tudo que aconteça
    eu jamais te deixarei
    pois você já mora em mim
    és o início, o meio e o fim
    o que eu sempre quis, sonhei

    Viverei a te esperar
    quando tudo se acalmar
    e você voltar pra mim
    pois não posso acreditar
    que depois de tanto amar
    vou perder você no fim

    Injustiça para Deus
    nunca existe para os seus
    esse amor que amamos juntos
    é impossível separar
    pois ninguém quer ver chorar
    para sempre o céu no mundo

    Abraços….

  929. 929

    admin said,

    May 28, 2012 @ 8:45 am

    Gaúcho:

    Neste fim de semana gostei mais do teu Inter do que do meu Santos. Aquele par de argentinos colorados fez a diferença lá no Rio. Foi bonito de ver a própria torcida do Flamengo reconhecendo a diferença entre sonho e realidade, pois o sonho anterior já começa a virar pesadelos de contrataques mortais. E o teu Oscar no sábado, então. Nosso primeiro tempo teve dois donos: Ele e o Hulk. Esse moleque vale ouro, e por pouco não fez um golaço por cobertura.

    Quanto aos poemas, a precisão de sempre no soneto e as deliciosas opostas em sextilhas no segundo. Aqui vai uma sugestão: Procure aprimorar o uso de hexassílabos nas sextilhas, porque a relação 6-6 é meio mágica. Se for para usar redondilhas maiores, use-os mais em Sétimas.

    Embora você tenha assumido mais o Noel no Mote, há um delicioso pensamento do Vinícius de Moraes que explica os dois poemas:

    …E assim quando mais tarde me procure
    Quem sabe a morte, a angústia de quem vive
    Quem sabe a solidão, fim de quem ama

    Eu possa me dizer do amor que tive
    Que não seja imortal, posto que é chama
    Mas que seja infinito enquanto dure.

    Abraços.

  930. 930

    Fábio Marinho said,

    May 29, 2012 @ 12:19 am

    Pois é Dalton, o Oscar tá jogando demais. Pena que não pude ver o jogo, mas vi alguns lances após o jogo.

    Vou seguir tuas dicas sim. Vou tentar os versos hexassílabos nas sextilhas. E nas sétimas com opostas as redondilhas maiores.

    Beleza. Te mando quando ficarem prontos,ok?

    Obrigado Dalton…abraços

  931. 931

    admin said,

    May 29, 2012 @ 8:27 am

    E o Damião que fique esperto, porque o Hulk já descobriu que quando está ficando verde, é só passar pro Oscar que a fruta volta madurinha. É só comer e correr pro abraço.

  932. 932

    Fábio Marinho said,

    May 29, 2012 @ 6:20 pm

    eheh…verdade!!!

    O Damião está querendo voltar à fase boa dele, mas ainda está longe. Ele que trate de rever algumas coisas que talvez estejam mexendo na cabeça dele, porque faz tempo que ele não é o Damião goleador enlouquecido de uns tempos recentes.

    Abraço

  933. 933

    Fábio Marinho said,

    May 30, 2012 @ 12:23 am

    Mestre Dalton:

    Sextilhas com Hexassílabos…..

    Vê o que tu achas, ok???

    Valeu…
    abração

    Vingança em sextilhas

    Me tornei mais amargo
    do convívio infeliz
    que contigo eu passei
    todo tempo que amei
    desse amor que te quis
    entregar no passado

    Hoje então percebi
    que a paixão que eu vivi
    me deixou rancoroso
    com sabor de vingança
    aumentando a esperança:
    castigar silencioso

    Como todo assassino
    sorrateiro e maldoso
    preparado em silêncio
    faço o fogo do incêndio
    pra queimar teu penoso
    sentimento ofensivo

    E nas chamas da dor
    ao gritar de pavor
    morrerás de mansinho
    e no fim dessa história
    brindarei à vitória
    que ganhei no caminho

  934. 934

    admin said,

    May 30, 2012 @ 9:24 am

    Gaudério Sextilhado:

    Gostei da novidade na colocação das rimas nas estrofes 1 e 3. Creio que você irá gostar desta música:

    http://www.youtube.com/watch?v=mCSf3P52-fk

    Abraços.

  935. 935

    Fábio Marinho said,

    May 31, 2012 @ 12:27 am

    Mas barbaridade Dalton….MPB4 é demais. Muito bom!! Mas no fim de semana vou poder prestar atenção nos detalhes da música. Aí te grito minhas dúvidas..

    Tchê, eu gostei muito dessa dica que tu me deu das sextilhas feitas com os gaiteiros do nordeste e do pessoal aqui do sul quando se reuniam do lado de fora dos festivais, conforme você me falou num outro momento…
    Farei outros poemas com esse modelo de disposição de versos.

    Cara, que seleção podemos fazer hein??

    Visse o jogo??

    Oscar, Damião, Lucas, Sandro, Neymar, Pato, Casimiro,e o Ganso ainda…minha nossa senhora!!
    Dá pra levantar muito caneco com esses caras….é brincadeira, ninguém tem o material humano que nós temos!!!

    E o Oscar parecia que usava a camisa do meu Inter, tamanha desenvoltura do guri!!

    E que surpresa esse Rafael do teu peixe, hein??? Mas que goleiro!!!!!! Foi espetacular o guri!

    Abração
    Fábio

  936. 936

    admin said,

    June 1, 2012 @ 7:28 am

    É mesmo uma turma boa, Gaúcho. Rafael costuma fechar o gol na maioria das partidas, embora fique desatento em outras menos acionado. Contra o Velez, na Argentina, o gol deles só aconteceu pela desatenção dele, e veja as consequências levadas pro segundo jogo. Não posso ser ingrato, porque muito da Libertadores que ganhamos no ano passado foi por causa dele, como naquele jogo contra o América no México. Ganhamos na Vila, gol de falta (Marquinhos) por 1×0 e ele garantiu o resultado no segundo jogo lá fora.

    Vamos ver agora contra o México.
    Abraços.

  937. 937

    larissa said,

    June 1, 2012 @ 12:20 pm

    o amor e uma arte
    o amor e alegria
    o amor e vc que vejo todos os dias

  938. 938

    admin said,

    June 1, 2012 @ 4:35 pm

    Obrigado por deixar aqui o seu poema, Larissa.

    Volte sempre.
    Dalton.

  939. 939

    Fábio Marinho said,

    June 2, 2012 @ 12:44 pm

    Buenas, paulista gaudério…

    Dalton, queria tirar umas dúvidas contigo, beleza?

    Terminei de ler “Espumas Flutuantes”, do nosso condoreiro Castro Alves. Muito bom, obviamente, não poderia ser diferente. Em aguns poemas encontrei o que achei serem “erros”, quanto ao ritmo de uns versos.

    Tipo: o primeiro verso da estrofe segue o ritmo 2-4-6-8-10…o segundo verso passa pra 1-3-6-8..etc.

    Isso é um erro, era normal pra época, é um recurso???

    Da mesma maneira, estou ouvindo nesse exato momento, “olha Maria”, do nosso Chico Buarque e fiquei na dúvida dos ritmos, como no poema.

    “… parte cantando 1-4
    Maria fugindo 2-5
    contra a ventania 1-3-5
    brincando, dormindo…” 2-5

    To enganado ou perdido como os zagueiros contra o Neymar???

    Abraços
    Fábio

  940. 940

    Fábio Marinho said,

    June 2, 2012 @ 6:43 pm

    Mestre Dalton…..

    Redondilhas maiores em sétimas com opostas, conforme tu tinhas me indicado.

    Vamos ver como me saí.

    Abraços

    Carta à mulher que volta ao lar

    Na saudade que me bate
    Eu relembro lindos versos
    Que no frio do longo inverno
    Recitava até mais tarde
    Entre goles de um bom vinho
    Com você nos meus carinhos
    E os desejos e as vontades

    Nos poemas do Vinícius
    Nossos sonhos se encontravam
    Corpos quentes se alinhavam
    Da paixão, do nosso vício
    Doce encanto e bons momentos
    Riso solto e encantamento
    Nosso amor, feliz convívio

    Quis, então, o meu destino
    Separar você de mim
    Num engano sem ter fim
    Que me fez um morto-vivo
    Procurando na sarjeta
    Todo amor que se deseja
    Que é da vida o meu motivo

    Já cansado em longo tempo
    Coração acostumado
    A sofrer, amargurado
    Um presente vem no vento
    Despertando o meu amor
    Novo aroma de frescor
    A acordar meu sentimento

    Vi você sozinha enfim
    Novamente me encontrar
    E o destino a consertar
    Todo engano então, assim
    Perfumando a minha vida
    Teu sorriso é a flor bem-vinda
    Que renasce em meu jardim

    Posso agora dedicar
    Os poemas do poeta
    Para o amor que me completa
    Que custei por esperar
    E com vinhos que guardei
    Na paixão eu brindarei
    Com você que volta ao lar

  941. 941

    admin said,

    June 2, 2012 @ 7:23 pm

    Fábio:

    Não lembro do Espumas Flutuantes. Preciso dar uma conferida pra não cometer enganos. Quanto ao Olha Maria, preste atenção na acentuação do verso na música, é assim:

    con / TRÁ-A / ven / ta / NI / A – 2-5

    Chico procurou colocar duas átonas entre as tônicas, considerando inclusive as sílabas átonas dos finais de versos, esse foi o motivo por não ter usado rimas com palavras oxítonas no fragmento visto.

    Estou fora de casa. Comento sobre o poema depois. Abraços.

  942. 942

    admin said,

    June 4, 2012 @ 10:22 am

    Gaúcho:

    Eu sei que você nasceu do Rock, mas não tem como colocar esses seus últimos poemas em alguma melodia diferente do Bolero. Em se tratando do Vinícius, isso que você sugere ter encontrado no poema acima, ele estava procurando encontrar aqui:

    http://letras.terra.com.br/vinicius-de-moraes/49277/

    Mesmo entre os roqueiros, alguns acabaram cedendo ao ritmo contagiante do Bolero. Por exemplo, a canção Do You Wanna a Dance ficou consagrada pela interpretação do Johnny Rivers, mas antes dele um outro famosíssimo quarteto de rock iniciara a vida artística a interpretado em forma de bolero com um resultado muito melhor. Escute os dois e compare:

    http://www.youtube.com/watch?v=DmoOx0omJHg

    http://www.youtube.com/watch?v=XIcIJt0tlEk

    É claro que a MPB não poderia passar em branco essa linda música, que anos após voltou por aqui noutra música, mas com um balanço típico e pra lá de pegajoso do conjunto The Fever´s, só que cantado por outro grupo:

    http://letras.terra.com.br/roupa-nova/63945/

    Abraços.

  943. 943

    Fábio Marinho said,

    June 4, 2012 @ 10:56 pm

    Cara, bolero??? Que beleza!! Gosto muito de alguns do grande Altemar Dutra. Uma voz maravilhosa.

    E esse do Vinícius é sensacional também.

    Tenho algumas fitas K7 que guardo até hoje só pra mostrar pra Vitória coisas que ela jamais sonhou que existia, antes do CD e tal. E nelas tenho The Mamas and the Pappas e o Johnny Rivers. Que bela lembrança….

    E Whisky a Go Go eu tocava com a banda, Dalton. Era uma das que eu mais gostava de tocar, o refrão é um negócio, e a rapaziada vinha à baixo.

    Valeu pelas dicas e músicas.
    Abraços

  944. 944

    admin said,

    June 5, 2012 @ 7:34 am

    Fábio:

    O Bolero é o ritmo musical que mais influenciou a música de diversos países nas Américas. Atualmente, tem entrado com tudo no Canadá pelas mãos competentes de um amigo. Veja esta postagem que fiz já há bom tempo:

    http://mpbsapiens.com/como-uma-onda-dialogos-da-mpb/

    Abraços.

  945. 945

    Fábio Marinho said,

    June 6, 2012 @ 12:36 am

    Dalton,

    me dei conta agora que estous estudando um leque de ritmos musicais desde que comecei a tirar minhas dúvidas com você nos poemas. É muito bom saber que posso contar com seu vasto conhecimento. Quero mais uma vez te agradecer por tudo. Muito obrigado.

    Fiz um poema agora a pouco meio espremido da cabeça sem ter muito o que me inspirar, e aí inventei essa história abaixo. Na verdade li os primeiros versos de “olhos nos olhos” e tentei pensar algo.

    Com certeza esse vou ter que lapidar, mas queria ver se tu acha que ficou meio confuso, ok??

    No final do nosso amor
    mais um caso terminado
    quando então você falou:
    “minha flor o amor findou
    no começo fracassado
    poucos passos, muita dor”

    Nas intrigas sem motivos
    discussões mal resolvidas
    machucando os corações
    minhas rezas de orações
    cicatrizes de feridas
    nos meus choros incontidos

    Vão dois barcos naufragando
    atracados sem ter cais
    balançando em seco mar
    vendo as nuvens a chorar
    reclamando em muitos ais
    tensos raios, trovejando

    Numa estrada sem caminho
    nós vivemos de ilusões
    nunca vimos nada à frente
    nossa morte indiferente
    deu risada das visões
    de dois cegos sem convívio

    Abraços

  946. 946

    admin said,

    June 6, 2012 @ 10:26 am

    Fábio:

    Depois que se adquire a prática da construção poética, a coisa vira um vício e os poemas vêm todos com precisão cirúrgica, principalmente, quando se adquire o vício nas construções de Poemas Regulares – versos com mesmo comprimento e ritmo. Para fazer letra de música, é o que melhor funciona, porque o mesmo ocorre nas construções de versos melódicos. Veja isto:

    Mais um poema
    Entrando-em cena neste palco
    Tal como-um talco
    E bem no alto
    Como num salto de gaudério
    Vem com mistério

    Se você escandir essa estrofe, perceberá que a quarta sílaba é acentuada em todos os versos. O Poema Irregular mantém-se poema por apresentar Coerência Rítmica independente da Métrica Total, já que a preocupação é mais voltada à Métrica Intermediária que determina o Ritmo Poético de qualquer verso.

    Toda vez que se escreve um fragmento poético, mesmo como esse divertido exemplo que fiz, aprende-se novas coisas. Nunca havia feito uma rima de Eco tão interessante como a ocorrida no terceiro verso: Tal como-um talco. Foram dois talcos num mesmo verso – Tal co/mo-um/ TAL co. As rimas colocadas em final de verso ainda são as que melhor permitem ao ouvinte memorizar os textos, mas o mistério dos grandes poetas como Vinícius, Chico, Gil… está no uso das rimas interiores dos versos. Por exemplo, veja o que Gil fez em Refazenda:

    Abacateiro
    Acataremos teu ato
    Nós também somos do mato
    Como-o pato-e o leão

    Aliás, a música é inteira assim, e sem que percebamos à primeira vista, tem também diálogos semelhantes ao do Cesar Camargo Mariano com o Lulu Santos vistos nos comentários anteriores. Só que desta vez o diálogo ocorre entre o flautista e a letra do Gil num certo instante, pois quando o Gil cita: Refazendo tudo / Refazenda – o flautista faz um solo melódico de um verso de certa música da Rita Lee, que diz: Nada melhor do que não fazer nada.

    As construções irregulares são o seu próximo desafio, já que nas regulares você já esbanja categoria, como um Oscar, ou um Ganso dos Versos. Só falta aprender a driblar como o Neymar nos poemas. Ouça o Refazenda para captar os dribles do Gil e do flautista no meio de campo:

    http://www.youtube.com/watch?v=wLR2fjG95vw

    Pra conferir:

    http://www.youtube.com/watch?v=aEjXy0I7fiE

    Não sei qual foi a sua formação em Dança de Salão, mas quem domina o assunto sabe muito bem que é possível dancar-se essa música da Rita Lee com passos de Bolero, pois tem o tempo certo para a “Quebrada de Cadeira”, quando a dama enfia as pernas entre as do cavalheiro. Rita Lee é roqueira sim, mas mesmo sendo não teve como fugir do Bolero, ou talvez até tenha feito de propósito o arranjo musical, já que conhece bem a força de tal essência rítmica.

    Isto aqui tá virando uma postagem! Acho que vou colocá-la “no palco tal como um talco”, eheh.

    Já que virou postagem oficial neste instante, o melhor que tenho a fazer é continuar abordando o assunto descrito no texto do seu poema.

    Em Olhos nos Olhos o Chico fez uma das coisas que mais gosta: Vestiu a sua imaginação com os sentimentos femininos diante de uma situação social corriqueira, que é a da separação conjugal; efetivando o poema como Cantiga de Amigo.

    O seu mestre, Vinícius de Moraes, sempre preferiu trabalhar com as duas cantigas – a de Amor e a de Amigo – em mesma música, porque gostava de mostrar ao ouvinte os dois lados da questão. Vinícius não levava a coisa na base da Tragédia, como o Chico. Talvez, por terminar os seus relacionamentos conjugais com a mesma rapidez de quem argumenta ter parado de fumar após o término de cada cigarro; sempre falou bem sério nas Cantigas de Amor e foi mais divertido nas Cantigas Mistas do nosso cotidiano social, inventando separações regulares, dando à mulher todo o lado prático do enredo. Veja os exemplos:

    http://www.youtube.com/watch?v=XAmlORWE8m0

    Aqui o Vinícius, além de mostrar a visão dos dois lados, teve o cuidado de encerrar a música com o consagrado Soneto da Separação, que pode ser declamado tanto pelo homem quanto pela mulher, já que o texto não define o sexo do personagem declamante. Em contrapartida, pouco tempo depois escreveu um lindo e divertido texto sobre a separação tão corriqueira quanto o “parar de fumar” seguidamente:

    http://www.youtube.com/watch?v=MUKGuBRB9qE

    E o pior, nessa história toda, Gaudério, é ficar com a pulga atrás da orelha sobre a possibilidade do Vinícius ter encontrado o perfil da mulher dessa sua música num comportamento renovado da mesma mulher deste consagrado bolero:

    http://www.youtube.com/watch?v=2FdkFFIPLRc

    O Poema e a MPB sempre formaram essa estreita relação conjugal de encontros e desencontros. Se, hoje, estão nesse nítido desencontro, forçado pela mídia mais fã dos DJ (dijei) atuais do que dos DJ (Disk Jóquei) de outrora, há uma Tradição Oral neste submundo da internet. Faço a minha parte. Assim como Pelé, Robinho e Neymar. O Alçapão continua lá e eu aqui.

    Abraços no Dorival.

  947. 947

    Fábio Marinho said,

    June 7, 2012 @ 2:46 pm

    Minha nossa senhora!!!! Mas que beleza, mestre Dalton….

    Obrigado pelas palavras e desafios!!

    Cara, vou lá levar minha gatinha no cinema, na volta vou devorar esse novo desafio!!!

    Mais tarde entro em contato contigo pra conversarmos sobre esse material todo. Já to com a cabeça nos poemas irregulares, estudarei com prazer.

    E a primeira ligação que faço com rimas de eco é “Rita” do poeta, simplesmente sensacional!! Sempre me chamou muita atenção as rimas dessa musica.

    Abraços, peixe

  948. 948

    Fábio Marinho said,

    June 7, 2012 @ 8:29 pm

    Dalton…

    Anotei vários pontos importantes de tudo que você falou aqui, como sempre faço, com a minha lapiseira verde Pentel, nas folhas de caderno arrancadas. À partir de agora estudarei tudo que conseguir sobre as rimas internas, rimas de eco etc..

    Fiquei louco com a “Refazenda”!!! Que coisa linda as repetições de sons parecidos em tudo que é canto dos versos. E aquilo que você já me falou: a gente não se dá conta do porquê de os refrões bem feitos, a letra bem feita, ficarem gravados na cabeça da gente. Ouvindo a música inteira e analisando a letra toda com as dicas que você me passou, pude perceber como a letra escorre macia pra dentro do ouvido da gente, como o conhaque que fui obrigado a bebericar ouvindo “A volta do Boêmio”.

    Tudo isso é bom demais!!!

    Tu sabe que por causa de ti comecei a gastar meu dinheiro em livros?????

    Em todo lugar onde vou , depois de conhecer você e o Sapiens, viro um rato roendo as ruas em busca de resenhas e livros rasteiros e até repetidos aqui do rincão!!!…eheheh

    Trouxe, agora, por exemplo, do shopping do cinema, “Dicionário Porto-Alegrês”, do professor Luis Augusto Fischer e “Últimos Poemas”, do tal Pablo Neruda.

    Vou rabiscar meus novos poemas irregulares por aqui e te grito.

    Abraços, mestre Dalton e obrigado pelos diamantes de ouro!!

  949. 949

    Fábio Marinho said,

    June 7, 2012 @ 9:07 pm

    Dalton….rabisquei uma primeira estrofe conforme o teu exemplo acima:

    Mais uma noite
    Breu no horizonte triste e distante
    Meu peito amante
    Amando adiante
    Vai suplicante em fogo e calor
    Do teu amor

    Que tu achas?????

    Abraço

  950. 950

    Fábio Marinho said,

    June 7, 2012 @ 10:14 pm

    Dalton, aí vai o poema.

    Segui cada estrofe igual ao formato que você me indicou, ok??

    Mais uma noite
    breu no horizonte triste e distante
    meu peito amante
    amando adiante
    vai suplicante em dor e calor
    do teu amor

    Luz dos meus passos
    tudo o que faço em prol da paixão
    do coração
    dói sem perdão
    no violão de cordas molhadas
    dores choradas

    Cantos e apelos
    prantos serenos descem cansados
    medos calados
    quietos, barrados
    vão suplicados de um recomeço
    mas sem tropeços

    Nova bonança
    juntos na dança em nossos desejos
    linda aliança
    doces lembranças
    grandes mudanças nascem sonhadas
    todas chegadas

    To curioso pra ver o teu feedback…eheh

    Abração
    Fábio

  951. 951

    Fábio Marinho said,

    June 8, 2012 @ 7:18 pm

    Dalton:

    Analisando melhor, tem alguma coisa que não me agradou na minha última estrofe. Acho que fiquei rodando no mesmo lugar, dizendo sempre a mesma coisa com as palavras iniciais de cada verso. Estranho…

  952. 952

    Fábio Marinho said,

    June 9, 2012 @ 1:51 am

    Amigo Dalton, acho que este ficou melhor….achei o poema simpático…eheheh

    Abraços

    Lira do pampa

    Listo os meus versos
    que seguem certos na metragem
    vêm com coragem
    em linda imagem
    qual paisagem de um retrato
    foto de um fato

    São verdadeiros
    escorrem feito os risos fáceis
    calmos mas ágeis
    que vão viáveis
    são incontáveis como estrelas
    grandes, pequenas

    Faço o que posso
    escrevo e gosto desse sério
    tenso mistério
    mas com critério
    versos gaudérios no fandango
    franco que danço

    Lira do pampa
    embala a dança dessa aldeia
    junto à fogueira
    a noite inteira
    rente à figueira da fazenda
    cheia de prendas

  953. 953

    Fábio Marinho said,

    June 9, 2012 @ 1:59 am

    Cara esse negócio vicia….me sinto assobiando…eheheh

  954. 954

    Fábio Marinho said,

    June 9, 2012 @ 8:01 pm

    Dalton….

    Terminei outro hoje, no mesmo formato. Fui ler a história grega do poeta Orfeu e fiz mais um treino no poema a seguir, ok?

    Abraços

    Orfeu o poeta, Eurídice a mulher

    Filho de Apolo
    levado ao colo do pai, Orfeu
    quando nasceu
    bem junto aos seus
    logo cresceu com sua lira
    cantando a vida

    Quando tocava
    a selva amada amava o som
    vindo do tom
    do lindo som
    lira marrom nas mãos mais ágeis
    sons de mensagens

    Tem por Eurídice
    paixão que disse-lhe a cantar
    sempre a versar
    e enfim casar
    prontos pra amar, vivendo a vida
    calma e tranquila

    Linda mulher
    que muito quer lhe ser fiel
    doce qual mel
    atrai o fel
    vem Aristeu, apicultor
    louco de amor

    Sem lhe atender
    se pôs correr e assim fugir
    quis se sumir
    o algoz a vir
    morte a seguir, tropeço em frente
    morde a serprente

    Morre a querida
    de Orfeu da vida, do veneno
    sem um aceno
    na dor do enterro
    desse momento, se chora a lira
    fraca e ferida

    Triste lamento
    cantando ao vento em dor, saudade
    vida à metade
    na flor da idade
    flecha que invade um peito em fogo
    findo o seu jogo

  955. 955

    Fábio Marinho said,

    June 9, 2012 @ 8:02 pm

    Putz…

    “…vindo do tom
    do lindo DOM…”

  956. 956

    Fábio Marinho said,

    June 9, 2012 @ 8:03 pm

    “…MORDE A SERPENTE…”

  957. 957

    admin said,

    June 10, 2012 @ 11:06 am

    Gaúcho:

    Desculpe pela demora na resposta, porque tive compromissos aí pelo sul do país, já que nasceu a minha neta em São Mateus do Sul, no Paraná, e aproveitei o feriado para ir conhecê-la, bem como dar uma força para a minha eterna princesa, mãe da menina.

    Pelo que li abaixo parece que você gostou de trabalhar com Verso Irregular, o que é meio óbvio, já que permite ao poeta estender o assunto sem a obrigatoriedade métrica final, ao mesmo tempo em que fornece tal espaço para operar melhor com as sonâncias e rimas. Estude também sobre Aliteração e Assonância, e depois de fazê-lo, escute esta aqui:

    http://letras.terra.com.br/chico-buarque/90800/

    Perceba o efeito sonoro da Aliteração correndo solto na última estrofe com os sons de X e J. Além da rígida obediência que o Chico sempre dedicou ao Ritmo Poético nas estrofes, um dos segredos dele para que memorizássemos as suas músicas sempre foi o das Sonâncias Interiores dos versos. Não se trata de Rimas, mas da repetição das mesmas vogais tônicas em sílabas ordenadas. Poe exemplo, se o verso anterior apresenta certas vogais tônicas nas sílabas 2-4-6, algum verso da estrofe apresentará essa mesma ordem de tonicidades com as mesmas vogais, ainda que colocadas em diferentes palavras. Veja outra interessante conjugação rítmica de versos irregulares em Amor Barato:

    2-5
    2-5-8
    2-5-8-10

    Eu queria ser
    Um tipo de compositor
    Capaz de cantar nosso amor modesto

    Um tipo de amor
    Que é de mendingar cafuné
    Que é pobre e às vezes nem é honesto

    Pechinchas de amor
    Mas que eu faço tanta questão
    Que se tiver precisão eu furto

    Vem cá meu amor
    Aguenta o teu cantador
    Me esquenta porque o cobertor é curto

    Se você reparar bem, verá outro truque do Chico nas construções poéticas. Coisas que faz para divertir-se sozinho, enquanto conversa com a letra do poema, já que a crítica literária brasileira nunca teve a capacidade de analisar os poemas com profundidade. A construção da letra é toda em Tercetos. Dessa forma, o nono verso teria obviamente 10 sílabas, como todos os demais terceiros versos dos tercetos, todavia, a contagem métrica desse verso mostra apenas 9 sílabas. O nono verso ficou com uma a menos, 9 sílabas, e o Chico ainda explicou “eu furto”.

    Outra gozação dele foi no uso das qualidades dos versos decassílabos, já que o decassílabo com cadência 2-5-8-10 é conhecido por Decassílabo de Arte-Maior, só que todos finalizam com palavras depreciativas, tais como Modesto, Não Honesto, Furto, Curto…

    O uso da Versificação Regular dá ao poeta todas essas possibilidades de brincar com os textos, tanto na Métrica, quanto na Cadência e nas Rimas. Esse cuidado que você teve com o uso das palavras Som, Tom e Dom deve ser sempre mantido, portanto aprenda a usar os meus apontamentos sobre Todas as Rimas Brasileiras. Não está completo ainda, já que estou colocando os sons vindos das conjugações dos verbos, o que lhe permitirá alcançar rimas extraordinárias, do tipo Alçapões com Pões; Foi com Voe etc.

    Você aprovou também nos Versos Irregulares e um mundo novo do verso já nasceu certo por aí, o que certamente enriquecerá a sua Lira Gaudéria. Abraços.

  958. 958

    Fábio Marinho said,

    June 11, 2012 @ 9:53 pm

    Buenas mestre Dalton…

    Mas tchê, parabéns pelo belo nascimento da neta!! Se ser pai já é maravilhoso, imagina avô, que dizem que é um pai duas vezes, não é mesmo??

    Desejo toda felicidade pra família de vocês, que vai aumentando!

    Gostei demais desse novo modelo de poema, sim, Dalton. É um quebra-cabeça diferente que faz pensar de outra maneira para encaixar as palavras nos versos. Muito estimulante, apaixonante.

    Ok, estudarei a Assonância e Aliteração, já estou prestando atenção nos dois recursos.

    Mas Dalton, por exemplo no verso “que-é pobre-e-às vezes nem é honesto”:

    escandindo não ficaria: “que-é/PO/bre-e-às/VE/zes/NEM/é-ho/NES/to???

    FICANDO UM RITMO 2-4-6-8??? Tá certo unir os sons de …brE-E-Às e…É-HO…??

    Fiquei na dúvida…

    E como é difícil perceber esses truques do Chico conversando com a letra do poema. Porque parece que o que ele diz na frase sai do contexto da letra…

    Estudarei esse material todo, Dalton

    Obrigado por enquanto,

    Abração

  959. 959

    admin said,

    June 12, 2012 @ 10:57 am

    Escuta a música, Fábio. A escansão do que ele canta é esta:

    eu/ QUE/ri/a/ SER
    um/ TI/po/ de/ COM/po/si/TOR
    ca/PAZ/ de/ can/TAR/ nos/so-a/MOR
    mo/DES/to

    um/ TI/po/ de-a/MOR
    que-é/ DE/ men/din/GAR/ ca/fu/NÈ
    Que-é/ PO/bre-e/ às/ VE/zes/ nem/ É
    ho/NES/to.

    No LP Almanaque, que contém a música Amor Barato, o cara foi tão sacana que usou muitos truques em quase todas as músicas. Essa foi apenas uma delas, fazendo um Cavalgamento absurdo nos finais dos versos longos, só para fazer os analistas suporem estar ele usando rima padrão, em finais de verso, ao invés das Centrais; quando não se cavalga o conteúdo sintático de um verso para outro inexistente, anterior ou posterior. Só se quebra o sentido do texto quando se cavalga parte da sintaxe de um verso para outro. Não para um nada.

    Para você ter uma breve idéia do que ele fez na contracapa desse lp, confira esta postagem:

    http://mpbsapiens.com/as-vitrines-analise-de-texto/

    Ou mesmo esta outra, que deve tê-lo divertido muito com os desdobramentos filosóficos vindos da crítica nos jornais, que vislumbrou-a voltada somente para um drama vivido por Zuzu Angel, sem reparar no restante contido na letra:

    http://mpbsapiens.com/angelica-analise-de-texto/

    Bom estudo e divertimento.
    Abraços.

  960. 960

    Fábio Marinho said,

    June 14, 2012 @ 9:20 pm

    Tá certo, Dalton.

    Vou dar uma olhada nisso tudo, sim.

    Valeu.
    Abraços

  961. 961

    Fábio Marinho said,

    June 16, 2012 @ 1:58 am

    Mestre Dalton…

    Terminei um soneto que estava inacabado.

    Abraços

    Soneto de amor

    Entrego aos teus cuidados um amor
    capaz de nos unir na eternidade
    pra sempre em sentimento de verdade
    que não conhece a dor do dissabor

    De todo encantamento dos teus beijos
    me ferve o sangue quente em minhas veias
    derreto-me em tesão em tuas teias
    e queimo em fogo ardente de desejos

    Meus sonhos são você na minha mente
    vivendo só de amor intensamente
    nos braços da paixão que sempre cura

    São dias de momentos deslumbrantes
    carinhos derretidos dos amantes
    de todos sentimentos de ternura

  962. 962

    admin said,

    June 17, 2012 @ 11:06 am

    Oi Gaúcho!

    Mais uma vez a sua construção poética foi correta nas regras de Métrica e Ritmo Poético. A jogada das Rimas Opostas ficou muito interessante, pois conseguiu manter-se Oposta do começo ao fim e atendeu à regra que exige um mesmo Som de Rima interligando os Tercetos.

    Só chamo a atenção para o texto dos versos 2 e 3 da segunda quadra. Para evitar a repetição pronominal no mesmo verso – Me com Minhas – bastaria trocar o ME por algo como QUE. No verso seguinte basta trocar o Tesão de EM para “NAS tuas teias”. Mas essas alterações só são aceitáveis quando o próprio poeta fica contente após declamá-las. Experimente fazê-lo e veja se ficam boas.

    Abraços.

  963. 963

    Fábio Marinho said,

    June 17, 2012 @ 7:43 pm

    Prefeito, Dalton.

    Vou trocá-los aqui.

    Obrigado.

    Abraços.

  964. 964

    admin said,

    June 17, 2012 @ 9:05 pm

    Já me evoluiu de vereador a “prefeito”, Gaúcho? Abçs.

  965. 965

    Fábio Marinho said,

    June 18, 2012 @ 6:26 pm

    Putz, mas to ficando louco…eheheh

    Foi mal chefe….é “perfeito”…rsrs

    Abraços

  966. 966

    Claudio said,

    June 25, 2012 @ 8:55 pm

    Fazer um poema
    Não é tão dificil assim
    Eu pessoalmente
    Somente declaro o que tem dentro de mim

    Nada na vida é fácil
    Senão não teria um simples motivar
    Em um poema
    Que eu venho me declarar

    Se essa é a sua vontade
    Não tenha medo nem fevor
    Fique firme
    E mostre o seu valor

    **A primeira fez que fiz um Poema com rimas nem pesquisei, pense e faça quantos rascunhos for preciso.

  967. 967

    admin said,

    June 25, 2012 @ 9:30 pm

    Claudio:

    Para quem nunca fez poemas o seu início foi bastante promissor, ainda que com “Meia Rima”. Veja como ficaria com Rima Inteira:

    Fazer um poema
    Não é tão difícil assim
    Sem qualquer problema
    Somente declaro o que tem dentro de mim

    Nada na vida é fácil
    Senão não teria um simples motivar
    No poema que faço
    Pra depois vir declamar

    Se essa é a sua vontade
    Não tenha medo ou pavor
    Fique firme de verdade
    E mostre o seu valor

    Sugiro que você pesquise um pouco sobre Rimas Alternadas, Sílaba Poética e Ritmo Poético no endereço “Ciência Poética” que fica no cabeçalho do site.

    Grato pela colaboração e volte sempre.
    Dalton.

  968. 968

    RAMON said,

    June 26, 2012 @ 10:43 pm

    O CACHORRO LATE O GATO MIA ORATO CORRE DO GATO COM MUNHATA VOME AS CRIANSA CRITA A PIPA VOA EA NOI VAI VINDO E O DIA VAI SAINDO

  969. 969

    admin said,

    June 27, 2012 @ 11:39 am

    Ô, Ramon. Traduza esse texto para o Português para os leitores apreciarem.
    Dalton.

  970. 970

    Fábio Marinho said,

    June 30, 2012 @ 6:05 pm

    Dalton….

    Um poeminha pra contemplar o grande Sapiens…

    Tentei fazer o que consegui de rimas internas!!

    Valeu!!
    Abraços

    Nós dois

    Pois então você me apareceu
    e mexeu meus sonhos planejados
    que sonhados fiz há muito tempo
    ao lançar desejos pelo vento
    movimento de um amor calado
    desejado enfim que assim nasceu

    Com o tempo fui te conhecendo
    e nascendo foi o nosso amor
    como a flor regada todo o dia
    junto ao sol que é a luz em alegria
    poesia de um amor sem dor
    num ardor de amar que foi nascendo

    Dois destinos de paixão eterna
    em que eleva o sentimento leve
    e que ferve o nosso sangue quente
    se fazendo os corações contentes
    onde sente todo amor que deve
    e que em breve na emoção se entrega

    Sinto assim a vida enfim completa
    que me leva até você pra sempre
    no carente sentimento intenso
    do valente coração mais tenso
    e no imenso da paixão que sente
    ri contente no cumprir da meta

  971. 971

    admin said,

    July 1, 2012 @ 1:23 am

    Bonito poema, Fábio!

    Quando a coisa é feita pelo prazer de fazê-la, a cumplicidade atinge níveis próximos aos da suficiência, e não há o que pague esse sentimento. O resultado está aí no poema, quando a Ciência Poética apenas contempla o resultado natural do poeta e deixa de norteá-lo.

    Abraços.

  972. 972

    Fábio Marinho said,

    July 1, 2012 @ 6:01 pm

    Muito obrigado, Dalton.

    E é verdade, é um prazer enorme fazer um poema. O sentimento de realização é maravilhoso.

    Valeu…abração
    Fábio

  973. 973

    victor*-*--* said,

    July 2, 2012 @ 12:46 pm

    quem ai é do 6 ano ????? pq tenho q faser um poema pra prof. ahsuahsuahsahushauhsausauhsu

  974. 974

    victor*-*--* said,

    July 2, 2012 @ 12:47 pm

    quem ja fes

  975. 975

    admin said,

    July 2, 2012 @ 1:13 pm

    Victor:

    Já passei do sexto ano, mas posso ensiná-lo a transformar um texto seu num poema. Escreva alguma coisa sobre o tema do tal poema e coloque aqui. A título de informação, o verbo Fazer é com Z e não com S.

    Aguardo o seu retorno.
    Dalton.

  976. 976

    Fábio Marinho said,

    July 5, 2012 @ 10:23 pm

    Buenas mestre Dalton….

    Segue o treino. Um poeminha pra contempler o Sapiens, beleza??

    Tchê, aceito sugestão para o título, ok? Tive inspiração pro poema mas tranquei o cérebro pro título.

    Abração

    Porque você não sente o meu amor
    Que escorre desses olhos suplicantes
    De um simples mero abraço carinhoso?
    Talvez porque teu feito corajoso
    Trair e me esquecer em braço amante
    Te fez crescer o orgulho traidor

    Quem sabe o seu amor não sabe amar
    Ou, sim, o seu sentir é diferente
    Enfim, mentir pra mim te faz feliz
    Nem pouco pra eu pensar você não diz
    E partes para a noite, sorridente
    Contente em outros braços pra dançar

    Não posso te pedir nem pra ficar
    Teus jeitos e promessas me mantêm
    Calada quando vens me convencendo
    Com todas as mulheres que, bebendo
    Você na noite quente se contém
    Inúteis os meus medos vão gritar

    A cada passo em sua dança lenta
    Penetra fundo a fina faca ao peito
    E eu vou sangrando a punhalada fria
    Na madrugada que é onde a lua espia
    E te esperando eu cá deitada ao leito
    Na cama que o meu corpo em vão esquenta

    Que faço pra esquecer você de vez?
    Qual mundo eu poderia me esconder
    Da sua falta e do cruel perfume?
    Meu colorido se tornou negrume
    Não devo acreditar em merecer
    Em todo o mal que enfim você me fez

    Te deixarei um dia assim sozinho
    E com coragem mudarei meu rumo
    Pra ser feliz com outro que respeite
    Os sentimentos da mulher que sente
    O belo amor que faz do homem tudo
    E que merece todo o seu carinho

  977. 977

    Fábio Marinho said,

    July 5, 2012 @ 10:26 pm

    Humm..eu poderia colocar no penúltimo verso do poema:

    …o belo amor que faz DE UM homem tudo…

  978. 978

    admin said,

    July 6, 2012 @ 10:03 am

    Fábio:

    Se a idéia é tornar o homem “inteiro”, então melhor seria a palavra “todo”, mas você teria que mexer também noutro verso. Aliás, acho que até reforçaria o lado ruim anterior e anunciaria o bom posterior. Assim:

    E com coragem sairei desse lodo…
    …O belo amor que faz do homem-um todo
    Merecedor do meu doce carinho.

    Quanto ao título, agora ficaria “O Lodo e o Todo”, ou mesmo, homenageando o mestre Raul Seixas, “O Lodo do Tolo”.

    Bom divertimento.
    Abraços.

  979. 979

    Fábio Marinho said,

    July 7, 2012 @ 9:13 pm

    Dalton..

    Gostei da sugestão, sim. Mas tenho duas dúvidas:

    Como fica a pra escandir essa parte do verso…DO HOMEM UM TODO???
    Porque pra mim parece que sai do 2-4-6-8-10 e entra no 2-4-6-7-9…
    Não une o som silábico de …do-ho?? E porque você colocou hifen entre MEM-UM?? Fiquei confuso, amigo…

    Merecedor do meu doce carinho não fica …2-4-6-7-10?????? Saindo esse verso do contexto geral dos outros versos que são no ritmo 2-4-6-8-10????

    Valeu

    Abraços
    Fábio

  980. 980

    Fábio Marinho said,

    July 7, 2012 @ 9:17 pm

    Ah não, me enganei no final do ritmo do verso.

    O verso:

    o belo amor que faz do homem um todo…ficaria num 2-4-6-7-10….

  981. 981

    admin said,

    July 8, 2012 @ 7:23 pm

    Fábio:

    Errei no primeiro, não no segundo, que teve o mesmo ritmo do original:

    e/ COM/ co/RA/gem/ LAR/ga/REI/ seu/ LO/do – 2-4-6-8-10.

    o/ BE/lo-a/MOR/ que/ FAZ/ do/ HO/me-um/ TO/do – 2-4-6-8-10.

    Abraços.

  982. 982

    Fábio Marinho said,

    July 10, 2012 @ 9:41 pm

    Ok Dalton…..vou estudando por aqui.

    Entro em contato, amigo.

    Obrigado
    Abraços

  983. 983

    Fábio Marinho said,

    July 14, 2012 @ 1:15 am

    Buenas mestre Dalton

    Fiz um poema e soquei rimas de eco, rimas internas em tudo que pude, só pra treinar e ver teu feedback, ok??

    Abraços

    Sem papas na língua

    As palavras proferidas sem controle
    Em que se ouve toda raiva então contida
    Faz da vida da pessoa enraivecida
    Iludida em mau momento que lhe coube

    Sem pensar se vai falando tudo em frente
    O que sente da tensão do seu martírio
    No convívio cotidiano dos delírios
    Carcomido pelos males qual doente

    Consumida pelo fogo em sua ira
    Sempre atira duras pedras sem respeito
    Cada peito que recebe a dor do feito
    Sangra em meio às frias frases tão malditas

    No cenário que constrói com devaneios
    Como efeito vai somando os inimigos
    Merecidos desafetos conseguidos
    Construídos pelo horror dos tiroteios

    As terríveis conseqüências dos seus atos
    Mal falados por aqueles que sofreram
    E agüentaram toda angústia que tiveram
    Mantiveram as torturas no seu quadro

    Sua vida então assim é muito triste
    Pois resiste ao sentimento de humildade
    Na verdade não conhece humanidade
    Só lhe cabe o mau humor a que lhe assiste

  984. 984

    admin said,

    July 14, 2012 @ 10:21 am

    Muito bom, Fábio! A construção em Hendecassílabos, normalmente, fica agradável pela boa explicação que a quantidade de sílabas permite ao poeta dar à compreensão do verso. Essa batidinha sequencial de tônica-átona dá para o poema um ritmo em frequência cardíaca, que ao mesmo tempo em que faz explodir nos sentimentos, mostra o poeta controlando-os pelas rédeas do ritmo. As rimas foram bem colocadas, embora ainda se possa melhorá-las por lapidação nas categorias gramaticais das palavras envolvidas. Por exemplo:

    Faz da vida da pessoa enraivecida
    Iludida (a ferida) em mau momento que lhe coube

    Enraivecida e Iludida são palavras de mesma categoria gramatical, e isso empobrece um pouco a rima. Já com, Ferida, embora, dependendo do curso textual possa pertencer à mesma categoria verbal das anteriores, há também a possibilidade de pertencer a uma outra não derivada do verbo Ferir.

    Tente exercitar-se noutras direções de texto, porque a maioria dos seus poemas encontra-se voltada para situações sentimentais sérias, que de uma forma ou de outra tendem mais ao sofrimento do que à alegria. Torne-os mais divertidos. Observe mais as alegrias que o cercam no cotidiano, pois isso permitirá enxergar o maior valor de ambos os sentimentos, quando colocados em pé de igualdade na relatividade sentimental que os justificam, já que as noções de alegria e tristeza são parâmetros dependentes na razão das coisas.

    Aliás, observe estes três exemplos de descrição textual em forma divertida, mas com um riquíssimo trabalho de rimas de eco com diferentes categorias gramaticais. Repare como o Chico, nas duas últimas músicas, identifica o mesmo personagem pelas construções poéticas semelhantes. Abraços.

    http://www.youtube.com/watch?v=ETZreFEcYuc

    http://www.youtube.com/watch?v=esmXTklzgtA

    http://www.youtube.com/watch?v=O4mfSC-xG4o

  985. 985

    Fábio Marinho said,

    July 17, 2012 @ 12:35 pm

    Bah bixo, que bom que gostou do poema. Cara, a fluência escorrendo quando se lê o poema com rimas de eco é algo viciante. Estou gastando muito de fazê-los e, em breve, te encaminho novos, ok??

    Não consegui parar pra ver suas sugestões das músicas acima, mas assim que der tiro minha dúvidas com você.

    Amigo Dalton, surgiu uma oportunidade de visitar um grande amigo colorado aí em Sampa!! Ele mora perto do aeroporto de Congonhas e ficarei na casa dele de quinta à noite até segunda à tarde. Te pergunto:

    se eu conseguir me embrenhar pelas bandas de Santos (não sei ainda a distância entre as cidades) teria a possibilidade de nos encontrarmos??? Queria te conhecer cara!! Poderíamos bater um papo, seria uma honra pra mim….

    E se der, como poderíamos fazer??

    Valeu…

    Abraços
    Fábio

  986. 986

    admin said,

    July 17, 2012 @ 5:58 pm

    Gaúcho:

    Embora eu seja torcedor do Santos, e na infância vivesse lá pela Vila Belmiro, nunca morei em Santos. Sou um paulistano que morou apenas metade da vida em Sampa e a outra metade fora de lá, como ocorre atualmente, morando em Limeira, também no estado de São Paulo, mas a 150 KM. de distância.

    Por sinal, eu iria viajar ao Paraná neste fim de semana último, pra rever filhos e neta, mas tive alguns problemas de saúde e só hoje que consegui dar uma andada fora de casa. Até poderia ir a Sampa para encontrá-lo por lá, mas acho imprudente fazer qualquer promessa pra você, pois não quero arriscar dirigir essa quilometragem e encarar o trânsito de Sampa.

    Dessa forma, para nos encontrarmos, o que seria um grande prazer para mim, temos as seguintes possibilidades:

    1- Você viajaria aqui pra Limeira e pousaria em minha casa durante a sua estada, em alguns desses dias próximos.
    2- Nos feriados deste segundo semestre, nos encontrarmos em algum lugar entre São Mateus do Sul-PR e Joinvile-SC; já que prometi à minha esposa levá-la até lá para conhecer.

    Converse com o seu comparsa rubro-gaudério de Sampa e decida a melhor forma. Em qualquer delas será muito bom nos conhecermos pessoalmente.

    Abraços.

  987. 987

    Fábio Marinho said,

    July 17, 2012 @ 9:57 pm

    Ah, ok Dalton. Pensava que estivésse em Santos.

    Em primeiro lugar quero te desejar uma boa recuperação quanto aos problemas de saúde. E puxa vida, muito obrigado pela confiança e simpatia, seria uma honra pousar aí, sim.

    Vou falar com esse camarada então, pra ver o que pode ser feito. Aí eu te falo algo pelo Sapiens, beleza??

    Tchê, to torcendo aqui pra que tudo dê certo.

    Vamos nos falando então. Mantenho contato, ok?

    Obrigado, Dalton.
    Abraços

  988. 988

    admin said,

    July 18, 2012 @ 11:13 am

    Ok, Fábio. Abraços.

  989. 989

    michel said,

    July 22, 2012 @ 3:59 pm

    oi Dalton espero que você esteja bem, é so para te perguntar sobre o texto? um abraço.

  990. 990

    admin said,

    July 22, 2012 @ 7:50 pm

    Michel:

    Me perdoe, cara. De fato, andei meio mal de saúde nos últimos dias, mas estou melhor. Não esqueci de você não. Apenas não tenho tido tempo mesmo. Os seu textos, meio longos, estão guardados lá na caixa e de uma hora para outra serão analisados como merecem e passarei as minhas impressões logo após tê-las.

    Grato pela paciência, e abraços.
    Dalton.

  991. 991

    michel said,

    July 23, 2012 @ 2:19 pm

    OK Dalton não te preocupes muito posso esperar, valeu um abraço.

  992. 992

    Fábio Marinho said,

    July 24, 2012 @ 7:32 pm

    Mestre Dalton….

    Mil desculpas por não ter entrado em contato contigo, cara, no fim de semana conforme havia te dito. Estou me sentindo mais em débito contigo, ainda mais depois de você, amigavelmente, ter me oferecido pouso na sua casa, abrindo os braços da confiança e da amizade.

    O fato é que fiquei constrangido de pedir pra usar a internet do meu camarada, pois a dona encrenca dele estava numa impaciência e irritação por causa do piá deles que não parava quieto, junto com a Vitória, que me senti invadindo mais a privacidade dela, sei lá, não me senti à vontade, manja?? E não gosto de confusão, aí achei melhor ficar mais no meu canto sem me meter nas coisas deles…

    Mesmo assim ainda não perdi as esperanças de nos conhecermos pessoalmente. Como agora já sei o caminho das pedras, cheias de poesia e literatura, ainda cavalgarei com o pingo tranqueando ao largo das bandas de Limeira. Aí contaremos nossos causos e poemas….

    Mais um vez, desculpe a falta de comunicação.

    Grande abraço e obrigado pela confiança.
    Fábio M.

  993. 993

    admin said,

    July 24, 2012 @ 9:55 pm

    Sem problemas, Gaúcho. Já tive as mesmas dificuldades e fiz exatamente como você.

    Abraços.

  994. 994

    Fábio Marinho said,

    July 25, 2012 @ 12:29 pm

    Pois é, Dalton. Nos metemos em situações diversas, confortáveis ou desconfortáveis, mas a beleza de ambas é o aprendizado comum do coração de cada uma delas.

    Abraços rubros…
    Fábio

  995. 995

    admin said,

    July 25, 2012 @ 12:54 pm

    Por falar em Rubros, fico imaginando a tristeza da torcida colorada diante da possibilidade de contar com Ganso e Forlan nesse time.
    Abraços.

  996. 996

    Fábio Marinho said,

    July 25, 2012 @ 7:14 pm

    Eheheh…bah, tá todo mundo chateadíssimo…rsrs
    Agora, o que dói é perder o Oscar, cara. Fechou hoje com o Chelsea. Não tem ninguém parecido com esse guri, Dalton. Marca, se movimenta, arma e faz gol…

    Imagina se o guri ficásse!!! Aí é querer demais, né?? Ficaria um time razoável até…rsrs

    E o peixe, como vai?? Ando meio perdido nos acompanhamentos futebolísticos até com o meu Inter, o que sei é o básico…

    Grande abraço

  997. 997

    admin said,

    July 25, 2012 @ 9:30 pm

    Não está indo tão bem como esperávamos. O Muricy deu azar, porque quase todos os que ele pediu para contratar acabaram se machucando e quase não tem mais jogadores para colocar, além dessa meninada da base aprendendo a crescer. Acho que após as olimpíadas poderei ver o time melhor.
    Abraços.

  998. 998

    Fábio Marinho said,

    July 26, 2012 @ 12:33 am

    Pois o Muricy gosta de lançar a gurizada. Daqui a pouco ele descobre uns novos craques aí na Vila, com certeza.

    Mestre Dalton, tentei fazer um poeminha mais “feliz”, conforme você me sugeriu mais acima, bixo. Aí vai, beleza??

    Abraços

    Versos sorridentes

    Fiz uns versos pra sorrir aos teus sorrisos
    Meus motivos das lembranças de curtir
    A alegria do destino a nos unir
    E sentir a minha vida em teus caprichos

    Sigo alegre nessas linhas pretensiosas
    Como as rosas sorridentes num jardim
    Que no fim o seu perfume sopra em mim
    Rindo assim à luz das pétalas cheirosas

    Teus humores encantados de euforia
    Teorias da poeta dos amores
    Minhas linhas e poema encantadores
    Lindas cores no arco-íris de alegria

    Qual menina que molhando o pé no rio
    Ri do frio se balançando em tremeliques
    Tu me encantas nesses jeitos de meiguices
    Criancices da mulher que me sorriu

    E ao sorrir me derreteu o coração
    Pois em vão a dura luta se perdeu
    Em tentar me resistir ao que se deu:
    Peito meu acorrentado na paixão

    E a emoção de amar o seu amor mimoso
    Faz teimoso o sentimento sorridente
    E contente bate forte ao que se sente
    O meu peito que no quente queima em fogo

  999. 999

    admin said,

    July 26, 2012 @ 9:56 am

    Fábio:

    O feminino de Poeta é Poetisa, então o verso deve ficar mais perto disto:

    Teorias poetisas dos amores

    Além de ficar mais correto, até ajuda nas rimas, eheh.
    Abraços.

  1000. 1000

    Fábio Marinho said,

    July 26, 2012 @ 10:25 am

    Putz grila…mas que falta de atenção…rsrs

    Na pressa de fazer a rima parecida com “poema”, no verso de baixo, enfiei a poeta sem me dar conta…

    Bah e ficou bom demais “teorias poetisas dos amores”..gostei.

    Valeu Dalton

    Abraços

  1001. 1001

    Fábio Marinho said,

    July 28, 2012 @ 9:56 am

    Buenas mestre Dalton

    Segue um poeminha que fiz ontem à noite, beleza? Queria te pedir um favor: a última estrofe eu não gostei e queria dividir contigo, se tu pudéres me ajudar a mexer, mudá-la, acrescentar algo, enfim…

    Acho que me enrolei no final do poema, pra terminar logo por causa do sono…

    Valeu!!!
    Abraços

    Na beira-mar do amor deitado à areia
    Dormi na teia dos teus braços quentes
    Fiquei dormente sem sentir meu corpo
    Ao deslizar à noite em teus contornos
    Com beijos loucos de um amor doente
    Que facilmente fez chorar sereias

    O soluçar emocionado ouvido
    Com seus motivos a rolar no vento
    Fez turbulento todo o mar salgado
    Que revoltado sem ficar parado
    Me pôs no estado de ocupar meu tempo
    E no relento fui dormir sorrindo

    À luz de estrelas vivas e brilhantes
    Acachapantes, lindas e pequenas
    Criei a cena pra mulher que eu amo
    E sem enganos completamos planos
    Em todo avanço da paixão serena
    Que corre lenta nesse amor amante

    A todo instante o coração balança
    E sempre dança no rompante doce
    Que se orientou e fez assim seu norte
    Com muita sorte e nem temendo a morte
    Pois seu suporte vem do amor que soube
    E que lhe coube todo amar que encanta

  1002. 1002

    manuela said,

    July 28, 2012 @ 4:25 pm

    oii nao consequi fazer uma poesia se alquem ver isso pesso por favor que me ajude obrigado.

  1003. 1003

    manuela said,

    July 28, 2012 @ 4:26 pm

    oie
    estou desses perada

  1004. 1004

    manuela said,

    July 28, 2012 @ 5:08 pm

    medo de amar

    talvez eu tenha medo
    medode amar,medo de viver.
    talvez eu sinta medo
    pq a vida ja me fez sofrer.

    talvez esse medo passe
    e nao volte mais .
    ou talvez ele fique e
    nao saia nunca mais

  1005. 1005

    admin said,

    July 29, 2012 @ 8:17 am

    Fábio:

    Acho que a solução pode bem ser esta:

    Se-orientando pelo próprio norte

    Ficou simpatico?
    Abraços.

  1006. 1006

    admin said,

    July 29, 2012 @ 8:19 am

    Manuela:

    Você quer aprender a fazer poemas ou quer apenas corrigir esse que colocou?
    Dalton.

  1007. 1007

    Fábio Marinho said,

    July 29, 2012 @ 10:46 pm

    Valeu, Dalton, fica melhor, sim. Vou trabalhar melhor essa estrofe toda.

    Obrigado
    Abraços

  1008. 1008

    michel said,

    July 31, 2012 @ 11:55 pm

    oi Dalton tudo bem? Uma ajuda, preciso de um poema sobre o nome de uma (bem caprichado). estou sem inspirações xD nome: SOFIA BARBOSA. ABRAÇO

  1009. 1009

    admin said,

    August 1, 2012 @ 8:44 am

    Oi, Michel:

    Preciso saber o que você pretende com a tal Sofia. Dá pra fazer caprichado sim, mas o nome é de Uma o que?
    Com esse nome completo, dá para supor que você queira um Acróstico, mas ainda assim preciso saber dos motivos que a “dona” gera.

    Aguardo.

  1010. 1010

    michel said,

    August 1, 2012 @ 1:35 pm

    oi Dalton faltou a frase, poema sobre o nome de uma menina. ela é super meiga, bonita, simpática e amiga. preciso de um poema sobre o nome dela é isso.

    S……
    O….
    F….
    I….
    A….
    E assim vai Dalton. abraços

  1011. 1011

    admin said,

    August 1, 2012 @ 10:03 pm

    Michel. Tomara que a minha pressa não tenha turvado a visão, mas o que consegui de melhor foi isto:

    S obretudo
    O que se defina como beleza
    F ico mudo
    I nibido na minha incerteza
    A o seu mundo

    B em agora
    A qui no meu pobre fundo
    R evigora
    B onita emoção do meu peito
    O nde havia
    S omente um sorriso sem jeito
    A gora anuncia Sofia.

    Boa sorte. Abraços.

  1012. 1012

    michel said,

    August 2, 2012 @ 12:03 am

    Que ótimo!!! Muito obrigado Dalton. gostei muito, muito legal. Aquele Abraço.

  1013. 1013

    aline said,

    August 2, 2012 @ 3:26 pm

    eu quero eu poema de como e a nossa casaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

  1014. 1014

    admin said,

    August 2, 2012 @ 10:36 pm

    Aline:

    Então escreve o que você acha da sua casa e eu mostro como faz pra virar poema.

    Grato pela confiança.
    Dalton.

  1015. 1015

    Fábio Marinho said,

    August 5, 2012 @ 12:13 am

    Grande mestre Dalton…tudo bem???

    Meus colorados estão aprontando, né??…rsrsr

    Tchê, um poeminha pra contemplar o nosso querido Sapiens….

    Abração

    Essa falta que você me faz

    A tua falta eu sinto assim no peito
    que corta ao meio o coração saudoso
    pois a paixão que faz em ti meu pouso
    me traz o gozo em nosso amor ao leito

    Os meus defeitos são por ti curados
    apaixonados num fervor de cura
    com todo amor derretem na ternura
    da vida tua que é meu bem amado

    Nas qualidades que de mim são poucas
    tu fazes loucas em crescer assim
    pois dependente do teu ser, no fim
    me faz viver só te beijar a boca

    Meu doce amor de encantos sorridentes
    meu peito quente sente a dor da falta
    dos teus abraços que ao meu corpo acalma
    mas deixa um trauma que me faz contente

  1016. 1016

    admin said,

    August 5, 2012 @ 11:59 am

    Mais um belo poema, Gaúcho.

    Pode ficar como está, mas ainda reservarei uma possibilidade de reflexão sobre ele.

    Todos os versos são decassílabos Heróicos. O que poderia ser feito com essa estrutura?

    1- Se você tranformar as últimas duas quadras em tercetos, com rimas interligando os últimos, você terá um Soneto Italiano.

    2- Se apenas tranformar a última quadra num dístico, com rimas paralelas, aí você terá um Soneto Inglês.

    Pense nisso. Abraços.

  1017. 1017

    Fábio Marinho said,

    August 6, 2012 @ 9:52 am

    Opa, beleza Dalton…

    Cara, na verdade, quando comecei o poema eu tinha a intenção de fazê-lo como Soneto, até porque fui inspirado pelo novo livro do poetinha, que comprei esses dias. Mas as idéias foram surgindo e sairam quatro quadras.

    Mas beleza. Vou estudar as duas possibilidades.

    Obrigado.

    Abraços
    Fábio

  1018. 1018

    Fábio Marinho said,

    August 7, 2012 @ 12:50 am

    Mestre Dalton….

    Um poeminha pra preencher a noite vazia de segunda-feira.

    Abraços

    Jardim de amores

    O nosso amor é como as flores num jardim
    um colorido encantamento em mil aromas
    em cada cor um sentimento sem ter fim
    no mar pintado desse amor em que me tomas

    Polinizando a sensação em pleno vento
    no pólen que é a semente do meu coração
    abelhas da paixão dispersam sentimento
    num movimento a semear a floração

    Desenvolvendo ao nascimento dessas flores
    crescendo amores no jardim do peito teu
    a florescência da paixão em muitas cores
    desabrochando dentro em mim então cresceu

    O meu jardim cuidado, assim, apaixonado
    regado pelas águas do meu sangue quente
    prospera com você na precaução, ao lado
    das flores dos amores que o destino sente

  1019. 1019

    admin said,

    August 7, 2012 @ 10:11 am

    Alexandrino Gaudério é outro bom nome pro seu poema. O segundo verso da segunda estrofe está um pouco confuso no ritmo 4-8-12, do Alexandrino Romântico porque a tônica caiu em DO, que por ter logo após um MEU, confunde o leitor pela força natural da sílaba seguinte.

    Abraços.

  1020. 1020

    Fábio Marinho said,

    August 7, 2012 @ 10:19 am

    Gostei da sugestão, Dalton: “Alexandrino Gaudério”!! Fica muito bom…

    Pois é, cara, quebrou o ritmo dos outros versos, não é mesmo? Vou ter que modificá-lo. Te mando novamente depois do ajuste.

    Obrigado
    Abraço

  1021. 1021

    Fábio Marinho said,

    August 9, 2012 @ 9:32 pm

    Buenas amigo Dalton…

    Acho que melhora um pouco o segundo verso, assim:

    Polinizando a sensação em pleno vento
    VOANDO O PÓLEN QUE É A SEMENTE EM EMOÇÃO
    abelhas da paixão dispersam sentimento
    num movimento a semear a floração

    Que tu achas???

    Abraços

  1022. 1022

    Fábio Marinho said,

    August 9, 2012 @ 9:33 pm

    Dalton..

    Vamos trocar VOANDO por SOPRANDO…..
    Acho que fica melhor…

  1023. 1023

    admin said,

    August 10, 2012 @ 8:28 am

    Ficou muito bom esse seu “Sopro no Vôo das abelhas emocionais”.

  1024. 1024

    Fábio Marinho said,

    August 11, 2012 @ 1:25 pm

    Dalton…

    Fiz outro alexandrino. Vê o que tu achas, pra mim???

    Grande abraço

    PS – Te confesso que é um prazer diferente fazer poemas sobre samba…eheheh

    No choro com meu cavaquinho

    Meu cavaquinho não aguenta os meus lamentos
    no sofrimento das batidas no chorinho
    e de mansinho ao dedilhar esse instrumento
    eu vou bebendo tristes versos no meu vinho

    Bebericando a poesia do meu samba
    na triste dança das lembranças de você
    o cavaquinho chora firme na esperança
    em que se alcança ao batucar e te querer

    Acompanhado da viola e do pandeiro
    sentindo o cheiro do cangote, apaixonado
    lembrando o jeito da morena em corpo inteiro
    me faz faceiro todo o choro assim tocado

    E do meu lado o cavaquinho a consolar
    e relembrar em cada nota com saudade
    a tenra idade do princípio de te amar
    ao recordar a nossa velha mocidade

  1025. 1025

    admin said,

    August 12, 2012 @ 1:28 pm

    Gaúcho:

    Fizeste um bonito trabalho em Alexandrino Romântico, com uma bela base sonora nas rimas internas, mas não se resuma às construções com somente esse tipo de alexandrino. Exercite também o Clássico, com cadência 3-6-9-12, e Cesura entre os Hemistíquios. Dê uma olhada no que já postei sobre tal tipo de verso, lá no cabeçalho do site.

    Abraços.

  1026. 1026

    Fábio Marinho said,

    August 13, 2012 @ 11:43 pm

    Opa, que beleza, Dalton, obrigado!!!

    Mas, barbaridade, estudarei o mais rápido possível essa possibilidade, sim!!!

    Valeu…

    Abraços

  1027. 1027

    Gabriel said,

    August 14, 2012 @ 11:50 am

    valeu
    muito legal mesmo gente

  1028. 1028

    admin said,

    August 14, 2012 @ 12:10 pm

    Então volte sempre, Gabriel.

    Grato pela visita.
    Dalton.

  1029. 1029

    Fábio Marinho said,

    August 15, 2012 @ 10:54 pm

    Buenas mestre Dalton

    Fiz um soneto esses dias e esqueci de te mandar…
    Vamos ver que nota eu ganho nesse…rsrs

    Abraços

    Soneto aos olhos teus

    No brilho dos teus olhos sorridentes
    Contentes nesse rosto iluminado
    Me sinto tão feliz e apaixonado
    No estado a sufocar o peito quente

    Em frente ao teu olhar mais penetrante
    Radiante atravessando os meus limites
    Eu ando em pensamentos e crendices
    Amando os sentimentos dos amantes

    Tão claros como os raios do luar
    Olhares que devastam amarguras
    Tais cruas inocências de criança

    Embalam e me fitam na esperança
    Nas francas harmonias da brandura
    De cura e movimento de te amar

  1030. 1030

    admin said,

    August 16, 2012 @ 10:28 am

    Que delícia, Fábio!

    O médico que presenciou o seu nascimento devia ter algum fórceps em forma de Lira no ferramental.

    As Rimas de Eco fluindo naturalmente o comprovam.
    Abraços.

  1031. 1031

    Fábio Marinho said,

    August 16, 2012 @ 5:22 pm

    Bahhh, mas assim eu vou ficar nojento, cara…eheheh (Brincadeira…rsrs)

    Po, muito obrigado pelo elogio, Dalton. Procuro seguir à risca teus ensinamentos. Eu não passo de um curioso teimoso apaixonado pelas formas de arte. E os poemas só vieram completar mais um dos espaços vazios que preciso preencher em mim.

    Obrigado por tudo.

    Abraços

  1032. 1032

    andressa said,

    August 18, 2012 @ 12:04 pm

    minha diretora dise q e para eu esplikar como faz um poema e eu nao sei e se eu nao levar eu levo suspensao kkkkkkkksssssss por favor me ajudem persiso muito de ajuda obrigada Bj chau

  1033. 1033

    admin said,

    August 18, 2012 @ 8:29 pm

    Andressa:

    Posso ajudar sim, mas primeiro preciso saber em que ano você está.
    Dalton.

  1034. 1034

    Gabriel Rodrigues said,

    August 21, 2012 @ 11:44 pm

    Meu Lazer

    esporte cheio de emoção
    que com muita empolgação
    gera muita diversão
    com sua tradição

    goleado de amor
    es brilhante
    muito emocionante
    es minha paixão

    por fim
    tudo que escrevi
    é especial
    pra mim.

    bem, eu tentei mais não sei se tá bom queria uma resposta.
    quem poder responder obrigado.

  1035. 1035

    emanuelle said, said,

    August 22, 2012 @ 10:15 am

    olá vc poode min ajudar com o meu poema?

  1036. 1036

    admin said,

    August 22, 2012 @ 10:31 am

    Gabriel:

    Para um iniciante nos poemas, você foi muito bem. Tente apenas não repetir o mesmo som nas rimas, como você fez com o ÃO na primeira estrofe.
    Caso não saiba, no cabeçalho das páginas do site tem um endereço chamado Ciência Poética. Procure nele o que já postei sobre Rimas e bom estudo.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  1037. 1037

    admin said,

    August 22, 2012 @ 10:33 am

    Posso sim, Emanuelle:

    Sobre o que você que escrever no poema?

    Escreva um texto qualquer que eu mostro como transformá-lo em poema. Está bem assim?

    Volte, que estou esperando.
    Dalton.

  1038. 1038

    livia said,

    August 23, 2012 @ 9:17 am

    quem tem uma ideia pra mim fazer um poema de rimas com o titulo (o lugar onde eu moro) thau amanha vou visitar esse site

  1039. 1039

    admin said,

    August 23, 2012 @ 9:22 am

    Livia:

    Escreva alguma coisa sobre o lugar onde você mora, coloque o texto aqui e eu mostro como transformá-lo em poema. Tá bom assim?
    Dalton.

  1040. 1040

    Maria Eduarda said,

    August 23, 2012 @ 7:16 pm

    Preciso de uma poesia pra as olimpiadas de portugues com o assunto “o lugar aonde vivo” ,fiz um mais nao sei se ficou legal..
    Diversão em Tubarão

    aqui em Tubarão
    devemos ter atenção
    pois tem muito ladrão
    não devemos dar mole não

    mas também temos diversão
    as mulheres fazem compras
    os homem só fazem confusão
    não fiz_______

    também temos o quartel
    la tem ate tanque de guerra
    só não tem mel
    no meio de tanta terra

    OBS: Tubarão é o nome da minha cidade.

  1041. 1041

    admin said,

    August 24, 2012 @ 7:31 am

    Maria Eduarda:

    Dá para brincar legal com o nome da cidade:

    A cidade de Tubarão
    Foi feita para nós
    E não para tu, barão
    Que tenta mandar pela voz

    Tubarão foi feita pra galera
    Que se diverte no dia-a-dia
    Tranquilo, ou na fila de espera
    Tendo a companhia da alegria

    Muitas razões eu teria
    Para exaltar Tubarão
    Mas minha emoção só diria
    Tubarão não é para tu, Barão.

    Não sei se era isso que o você queria, mas serviu ao menos para brincar com o trocadilho. Boa sorte.
    Dalton.

  1042. 1042

    geovana said,

    August 26, 2012 @ 8:29 pm

    Eu gostaria de um poema que falasse sobre a cidade onde vivo: Gama. Obrigada.

  1043. 1043

    admin said,

    August 27, 2012 @ 9:42 am

    Geovana:

    Escreva aqui um texto seu sobre a cidade que eu mostro como transformar em poema. Grato.
    Dalton.

  1044. 1044

    geovana said,

    August 27, 2012 @ 11:23 am

    O poema que eu quero fazer é assim:
    G
    A
    M
    A
    só que não tenho nenhuma ideia de frase. Teria como você me mandar até 11:30 que é pra minha escola.
    Grata.

  1045. 1045

    paola said,

    August 27, 2012 @ 12:29 pm

    um poema tem que ter ritmo
    e o que vir do fundo de seu coração você escreve
    qualquer pessoa é capas de escrever e inventar uma poesia

  1046. 1046

    beatriz said,

    August 27, 2012 @ 12:44 pm

    meu país tem vários amigos
    não tem amigo a faltar
    quando vou dormir
    eu já começo a sonhar

    essa estrofe ficou bom?,espero as respostas

  1047. 1047

    paola said,

    August 27, 2012 @ 12:47 pm

    como que eu posso fazer uma poesia

  1048. 1048

    admin said,

    August 27, 2012 @ 8:00 pm

    G ama
    A gradece e
    M erece
    A menina Geovana

    É isso que você quer, Geovana? Um Acróstico?

  1049. 1049

    admin said,

    August 27, 2012 @ 8:10 pm

    Paola:

    Existem diferenças entre Poesia e Poema. A primeira se refere a algo Belo e o segundo a um estilo de descrição por texto, com certas regras na construção, inclusive, a do Ritmo Poético, que é definido pelas posições das sílabas tônicas nos versos.
    Esse texto que você escreveu é uma bonita Poesia, mas não um Poema.

    Grato pela visita e, caso queira aprender a fazer poemas, estarei à sua disposição.
    Dalton.

  1050. 1050

    admin said,

    August 27, 2012 @ 8:15 pm

    Beatriz:

    A estrofe ficou quase boa. No cabeçalho do site tem um endereço chamado Ciência Poética. Caso lhe interesse, dê uma lida nos temas Métrica e Ritmo Poético.

    Grato pela visita e bom estudo.
    Dalton.

  1051. 1051

    geovana said,

    August 27, 2012 @ 10:42 pm

    Fiz essa daqui também só que não sei se ficou legal:
    Minha cidade
    Minha cidade é grande e bonita
    Tem ruas e avenidas
    Por onde ando há vida.

    Existem pessoas na minha cidade
    Que as vezes não as entendo
    Algumas querem prosa e outras poemas
    E vira aquela bagunça danada.

    E no embalo dessa cidade
    Vou levando a vida
    E buscando todo dia algo diferente
    Onde só encontramos na gente.

    Já sinto saudades daqui
    Saudades que talvez possam vir.

  1052. 1052

    geovana said,

    August 27, 2012 @ 10:55 pm

    Esse poema acima que eu fiz não gostei muito mais vou mandar algumas características do Gama talvez possa fazer um poema legal:

    Em agosto de 1746, o bandeirante Antônio Bueno de Azevedo saiu de Paracatu, em Minas Gerais, chefiando uma grande tropa rumo ao noroeste. Depois de ter atravessado chapadas, rios, veredas e ribeirões, chegou, no dia 13 de dezembro, num riacho em cujas areias descobriu ouro. A decisão foi de fundar ali um povoado, o qual recebeu o nome de Santa Luzia, em homenagem à santa do dia. O riacho ficou conhecido como Rio Vermelho, já que tinha suas águas sempre barrentas por causa da lavagem do ouro. O povoado de Santa Luzia se transformou no que é hoje a cidade de Luziânia, em Goiás.
    No começo de 1747, chegou, a Santa Luzia, o primeiro sacerdote, a pedido do próprio Bueno: o padre Luís da Gama Mendonça. Supõe-se que, em homenagem ao padre, foi dado o nome “Gama” ao platô e ao ribeirão. As terras que hoje constituem a região administrativa do Gama, na qual se localiza a cidade do Gama, pertenciam às fazendas do Ipê, Alagado da Suzana, Ponte Alta e Gama.
    [editar]Criação
    Com a transferência da capital do Brasil para o interior do país, as terras dessas quatro fazendas foram desapropriadas pelo Governo de Goiás, no período de 1956 a 1958, sob responsabilidade da Comissão Goiana de Cooperação para a Mudança da Capital do Brasil, tendo, por presidente, Altamiro de Moura Pacheco.
    A sede da Fazenda Gama ficava próxima ao local onde hoje está o Catetinho (primeira residência oficial de Juscelino Kubitschek), porém a cidade veio a ser instalada a oito quilômetros deste ponto de referência. O então presidente da república Juscelino Kubitschek visitou a Fazenda Gama em 02 de outubro de 1956, na ocasião de sua primeira visita à região onde seria construída a futura capital federal.
    A cidade, assim como as outras, foi criada para alojar as pessoas residentes em invasões ou núcleos populacionais provisórios, solução encontrada para abrigar o excedente populacional em virtude da construção de Brasília, surgindo, então, as denominadas “cidades-satélites”, conforme a Lei Número 3 751, de 13 de abril de 1960.
    O arquiteto Paulo Hungria, em maio de 1960, desenvolveu a planta urbanística da cidade, na forma de colmeia, dividindo-a em cinco setores: Norte, Sul, Leste, Oeste e Central. O Setor Central (para atividades mercantis) não foi detalhado em função das necessidades futuras. Porém, coube ao engenheiro José Maciel de Paiva, por ordem do então prefeito Israel Pinheiro (ex-presidente da Novacap), instalar um núcleo pioneiro e promover as primeiras transferências, iniciadas a partir de setembro de 1960. Foi auxiliado pelo engenheiro José Carlos Godoy, pelo fiscal Agnelo Dias Correia (que juntamente com sua mulher são considerados os moradores pioneiros da cidade), pelo mestre-de-obras Joaquim Santana, entre outros. A então cidade-satélite foi fundada no dia 12 de outubro de 1960. O povoamento inicial foi efetuado com a remoção de 30 famílias residentes na Barragem do Paranoá, em 1960. Posteriormente a cidade recebeu grande parte dos morades da Vila Amaury e da Vila Planalto. Em 1970, foram transferidos os habitantes instalados no Setor de Indústria de Taguatinga.
    Hoje, é uma cidade em rápido desenvolvimento, com uma economia cada vez mais independente de Brasília, com destaque para a construção civil.
    Gama hoje possui cerca de 127.121 habitantes (PDAD 2010/2011).
    O padroeiro da cidade é São Sebastião, cuja festa litúrgica se dá em 20 de janeiro.
    [editar]Subdvisões

    O Gama foi projetado para ter cinco bairros, sendo que cada um com uma especialidade difere