Aprender a Fazer Poemas

ver – > http://mpbsapiens.com/construindo-o-poema/
e mais isto:  http://mpbsapiens.com/como-fazer-poema-com-rimas/

Vejo muitos leitores querendo aprender a construir os seus textos em versos, em estrofes, enfim, em poemas.

A Você, leitor que queira aprender a fazer Poesia, abro aqui um espaço destinado ao aprendizado do assunto.

Usem os comentários abaixo, escrevam suas dúvidas e verão que é bem mais fácil do que parece.

Boa Sorte!

Ver  http://mpbsapiens.com/como-fazer-um-verso-licao-1/
Ver também http://mpbsapiens.com/aprender-a-fazer-poemas-2/
    a
  del.icio.us isto!

808 Respostas até o momento »

  1. 1

    tamires de cassia silva da cruz said,

    May 13, 2009 @ 7:19 pm

    eu acho que poemas e uma boa coisa para as pessoas se espirarem

  2. 2

    admin said,

    May 13, 2009 @ 7:30 pm

    Tamires:

    Se todas as pessoas usassem os poemas para escrever os sentimentos que as inspiram o mundo seria bem menos violento. Caso você queira saber mais sobre poemas e não enteja entendendo o que escrevi, me pergunte que respondo com prazer.
    Obrigado pela visita

  3. 3

    Jessica said,

    July 26, 2009 @ 2:42 pm

    As vezes me sinto livre pra expressar oq penso com o papel e a caneta….
    São pensamentos e sentimentos meus,junto todos que sinto no momento e escrevo fazendo rimas…Tenho vários…
    Isso seria poema?

  4. 4

    admin said,

    July 26, 2009 @ 7:25 pm

    Jessica.

    Isso seria o que chamamos por Mote da Poesia. A Poesia é a expressão natural e espontânea da Arte. As rimas servem tanto ao poema quanto à prosa.
    Eu precisaria ver algo escrito por você para melhor definir o seu texto.
    Você pode colocar aqui?
    Prometo que só deixarei aparecer no site o que você quiser que apareça.
    Mande um texto, que avalio e lhe respondo por email, se assim preferir.

  5. 5

    Jessika said,

    July 28, 2009 @ 10:28 pm

    Assim que eu puder…eu escrevo aqui um deles….
    Obrigadaa

  6. 6

    Nivaldo Carvalho said,

    August 7, 2009 @ 1:01 pm

    Muitas vezes quando não tenho nada pra fazer eu sinto vontade de criar um poema também quando leio um livro eu sinto vontade de criar um poema!
    quando eu escrevo eu sempre fico em duvida se um poema e preciso ter rimas?
    o q e preciso para criar um um poema!!!

  7. 7

    admin said,

    August 7, 2009 @ 4:07 pm

    Nivaldo:

    Você tem os dois ingredientes poéticos fundamentais para escrever o poema:

    1- O chamado Ócio da Criação, comum aos grandes poetas, que tiram pérolas do Nada:

    …E às vezes largo o afazer
    Me ponho em sonho a navegar
    Com o nome Paciência
    Vai a minha embarcação
    Navegando com o tempo
    E tendo igual destinação…

    (O Xote da Navegação – Chico Buarque)

    2- O chamado Mote, que é o motivo para escrever um poema, facilmente localizado num texto de livro.

    Quanto ao poema resultante, basta que você disponha o seu pensamento num texto em versos. O comprimento, o ritmo e a rima, regras da Ciência Poética, são optativos. Você segue ou não. Caso queira seguí-los encontrará por aqui todos os ingredientes necessários. Conte comigo.

    Boa Sorte!

  8. 8

    Nivaldo Carvalho said,

    August 7, 2009 @ 8:00 pm

    valeu!

  9. 9

    Nivaldo Carvalho said,

    August 8, 2009 @ 1:27 pm

    olha esse poema!!!

    como e grane o meu amor por você
    Barbara, toda noite antes de dormi eu
    penso em você
    estava esperando ansioso o começo
    das aulas pra min ver-la e marta a saudade
    esse sorriso de princesa.
    eu nunca pense que ia ficar com essa vontade
    de ir pra escola. e igual ao “MICHAEL JACKSON”
    inesquecível, a “TIM” sem fronteiras, o “BRADESCO”
    completo! e o “DNA” único.

  10. 10

    admin said,

    August 10, 2009 @ 8:46 am

    Nivaldo:
    É um poema tirado do fundo do coração. A saudade da mulher amada, Bárbara, dos momentos, que só vocês dois sabem e viraram segredos…

    Para um começo está bom, mas o primeiro conselho que lhe dou está na atenção com o texto. Vou escrever de novo, já com as correções, e explico depois:

    Bárbara
    Como é grande o meu amor por você
    Toda noite, antes de dormir
    Eu penso em você
    Estava esperando ansioso o começo das aulas
    Para vê-la e matar a saudade
    Desse sorriso de princesa

    Eu nunca pensei
    Que ía ficar com essa vontade de ir pra escola
    É igual ao Michael Jackson
    Inesquecível
    Como a TIM sem fronteiras
    E o BRADESCO completo
    Você é o meu DNA único.

    Pode ver que mexi pouco no texto. Escrevi algumas palavras corretamente, e coloquei os versos mais na ordem de poema. Não sei em que série da escola você está, mas fica de olho nas aulas de Português, principalmente na matéria sobre Períodos Sintáticos. Lá você vai ver que eles se dividem em ORAÇÕES. Preste atenção na jogada. Basta colocar cada ORAÇÃO como verso, prestar mais atenção ao escrever as palavras do texto e correr pro abraço.
    Não tem erro: Mulher adora quando o homem escreve direitinho, pode crer.

    Vai Firme!

  11. 11

    julia said,

    September 14, 2009 @ 8:31 pm

    preciso de ajuda urgente!!!!
    eu tenhu q faze uma poesia para um concurso mais nao sei como.
    quem pode me ajudar??
    o tema é: biblioteca voe nas asas da imaginaçao
    desde já agradeço

  12. 12

    admin said,

    September 14, 2009 @ 9:34 pm

    Julia:

    O tema é interessante, mas preciso de maiores informações, como quantidade de versos, tempo disponível, etc.
    Caso queira, estou por aqui.

  13. 13

    jenifer said,

    October 4, 2009 @ 1:55 pm

    como faço da onde iro a ideia de fazer um poema

  14. 14

    admin said,

    October 4, 2009 @ 4:40 pm

    Jenifer:

    Basta escrever o texto sobre o qual deseja tratar em forma de versos. Todos os demais atributos da Ciência Poética dependerão da sua vontade em aplicá-los ou não.

    Ajudam, mas não são necessários.

    Grato pela visita e conte comigo.

  15. 15

    CARLE said,

    October 6, 2009 @ 7:59 pm

    COMO EU CARLE POSSO FAZER UM POEMA

  16. 16

    admin said,

    October 6, 2009 @ 8:37 pm

    Carle:

    Primeiro você precisa de um motivo para escrever um texto. Encontrado o motivo, basta escrever o texto dispondo o conteúdo em versos.

    As regras da Ciência Poética só se aplicam caso você queira usá-las, e para isso sugiro estudar um pouco de Estrofação, Métrica, Ritmo Poético e Rimas. Tem todos esses ítens no site. Caso precise de ajuda, basta perguntar que respondo.

    Boa Sorte.

  17. 17

    Bruno said,

    October 16, 2009 @ 8:18 pm

    Oi… Eu estou precisando fazer um poema ainda não sei um tema, e até agora não me veio nenhum na cabeça você pode ajudar a pensar em um tema legal .

  18. 18

    admin said,

    October 16, 2009 @ 9:27 pm

    Bruno:

    Que tal falar sobre o Poeta Sem Assunto? Vou mandar uma entrada em Redondilhas Maiores:

    Verso-é difícil de vir
    Quando-a cabeça reclama
    Um assunto para-agir
    Ao redor da minha cama

    Penso no-amor e insisto
    Com esse meu redondilha
    Porque a poesia é isto:
    A solidão de uma ilha…

    Daí pra frente você continua falando da falta de assunto, cujo encontro, ou desencontro, é sempre um conto de amor sem ponto final para o poeta. Ok?

    Boa Sorte e Abraços.

  19. 19

    Bruno said,

    October 16, 2009 @ 9:35 pm

    obrigado ajudou muito…..

  20. 20

    gabi said,

    October 21, 2009 @ 5:06 pm

    Um poema , sefor lido .somente para saber oque esta escrito .jamais será um poema lido .
    iria le-lo como apenas um texto ou algo assim .
    ele deve ser lido com sentimento ,ate porque se leres algo e nao aompreender oque esta lendo .voce nao esta lendo ,e sim olhando .;
    para voce ler ,compreender e entender um poemas .
    nao junte somente letras e forma palavars .
    leia como se fosse a pagina de sua vida .

  21. 21

    admin said,

    October 21, 2009 @ 5:51 pm

    Você tem razão, Gabi. Não basta escrever, ou só ler um poema, principalmente porque a Poesia nasceu antes do Alfabeto. O melhor é sempre ler o poema em voz alta, porque a Sílaba Poética pertence muito mais à fala do que à escrita.
    Obrigado pela visita e volte sempre.

    Dalton

  22. 22

    Priscila said,

    October 26, 2009 @ 8:08 pm

    Oi Admin
    Eu adoro escrever, e gostaria muito de escrever poemas e poesias, para criar um álbum de poemas e poesias para os amigos mais chegados já escrevi vários, porém tenho duvidas se realmente são poemas e poesias ou textos sem muito fundamento.
    Gostaria que você me ajudasse a esclarecer essa situação, vou te mandar um poema e uma poesia, por gentileza me ajude.

    dede já agradecida

  23. 23

    Priscila said,

    October 26, 2009 @ 8:10 pm

    Alma gêmea
    Diz à mitologia que quem ama, não peca.
    E quem demonstra amor apaga mil pecados passados
    Disse um sábio: Cada pessoa tem uma alma gêmea
    Explica o sábio, que esse é o motivo de tantos desencontros.
    Vi distante uma pessoa chorando…
    Um anjo falando: Nem que passe cinco, dez, quinze anos
    Almas que se amam um dia se descobrem.

  24. 24

    Priscila said,

    October 26, 2009 @ 8:13 pm

    Vida

    Vida alienada essa!
    Que vibra, alucina,
    Vida que passa…
    Vida que é para ser vivida…
    Ser sentida, absolvida.
    Era para ser assim, porém!!!
    Vida trabalhosa, prazerosa,
    Aos olhos dos vizinhos.

  25. 25

    Priscila said,

    October 26, 2009 @ 8:15 pm

    Espelho
    Observei um menino navegar em uma balsa
    O mar estava bravo e o céu nubloso
    O menino não tinha expressão de medo

    Ele continuava ali sobre aquela balsa olhando o vendaval
    Seu olhar era intenso e me congelava a alma
    Suas mãos seguravam com tremenda força as cordas da balsa
    E seu corpo de menino imaturo balançava contra as ondas das águas

    O vento soprou suave, as águas se abrandaram
    O menino chegou ao lugar desejado
    Esse menino é um espelho para nossa vida neste mundo
    Temos metas e dificuldades, de dois caminhos um a ser seguido:

    Desistir e deixar que as ondas de problemas nos arrastem
    Ou olhar firmemente sem medo para a meta que traçamos
    Sermos um sonhador conquistador de realidades
    Ou ser realidade de um sonho naufragado.

  26. 26

    admin said,

    October 26, 2009 @ 9:31 pm

    Oi Priscila!

    Meu nome é Dalton, o Admin. Pelo que pude entender você quer esquadrejar os textos dos seus pensamentos na forma de poemas.
    Pode fazê-lo de duas formas:

    1- Essa, original, que surge da espontaneidade momentânea, conhecida como Verso Livre.
    2- Nos moldes da Ciência Poética, que tanto na Versificação Regular, quanto na Irregular, obedece a certas regras de construção poética, tais como Métrica, Cadência, Estrofação e Rimas.

    Ambas as formas têm a sua beleza própria. A primeira, pela explosão textual direta, e a segunda, que procurando não manchar muito à inspiração da primeira, esquadreja o pensamento pelas regras da Versificação escolhida.

    Com base nesta minha resposta, escolha o que pretende fazer com os poemas apresentados, e abrirei uma postagem especial para o estudo deles, na base da sugestão minha e da resposta sua, o que permitiria aos demais leitores o acompanhamento da matéria. Fica bom assim pra você?

    Aguardo a sua resposta ok?

  27. 27

    Priscila said,

    October 27, 2009 @ 7:57 pm

    Oi Dalton…
    Você entendeu exatamente o que eu quis escrever.
    Eu gostaria sim de fazer de alguns de meus pensamentos poemas, mas o que acontece é que eu gostaria de deixá-los mais bonitos com jeito de poemas científicos para que não ficasse tão gritante que é um pensamento meu.
    Mas por gentileza me fale se estou no caminho certo ou tenho que mudar muito até obter o resultado que desejo, ah! E se você puder transformar um deles para a forma correta, sinta-se à-vontade para refazê-lo.
    Estou muito feliz com sua ajuda e presteza.
    Agradecida

  28. 28

    admin said,

    October 27, 2009 @ 8:24 pm

    Priscila:

    Abrirei então uma postagem com o nome “Construindo o Poema”, onde agirei em um deles e explicarei o que fiz, no que se refere às regras da Versificação. Ainda hoje é impossível, mas amanhã cedo terei um tempo maior.

    Até Lá.

  29. 29

    admin said,

    October 28, 2009 @ 9:41 am

    Pronto Priscila:

    Conforme o combinado, sobrou um tempinho e o seu poema já foi postado na página principal. Estude o tema, tente o mesmo com os demais poemas e, caso precise de ajuda, basta chamar, ok?

    Boa Sorte, Poetisa!

  30. 30

    Priscila said,

    October 28, 2009 @ 12:44 pm

    Dalton…
    Amei a postagem que você criou e a forma carinhosa como versou o meu poema, com certeza surgirão novas duvida e pedirei a sua ajuda, mas irei estudar bastante as regra que você ensinou.

    Desde já agradecida

  31. 31

    admin said,

    October 28, 2009 @ 3:07 pm

    Priscila:

    Fico feliz que tenha gostado. Exercite nos novos poemas, volte aqui para tirar dúvidas e, sempre que puder, passe as regras da Ciência Poética a novas pessoas interessadas. Se, hoje, já não temos mais grandes letristas na MPB, foi porque um dia paramos de ensinar Versificação nas escolas.

    Volte Sempre.

  32. 32

    andreia vieira said,

    October 29, 2009 @ 2:50 pm

    legal

  33. 33

    admin said,

    October 29, 2009 @ 3:02 pm

    Então volte sempre, Andreia.

    Grato pela visita.
    Dalton.

  34. 34

    Jully helem said,

    October 30, 2009 @ 4:10 pm

    eu quero aprender a fazer poesia mas nao sei como

  35. 35

    Jully helem said,

    October 30, 2009 @ 4:21 pm

    olhe minha poesia….

    Minha cidade
    .minha cidade e bela
    e mesmo especial
    eu gosto muito dela
    e tudo muito legal

    la tem muita coisa legal
    alegria e felicidade
    outra nao tem igual
    assim e minha cidade.

    voces gostaram da minha poesia

  36. 36

    admin said,

    October 30, 2009 @ 5:39 pm

    Jully:

    Sua cidade é muito bacana. Tem Rimas Alternadas. Tem versos com Métricas quase iguais. Você diz que não sabe fazer poemas, mas já tem um quase pronto. Posso ajudá-la em que? Ajustar a Métrica do poema?

    Fico aguardando a sua resposta.
    Dalton.

  37. 37

    Leandro said,

    November 9, 2009 @ 8:12 pm

    Às vezes, quando acontece algo na minha vida, até mesmo em momentos de tristeza, surgem palavras na minha mente e eu sinto a necesidade de colocá-las num papel você acha q eu posso criar poesias com isso???

  38. 38

    admin said,

    November 9, 2009 @ 9:54 pm

    Claro Leandro!

    O motivo para escrever, que é o grande problema de quem quer aprender a fazer poemas, você já tem. Basta colocar as partes do pensamento em versos e, caso queira transformar o rascunho num poema com regras, me procure novamente, que terei o maior prazer em ajudá-lo.

    Dalton.

  39. 39

    Leandro said,

    November 10, 2009 @ 4:56 pm

    Então depois eu vou postar alguns poemas de minha autoria aqui.
    Obrigado pela ajuda.

  40. 40

    admin said,

    November 10, 2009 @ 5:34 pm

    Certo Leandro.

    Fico aguardando.

    Dalton.

  41. 41

    Fellype Santos said,

    November 11, 2009 @ 1:45 pm

    meu nome é Fellype Santos tenho 15 anos

    queria saber si isto é um poema

    O que sinto é diferente
    É amor de corpo e mente
    Me deixa sofrendo
    Deixa-me tranqüilo
    Querendo você aqui comigo

    Para sempre do seu lado
    Quero estar
    Para assim poder te amar

    poderia mi explicar?

  42. 42

    admin said,

    November 11, 2009 @ 2:17 pm

    Fellype:

    É um poema sim, quase correto quanto às regras da Versificação. Com poucas mudanças fica exato, assim:

    O que sinto é diferente
    É amor de corpo e mente
    Que me deixa sofrendo
    Mas me deixa tranquilo
    Tendo você comigo

    Sempre ao seu lado
    Eu quero estar
    Para assim
    Poder te amar

    Tem algumas outras coisinhas pra ajustar nas rimas, mas do jeito que fiz ficou um Poema Irregular, por ter versos com diferentes comprimentos, mas todos com parceiros na Métrica.

    Era isso que você queria? Se precisar mais é só chamar.

    Dalton.

  43. 43

    taina michelly said,

    November 19, 2009 @ 11:03 am

    eu queria poder fazer um poema penso em ser uma grande escritoraa

  44. 44

    admin said,

    November 19, 2009 @ 11:21 am

    Taina:

    E eu faço gosto que você aprenda a fazer poemas e seja uma grande escritora. Você já deu um grande passo para isso, pois já ganhou a vontade de escrever.

    Escreva algo e me mande, que em seguida mostrarei como se transforma um texto simples em poema. Pode ser assim?

    Se preferir deixar o texto meio em particular, me mande direto para o email – tonbarsan@hotmail.com – que responderei em seguida.

    Boa Sorte!
    Dalton.

  45. 45

    Leandro said,

    November 20, 2009 @ 1:26 pm

    Oi Dalton eu te disse q ia postar um poema aqui e la vai

    Um dia te admirando
    Tentei te definir
    Não sei ao certo o que
    No momento eu senti.

    Em você eu vi o por do sol
    Que se vai ao fim de tarde
    E volta no dia seguinte
    Trazendo-me luz e calor.

    Quando se vai
    Eu fico no escuro e com frio
    Mas quando volta
    Me Ilumina, meu coração se aquece
    Com o seu calor
    Que vem do mais puro amor.

    O que você acha? Será que um dia eu posso chegar a escrever um livro?
    Nunca pensei que escrever poemas fosse tão facil, eu tenho mais poemas só que não vou postar mas te mostro poa e-mail.

    Obrigado Dalton por tudo VALEU.

  46. 46

    admin said,

    November 20, 2009 @ 2:31 pm

    É isso aí Leandro.

    A idéia é bonita e você mandou bem nos versos.

    Tenta olhar para as Rimas com mais carinho. Te respondo melhor por email, ok?

    Dalton.

  47. 47

    Hi... said,

    November 25, 2009 @ 6:20 pm

    eu queria fazer poemas com o dia a dia das pessoas ou mim mesmo como eu poderia fazer isso…

  48. 48

    Hi... said,

    November 25, 2009 @ 6:28 pm

    Valeu Leandro eu vi o seu poema e tirei minha duvida. Consegui tirar essa duvida mesmo…

    Obrigaduuuuuuu………

  49. 49

    admin said,

    November 25, 2009 @ 8:24 pm

    Então volte quando quiser, Rafael

    Dalton – Administrador.

  50. 50

    Ruana said,

    December 6, 2009 @ 12:04 am

    sabe nas minhas poesias eu tenho mais facilidade de fazer quando eu estó triste
    pq eu sinto algo forte então minhas poesias é mais sobre amor mais eu sempre fasso com palavras tristes eu queria ajuda de vc’s para saber como eu posso colocar palavras bonitas

  51. 51

    admin said,

    December 6, 2009 @ 8:17 am

    Ruana:

    Todo poema é uma reação a algum sentimento do poeta, seja triste ou alegre.

    Tivemos na MPB poetas que escreveram sobre os sentimentos de tristeza amorosa, de amor, de revolta, de sátira etc; mas todas as músicas foram descrições de sentimentos, ou fotografias de situações.

    Para compor poemas mais alegres, sugiro a você começar a escrever sobre possíveis situações engraçadas que observou no seu dia-a-dia. Transforme os textos em versos e você perceberá que é capaz de fazer poemas sobre qualquer sentimento.

    Quanto às palavras bonitas, cabem em qualquer um desses poemas, mas um dicionário ajuda.

    Faça alguns poemas e os coloque aqui para analisarmos. Só posso ajudá-la mais convictamente se tiver um poema na minha frente. Creio que essa forma seja a melhor para nos entendermos.

    Fico aguardando a sua resposta, ok?

    Dalton.

  52. 52

    Leandro said,

    January 12, 2010 @ 10:21 pm

    Oi Dalton voutei
    eu tinha desanimado em fazer poemas pensei q tinha perdido o dom de faze-los quando perdi a minha inspiração (uma garota) mas o desanimo passou e eu quero voutar a fazer uma das coisas q mais gosto escrever
    e su queria saber como transformo um rascunho num poema com regras
    então é só deseje sorte….
    valeu…fica com Deus

  53. 53

    admin said,

    January 13, 2010 @ 2:38 am

    Leandro:

    Veja o que fiz com o seu texto:

    Oi Dalton, voltei
    Eu tinha desanimado
    Em fazer poemas
    Pensei que tinha perdido
    O dom de poder fazê-los
    Quando perdi a razão
    Da garota inspiradora

    Mas o desânimo passou
    E eu quero voltar a fazer
    Uma das coisas que mais gosto
    Que é poder escrever

    Eu só queria saber
    Como transformo um rascunho
    Num poema com regras e tal
    Legal, me deseje sorte
    Valeu e fica com Deus.

    Mexi pouco, mas deixei com algum Ritmo. Não preocupei muito com a Métrica, um pouco com as Rimas e surgiu um rascunho de poema.

    Todo texto é formado por um pensamento escrito no que a Língua Portuguesa chama de Orações. O segredo é separá-las na forma de versos, sem fugir muito da gramática, para conseguir um rascunho de poema, que pode ser melhorado ou não pelas regras da Versificação que citei acima.

    O segredo é esse Leandro. Pega firme que você leva jeito, pois, afinal, a vida não se resume a uma só garota. Seria uma injustiça com as outras se pensássemos assim.

    Valeu.
    Dalton.

  54. 54

    LUCYARA ALVES said,

    January 20, 2010 @ 3:05 pm

    OLÁ

    EU NÃO SEI DENOMINAR O QUE ESCREVO É PRECISO DA SUA AJUDA.

    QUANDO ACONTECE ALGUMA COISA MUNDO DE GRANDE REPERCURSÃO , TANTO BOA COMO RUIM OU QUANDO ASSISTO UM FILME QUE MUITO ME EMOCIONA EU ESCREVO ALGO COMO UM DESABAFO DE TUNTO QUE ESTOU SENTINDO, QUANDO ESTÁ PRONTO FICA TÃO GOSTOSO DE LER POIS TEM RIMAS E O LEITOR SEMPRE ME DIZ QUE A LEITURA O FAZ REFLETIR …

    O QUE É ? qual a denomiação ?

    obrigada
    Lu Alves

  55. 55

    admin said,

    January 21, 2010 @ 9:22 pm

    Lu:

    Você é um tipo de escritor conhecido pelo nome de retratista, que fotografa o evento e o descreve de forma artística, mesmo sendo numa Prosa Rimada. Alguns, depois de um tempo, acabam virando poetas, outros apenas seguem nessa forma descritiva.

    Procure a letra da composição Procissão, do Gilberto Gil, e entenderá do que estou falando, mas, independente disso, não perca esse dom. Escreva sempre.

    Boa Sorte!
    Dalton.

  56. 56

    LUCYARA ALVES said,

    January 22, 2010 @ 3:09 pm

    posso te mandar um dos meus textos para analisar e me dizer o que acha ?

    mando para qual email?

  57. 57

    admin said,

    January 22, 2010 @ 8:04 pm

    Lucyara:

    Claro que pode. Demorarei alguns dias para responder porque estou fora de casa, mas tão logo chegue, lhe respondo. Mande para o email tonbarsan@hotmail.com.

    Dalton.

  58. 58

    cleonice maria de almeida said,

    January 26, 2010 @ 5:02 pm

    Hoje o meu pensamento eleva-se e o meu viver é intensifica-me.Não vou queixar do meu passado,do que não deu certo,nem daquilo que deixei de fazer.Mas quero oferecer a todas as pessoas o meu ombro amigo,para que possam contar comigo.Quero oferecer amor ,a todas as pessoas que convivem comigo.

  59. 59

    leticia said,

    February 27, 2010 @ 1:40 pm

    eu gostaria de aprender a faser um poema romantico.

  60. 60

    admin said,

    February 27, 2010 @ 5:02 pm

    Leticia:

    Escreva, ou encontre, um texto que você considera romântico e coloque-o aqui nos comentários. Transformarei o texto em poema e explicarei o que fiz. Pode ser assim?

    Fico no aguardo.
    Dalton.

  61. 61

    Jhonathan said,

    March 2, 2010 @ 11:10 pm

    quero aprender fazer poemas pra eu fazer pra uma menina que vai completar anos e o tema é aniversario, gostaria que você me desse umas digas pra eu fazer uma bem lindo pra ela !
    se me ajuda eu agradeço muito…

  62. 62

    admin said,

    March 3, 2010 @ 8:28 am

    Jhonathan:

    Lendo o seu comentário, me veio na cabeça uma jogada que costuma dar certo: – A do amor que começou bem antes dos dois nascerem e que continuará para sempre.

    Tente pensar em alguma coisa assim e escreva o seu pensamento. Feito isso, coloque ele aqui que o transformamos em poema. Você vai ver que é bem fácil.

    Fico no aguardo.
    Dalton.

  63. 63

    Bruninha said,

    March 9, 2010 @ 8:31 pm

    eu pressiso fazer um poema agora e nao sei com e um poema de amizade

  64. 64

    Poeta said,

    March 16, 2010 @ 9:22 pm

    Eu acho que ser um poeta , é liberar-se ,escrever no papel o que voce sente naquele momento e ser quem voce realmente é, Seja um poeta.

    Ester Maciel 9 anos Maae-RJ

  65. 65

    Poeta said,

    March 16, 2010 @ 9:22 pm

    sinto muito pelo erro
    o certo é Macae

  66. 66

    admin said,

    March 16, 2010 @ 9:39 pm

    Ester:

    Concordo com você, quando diz que o poeta descreve o seu momento em versos. O principal ele ja fez, mas se quiser deixar bem bonito, usa a Versificação.

    Grato pelo comentário.
    Dalton.

  67. 67

    JOnathan said,

    March 30, 2010 @ 8:33 pm

    Preciso de um poema para declamar na escola no amigo secreto
    Só que eu não encontro nenhuma palavra que rime com Fernada.
    Por favor me ajude!

  68. 68

    JOnathan said,

    March 30, 2010 @ 8:34 pm

    FERNANDA

  69. 69

    admin said,

    March 31, 2010 @ 7:49 am

    JOnathan:

    Tenta alguma coisa com Ciranda, Manda, Panda, Lavanda, Banda … como Rima Sonante, ou mesmo os Gerúndios, como Deixando, acompanhados da vogal A, o que resulta no som Deixando-a. Por exemplo:

    Ali vai Fernanda
    Deixando-a menina
    Na minha ciranda
    Fernanda é quem manda

    Boa Sorte.
    Dalton.

  70. 70

    angela said,

    April 24, 2010 @ 4:16 pm

    olá, gostaria muito de aprender escrever poemas, poesias etc
    mas na verdade nao sei agrupar as palavras , nem como começar;(
    mas o titulo eu ja sei , seria sobre amores platonicos e impossiveis, pois sou a rainha desses amores que tanto me machucam,bom se vc poder me ajudar serei grata
    grande beijo
    fica com Deus

  71. 71

    admin said,

    April 25, 2010 @ 8:03 am

    Angela:

    Um poema não é muito diferente de um texto comum e corrido.

    Por exemplo, numa carta a alguém, costumamos tratar de vários assuntos, cada qual num Parágrafo. Estes serão as Estrofes do poema. Esses parágrafos são compostos por Orações. Estas serão os versos.

    De acordo com a vontade do poeta, tais orações, ou versos, podem apresentar quantidades de sílabas iguais ou diferentes, que não devem ultrapassar o número máximo de catorze, caso o poeta prefira obedecer às Regras da Ciência Poética, também conhecida por Versificação.

    Hoje, essas regras já não contam tanto para transformar um texto simples em poema. Caberá a você escolher o estilo em que vai preferir escrever. Caso você opte por escrever o poema com os fundamentos da Versificação, sugiro que estude consultando a página Ciência Poética, que fica no cabeçalho deste site, e é um índice dos vários elementos da Versificação.

    Qualquer dúvida maior, volte aqui neste espaço e pergunte. Terei prazer em ensiná-la, ok?

    Grande Beijo.
    Dalton.

  72. 72

    vinicius said,

    April 29, 2010 @ 3:47 pm

    como criar um poema

  73. 73

    admin said,

    April 29, 2010 @ 7:56 pm

    Vinícius:

    Leia a resposta que eu dei para a Angela logo acima. Serve também para a sua dúvida.

    Grato pela visita.
    Dalton.

  74. 74

    vinicius said,

    May 1, 2010 @ 4:18 pm

    olha só esse pedaço da poesia que eu tô criando

    Bárbara eu te amo muito mais do que as estrelas do céu multiplicado com as gotas do oceano

  75. 75

    vinicius said,

    May 1, 2010 @ 4:20 pm

    Bárbara procurei palavras para expressar o que eu sinto por ti sendo que não consegui

  76. 76

    vinicius said,

    May 1, 2010 @ 4:21 pm

    por favor comentem esses dois poeminhas digam se está bom

    obg

  77. 77

    admin said,

    May 1, 2010 @ 6:59 pm

    Vinícius:

    Que tal juntarmos os dois pensamentos numa só estrofe? Sugiro assim:

    Bárbara
    Procurei palavras para expressar
    O que eu sinto por ti
    Mágica
    Te amo muito mais do que as estrelas
    Do céu multiplicado em gotas do meu mar
    Náufrago
    Palavras são pequenas para ti
    Por isso eu não consegui.

    Para começo fica bom. Veja que a minha mexida foi pequena. Se você entrar com essa, tem muita chance de ganhar a menina, mas, para mantê-la junto, terá de voltar por aqui para a gente conversar, eheh.

    Boa Sorte e grato pela confiança.
    Dalton.

  78. 78

    Vinicius said,

    May 7, 2010 @ 12:21 am

    Assim eu as vezes me sinto inspirado e começo a escrever oque sinto coisas do mundo amor isso seria um Poema

  79. 79

    admin said,

    May 7, 2010 @ 7:16 am

    Vinícius:

    O que acontece com você é apenas a inapiração para escrever sobre o amor. Quando essa inspiração sai pra fora em pensamentos diversos e curtos, ela está tendendo ao poema, que é escrito em versos.

    Procura reparar se quando você escreve, faz tudo direto ou um pouco por vez. Isso é o que difere o simples escritor do poeta.

  80. 80

    fabiano andarde silva said,

    May 7, 2010 @ 9:13 pm

    minhas poesias..
    soloidão de um soldado

    como diria um soldado
    e facil ir para grerra,
    e facil conbater um inimigo,
    mais não e facil esqueçer um amor destruido….

    sera que estou certo e assim que começa a fazer poesias tenho tentado e todas tem surgido um grande e bom efeito …

  81. 81

    fabiano andarde silva said,

    May 7, 2010 @ 9:14 pm

    coração de ferro

    por momentos caminhei,
    em uma grande solidão,
    não sabendo que o amor
    aquebranta um coração.,

    O coração pode ser de ferro
    o coração pode ser de aço,
    mais com toda está força,
    sé desperta o amor do passado…

    mim falem sé está bom ou sé preciso melhorar tenho tentado escrever mais não sei sé agrada alguem com elas …!!!!!!!!!!1

  82. 82

    admin said,

    May 8, 2010 @ 9:13 am

    Fabiano:

    Os temas dos dois poemas são bons, daqueles comuns à solidão causada por amores mal resolvidos no passado. Quanto à construção poética, percebe-se no poema abaixo que â sua essência de poeta buscou dar aos versos o mesmo comprimento – 7 sílabas poéticas – ao menos na primeira estrofe, mas o segundo verso dela foi o único que fugiu da Métrica, pois sobrou uma sílaba. Se você colocasse “Numa grande solidão”, aí sim a estrofe estaria com todos os versos no mesmo comprimento.

    Não vejo como necessário manter todos versos de uma estrofe com o mesmo comprimento, mas se a maioria deles têm a mesma métrica, qualquer outro com medida diferente deixa a estrofe desequilibrada. Apenas isso. É importante, também, que você leia os versos em voz alta, pois muitas vezes isso mostra o engano em algum deles. Veja porquê:

    coração de ferro

    por / mo / men / tos / ca / mi / nhei – 7 sílabas
    em / u / ma / gran / de / so / li / dão – 8 sílabas
    não / sa / ben / do / que-o / a / mor – 7 sílabas
    a / que / bran / ta-um / co / ra / ção – 7 sílabas

    Veja, se você tivesse feito como eu disse acima ficaria:

    Nu / ma / gran / de / so / li / dão – 7 sílabas.

    Existem também alguns problemas de redação incorreta dos termos. Por exemplo, quando você que uma idéia contrária no texto, o correto é utilizar o term MAS, e não MAIS, que significa o contrário da idéia, pois quer dizer soma.

    Mas, no restante, o seu poema é bom e precisa apenas alguns ajustes, caso queira fazê-los nas normas da Versificação. Se preferir caminhar dessa forma, encontrará no site todas as informações necessárias nos Glossários Poéticos, colocados lá no alto do site.

    Obrigado pela confiança e bons estudos.
    Dalton.

    PS. Procure na internet sobre a música Chuvas de Verão, de Fernando Lobo. É um bom exemplo de como resolver Amores do Passado mal solucionados.

  83. 83

    Claudio said,

    May 13, 2010 @ 12:49 am

    eu tenho muito dificuldade a arranjar palavras para unir os sentimentos ou significados podes me dar um concelho sff

  84. 84

    admin said,

    May 13, 2010 @ 9:15 am

    Claudio:

    Você tem um vocabulário que lhe permite trabalhar bem as rimas do poema, todavia é desatento em outros aspectos também importantes. Por exemplo, não é muito nobre repetir palavras nas rimas, como ocorreu com os versos 2 e 4. Você precisa também prestar mais atenção na escrita das palavras, tais como Conselho, e não “Concelho”, como no recado acima.

    Todo poema bem escrito apresenta Equilíbrio Métrico. Não é necessário que os versos tenham todos o mesmo comprimento, mas convém fazer um dado comprimento se repetir mais vezes enquanto se usa algumas variações. Veja porque:

    Não / va / mos / fa / lar / à / to / a – 7 sílabas
    Co / mo / mui / ta / gen / te-o / faz – 7 sil.
    Gen / te / bo /ba / que / lá / no / fun / do-é / bo / a – 10 sil.
    Mas / não / sa / be / o / que / faz – 7sil.
    Nós / da / mos / a / ju / da-a / quem / mais / pre / ci / sa – 10 sil.
    Voz /en/tu/lha / que /dis/si/pa / mui/ta /men/te /ma /lig/na – 14 sil.

    Sugestão:

    Não vamos falar a toa,
    Como muita gente-o faz
    Gente boba
    Que no fundo é boa
    Mas não sabe o que traz
    Nós damos ajuda-a quem mais precisa
    Voz entulha que dissipa
    Muita mente bem maligna.

    Embora os versos 3 e 6 não possuam o comprimento dos demais, a estrofe ganhou o charme do verso curto se contrapondo ao verso longo, com os demais em mesmo comprimento – 7 sílabas – sustentando a base métrica. No quinto verso apenas tentei dar uma rima não repetitiva.

    Aconselho você a escrever bastante, conferir os tópicos do Glossário Poético e consultar constantemente o Dicionário, que além de fornecer rimas constantemente, corrige as imprefeições de escrita.

    Continue escrevendo e estudando. Qualquer dúvida, sabe onde procurar. Aqui.

    Boa Sorte.
    Dalton.

  85. 85

    ketlin said,

    May 16, 2010 @ 5:28 pm

    eu quero saber as respostas das minhas perguntas

  86. 86

    admin said,

    May 16, 2010 @ 8:19 pm

    ketlin:

    Costumo responder a todas as perguntas que me fazem em qualquer postagem. Isso não quer dizer que não possa ter me descuidado no seu caso. Por gentileza, me conte qual é o número do seu comentário e em qual postagem foi feito, ou, se preferir, coloque novamente a sua pergunta que procurarei responder o mais rápido possível.

    Foi nesta postagem mesmo, Aprender a Fazer Poema?

    Fico no aguardo.
    Dalton.

  87. 87

    Débora said,

    May 17, 2010 @ 3:08 pm

    Olá, escrevi isso mais queria saber se está bom , isso pode ser classificado como um poema? Gostaria da sua opnião e sinta liberdade para modificar o que quiser, é pra ser um poema de amor…oq acha?

    Menina da Floresta

    Caminha pelos bosques
    Brinca com as flores,
    Se distrai com o vento
    Se esconde das criaturas ocultas.

    Quando a donzela está prestes a chegar
    Os ventos correm
    Afastando a neblina que me envolve
    E atraindo um arco-íris

    Quando fui jogado as masmorras
    Abandonado,
    E a desordem estava prestes a me consumir
    Quase morri em meio as chamas

    Então veio ao meu encontro
    A divina Valkíria dos meus sonhos
    Com apenas um sorriso e um olhar
    Me tirou da lama em que vivia

    Seu prazer é meu prazer, até a noite chegar
    Sua dor é minha dor, até ela desaparecer
    Seu colo é meu consolo, até tudo terminar
    Seu sorriso é a minha felicidade … eternamente

  88. 88

    Débora said,

    May 17, 2010 @ 3:09 pm

    á …aproveitando …esse poema é pra participar de um concurso cultural, e você sabe me dizer como se faz um foto poema?

    brigadinha e beijinhus!!!

  89. 89

    karol said,

    May 17, 2010 @ 4:28 pm

    oi
    eu tenho que fazer um poema para a escola mais eu não consigo achar nenhum tema e nem sei como fazer …vc pode me ajudar?

  90. 90

    karol said,

    May 17, 2010 @ 4:35 pm

    Ha me lembrei que a prefesora falou que pode ser com esses temas

    educação
    planeta
    copa do mundo
    escola

    talvez facilite para vc me ajudar…bjo0os

  91. 91

    admin said,

    May 17, 2010 @ 5:33 pm

    Débora:

    O seu poema está pronto para ser lido. Foge aos padrões da Ciência Poética, mas nem por isso deixa de ser um bonito poema. Merece pouca correção, mais por conta dos erros de português. Por exemplo, a forma como você usou o “mais queria saber” está errada, porque o correto é “mas”, que dá a idéia de se buscar o contrário, enquanto o “mais” é usado para somar algo à idéia, por exemplo: Eu, a namorada e mais um amigo fomos ao som, mas não rolou nada naquela noite. Pegou?

    No poema, correção somente em duas falas: “jogado ÀS masmorras” e também no “em meio ÀS chamas”.

    Foto-poema é a descrição, ou narrativa, de uma cena qualquer por versos. Gilberto Gil tem uma composição feita em Foto-poema. Chama-se Procissão, onde descreveu em versos o que observava nas ruas visto de cima. Procure algum vídeo da música e repare na descrição dele.

    Era isso que você queria? Qualquer dúvida, volte sempre. Bjs.
    Dalton.

  92. 92

    admin said,

    May 17, 2010 @ 5:38 pm

    karol:

    Posso ajudar sim, mas para isso preciso que você escreva um pequeno texto sobre um dos temas que você me passou acima. Pego o texto e transformo em poema, com a vantagem de fazer com as suas palavras, e não as minhas. Além de não dar bandeira, você aproveita para aprender a fazer.

    Aguardo o texto, Bjs.
    Dalton.

  93. 93

    Iris said,

    May 18, 2010 @ 2:41 am

    Oi Dalton
    Quero fazer um poema e acho que voce me pode ajudar.
    Queria fazer um poema com versos longos. Com versos longos digo:

    ‘Ele continuava ali sobre aquela balsa olhando o vendaval
    Seu olhar era intenso e me congelava a alma
    Suas mãos seguravam com tremenda força as cordas da balsa
    E seu corpo de menino imaturo balançava contra as ondas das águas ‘
    (excerto retirado de um comentário acima)

    Chamo versos curtos a:
    ‘Caminha pelos bosques
    Brinca com as flores,
    Se distrai com o vento
    Se esconde das criaturas ocultas.’
    (excerto retirado de um comentário acima)

    Espero que me tenha feto entender. Agora é o seguinte. A minha dúvida reside nas rimas. Não queria fazer em verso branco. Queria que rimasse mas nao gosto do estilo ABAB. que me aconselha?

    Beijinhos, Iris

  94. 94

    admin said,

    May 18, 2010 @ 7:08 am

    Iris:

    Tente as Rimas Opostas, cuja colocação é ADBC.
    Qualquer dúvida, volte.
    Dalton.

  95. 95

    Débora said,

    May 18, 2010 @ 8:07 am

    Olá Dalton,

    Nossa… obrigada pela rapidez com que me respondeu, e pelas dicas também, a dica do mais…essa eu conheço mas tenho muito custume de usar, e com relação ao acento dos às …não fazia idéia.

    Sendo que ocorreu um probleminha, eu naum percebi que na verdade era pra escrever uma carta de amor e não um poema…vc acha quepara um concurso um poema pode ser considerado uma carta de amore, sendo que eles tem como base as cartas de napoleão pra josefina….e coisa e tal, ou vc acha melhor eu trabalhar mais esse poema e transforma-lo em uma carta de amo!?

    Com relação ao foto poema, irei dar uma olhada daqui a pouco, pq entrei rapidinho, mas quando vi o seu recado quis logo responde-lo.

    =)

    Obrigada!

    Débora

  96. 96

    admin said,

    May 18, 2010 @ 12:07 pm

    Débora:

    Para virar uma carta de amor, o poema tem que iniciar dando a idéia de uma. Sugiro que troque o nome dele por Amor na Floresta, e o inicie por uma estrofe de verso único. Assim:

    Amor na Floresta

    Menina que me nina:

    Caminha pelos bosques etc.

    Fazendo assim, além de você deixar definido de que se trata de uma carta, também dará a idéia do poema se tratar de um Cantiga de Amigo, que ocorre quando o poeta, ou poetisa, coloca nas palavras da amada as palavras que mais gostaria de escutar dela em relação a ele. Sacou?

    Fiz o primeiro verso com aquela jogada de rima por dois motivos: 1- Apesar do poema ser no que se chama de Verso Livre, o autor dele sabe muito bem sobre as rimas. 2- Como você está sugerindo que o poema foi feito pra você pelo amado, o Menina que me nina, sugere que você, fazendo parte dos sonhos dele, formaliza uma carta endereçada a você.

    Pensa nisso tudo e depois me retorna. Bjs.
    Dalton.

  97. 97

    Débora said,

    May 18, 2010 @ 3:21 pm

    Olá Dalton …

    Adorei a idéia e se me permite talvez roubarei suas primeiras palavras, mais derrepente decida mudar ainda não tenho certeza, com relação as rimas , as vezes acho complicado mas gosto da ideia de trabalhar isso…

    vou tentar começar a mudar o poema para uma carta agora e mais tarde acredito já voltar para vc analisar d novo…até pq tenhop certeza que preciso de ajuda com meu portugues… afz

    =)

    Brigada

  98. 98

    Débora said,

    May 18, 2010 @ 6:29 pm

    Dalton…

    está aí…ainda naum diria que é definitiva essa a cartam mas veja o que acha…

    Menina que me nina:
    Hoje te vi nos bosques dos meus pensamentos, você tão linda brincava com as flores e se distraia com o vento, se escondia das criaturas imaginarias que teimavam em te perseguir, desculpe querida donzela, mas entendo as criaturas que te perseguiam, mas elas não teriam nenhuma chance de te ter, afinal de contas já entregaste para mim todo seu ser, todo seu amor, assim como já sou inteiramente seu, e assim todo seu não consegui pensar em mas nada, só em ti, e no nosso amor, em como você tem se tornado o sentido de minha vida e hoje em meio as tribulações da vida queria lhe encontrar pois quando você querida donzela, doce menina aparece em meus dias, faz os ventos correrem mas rápido afastando as neblina que me envolve, e trás um arco-íris para alegar meu dia, e quando me sento jogado às masmorras do cansaço, abandonado e solitário, a desordem esta prestes a me consumir, estou quase morrendo em meio ao caos de um dia-a-dia de mesmices, então só de pensar em você vindo ao meu encontro com um sorriso reluzente e toda faceira, minha divina Valkíria que parece saltar dos mistérios nórdicos para socorrer o seu guerreiro perdido no campo de batalha e com apenas um sorriso e um olhar consegue transformar todo o meu desespero em calmaria, tristeza em alegria e saudade, á saudade, dessa é impossível me libertar, mas pensando em seu abraço e seu beijo que desejo que seja eterno, me sinto o mais forte e imortal dos homens, força que retiro desse amor, que só de pensar nele sinto que posso fazer coisas impossíveis, sinto que posso até mesmo voar, voar tão alto que nossa distância paracerá pequena, mas sôo de pensar na distância que me separa de ti um pensamento me trás de volta, o pensamento de que ainda não és minha em todos os momentos, o pensamentos de que seu prazer é meu prazer, mas somente até a noite chegar e que seus sonhos ainda não posso ter, seu beijo doce ao dormir ainda não meu, quando a noite cai me sinto incompleto, como essa lua minguante que brilha no céu, acompanhada de tantas estrelas que não podem lhe completar, lhe roubaram a metade, assim como es roubada de mim a cada noite, minguado pelo desejo de ao seu lado poder dormir, seus sonhos compartilhar, minha doce donzala só me resta enfim com paciência esperar um dia inteiro me tornar, ser completo, uma lua cheia, e então ninguém mas poderá roubar você de mim, nem mesmo a distancia, ó maldita distância, como pode ser tão cruel, separar dois corações, não vês que de nada adianta, mas o tempo, esse mesmo tempo que passa tão lento quando não te tenho em meus braços e que corre quando te abraço, fará o trabalho de nos unir eternamente e mesmo quando a morte vier para nos separar, não partira levando só um de nós, por que não mas poderemos mas ser separados, então ou levará os dois ou nos deixará viver , e nas duas hipóteses minha donzela, viveremos juntos nosso amor pela eternidade.

    beijos

  99. 99

    Débora said,

    May 18, 2010 @ 6:32 pm

    Ela fugiu um pouco do que meu namorado me escreveu, mas ainda estou vendo se consigo resgatar a essência dele, já que o estilo dele são tds essas paradas da mitologia nórdica e tal e se tiver alguma idéia que me ajude… agradeço.

    beijinhus

  100. 100

    admin said,

    May 18, 2010 @ 8:03 pm

    Débora:

    O poema que você me mostrou não fugiu muito do que o seu namorado lhe escreveu na carta. Misturar Mitologia Nórdica ou Escandinava deixaria o texto um pouco pesado.

    Se você quer colocar alguma idéia mitológica no poema, lhe aconselho a Mitologia Grega, que apresenta várias lendas bonitas, como a das Núpcias de Cadmo e Harmonia, por exemplo.

    Não sei quanto tempo você tem para entregar o seu trabalho. Gostaria que fosse longo, pois daí você poderia estudar um pouco mais sobre o que deseja colocar no conteúdo do poema.

    Eu poderia até mexer naquele seu poema original, mas creio que a coisa ficaria meio bandeirosa, por fugir um pouco do seu vocabulário costumeiro.

    Pensa aí e me diz quanto tempo você tem pra entregar o trabalho, certo?

    Não estou aqui toda hora, mas certamente darei uma solução rápida, caso não tenha muito tempo. Bjs.
    Dalton.

  101. 101

    Débora said,

    May 19, 2010 @ 12:33 am

    Boa noite…

    Dalton:

    Bem, eu tenho até o dia 26 de Maio, não é muito mas gostaria que ficasse bem feito e acredito que consigo arranjar algum tempo para ums pesquisas…

    E se não quiser mexer no poemas, mas me dar apenas sugestões do que poderia melhorar…também estou aqui quase sempre, só não estou muito aqui pq não tenho quase nada pra fazer na net, mais mesmo assim, com esse poema tenho passado basteante tempo!!

    E com relação ao foto poema, seria então uma imagem com uma dizcrição escrita na própria imagem relacionado ao tema que preciso? (amor)

    Brigada por tudoooo mesmo!!!

    Beijos!!!

  102. 102

    Ariane :D said,

    May 19, 2010 @ 3:42 pm

    as vezes quando estou inspirada pego um papel e uma caneta e começo a escrever textos sobre amor,meu amigo diz que isso que eu faço é um”poema de amor”,esses textos que escrevo são mesmo poemas?

  103. 103

    admin said,

    May 19, 2010 @ 6:18 pm

    Ariane:

    Para saber se o seu texto é em forma de poema de amor, voce tem colocá-lo aqui para que eu leia. Aí sim poderei dizer alguma coisa.

    Fico aguardando.
    Dalton.

  104. 104

    Ariane :D said,

    May 19, 2010 @ 6:49 pm

    Dalton,já fiz muitos desses textos,mais para facilitar escolhi só um:
    eu poderia juntar todas as gotas do oceano,todas as folhas das árvores,mas nada ira conseguir demonstrar tudo o que eu sinto por você!,as vezes eu me pego pensando”nossa,como é possível eu amar tanto uma pessoa que nem conheço?”,bom cheguei a uma conclusão:agente não pode mandar no coração,ou dizer a ele quem ele deve amar e quem ele deve desprezar,eu não comecei a amar você assim do nada,comecei a me interresar mais pela MASH,quis descobrir mais sobre os integrantes e cada vez mais fui admirando cada um!,então comecei a me identificar mais com você,assim tudo o que eu já sentia foi crescendo cada vez mais,até se tornar um amor sem limites,um amor tão grande que quebra barreiras!,quero que você tenha a certeza que o meu amor por você é único e inexplicável,é um sentimento muito lindo e verdadeiro,que a cada dia que passa aumenta mais!,você já faz parte da minha história,é uma das poucas pessoas que marcaram a minha vida e que eu NUNCA esquecerei.Mau meu príncipe encantado,eu te amo <3

    (:

  105. 105

    admin said,

    May 19, 2010 @ 8:22 pm

    Ariane:

    Embora muito bonito, o seu texto é corrido, enquanto, num poema ele é escrito em versos, que normalmente segue algumas tendências sintáticas.

    Como disse, é um belo texto de amor, só que em Prosa, logo, não é Poema.

    Grato pela confiança.
    Dalton.

  106. 106

    luana said,

    May 21, 2010 @ 9:20 am

    gosteii muitas vidas

  107. 107

    admin said,

    May 21, 2010 @ 9:30 am

    Luana:

    Então espero vê-la vinvendo-as por aqui. Obrigado pela visita.
    Dalton.

  108. 108

    Iris said,

    May 24, 2010 @ 2:03 am

    Consegues amar-me com todos os meus defeitos?

    Fraca perante situações que mexem com sentimentos
    Quando a realidade é dura demais, prefiro viver iludida
    No meu mundo é sempre Verão com fortes ventos
    Louca ao ponto de não dar valor á própria vida.

    Preguiçosa, orgulhosa e muito, muito despistada
    inocente e ingénua. Preciso que me chames á razão.
    Magou uma vez, duas vezes, mesmo sendo amada
    caio em erros repetidos e ainda não aprendi a dizer não.

    Vulnerável em alturas de discussões e escolhas importantes
    não sei lidar com a saudade nem com a tua ausência
    Quando tudo estiver mal vou desejar voltar ao antes
    Prepara-te, espero tanto de compreensão como de paciência

    Atrevida e inconveniente em situações inadequadas
    Ás vezes cobarde quando sei que posso falhar
    Odeio ficar com conversas e histórias inacabadas
    diálogos sérios até consigo, mas adoro gozar

    Capaz de guardar raiva mas não esperes nenhuma vingança
    quero ser cada vez melhor mas o processo é lento
    Fujo da responsabilidade, compromisso e aliança
    Não tenho mistérios para um coração mais atento

    Muitas fobias e medos que caso não procures, não irei mencionar
    Nem todas as verdades que magoam vou ser capaz de te dizer
    Vivo nos meus sonhos, sonhos de outros para me completar
    Mais são as vezes que irei sacrificar o dever pelo prazer

    Não gosto de regras, chefes nem obrigações
    Viver não é fácil e faço-o das maneiras mais complicadas
    procuro experiências, aventuras e novas sensações
    Se me conseguires acompanhar prometo noites agitadas

    Em demasiadas situações não consigo dizer tudo o que desejo
    Nem sempre consigo fingir ser forte em momentos de fragilidade
    Luto sempre por aquilo em que acredito mesmo sendo causa perdida
    apesar de todas as trovoadas e mau tempo, não esqueço uma amizade

    Caminho sobre dúvidas e rara é a brisa que trás certeza
    Quero recordar quando mais esqueço, mesmo que isso me irrite
    Capaz de Chorar de felicidade, capaz de sorrir na tristeza
    Acredito mesmo quando já não há mais ninguém que acredite

    Os meus olhos escondem segredos que quero muito desabafar
    Vivo na razão porém deixo-me levar facilmente pelas emoções
    O coração transporta feridas que ficaram por cicatrizar
    Não me assusta o amor nem a morte, temo desilusões

    Se me enganares dificilmente vou perdoar e voltar a confiar
    Independente. Tenho sérios problemas em pedir ajuda
    Preciso do meus espaço e tempo sozinha para pensar
    Acredito na evolução mas dificilmente alguém muda.

    Se me procurares conhecer, sou um livro aberto
    quando não sei o meu lugar, uso intuição para disfarçar
    Odeio tomar decisões e fazer escolhas pois dificilmente acerto…
    Quando eu chorar, chora comigo! Só assim poderá resultar

    Amuo até me fartar na angústia de não acontecer tudo como eu quero
    Mudanças de humor repentinas para as quais não vais achar explicação
    Ignoro-te se me fizeres sofrer, sempre que não dores sincero
    Sei que não existo só eu, porém preciso quase toda a tua atenção.

    Baixo a cabeça e por vezes os braços perante as minhas falhas
    Desço ao mundo real, onde luto contra injustiças e preconceitos
    Preciso que me encorajes e apoies em todas as batalhas
    A tua presença é indispensável nas minhas quedas e feitos

    Vou aprender cada gesto, cada olhar, cada sorriso
    Quero ser feliz e descobrir contigo o que é preciso
    adorar cada uma das tuas qualidades e os aspectos menos bons serão perfeitos
    e tu? consegues amar-me com todos os meus defeitos?

    Gostaria de uma opinião sua

  109. 109

    admin said,

    May 24, 2010 @ 12:59 pm

    Iris:

    É um poema longo e sincero. Quando a pessoa se expõe assim, como você fez, cabem poucas suposições do quanto se poderia adequar como poema sujeito às diversas trilhas da Versificação, que normalmente, por ser mais voltada à razão, ao intervir numa emoção pode manchar o que foi dito anteriormente.

    Vou ler com bastante calma para poder opinar com olhos mais analíticos do que emotivos. Confesso que é difícil a tarefa, mas creio que ache um bom meio termo.

    Mais pra frente lhe dou notícias pelo seu email, ok?

    Grato pela confiança.
    Dalton.

  110. 110

    Iris said,

    May 24, 2010 @ 7:04 pm

    Eu é que agradeço. Fico a espera!
    Beijinhos

  111. 111

    Jenifer peçanha said,

    May 25, 2010 @ 5:04 pm

    ain gente me ajudaa preciso de 5 poemass pro meu trabalhoo!
    mais tem que ser enventadoss e eu não sei criar poemass :/

  112. 112

    admin said,

    May 25, 2010 @ 5:26 pm

    Jenifer:

    Você tem até quando para entregar os poemas?

    Sou a Jenifer Peçanha
    Poetisa que é da hora
    Me virando na escola
    Pra fazer verso na manha

    Tudo certo no meu verso
    Meio oposto nessa rima
    Com a métrica por cima
    Sou mais eu sem ser inverso

    Minha Língua Portuguesa
    Sua versificação
    Carregada de emoção
    Deita e rola nesta mesa.

    Pode ser assim, com 3 Quadras?

    Se puder, diga o nome do professor, ou professora, que dou um jeito de colocá-los no poema. Sempre é bom uma puxadinha de saco.

    Fico na espera. Grato pela confiança.
    Dalton.

  113. 113

    Bruno said,

    May 26, 2010 @ 1:32 pm

    Bem eu nunca fiz um poema ou poesia , mas eu andei escrevendo umas coisas e não sei se seria um poema mas gostaria de sua ajuda!

    ” De manhã e a noitinha são as horas em que mais sinto sua falta, são os momentos em que não tenho distrações, não tenho outros pensamento a não ser você, é a hora em que a vontade de tê-la em meus braços quase me enlouquece, perco o sono, reviro em minha cama, tudo para ter mais 5 minutos contigo. Mas na sexta tudo isso muda e a ansiedade toma conta de mim, pois sei que sábado esta chegando e poderei ver seu olhar de anjo, seu sorriso de princesa e terei o prazer de tê-la em meus braços e saborear o gosto de seu beijo!”

    Bem não sei se isso é um poema ou se simplesmente joguei as palavras ai, mas gostaria de sua ajuda e saber se você poderia talvez arrumar pra mim (para que eu possa mandar para a minha amada) e dizer se estou no caminho certo porque é a 1° vez que faço isso!!
    Muito Obrigado

  114. 114

    rayane said,

    May 26, 2010 @ 2:28 pm

    eu ñ sei fazer poesia

  115. 115

    admin said,

    May 26, 2010 @ 3:43 pm

    rayane:

    Veja a explicação que darei no comentário logo abaixo, pois acho que você poderá aproveitar bem.

    Grato pela visita.
    Dalton

  116. 116

    admin said,

    May 26, 2010 @ 3:52 pm

    Bruno:

    Veja o que fiz com as suas palavras:

    De manhã e à noitinha são as horas em que mais sinto sua falta
    São os momentos em que não tenho distrações
    Não tenho outros pensamentos
    A não ser você

    É a hora em que a vontade de tê-la em meus braços
    Quase me enlouquece
    Perco o sono
    Reviro em minha cama
    Tudo para ter mais 5 minutos contigo

    Mas na sexta tudo isso muda
    E a ansiedade toma conta de mim
    Pois sei que sábado esta chegando
    E poderei ver seu olhar de anjo
    Seu sorriso de princesa
    E terei o prazer de tê-la em meus braços
    Saboreando o gosto de seu beijo.

    Procurei separar os seus Parágrafos em Estrofes e as orações dos Períodos Sintáticos em versos. Assim são feitos os poemas que, dependendo do poeta, podem ganhar, ou não, os requintes da Ciência Poética, cujos elementos estão presentes aqui mesmo no site.

    Se precisar de ajuda, basta pedir. Grato pela visita.
    Dalton.

  117. 117

    Bruno said,

    May 26, 2010 @ 4:48 pm

    Muito obrigado!!!

  118. 118

    Jennifer said,

    May 26, 2010 @ 6:18 pm

    geeente, preciso de um poema pra escola, eu definitivamente não sei criar poemas.. queria um poema simples, mas completo.. se puder criar um pra vim, ficarei muuuuito agradecida, HAHA’ :*

  119. 119

    admin said,

    May 26, 2010 @ 6:22 pm

    Jenifer:

    Você pediu isso ontem, eu respondi ontem mesmo com isto:

    Jenifer:

    Você tem até quando para entregar os poemas?

    Sou a Jenifer Peçanha
    Poetisa que é da hora
    Me virando na escola
    Pra fazer verso na manha

    Tudo certo no meu verso
    Meio oposto nessa rima
    Com a métrica por cima
    Sou mais eu sem ser inverso

    Minha Língua Portuguesa
    Sua versificação
    Carregada de emoção
    Deita e rola nesta mesa.

    Pode ser assim, com 3 Quadras?

    Se puder, diga o nome do professor, ou professora, que dou um jeito de colocá-los no poema. Sempre é bom uma puxadinha de saco.

    Fico na espera. Grato pela confiança.
    Dalton.

  120. 120

    Jennifer said,

    May 26, 2010 @ 6:32 pm

    ooi, eu sou outra jennifer ;b
    HEUIHE’
    AH, infelizmente, tenho até sexta :/
    eu queria algo mais simples, sabe..
    brigada, desde já (:

  121. 121

    admin said,

    May 27, 2010 @ 1:08 am

    Jenifer Pamponet:

    Perdoe a confusão, mas como a outra Jenifer não aproveitou o poema que fiz, mudarei um pouco e você aproveita:

    Sou a Jenifer menina
    Poetisa que é da hora
    Me virando na escola
    Pra fazer verso de quina

    Tudo certo no meu verso
    Meio oposto nessa rima
    Com a métrica por cima
    Sou mais eu sem ter inverso

    Minha Língua Portuguesa
    Sua versificação
    Carregada de emoção
    Deita e rola nesta mesa

    De um Soneto Inglês mais místico
    Com três Quadras e um Dístico

    Taí Jenifer. Um Soneto Inglês em Redondilhas. O nome você escolhe, já que ficou sendo seu.

    Para você não ser pêga de surpresa pelo professor, o Soneto Inglês é uma construção poética de forma fixa que contém 3 estrofes de 4 versos cada, cujo nome é Quadra, seguidas por uma estrofe de dois versos, cujo nome é Dístico.

    Mais uma vez, me perdoe pelo engano, e grato pela confiança.
    Dalton

  122. 122

    Mariana Aguiar e Carneiro Leal Lopes said,

    June 6, 2010 @ 6:32 pm

    FAZER UM POEMA É MUITO CHATO E SE EU FOSSE VOCÊ NÃO FARIA!

  123. 123

    admin said,

    June 7, 2010 @ 6:54 am

    Mariana:

    Obrigado por me avisar. Tentarei seguir o seu conselho.

    Grato pela visita.
    Dalton.

  124. 124

    michelle said,

    June 7, 2010 @ 11:14 pm

    oi preciso fazer um poema mais nao sei com fazer..
    mim ajudem…tema;sonhos;

  125. 125

    admin said,

    June 8, 2010 @ 8:19 am

    Michelle:

    O Poema Acróstico é aquele onde os versos iniciciam, cada um, com as letras de um nome, ou pensamento qualquer. Por exemplo, o poema abaixo ganhou o nome de Sonhos de Michelle. Repare que iniciei cada verso com a letra correspondente ao nome dele:

    Sonhos são a própria vida
    Onde ocorre o sentimento
    No milagre do existir
    Há as dores da ferida
    Ou prazeres de um momento
    Sempre prontos a servir

    De uma forma ou de outra
    Este sonho me faz solta

    Michelle feita de sonho
    Incapaz de ser maldosa
    Com qualquer ato medonho
    Humano vindo do peito
    Editado em verso ou prosa
    Levo a vida desse jeito
    Largo mão de ser medrosa
    Evitando o pesadelo

    Boa Sorte.
    Dalton.

  126. 126

    Geovannna said,

    June 16, 2010 @ 7:12 pm

    Preciso de um verso pra hj agora me ajudam

  127. 127

    admin said,

    June 16, 2010 @ 7:15 pm

    Geovanna:

    Posso ajudá-la, contanto que me conte sobre o que deve tratar o poema.

    Dalton.

  128. 128

    Geovannna said,

    June 16, 2010 @ 7:26 pm

    Sou outra geovannna kero um verso de crianças de 10 anos

  129. 129

    Geovannna said,

    June 16, 2010 @ 7:28 pm

    kero um verso com o titulo o lugar onde vivo

  130. 130

    Geovannna said,

    June 16, 2010 @ 7:29 pm

    agora rapido

  131. 131

    admin said,

    June 16, 2010 @ 7:47 pm

    Ainda não entendi o tema. Crianças de 10 Anos ou Lugar onde vivo? Seria sobre crianças de 10 anos no lugar onde vive?

    Por gentileza, defina melhor o tema e verei o que posso fazer de imediato.
    Dalton.

  132. 132

    Izabelli dos santos said,

    June 21, 2010 @ 12:42 pm

    pressiso saber como é feito um poema

  133. 133

    admin said,

    June 21, 2010 @ 3:48 pm

    Izabelli:

    O poema é feito à partir do texto normal. Escreva o texto e em seguida separe os seus fragmentos sintáticos em versos.

    Cada parte dos pensamentos, que formam o texto total são as estrofes, que podem conter um ou mais versos.

    Basicamente, é isso.

    Grato pela visita.
    Dalton.

  134. 134

    maria said,

    June 22, 2010 @ 3:15 pm

    Bom, tou precisando construir uma poesia como trabalho de ferias mais as informações que me constão não são o suficiente para q eu construa uma otima poesia . O tema fica acritrio do aluno , queria se possivel que vc me indicasse temas importantes para uma poesia , e me desse algumas dicas.
    OBRIGADA!!!!!

  135. 135

    admin said,

    June 22, 2010 @ 7:04 pm

    Maria:

    Tente escrever justamente sobre as “férias”. Coisa como o que espera fazer, quem espera encontrar etc. O importante é começar o assunto, que o resto vem com ele.

    Grato pela visita.
    Dalton.

  136. 136

    Sendy said,

    June 30, 2010 @ 10:42 pm

    Adorei o site! Muito mesmo.

    bem, acredito eu, que preciso de ajuda. (também) rsrs..
    poema!
    Eu tentei, tentei muito. O problema é que sai muitas idéias e não consigo juntar tudo numa folha. E o pior é que quando consigo montar um pedacinho me vem idéias para montar outro poema, completamente diferente!
    Acho que não nasci pra isso. hehe..

    esse pedacinho foi a ultima coisa que consegui fazer:

    (O belo sorriso de uma criança.
    Que enche o mundo de amor, cor.
    E vez ou outra me pego na dança
    aqui, na lembrança, de quando eu era criança)

    Eu queria falar de como é bom ser criança. E de como a vida pode mudar, e que devemos aproveitar, e nos preparar. Precisamos de confiança e uma dose de criança!
    estes são os igredientes! mas não sei, não sai. :/
    você pode me ajudar?
    Obrigada..

  137. 137

    admin said,

    July 1, 2010 @ 9:47 am

    Sendy:

    Na História da Versificação, isso que você supõe ser um problema, na realidade, sempre se mostrou como uma virtude e lhe exolico porque.

    Tivemos poetas que, diante de dificuldades
    semelhantes às suas, separaram os assuntos, que originalmente pertenceriam somente ao Poema Inicial, em vários poemas outros que acabaram por formar a sua Antologia.

    É comum observar na MPB, por exemplo, algo semelhante ao ocorrido com Geraldo Vandré, cuja curta obra se resumiu à continuação de um “sonho” descrito nas sua primeira composição famosa: Porta Estandarte.

    Por outro lado, temos na literatura dois exemplos clássicos de poetas que, procurando não deixar os assuntos se dispersarem da Temática Original, conseguiram reuní-los em única e extensa obra poética: Dante Alighieri, com a Divina Comédia; e Camões, com Os Lusíadas.

    Curiosamente, ambos se mostraram “viciados” num só tipo de verso: Decassílabo Heróico; posto que ambas as obras foram feitas inteiras neles, com idênticos comportamentos nas Rimas, já que todos os versos terminam em palavras paroxítonas, que caracterizam, quanto ao Timbre, às chamadas Rimas Graves, ou Masculinas.

    Não pense, por esse simples motivo, que você não dê pro assunto Poesia, pois tanto Vandré, quanto Dante ou Camões mostram o contrário.

    Sugiro a você que estude bem as questões poéticas que cerquem a dois tipos de versos: Redondilha Maior e Decassílabo Heróico. Se, por um lado, dão à obra Ritmo e Métrica repetitivos, por outro, por serem “viciantes”, dão ao poeta uma boa folga para melhor trabalharem os seus assuntos diversos.

    Como diria o Chico Buarque, em Tanta Saudade:

    Ai amor, miragem minha
    Minha linha do horizonte
    É monte atrás de monte é monte
    A fonte nunca mais que seca
    Ai saudade ainda sou moço
    Aquele poço não tem fundo
    É um mundo e dentro é um mundo
    E dentro é um mundo e dentro
    É o mundo que me leva…

    Começar a obra falando de Criança sugere em mim um grande otimismo no que possa resultar por suas mãos: Toda uma vida sendo explicada pelo sentimento puro do verso.

    Posso ajudar sempre, desde que você continue escrevendo os seus fragmentos poéticos até os mesmos se reunirem, de uma hora para outra, em vários poemas ou numa só grande obra.

    Grato pela visita e confiaça.
    Dalton.

  138. 138

    Ana said,

    July 4, 2010 @ 12:11 am

    Preciso de sua ajuda!

    Esta estrofe está correta?

    A praça é um lugar
    Muito bom
    Onde crianças, jovens
    e idosos vão.

  139. 139

    Ana said,

    July 4, 2010 @ 12:12 am

    O que se entende por ritmo marcado (regular ou irregular) ?

  140. 140

    Ana said,

    July 4, 2010 @ 12:21 am

    Você poderia fazer as correções necessárias nessa poesia?

    O dia-dia da praça

    A praça é cheia de graça
    E tem diversão
    Também de graça

    Tem um enorme chafariz
    Que solta água pela ponta
    que parece nariz

    Pipoqueiros, sorveteiros
    doceiros,trabalham
    o dia inteiro

    A praça tem pessoas ,
    Que cantam, que dançam
    Que encantam .

    as correções necessárias nessa poesia?

  141. 141

    admin said,

    July 4, 2010 @ 7:39 am

    Ana:

    Usarei o seu próprio poema para tratar também do Ritmo Poético.

    A / pra / ça-é / che / ia / de / gra / ça
    E / tem / di / ver / são
    Que / vem / e / que / pas / sa
    Mudei o terceiro verso da estrofe para o termo “graça” não ser repetido nas rimas, o que empobrece o poema. As sílabas em negrito são as que determinam o Ritmo Poético. Um Ritmo Regular ocorre quando os versos apresentam as sílabas tônicas em posições parecidas.
    O primeiro verso teve 7 sílabas e o ritmo ficou em 2-4-7.
    Já o segundo e o terceiro ficaram diferentes do primeiro, pois têm 5 sílabas cada, mas com idêntico ritmo, 2-5, cujo espaço de duas sílabas átonas entre as tônicas, por serem iguais ao que ocorreu no final do primeiro verso, 4-7, deu à estrofe um parentesco rítmico nos versos capaz de transformá-la em Regular. Deve-se evitar verso com ritmo diferente dos demais, pois esse Verso Manco torna o poema pobre.

    TEM / um / e / NOR / me / CHA / fa / riz 1-4-6-8
    QUE / sol / ta / Á / gua / PE / la / PON / ta 1-4-6-8
    MAIS / pa / re /CEN / do / UM / na / RIZ 1-4-6-8

    PI / po / QUEI / ros 1-3
    SOR / ve / TEI / ros 1-3
    E / do / CEI / ros 1-3
    QUE / tra / BA / lham 1-3
    DI / a-in / TEI / ro 1-3

    A / PRA / ça / TEM / pes / SO / as 2-4-6
    Que / CAN / tam / E / que / DAN / çam 2-4-6
    Mas / QUE / tam / BÉM / en / CAN / tam 2-4-6

    O Ritmo Poético só pode ser notado quando o verso é declamado, e a forma como coloquei permitirá que você declame o poema com um ritmo equilibrado, ou regular. Não basta ler o que escrevi, quando coloquei as sílabas TÔNICAS em negrito ou em letras MAIÚSCULAS. O poema tem que ser lido em voz alta, e forçando o som nas sílabas tônicas, para que o ritmo seja notado.

    A Poesia, acima do que possa ser escrito nos versos, só vale quando recitada. Treine bastante e volte sempre.

    Grato pela confiança.
    Dalton.

  142. 142

    Ana said,

    July 4, 2010 @ 6:35 pm

    Dalton muito obrigado!

    Tenho outras poesias e gostaria de enviá-las para que você ne ajudasse a corrigí-las.
    elas irão participar de um concurso posso enviá-las?

  143. 143

    Ana said,

    July 4, 2010 @ 6:41 pm

    Dalton, gostaria de enviar as poesias para o seu e-mail , porque elas irão participar de um concurso. Seria possível?

  144. 144

    admin said,

    July 5, 2010 @ 6:15 am

    Ana:

    Você tem recebido estas minhas respostas direto na sua caixa de mensagens, ou você apenas volta aqui no Sapiens e confere?

    Preciso dessa informação.
    Dalton.

  145. 145

    Ana said,

    July 5, 2010 @ 10:58 pm

    Não tenho recebido.
    Eu volto aqui para conferir.

    ana

  146. 146

    Ana said,

    July 5, 2010 @ 11:56 pm

    Dalton :

    você poderia corrigir mais uma para mim?

    A praça traz muita felicidade
    É o encontro da mocidade
    Por isso não vamos destruir
    Vamos todos construir

    O povo tem :
    Liberdade e felicidade
    Tem telão
    Pra ver à vontade

    Parece coração
    Sempre cabe mais um
    Com muita emoção

    Venha conhecer melhor
    Essa praça
    que é de graça

  147. 147

    Zilka said,

    July 6, 2010 @ 10:36 pm

    Olá, muito interessante o site. É bem explicativo e propõe estudo sério a quem quer aprender a fazer poemas. No entanto , acredito que a poesia vem tão de dentro da gente que se tiver pontua-la conforme regras não farei nada que preste. Gosto de colocar no papel meus pretensos versos…ou não serão versos?
    Envio um que fiz para o Mario Quintana. Quero avaliação de você. Obrigada!

    PERMISSÃO
    ( poeta da praça…minha infância
    da rua…minha juventude
    da cidade…minha terra)

    Dá licença Quintana…

    de te saudar
    em minha fantasia
    e me encontrar
    na tua maresia…

    Dá licença Quintana…

    de eu recorrer
    as ruas da cidade
    e percorrer
    o chão de tua saudade…

    Dá licença Quintana…

    de eu ousar
    seguir teu caminhar
    e no teu andar
    fazer o meu andar.

  148. 148

    admin said,

    July 7, 2010 @ 10:08 am

    Zilka:

    A Ciência Poética é apenas um conjunto de observações feitas, ao longo dos anos, sobre o comportamento do verso.

    Se presta mais à estética da construção poética, mas não é fundamental ao poeta ou ao poema.

    PERMISSÃO
    ( poeta da praça…minha infância
    da rua…minha juventude
    da cidade…minha terra)

    Dá / li / CEN / ça / Quin / TA / na… 3-6

    de / TE / sau / DAR – 2-5

    em / MI / nha / FAN / ta / SI / a – 2-4-6

    e / ME-EN / con / TRAR – 2-5

    na / TU / a / MA / re / SI / a… 2-4-6

    Dá / li / CEN / ça / Quin / TA / na… 3-6

    de / EU / re / cor / RER – 2-5

    as / RU / as / DA / ci / DA / de – 2-4-6

    e / PER / cor / RER – 2-4 *

    o / CHÃO / de / TUÁ / sau / / DA / de… 2-4-6**

    Dá / li / CEN / ça / Quin / TA / na… 3-6

    de / EU / ou / SAR – 2-4 ***

    se / GUIR / teu / CA / mi / NHAR – 2-4-6

    e / NO / teu / an / DAR – 2-5

    fa / ZER / o / MEU / an / DAR. – 2-4-6

    Quanto à análise da construção poética, é um Poema Irregular na Métrica, pelo fato de apresentar versos com distintos comprimentos, mas QUASE Regular no Ritmo Poético, por tentar apresentar os mesmos comportamentos rítmicos de acordo com os comprimentos. Uma tentativa de alternar os ritmos 2-5 nos versos pentassílabos, conhecidos vulgarmente como Redondilhas Menores, com o ritmo 2-4-6 nos hexassílabos, também conhecidos por Heróicos Quebrados.

    Apresentou também um trabalho de Rimas Alternadas, quanto à Colocação, e Pobres quanto à Qualidade, que os infinitivos costumam dar às rimas em geral. Se os infinitivos fossem pouco usados, a Qualidade das rimas poderia evoluir à classe das Vulgares, ou mesmo, Boas, conforme o que sugeri nos tópicos do Glossário Poético (ver).

    Cada poema tem o seu natural e inquestionável valor poético, todavia, se pequenas mudanças não afetarem substancialmente o valor do texto, não há motivo algum para não tentá-las, portanto sugiro a sua atenção para as observações que coloquei com *:

    * – e-en / TÃO / per / cor / RER – 2-5

    Além de corrigir o verso na Métrica e no Ritmo, dá a ele uma rima com o começo do verso seguinte – então com Chão.

    ** – Para um poema ter o seu Ritmo notado é necessário que o declamemos em voz alta. Esse verso, para se justificar como uniforme aos demais parentes – 2-4-6 – exige que o “Tua” seja pronunciado em única sílaba, mas para que isso ocorra é necessário mudar a acentuação natural do pronome. O que é, originalmente, ” TU / a “, tem que virar “TUÁ”.

    de / EU / vir / ou / SAR – 2-5 – Idem ao ocorrido em *, tanto em Métrica, quanto em Ritmo e Rima. Vir com Seguir.

    Quanto à repetição do infinitivo ANDAR na última estrofe, embora dê ao texto uma bagagem de estilo, aos olhos da Versificação é de uma pobreza muito grande, mas qualquer mudança nesse sentido dependerá da vontade do próprio poeta em dar maior valor ao estilo ou ao verso mais requintado. todavia, o termo PORTAR talvez ajudasse um pouco.

    Esteja aonde estiver, Mário Quintana, com certeza, se orgulha de você, Zilka.

    Continue escrevendo. Grato pela confiança e elegância.
    Dalton.

  149. 149

    admin said,

    July 7, 2010 @ 10:32 am

    A / pra / ça / traz / mui / ta / fe / li / ci / da / de – 10
    É-o / en / con / tro / de / to / da-a / mo / ci / da / de – 10
    Por / is / so / não / po / de / mos / des / tru / ir – 10
    Ao / que / foi / bem / di / fí / cil / cons / tru / ir – 10

    Po / vo / tem : – 3
    Li / ber / da / de-e / fe / li / ci / da / de – 8
    Tem / te / lão – 3
    Pra / mo / ça / da / ver / à / von / ta / de – 8

    Pa / re / ce / co / ra / ção – 6
    Sem / pre / ca / be / mais / um – 6
    Com / mui / ta / e / mo / ção – 6

    Ve / nha / co / nhe / cer / me / lhor – 7
    Es / sa / pra / ça – 3
    Que-é / de / gra /ça – 3

    Ana:

    Se for escrito deese jeito que eu coloquei, o poema não terá qualquer erro de Métrica. Para corrigir o Ritmo Poético é outro papo, porque exige muitas mudanças, mas, pelo visto, os seus alunos são ainda muito jovens para alcançar tamanha evolução poética, portanto assim é a melhor forma de começar. Só pela Métrica.

    Parabéns pelo seu trabalho.
    Dalton.

  150. 150

    anaa said,

    July 10, 2010 @ 2:24 am

    bailarina e dançarina

    O ritmo é a damça
    a dança qe contagia.

    O ritmo tomou contagia
    contacia a alegria.

    Oritmo tomou conta
    tomou conta da dançarina.

    Dança,dança
    dança a bailarina.

    Aí qua alegria,
    a bailarina e a dançarina.

    Formam com certeza,
    a dupla qe contagia.

    Venha dançar bale,
    venha dançar tango

    A dupla que contagia,
    é a bailarina e a dançarina.

    Essa poesia, foi eu qe fiz!

  151. 151

    anaa said,

    July 10, 2010 @ 2:28 am

    Na cozinha

    Na cozinha,Luzia
    olha a pia.
    Isabela,lava
    panela.

    Na cozinha
    a mulher lava a colher
    e lava tabém
    a faca.

    Na cozinha tem
    garfo bem sarado.
    Ten frigideira
    brigadeira.

    Na cozinha
    tem mesa
    que tem muita
    fortaleza!

    essa também foi eu qe fiz.

    __________________________________

  152. 152

    admin said,

    July 10, 2010 @ 8:47 am

    Anaa:

    Você está no caminho certo, pois os versos buscam equilíbrio nos Ritmos e nas Rimas.

    Continue escrevendo e volte sempre.
    Dalton.

  153. 153

    Zilka said,

    July 14, 2010 @ 8:03 pm

    Olá,

    retorno ao site para sua apreciação.

    Obrigada,

    Zilka

    ENGANO

    Se acreditas
    no que sou
    te enganas..

    o que sou
    minto

    Os encantos que transbordam
    dos meus risos não sentidos
    têm a vida das orquídeas.
    Os dizeres que se acomodam
    entre tantos aos teus ouvidos
    são apenas perfídias.

    Se acreditas
    no que falo
    te enganas…

    O que penso
    calo

  154. 154

    Zilka said,

    July 14, 2010 @ 8:13 pm

    CREPÚSCULO

    As pálpebras do dia
    vão descendo
    tal uma concha que se fecha
    lentamente…
    movimento de molúsculos
    submersos em outro mar.
    Músculos sem força
    as nuvens mudam de cor
    descolorindo a cidade.
    A cada instante
    um pensamento profundo
    se realiza ali
    atrás da cortina
    em qualquer janela
    sob um urbano olhar.

    Vai-se a luz
    ficam as incertezas
    com seus reflexos diurnos.

  155. 155

    carlos said,

    July 19, 2010 @ 2:13 am

    Eu acho que poemas não são apenas palavras acho que pra escrever um poema deve disser a mais pura verdade.Eu queria dicas para melhora ou outra coisa para aprimentar nso poemas.

  156. 156

    carlos said,

    July 19, 2010 @ 2:23 am

    A noite cai , e com ela as lembranças de uma pessoa não só uma pessoa “A pessoa” para mim ou era naquela noite meu olhos presensiaram algo que não queriam ,um lindo beijo mas que pena que não eram meus labios nos seus.

  157. 157

    Daniel said,

    July 19, 2010 @ 4:38 pm

    Quando encontrar alguém e esse alguém
    fizer seu coração parar de
    funcionar por alguns segundos, preste atenção: pode ser a pessoa mais
    importante da sua vida.

    Se os olhares se cruzarem e, neste momento,houver o mesmo brilho intenso
    entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando
    desde o dia em que nasceu.

    Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante, e os
    olhos se encherem d’água neste momento, perceba: existe algo mágico
    entre vocês.

    Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a
    vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: Deus te
    mandou um presente:
    O AMOR.

  158. 158

    admin said,

    July 20, 2010 @ 10:52 am

    Zilka:

    Perdoe pela demora na resposta, pois estive viajando na última semana.

    Quanto aos poemas acima, prometo analisá-los tão logo resolva as coisas aqui pela casa após a viagem.
    Dalton.

  159. 159

    admin said,

    July 20, 2010 @ 11:32 am

    Carlos:

    Perdoe pela demora na resposta, pois estive viajando na última semana.

    As dicas que você precisa, para aprimorar à sua Construção Poética, pode encontrar no cabeçalho do site, tanto na página de Ciência Poética, quanto na de Glossário Poético e Exemplos.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  160. 160

    admin said,

    July 20, 2010 @ 11:39 am

    Daniel:

    Perdoe pela demora na resposta, pois estive viajando nos últimos dias.

    Esse seu pensamento é muito bonito. Sugiro que você dê uma estudada na Ciência Poética e o reescreva na forma de versos. Ficaria excelente. Parabéns.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  161. 161

    leonardo borges said,

    July 22, 2010 @ 10:21 pm

    Adm !
    eu tento fazer poemas mas nao consigo e o unico que tentei ficou assim seráa que daria pra me ajudar um pouco mais ?

    ” a vida parece um jogo de boliche
    onde a bola rola para um tiro certeiro
    temos que superar a inveja
    viver muitas vezes a miséria da insatisfação..
    e acima de tudo amar
    e perdor aqueles que fazemos nosso mundo nao semelhar.
    Para qye enfim passamos atingir a plenitude de ser maior “

  162. 162

    admin said,

    July 23, 2010 @ 8:42 am

    Leonardo:

    Basta redigir o texto em versos que apresentem, preferencialmente, semelhantes números de Sílabas Poéticas. Veja como pode ficar esse seu texto:

    A vida-é como-um jogo de boliche
    Bola que rola num tiro certeiro
    Superando-invejosa trajetória
    Da miséria da insatisfação
    E, acima de tudo, ser do-amor

    Perdoando-a quem faça deste lar
    Um mundo para não se-assemelhar
    Para que-enfim possamos atingir
    Um pleno ir e vir maior que-o mar

    Se você der uma estudada nos tópicos Escandir-Escansão, A Sílaba Poética E Sua Métrica, ambos presentes nos Glossários Poéticos, localizados no cabeçalho do site; perceberá que, com pequenas mudanças, deixei todos os versos do pensamento original com 10 sílabas em cada.

    A coisa funciona mais ou menos assim. Escreve-se o texto normal e depois se ajusta o próprio em versos. Se você der uma estudada nos elementos de Ciência Poética do site, perceberá que não é tão difícil.

    Boa sorte, grato pela visita e volte sempre.
    Dalton – Adm.

  163. 163

    lulu said,

    July 29, 2010 @ 7:11 pm

    queria uma resposta mais clara e que resumissem tudo em poucas palavras

  164. 164

    admin said,

    July 30, 2010 @ 8:41 am

    Lulu:

    A Construção Poética, por ser complexa, é também difícil de ser explicada com poucas palavras.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  165. 165

    Giovana said,

    July 31, 2010 @ 11:23 pm

    Preciso fazer um poema sobre o meio ambiente,tenho um texto que eu fiz mas gostaria de transformar ele em poema.

  166. 166

    admin said,

    August 1, 2010 @ 7:18 am

    Giovana:

    Coloque o seu texto aqui e verei o que posso fazer.

    Grato.
    Dalton.

  167. 167

    larissa said,

    August 3, 2010 @ 4:46 pm

    nao que minha escola esta querendo que eu fazo um poema falando di itamarandiba i eu nao seii fazer e estou querendo que aprender fazer e vcs pode me ajudar??pq isso e importante obrigadoo

    beijos larissa

  168. 168

    Giovana said,

    August 3, 2010 @ 5:05 pm

    mundo, mundo,mundo palavra que muitos não encontram significado
    tanta beleza imensidão grandeza…
    mas será que tudo isto é tão lindo assim?
    será que existe um lado ruim pra tanta beleza?
    infelismente existe!
    tantos noticiarios filmes relatam catástrofe pelo mundo inteiro…
    será que ninguem se comove com tudo isto? será que existem pessoas que realmente se importam com isto?
    existem, mas não são suficiente
    nós estamos destruindo a imensidão de tanta beleza a cada minuto sem percebermos.
    Precisamos mudar isso se nós quisermos deixar eesa beleza permanecer…
    pelo menos para que nosso filhos e netos poderem aprecia-lá

    desde já agradeço
    Giovana

  169. 169

    admin said,

    August 3, 2010 @ 5:27 pm

    Giovana:

    Agradeço pelo bonito texto e tomara consigamos reverter a essa pobre realidade.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  170. 170

    admin said,

    August 3, 2010 @ 5:29 pm

    Larissa:

    Escreva um texto qualquer sobre Itamarandiba, que transformaremos, aqui e juntos, esse texto em poema.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  171. 171

    edyelly said,

    August 4, 2010 @ 1:04 pm

    eu qro fazer um poema ou poesia para a olimpieda de portugues da escola agora nao tenho ideia o q fazer o tema é ” o lugar onde vivo” ME AJUDEM POR FAVOR!!

  172. 172

    admin said,

    August 4, 2010 @ 3:16 pm

    Edyelly:

    Faça uma pequena redação que trate do lugar onde você viva, e tentarei mostrar a você como faz pra transformar em poema.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  173. 173

    LARYSSA said,

    August 4, 2010 @ 11:34 pm

    não tenho idéia para fazer uma poesia com o titulo “o lugar onde vivo”. porque eu vou participar da olimpíada de português e é claro que quero ganhar!então por favor me ajudem

    bjuuuus!!!

    tchau

  174. 174

    admin said,

    August 5, 2010 @ 9:07 am

    LARYSSA:

    Parece que você e a Edyelly, do comentário anterior, querem a mesma coisa pelo mesmo motivo, então sugiro a você o mesmo que sugeri a ela no mesmo comentário: Faça um texto que trate do local onde você vive, coloque-o aqui e mostrarei como ele vira um poema.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  175. 175

    julia said,

    August 5, 2010 @ 5:05 pm

    eu adoro escrever musicas e poesias sera q posso ser uma compossitora ou uma poeta ou os dois
    ?

  176. 176

    admin said,

    August 5, 2010 @ 6:24 pm

    Julia:

    Quem faz música com letra, normalmente escreve poemas, logo, você já é uma poetisa. Mostre algo que você já escreveu, e caso queira mudar poderei ajudá-la.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  177. 177

    alexandre said,

    August 10, 2010 @ 10:59 am

    e diifiçiu fazer um poema

  178. 178

    alexandre said,

    August 10, 2010 @ 11:01 am

    quero ajuda para fazer um poema

  179. 179

    alexandre said,

    August 10, 2010 @ 11:04 am

    a mae querida do coraçao que ama amim e ao meirmao,isso e um poema?

  180. 180

    beatriz e mikaelly said,

    August 10, 2010 @ 5:33 pm

    queria saber agora como criar poemas
    porfavor eu quero agora que e para amanha de manha
    na escola.
    ass:mikaelly
    ass:beatriz

    ta ai os email da gente obrigadaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa bjssssssssssss

  181. 181

    beatriz e mikaelly said,

    August 10, 2010 @ 5:33 pm

    queria saber agora como criar poemas
    porfavor eu quero agora que e para amanha de manha
    na escola.
    ass:mikaelly
    ass:beatriz

    ta ai o email obrigadaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa bjssssssssssss

  182. 182

    admin said,

    August 10, 2010 @ 6:52 pm

    Alexandre:

    Para início de poema, o pensamento é bom, mas tem que colocar em versos. Assim:

    Mãe querida do coração
    Que ama a mim e a meu irmão

    Vá lá no cabeçalho do site, clique na página Ciência Poética, e comece a estudar. Não é difícil.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton

  183. 183

    admin said,

    August 10, 2010 @ 6:59 pm

    Beatriz e Mikaelly:

    Não se aprende a fazer poemas da noite pro dia. Sugiro que cliquem na página Ciência Poética, que fica no cabeçalho do site, e comecem a estudar por lá.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  184. 184

    bruna said,

    August 16, 2010 @ 9:28 pm

    ñ sei montar um poema com o titulo brincano com as palavras

  185. 185

    admin said,

    August 17, 2010 @ 9:51 am

    Bruna:

    Porque você não começa tentando fazer um Acróstico com o seu nome? Algo do tipo:

    B rincando com as palavras
    R imo letras com idéias
    U ma plena e outra séria
    N esta dança sou bizarra
    A o juntar criança e verbo

    Algo assim. Tenta.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  186. 186

    Juliane said,

    August 17, 2010 @ 11:09 am

    preciso de ajuda …
    tenho qe entregar uma poema como o tema, O poder da palavra ..
    com minimo 30 linhas :S
    maais eu não consigo :s me ajude por favor ?
    Ja atenciosamente agradeçendo :]

  187. 187

    josivaldo said,

    August 17, 2010 @ 11:12 am

    euquero aprende fazer um poema
    parra minha proferssara
    rose

  188. 188

    admin said,

    August 17, 2010 @ 11:36 am

    Juliane:

    Primeiro preciso saber a sua idade e o tempo que você tem para a entrega do poema.

    Aguardo.
    Dalton.

  189. 189

    admin said,

    August 17, 2010 @ 11:37 am

    Josivaldo:

    Quantos anos você tem?

  190. 190

    Ellen said,

    August 18, 2010 @ 11:01 pm

    Preciso de ajuda!!

    Na minha escola vai ter o Festival de poesia e eu não sei como fazer a minha poesia…
    Vc pode me ajudar?

    Obg

  191. 191

    Ellen Souza said,

    August 18, 2010 @ 11:07 pm

    Preciso fazer poesias com rimas sobre amizade.

    È para um concurso.

    Me ajude

  192. 192

    marcelo said,

    August 19, 2010 @ 1:11 am

    Ola gostaria de sua ajuda, pois tenho que entregar um poema e não estou conseguindo criatividade, pois a única coisa que consigo pensar neste momento é nela e o poema pode ser com qualquer titulo, e te preço encarecidamente para que você me ajude a fazer este poema, agradeço dês de já o praso de entrega seria de 3 dias. obrigado
    Att: Marcelo Martins Jr.

  193. 193

    admin said,

    August 19, 2010 @ 10:57 am

    Ellen:

    Em primeiro lugar, preciso saber em que série e grau você está estudando para que possamos estudar um texto compatível com a idade de quem vai escrever sobre a “Amizade”.

    Aguardo retorno.
    Dalton.

  194. 194

    admin said,

    August 19, 2010 @ 11:03 am

    Marcelo:

    Estava agorinha escutando Beatles, mais especificamente a canção “P.S. I Love You”. Acho que ficaria legal você escrever um poema onde cada estrofe seria uma imaginária cartinha com um, P.S. Eu Te Amo, ao final de cada uma.

    Pense nisso e qualquer coisa estarei por aqui.

    Grato pela visita.
    Dalton.

  195. 195

    marcelo said,

    August 19, 2010 @ 12:10 pm

    Dalton , o ruin é que não consigo imaginar um começo , não tenho idéias , você poderia fazer a gentileza de me ajudar a criar um começo para meu poema ?
    muito obrigado , adimiro muito você pela ajuda que você da as pessoas.

    Att:Marcelo Martins Jr.

  196. 196

    admin said,

    August 19, 2010 @ 12:49 pm

    Marcelo:

    Tem uma outra jogada, que costuma dar certo, chamada Poema Acróstico, que consiste em começar cada verso com as letras de um nome em ordem. Por exemplo: Marcelo.

    M eu amigo ou caro
    A mor é complicado
    R epete velhos tempos
    C omeça novas dores
    E negam desamores
    L embrando de momentos
    O u mesmo dos pecados

    Tente algo assim com o nome dela. Se pegar o jeitão da coisa, enfia também sobrenome, apelido, sogra etc.

    Ainda assim, se tiver muita dificuldade, posso até ajudar, mas pelo endereço tonbarsan@hotmail.com. A coisa fica menos badeirosa.

    Tenta aí e me conta depois.

    Abraços.

  197. 197

    marcelo said,

    August 19, 2010 @ 2:56 pm

    fiz esse como rascunho , mais não sei se ele ficaria bom para um trabalho de colégio … , enfim , é por que minha sala como trabalho bimestral tera que publicar um livro , e cada um tem que produzir um poema , olhe o meu como ficou , ai me fale oque achou dele e se possivel , me de dicas sobre como melhorar ele , e se ele daria para este trabalho escolar.

    I mpossível viver sem você
    D ois minutos sem você, é como uma eternidade para mim
    A mo você mais que minha própria vida
    U ltilizarei todas minhas forças para que esse amor não se acabe
    A mor, só você para me fazer feliz
    N unca esquecerei você
    E quando penso em você só consigo pensar na seguinte frase
    Eu te amo.

    Att:Marcelo Martins Jr.

  198. 198

    admin said,

    August 19, 2010 @ 5:18 pm

    Marcelo:

    Tá bem encaminhado, mas os versos estão muito longos e disformes. Tente deixá-los mais parecidos nos comprimentos e não repita tanto o termo Você.

    Creio que ficará melhor. Tenta fazer o que eu disse e mostre. Se tiver chegado bem perto de bom, eu dou uma ajudinha com as Rimas.

    Abraços.

  199. 199

    admin said,

    August 19, 2010 @ 6:47 pm

    Marcelo:

    Veja este vídeo. Certamente facilitará as coisas para você.

    http://www.youtube.com/watch?v=JMNwM_HAe48&feature=related

  200. 200

    max paulo said,

    August 20, 2010 @ 10:50 pm

    Eu precisso urgente saber fazer um poema como eu faço é obre a infancia

  201. 201

    max paulo said,

    August 20, 2010 @ 10:51 pm

    EU QUERO SABER SABER FAZER UM POEMA FALA SOBRE INFAMCIA

  202. 202

    admin said,

    August 21, 2010 @ 10:02 am

    Max:

    O poema é um texto normal transformado em versos, que fica mais ou menos bonito de acordo com o gosto do poeta.

    Escreva um texto sobre Crianças e coloque aqui. Mostrarei a você como transformá-lo em poema.

    Aguardo.
    Dalton.

  203. 203

    Carool said,

    August 22, 2010 @ 10:14 pm

    Preciso fazer uma poesia par um festival de colegio.
    O tema é livre,nao sou muito boa em escreveer.Fiz esse poema,de uma olhada para mim e se poder complementar ou dar ideias seria mto boom:

    Com poucas palavras fica dificil me expressar
    Eu nao consigo entender
    apenas sinto
    O que posso fazer?

    em vc nao paro de pensar
    nunca pensei q fosse assim
    tao dificil amar

    Obrigada!

  204. 204

    admin said,

    August 23, 2010 @ 8:58 am

    Carool:

    Eu posso sim ajudá-la um pouco, mas é importante que, se realmente pretende seguir fazendo versos, você estude, pelo que já postei nas páginas Ciência Poética e Glossário Poético, localizadas no cabeçalho do site; e desenvolva o poema à partir do próprio texto.

    Tenho poucas palavras
    E sem trapaças
    Sei que não minto
    Não consigo-entender
    Apenas sinto
    O que posso fazer?

    Se és total pensar
    Que mora-em mim
    Sem provar ser assim
    Só sei te-amar

    Veja que usei só versos com 6 e 4 sílabas, e troquei a
    Terceira pela Segunda Pessoa do Singular.

    Por que fiz isso?

    Porque é comum, até aos poetas consagrados, começarem a tratar a amada por Você e, desatentos, mandarem no final um “Eu Te amo”. Isso pode ser evitado com um pouco mais de atenção nos versos anteriores, dando ao poema, além da natural beleza, uma correção gramatical ao não misturar conjugações.

    Continue escrevendo e volte sempre.
    Dalton.

  205. 205

    jonatas cruz braz said,

    September 6, 2010 @ 4:00 pm

    Olá Dalton

    Eu gosto de escrever sempre qeu tenho alguma ideia, alguma coisa não sai da minha cabeça, algum problema, enfim sempre estou escrevendo. Porém não sou muito bom na hora de me expressar pela falta de conhecimento linguistico.

    A maioria das coisas que escrevo viram música onde cifro e toco com minha banda.

    Quero aperfeiçoar e aprender mais sobre escrita poetica, versos, estrofes, rimas.

    segue um dos ultimos textos que fiz:

    De lagarta a borboleta ou metamorfose – 01-09-2010
    Jonatas Braz

    ela se cansou de tudo
    esta começando a mudar
    esse seu pequeno mundo
    quer fugir da sua vida vulgar

    se privando e vivendo insegura
    sem riscos e sem nada querer
    mais hoje esta mais madura
    quer sentir o prazer em viver

    ela que sair do casulo
    de lagarta virar borboleta
    somos poucos mais somos tudo
    não se esconda em sua gaveta

    Aos poucos esta saindo do escuro
    dando um passo de cada vez
    não ficando em cima do muro
    quando vê ela já fez

    mesmo ainda se sentindo insegura
    com o tempo quer aprender
    com cuidado pra não fazer loucura
    e depois se arrepender

    ela que sair do casulo
    de lagarta virar borboleta
    somos pouco mais somos tudo
    não se esconda em sua gaveta

    se puder comentar fazer uma analise eu agradeço.

    Se puder mande isso por email também.

    Muito obrigado, esta de parabéns pela iniciativa e pelo site que tem um conteudo muito bom.

  206. 206

    admin said,

    September 6, 2010 @ 6:54 pm

    Jonatas:

    Vou dar uma analisada e mandar a resposta por email.

    Grato pela visita e interesse.
    Dalton.

  207. 207

    jonatas cruz braz said,

    September 6, 2010 @ 10:13 pm

    Olá Dalton, recebi seu email com a análise e alterações do poema, realmente ficou muito melhor, não mudou nada do que eu queria dizer porém ficou muito melhor de ser lido.

    Assim que gravar a música te mando.

    Vi que no site tem bastante conteúdo, pretendo estudá-lo para melhorar cada vez mais minha escrita, por onde começo? Pensei em começar pela ciência poética.

    Na verdade preciso voltar a estudar o português em geral, na época do escola não aproveitei as aulas e hoje tenho bastante dificuldade.

    Obrigado.

  208. 208

    admin said,

    September 7, 2010 @ 9:14 am

    Jonatas:

    Começar pela página Ciência Poética é um boa, porque la constam os endereços dos elementos básicos da construção poética, a começar pela Métrica.

    Os poemas não têm que apresentar, obrigatoriamente, todos os versos com o mesmo comprimento, mas sempre é bom exercitar-se no começo com eles, pois além de facilitar para o poeta, facilita também para a construção da melodia, que é o que você pretende para os seus poemas.

    Para que o poeta crie intimidade com a Métrica, é necessário que saiba trabalhar bem com a Sílaba Poética, que é a célula vital dos textos, por ser a menor parte do verso.

    Bom estudo e, caso necessite, estarei por aqui.
    Dalton.

  209. 209

    jonatas cruz braz said,

    September 7, 2010 @ 12:00 pm

    Olá dalton, tenho uma dúvida
    na verdade não ficou muito claro na ultima linha, com sua alteração o que eu queria dizer

    antes estava assim

    ela que sair do casulo
    de lagarta virar borboleta
    somos pouco mais somos tudo
    “não se esconda em sua gaveta”

    e vc mudou para
    “Só não pode é esconder na gaveta”

    a idéia aqui era de que a pessoa se fecha, vive no seu mundinho… e como você colocou, ao meu ver fugiu um pouco disso e agora não consigo pensar em nada diferente do que escrevi da primeira vez.

    Como você colocou dá a impressão que ela esta escondendo alguma coisa na gaveta, mais na verdade é ela que esta se escondendo.

  210. 210

    admin said,

    September 7, 2010 @ 1:36 pm

    Jonatas:

    Você decidiu se está explicando a situação dela ou está explicando algo a Ela?

    Veja porque:

    ela que sair do casulo
    de lagarta virar borboleta
    somos pouco mais somos tudo

    Nesses três versos você explica a coisa. Imagino que o seu “que” de “sair do casulo” seja na realidade um “quer”. Ou fica “Ela que sai do casulo” ou Ela quer sair do casulo”. Qual das duas formas é a que você tenciona usar?

    “não se esconda em sua gaveta”

    Neste verso você dá um recado direto a ela.

    Você está pedindo a Ela que não se esconda na gaveta, ou está sugerindo a Nós que não nos escondamos?

    Fico no aguardo.

  211. 211

    jonatas cruz braz said,

    September 8, 2010 @ 10:56 pm

    Isso é quer e não que, devo ter digitado errado.
    Estou pedindo a ela que não se esconda na gaveta.

    obrigado pela atenção.

  212. 212

    admin said,

    September 9, 2010 @ 1:12 am

    Valeu Jonatas!

  213. 213

    jonatas cruz braz said,

    September 10, 2010 @ 2:59 pm

    Boa tarde dalton

    Fiz essa outra letra se você puder dar uma olhada por favor mandei no seu email também não sei se você viu.

    Eu já tinha feito, ai lendo o conteúdo do seu site dei uma melhorada…

    Tempo 03-09-2010

    Passa o tempo
    Ele não para
    Meu passatempo
    Virou coisa rara

    Bem que tento
    Ninguém repara
    Quase não aguento
    Nada me ampara

    Sinto o vento
    Bater na cara
    Corro atento
    Quase uma tara

    Quanto tempo
    Que não paro
    Culpo o tempo
    Quase me amparo

    Na vida o tempo é a medida de duração
    Na música e seus compassos tem uma divisão

    Empregar o tempo
    Chegar a tempo
    Dar um tempo
    Não ter tempo
    Passar o tempo
    Peder o tempo

    Não sei se foi ontem, anteontem, outrora
    Que conheci alguém que vendia horas

    Obrigado

  214. 214

    admin said,

    September 10, 2010 @ 9:13 pm

    Jonatas:

    Parabéns! Lindo Poema.

    Pouquíssima coisa a corrigir. Talvez, encontrar alguma palavra que evite a repetição do termo Tempo nas rimas de uma estrofe. Trabalhar com versos curtos é muito difícil, e talvez eu sugira algum ajuste métrico.

    Você já leu o poema Traduzir-se, de Ferreira Gullar?

    Caso não o conheça, sugiro que leia.

    Abraços.
    Dalton.

  215. 215

    Jefferson P. Pita Jr. said,

    September 13, 2010 @ 3:55 am

    Bom…sou um cara que gosto muito de ler e escrever coisas diversas. Tenho um blog no qual você pode acessá-lo através do link que tem aqui e na última postagem fiz um poema.
    Sei que não sou um poeta de primeira mão, mas me esforcei bastante pra incrementar algumas palavras. Se puder, da uma olhada lá no blog e dê sua avaliação! E se puder, um comentário lá também, vai servir pra aumentar meu auto estima! Hahahaha!

    Abraço!

  216. 216

    admin said,

    September 13, 2010 @ 6:56 am

    Jefferson Pita:

    Na primeira oportunidade dou uma chegada por lá.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  217. 217

    Danielli said,

    September 13, 2010 @ 5:10 pm

    o link não tá abrindo!!!!

  218. 218

    admin said,

    September 13, 2010 @ 7:08 pm

    Danielli:

    Qual link não está abrindo, já que você conseguiu mandar-me o recado por este?

    Aguardo resposta.
    Dalton.

  219. 219

    jane said,

    September 14, 2010 @ 8:55 am

    como se faz um poema se amigos

  220. 220

    admin said,

    September 14, 2010 @ 10:25 am

    Jane:

    Supondo que a amizade entre pessoas tenha motivos por ambos os lados, é só localizá-los e colocar nas estrofes do poema os mais importantes para que os versos os descrevam.

    Tente fazer um rascunho do que sugeri e coloque-o aqui para discutirmos. Fica bom assim?

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  221. 221

    amandasousa said,

    September 15, 2010 @ 9:21 pm

    mais eu queria dicas de coomo fazer um poema entendeu!!!Doooo!

  222. 222

    admin said,

    September 15, 2010 @ 10:15 pm

    Amanda:

    Procure, no cabeçalho do site, a página Ciência Poética e terá muitas dicas, com certeza.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  223. 223

    Manuba said,

    September 19, 2010 @ 11:43 pm

    cara quero fazer um poema pra uma menina q eu to afim no dia do anivessario dela mais eu nao idéia de como fazer um poema ;/
    se puder me ajuda ae ^^ vlw
    abraços

  224. 224

    admin said,

    September 20, 2010 @ 12:10 am

    Manuba:

    Diz aí como é a garota. Loira ou morena? Quantos anos? O que você gostaria de falar para ela, ou que gostaria que ela falasse pra você?

    Agora preciso ir dormir, mas amanhã, com certeza, sai alguma coisa. Fico na espera.

  225. 225

    Jorge luis said,

    September 20, 2010 @ 1:33 am

    Ahh Momentos…

    Jah Dizia o filosofo (Claudiano)
    A natureza proporcionou a todos a oportunidade de ser feliz, se é que ao menos se saiba fazer uso dessa felicidade.

    Temos como exemplo nossa “Caminhada” Se Assim posso dizer …
    Pessoas passam por nossas vidas Com um intuito de Nos Fazer uma Pessoa mais Feliz, ou até mesmo não.
    Momentos vem e vão e nós sem perceber que o mundo “Gira” em torno da Humanidade.
    Penssamos que é só aquele espaço e pronto cabosse a historia!
    Ainda oque falta é Ter a Plena Consciencia de que temos que viver Cada momento se quer de nossas vidas, até mesmo aqueles mas simples e rapidos . . .
    Aprender a valorizar oque há Diante de nós, aprender a VIVER com mas Intensidade ou seja Com mas VIDA !

    Ahh Momentos . . .

  226. 226

    Jorge luis said,

    September 20, 2010 @ 1:35 am

    Euu escrevi esse Texto (Ahh momentos…)
    Queria saber se vc gostou ??

  227. 227

    admin said,

    September 20, 2010 @ 7:01 am

    Jorge Luis:

    É um texto bem bonito de próprio. Basta corrigir alguns erros de Português.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  228. 228

    Manuba said,

    September 20, 2010 @ 6:41 pm

    opa muito obrigado !
    ela é morena ,tem 16 anos mais vai fazer 17 !
    eu gostaria de dizer pra ela q eu a amo q ela e a coisa mais linda q meus olhos ja viram e q eu quero ter uma chance de fazer ela feliz!
    e eu so queria ouvir dela um sim um eu te amo!
    vlws

  229. 229

    Jorge luis said,

    September 20, 2010 @ 11:58 pm

    Hum hum … Mal Esqueci de corrigir !!
    Eu fiz e esqueci Desculpa =/

    Mas Vc acha que falta algo pra melhorar e tal ?
    Obrigado por ter Lido meu Texto *-* (Esqueci de dizer … Tenho 16 anos ^^)
    to falando minha idade só pra mostrar que adolescente Também consegue fazer algo bonito ou bom !! Muito Obrigado

    Se poder dar alguma dica pra que possa melhorar agradeço.

  230. 230

    admin said,

    September 21, 2010 @ 8:45 am

    Manuba:

    Eu tinha uma vida pequena
    No meu mundinho resumido
    Tudo passou a ter sentido
    Ao conhecer você morena

    Deus estava bem inspirado
    Quando lhe trouxe aqui pro mundo
    Que embora seja vagabundo
    Tem em você o seu bom lado

    Você é sempre a minha musa
    Nem sei como fiquei assim
    Que vive à espera de um sim
    Pra poder ser o seu Manuba.

    Taí cara. Pra começo, creio que dê para o gasto, e se a morena disser Sim, e gostar do seu “lado poético”, você terá de estudar um pouco neste site, aprender a fazer a coisa direito, e me chamar só pra corrigir. Valeu?

    Boa sorte e volte sempre.
    Dalton.

  231. 231

    admin said,

    September 21, 2010 @ 8:51 am

    Jorge Luis:

    O conselho é um só: Escrever sempre e corretamente, pois só dessa forma um texto, por se tornar cada vez mais exigente consigo mesmo, acaba ganhando um estilo nobre ou pobre, de acordo com a perfeição da escrita.

    Continue escrevendo, e caso queira transformar os seus textos em poemas, sugiro a página Ciência Poética, no cabeçalho deste site, para os estudos iniciais.

    Boa sorte, meu futuro Escritor bem sucedido!
    Dalton.

  232. 232

    Stefannie Paiva said,

    September 21, 2010 @ 11:00 am

    Eu não me considero uma escritora aprimorada pois gostaria muito de aprender tecnicas para escrever poesias, tenho milhoes de poesias no computador mas não publico porque não sei se existe algum tipo de erro, de macetes quando você faz poesias… Então eu gostaria muito de receber uma mensagem no meu e-mail para saber se tem alguma dica importante ou um aspcto negativo ou positivo para se editar uma poesia! Desde de já muito obrigada.

  233. 233

    Stefannie Paiva said,

    September 21, 2010 @ 11:05 am

    Forasteiro

    Eu que quase nunca tive paradeiro
    Fui em busca de um lugar de aconchego
    Procurei por voltas de algumas horas e encontrei quase o mundo inteiro
    Busquei maneiras para achar o lugar de um Forasteiro mas só encontrei pessoas vazias
    Cheguei a acreditar que a felicidade de um Forasteiro já não lhe existia
    E então eu voltei ao meu lugar de sempre, como sempre sozinho e no meio do caminho encontrei alguém
    Alguém que me ofereceu seu ombro amigo e sem pedir nada em troca
    Enfim o coração de um forasteiro teve fim um aconchego.

    Esse é um exemplo dos meus textos, mas esse eu vi uma forma mais de poesia porém não sei se está correto ou bom, queria sua ajuda.

  234. 234

    Manuba said,

    September 21, 2010 @ 6:21 pm

    OBRIGADO MESMO ^^

  235. 235

    Jorge luis said,

    September 22, 2010 @ 12:58 am

    HEhe … Certo Obrigado *-*

  236. 236

    Elayne Anny said,

    September 23, 2010 @ 2:48 am

    oi mais cerdo vi os comentários acima e enviei um mail para ti espero que respondas logo

    abraços.

  237. 237

    admin said,

    September 23, 2010 @ 6:41 am

    Elaine:

    Fique sossegada, responderei logo, grato.
    Dalton.

  238. 238

    Paula said,

    September 23, 2010 @ 10:00 am

    Dalton, adorei o seu site.
    Sabe, sempre gostei muito de escrever, tenho guardado em meu email vários textos de minha autoria. Mas são textos sem rima, que expressam meus sentimentos, momentos de minha vida..não entendo nada sobre poesia, poema…gostaria que me ensinasse um pouco mais em como transformar meus textos em poemas.
    Escreverei um deles aqui que fiz para uma pessoa especial e queria pedir, se possível, para que vc transformasse num poema, só para eu ver como se faz.

    Felling

    Você apareceu como num passe de mágica
    De um jeito sutil, gentil
    Palavras certas numa hora incerta
    Me fez refletir, sentir

    Tudo ficou claro…
    O que parecia grande ficou pequeno
    Minhas lágrimas se transfromaram num sorriso

    Sem olhar nos teus olhos pude te ver
    Sem tocar tua pele pude te sentir
    Palavras…que revelaram você pra mim…

    Mistério, doçura, paz…
    Você me acalma e intriga
    Ao mesmo tempo me instiga

    Meu felling me diz…serei tua
    Em algum momento da vida…serei tua

    Fecho os olhos e imagino teu rosto
    Quero sentir você, tocar você
    Sendo assim…serei tua.

  239. 239

    admin said,

    September 23, 2010 @ 6:51 pm

    Paula:

    Não sei bem o que você pretende que eu faça. Sinto que primeiro você deve definir para si o que entende como um poema diferento desse apresentado, que é um Poema Irregular, pelos distintos comprimentos dos versos, que apresenta Rimas de Eco.

    Você quer saber como eu o reansformaria num Poema Regular, que é aquele com versos em idêntico comprimento? Com rimas mais padronizadas, que são aquelas colocadas em finais de versos nas formas Paralela, Alternada e Oposta?

    Conte pra mim e me ajude quanto às suas intenções poéticas.

    É um prazer ajudá-la, mas preciso saber como. Fico no aguardo.
    Dalton.

  240. 240

    Paula said,

    September 26, 2010 @ 10:28 am

    Dalton…

    Sim, é exatamente isso que eu gostaria que fizesse. Que transformasse num poema regular, com rimas padronizadas, de acordo com as regras.

    Como eu te disse, eu adoro escrever textos, mas gostaria de aprender a escrever poemas.

    Agradeço desde já sua ajuda,

    Paula.

  241. 241

    admin said,

    September 27, 2010 @ 8:06 am

    Paula:

    Então começarei a trabalhar no texto. Como estou muito atarefado, pode demorar um pouco.

    Grato pela confiança e aguarde.
    Dalton.

  242. 242

    Paula said,

    September 28, 2010 @ 1:17 pm

    Obrigada Dalton, aguardarei.

    Um abraço,

    Paula

  243. 243

    KATHARINE SIMÕES said,

    September 28, 2010 @ 4:33 pm

    QUANTOS POEMAS PRECISA-SE PARA LANÇAR UM LIVRO?

  244. 244

    sabrina said,

    September 29, 2010 @ 10:45 pm

    quando olho as estrelas vejo meu
    mundo todo inmundo e vagabundo….

  245. 245

    admin said,

    September 30, 2010 @ 7:39 am

    Sabrina:

    O seu poema começou bonito, mas faltou explicar o porque da visão da estrela levá-la a enxergar a imundície e vagabundagem do mundo.

    Uma dica:

    Toda vez que olhamos para o céu, na verdade estamos olhando para um imenso passado.

    Grato pela visita e continue escrevendo.
    Dalton.

  246. 246

    amanda said,

    October 5, 2010 @ 8:07 pm

    eu pesso que poema e um quebra cabeça

  247. 247

    admin said,

    October 5, 2010 @ 10:39 pm

    Amanda:

    Você acertou. É um grande quebra cabeças que usa as sílabas das palavras. Sugiro pra você ler o que coloquei em As Vitrines – Chico Brincando. Lá você poderá ver como ele se diverte com as palavras.

    Dalton.

  248. 248

    amanda said,

    October 6, 2010 @ 4:54 pm

    poema é amor que vc declara ou escreve mais aproveita e faça o seu

  249. 249

    admin said,

    October 7, 2010 @ 4:32 am

    Tem razão, Amanda.

    Grato pela visita e continue escrevendo.
    Dalton.

  250. 250

    Hugo Henrique said,

    October 24, 2010 @ 5:01 pm

    Olá Dalton tenho que fazer um poema sobre mim, é um trabalho de escola, a professora já pediu pra fazer a minha biografia, ela disse que tem que fazer o poema mais ou menos relacionado a biografia, não sei como começar, você me da uma ajuda?

  251. 251

    William said,

    October 24, 2010 @ 10:43 pm

    Mandei uma mensagem para minha namorada escrevendo apenas “beijinhos”. Ela me respondeu dizendo que eu era mesmo um engenheiro e que na minha logica cartesiana eu achava que apenas “reles beijinhos” bastavam.
    Então, fiz esta poesia, mas acho que falta alguma coisa, nas rimas ou na construção. Gostaria de receber seus comentários.

    Ah!…Reles beijinhos,
    Mandados com toda pressa
    Mas que na lógica de engenheiro
    Assim o amor se expressa

    Ah!…Reles beijinhos,
    Do primeiro a gente não esquece
    Sutil, quase roubado
    Que na lembrança permanece

    Ah!…Reles beijinhos,
    Que durante o amor incendeia
    Aquela paixão ardente
    E o prazer desencadeia

    Ah!…Reles beijinhos,
    Beijo de despedida
    Deixa a gente triste
    Na hora da partida

    Ah!…Reles beijinhos,
    Seguimos nossa rotina
    Cada um com seu trabalho
    Como a vida determina

    Mas o dia que eu volto
    Ansioso pelo seus carinhos
    Tudo começa de novo
    Com aqueles reles beijinhos !!!

  252. 252

    admin said,

    October 25, 2010 @ 7:50 am

    Hugo Henrique:

    Um Poema Acróstico (versos que iniciam pelas letras do nome) sempre cai bem nessas ocasiões. Sugiro a você que tente escrever 12 versos com as letras do seu nome. Assim:

    H ouve num tempo
    U m bom momento
    G ostoso de viver
    O u de somente ser

    Agora você se vira aí com o HENRIQUE. Escreva, traga pra cá e aí fechamos juntos o poema. Pode ser assim?

    Fico aguardando.
    Dalton.

  253. 253

    admin said,

    October 25, 2010 @ 8:12 am

    Willian:

    Ah!…Reles beijinho maneiro
    Mandado com toda pressa
    Mas que na lógica de engenheiro
    Assim o amor se expressa

    Ah!…Rele beijinho calado
    Do primeiro a gente não esquece
    Sutil, quase roubado
    Que na lembrança permanece

    Ah!…Reles beijinho incandescente
    Que durante o amor incendeia
    Àquela paixão ardente
    E o prazer desencadeia

    Ah!…Reles beijinho, que viste
    Como beijo de despedida
    Deixa-me apenas triste
    Na hora da partida

    Ah!…Reles beijinho retalho
    Seguimos nossa rotina
    Cada um com seu trabalho
    Como a vida determina

    Mas no dia em que volto
    Ansioso por seus carinhos
    Tudo começa envolto
    Naqueles reles beijinhos !!!

    Bonito poema. Creio que a “Engenharia Poética” do evento possa receber o aval de Descartes.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton Pitágoras, eheh.

  254. 254

    admin said,

    October 25, 2010 @ 5:12 pm

    Willian:

    O Mané Pitágoras aqui não reparou que havia mais duas estrofes finalizando o poema, portanto aqui vai o complemento. Perdoe a desatenção:

    Ah!…Reles beijinho retalho
    Seguimos nossa rotina
    Cada um com seu trabalho
    Como a vida determina

    Mas no dia em que volto
    Ansioso por seus carinhos
    Tudo começa envolto
    Naqueles reles beijinhos !!!

  255. 255

    William said,

    October 25, 2010 @ 8:18 pm

    Obrigado Dalton. Tenho muito que aprender. William

  256. 256

    admin said,

    October 25, 2010 @ 8:38 pm

    Willian:

    Então estude um pouco e perceberá que a Construção Poética tem muito mais engenharia do que se imagina, caso contrário tudo não teria começado pelos versos de Aracne, que na Grécia Clássica formulou os primeiros Pés de Verso Articulados. Curiosamente, a Zoologia classifica os Aracnídeos como Artrópodes, que vem do grego “Pés Articulados”.

    Isto é um vício que causa profunda dependência sem fazer mal à saúde.

    Boa Sorte.
    Dalton.

  257. 257

    Raimundo Freitas said,

    October 28, 2010 @ 11:01 pm

    Estarreçi-me um poema… Uma composição.
    A cadência, a criatividades, os neologismos…. Na poesia tudo é muito lindo.
    Gostaria muito de receber ajuda, para que eu também pudesse compor.
    Um forte abraço a todos.

  258. 258

    admin said,

    October 29, 2010 @ 6:14 am

    Raimundo Freitas:

    Seja bem vindo. Você pode começar o aprendizado pela página Ciência Poética, localizada no alto da página principal do site, onde consta o nome MPB Sapiens.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  259. 259

    Sergivan said,

    November 5, 2010 @ 9:36 pm

    Quero fazer um poema e não sei ?

  260. 260

    admin said,

    November 5, 2010 @ 10:43 pm

    Sergivan:

    Escreva alguma coisa que o agrade e deixe registrado. Agora terei de sair, mas amnhã darei um jeito de continuarmos este assunto.

  261. 261

    Jem said,

    November 7, 2010 @ 10:40 pm

    Olá,gostei muito daqui! Eu queria uma ajuda p escrever um poema de amor secreto!pode me ajudar? Vem muitas idéias na minha cabeça,mas quando vou escrever acabo esquecendo ou nao consigo organiza-las…

  262. 262

    admin said,

    November 8, 2010 @ 8:02 am

    Jem:

    Você já ouviu falar da música Por Que Não Eu; do Leoni com o Herbert Viana? Num dos trechos dela dizem o seguinte:

    Quando ela insiste em beijar seu travesseiro
    Eu me viro do avesso
    Eu vou dizer aquelas coisas
    Mas na hora esqueço…

    É mais ou menos o seu caso, portanto sugiro que procure ouvir essa música deles, preste bastante atenção no texto, tente escrever um rascunho parecido, mas não igual, coloque aqui e transformaremos o seu rascunho em poema. Pode ser assim?

    Grato pela confiança e volte. Estou esperando.
    Dalton.

  263. 263

    davi said,

    November 8, 2010 @ 4:31 pm

    eu acho que e dificil emventa poema

  264. 264

    Jem said,

    November 8, 2010 @ 5:23 pm

    Obrigada!vou tentar…e dpois passo aqui.

  265. 265

    Jem said,

    November 8, 2010 @ 6:03 pm

    Essa música é muito boa,mas nao é bem o que eu quero… Mesmo assim,Valew! Nao vou desistir.vou tentar bolar alguma coisa e dpois passo aqui. :D

  266. 266

    thalia said,

    November 8, 2010 @ 6:51 pm

    e bom maistem muitas gente que ñ sabe fazer um poema né gente colabora

  267. 267

    admin said,

    November 8, 2010 @ 6:54 pm

    Davi:

    Escreva um texto corrido qualquer, coloque aqui e transformarei em poema. Você verá que é bem mais fácil do que pensa. Eu explico o que fiz.

    Estou aguardando.
    Dalton.

  268. 268

    admin said,

    November 8, 2010 @ 6:57 pm

    Jem:

    Agora que descobri que você é mulher, de fato, a música que indiquei não tem nada a ver. Mas tente simplesmente escrever um texto corrido, não muito longo, que mostrarei como transformá-lo em poema.

    Caso não queira se expor por aqui, escreva para tonbarsan@hotmail.com e lhe responderei por lá.

    Dalton.

  269. 269

    admin said,

    November 8, 2010 @ 7:00 pm

    Thalia:

    Se você precisar de alguma ajuda, pode contar comigo.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  270. 270

    Jem said,

    November 8, 2010 @ 8:44 pm

    rsrs… Vou enviar p e-mail! Obrigada! Bj

  271. 271

    Jem said,

    November 9, 2010 @ 2:49 am

    Bom,eu fiz um pqn aqui,tenho certeza q falta mudar umas coisas… É c vc!

    É tao facil escrever
    Porque só penso em:vc
    Nao tem como esquecer:vc
    Vc:é meu poema,minha cançao.
    Virou mania,virou paixao
    Vc:é uma grande emoçao que aquece meu coraçao
    E alegra minhas
    noites de verão!

    sacou a ideia dos dois pontos? Pode mudar oq vc quiser!

  272. 272

    pedro said,

    November 9, 2010 @ 9:14 am

    eu preciso fazer um poema para escola
    e urgente ate quarta que vem
    valeu

  273. 273

    admin said,

    November 9, 2010 @ 4:32 pm

    Pedro:

    Preciso ao menos saber do que tratar no poema.

    Dalton.

  274. 274

    admin said,

    November 9, 2010 @ 5:02 pm

    Jem:

    É tão facil escrever
    O poema na canção
    Não é fácil esquecer
    Nas manias da paixão

    Tudo é feito pra você
    Nos caminhos da emoção
    Nessas noites de verão
    Coração bate: você

    Pelo seu endereço digital, suspeito que você queira aproveitar o poema em alguma música. Portanto sugiro, no começo, trabalhar com versos de iguais comprimentos. No caso, usei os populares Redondilhas Maiores, que se encaixam bem do Brega ao Rock.

    Quanto às Rimas, não convém trabalhar-se muito com colocação Paralela. Essa forma que fiz é a de colocação Alternada, que dá ao poema uma nobreza maior.

    Creio que você possa continuar levando o mesmo poema adiante, com os versos em idênticos comprimentos e dispostos em estrofes Quadras. Fica mais fácil, tanto para compor quanto para ouvir.

    O uso dos dois pontos tem de apresentar a mesma coerência da gramática, ou seja, quando se endereça o texto a alguém, ou se quer chamar a atenção sobre um assunto específico. Não deve ser repetitivo, compreende?

    Boa sorte, grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  275. 275

    Jem said,

    November 9, 2010 @ 5:28 pm

    Hum… Não só quero fazer um poema mesmo. Vou continuar com esse,mas fazendo as alteraçoes q vc explicou,se é q eu entendi direito…
    Obrigada.

  276. 276

    admin said,

    November 9, 2010 @ 7:16 pm

    Jem:

    Vá tentando. Qualquer dúvida, sempre estarei por aqui.

    Grato pela confiança.
    Dalton.

  277. 277

    Jem said,

    November 9, 2010 @ 10:08 pm

    Vou continuar por esse…

  278. 278

    Jem said,

    November 10, 2010 @ 5:40 pm

    Fonte inesgotável
    De inspiraçao
    Se te amo
    É com toda razao!

    Oq acha?

  279. 279

    admin said,

    November 11, 2010 @ 6:07 am

    Jem:

    Mandou bem na introdução. Agora é só explicar as razões da inesgotável fonte de inspiração.

    Continue o poema e traga pra cá. Grato.
    Dalton.

  280. 280

    Jem said,

    November 11, 2010 @ 12:31 pm

    Eba!! Ms tipo,vou poder juntar esse c aquele q vc fez,né?!

  281. 281

    admin said,

    November 11, 2010 @ 5:59 pm

    Jem:

    Faz a experiência, mas não fique só nisso.

    Dalton.

  282. 282

    alice said,

    November 11, 2010 @ 8:56 pm

    não gostei

  283. 283

    admin said,

    November 11, 2010 @ 9:22 pm

    Alice:

    Desculpe a demora na resposta, mas isto aqui não é o “País das Maravilhas”. Acabei de postar algo semelhante: Como Fazer Letra de Música.

    Está na página principal do site. Espero que goste dessa vez, e perdoe em caso contrário.

    Grato pela visita e volte semprte.
    Dalton.

  284. 284

    Jem said,

    November 12, 2010 @ 9:16 pm

    Oi.vê se chegou meu email…

  285. 285

    admin said,

    November 13, 2010 @ 7:21 am

    Não chegou.

  286. 286

    Jem said,

    November 13, 2010 @ 8:51 pm

    Hum,acho q nao foi enviado,a minha conta hotm tah com problema…
    Nao tô conseguindo continuar… Mandei umas coisas p vc ler,q nao qro mandar por aqui. Posso te add lá?

  287. 287

    admin said,

    November 14, 2010 @ 7:06 am

    Pode sim, Jem.

  288. 288

    rafaela said,

    November 14, 2010 @ 5:21 pm

    lindos os poemas mas eu quero aprender tem um que eu sei assim, ó:
    JOGUEI O LIMÃO PRO ALTO,
    APAREI COM CANIVETE
    CONVERSA DE ADULTO
    CRIANÇA NÃO SE METE…….. E assim vai….

  289. 289

    rafaela said,

    November 14, 2010 @ 5:26 pm

    Lindos inclusive este da qui:Sonhos são a própria vida
    Onde ocorre o sentimento
    No milagre do existir
    Há as dores da ferida
    Ou prazeres de um momento
    Sempre prontos a servir

    De uma forma ou de outra
    Este sonho me faz solta

    Michelle feita de sonho
    Incapaz de ser maldosa
    Com qualquer ato medonho
    Humano vindo do peito
    Editado em verso ou prosa
    Levo a vida desse jeito
    Largo mão de ser medrosa
    Evitando o pesadelo

  290. 290

    admin said,

    November 15, 2010 @ 9:36 pm

    Rafaela:

    São bonitos poemas, mas você também pode fazê-los. Sugiro que visite a página principal do site e procure no cabeçalho um endereço chamado Ciência Poética. Lá você terá uma boa explicação de como um texto pode ser escrito em versos.

    Qualquer dúvida, volte que estarei sempre por aqui. Só nos feriados é que a resposta demora um pouco.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  291. 291

    Dayana said,

    November 16, 2010 @ 9:01 pm

    A PASCOA É MUITO IMPORTANTE!!!!!!!*
    “A Pascoa é muito Impotante porque é nela que Comemoramos o Nacimento de Jesus Cristo,e na na pascoa agente podemos comemorar muito pq agente Comemos Muitos Ovos de Chocolate,Podemos Brincar e ainda nós
    Vamos á Igreja e a Nossa Professora da Incólinha do Minical, ensina muito sobre a Pascoa ela fala porque á Pascoa é Importante e vcs já sabem Porque a Pascoa é muito Importante,Poque é Nela que comemoramos o Nacimento Jesus Cristo!”

    Oi Pessoal eu sei que a Meu Poema não ficou muito Bom Mais eu eNVIEIO Ele Pra vcs,Vcs Gostarão?????????
    Pessoais Adorei seus Poemasssss!!!!!*
    ParaBens Pessoal!!!!!*
    UM BEIJÃO PARA TODOS VCS!!!!!!*

  292. 292

    admin said,

    November 16, 2010 @ 9:29 pm

    Dayana:

    Antes de dizer qualquer coisa sobre o seu poema, me fale de você.

    Quantos anos você tem?
    Está em que ano na escola?
    Mora na capital ou no interior?

    Me conte. Ficarei esperando.

    Obrigado pela visita e volte.
    Dalton.

  293. 293

    rodrigo said,

    November 18, 2010 @ 3:39 pm

    No mundo perfeito
    Eu poderia ser alguém
    Eu poderia ser seu sol
    E eu vou brilhar
    Em cada passo que você dá

    Em um mundo perfeito
    Eu serei as estrelas à noite
    Então, eu poderia ser sua luz guiadora

    E se você está se sentindo fora do lugar
    Eu vou ser um cara amigável

    Então voe comigo, fique comigo
    Em um mundo perfeito
    Nós vamos ser tão livre
    No mundo perfeito

    No mundo perfeito
    Nós podemos ser tão livres
    Seja o que queremos ser
    Nada vai quebrar o nosso amor separado

    No mundo perfeito
    Onde magias realidade
    Um paraíso para mim e para você

  294. 294

    rodrigo said,

    November 18, 2010 @ 3:40 pm

    No mundo perfeito
    Eu poderia ser alguém
    Eu poderia ser seu sol
    E eu vou brilhar
    Em cada passo que você dá

    Em um mundo perfeito
    Eu serei as estrelas à noite
    Então, eu poderia ser sua luz guiadora

    E se você está se sentindo fora do lugar
    Eu vou ser um cara amigável

    Então voe comigo, fique comigo
    Em um mundo perfeito
    Nós vamos ser tão livre
    No mundo perfeito

    No mundo perfeito
    Nós podemos ser tão livres
    Seja o que queremos ser
    Nada vai quebrar o nosso amor separado

    No mundo perfeito
    Onde magias realidade
    Um paraíso para mim e para você

    e uma musica de (rodrigo)eu

  295. 295

    admin said,

    November 18, 2010 @ 3:47 pm

    Rodrigo:

    Você copiou agora o poema do Farinha ou você é o próprio Farinha?

    Estou analisando o poema. Em termos de texto, é uma boa declaração de amor, em formato de poema desprovido de rimas.

    O que você pretende que eu faça?

    Diga algo sobre a Métrica e o Ritmo poético também?

    Fico na espera.
    Dalton.

  296. 296

    Eder said,

    November 20, 2010 @ 5:12 pm

    Boa tarde!!
    Então, tenho algumas poesias em rascunhos que precisa ser melhorada.
    será que pode me ajudar?

  297. 297

    admin said,

    November 20, 2010 @ 5:43 pm

    Eder:

    Fique à vontade para colocá-las, uma a uma, e discutiremos à respeito.

    Grato pela confiança e volte.
    Dalton.

  298. 298

    fernanda said,

    November 21, 2010 @ 2:39 pm

    isso e muito ruim nao da nada de informaçoes

  299. 299

    admin said,

    November 21, 2010 @ 4:15 pm

    Fernanda:

    Sinto muito não poder informá-la melhor, mesmo assim, grato pela visita.
    Dalton.

  300. 300

    marcelo said,

    November 22, 2010 @ 12:27 pm

    eu queria saber como eu faço um poema..
    poorq eu naum consigo liberar oq sinto pra escreve um poema

  301. 301

    admin said,

    November 22, 2010 @ 5:46 pm

    Marcelo:

    Vou sugerir a você o mesmo que já sugeri a outros leitores anteriores:

    Todo poema é um texto normal ajustado para versos. O importante é começar escrevendo textos curtos e exercitar a transformação deles em poemas.

    Escreva aqui algo que esteja precisando por pra fora, e tentarei ajudá-lo a transformar o texto em poema.

    Grato pela confiança e volte. Estarei esperando.
    Dalton.

  302. 302

    marcelo said,

    November 22, 2010 @ 11:28 pm

    Obrigado amigo,,..
    aki esta um mini texto issu foi oq eu consegui falla
    que eu so um garoto muito indeciso, sei qual e o certo e o errado mesmo assim eu erro,, amo quem naum deveria amr e as pessoas eu deveria amr eu naum consigo ama las da maneira correta.

  303. 303

    admin said,

    November 23, 2010 @ 9:31 am

    Marcelo:

    Em primeiro lugar, o texto tem de ser escrito corretamente. Não com essa grafia de internet, herdada de uma época (uns 20 anos atrás) em que, pela falta dos sinais de acentuação, se usavam recursos como EH para escrever É, ou NAUM para escrever NÃO, ou mesmo PQ. para PORQUE e VC. para VOCÊ.

    Eu entendo que a “moda” pegou, mas perca esse vício e veja como esse seu último recado deveria ter sido escrito:

    Obrigado amigo.
    Aqui está um mini texto. Isso foi o que eu consegui falar (escrever):
    Que eu sou um garoto muito indeciso, sei qual é o certo e o errado, mas mesmo assim eu erro.

    Amo quem não deveria amar, e as pessoas eu deveria amar eu não consigo amá-las da maneira correta.

    Corrigindo isso a coisa fica muito mais fácil.

    Creio que na história da MPB os compositores já tenham tratado da maioria dos assuntos pessoais, como esse seu, de insegurança amorosa. Veja:

    Mágoa, mágoa
    Meu coração está magoado
    Pois quem eu quero não me quer
    Amar!
    E quem me quer eu não mereço
    Magoar!

    Esses versos pertencem a uma música cantada pelos The Golden Boys há uns 45 anos atrás. Procure lá no yotube que você deverá achar.

    Leia atentamente a letra e tente escrevê-la a seu modo, numa espécie de paródia. Exercite isso e depois volte aqui para me contar. Estarei esperando.

    Grato pela confiança e volte.

    Dalton.

  304. 304

    Marcelo said,

    November 23, 2010 @ 7:59 pm

    O que vc acha desse poema que eu fiz??? Faça as modificações necessárias q vc achar ^^

    Amor…
    Como descrever essa sensação maravilhosa?!…
    Quando sentimos uma conexão única com uma pessoa especial.
    Quando nos pegamos com um olhar distraído, e simplesmente pensamos “Eu a amo”.
    Quando temos um sonho e nele Ela apenas sorri ao seu lado, como se seu sorriso já dissesse muito.
    Um sorriso…
    Nada mais…
    Apenas um gesto…
    Apenas Amor…
    …você não descreve em palavras, mas sim em atos carinhosos…
    Volto para meu terceiro verso “Quando sentimos uma conexão única com uma pessoa especial”
    Uma conexão única que só nos entendemos quando estamos juntos…
    … é algo como o AMOR um sentimento sem descrição que simplesmente me faz perceber o quanto Vc é especial na minha vida.

  305. 305

    auto insurance california said,

    November 23, 2010 @ 11:37 pm

    What are you indicating, man? I know everyones got their own opinion, but really? Listen, your web log is interesting. I like the effort you put into it, especially with the vids and the pics. But, come on. Theres gotta be a better way to say this, a way that doesnt make it seem like everyone here is stupid! Jason – california auto insurance

  306. 306

    admin said,

    November 24, 2010 @ 11:45 am

    Marcelo:

    Como hoje estou muito atarefado, tentarei devolver o poema amanhã, caso consiga.

    Aguarde.
    Dalton.

  307. 307

    admin said,

    November 24, 2010 @ 11:55 am

    Jasão:

    Grateful for the comment on the fotorreceptora leather strap and it always comes back.
    Dalton.

  308. 308

    Eder said,

    November 25, 2010 @ 4:14 pm

    Oi, Dalton sempre gostei muitom de poesias e nos ultimos dias resolvi a escrever e pesquisando aqui na net achei esse site, no qual achei muito interessante o seu trabalho.

  309. 309

    Eder said,

    November 25, 2010 @ 4:19 pm

    Ai vai umas de minhas poesias….

    Queria que Deus me desse o dom para lhe recitar um poesia, mas ele me deu o dom da sabedoria que faz eu lhe amar com toda a alegria .

    Veja como ficou e de uns ajustes, ok?

  310. 310

    admin said,

    November 25, 2010 @ 6:50 pm

    Eder:

    Ando meio sem tempo. Amanhã tentarei lhe dar algum retorno.

    Grato pela confiança e aguarde.
    Dalton.

  311. 311

    admin said,

    November 25, 2010 @ 9:04 pm

    Eder:

    Encontrei um tempinho:

    Queria que Deus me desse o dom
    Para recitar-lhe um bom poema
    Mas me deu o som da alegria
    Para que eu cantasse sem problema
    Louvando à sua sabedoria

    Acho que dá para o gasto.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  312. 312

    Eder said,

    November 26, 2010 @ 11:38 pm

    Muito obrigado gostei muito!!!
    Em breve estarei postando outros…

  313. 313

    Jem said,

    November 27, 2010 @ 2:42 am

    Vc me aceitou? Quando vc fik on?rs

  314. 314

    admin said,

    November 27, 2010 @ 6:14 am

    Jem:

    Ainda aguardo a sua correspondência dos poemas lá no hotmail.

    Dalton.

  315. 315

    Heloise said,

    November 28, 2010 @ 1:05 pm

    preciso criar uma poesia ou um poema para recitar em uma apresentação.
    Como posso fazer isso?
    veja se este está bom?
    presente, passado, futuro

    hoje penso pra que foi feito o passado
    se ele nos traz lembranças ruins?…

  316. 316

    admin said,

    November 28, 2010 @ 10:55 pm

    Heloise:

    Por que você somente não tenta comparar os tempos, ao invés de dar qualidades boas ou ruins a qualquer um deles? Algo assim:

    A certeza pertence ao Presente
    Acumulado em soma do Passado
    Que pressente no sonho e se sente
    O mais puro futuro abusado

    Tenta levar o texto mais ou menos nessa idéia. Escreva-o de forma corrente e traga-o aqui para completarmos o poema. Caso baste apenas o que coloquei. Boa sorte.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  317. 317

    Heloise said,

    November 29, 2010 @ 8:27 pm

    Muitissimo obrigada, Dalton!
    Agora tentarei fazer assim!
    eu fiz uma algum tempo atras mas esqueci.

  318. 318

    Jukinha said,

    December 2, 2010 @ 5:34 pm

    oooooooooooo

  319. 319

    Heloise said,

    December 4, 2010 @ 6:24 pm

    eu fiz este:

    As magoas do passado
    A incerteza do futuro
    Junto com o meu presente
    Voltam para cá como um sol ardente

    Mas como sem pensar
    Todos se juntam num só pesar
    Como se nada pudessem fazer
    Olhar para a vida como se só restasse morrer.

    E acham que só lhes resta chorar
    Talvez até tenham razão
    Mas pra que tanta desilusão?

    também preciso fazer um sobre a LEITURA
    Alguma ideia?

  320. 320

    admin said,

    December 4, 2010 @ 8:58 pm

    Heloise:

    Dei um pequeno ajuste na coerência métrica-rítmica:

    As MA goas DO pas SA do – 2-4-6
    No-in CER to DO fu TU ro – 2-4-6
    Jun TAN do- SE-AO pre SEN te – 2-4-6
    Re TOR nam PA ra MIM num sol ar DEN te – 2-4-6-8-10

    Mas CO mo SEM pen SAR – 2-4-6
    Se JUN tam NUM pe SAR – 2-4-6
    Sem MAIS o QUE fa ZER – 2-4-6
    A LÉM de VER a VI da-em SI mor RER – 2-4-6-8-10

    E A cham QUE só RES ta- LHES cho RAR 2-4-6-8-10
    Tal VEZ a TÉ co BER tos DE ra ZÃO – 2-4-6-8-10
    Ao PER gun TAR: Por QUÊ de SI lu SÃO? – 2-4-6-8-10

    Toda vez que se mexe na métrica de um verso, convém olhar também como ficou a acentuação interna dele em relação aos demais da estrofe.

    No caso do seu poema, preferi associar versos 2-4-6 com versos 2-4-6-10, pois os primeiros, chamados Heróicos Quebrados, combinam muito bem com os segundos, chamados Heróicos.

    Compare bem o texto original com o modificado usando uma leitura em voz alta. Perceberá um ritmo muito mais equilibrado no segundo.

    Em relação ao começo, você evoluiu rapidíssimo. É só dar um pouco mais de atenção na conjugação Metro-Ritmo que você já começará a construir o poema bem ajustadinho. Uma vez ajeitado isso, discutiremos sobre as colocações das rimas. Parabéns.

    Quanto à LEITURA, por que você não usa um diálogo seu com o próprio poema sendo escrito. Além de ser um papo muito interessante, é muito educativo no aspecto Construção Poética, pois, sem que perceba, depois de alguns versos o próprio poema começa a ajudá-la na própria concepção.

    Essa simbiose, Criador-Criatura é muito velha e sempre se mostrou bem eficiente.

    Grato pela evolução notável e volte sempre.
    Dalton.

  321. 321

    Heloise said,

    December 6, 2010 @ 10:02 pm

    E se for desse jeito:

    Ler é flutuar
    Viajar em auto mar
    Pois sem que eu perceba
    O livro me rodeia
    A vida vira rosas
    Contando muitas prosas

    depois me ajuda a terminar esta e a criar outra?

  322. 322

    Heloise said,

    December 7, 2010 @ 6:31 am

    Preciso citar uma poesia na apresentação de amanhã.
    se for possivel me responda hoje.ok?

  323. 323

    admin said,

    December 7, 2010 @ 6:42 am

    Heloise:

    Quanto à métrica e ritmo a estrofe ficou boa, mas você precisa começar a não ter pressa em fazer rimar o verso logo com o seguinte, usando as chamadas Rimas Paralelas.

    Comece a tentar usar as Alternadas, pois a construção poética fica mais nobre.

    Há uma outra questão, a do “auto mar”. Se você quer se referir ao mar distante da praia, o correto é alto mar. Se você está falando de um mar só seu, então é auto-mar, o que, por sinal, tem um charme especial.

    Ler é flutuar
    No livro que rodeia
    Viajo em auto-mar
    Contando muitas prosas
    E sem que eu perceba
    A vida vira rosas

    Só troquei as posições dos versos e ajustei o texto para a troca. Percebeu a mudança nas colocações das rimas? É a isso que me refiro.

    Tente fazer a segunda estrofe do poema e traga pra cá novamente. Ficarei aguardando.
    Dalton.

  324. 324

    admin said,

    December 7, 2010 @ 6:55 am

    Heloise:

    Já respondi acima, portanto, se você deseja aumentar o tamanho do poema e quer que eu corrija, ande rápido, pois só estarei por aqui no período da manhã.

  325. 325

    Heloise said,

    December 7, 2010 @ 9:45 am

    quero sim

    eu quero saber se fica melhor assim ou como você disse:
    Criador-Criatura

    e se for assim te mandarei a outra parte do verso

  326. 326

    admin said,

    December 7, 2010 @ 9:56 am

    Heloise:

    Mande a outra parte e ajustaremos.

  327. 327

    Cidalia Maravilha Mbole said,

    December 7, 2010 @ 2:52 pm

    Ola,eu gostaria q observasses este verso q eu escrevi.Se puderes corrigir algumas coisas eu agradeceria.

    ”Doce”

    Doce é o teu olhar
    O teu toque
    e o teu andar

    Doce é o teu falar
    O teu ouvir
    e o teu amar

    Doce é o teu estar
    O teu charme
    e o teu carinhar

    Doce para mim, para mim doce é voce
    Não doce para mim, para mim doce é te ter.

    Cidalia Maravilha Mbole.

  328. 328

    admin said,

    December 7, 2010 @ 7:29 pm

    Cidalia:

    Acho que, ao invés dos Tercetos, as estrofes Dísticos, quando combinados versos com 5 e 7 sílabas, causam melhor sonoridade e impacto. Só mudei a disposição dos versos e enfiei uma rima de centro envolvendo os segundos versos dos Dísticos.

    Esse truque, além de não chamar muita atenção no aspecto Rimas, dá um misterioso som agradável aos versos longos, ao mesmo tempo em que liga as 3 estrofes. Veja:

    Doce é o teu olhar
    O teu toque e o teu andar

    Doce é o teu falar
    O teu foco e o teu amar

    Doce é o teu estar
    Com teu fogo a me agradar

    Doce para mim?
    Para mim doce é você!

    Doce meu enfim
    Pois pra mim doce é te ter.

    Espero que goste. Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  329. 329

    Heloise said,

    December 7, 2010 @ 9:51 pm

    se leio eu aprendo
    e logo compreendo
    como posso me virar
    sem que saiba eu pensar

    na minha vida já sofri
    do mesmo tanto que já li
    no pensamento antigo e belo
    que eu sei do que não quero
    se leio eu vivo
    junto com meu livro

    Dalton, eu fiz rimas paralelas.
    achei mais facil depois corrija, por favor.

  330. 330

    admin said,

    December 8, 2010 @ 5:46 am

    Heloise:

    se / LE / io-eu / a / PREN / do – 2-5
    e / LO / go / com / PREEN / do – 2-5
    CO / mo / POS / so / ME / vi / RAR – 1-3-5-7
    SEM / que / SAI / ba / EU / pen / SAR – 1-3-5-7

    na / MI / nha / VI / da / JÁ / so / FRI – 2-4-6-8
    do / MES / mo / TAN / to / QUE / já / LI – 2-4-6-8
    no / PEN / sa / MEN / to-an / TI / go-e / BE / lo – 2-4-6-8
    que-eu / SEI / do / QUE / não / QUE / ro – 2-4-6

    se / LE / io / eu / VI / vo – 2-5
    bem / JUN / to-ao / meu / LI / vro – 2-5

    Gostei! Só dei uma corrigida no último verso para ajustar métrica e ritmo. Quanto às colocações de rimas, Paralelas, Alternadas ou Opostas; qualquer mudança sua na construção do poema ocorrerá com o tempo.

    Como construção poética ficou muito bom nas relações Metro-Ritmo. Parabéns!
    Dalton.

  331. 331

    Heloise said,

    December 8, 2010 @ 9:15 am

    Dalton, obrigado pelas dicas.
    estou conseguindo escrever poemas de novo.

  332. 332

    admin said,

    December 8, 2010 @ 9:48 am

    Heloise:

    Então estenda às demais pessoas o mesmo que tenho feito com você. A decadência da MPB não está no fato do Brasileiro não saber fazer poemas, mas no tanto que ele desconhece saber fazer.

    Vá semeando pra todos os lados, mas não esqueça de voltar aqui na horta para recolher adubos, eheh.

    Boa sorte, poetisa, e grato pela redescoberta.
    Dalton.

  333. 333

    Heloise said,

    December 9, 2010 @ 12:30 pm

    Dalton, ontem apresentei.
    só que o microfone estava ruim e eu estava muito nervosa, pois apresentei outra peça.

  334. 334

    Augusto said,

    December 17, 2010 @ 9:15 pm

    Olá Dalton ,
    Primeira vez que entro no seu site e já achei interessante ,
    bom estou aqui para pedir uma ajuda ou conselho ,
    sou um leitor fiel , gosto mesmo de ler e me apaixonei pela literatura ,
    estudando então sobre os primeiros movimentos literários ,
    para deixar claro , não estudo literatura com professores , estudo sozinho
    porque eu gosto mesmo , contudo isso , quero ser escritor e dar aula de literatura,
    não consigo escrever nada decente , leio diversos poemas , mas sou péssimo pra escrever , sabe uma coisa estou esperando o tempo passar e é um erro, eu digo sempre que eu vou me formar em Letras , mas parece que eu não me consigo me mover.
    Então peço sua ajuda , o que eu poderei fazer ?
    tenho 21 anos , não tenho muitos amigos , tenho uma alma que é feita de sonhos , DESISTIR NUNCA ASSIM EU PENSO! , mas pode me ajudar , me aconselhando em algo ?

  335. 335

    admin said,

    December 18, 2010 @ 7:18 am

    Augusto:

    Posso dar apenas alguns conselhos, já que para ensinar alguém a escrever eu teria que, no mínimo, imaginar que o faça corretamente, o que não creio.

    O conhecimento sobre Versificação eu adquiri à partir do Ensino Médio, quando tive bons professores, e decidi continuar estudando sozinho, no que fiz bem, pois aprendi a dar aos meus textos características próprias, tanto em Filosofia quanto em Gramática, na qual suspeito pecar constantemente no aspecto pontuação.

    Portanto, aconselho a você continuar lendo, só que com o complemento de buscar, nos textos que ache mais interessantes, reescrevê-los com as suas próprias palavras, já que foi assim que aprendi grande parte do que sei sobre Versificação: por Paródias.

    Nunca fique com dúvidas sobre o significado de qualquer palavra, portanto tenha sempre à mão um bom dicionário, preferencialmente, um enciclopédico, que auxilia a sanar as dúvidas tanto em verbetes quanto em personagens históricos.

    Quanto a reescrever os textos favoritos, sugiro dar uma espiada em:

    http://mpbsapiens.com/como-fazer-um-verso-licao-1/

    O que fiz nessa postagem é o que a maioria dos compositores da MPB faz em suas músicas. Pegam uma estrutura poética que virou sucesso, reescrevem usando as mesmas métricas e ritmos poéticos, colocam outra melodia e a MPB ganha mais um famoso na praça.

    Exercite bastante, pois só o exercício faz com que melhoremos. Preocupe sempre com a correção da escrita, porque existe uma diferença entre escrever errado e escrever com estilo próprio. Palavras têm de ser compreendidas, escritas e acentuadas corretamente; os fragmentos de Período Sintático têm de se encerrarem com vírgula e o período com ponto. Mesmo que apresente só uma frase. Vejamos como eu escreveria o texto do seu recado pra mim:

    “É a primeira vez que entro no seu site e já achei interessante.

    Bom, estou aqui para pedir uma ajuda, ou conselho. Sou um leitor fiel, gosto mesmo de ler e me apaixonei pela literatura estudando então sobre os primeiros movimentos literários. Para deixar claro: não estudo literatura com professores, estudo sozinho porque gosto mesmo, contudo (ou com tudo isso) , quero ser escritor e dar aula de literatura.

    Não consigo escrever nada decente. Leio diversos poemas, mas sou péssimo pra escrever. Sabe uma coisa, estou esperando o tempo passar e é um erro. Eu digo sempre que eu vou me formar em Letras , mas parece que eu não consigo me mover. Então peço sua ajuda: o que eu poderei fazer?

    Tenho 21 anos , não tenho muitos amigos , tenho uma alma que é feita de sonhos: DESISTIR NUNCA!; assim eu penso, mas pode me ajudar, me aconselhando em algo?”

    Como você gosta de escrever e pretende lecionar literatura, sinto que fazer a faculdade de Letras virou uma espécie de obrigação, pelas metas apresentadas, portanto sugiro, independente de fazer ou não a faculdade, que você exercite bastante, pois só assim se sentirá cada vez mais seguro.

    Boa Sorte, futuro colega!

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  336. 336

    Augusto said,

    December 19, 2010 @ 2:32 am

    Dalton ,

    Meu amigo adorei você meu caro , não achei ironia sua em me corrigir ,
    pbrigado mesmo , eu gosto disso mesmo , eu quero mas é aprender , um dos também é domininar a Língua Portuguesa , eu acho em interessante , pois bem ,
    meu amigo posso te pedir um favor ?
    pois vou pedir , eu queria que voce fizesse um poema pra mim , indepedente que esteja legal ou não , pois sinto que confio em você , eu te peço por favor , eu queria impressionar uma garota , eu prometi a ela até que faria esse poema ,
    logo abaixo estarei deixando umas das caracteristicas dela , seguida de :

    SOBRE: VICTÓRIA WAGNER .

    eu amo comer pizzas , KKKKKKKKKKKK
    *Sou viciada eiin INTERNET
    *amo tirar FTOS’
    *amo me olhar no espelho
    *amooo muito , muito mesmo ouvir músicas
    *amo as minhas aulas de hip hop , não as largaria por nada
    *adoooro ver filmes
    *ação ,romance ,comedia

    *eu amo animais mais nn posso ter um
    eu sou meia louca
    quanto to nervosa ou fico com vergonha , fico ruendo as unhas

    mais o nervosa qe eu digo , nn é um nervoso ruim , rs !
    *aa, eu sou muito esquecida
    *as vezes eu falo sozinha
    *eu acreditava eiin papai noel
    *faz um mês eu acho qe deishei de acreditar !

    MC , VICTÓRIASMITH ! diz:
    *uAHuahuah
    *quando to eiin casa sozinha gosto de pôr o som beem alto e cantar e dançar
    *odeio qe me deêm sustos
    *não gosto de usar saias ,

    É isso mesmo o nome dela é VICTÓRIA WAGNER , e eu prometi esse poema , e eu tentei mas não conseguir , me ajude meu Dalton ?
    sou seu fã acredite , você é muito qualificado e inteligente , indepedente de qualquer não quero perder seu contato , abraços brother !

  337. 337

    Augusto said,

    December 19, 2010 @ 3:04 am

    tem alguns ERROS ai logo acima , foi mal hein brother , não foi a intenção , escrevi rapido e nem percebi.

  338. 338

    admin said,

    December 19, 2010 @ 10:06 am

    V iciada em internet
    I nsisto em tirar foto
    C omo se fosse no espelho
    T oda música se mete
    O uvido adentro e me broto
    R angando uma pizza, velho
    I ndo na de hip-hop
    A doro filmes, comédia

    W agner é só um nome
    A rtístico que eu daria
    G rande a um bicho sem fome
    N ão tendo, mas que queria
    E star com ele em meu prédio
    R oendo as unhas de tédio
    —-x—
    M e chamo Victória Smith
    C antando a xará acima

    V ictória Wagner triste
    I mersa em própria loucura
    C ontando que é esquecida
    T ambém falando sozinha
    O nde tem Papai-Noel
    R estou apenas ternura
    I ngresso agora no lance
    A gora olhando pra mim

    S oltando a minha risada
    M as esperando uma chance
    I nclusive sendo assim
    T endo o meu som lá de casa
    H oje entrei parada!

    Taí Augusto:

    Fiz dois Acrósticos, um para cada Victória, mas não acostume a pedir que eu faça poemas sempre.

    Só faço isso quando vejo que alguém está querendo também fazer os próprios poemas, mas para isso, insisto, você tem de aprender a escrever direito, seja qual for o destino que dará ao poema. Pelo que pude sentir, você é funkeiro.

    Como toda manifestação artístico-musical, o Funk merece ser bem tratado nos textos das músicas, pois nada vai adiante quando já nasce mal feito.

    Boa sorte aí com as suas Victórias sem saias.

    Grato pela confiança e volte, caso queira aprender a lidar com Versificação corretamente.

    Dalton.

  339. 339

    Augusto said,

    December 19, 2010 @ 3:05 pm

    Fala meu caro ,
    a menina adorou os acrósticos ,
    e eu também , ficou bem criativo , adorei mesmo …
    vou te dizer , pode deixar não sou desse tipo de ficar chateando as pessoas,
    e pedindo sempre um favor , não se ofenda , mas eu não costumo ser assim.
    Mas na verdade , eu não sou funkeiro , rsrs , pelo contrário eu o odeio , é serio , sou Punk mesmo , fui influênciado por Kurt Cobain , ele fudou o grunge …
    mas o que vcoe diz é verdade…
    Obrigado Dalton , valeu mesmo !

  340. 340

    admin said,

    December 19, 2010 @ 4:41 pm

    Augusto:

    Me perdoe pelo engano, mas o estilo é bem parecido.
    Fico feliz que o Acróstico tenha agradado, e aproveito para sugerir a você tente melhorar e exercitar o seu texto com eles. Seria uma boa.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  341. 341

    Heloise said,

    December 23, 2010 @ 5:02 pm

    Dalton,
    não escrevi esses dias pois estava sem internet mas agora mandarei outros poemas

  342. 342

    admin said,

    December 24, 2010 @ 7:14 am

    Heloise:

    Tudo Bem. Estarei sempre por aqui.

    Grato pela atenção.
    Dalton.

  343. 343

    Heloise said,

    December 24, 2010 @ 4:06 pm

    se semeio amor
    colho prata
    se semeio mentira
    sou ingrata

    assim foi
    assim será
    o que fez
    também terá

    fiz isso por fazer, e ai?

  344. 344

    admin said,

    December 27, 2010 @ 6:52 am

    Heloise:

    O que difere os Letristas dos Poetas é o fato dos primeiros trabalharem os versos à partir da Ciência Poética, e o últimos à partir da Espontaneidade Poética.

    Eu por exemplo, um letrista de músicas, já com a melodia pronta, escreveria o mesmo pensamento desta forma:

    se semeio-amor – 5 sílabas
    colho prata – 3 sílabas
    se semeio-a dor – 5 síl.
    sou ingrata – 3 sil.

    Se-assim foi – 3 sil.
    Assim será – 4 sil.
    E-o que voe – 3 sil.
    Também terá – 4 sil.

    Comparando:

    se semeio amor – 6 sil.
    colho prata – 3 sil.
    se semeio mentira – 6 sil.
    sou ingrata – 3 sil.

    assim foi – 3 sil.
    assim será – 4 sil
    o que fez – 3 sil
    também terá – 4 sil

    Ambas as formas apresentam coerência Métrica. O que as difere é a Rima. Eu já fiz a coisa de caso pensado, com o objetivo de levar o ouvinte decorar a letra da minha música, mas você, poetisa, simplesmente descreveu o sentimento.

    Eu continuarei um simples Letrista, mas você sempre será Poetisa. O que não a impede, também, de procurar dar uma Lapidada na gema poética, posteriormente, com truques da Ciência Poética.

    Isso é o que difere, por exemplo, Poetas Letristas como Vinícius de Moraes, Chico Buarque, Gilberto Gil… da maioria dos compositores da MPB anterior e, muito mais, da atual.

    Pense nisso, cada vez que você tiver colocado o seu texto de forma espontânea. Essa é a que vale mais, mas não custa melhorá-la depois.

    Bonito o seu pensamento.

    Grato pela confiança e volte.
    Dalton.

  345. 345

    augusto said,

    December 28, 2010 @ 1:37 am

    Amigo Dalton ,
    Como está cara , não esqueci de você …
    vim saber como foi seu Natal ,
    também dizer que eu conquistei o coração daquela menina ,
    Victória , sim ela gostou muito , então eu disse que você quem fez
    pra mim , ela não se importou e me agradeceu por lembrar dela ,
    obrigado cara , te desejo um feliz ano novo cara , fica com Deus !

  346. 346

    admin said,

    December 28, 2010 @ 6:44 am

    Amigo Augusto:

    Fico feliz pela consideração, pelo retorno e pelo fato de ter participado da união de um casal através da poesia.

    Que vocês tenham um bom futuro juntos e estendam às pessoas que bem queiram a receita da felicidade encontrada: Um simples poema!

    Grato pela visita e voltem com novas metas que se resolvam pela Versificação.
    Dalton.

  347. 347

    Danilo Lima said,

    January 9, 2011 @ 1:03 pm

    Caro Augusto, a pouco despertei uma certa estima pela poesia e pretendo transformar alguns de meus testos neste formato. No entanto tenho duvidas quanto a estrutura de um poeman pois notei que altores nem sempre seguem uma regra pré-determinada, então desejo saber até a que ponto vai a liberdade do altor em seus poemas no que se refere a gramática e estrutura.

    att Danilo Lima

  348. 348

    admin said,

    January 9, 2011 @ 1:27 pm

    Danilo Lima:

    Um dos meus leitores acima, o Augusto, a quem pude atender com dois poemas Acrósticos, tem o endereço próprio protegido. Só poderei lhe dar algum retorno sobre ele após consultá-lo à respeito do seu comentário.

    Isso pode levar algum tempo, portanto peço-lhe um pouco de paciência no aguardo da resposta.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  349. 349

    Ana Caroline Menezes said,

    January 11, 2011 @ 4:34 pm

    Admin!

    Você poderia dar uma lida nesse meu texto e falar se tem como transformar em poesia!
    você pode me ajudar.
    Escrevo em forma de texto pq em forma de poesia!
    Não sai!

    Peço sua ajuda tenho vários textos.

    Tente outra vez!

    Não, não vim desejar dias Melhores, paz, prosperidade e tudo isso que já virou costume…
    A prática do bem, o esforço contínuo e a fidelidade … nos será acrescentado em benefícios ao decorrer de nossa caminhada…

    E se no balanço das horas se descobriu que fez coisas em vão…
    Que o planejado deu errado…
    Que em muitas jogadas você saiu como perdedor…
    Você conheceu o vazio e a solidão em alguns momentos…
    O desânimo se instalou…

    Nem tudo dá certo para todos! Nem toda vida é perfeita como a de alguns…
    Porque a enfermidade aconteceu? Pq perdemos a quem amamos?
    Porquê o fôlego nos falta por vezes?!
    A dor e desesperança alçam picos elevados…

    Isso tudo acontece pq vivemos em um mundo real… estamos vivos… e embora desejemos coisas contrárias … é no pulsar do coração que nosso caminho vai sendo traçado…
    Além de nosso plantio… nossa colheita…. nossa vontade e decisão… está a permissão de Deus. Algumas intempéries são para nosso aprendizado.

    Se nada deu certo… se algo vital não deu certo… se vc caiu…
    Mas a vida pulsa mesmo vc pensando que a morte te domina…
    Não olhe mais para trás!
    Não lamente as derrotas… o roubo… o cheiro de morte… não se cobre.

    O amanhã ainda não existe…
    Até para a morte Deus deu solução…
    nos prometeu uma vida eterna ao lado dEle quando essa terminar!
    As coisas boas virão… se vc estiver bem!
    Pois então… tome as rédeas do seu coração..
    de seu novo caminhar e grite para o mundo que vc é capaz!
    Os bons acontecimentos passarão frente a seus olhos… e vc não os verá se continuarem vendados…. Tire o gesso, tire as amarras!

    Ana Caroline Menezes Moreira!

  350. 350

    Danilo Lima said,

    January 11, 2011 @ 11:10 pm

    Peço-lhe desculpas pelo ledo engamo por ter atribuido meu questionamento ao Augusto quando na verdade desejava direciona-lo a vc Dalton. perdoe-me a confusão e por favor se pocivel respondada-me ok , desde já grato.

    att Danilo Lima

  351. 351

    admin said,

    January 12, 2011 @ 2:19 pm

    Ana:

    Poderei sim atender o seu pedido, mas só amanhã, ja que terei o dia de hoje todo tomado por outros afazeres.

    Grato pela confiança e aguarde.
    Dalton.

  352. 352

    admin said,

    January 12, 2011 @ 2:21 pm

    Danilo:

    Sem problemas. Poderei dar andamento à nossa conversa só amanhã, já que hoje estou ocupado com outras coisas.

    Grato pela confiança e aguarde.
    Dalton.

  353. 353

    admin said,

    January 19, 2011 @ 11:56 am

    Heloise:

    Perdoe pela demora na resposta, pois tenho andado mais atarefado em assuntos extra internet, mas não deixarei de oportunamente dar uma olhada no seu poema.

    Grato pela confiança e aguarde.
    Dalton

  354. 354

    Heloise said,

    January 20, 2011 @ 10:55 pm

    olha essa

    SOBRE VOCÊ

    Viajando no meu coração
    encontrei uma canção
    Que falava sobre você

    Tudo nela continha varios corações cantando
    e falando
    sobre você,sobre você

    quando voltei daquele sonho
    encontrei alguem chorando
    por você

    tudo na minha vida virou
    Para você
    por Você
    Só Você
    SOBRE VOCÊ

    não ficou boa, mas tentei.

    me ajuda?

  355. 355

    admin said,

    January 20, 2011 @ 11:01 pm

    Heloise:

    Ainda não consegui parar para analisar o poema, mas vai aqui uma sugestão sobre o tema:

    http://mpbsapiens.com/desencontro/analise-de-texto/

    Assim que der, volto.
    Dalton.

  356. 356

    admin said,

    January 21, 2011 @ 9:48 am

    Heloise:

    Veja se assim ficou bom:

    Viajando no meu coração
    Encontrei uma canção
    Falando sobre você

    E na soma das minhas razões
    Presentes nas orações
    Tudo me lembra você

    Quando voltei do sonho risonho
    Encontrei alguém chorando
    Só lembrando de você

    Tudo na minha vida se vê
    Para você por você
    Só você sobre você

    Boa sorte.
    Dalton.

  357. 357

    Heloise said,

    January 21, 2011 @ 1:39 pm

    obrigada

  358. 358

    Gisele Cristina de Souza said,

    January 25, 2011 @ 10:44 am

    Bom, poesia é muito bom de se fazer, mais é muito dificil
    mais com tempo vc consegue

  359. 359

    Murilo said,

    January 26, 2011 @ 6:00 pm

    vc nao ajudam no rap nao :c

  360. 360

    admin said,

    January 26, 2011 @ 9:37 pm

    Murilo:

    O seu texto é muito grande e não tenho tido muito tempo aqui no PC.

    Posso resumir?

  361. 361

    fabia said,

    January 28, 2011 @ 2:04 pm

    assim gostaria de escrever neste estilo aguardo resposta tua peguei este teu como exemplo td separinho bem feitinho não tenho muito estudo mas o basico eu faço aguardo vc se puder me responder por email fikarei muito feliz des já muito obrigada bjs com carinho

    Heloise:

    Veja se assim ficou bom:

    Viajando no meu coração
    Encontrei uma canção
    Falando sobre você

    E na soma das minhas razões
    Presentes nas orações
    Tudo me lembra você

    Quando voltei do sonho risonho
    Encontrei alguém chorando
    Só lembrando de você

    Tudo na minha vida se vê
    Para você por você
    Só você sobre você

    Boa sorte.
    Dalton.

  362. 362

    fabia said,

    January 28, 2011 @ 2:05 pm

    me enpolguei deixei até meu email errado kkkk este esta correto obg
    email e msn : flordoorkut@live.com

  363. 363

    fabia said,

    February 1, 2011 @ 11:01 am

    admin preciso de uma ajuda sua claro se puder me ajudar ?
    eu escrevo algumas coisas do coração quando menos espero
    me vem a inpiração a todo momento em qualquer lugar já
    ando com caderninho e caneta na mão por instantes me
    vem inspiração só não sei se são poemas ou não más eu gostaria
    muito de saber como que posso fazer para escrevelos bonitinho igual
    vejo muito poemas por ai td certinho linha por linha ja pesquisei e não
    encontrei como fazer vi falar em formatação mas nem ideia de como seja eu tenho então peço a vc ke se puder me ajudar lhe agradeço de coração
    pois gostaria de poder fazer uma pasta em meu pc com meus escritos e tirar
    do caderno entendeu mas quero que seja bonitinho tenho uma conhecida
    que me ofereceu fazer mas assim não quero eu tenho que aprender pois não posso a vida toda sempre pedir aos outros uma hora a pessoa cansa e ai eu fiko na mão será que poderá me ajudar aguardo resposta obrigada

  364. 364

    admin said,

    February 1, 2011 @ 3:25 pm

    Fabia:

    Perdoe pela demora na resposta, pois estive afastado do PC nos últimos dias.

    O mais importante é que você apresente um texto escrito expondo o que pretende transformar em poema.

    Peço sempre que o texto não seja longo, pois daí fica mais fácil para começar a mostrar como fazer.

    Coloque algum texto curto e verei o que posso fazer.

    Grato pela confiança e volte.
    Dalton.

  365. 365

    sarah said,

    February 11, 2011 @ 9:34 pm

    decidi testar meu novo visual na festa de aniversario de uma menina da minha escola. cheguei la e cumpirimentei a mae dela. achei que ela estava meio gelada.

  366. 366

    admin said,

    February 12, 2011 @ 8:11 am

    Sarah:

    Continua o texto, porque agora fiquei curioso das razões pelas quais a mãe da menina estava gelada.

    Estou aguardando.
    Dalton.

  367. 367

    johan said,

    February 12, 2011 @ 12:57 pm

    era uma vez de 65.000 de anos um menino de 7 anos a menina de 7anos era uma lenda dos animais e homens lutando ate ao fim.animais assasinos o rex era o animal mais assasino outros animais carnivoros tambem eram assasinos um animal muito terrivel como o tigre dentil de sabio e tambem animais grande como a preguicia digantel o mamute dinossauros o menino cresel a menina tambem creseul ficaram felizems para sempre o destino era guera lutarar ate o fim. lutarar com animais homens e muitos mas era a sobrivencia da vida deles o king kong o macaco que era de um tamanho do rex o king kong era mais bravo que o rex para deter o king kong a fraquesa do king kong era uma bella e o king kong protegia a bella ate que a mataram o king kong bella chorom fim.

  368. 368

    admin said,

    February 13, 2011 @ 8:54 am

    Johan:

    É uma bela história. Você deve continuar escrevendo ao mesmo tempo em que aprenda a corrigir o jeito de escrever as palavras.

    Continue escrevendo e volte sempre.
    Dalton.

  369. 369

    Amanda said,

    February 15, 2011 @ 5:59 pm

    queria fazer um poema policromático ou monocromático para minha aula de artes…
    mas não tenho uma cor certa para fazer.
    então eu peço a sua ajuda

  370. 370

    admin said,

    February 15, 2011 @ 6:15 pm

    Amanda:

    Toda sílaba pronunciada possui cor e nota musical específica. É só calcular. Dá um pouco de trabalho, mas se você fizer uma breve descrição de um pensamento, posso sim calcular as cores e os sons de cada verso para você. Veja o seu nome, por exemplo:

    Amanda – Amarelo-Ouro, que equivale à nota Re bemol, da oitava central do piano.

    É isso que você quer?

    Grato pela visita e fico aguardando.
    Dalton.

  371. 371

    julia said,

    February 17, 2011 @ 5:44 pm

    eu queria muito aprender a fazer poemas minha professora pediu + nao sei o que fazer porfavor me ajudemmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm?????vai manda aeee

  372. 372

    admin said,

    February 17, 2011 @ 6:32 pm

    Julia:

    Não é difícil. Em que ano você está na escola?

    O poema é um texto normal escrito na forma de versos, que podem ou não seguir as regras da Ciência Poética.

    Escreva alguma coisa, não muito longa, que mostrarei pra você como faz.

    Fico aguardando a sua resposta.
    Dalton.

  373. 373

    Everton S Santos said,

    March 4, 2011 @ 7:51 pm

    eu rimo palavras, não sei dizer se o q eu faço é verso, poesia ou outra coisa me ajuda vou colocar alguns aqui!

    essa…

    AO AMOR DISTANTE

    Ei amor sei que estás distante…
    mas eu não paro de pensar em ti…
    em nem um instante…

    se eu já te amava…
    hoje eu te amo mais do que antes!!!

    essa…

    AMOR MAIOR

    Amor maior que o amor de um homem por uma mulher, amor maior que o amor de uma mãe pelo filho… O amor maior existe e vc pode acreditar, ele vem de Deus e nele vc pode confiar!!!

    e essa…

    ROMÂNTICO

    ESTRELA DO MEU CÉU, SEREIA DO MEU MAR, AMOR DA MINHA VIDA QUE ME FAZ SONHAR E VIAJAR NO SEU PARAÍSO, AMOR VOCÊ É TUDO QUE EU PRECISO.

    Esses foram feitos por mim Everton Simão

    o que vc acha deles? qual a maneira certa de fazer, formar? alguma dica?

    abraço

  374. 374

    admin said,

    March 5, 2011 @ 7:08 am

    Caro Everton:

    Amor Distante

    Ei amor sei que estás distante…
    Mas eu não paro de pensar em ti…
    Em nem um instante…
    Se eu já te amava (assim)
    Hoje eu te amo mais do que antes

    Quando se lida com rimas num poema, é prudente que não se deixe nenhum verso sem rima, mesmo sendo apenas Rima Toante. Esse é o motivo pelo qual acrescentei o (assim) no final do quarto verso, senão você teria dois versos Brancos, que por estarem sem rimas acabam ficando meio fora do texto, perdendo para os rimados.

    Amor Maior

    a/MOR/ ma/IOR/ que-o-a/MOR – 6 sílabas com as sílabas 2-4-6 fortes

    de-um/HO/mem/ por/U/ma/ mu/LHER – 8 sílabas com as sílabas 2-5-8 fortes

    a/MOR/ mai/OR/ que-o- a/MOR – 6 sílabas com as sílabas 2-4-6 fortes

    de/ MÃE/ por/ um/ FI/lho/ qual/QUER – 8 sílabas com as sílabas 2-5-8 fortes

    o-a/MOR/ ma/IOR/ e/XIS/te-e/ SEM/pre/ PO/de-a/CRE/di/TAR – 2-4-6-8-10-12-14

    se/ VEM/ de/ DEUS/ e/ NE/le/ SEM/pre/ PO/de/ CON/fi/AR – 2-4-6-8-10-12-14

    Esse aqui eu usei para mostrar os outros elementos poéticos usados para deixar o poema mais bonito. A Métrica, que mede a quantidade de sílabas do verso, e a Cadência, ou Ritmo Poético, que procura mostrar em que posições estão as Sílabas Tônicas dos versos. A Métrica não tem que ser igual em todos os versos, mas o Ritmo é muito importante na Declamação do poema, pois deve sempre fazer combinar os versos rimados.

    Romântico

    es/TRE/la/ DO/ meu/ CÉU

    se/RE/ia/ DO/ meu/ MAR

    o-a/MOR/ do/ CAR/ros/SEL

    que/ SÓ/ me/ FAZ/ so/NHAR

    es/TAR/ num/ PA/ra/Í/so

    de/ TU/do-o/ QUE-EU/ pre/CI/so

    A contagem das sílabas sempre encerra na última sílaba tônica do verso.

    Neste último eu mexi bastante, mas foi para mostrar a diferença entre um Poema Irregular, que possui versos com diferentes métricas e cadências – os dois primeiros poemas- e um Poema Regular, que apresenta as mesmas métricas em mesmas cadências- o último.

    Pode reparar que no Romântico ficaram todos os versos com 6 sílabas acentuadas em 2-4-6, e a entrada do Carrossel deSsonhos dá aquela idéia de Criança Indefesa que a mulher tanto gosta.

    Essas são as dicas momentâneas, mas sugiro que você estude o tema Ciência Poética, que está no cabeçalho das páginas do site. Lá você terá todas as dicas que precisa para aprender a escolher a melhor forma de trabalhar com poemas.

    Me perdoe por mexer um pouco nos textos, mas ficaria melhor para explicar as dicas.

    Grato pela confiança e volte sempre.

    Dalton.

  375. 375

    rachel said,

    March 8, 2011 @ 8:24 pm

    por que sera que a bola rola?
    deve ser por que ela e redonda
    mais por que?
    o planeta e redondo mais nao rola
    por que tem gravidade ou seja
    quase tudo que e redondo nao rola mesmo que seja do formato da bola

    (rachel albaini 9 anos)

  376. 376

    admin said,

    March 8, 2011 @ 9:43 pm

    Rachel:

    Minha princesa
    Com certeza a Terra é um planeta xereta
    Que rola que nem a bola da imaginação
    Sempre na Rotação e na Translação

    Obrigado por você vir me visitar e deixar o seu lindo poema. Continue escrevendo assim bonito e volte sempre para me mostrar. Um beijo.
    Dalton.

  377. 377

    Giulia Francielle Pereira Gonçalves said,

    March 12, 2011 @ 10:56 am

    OI MEU NOME É GIULIA SOU DA ESCOLA JOSEFINA MACEDO GONTIJO MG E QUE APRENDER A FAZER MUITOS POEMAS OPS TENHO 8 ANOS DE IDADE.

    EU JA FIZ UM POEMA:PRAIA É ASSIM QUE O MEU POEMA SE CHAMA ELE COMESSA ASSIM

    PRAIA,
    FUI PARA PRAIA PASSEAR
    FUI PARA O MAR BOIA
    PRAIA,
    QUANDO OLHO PARA O MAR
    MEUS OLHOS ATENTOS VÃO FICAR
    PRAIA,
    ENQUANTO COMO CAMARÃO
    MEU COMI UM FRANGÃO.

    GIULIA

  378. 378

    admin said,

    March 12, 2011 @ 12:10 pm

    Giulia Ferreira:

    Minha Linda, você fez um poema muito bonito, mas será que você não quis escrever EU FUI NO MAR BOIA (R)?

    É só corrigir isso.

    Faça mais poemas e volte aqui para me mostrar.
    Dalton.

  379. 379

    francisco peixoto said,

    March 14, 2011 @ 9:35 pm

    gostava que me desse uma opnião sobre o poema e sobre a forma como está escrito, obrigado.

    EU

    Sinto a vida estagnada,
    nem para a frenta nem para tràs.
    Pús-me por isso a pensar
    no que deveria fazer,
    para que a vida tornásse a andar e
    isto não voltásse a acontecer.

    Mas é dificil tentar pensar
    de um modo original,
    o que tantas vezes foi pensado
    com o mesmo objectivo final.

    Sinto o que nunca senti,
    adormecer acolá e
    acordar aqui.

    E aqui, tenho a cabeça à roda,
    quero pensar e não consigo,
    quero fazer e não faço,
    quero viver e não vivo,
    quero mudar, estou farto.

  380. 380

    admin said,

    March 15, 2011 @ 9:47 am

    Caro Francisco Peixoto:

    O conteúdo filosófico do texto é muito bonito. A redação do texto difere dos padrões brasileiros dados à Língua Portuguesa, o que indica ter sido escrito numa forma mais portuguesa, haja visto a forma como foi escrita a palavra Objectivo, com o C mudo antes do T, uma característica persistente em Portugal.

    A Ciência Poética exigiria algo mais, tanto nos aspectos de Métrica, Ritmo Poético e Rima, quanto na disposição sintática do texto. Por exemplo, a conjunção E, colocada no final do verso 5, não poderia estar lá, mas iniciando o verso 6.

    Pouca coisa precisaria ser feita para tornar o seu texto um poema ajustado nos moldes da Versificação, porém eu precisaria, para mostrar, alterar algumas passagens dele, e não me atrevo a fazê-lo sem a sua permissão.

    Posso mexer para melhor explicar?

    Grato pela confiança e aguardo o seu retorno.
    Dalton.

  381. 381

    francisco peixoto said,

    March 15, 2011 @ 5:17 pm

    obrigado pelo comentário e força aí, permisão para mexer aceite.

    em relação ao (e) no quinto verso, eu também escrevo como voce diz que se deve escrever, mas houve alguém que me disse que não era assim, ou então fui eu que fiquei com a ideia de alguém me ter dito isso, realmente acho que fica bem melhor como diz.

    Este poema foi praticamente o meu primeiro, escrito em 2003, talvez por isso não tenha grande ciência poética, um abraço e aguardo a sua resposta.

  382. 382

    admin said,

    March 16, 2011 @ 9:40 am

    EU

    SIN/to-a/ VI/da-es/TA/g/NA/da, 1-3-5-7
    Pa/RA/da/ PA/ra-a/ FREN/te-ou/ PA/ra/ TRÁS. 2-4-6-8-10 (trás com faz)
    E isso faz-me pensar – 2-4-7
    No que devia fazer, 2-4-7
    Para-a vida-em si tornar a-andar 1-3-5-7-9
    E isto não voltar a-acontecer. 2-4-6-8-10

    Mas é difícil tentar pensar 2-4-7-9
    De-um modo mais original, 2-4-6-8
    Se tantas vezes já pus-me-a cogitar 2-4-7-9-11
    C´o mesmo objectivo final. 2-4-6-10

    Sinto-o que nunca senti, 1-4-7
    Adormecer acolá 1-4-7 (acolá com acordar)
    E acordar aqui. -1-4-7

    Tenho a cabeça toda-à roda, 1-4-6-8 (Verso Branco)
    Quero pensar e não consigo, 1-4-6-8
    Quero fazer e não o faço, 1-4-6-8
    Quero viver e já não vivo, 1-4-6-8
    Quero mudar, e-estou tão farto… 1-4-6-8

    Francisco Peixoto:

    Fiz uma Escansão nos dois primeiros versos para mostrar como ocorre a separação das Sílabas Poéticas numa contagem da Métrica. Os números que surgem ao término do verso indicam as posições das sílabas tônicas no mesmo, o que determina o chamado Ritmo Poético, ou Cadência Poética.
    Manda o bom senso que uma estrofe deve apresentar homogeneidade rítmica entre os versos que a formam, de maneira a que não fique qualquer deles sem companheiro no ritmo. Veja o que ocorreu na primeira estrofe.

    O primeiro verso apresentou a cadência 1-3-5-7, que só difere da 2-4-6-8 por começar por uma sílaba tônica, as os intervalos são os mesmos, dessa forma, o seu ritmo é compatível com o do verso seguinte, 2-4-6-8-10, e encontrará maior parentesco com o verso 5, que apresenta 1-3-5-7-9.

    O segundo verso, 2-4-6-8-10, terá a companhia do verso 6, e o segundo verso, que apresenta 2-4-7, terá igual companhia no verso seguinte.

    Por exemplo, se houvesse um, e somente um verso com a cadência 2-5-8 dentre os demais, este seria um Verso Manco, ou Verso de Pé Quebrado, considerado falho na interpretação rítmica do poema.

    Veja agora o que fiz com as rimas. Coloquei de forma Alternada, sem deixar nenhum verso sem companhia sonora, pois, à exemplo do que ocorre com o ritmo, qualquer verso isolado no som, ou sem rimar com outro numa estrofe, é conhecido por Verso Branco, que merece as mesmas considerações do Manco.

    Alguns poucos poetas desenvolveram um truque com versos Mancos ou Brancos nas estrofes. Fazem isso, propositalmente, para chamar a atenção do ouvinte quanto ao texto do verso onde houve a ocorrência, como o presente no primeiro verso da última estrofe, mas isso não deve ser feito com abusos nas demais estrofes, pois caso o poeta não consiga se fazer entender bem, o poema ficará caracterizado como sofrível.

    Um poema não nasce para ser lido, e sim Declamado, já que as Sílabas Gramaticais se prestam apenas ao estudo da Gramática, porque as Sílabas Poéticas vêm das tendências idiomáticas das falas cotidianas, e não das escritas.

    Sugiro a você que faça a Escansão dos demais versos do poema, para entender a relação Metro-Ritmo, e o uso dos índices poéticos, que constam no cabeçalho da página principal do site, para as devidas consultas de ajustes.

    Bom estudo e, caso precise, estarei sempre por aqui. Abraços.
    Dalton.

  383. 383

    Matheus said,

    March 16, 2011 @ 10:36 pm

    Gostaria de saber como fazer a estrutura de um poema…
    Na verdade, quero tirar uma pequena dúvida, porém é importante para mim.
    Minha professora me pediu para fazer uma poesia, e eu já a fiz. Mas é que ela não coube numa folha de caderno inteira. Já que não coube, seria correto eu colocar o resto da poesia ao lado?

  384. 384

    admin said,

    March 17, 2011 @ 9:22 am

    Matheus:

    Depende do tamanho do caderno. Se o cadernos for pequeno, é justificável que não caiba um poema longo nele, mas se for um caderno grande, no qual não tenha cabido o poema inteiro e requeira ainda um espaço lateral para tornar-se completo, o que você fez não foi um simples Poema, mas um Épico Camoniano ou Dantesco.

    Aconselho a você, primeiro, entender bem o que a professora imagina ser a extensão ótima de um Poema, para depois de definida a coisa tentar escrever dentro das bases de Versificação imaginadas por ela.

    Poemas podem conter poucos versos, como um Soneto, que tem 14 versos. Geralmente, os poemas comuns possuem entre 24 e 32 versos.

    Será que a sua professora não deseja algo mais assim?

    Pergunte a ela e volte aqui, caso necessite.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  385. 385

    Matheus said,

    March 17, 2011 @ 9:25 pm

    Dalton, obrigado pela dúvida retirada. Já está tudo resolvido, a professora avaliou e me deu uma boa nota.
    Agradecido!
    Abraços, Matheus :)

  386. 386

    admin said,

    March 17, 2011 @ 10:45 pm

    Matheus:

    Quando precisar, estarei por aqui.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  387. 387

    ELLEN said,

    March 21, 2011 @ 10:53 pm

    OIIIIII EU QUERO SABER COMO EU POSSO PRODUZIR UM POEMA DE AMOR

  388. 388

    sarah said,

    March 21, 2011 @ 11:01 pm

    oi voce ten unmigo e divetidos voce gaviu umapesoua que e diferentes
    masi e jogar vijogeimes

  389. 389

    admin said,

    March 21, 2011 @ 11:20 pm

    Volte sempre sarah.
    Dalton.

  390. 390

    admin said,

    March 21, 2011 @ 11:22 pm

    ELLEN:

    Em primeiro lugar é necessário que você escreva um texto normal. Faça isso, coloque aqui e eu mostro como transformar o texto em poema.

    Pode ser assim?

    Grato pela confiança e volte com o texto.
    Dalton.

  391. 391

    MARIA DE fÁTIMA said,

    March 23, 2011 @ 10:34 pm

    Adoro ler e escrever, mas tenho muito para aprender, posso contar com vc?
    postarei sempre que possivel pra vc ler e dizer onde errei.
    Geralmente não escrevo coisas longas, adoro pensamentos e formato eles, te mostro depois e aceito toda sua ajuda ok?
    desde já agradeço
    Maria

  392. 392

    MARIA DE fÁTIMA said,

    March 24, 2011 @ 12:12 am

    Olhar para si

    Aprenda olhar para si mesmo
    com amor e generosidade
    aprecie sua beleza e seus encantos
    Vendo através de si, o retrato se sua
    vida e quão é importante.

    Maria de Fatima

  393. 393

    admin said,

    March 24, 2011 @ 9:07 am

    Olhar para si

    Aprenda a olhar para si mesmo
    com amor e generosidade.
    Aprecie sua beleza e seus encantos
    vendo através de si o retrato de sua vida
    e quão é importante.

    Maria de Fátima:

    Bom Dia!
    É um belo pensamento para lembrar que existe uma valorização interior imprescindível para que os demais valores se edifiquem.

    Apenas corrigi o que imaginava ser necessário para o ajuste gramatical do texto, mas não sei qual ajuda minha você necessitaria. Pretende transformar o pensamento num poema obediente das regras da Versificação?

    Grato pela visita, pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  394. 394

    bruna said,

    March 24, 2011 @ 12:45 pm

    eu acho fazer poemas um saco q as professoras não
    tem o q fazer e fala pra os coitados dos alunos fazerem
    um trabalho assim
    eu acho melhor ler os poemas dos poetas proficionais e
    não agente quebrar a cabeça para fazer isso.

  395. 395

    MARIA DE fÁTIMA said,

    March 24, 2011 @ 11:33 pm

    Dalto, eu que agradeço sua opinião, se vc achou que está bom, confio em você, to
    formatando emandando ao público,e gostaria que me ajudadasse com suas opiniões, se estão bem, se precisam ser mudado, onde errei, deixarei esse aqui hoje pra vc avaliar.

    Superei

    Fecho meus olhos…
    Assim não vejo
    nada que me lembre você.
    O tempo passará
    e não sentirei
    E quando a dor cessar
    Meus olhos tornarem se abrir
    Não verão mais você
    Gritarei feliz, Eu superei.

    Maria de Fátima

  396. 396

    MARIA DE FÁTIMA said,

    March 24, 2011 @ 11:35 pm

    Dalto, eu amaria aprender tornar-los em poemas com regras, lindos como vc faz

  397. 397

    Débora said,

    March 27, 2011 @ 3:35 pm

    Preciso transformar meu texto em poesia , não sei muito como se faz isso.. pode me ajudar? vou colocar o texto que eu fiz aqui em baixo.

    “Um dia cheia de inspiração”
    E então uma da passamos a entender,que nossa vida só tem graça realmente se for imprevisível.saudade,amores,paixões,fazem parte , e mais do que isso fazem diferença.ainda assim,sofrimentos são precisos ,pois no momento em que sofremos não entendemos ,mas só depois vemos que foi pra estar bem melhor que antes.feliz daueles que tem pessoas ao seu redor e que mesmos ausentes sabemos que estão torcendo por nós, e isso contribui muito.felicidade verdadeira é perceber alegria nas coisas mais simples, é sentir o amor de Deus . até então não tenho fórmulas certas para conduzir minha vida, mas uma coisa é certa ,cultivar o amor, deixar o amor habitar entre nós, isso é essencial.ah,amor,amor,palavra tão usada e pouco vivenciada da forma verdadeira e sincera.cansa muito esse amo tão falando e pouco sentido,vivido e valorizado.mas no meio disso tudo vejo que devemos ter como meta para nossa vida ser cada vez mais harmoniosa, é tentar ver o outro além do que pereça ser, é ver através dos olhos a alma , e principalmente não julgar sem saber o que há dentro de cada pessoa,sem saber o que ela realmente pensa e é.no meu coração passam coisas e sentimentos que além de Deus ninguém entende, e não entenderá,mas superarei todas as saudades e obstáculos que virão em minha vida , e com muita paciência receberei as coisas mais lindas e abençoadas que Deus pode dar alguém.realmente a vida é feita de fases,não sempre boas ,mas são fases.

  398. 398

    Débora said,

    March 27, 2011 @ 3:49 pm

    Preciso transformar meu texto em poesia , não sei muito como se faz isso.. pode me ajudar? vou colocar o texto que eu fiz aqui em baixo.

    “Um dia cheia de inspiração”
    E então uma da passamos a entender,que nossa vida só tem graça realmente se for imprevisível.saudade,amores,paixões,fazem parte , e mais do que isso fazem diferença.ainda assim,sofrimentos são precisos ,pois no momento em que sofremos não entendemos ,mas só depois vemos que foi pra estar bem melhor que antes.feliz daqueles que tem pessoas ao seu redor e que mesmos ausentes sabemos que estão torcendo por nós, e isso contribui muito.felicidade verdadeira é perceber alegria nas coisas mais simples, é sentir o amor de Deus . até então não tenho fórmulas certas para conduzir minha vida, mas uma coisa é certa ,cultivar o amor, deixar o amor habitar entre nós, isso é essencial.ah,amor,amor,palavra tão usada e pouco vivenciada da forma verdadeira e sincera.cansa muito esse amo tão falando e pouco sentido,vivido e valorizado.mas no meio disso tudo vejo que devemos ter como meta para nossa vida ser cada vez mais harmoniosa, é tentar ver o outro além do que pereça ser, é ver através dos olhos a alma , e principalmente não julgar sem saber o que há dentro de cada pessoa,sem saber o que ela realmente pensa e é.no meu coração passam coisas e sentimentos que além de Deus ninguém entende, e não entenderá,mas superarei todas as saudades e obstáculos que virão em minha vida , e com muita paciência receberei as coisas mais lindas e abençoadas que Deus pode dar alguém.realmente a vida é feita de fases,não sempre boas ,mas são fases.

  399. 399

    admin said,

    March 27, 2011 @ 10:03 pm

    Débora:

    Tem que transformar o texto inteiro em versos ou posso sintetizá-lo?

    A segunda forma é bem rápida e a primeira bem demorada, mesmo porque só poderei fazê-lo amanhã.

    Grato pela visita e aguardo resposta.
    Dalton.

  400. 400

    Débora said,

    March 28, 2011 @ 8:48 pm

    Prefiro em versos, mas caso demore muito pode sintetiza-lo.. já é pra amanhã…
    Obrigada… !!

  401. 401

    admin said,

    March 29, 2011 @ 7:53 am

    Débora:

    Apenas corrigi algumas coisas e coloquei na forma de versos, mas não imagine que tornei o texto um poema, que requer bem mais do que um simples texto em versos.

    Grato pela confiança e boa sorte!
    Dalton.

    “Um dia cheia de inspiração”

    E então uma da passarmos a entender
    Que a nossa vida só tem graça
    Realmente se for imprevisível
    Saudades, amores e paixões fazem parte
    E mais do que isso fazem a diferença

    Ainda assim o sofrimento é necessário
    Pois no momento em que sofremos
    Não entendemos
    Mas só depois vemos
    que foi pra estar bem melhor do que antes
    Felizes aqueles que têm pessoas ao seu redor
    E que mesmo ausentes
    Sabem que estão torcendo por eles
    E isso contribui muito

    Felicidade verdadeira
    É perceber alegria nas coisas mais simples
    É sentir o amor de Deus.

    Até então
    Não tenho fórmulas certas
    Para conduzir a minha vida
    Mas uma coisa é certa:
    - Cultivar o amor e deixá-lo habitar entre nós
    Isso tem de ser essencial!

    Ah, o amor
    palavra tão usada e pouco vivenciada
    De forma verdadeira e sincera.
    Cansa muito esse amo tão falando
    Mas pouco sentido, vivido e valorizado
    E no meio disso tudo
    Vejo que devemos ter como meta
    Para nossa vida ser cada vez mais harmoniosa,
    Tentar enxergar o outro além do que pereça ser
    Vendo através dos olhos a alma
    E principalmente não julgar
    Sem saber o que há dentro de cada pessoa
    Sem saber o que ela realmente pensa e é.

    No meu coração passam coisas e sentimentos
    Que além de Deus ninguém entende
    E não entenderá
    Mas superarei todas as saudades e obstáculos
    Que virão em minha vida
    E com muita paciência receberei as coisas
    Mais lindas e abençoadas que Deus pode dar alguém.

    Realmente a vida é feita de fases
    Nem sempre boas
    Mas fases são fases…

  402. 402

    evellyn said,

    April 3, 2011 @ 4:19 pm

    vai um poema

    se o tempo volta sse seria bom, eu iria voltar e faser o certo e ver vc de perto mas o tempo nao volta mas e eu deixei vc para tras

    sou uma garota de 13 anos que iventou esse poema

  403. 403

    evellyn said,

    April 3, 2011 @ 4:22 pm

    existi varios poblemas no mundo sem solusao mas o meu maior poblema é conquistar seu coraçao0

  404. 404

    admin said,

    April 4, 2011 @ 8:47 am

    Evellyn Gatíssima:

    Antes de tudo é necessário que você escreva o texto de forma correta para depois transformá-lo em poema. Veja o que você escreveu e perceba como deveria ter sido escrito:

    se o tempo volta sse seria bom, eu iria voltar e faser o certo e ver vc de perto mas o tempo nao volta mas e eu deixei vc para tras

    sou uma garota de 13 anos que iventou esse poema

    Corrigido:

    se o tempo voltasse seria bom,
    eu iria voltar, fazer o certo
    e ver você de perto
    mas o tempo nao volta mais
    e eu deixei você para trás

    sou uma garota de 13 anos que inventou esse poema.

    Eu apenas corrigi o seu texto, coloquei em versos e achei que ficou muito bonito.
    Você leva jeito para a Poesia. Basta corrigir esses erros e aprender alguns segredos comigo.

    Escreva mais poemas pra mim, só que dessa vez capriche mais no texto.

    Grato pelo poema e volte sempre.
    Dalton.

  405. 405

    Jéssica said,

    April 4, 2011 @ 8:57 am

    é muito então por isso não aprendi!xauu bjssssssssssssss

  406. 406

    Jéssica said,

    April 4, 2011 @ 8:59 am

    oiiiii gente é grande então por isso não aprendi ! xauuzinhuuuu bjsssssss

  407. 407

    admin said,

    April 4, 2011 @ 9:10 am

    Jéssica:

    Estarei sempre por aqui para atendê-la caso um dia resolva voltar a tentar.

    Grato pela visita.
    Dalton.

  408. 408

    kelly avelino said,

    April 8, 2011 @ 10:55 pm

    nao sei escrever nada,preciso transformar estas frases uma carta…me ajuda…
    Meu Amor..

    Tdos estes anos so me fez ver que o tempo foi meu maior inimigo.
    Te amo,te amo tao intensamento com da primeira vez que eu te vi.
    No começo nao passava de birra de uma garota que ainda era uma menina.
    Tento entender com eu podi deixa vc ir sabendo que minha felicidade estava do seu lada,
    mesmo sua indiferencia e melhor do nunca mais te ver…
    Sera que aqueles momentos que passamos juntos foi uma nada…
    Eu e minhas muletas acho que ainda nao apredi a andar sozinha.
    A uns anos atraz eu sonhei com voce era tao verdadeiro.
    Seu sorriso,que parece poder ver minha alma,eu te toquei foi com antes,so de tocar eu sabia
    que voce me queria mesmo qdo me negava seu amor,bastava te tocar para tdo voltar …
    Passei anos chorrando tdas noites com uma viuva com seu luto eterno…
    Tinha tanto medo, de ter ver e ter bem .
    Me responde so eu te amei …
    Nao precisa falar a muito eu sei da resposta …
    So uma vez voce podeira mentir …
    Vamos eu te ajudo,eu falo as frases vc so tem que repitir,nao e tao dificio tenho certeza q vai conseguir
    Eu tbm te amo …
    Sinto sua falta desde daquela noite que vc falou que tinha acabado …
    Amo vc,me toca vai ver que nada mudou sou o seu amor …
    Vc nao esta vendo no meu olhar como foi dificio para mim fica sem vc …
    Talves o orgulho nos impediu de ser feliz mais isso ja e passado estou aqui ve me abraça,
    estamos juntos novamente…

    Meu amor .
    Vou te amar pela vida tdo…

  409. 409

    admin said,

    April 8, 2011 @ 11:05 pm

    Kelly:

    Você quer que eu apenas acerte o texto da carta ou quer transformá-la em poema?

    Se for só acerto de texto, amanhã estará pronta. Se for poema demorará mais um pouco.

    Grato pela confiança e aguardo um retorno.
    Dalton.

  410. 410

    kelly avelino said,

    April 13, 2011 @ 8:04 pm

    Dalto:

    Seria somente o acerto do texto,mais se você transformar em poema vou adorar..
    Att: Kelly Avelino

  411. 411

    admin said,

    April 14, 2011 @ 9:39 am

    Pronto. Confesso que, com maior tempo, poderia ficar bem melhor.
    O seu texto não é ruim. É apenas mal escrito e conjugado. Não se mistura TE com VOCÊ num mesmo texto. “Eu te amo” com “Você me faz feliz”. Se começou no TE, leva o resto do texto nessa conjugação. Se colocar VOCÊ, o papo muda.

    Todos esses anos só me fizeram ver
    Que o tempo foi o meu maior inimigo.

    Te amo
    Te amo tão intensamente
    Como da primeira vez em que te vi.
    No começo não passava de birra
    De uma garota ainda menina.

    Tento entender como pude deixar-te ir
    Sabendo que minha felicidade estava ao teu lado
    Mesmo a tua indiferença
    É melhor do que a nossa ausência
    Será que aqueles momentos
    Que passamos juntos se perderam no tempo?

    Eu e as minhas muletas
    Acho que ainda não aprendi a andar sozinha.

    Há uns anos atrás eu sonhei contigo
    E era tão verdadeiro o teu sorriso
    Que parecia poderes ver a minha alma
    Eu te toquei como antes
    Só de tocar eu sabia que me querias
    Mesmo quando me negavas teu amor
    Bastava eu te tocar para voltar o calor…

    Passei anos chorando todas as noites
    Como a viúva em seu luto eterno…
    Tinha tanto medo, de te ver bem…
    Me responda agora:
    Foi só eu que te amei naquelas horas?
    Não precisa falar porque há muito eu sei a resposta…

    So uma vez poderias mentir?
    Vamos, eu te ajudo
    Eu falo as frases e não ficas mudo
    Apenas me repita
    Não é tão difícil
    Tenho certeza que irás conseguir

    Eu também te amo
    Sinto tua falta desde aquela noite
    Em que disseste que tinha acabado
    Ainda te amo
    Me toques e verás que nada mudou
    Sou eu o teu amor

    Agora não vês no meu olhar
    Como foi difícil para mim separar
    Talvez o orgulho de outrora nos impediu
    De sermos felizes

    Como outrora não é agora
    Esqueçamos as cicatrizes
    Nos amemos por anos afora
    Até virarmos senhor e senhora.

    Meu amor:
    - Vou te amar a vida toda como agora

    Grato pela confiança e boa Sorte com o cara!
    Dalton

  412. 412

    kelly avelino said,

    April 14, 2011 @ 7:06 pm

    Oi!!!!!!!

    Obrigada,agora sim esta lindo…
    Espero que me de sorte …
    Bjs…

  413. 413

    sergio ramos junior said,

    April 17, 2011 @ 12:14 am

    muitos meninos e meninas perdem tenpo
    com pipa bola de gude bailes por q
    ñ tentão faze um poema vou fazer o meu
    eu já chorei como todo vão chora do
    inicio ao fim da sua vida por coisas ruim e coisa boas
    conquista o seu verdadeiro amor mais perde uma
    peça da sua vida.

  414. 414

    ¸¸.*?l?#a.¸¸.*? .¸¸.*? said,

    April 20, 2011 @ 10:30 pm

    poesia vem do coraão da pessoas sober o sentimento sobre personalidade adore !!!

  415. 415

    ¸¸.*?l?#a.¸¸.*? .¸¸.*? said,

    April 20, 2011 @ 10:31 pm

    poesia vem do coraçãoo da pessoas sober o sentimento sobre personalidade adore !!!

  416. 416

    admin said,

    April 21, 2011 @ 5:22 am

    *?l?#a.?:

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  417. 417

    nayalla priscila said,

    April 23, 2011 @ 12:41 pm

    Admim, eu preciso criar um poema, mais da minha autoria.. e eu nao sei como fazer eu tenho vontade de criar poemas, mais nao vem rimas, nem palavras na minha cabeça…queria fazer poemas sobre Deus, amizades, ou ate mesmo amor..mais as palavras nao fluem em minha cabeça… Podia me dar uma ajuda, ou ate mesmo fazer um poema???
    Espero respostaa

  418. 418

    ísis said,

    April 24, 2011 @ 8:40 pm

    Oiee.
    Conheço varios poemas e varios poetas adoro, adoro ler suas artes e seus pensamentos.
    Sempre escrevi poemas, mais tudo o que eu escrevo é sobre amor.
    Acho que é, porque sempre sofri.
    Todos os meu sentimentos se resumem em palavras, em versos e em frases.
    Tento escrever sobre outras coisas, mas tudo que sai é sobre o amor.
    Quando eu era pequena escrevia com sem noção, mais no final tudo se resumia no que aconteci.
    Sofri muito amando um garoto e ele sempre me machucava, para curar meu coração usa as palavras.
    Escrivo tudo sobre amor.Queria escrever sobre outras coisas.
    Uso muito bem as palavras, quando quero imprecionar alguém.Em. questões de segundo sai do meu coração mensagem para minhas amigas.
    Mais não sei se o que eu escrevo são poemas.
    Como faço para escrever sobre outras coisas?

  419. 419

    admin said,

    April 25, 2011 @ 11:44 am

    Nayalla:

    Um poema é apenas uma forma diferente de escrever o texto, mas é fundamental que o texto seja escrito corretamente. Por exemplo, você usa muito o “MAIS” quando está querendo dizer “MAS”. Os significados são bem diferentes, pois o MAIS dá a idéia de quantidade e o MAS a idéia de discordância.

    Sugiro que você leia algumas letras de músicas que eu coloquei aqui no Sapiens, pois nelas aprenderá a escrever corretamente, enquanto aprende a transformar o texto comum em poema.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  420. 420

    admin said,

    April 25, 2011 @ 12:14 pm

    Isis:

    Sugiro duas coisas:

    A primeira, fundamental, aconselha que você sempre tenha cuidado ao redigir o texto. Observe o texto do seu recado pra mim e entenderá do que estou tratando.

    A segunda aconselha você a ler outras coisas, que não romances e contos de amor. Por exemplo, Humor. Leia Luis Antonio Verissimo, Leon Eliachar, A Lei de Murphy…

    Comece escrevendo pensamentos curtos usando os significados de palavras pouco utilizadas nas rimas.

    Vá até o Índice Geral, que fica no cabeçalho da página do site, e encontrará um monte de pensamentos meus nas formas de Rima Disto ou Daquilo.

    Daí para a frente é só abrir o dicionário, em qualquer página, e deixar a sua curiosidade viajar por dentro dele.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  421. 421

    Ellen said,

    April 26, 2011 @ 3:45 pm

    oi, eu gostaria de criar um poema para um trabalho na escola, e nesse poema tem que ter o nome de alguns colegas meus como: Pollyana, Rosélia, Vanesa,
    Vanuza e Weslen, mais eu nao sei por onde começar a fazer esse poema, será que voce pode me ajudar?

    Agradecida!!

  422. 422

    Ellen said,

    April 26, 2011 @ 4:54 pm

    tambem pode me mandar por e-mail!

    obrigado

  423. 423

    admin said,

    April 26, 2011 @ 7:18 pm

    Ellen:

    Os nomes das colegas já estão definidos?

    Quais as idades de vocês?

    Quando você tem que entregar o poema?

    Poso ajudá-la sim, mas com essas informações ficaria mais fácil.
    Dalton.

  424. 424

    Ellen said,

    April 27, 2011 @ 10:11 am

    sim, os nomes sao esses mesmos….
    eles tem por volta de 16 e 17 anos…
    tenho que entregar o poema quinta-feira.

  425. 425

    Ellen said,

    April 27, 2011 @ 2:53 pm

    Olá Dalton

    na verdade é pra fazer com o nome de todos os meus colegas, mas como o trabalho é em grupo, agente dividiu as partes para ficar mais facil de fazer, e a minha parte é so com esses nomes ai mesmo, eles tem entre 16 e 17 anos, tenho que entregar o poema amanha (quinta-feira)!

  426. 426

    admin said,

    April 27, 2011 @ 5:16 pm

    Ellen:

    Estou meio sem tempo, mas deu para fazer algo rápido. Espero que sirva.

    Aqui há um grupo amigo:
    Pollyana com seu jeito bacana
    Trás a fama de ser nosso abrigo
    A Rosélia de cravo e camélia
    Trás a graça junto consigo
    Se a Vanessa acaso se esqueça
    De alguém nesta festa imodesta
    E a Vanusa se mostre confusa
    A Weslen apara as arestas

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  427. 427

    nayalla priscila said,

    April 27, 2011 @ 5:27 pm

    Oii..estou de volta
    consegui fazer um poema… queria sua opiniao,, pra ver como ficou…lá vaai
    Amor distante
    Olho para ele, sinto-me tão bem
    Garoto tao lindo,sera que me queres bem?!
    Pergunto porque fico assim
    E vem a resposta “sim” para poder amá-lo sempre!

    Como chora meu coraçao
    Por que sera tanta solidao
    Vindo em meu coraçao
    Creio que essa dor ira acabar.

    Sentimento que jamais sera esquecido
    Que levarei pra sempre comigo,
    Garoto que faz meus olhos brilhar
    Mas que nunca ira me amar.

    Solidao que nao tem fim,
    Mas Deus esta olhando pra mim
    Esperança que nao acaba
    Por um dia ser feliz com ele!!

  428. 428

    camille said,

    April 27, 2011 @ 5:43 pm

    que cha…………………muito legal adorei

  429. 429

    admin said,

    April 27, 2011 @ 9:49 pm

    Camille:

    Que bom que gostou!

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  430. 430

    admin said,

    April 27, 2011 @ 9:54 pm

    Nayalla Priscila:

    É isso aí. Tem que ir à luta.

    Vá até o cabeçalho da página principal do site e encontrará um endereço com o nome Ciência Poética. Comece a estudar a Sílaba Poética e Sua Métrica.

    Aproveita esse seu primeiro texto e começa a trabalhá-lo na forma poética. Perceberá que conseguirá um progresso rapidamente, porque, afinal, motivos não lhe faltam para agradar o garotão sortudo aí.

    Boa sorte e continue escrevendo.
    Dalton.

  431. 431

    Ellen said,

    April 28, 2011 @ 11:37 am

    Oi Dalton, queria que voce me desse sua opinião sobre esse poema que fiz, e se tiver errado, voce poderia refaze-lo da maneira correta pra min?!

    Janicléia com uma palavra eu quero rimar
    mas não acho nada pra combinar
    Jéssica até tentou me ajudar
    mas nada ela conseguiu encontrar

    Jocileide da minha poesia criticou
    ela achou que me magoou
    mas na verdade me ajudou
    Joscelina me complementou
    minha poesia então pronta ficou

    eu fiz uma outra com os nomes que eu tinha te dado…..veja como ficou…e me dê sua opinião e se quiser refaze-lo fica a vontade.

    Não sei por onde começar
    poesia difícil de criar
    nomes de colegas tenho que encaixar
    o nome de Rosélia não consigo rimar

    Tenho que quebrar a cabeça
    para o nome de Pollyana aparecer
    penso, penso e penso e aparece vanesa
    poesia eu quero fazer
    pra logo esquecer

    Vanuza bem que podia me ajudar
    mas no meu grupo ela não está
    Weslen não gosta de poesia
    por isso não pode opinar
    o que me resta é imaginar

  432. 432

    admin said,

    April 28, 2011 @ 11:57 am

    Ellen:

    Para um iniciante em poemas, ambos estão muito bons. Com um pouco de estudo nos temas Sílaba Poética, Métrica, Estrofação e Rimas você conseguirá evoluir rapidamente, posto que escreve bem.

    Vá ao cabeçalho da página inicial do site e pesquise Ciência Poética. Com as informações de lá você mesma poderá ajustar os seus poemas.

    Posso até fazê-lo e continuarmos conversando sobre eles, mas agora, curiosamente, estou pra lá de ocupado no meu Dicionário de Rimas, que brevemente estará postado aqui.

    Tente não trabalhar com um mesmo som de rimas em muitos versos seguidos. Por exemplo, o som AR está muito repetitivo.

    Continue tentando e mantenha contato. Mais à noite estarei menos ocupado.

    Boa sorte.
    Dalton.

  433. 433

    Ellen said,

    April 28, 2011 @ 2:58 pm

    oi Dalton

    só passei pra te agradecer, esse teu site me ajudou muito, até gostei
    de fazer poemas, sempre que eu poder vou dar uma passada aqui com alguns poemas pra vc dar uma olhadinha.
    Muito obrigado mesmo….

    Até mais vê…

  434. 434

    heloisa said,

    April 28, 2011 @ 4:31 pm

    um poema quando se aprende a fazer nunca mais esquece fica no coraçao xau bjs

  435. 435

    admin said,

    April 29, 2011 @ 7:57 am

    Concordo Heloisa.

    Grato pela visita e volte sempre. Bjs.
    Dalton.

  436. 436

    Washington Piza Bensabat said,

    April 29, 2011 @ 12:00 pm

    Bom dia Dalton ;

    Sou fascinado por muitas áreas da arte e pode compor é uma das minhas grandes paixões, gostaria de sua ajuda para analisar um texto que escrevi a pouco, não tenho muita noção das regras de composição, apenas vou escrevendo e deixo a paixão pelo texto me levar… Quero poder um dia publicar as obras que for capaz de criar. Agradeço imensamente sua ajuda.
    Se preferir fazer as críticas via email fique a vontade !!!
    Será um grande prazer mantermos contato .

    ODE AO SILÊNCIO

    Não quero o silêncio erudito e tácito
    Das bocas caladas pelo medo
    Não quero ouvir os que vertem pranto plácido
    E os que lastimam em segredo

    Não quero minha voz abafada
    Pela pressão taciturna
    Da solidão que não diz nada
    Eu quero o mundo em polvorosa
    Na razão que se faz muda
    Quero a canção, quero o sorriso
    Quero vociferar, se for preciso

    Não quero o silêncio imputado
    Como um tapa que abrasa no meu rosto!
    Sim, eu quero o silêncio, mas quero
    Poder falar tudo o que sinto;
    Poder sentir tudo o que fale
    Eu quero decidir quando me cale!

    Não quero minha voz aprisionada no peito
    Enquanto o mundo ecoa alarido ao meu redor!
    Eu quero decidir; é meu direito
    E não lutar por ele omissão!
    Silêncio! Não consigo ouvir direito!
    Há um barulho estranho no meu peito
    E não parece ser meu coração!

    Se em meu coração nada ecoa
    Não há sentido a surdez
    Se na alma coisa alguma ressoa
    Dilacerando a total lucidez
    (W.Piza Bensabat)

  437. 437

    admin said,

    April 29, 2011 @ 1:46 pm

    Caro Washington:

    Se esse seu texto resultou apenas do embalo sentimental, posso lhe dizer que escreve muito bem. Por ter a seu real valor no som da declamação muito mais do que na escrita, um poema tem uma série de exigências rítmicas muitas vezes não percebidas quando apenas se escreve o texto sem lê-lo em voz alta.

    No momento, estou muito ocupado para atendê-lo com melhores informações, mas à noite tentarei trabalhar nele e amanhã enviarei o meu parecer por email. Pode ser?

    Caso eu esqueça, por gentileza, me lembre, pois estou com alguns afazeres fora daqui que me levam para outras atenções. Não tenha vergonha de fazê-lo e nem repare caso ocorra, pois estou em correria mesmo.

    Grato pela confiança e aguarde.
    Dalton.

  438. 438

    Eduarda said,

    May 2, 2011 @ 3:28 pm

    Oi, eu tenho que fazer um trabalho para escola,fazendo um poema para o dia das mães, pelo qual achei muito interesante. Me inspirei e consegui achar palavras bem legais, mais tenho uma duvida, o poema só pode ser feito com rimas?

  439. 439

    admin said,

    May 2, 2011 @ 4:57 pm

    Eduarda:

    A rima é apenas um complemento opcional do poeta. Não se preocupe com ela.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  440. 440

    Jênifer Maramaldo said,

    May 8, 2011 @ 9:50 pm

    Oie,eu escrevi algo não sei se chega a ser um poema,preciso da sua avaliação

    #Sentimentos#
    Os sentimentos de uma mulher pedem ser facelmente feridos,
    por mais que ela aparente ser forte,decidida e madura,a mulher
    é como uma Rosa ´´Forte´´ pois a Rosa representa o Amor,mais
    totalmente ´´Frágio´´ pois a Rosa é um ser delicado e facilmente se destroe.Foi por isso que Deus criou a Mulher e fez dela o unico ser do
    mundo capaz de aguentar diferentes dores,tanto emocional como fisica,
    e nem por isso se deixa abater,ergue a cabeça e recomeça.

    Oque acho??

  441. 441

    ísis said,

    May 8, 2011 @ 11:33 pm

    Oi, adorei suas dicas. Vou tentar ler mais humor.
    Adoro românce, eu me envolvo com os personagens, sinto o que eles estão sentindo e muitas vezes vi que isso já aconteceu comigo.
    Gosto muito de um escritor chamado Nicholas Sparks, já li o livro dele aA útima música e agora estou lendo Querido John.
    Me sinto atraída pelo românce.
    Tendo só 12 anos, já me enganei muitas vezes com a questão do amor.
    Todos os garotos acham eu uma nerd, porque tiro as maiores notas da sala e quero encontrar um garoto que seja romântico e que não me faça sofrer.
    Porque quando gosto de alguma coisa ou algém eu me dedico totalmente a isso.
    Sempre quis ser uma poetisa ou uma escritora famosa.
    Acho que isso nunca irá acontecer.
    Agradeço você por ler o que escrevo.
    É uma honra ter uma pessoa como você lendo simples palavras que escrevo.

  442. 442

    admin said,

    May 9, 2011 @ 11:07 am

    Jênifer:

    Antes de qualquer coisa é necessário que o texto seja escrito corretamente e o conjunto sintático separado em versos e os assuntos separados em estrofes. Compare:

    Os sentimentos de uma mulher
    Podem ser facilmente feridos,
    Por mais que ela aparente ser forte,
    Decidida e madura,
    A mulher é como uma Rosa:
    Forte
    Pois a Rosa representa o Amor
    Mas totalmente Frágil
    Pois a Rosa é um ser delicado
    Que facilmente se destroi.

    Foi por isso que Deus criou a Mulher
    E fez dela o unico ser do mundo
    Capaz de aguentar diferentes dores,
    tanto emocional como fisica,
    e nem por isso se deixa abater,
    Ergue a cabeça e recomeça.

    O que achou?

    Para conhecer as regras dos poemas vá ao cabeçalho do site e clique em Ciência Poética.

    Grato pela visita, bom estudo e volte sempre.
    Dalton.

  443. 443

    admin said,

    May 9, 2011 @ 11:16 am

    Ísis:

    Acho ótimo que você se dedique à leitura, cujos resultados explicam as suas notas altas na escola. Quando se lê um livro, para se absorvê-lo integralmente, tem-se que fazer o que você faz: Vivê-lo como se fosse a própria história.

    Quanto ao apelido de Nerd, deixe que os menos capazes se divirtam com as próprias pobrezas culturais, pois você é quem melhor conhece o seu valor. Quanto aos amores, como diria Fernando Lobo, na música Chuvas de Verão:

    Ressentimentos passam como o vento
    São coisas de momento
    São chuvas de verão
    Trazer uma aflição dentro do peito
    É da vida um defeito
    Que se extingue com a razão

    Continue se preocupando mais com o seu interior e menos com os interiores exteriores.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  444. 444

    Ellen said,

    May 9, 2011 @ 2:40 pm

    Oi Dalton sou eu de novo, eu escrevi mais um poema e eu queria que você desse uma olhada pra me dizer como ficou e pode refaze-lo se quiser…
    fico muito grata por sua ajuda…..

    Sem palavras

    você min perguntou
    o que eu quero ser pra você
    eu sem saber o que dizer
    disse que nao sabia
    eu nao te falei mas
    eu quero ser pra você

    a lua que brilha a sua noite
    o sol que brilha o teu dia
    o vento que toca o teu rosto
    a água que banha o teu corpo
    eu quero ser sua
    pra sempre sua

  445. 445

    Iracelma António said,

    May 9, 2011 @ 5:52 pm

    Bem eu gosto muito de poemas e desde sempre gostei eu acho que el ja está dentro de mi, eu escrevo poemas de amor de amizade e muito mas e até ja declamei em alguns grupos juvenis na qual eu faço parte, mas o que eu faço ainda não foi divulgado, e eu gostaria de levar avanti prk na realidad é mesmo a minha praia eu gostaria de levar adiante porque eu considero-me uma pessoa talentosa, escrevo desde os meu nove anos de idade, comecei a levar a sério aos 16 anos….. É uma penas que principalmente nos os talentosos ou seja pessoas que têm don pra tal coisa são postos de fora….

    Mas tudo tem seu tempo
    mas é uma pena que ele passa tão lento
    e eu não me contento……….mas a minha esperança nunca morre ela estara sempre viva ……..

  446. 446

    admin said,

    May 9, 2011 @ 6:46 pm

    Iracelma:

    Você, de fato, mostra ter o talento nato das poetisas, todavia é um pouco desatenta na digitação das palavras, veja:

    Bem eu gosto muito de poemas e desde sempre gostei eu acho que (ele) ja está dentro de (mim), eu escrevo poemas de amor de amizade e muito (mais). (e) até (já) declamei em alguns grupos juvenis (na qual eu) dos quais faço parte, mas o que (eu) faço ainda não foi divulgado, e (eu) gostaria de levar avant(e) (porque) na realidad(e) é mesmo a minha praia (eu) e gostaria de levar adiante porque (eu) considero-me uma pessoa talentosa, escrevo desde os meu nove anos de idade, comecei a levar a sério aos 16 anos….. É uma pena(s) que principalmente (nós), os talentosos, ou seja, pessoas que têm (dom) pra tal coisa são postos de fora….

    Mas tudo tem seu tempo
    (E) é uma pena que ele pass(e) tão lento
    Eu não me contento……….
    Porque a minha esperança nunca morre
    Ela estará sempre viva ……..

    Com um pouco mais de atenção o poema ficará muito mais bonito.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  447. 447

    Mariele albino da Silva said,

    May 9, 2011 @ 11:48 pm

    tenho um poema…..

    A Rita
    se me visita
    Tras marmita
    E batata frita

    Fernando
    As vazes
    Sai com um bando
    De Zé armando

    Alfredo
    Tem um segredo
    Se esta com medo
    Chupa no dedo

    O dado
    Quer ser soldado
    Ou um delegado

    Marta é bailarina
    As vezes
    Vai de bota
    Para piscina

  448. 448

    admin said,

    May 10, 2011 @ 8:48 am

    Mariele:

    Quantos anos você tem?

    Dalton.

  449. 449

    ísis said,

    May 10, 2011 @ 9:25 am

    Oi Dalton.
    Sou eu denovo.
    Obrigado por me ajudar.
    Percebi que só sofro, porque não consigo ter amor própio.

  450. 450

    admin said,

    May 10, 2011 @ 10:34 am

    Ísis:

    Por mais que a coisa pareça injusta, podemos, quando muito, ajudar aos mais carentes, desde que tenhamos energia para mantermos a nós mesmos.

    Você pode apenas ajudar e não resolver os problemas do mundo.

    Faça apenas a sua parte, com a consciência da sua capacidade própria, e não permita que os de menor valor tentem torná-la parecida com eles. Seria um desperdício para ambos.

    Grato pela confiança e volte sempre que desejar.
    Dalton.

  451. 451

    Louise Victória said,

    May 16, 2011 @ 6:17 pm

    legal!!!!!!!!!
    S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2

  452. 452

    admin said,

    May 17, 2011 @ 7:02 am

    Louise:

    Então volte sempre. Grato.
    Dalton.

  453. 453

    everton said,

    May 17, 2011 @ 3:06 pm

    tenho vontade de aprender fazer poemas mais não tenho ritimo oque faço para aprender ?

  454. 454

    admin said,

    May 17, 2011 @ 3:53 pm

    Everton:

    Sugiro que pesquise sobre Ritmo Poético, ou Cadência, no endereço Ciência Poética, que consta no cabeçalho da página principal do site.

    Grato pela confiança e bom estudo.
    Dalton.

  455. 455

    Rebeca Lima said,

    May 22, 2011 @ 3:54 pm

    Eu gostaria muitooo que vcs escrevessem um poema sobre um amor perdido mais tenque ser criado por vc pq é para redação e minha professora Claudenice Dias provavelmente conheça muitos poemas e eu ñ queria q ela descobrisse q ñ fui eu que fiiz o meu por favor quem tiver algum aí mande para o email rebecalima09@hotmail.com

    Obrigada, Rebeca Lima

  456. 456

    Renato said,

    May 23, 2011 @ 2:02 am

    Olá, muito boa a ideia do seu site/livro, Dalton.
    Gostaria de saber sua opinião em uma pequena obra que fiz depois de entender que o poeta não necessariamente escreve o que sente. Fique à vontade quanto a crítica de métrica, ritmo ou outras técnicas de escrita; sua opinião é crucial para meu aprendizado.

    Pobre poeta panaca
    Que pelas ruas pisa
    Que por todos é pisoteado
    Como uma pobre puta

    Pobre poeta sem ideias
    Que padece sem padecer
    Que palavra não fala
    Que pintura não olha
    Que gosto não prova.

    Pobre poeta Pinóquio
    Que mente mais que pilantra
    Que pigarreia sem coçar
    Que pincela sem pintar
    Que traz paz com guerras
    Que paspalhão!

    Pois que acabe,
    Oh, pobre poeta panaca,
    Pois que tuas peripécias se silenciem
    Pois que tu ponhas um ponto final
    No teu falar emaranhado.

    http://sitedepoesias.com/poetas/Renatogasp

    Obrigado.

  457. 457

    jessica da silva pereira said,

    May 29, 2011 @ 2:36 pm

    se vc ñ sabe amar ñ magóa quem te ama

  458. 458

    admin said,

    May 29, 2011 @ 3:05 pm

    Jéssica:

    Esse é o primeiro verso de algum poema?
    Precisa que eu a ajude em algo?

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  459. 459

    alexandre said,

    June 2, 2011 @ 6:16 pm

    minha professora e muito chata ela me pediu pra faer um poema coisaaaaaaa chata rebeldeeeeeeeeeee chegou a minha vez eu sou o didiei q vaitoca e sempre assim q meu coraçao vai ser
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  460. 460

    admin said,

    June 2, 2011 @ 8:08 pm

    Pô Alexandre!

    A professora que é chata ou é você quem escreve mal?
    Decide aí cara, porque, por aqui, e pelo que você escreveu, já deu pra sacar aonde mora o problema.
    Tente escrever algo mais correto e volte. Continuarei por aqui.

    Grato pela visita e volte sim.
    Dalton

  461. 461

    Lucas said,

    June 5, 2011 @ 2:14 am

    Gostaria de entender melhor métrica conta-se as sílabas e quando tiver fim vogal com vogal junta-se né ?
    somente isso ou se tem mais coisa ?

    E também eu quando tento poetizar não fica bom pois trava e ai eu só consigo prosseguir usando rima e acho feio com tanta rima e tals somente assim, eu que sou ruim ou é assim mesmo no inicio ?
    e tem umas rimas tambem que sao rimas mas nem parecem ai eu nao entendo…
    Abç

  462. 462

    admin said,

    June 5, 2011 @ 9:09 am

    Lucas:

    É também isso. Existe algo chamado Sílaba Poética, que nada mais é do que o som comum das sílabas quando falamos. Essas sílabas, que diferem das gramaticais pelo fato de estarem ou não unidas pelas vogais átonas, possuem quantidades nos versos. São essas quantidades que determinam a Métrica. Mas não é só isso. Como as sílabas podem ser átonas ou tônicas, ao posicionamento das tônicas no verso dá-se o nome de Ritmo Poético.

    Sugiro que você vá ao cabeçalho da página principal do site, procure por Ciência Poética, ou Glossário Poético, e lá terá todas as informações necessárias sobre esses nomes que coloquei acima.

    Grato pela visita, bom estudo e volte sempre.
    Dalton.

  463. 463

    raffk wyll said,

    June 5, 2011 @ 9:26 am

    eu não sei fazer poema,eu tenho dificuldade.
    O que faço

  464. 464

    raffk wyll said,

    June 5, 2011 @ 9:28 am

    como eu faço para fazer um poema

  465. 465

    admin said,

    June 5, 2011 @ 10:28 am

    Raffk Wyll:

    Todo poema é um texto comum colocado em versos. A princípio, um texto possui diferentes pensamentos dispostos em períodos, ou parágrafos. Esses pensamentos são as estrofes, e as Orações dos períodos são dispostas em versos, cujo número de Sílabas Poéticas determina a Métrica e as sílabas tônicas o Ritmo Poético.

    Para você entender bem o processo de formação do poema, sugiro que procure, no cabeçalho da página principal do site, o endereço Ciência Poética. Nele terá todas as informações que precisa para o aprendizado.

    Grato pela visita, pela confiança, volte sempre e bons estudos.
    Dalton.

  466. 466

    candaide said,

    June 16, 2011 @ 1:57 pm

    eu não sei fazer um poema

  467. 467

    admin said,

    June 17, 2011 @ 8:53 am

    Candaide:

    Todo poema começa por um texto comum. Todo texto comum começa por um assunto que leve a pessoa a escrever. Escolha um assunto, escreva um texto sobre ele e volte, que mostrarei como transformar o texto em poema.

    Grato pela confiança e volte.
    Dalton.

  468. 468

    Luyan said,

    June 21, 2011 @ 8:13 pm

    Eu queria aprender a fazer poema e poesia.
    você poderia me ajuda?

  469. 469

    admin said,

    June 22, 2011 @ 8:48 am

    Luyan:

    Normalmente, um poema é apenas uma outra forma de escrever um texto comum. Por exemplo, o texto que você usou para me mandar o recado ficaria assim:

    Eu queria aprender
    A fazer poema e poesia
    Você poderia me ajudar?

    Basicamente é isso: separar as orações do texto normal em versos, para a partir de então começar a transformar o Poema em Poesia pelas regras da “Ciência Poética”, cujo endereço se encontra no cabeçalho do site. Clique nesse endereço e terá todas as informações necessárias para o aprendizado. Sugiro começar por Sílabas Poéticas.

    Grato pela confiança, bom estudo e volte sempre.
    Dalton.

  470. 470

    Camila said,

    July 15, 2011 @ 3:55 pm

    Oi Dalton!
    Preciso de uma ajuda sua, se possível.
    Gosto muito de escrever e adoro ler livros, poemas e poesias.
    Mas não sei, se consigo escrever uma poesia.
    Gosto de usar as palavras para me expressar, fico confusa, porque quando escrevo me sinto melhor e gosto do que leio. Quando vejo outras pessoas escrevendo vejo o que escrevo é bobagem e não sinto forças pra escrever.
    A palavra é meu único jeito de me sentir a vontade com os meus sentimentos, seja ele qual for.

  471. 471

    admin said,

    July 15, 2011 @ 9:54 pm

    Camila:

    Posso ajudá-la sim, e começo alertando que as chances de se escrever bem começam pela auto estima. Para você, o seu texto não deve ser desvalorizado dessa maneira: Bobagens, se comparado com textos alheios.

    Seu texto pode ser comparável com outros, pois essa é a melhor forma do aprendizado, mas desvalorizado nunca. Você não tem que competir com ninguém além de você mesma, para que ganhe segurança pela auto-superação.

    Para um poeta, o poema nunca termina. Apenas interrompe e continua depois por outro. Se você perguntar a um poeta se algum poema dele foi completo, dificilmente escutará um sim, pois ele fica com a eterna sensação de que poderia ter feito melhor.

    Agora vamos ao que mais interessa: O seu grande texto.

    Podemos iniciar por aqui mesmo, ou, caso se sinta inibida, você me manda um texto comum por e-mail, que o transformarei em poema e explicarei o que fiz, ao mesmo tempo em que irei sugerindo pesquisas neste próprio site.

    Como prefere levar adiante? Por aqui ou por email?

    Aguardo. Grato pela confiança e volte.
    Dalton.

  472. 472

    Thallyta SanTtos said,

    July 16, 2011 @ 12:46 am

    Aah’ eu quero ser escritora, minha família não sabe disso, apenas os meus professores e amigos. Eu já escrevi um livro, tó querendo fazer outro mais em fim.. As vezes fico fazendo uns poemas.. Minhas amigas adoram mais queria mais informações não sei como dizer pra minha mãe, que eu quero seguir escrevendo coisas por aí! E também quero dicas pra escrever melhor.. Essas coisas porque não entedo muito de literatura.

  473. 473

    Thallyta SanTtos said,

    July 16, 2011 @ 12:55 am

    Por favor, .. Me ajuda’ eu sei que não posso ter muito talento mais sei que posso conseguih, eu tó fazendo um outro livro! Que se chama Kristtiny and Bhráyan! É um romance a história está linda.. Mais não tenho com quem conversar sobre isso me manda teu msn ou qualquer coisa do tipo, eu preciso conversar com alguém sobre isso.

  474. 474

    Thallyta SanTtos said,

    July 16, 2011 @ 12:58 am

    Por favor, .. Me ajuda’ eu sei que não posso ter muito talento mais sei que posso conseguih, eu tó fazendo um outro livro! Que se chama Kristtiny and Bhráyan! É um romance a história está linda.. Mais não tenho com quem conversar sobre isso me manda teu msn ou qualquer coisa do tipo, eu preciso conversar com alguém sobre isso. Eu sei fazer mil poemas que falam de Amor, eu acredito que de noite é meio que meu momento pra inspiraçoes’ aí eu escrevo sem parar.. Gosto de escrever tenho muitos poemas, minhas Amigas dizem que sou muito boa pra mandar um concelho e falar de Amor mais quero uma, sugestão de fora não me importa se é uma crítica, mais quero saber se posso ser escritora um dia.

  475. 475

    Camila said,

    July 16, 2011 @ 3:56 pm

    Oi Dalton.
    Pode ser por aqui mesmo, assim varias pessoas também pode ler.
    O texto que vou enviar assim que possível é um texto romantico.
    Espero que goste.

  476. 476

    admin said,

    July 17, 2011 @ 12:36 pm

    Thalyta:

    Posso ajudá-la sim, contanto que você coopere nas correções, porque não adianta eu mostrar os erros e você insistir com eles nos textos posteriores.

    Primeiro conselho: O texto tem que ser escrito corretamente, evitando termos com significados regionais ou de internet.

    Já nesse seu texto encontrará um erro importante: Diferenciar os termos MAIS e MAS. O primeiro é usado quando se quer somar algo a uma idéia: – Eu MAIS meu irmão fomos embora!

    O segundo se refere a uma idéia contrária à inicial: – Eu fui embora, MAS meu irmão não!

    Havendo dúvida, use sempre o dicionário. Por exemplo, no caso do MAIS e MAS encontrará pouquíssimos sinônimos para o primeiro e muitos para o segundo.

    Pode ser assim?

    Continue escrevendo para cá, que irei respondendo sempre e, quero crer, corrigindo cada vez menos.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  477. 477

    admin said,

    July 17, 2011 @ 12:36 pm

    Então aguardo, Camila.
    Dalton.

  478. 478

    Thallyta SanTtos said,

    July 17, 2011 @ 3:03 pm

    É, eu ainda tenho muito que aprender, muito obrigado, pela sua ajuda.. Fico muito grata a você!

  479. 479

    Thallyta SanTtos said,

    July 17, 2011 @ 3:20 pm

    Eu percebi que, poesia não é realmente o meu forte.. Posso fazer alguns textos mais eles combinam, essas coisas.. Bom isso significa que eu não posso ser uma escritora? Tipo todo escritor tem que saber , fazer poesias? Tenho muitas dúvidas, mais não é sobre poesias você acha que pode responder as minhas perguntas assim mesmo, porque tipo não tenho com quem conversar sobre o assunto, não sei se os meus livros são bons, eu já mostrei pra o meu professor de literatura mais não sei se ele mentiu pra mim.. Queria muito poder dizer pra minha mãe que escrevo livros, mas com dizer pra ela? Me ajuda ela quer que eu seja médica, não quero não. Sei que posso não ter talento nenhum mais faço músicas e livros. Não sei com posso explicar pra minha mãe.

  480. 480

    admin said,

    July 17, 2011 @ 9:39 pm

    Thallyta:

    Escreverei novamente o seu texto e você note as diferenças.

    “Eu percebi que poesia não é, realmente, o meu forte. Posso fazer alguns textos que combinam, essas coisas…
    - Bom, isso significa que eu posso ser uma escritora?
    - Tipo, todo escritor tem que saber fazer poesias?
    Tenho muitas dúvidas, mas não são sobre poesias.
    - Você acha que poderia responder as minhas perguntas assim mesmo, porque não tenho com quem conversar sobre o assunto?
    Não sei se os meus livros são bons. Já mostrei para o meu professor de literatura, mas não sei se ele mentiu para mim.
    - Queria muito poder dizer pra mina mães que escrevo livros, mas como dizer pra ela?
    Me ajuda, porque ela quer que eu seja médica, o que não quero. Sei que posso não ter talento algum, mas faço músicas e livros. Não sei como explicar isso à minha mãe.”

    Na minha resposta anterior eu lhe disse para tomar cuidado com os erros nos usos de MAIS e MAS. Corrija isso rapidamente e não me escreva mais repetindo esse erro.

    Para estar mais próximo do correto, o seu texto deveria ter sido escrito da forma que fiz, logo, a primeira coisa que tem a fazer é procurar corrigir o que você já escreveu, pois pode tê-lo feito de forma errada e o seu professor, quanto ao livro seu, foi mais gentil do que honesto.

    Outra dica: Toda vez que você iniciar uma frase por BOM, ou TIPO, coloque logo em seguida uma vírgula e depois explique a coisa, ou faça a pergunta.

    Leia com atenção as correções que fiz e depois dê uma conferida no que você já escreveu na forma de livros.

    Você pode sim ser uma escritora.
    Quanto aos textos escritos, existe a Poesia e a Prosa. Um escritor pode escrever nas duas formas, ou mesmo só numa delas.
    Toda vez que você quiser tratar do assunto pode voltar. Estarei sempre disposto a ajudá-la, desde que não fique repetindo os erros anteriores que já avisei para corrigir.

    Não sei qual é a formação da sua mãe. Caso seja formada em faculdade, como médica, por exemplo; sugira a ela que faça junto com você o Curso de Letras e observe a reação dela.

    Se ela topar fazer junto, você terá alcançado parte do seu objetivo, que é o de estudar para ser escritora. Se discordar, pergunte a ela como se sentiria tendo que assumir, à força, uma profissão que não gostasse.

    Grato pela confiança e volte sem confundir novamente o MAIS com o MAS.
    Dalton.

  481. 481

    Thallyta SanTtos said,

    July 17, 2011 @ 9:53 pm

    Kkk’ É que escrevi isso tão rápido que nem percebi que tinha errado tanto.

  482. 482

    admin said,

    July 18, 2011 @ 8:09 am

    Thallyta:

    Eu também já cometi uma boa quantidade de erros aqui no Sapiens. A diferença entre nós é que você quer virar uma grande escritora, enquanto o meu assunto é apenas MPB, portanto, os erros de escrita ou digitação pesarão muito mais para você do que para mim. Evite-os sempre.

  483. 483

    Camila said,

    July 18, 2011 @ 3:45 pm

    Oi Dalton, eu tenho aqui um pequeno texto, uma das minhas primeiras obras. Espero que goste.
    Será que tudo não passou de um sonho?
    Será que vou encontrar o que tanto procuro?
    Será? Perguntas, dúvidas, nem sempre encontraremos as respostas.
    Porque tem coisas na vida que não são feitas para entender e sim admirar e viver junta a ela.

  484. 484

    admin said,

    July 19, 2011 @ 8:46 am

    Camila:

    Estou em viagem e ainda não pude lidar com o seu bonito texto.

    Peço a você o favor de lembrar-me à partir do próximo sábado, quando não mais estarei viajando e terei mais tempo para discutirmos o conteúdo na forma de poema.

    Grato pela confiança e conto com a sua lembrança.
    Dalton.

  485. 485

    barbara said,

    July 21, 2011 @ 9:24 am

    Bárbara:
    è possível vc me dar uma ideia de um poema ou poesia.

  486. 486

    admin said,

    July 22, 2011 @ 7:42 am

    Barbara:

    Uma boa forma de aprendizado é o chamado Poema Acróstico, cujos versos começam pelas letras formadoras do seu nome. Por exemplo:

    B onitinha e
    A ssumida
    R epito:
    B onitinha e
    A ssumida
    R espeito
    A vida

    Claro que um poema é muito mais do que isso que apresentei, mas para fazê-lo é necessário um motivo que resulte numa descrição por texto. Caso queira, escreva algo em texto comum e volte, que mostrarei a você como transformar tal texto em poema.

    Grato pela visita e volte.
    Dalton.

  487. 487

    Camila said,

    July 23, 2011 @ 1:18 pm

    Oi Dalton,
    você me pediu para eu te lembrar sobre aquele meu texto, porque você estava de viagem.
    E queria te mostrar mais um. Esse eu queria um ajuda sua para modificar algumas palavras:
    Não posso dizer que amo você.
    Porque o amor é um sentimento muito forte (essa parte eu queria mudar)
    Não posso dizerque adoro você.
    Porque adorar é a mesma coisa que amar. (essa parte eu também queria mudar)
    Posso dizer que gosto de você.
    Porque sem você eu não sei viver.

    Obrigada.

  488. 488

    admin said,

    July 23, 2011 @ 5:51 pm

    Camila:

    Achei uma brecha e mexi no segundo pensamento:

    Não posso dizer que amo você.
    Porque o amor está além da emoção
    Não posso dizerque adoro você.
    Porque adorar e amar vão além da razão
    Posso dizer que gosto de você.
    Porque gosto de viver
    E não vivo sem você.

    Depois eu mexo no primeiro, tá?
    Dalton.

  489. 489

    Beatriz said,

    July 26, 2011 @ 1:27 am

    Dalton resolvi mandar,e ver o que você acha,dessa palavras….

    Quero uma pessoa que me deixe segura e não insegura,
    Que com meus atos mesmo errados,me faça sentir a pessoa mais segura do mundo,
    Que no seu olhar mais profundo e sincero,me diz belas palavras,
    Que faça meu coração acelerar e sentir o calor da paxão….

    Obrigada !

  490. 490

    Joana_portugal said,

    July 26, 2011 @ 2:15 pm

    Olá :)

    Descobri agora este site e fiquei bastante interessada, afinal preciso de escrever um poema e não sei bem como e este site tem dicas bastante interessante.

    O que eu pretendo fazer é através de um poema homenagear uma amiga minha, daquelas amigas muito especiais. A minha amiga é uma pessoa com um sorriso que ilumina o mundo à sua volta, que através de um olhar transmite a maior calma do mundo, acreditem é das pessoas que conheço que tem um dos mais bonitos brilho no olhar, é um pessoa muito generosa e super atenciosa, luta constantemente por um mundo melhor e é muito genuina, divertida, apesar de ser uma mulher é uma daquelas pessoas que tem um espirito muito jovem, tem muito alto astral. Puderia estar aqui a descreve-la até amanha mas o que disse acho que ja indica que é uma pessoa muito especial

  491. 491

    admin said,

    July 27, 2011 @ 9:21 am

    Beatriz:

    Num poema, deve-se evitar a repetição de palavras ou derivações diretas delas, como ocorreu com – Segura e Insegura – Isso pode ser usado como truque de construção poética, mas seria necessário outras atitudes quanto ao posicionamento das palavras nos versos. Veja:

    Quero uma pessoa que me dê segurança
    Que mude meus atos errados no fundo,
    E me faça sentir mais segura do mundo,
    Com o olhar profundo e sincero da criança

    Que me diga belas palavras
    Com calor e paixão
    E acelere o meu coração
    Com amor e emoção

    O que fiz foi apenas um reagrupamento do seu texto de forma mais poética e menos repetitiva. Tente escrevê-lo novamente, pois a coisa só melhora quando treinada exaustivamente.

    Grato pela confiança e volte. Estarei esperando.
    Dalton.

  492. 492

    admin said,

    July 27, 2011 @ 9:28 am

    Cara Joana:

    A primeira coisa que você tem a fazer é escrever um texto, mais elaborado e descritivo, das qualidades da homenageada, que citou apenas em síntese no seu comentário.

    Feito o texto, volte aqui e ensinarei como transformá-lo em poema. Evite texto muito longo, pois isso torna o poema cansativo.

    Grato pela visita e volte.
    Dalton.

  493. 493

    Joana_portugal said,

    July 27, 2011 @ 6:23 pm

    Olá Dalton eu texto corrido sobre ela tenho muitos, acho que o mais completo é este.

    És tudo aquilo que um dia sonhamos ser!
    Quantas vezes durante a nossa breve passagem pela vida nos deparamos com a dúvida do significado da nossa existência e desalentados olhamos à nossa volta e nada vemos. É incrível como as mais diversas coisas passam por nós sem lhe darmos qualquer importância, como a infelicidade se apodera de nós constantemente e nos tornamos pessoas egoístas e incentiveis. Contudo, sem sabermos como nem porquê aparecem pessoas na nossa vida e de um segundo para o outro, tudo muda, aconteceu-nos isto quando te conhecemos. O mais ínfimo pormenor torna-se uma garantia de que devemos ser felizes para sempre, com um sorriso e com uma genuidade que tornam as pessoas dignas da maravilhosa coisa que é a existência. A partir do momento em que apareces-te tornas-te tudo isto possível, e fizeste-o com o ser humano encantador que és. Mudas-te o nosso mundo de tal maneira que o nosso dia-a-dia passou a ser vivido de outra forma, forma essa em que a boa disposição e o sorriso ganharam novo significado.
    A partir do momento em que te vimos com essa espontaneidade em cada risada que davas, o teu positivismo e principalmente o carinho demonstrado percebemos que, apesar de não te conhecermos, tudo era verdadeiro e puro. Assim, de um momento para o outro começamos a adorar a personalidade que te é tão característica e que faz com que tantas pessoas te admirem como nós.
    É engraçado porque cada vez mais vivemos num mundo, onde o que vemos é irreal e falso, mas existem excepções que nos fazem acreditar que existem pessoas maravilhosas e que não têm medo de mostrar o que são e de sorrir e ser felizes. Só pudemos agradecer ao destino por te ter feito aceitar fazer parte da nossa vida. Sempre que olhamos para esse sorriso sentimo-nos completas, como se todos os problemas do mundo desaparecessem com uma simples risada tua é inexplicável, mas este, é o poder de uma alma, que apesar de nunca ter passado dificuldades, agradece todos os dias a vida que tem, porque tem a consciência que foi abençoada com família e com os amigos que tem. Sem dúvida, que não é qualquer pessoa que consegue ter a noção da realidade, contudo tu és capaz de corromper a ideia que cada vez mais os seres humanos são materialistas, basta ter em atenção à simplicidade que irradias todos os dias. Além destas qualidades, ainda possuís um olhar que traduz a tranquilidade de uma menina que ainda acredita no pai natal e que não se importa de viver o que não teve oportunidade de aproveitar enquanto jovem.
    As razões para te admirarmos são mais que muitas, mas a qualidade que mais adoramos em ti é não dares nada por garantido, porque podemos ter tudo, mas se não lutarmos e nos esforçamos tudo se desmorona à nossa volta.
    Obrigada por nos ensinares que a vida é bem mais bela se lhe sorrirmos todos os dias.

  494. 494

    admin said,

    July 28, 2011 @ 9:38 am

    Joana:

    Antes de tudo, parabéns pelo texto bem escrito, pois poucas pessoas são capazes de iniciar e terminar um texto, ainda que curto, conjugado na segunda pessoa do singular sem qualquer intromissão de um “você” ao longo do mesmo.

    Esse texto leva todo o jeitão de ter sido escrito por gaúcho, posto que o uso da segunda pessoa é mais costumeiro na região sul do Brasil, ou mesmo, como o seu próprio nome indica, vir do nosso berço linguístico, Portugal.

    Devo dizer, que embora belo, para se transformar tal texto em versos, não teríamos um simples Poema, mas um Épico, já que é extenso, não repetitivo e merecedor da citação de todos os elementos filosóficos interiores.

    De fato, não deve ser perdido, ou mesmo modificado na natureza semântica, e isso requererá bastante tempo e estudo nosso.

    Como o texto é longo, e voltado à descrição de nobreza, o verso mais indicado para ser a base descritiva é o Decassílabo Heróico, que apresenta tonicidade interior na sexta sílaba, cujas rimas ocorram com palavras paroxítonas – Verso Grave – já que as conjugações nas segundas pessoas ocorrem nessa forma.

    Outro verso que poderia encaixar-se bem na descrição seria o Decassílabo de Arte-Maior, que apresenta tonicidades nas sílabas 2-5-8-10. Veja os dois exemplos:

    Heróicos

    és aquilo que MAIS temos soNHAdo

    na breve trajeTÓria de-uma VIda

    Arte-Maior

    és TUdo aQUIlo que MAIS soNHAmos

    na BREve pasSAgem de Uma VIda

    Para acelerar o processo, sugiro que estude, antes de tudo, A Sílaba Poética e Sua Métrica e Escandir-Escansão. Depois dê uma olhada em O Verso e o Ritmo. Por fim, caso precise estudar as Rimas, Todas as Rimas Brasileiras. Esses itens constam nos endereços Ciência Poética ou Glossário Poético, ambos localizados no cabeçalho da página frontal do site.

    Bom estudo e volte para contar como tem andado neles. Com um pouco de paciência, você, certamente, conseguirá deixar o poema tão belo quanto o texto original. Estarei sempre por aqui, caso necessite.

    Grato pela confiança e volte pra contar.
    Dalton.

  495. 495

    João said,

    August 3, 2011 @ 10:26 am

    Oi Dalton,
    eu queria uma ajuda sua pra fazer um poema para a minha namorada.
    Ela vai fazer aniversário, eu queria mandar junto com o presente.

  496. 496

    admin said,

    August 3, 2011 @ 12:02 pm

    João:

    Nessas ocasiões, o comum é fazer um Acróstico. Aquele onde cada verso começa por uma das letras do nome. Dá pra fazer mais requintado com as letras de nome e sobrenome.

    Um outro tipo que funciona bem é o Soneto. Por exemplo, “Soneto de Maria”, onde você coloca todas as qualidades da sua namorada, cujo nome citei como Maria, no exemplo.

    Pra quando você precisará do poema?

    Grato pela confiança e volte.
    Dalton.

  497. 497

    João said,

    August 10, 2011 @ 8:20 pm

    Oi Dalton não deu pra eu entrar mais.
    O poema é pro dia 20/08.
    O nome da minha namorada é Elizabeth,não sei como fazer.

  498. 498

    admin said,

    August 11, 2011 @ 8:52 am

    João:

    Taí o galanteio!

    E u bem que tentei
    L evar meu passado sem ela
    I nventei e optei
    Z arpar no meu barco de vela
    A gora eu me sei
    B astante feliz co´a donzela
    E tudo verei
    T ornado em cor de confete
    H avendo o amor de Elizabeth

    Como complemento, sugiro um bom vinho branco doce e algumas rosas brancas. Esse conjunto costuma funcionar bem para se chegar o “Silêncio do depois”.

    Grato pela confiança e volte, mas não precisa contar o que fizeram um pouco antes do Silêncio do Depois.
    Dalton.

  499. 499

    João said,

    August 14, 2011 @ 5:59 pm

    Pow, valeu Dalton tenho certeza que ela vai adorar.

  500. 500

    karolina said,

    August 22, 2011 @ 9:41 pm

    oiie..eu fiz um texto e queria transforma-lo em um poema como faço isso?Por favor me ajudem!!!

  501. 501

    admin said,

    August 22, 2011 @ 9:49 pm

    Karolina:

    Basta colocá-lo aqui para iniciarmos o poema. Caso você se sinta melhor, posso orientá-la por e-mail. A escolha é sua.

    Grato pela confiança e aguardo resposta.
    Dalton.

  502. 502

    yasmim said,

    August 22, 2011 @ 10:35 pm

    eu preciso urgente de ajuda,minha professora pediu um poema sobre minha musica predileta,e eu não sei muito bem escrever poema!!!!

  503. 503

    admin said,

    August 23, 2011 @ 8:05 am

    Yasmim:

    Diga qual é a música e conversaremos sobre ela.

    Grato pela confiança e volte.
    Dalton.

  504. 504

    Maiara said,

    September 7, 2011 @ 5:38 am

    nossa!! amei seu blog,aprendi muita coisa lendo os comentarios.obrigado!!!!

  505. 505

    admin said,

    September 7, 2011 @ 2:38 pm

    Maiara:

    Então volte sempre e grato pela visita.
    Dalton.

  506. 506

    Ismael said,

    September 7, 2011 @ 3:10 pm

    Não sei se esse poema esta bom por isso vim aqui mostrar a vcs e ver se algum de vocês aprovam ele.

    Amor De Mãe
    Amor de mãe acontece quando a gente quando a gente nasce
    Amor de mãe e toda a nossa face.
    Pois o amor de mãe nos ensina
    A viver e a sofrer mas tudo tem o seu querer
    Mãe coloca agente no mundo para viver e a obedecer
    Mas o obedecer e ser uma pessoa onesta e que aprenda a inovar
    Continuar a nossa vida depois da morte da noss mãe e dificil sem ela
    Nos somos uns covarde tem medor de sobreviver a esse mundo engandor
    E essa dor nos levou a um simples mundo do sofredor

  507. 507

    admin said,

    September 7, 2011 @ 7:22 pm

    Ismael:

    É um bom poema, mas precisa de algumas correções, porque os versos não devem ser tão compridos. Veja:

    Amor de mãe
    Acontece quando a gente nasce
    Amor de mãe
    É toda a nossa face.
    Pois o amor de mãe
    Nos ensina a viver e a sofrer
    Mas tudo tem o seu querer

    Mãe coloca a gente no mundo
    Para viver e a obedecer
    Mas obedecer e ser
    Uma pessoa honesta
    E que aprenda a inovar

    Continuar a nossa vida
    Porque depois da morte da mãe
    É dificil sem ela
    Pois somos uns covardes
    Com medo de viver
    Nesse mundo enganador
    E essa dor nos levou
    A um simples mundo do sofredor

    Procure começar escrevendo versos mais curtos, sempre cuidando de redigir corretamentye as palavras.

    Só eu faço as coisas por aqui. Agradeço a confiança e volte sempre.
    Dalton.

  508. 508

    Ismael said,

    September 8, 2011 @ 3:08 pm

    Ok

  509. 509

    Aricia said,

    September 11, 2011 @ 7:41 pm

    Oiie meu nome e Aricia tenho 13 anos e tenho que produzir um poema utilizando as seguintes palavras:parar,sentar e olhar e não sei como produzir tem como você me ajudar??

  510. 510

    admin said,

    September 12, 2011 @ 8:11 am

    Aricia:

    A vida é feita para sentar
    Quando temos que descansar
    E também feita para olhar
    Quando temos que admirar

    Só com essas duas palavras fica difícil construir um poema maior do que esse sem se tornar repetitivo, o que torna um poema feio. Espero que essa Quadra sirva para o que você precisa.

    Grato pela confiança e, caso precise dele mais longo, volte com novas sugestões.
    Dalton.

  511. 511

    Heloise said,

    September 12, 2011 @ 7:07 pm

    olá,
    depois de tanto tempo.
    resolvi escrever esse poema
    preciso dele até amanhã se possivel

    muitas coisas acontecem
    sejam boas ou ruins
    algumas das quais parecem
    que queriamos, sem acreditar

    quando acontecem
    qual a reação?
    gritar, pular ou chorar de emoção!

    falar para todos
    gritar sem parar
    telefonar, escrever ou avisar
    a quem quer que achar

  512. 512

    admin said,

    September 14, 2011 @ 4:56 am

    Heloise:

    Fica melhor assim:

    Muitas coisas acontecem
    Sejam boas ou ruins
    Algumas das quais parecem
    Que queríamos sem crer nos fins

    Quando acontecem
    Qual a reação?
    Agradecer numa prece alegre
    Ou chorar de emoção?

    Contar para todos
    Gritar sem parar
    Ou fazer versos tolos
    A quem possa interessar?

    Boa sorte.
    Dalton.

  513. 513

    heloise said,

    September 17, 2011 @ 7:09 pm

    veja essa canção:
    as vezes sinto coisas que não sei dizer
    por mais que tento encontrar
    não consigo me expressar
    é dificil viver sem samber
    sem querer, sem poder

    quando fico perto de voçe
    o coração bate mais forte
    a minha mão transpira
    e a minha mente pira

    só consigo me expressar através de uma cançaõ antiga…

  514. 514

    admin said,

    September 17, 2011 @ 7:53 pm

    Heloise:

    Isso é uma canção antiga?
    Dalton.

  515. 515

    Agatha Gomes said,

    September 23, 2011 @ 5:06 pm

    Poema e poesia é a mesma coisa? Porque eu estou precisando fazer um trabalho com poema, e todo site que eu entro está escrito Poesia.

  516. 516

    admin said,

    September 24, 2011 @ 9:04 am

    Agatha Gomes:

    Até os anos 50, os termos Poema e Poesia eram sinônimos, cuja definição se voltava ao texto escrito em versos. De alguma forma, nos anos seguintes, Poesia começou a ser usado mais como sinônimo de qualquer coisa espiritualmente Bela, se desvinculando da idéia única de texto e indo parar até no futebol: – Esse gol foi uma Pintura, uma Poesia!

    Era isso que você queria saber?
    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  517. 517

    Jade said,

    September 24, 2011 @ 6:17 pm

    Preciso fazer um poema com o tema: amizade
    mas estou sem inspiração e não sei construir um bom poema…
    Alguém me ajuda?

  518. 518

    admin said,

    September 25, 2011 @ 6:28 pm

    Jade:

    Acabei de chegar de viagem e creio que, no momento, a minha inspiração não seja muito diferente da sua, mas faço a pergunta:

    - Você precisará desse poema para quando?

    Grato pela confiança e aguardo a sua resposta.
    Dalton.

  519. 519

    pedro alburquek said,

    September 26, 2011 @ 8:25 pm

    a minha professora passou uma trabalho que agente tinha que ler um livro e depois fazer um poema sobre o livro.e muito dificil mas acho que vou conseguir!!!!

  520. 520

    admin said,

    September 26, 2011 @ 9:34 pm

    Pedro:

    É isso mesmo, sempre acredite na sua capacidade para resolver as coisas. O material para estudo sobre poemas você tem de sobra por aqui. Boa sorte.
    Dalton.

  521. 521

    Agatha Gomes said,

    September 27, 2011 @ 9:31 pm

    Obrigada, por ter me ajudado, você me ajudou muito a diferençiar.
    Muito Obrigada mesmo.

  522. 522

    admin said,

    September 28, 2011 @ 7:28 am

    Agatha Gomes:

    Foi um prazer ajudá-la, volte sempre.
    Dalton.

  523. 523

    kinho said,

    September 28, 2011 @ 5:46 pm

    é um trabalho de escola tenho que faser um

  524. 524

    admin said,

    September 28, 2011 @ 7:15 pm

    Kinho:

    Você precisa fazer um poema sobre qual assunto?

  525. 525

    Carolyne said,

    September 30, 2011 @ 1:04 pm

    poesia sobre o tema bullying ou racismo,me ajudaaa!
    por favor eu não sei criar poemas

  526. 526

    Juliana said,

    September 30, 2011 @ 3:07 pm

    eu queria fazer um poema sobre a poesia mas nao consigo! me pode ajudar

  527. 527

    admin said,

    October 1, 2011 @ 9:05 am

    Juliana:

    Você quer aprender a fazer poemas ou apenas precisa de um poema sobre o tema Poesia?

  528. 528

    admin said,

    October 1, 2011 @ 9:07 am

    Carolyne:

    Você quer escrever o poema ou quer que eu simplesmente o faça?

  529. 529

    Carolyne said,

    October 4, 2011 @ 3:44 pm

    eu quero escrever o poema mais não sei como tenho que fazer

  530. 530

    admin said,

    October 4, 2011 @ 4:21 pm

    Carolyne:

    Todo poema é um texto normal escrito em versos. Escreva algo que a esteja motivando, coloque aqui e transformaremos em poema. Fica bom assim?

    Grato pela confiança e aguardo retorno.
    Dalton.

  531. 531

    ericik said,

    October 18, 2011 @ 8:07 pm

    O amor é uma coisa louca,
    que eu trago dentro do meu coração,

  532. 532

    ericik said,

    October 18, 2011 @ 8:10 pm

    nome:erick idade:14

    O amor

    O amor é uma coisa louca,
    que eu trago dentro do meu coração,
    um sentido sem ilusão ,
    mas sim uma grande paixão
    dentro do meu coração

  533. 533

    johny said,

    October 19, 2011 @ 10:14 am

    eu queria saber se minhas frases são poesias ou poemas …
    da pra saber ?

    ” Um Dia, Uma Noite, Uma Hora, Um Minuto, Um Segundo, Um Milezimo, Para que eu Possa Sempre Dizer que Te amo Muito. !”

    ” Se cada lagrima ao cair no chão me tirasse a atenção, de pensar em poder te ver, te querer, dizer que te amo, mesmo que essa palavra seje muito simples de se dizer, mais foi a única que consegui achar em meus pensamentos áh tantas palavras áh tantos desejos, vontades, para que eu consiga expressar-me em meras frases dedicando o meu amor por você em uma frase. ”

    algumas de minhas meras frases.

  534. 534

    admin said,

    October 20, 2011 @ 7:13 am

    Johny:

    São apenas alguns pensamentos colocados em texto comum. Veja agora como pode ficar em poema:

    Um dia, uma noite, uma hora
    Um minuto, um segundo
    Todo o tempo do mundo
    Para que eu possa dizer agora
    Que te amo muito

    Se cada lágrima caída ao chão
    Me tirasse a atenção
    Só de pensar em poder te ver
    E querer dizer que te amo
    Mesmo que essa palavra
    Seja muito simples de se dizer
    Foi a única que consegui achar em meus pensamentos
    Há tantas palavras
    Tantos desejos ou vontades
    Para que eu consiga expressar-me em meras frases
    Dedicando o meu amor por você em uma frase

    É assim que os pensamentos deixam de ser texto comum e começam a virar poema.
    Você deve ter outros pensamentos sobre a amada que mereceriam virar poemas. Comece a exercitá-los por aqui que lhe dou uma força.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  535. 535

    bruna said,

    October 23, 2011 @ 6:04 pm

    Tenho que fazer uma poesia apartir de uma imagem qualquer mais nao sei como gostaria de dicas e de exeplos para poder me baziar
    obrigada

  536. 536

    admin said,

    October 24, 2011 @ 6:59 am

    Bruna:

    Na MPB, Caetano e Gil foram os que melhor trabalharam com os poemas à partir de gravuras do cotidiano. Caetano, ao parar em frente a uma banca de jornais em Sampa, escreveu a música Alegria, Alegria; onde mesclou os seus anseios, de baiano recém chegado a outra terra, à realidade que encontrara nela:

    http://mpbsapiens.com/alegria-alegria-caetano-veloso/

    Gilberto Gil, em plena entrevista, explicou ao entrevistador como fazia os seus poemas retratistas ao observar, em Salvador, a uma procissão de católicos:

    http://www.youtube.com/watch?v=ZlrTYZHgjQ4&feature=related

    Espero ter ajudado. Volte sempre.

    Dalton.

  537. 537

    Yres said,

    October 24, 2011 @ 10:04 pm

    Olá Dalton, gostaria da sua ajuda, urgentemente!
    Minha professora de Redação pediu 3 poemas com os seguintes temas:
    - Descriminação Racial ;
    - Água e
    - A importância da leitura.
    Gostaria da sua ajuda pois sou totalmente sem criatividade e preciso fazer os três poemas até depois de amanhã!
    Mas eu sei que você não “passa” a resposta, apenas ajuda a transformar nosso texto em um poema. Então se puder,poderia me passar o e-mail de contato para você me ajudar?
    Aguardo resposta!
    Beijos e abraços (:

  538. 538

    admin said,

    October 25, 2011 @ 11:16 am

    Yres:

    Descriminar é o ato de tirar a culpa, inocentar. Discriminar é o ato de isolar, separar. Como não sei qual a intenção da sua professora com o termo, Descriminação ou Discriminação, procurei tratar de ambas as possibilidades no poema.

    Dizer que o pré-conceito racial é condenável está muito manjado. O difícil é questioná-lo com a sensatez da simples observação óbvia. O poema tende a causar bastante conflito, justamente por, além de não aprovar qualquer dos lados do problema, sugere condenar a ambos, quando isolados.

    Já nascemos diferentes
    Com três cores nessa pele
    Dispersa por várias gentes
    Com mentes que se repelem

    Se a Criação distinguiu
    E nos mantemos religiosos
    Daquilo que Deus pariu
    Só parecemos nos ossos?

    Assim se forma a questão:
    A Criação tem razão
    Ou só seguimos paixão
    Nessa miscigenação?

    Água

    Água mole e pedra dura
    Baterão em nossa mente
    Com traição ou lisura
    Até se unirem de repente

    Cada vez mais para cima
    A pedra nos restará
    Cada vez mais sem o clima
    A água nos sumirá

    Cada qual só ficando na sua
    A pedra tão majestosa
    E a água tão vaporosa
    Na realidade nua e crua

    Importância da leitura

    É só olhar os dois textos
    Que acabei de compor
    Os dois têm os seus cabrestos
    Guardados num tal supor

    Cada um com uma história
    Direta pelas palavras
    Oculta na trajetória
    Que a todo texto entrava

    Verdade objetiva
    Mentira subjetiva
    Molestam a nossa razão
    O que é o texto afinal
    Apenas leitura normal
    Ou pura interpretação?

    Como a coisa é urgente, tanto para você quanto para mim no meu escasso tempo, faça bom uso dos poemas e depois volte para contar, ok?

    Grato pela confiança, boa sorte e Beijos.
    Dalton.

  539. 539

    Erika said,

    October 25, 2011 @ 4:28 pm

    mel poema e!

    No alto do mel sertão , a ceca vei mi atingindo ,
    carregando vários baldes pro gado e pro meus meninos.

  540. 540

    Erika said,

    October 25, 2011 @ 4:31 pm

    no alto do mel sertão a seca veio mi atingindo
    carregando varrios baldes pro gado e pro meus mininos

  541. 541

    Yres said,

    October 25, 2011 @ 7:27 pm

    Obrigada, fico grata *-*
    amanhã eu volto para contar o que minha professora achou

  542. 542

    Louco said,

    October 25, 2011 @ 7:50 pm

    Ola a todos, gostaria de saber se esse texto se encaixa nos padrões de um poema, pois estou querendo começar a escrever poemas, tenho muita inspiração quero usar-la de alguma forma, me digam com sinceridade se esta certo quais são os erros e no que eu posso melhorar.

    Não a jeito de viver,
    nesse mundo, de loucos
    não sabemos o que pensar
    o que fazer
    nem mesmo o que não fazer

    é assim que as cosias são,
    não temos ideia do quanto
    é bom e ruim viver
    todos somos louco

    loucura é algo que vem e vai,
    não sabemos quando ela vira
    ou muito menos, quando ira
    só podemos ficar
    sentados e esperar a morte chegar
    como se fosse um pressente,

    para acabar com a angustia
    que sentimos
    nessa vida solitária
    pois ninguém é feliz de verdade
    por dentro todos nos somos solitário
    mas o que eu estou falando
    sou só mais um doido
    na multidão.

  543. 543

    Louco said,

    October 25, 2011 @ 7:51 pm

    Ola gostaria de saber se esse texto se encaixa nos padrões de um poema, pois estou querendo começar a escrever poemas, tenho muita inspiração quero usar-la de alguma forma, me digam com sinceridade se esta certo quais são os erros e no que eu posso melhorar.

    Não a jeito de viver,
    nesse mundo, de loucos
    não sabemos o que pensar
    o que fazer
    nem mesmo o que não fazer

    é assim que as cosias são,
    não temos ideia do quanto
    é bom e ruim viver
    todos somos louco

    loucura é algo que vem e vai,
    não sabemos quando ela vira
    ou muito menos, quando ira
    só podemos ficar
    sentados e esperar a morte chegar
    como se fosse um pressente,

    para acabar com a angustia
    que sentimos
    nessa vida solitária
    pois ninguém é feliz de verdade
    por dentro todos nos somos solitário
    mas o que eu estou falando
    sou só mais um doido
    na multidão.

  544. 544

    admin said,

    October 26, 2011 @ 7:03 am

    Louco:

    O primeiro conselho que dou se refere ao texto. Sem muito esforço, dá para entender o que você tentou dizer no seu poema, mas as palavras têm de ser escritas corretamente, bem como as conjugações obedecerem as regras da gramática. A princípio é isso. Uma vez dominado o texto, você poderá começar a usar os elementos da Ciência Poética, tais como Ritmo, Métrica e Rimas. Veja os erros:

    Não (há) jeito de viver,
    nesse mundo, de loucos
    não sabemos o que pensar
    o que fazer
    nem mesmo o que não fazer

    é assim que as (coisas) são,
    não temos ideia do quanto
    é bom e ruim viver
    todos somos louco(s)

    loucura é algo que vem e vai,
    não sabemos quando ela vir(á)
    ou muito menos, quando ir(á)
    só podemos ficar
    sentados e esperar a morte chegar
    como se fosse um pre(s)sente, (presente)

    para acabar com a ang(ú)stia
    que sentimos
    nessa vida solitária
    pois ninguém é feliz de verdade
    por dentro todos nos somos solitário(s)
    - mas o que eu estou falando(?)
    - sou só mais um doido
    na multidão!

    A maioria desses erros acontecem por desatenção na hora de digitar, mas basta dar uma conferida no final para que desapareçam. Quando você tiver dúvida sobre como escrever certa palavra, vá até o google e digite a palavra. Aparecerá um monte de endereços com a palavra escrita de forma correta. Aí é só correr pro abraço.

    Continue escrevendo e perceberá que rapidamente estará acostumado a escrever corretamente. A coisa vicia, pode crer.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  545. 545

    admin said,

    October 26, 2011 @ 7:21 am

    Erika:

    O que você gostaria de saber sobre o seu poema?

    Fico aguardando.
    Dalton.

  546. 546

    Louco said,

    October 26, 2011 @ 12:13 pm

    Obrigado Dalton, Seguirei o Seu conselho.

  547. 547

    ana said,

    October 30, 2011 @ 7:06 pm

    este foi o primeiro que escrevi gostava de saber o que vosse axa e o que mudaria.

    Infelis é o que estou a sentir
    quando voce me mostrou aquele video
    nao sei bem o que estou a sentir
    será infelis ou nojo daquele video

    fes me sentir bastante infelis
    mas derrepente vieste-me dar carinho
    e ai ficai muito felis
    e ai eu percebi que aquele video…

  548. 548

    admin said,

    October 30, 2011 @ 10:10 pm

    Ana:

    Antes de qualquer coisa, me diga quantos anos você tem.

    Fico esperando.
    Dalton.

  549. 549

    ana said,

    October 31, 2011 @ 5:39 pm

    14

  550. 550

    admin said,

    October 31, 2011 @ 10:32 pm

    =2 x 7, 7 + 7, 28/2…

  551. 551

    Prestashop Templates said,

    November 2, 2011 @ 1:50 pm

    Website Trackback Link…

    [...]the time to read or visit the content or sites we have linked to below the[...]…

  552. 552

    Capixaba said,

    November 16, 2011 @ 2:28 pm

    Olá, gostaria de saber os erros do verso abaixo.

    Afugento-me só
    Eu fujo do revés
    Corro léguas no pó
    Esforçando meus pés

    Gostei desse espaço.
    Aguardo, ansioso, pela resposta.

  553. 553

    admin said,

    November 16, 2011 @ 5:06 pm

    Capixaba:

    Trata-se de uma estrofe Quadra com versos Heróicos Quebrados, porém o segundo verso está fora do Ritmo Poético (ou Manco) em relação aos demais. Se for imprescindível que o versos tenha exatamente esse texto, será necessário que a Quadra vire ao menos uma Quintilha. Assim por exemplo:

    Afugento-me só
    Eu fujo do revés
    Corro léguas no pó
    Esforçando meus pés
    “Eu sujo o seu convés”

    Caso possa mudá-lo no texto, encontre uma configuração que permita à terceira sílaba estar também tônica. Por exemplo: Evitando o revés.

    Já que gostou daqui, volte sempre.
    Dalton.

  554. 554

    Capixaba said,

    November 17, 2011 @ 1:51 pm

    Dalton, obrigado pelas informações. Gostaria que me explicasse o motivo do segundo verso está manco. E a sugestão ‘evitando o revés’ foi muito boa.

    Afugento-me só
    Evitando o revés
    Corro léguas no pó
    Esforçando meus pés

    Pode me indicar alguns livros sobre o assunto?

  555. 555

    admin said,

    November 17, 2011 @ 3:08 pm

    Capixaba:

    Veja:

    a/fu/GEN/to/-me/ SÓ
    e/vi/TAN/do-o/ re/VÉS
    cor/ro/ LÉ/guas/ no/ PÓ
    es/for/ÇAN/do/ meus/ PÉS

    O que fiz acima é conhecido por Escansão de versos, que é a separação das Sílabas Poéticas de cada verso. Isso possibilita medir cada um de uma estrofe nas quantidades de sílabas, o que define o termo Métrica, e observar os seus Ritmos Poéticos, que são determinados pelas posições das Sílabas Poéticas tônicas e interiores, já que todos encerram Métrica e Ritmo na última sílaba tônica (em maiúsculas) no verso.

    Como, no comentário anterior, notei que em um dos versos havia uma sílaba tônica posicionada como segunda, diante dos outros três versos acentuados nas terceira e sexta sílabas, localizei o chamado Verso Manco, que é aquele que possui o Pé Quebrado, na estrofe, por apresentar-se diferente dos demais no Ritmo Poético.

    Cada conjunto de sílabas átonas e tônicas que formam as partes de um verso recebe o nome de Metro ou Pé de Verso.

    Quanto aos livros sobre Versificação, ou mesmo Construção Poética, existentes no mercado atual da Língua Portuguesa, desconheço, pois a última vez que vi algo à respeito foi num do Celso Cunha, creio. Por outro lado, mais meu, posso indicar dois endereços da Net para um bom estudo do tema, e ambos estão no cabeçalho das páginas do MPB Sapiens: Ciência Poética e Breve Glossário Poético.

    Por falar em Capixaba, de qual região do Espírito Santo você é? Capital, norte, sul ou centro?

    Passei vários anos transitando por aí.

    Espero ter sido claro o bastante nas suas questões e estudos.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  556. 556

    Capixaba said,

    November 17, 2011 @ 4:07 pm

    Dalton, fico agradecido pelas explicações.
    Os versos são de três tempos e chamados de anapestos (AAT), não é isso?!

    Sou de Cariacica, na Grande Vitória.

  557. 557

    admin said,

    November 17, 2011 @ 7:46 pm

    Exato, Capixaba. São os chamados Heróicos Quebrados Anapésticos Agudos.

    Agora vá atrás da explicação desse longo nome feio estudando os tipos de verso, seus nomes em concordância com as Métricas e Cadências, ou Ritmos específicos, além das sonoridades das Rimas de final.

    Passei muitas vezes por aí, andando na 101. Fica perto de Serra.

    Bom estudo.

  558. 558

    Capixaba said,

    November 18, 2011 @ 1:33 am

    Dalton, o que há de errado na continuação do poema? Quando é hora de finalizar? E como reconheço a qualidade de um poema?

    Afugento-me só
    Evitando o revés
    Corro léguas no pó
    Esforçando meus pés

    E não meço esforços
    Reconheço o perigo
    Caminhar por destroços
    Muitas vezes preciso

    Com os pés descansados
    Com espírito são
    Com a força nos braços
    Caminhar é inspiração

  559. 559

    admin said,

    November 18, 2011 @ 8:46 am

    Capixa:

    Aqui vão algumas sugestões, mas alerto que você tem de estudar um pouco mais sobre Sílaba Poética e Escansão. Veja:

    Esforçando-os meus pés – 1

    E não meço-os esforços – 2
    Reconheço o perigo
    Caminhar por destroços
    Muitas vezes preciso

    Com os pés descansados – 3
    Com espírito são
    Com a força nos braços
    Caminhar é inspiração – 4

    1 e 2 têm a mesma sugestão: Sempre é bom prestar atenção nos sons do verso inteiro. Se a rima no final dele estiver no Plural, terá adquirido uma sonoridade “S”. Quanto mais você puder usá-lo no interior do verso, melhor. Esse é o motivo pelo qual sugeri a colocação dos “os” como parte da sílaba poética, porque pode haver uma fusão com a anterior sem maiores problemas.

    Quanto ao 3, apenas corrigi uma digitação errada, pois Descansar não tem Ç.

    Já, no 4, a coisa complicou em Métrica e Ritmo:

    ca/mi/NHAR/é-ins/pi/ra/ÇÃO – 3-7

    Não dá para deixar 3 sílabas átonas entre duas tônicas. Mesmo fazendo o esforço de juntar “é-ins”, que permite gerar único tempo, não se consegue as 6 sílabas em 3-6.

    Essa forma de construção poética, com todos os versos em mesmo comprimento e ritmo, chama Versificação Regular. Concordo que seja mais simples do que a Irregular, mas é muito exigente. Qualquer errinho é bandeiroso.

    Ou você muda o texto desse verso para obter 3-6, ou muda o segundo verso dessa mesma estrofe para:

    Com espírito mais são. Mas daí você deixa de trabalhar o verso regular e o poema vira Irregular. Sem erros, mas com a estética diferente nas estrofes.

    Escolha o que mais deseja e volte para continuarmos o assunto. Abçs.
    Dalton.

  560. 560

    Marco said,

    November 20, 2011 @ 12:13 pm

    Olá! Camarada estou desenvolvendo um poema de quatro linhas só que estou tendo um dificuldade enorme para concluí-lo. Você pode gentilmente dar uma olhadinha:

    A Lastimo por esse período turbulento.
    B O seu esforço contudo me inspira.
    A Ver seus traços foi um encanto.
    B E seu contato cada vez mais me cativa

    Estou travadão.

  561. 561

    admin said,

    November 20, 2011 @ 1:11 pm

    Marco:

    Antes de ajudá-lo preciso saber alguns detalhes. Pelo jeitão das letras iniciais de cada verso, você tentou um Acróstico à partir da palavra LOVE. É isso?

    Caso esteja correta essa observação, no que você está precisando mais da minha ajuda. Nas Rimas de finais de verso, ou também na Métrica e no Ritmo?

    L astimo por esse período turbulento.
    O seu esforço contudo me inspira.
    V er seus traços foi um encanto.
    E seu contato cada vez mais me cativa

    Posso ajudá-lo, com prazer, mas preciso antes dessas informações.

    Fico no aguardo e grato pela confiança.
    Dalton.

  562. 562

    Marco said,

    November 20, 2011 @ 8:00 pm

    Primeiramente, obrigado pela ajuda. Sim, é isso mesmo. Pelo jeito desse frankenstein vou precisar de toda ajuda possível.

    O 1º verso, na minha opinião, parece algo estranho nesse texto só há uma palavra rimando. E o final – 4º verso – não está rimando adequadamente.

    O problema é achar palavras que rimem sem comprometer tanto métrica e o ritmo.

    Você acha possível salvar isso ou é melhor passar a borracha em tudo.

  563. 563

    admin said,

    November 20, 2011 @ 8:56 pm

    Marco:
    Taí, todos os versos com doze sílabas poéticas, mas o ritmo 2-5-8-10-12 faz com que não sejam Alexandrinos

    l as/TI/mo/ por/ ES/se/ pe/RÍO/do/ TUR/bu/LEN/ to
    o/ SEU/ lin/do-es/FOR/ço/ con/TU/do/ ME/ ins/PI/ ra
    v er/ SEUS/ tra/ços/ SEM/pre/ me/ CAU/sa-en/CAN/ta/MEN/ to
    e-o/ SIM/ples/ con/TA/to/ ca/TI/va-a/ MI/nha/ LI/ ra

    Preferi fazer em Versos Regulares (todos com mesmo comprimento e ritmo) porque é mais fácil e estou meio ocupado. Espero ter ajudado.
    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  564. 564

    Marco said,

    November 20, 2011 @ 9:51 pm

    Demais. Muito obrigado por sua ajuda. Caso o seu site algum dia precise de alguma doação ($$) será um prazer ajudá-los.

    Ainda estou apredendo. Mas, aos poucos eu chego lá. :)

    Agradecido,
    Marco Aurélio

  565. 565

    admin said,

    November 21, 2011 @ 6:54 am

    Marco:

    Consulte esta postagem:

    http://mpbsapiens.com/aos-navegantes-do-mpb-sapiens/

    Grato e volte sempre.
    Dalton.

  566. 566

    Joao vitor said,

    November 26, 2011 @ 7:48 pm

    Estou precisando criar dois poemas, para um trabalho de escola. Estou com dificuldades, pois estou com duvidas na diferença entre poema e poesia. Não precisa ser um poema grande. Agradeço desde já. vlw!

  567. 567

    Joao vitor said,

    November 26, 2011 @ 8:01 pm

    Antes que eu me esqueça, se você poder da uma olhada no que eu criei, não sei se é um poema ou uma poesia.

    Na solidão da noite
    Penso só em você
    E sem perceber
    Já é quase o amanhecer

    Sem você aqui,
    Para me abraçar
    Sozinho assim
    Não aguento mais fica

    Talvez devesse encontrar outro alguém
    Mas o meu coração diz,
    Que só você vai me fazer bem

    Parece romântico? Estou apaixonado. Através desse poema, queria também que fosse uma declaração, ela e da mesma turma, então eu queria que fosse uma indireta, vi esse trabalho como uma grande oportunidade pois sou tímido. ih, acabei desabafando. Vlw denovo!!!

  568. 568

    admin said,

    November 26, 2011 @ 8:34 pm

    João Vitor:

    Antigamente, os dois termos Poema e Poesia diziam a mesma coisa: Texto descrito por versos. Com o tempo, o Poema manteve esse significado, mas a Poesia ganhou interpretações mais abrangentes, ganhando um significado de algo Belo e Artístico. Por exemplo:

    - A jogada daquele gol foi uma Poesia e o gol foi uma Pintura!

    Você quer que eu o ajude de que maneira?

    Nos dois poemas, corrigindo o Poema de Amor já feito e escrevendo para você um outro para a escola?

    Caso seja essa a alternativa, preciso saber de duas coisas:

    O que você chama de poema grande e poema pequeno?

    Todo poema tem um motivo para ser escrito. Qual é o tema?

    Posso ajudá-lo com prazer, mas me ajude aí, cara.

    Fico aguardando.
    Dalton.

  569. 569

    Joao vitor said,

    November 26, 2011 @ 8:59 pm

    Gostaria que você fizesse uma correção do poema ou poesia criado por mim, e se possível criar um poema com mais ou menos 4 estrofes cujo tema seria sobre a Solidão. Obrigado!

  570. 570

    admin said,

    November 27, 2011 @ 8:12 am

    João Vitor:

    Na solidão da noite
    Penso só em você
    E sem me perceber
    É quase amanhecer

    Sem você junto a mim
    Para me abraçar
    Fico sozinho assim
    E não posso aguentar

    Talvez devesse encontrar
    Um outro alguém enfim
    Meu coração vai teimar
    Pois só pra você diz sim

    Como você começou tentando fazer os versos só com 6 sílabas poéticas nas estrofes 1 e 2, e na última mudou para 7 sílabas, procurei manter a sua idéia em ambos os casos com a Métrica. Quanto às Rimas fiz o mesmo, mas procurando colocação Alternada, porque Paralela é meio careta e pobre. Se você reparar, o primeiro verso ficou Branco e os outros 3 seguintes com mesma rima. Embora a coisa fique meio feia, dá ao verso um realce filosófico de Solidão, pois só ele ficou sem Rima.
    Caso você prefira manter a estrofe inteira rimada, troque o segundo verso por este:

    Sem você é-um açoite

    Quanto ao outro poema “para a escola” (me engana que eu gosto), Solidão, aqui vai:

    A Solidão é presente
    Se-a causa-é ausente
    Em qualquer lugar
    Ou situação
    Onde-o simples nâo
    Colocou-se-a reinar

    Sob as formas de fim
    Rejeita-se-o sim
    Na busca da luz
    Disposta-a-alegrar
    Qualquer caminhar
    Que apenas conduz

    A ciência da-essência
    Presente na-ausência
    Trava-o coração
    E-a força da mágoa
    Na lágrima-enxágua
    Toda-a causa do não

    Ao invés de 4 Quadras, 16 versos, achei mais fácil fazer em 3 Sextilhas, 18 versos, com rimas colocadas de forma Oposta.

    Procure estudar tudo isso em Ciência Poética, que fica no cabeçalho das páginas.

    Grato pela confiança, boa sorte e volte sempre.
    Dalton.

  571. 571

    Joao vitor said,

    November 27, 2011 @ 2:34 pm

    Na maior sinceridade, realmente é um trabalho escolar, irei apresenta-lo amanhã na aula de português. Agora, o seu site é realmente muito bom, parabéns pelo seu trabalho. Novamente torno a agradecer, vlw!!!

  572. 572

    Joao Vitor said,

    November 28, 2011 @ 6:03 pm

    Eai Dalton, sou denovo mais uma vez precisando de sua ajuda. Se não for muito incomodo claro. Se poder fazer a correção desse poema que eu criei. Devido a minha timidez não tive coragem de ler o outro em sala de aula =/. Mas vou tentar amanhã esse novo que criei. Da uma força ae. =)

    As palavras possuem poder
    E através delas
    Expresso o que sinto por você

    Neste simples poema vou-as recitando
    E ao mesmo tempo me declarando

    Espero que um dia você entenda
    Essa timidez que a cada dia me atormenta

    E sem mais palavras para descrever
    Simplesmente eu amo você!

  573. 573

    admin said,

    November 29, 2011 @ 8:24 am

    João Vitor:

    Não há problema algum em ajudar, mas devo avisar que você tem alguns erros de conjugação e escrita no texto, que merecem correção:

    denovo – não é junto, mas separado – de novo
    se poder fazer – o correto é – se puder fazer
    em Devido a minha timidez – o A leva Crase – devido à minha…
    não se usa “vou-as”, porque confunde com o som de “vôas” (de voar) – embora a Ênclise seja recomendada para as conjugações do Presente, a semelhança de sons com outros vocábulos sugere uma Próclise: as vou.

    São erros pequenos, mas que se não corrigidos logo cedo acabam virando vício de escrita. Outra coisa que pode prejudicá-lo nos textos são os sinais dessa nova escrita virtual (=/, ae, =), excelentes como Taquigrafia nos bate-papos virtuais, mas péssima para quem depende da Palavra Escrita no Poema. Não sugiro que você a abandone, apenas evite usá-la nos rascunhos do poema. Verá abaixo o poema já corrigido, com as sílabas tônicas em maiúsculas, cujas posições são as sequências de números ao final de cada verso. As sílabas que aparecem com traço ligando são as chamadas Sílabas Poéticas, e são pronunciadas num só tempo cada. Por exemplo:

    as/ pa/LA/vras/ pos/SU/em/ po/DER – 3-6-9 (pausa)
    e/ por/ E/las – 3 (pausa)
    eu/ ex/PRES/ so-um/ a/MOR/ que/ só/ SIN/to-em/ vo/CÊ – 3-6-9-12 (pausa)

    nes/te/SIM/ples/ po/E/ma-eu/as/VOU/ re/ci/TAN/do-e – 3-6-9-12 **
    e/ no/ MES/mo/ mo/MEN/to/ es/ TOU/ me-en/tre/GAN/do – 3-6-9-12

    eu/es/PE/ro/ que-um/ DI/a/ vo/CÊ/ me/ en/TEN/da – 3-6-9-12 (pausa)
    ti/mi/DEZ/ que/ ju/DI/a-é/ só/ MI/nha-e-a/tor/MEN/ta – 3-6-9-12 (pausa)

    e/ sem/ TER/ mais/ pa/LA/vras/ pra/ ME/ des/cre/VER – 3-6-9-12 **
    sim/ples/MEN/te/ me/ CA/lo/ com-um/ A/mo/ vo/CÊ – 3-6-9-12

    ** (emende direto com o verso seguinte, mas sem apressar a declamação)

    Num poema, não é necessário que todos os versos tenham as mesmas quantidades de Sílabas Poéticas (Métrica), mas as sílabas tônicas dos versos têm de estar nas mesmas posições para deixar o Ritmo Poético equilibrado. Se não cuidar disso, aquilo que seria um poema vira um amontoado de Versos Mancos em cada estrofe.

    O que dá charme ao poema é o Ritmo, principalmente numa declamação bem feita, com o cuidado de se acentuar as sílabas tônicas nos locais certos. Poema não é para ser apenas lido, como lição de casa. Tem de vir espontâneo, sentimental, mas se o Ritmo seguir essas regras vistas na declamação, o poeta arrasa.

    Procure ajustar um outro ritmo, o da velocidade na declamação. As sílabas têm que ser naturalmente bem pronunciadas. A dicção conta muito na nota final. Como a maioria de nós costuma não pronunciar o R nos finais das palavras, transformando poder em podê e descrever em descrevê; qualquer um que as pronuncie corretamente ganha destaque, tanto com as garotas quanto com o(a) professor, que é quem dá a nota final.

    Sei que a coisa soa meio falsa, ao comparar a espontaneidade do sentimento com as Regras do Ritmo, mas ser Poeta é isso: Fingir estar sendo espontâneo no sentimento, mas cuidando de seguir as Regras Poéticas, pois sabe que elas agradam há milênios.

    Decore bem o poema, cuidando de acentuá-lo como deixei, mas não deixe a declamação robotizada. Caso queira continuar aprendendo, volte aqui para corrigir outras coisinhas.

    Vá com calma, boa sorte e volte sempre.
    Dalton.

  574. 574

    Marco said,

    November 30, 2011 @ 9:42 pm

    Olá! Camarada tudo bom. Olha só, acabei fazendo um pequeno poema de retificação por um lapso que cometi e estou com as seguintes dúvidas: o verbo SER – 2º verso – usado no pretérito-mais-que-perfeito está mal empregado?
    Não estou conseguindo melhorar a rima desse verso com o 4º. Está legal desse jeito? O que você recomenda?
    Obs.: as barras foram inseridas, apenas, para dificultar a localização pelos buscadores.

    /Mi/nha ca/rís/sima ami/ga, por favor, per/doe-me

    O mo/mento fo/ra mui/tís/simo des/fa/vorável.

    Sua di/vi/nís/sima ima/gem, to/da/via, fas/ci/nou-me.

    E o in/tui/to era ape/nas enal/tecê-la.

    Desde já, agradeço pela gentileza.

  575. 575

    Marco said,

    November 30, 2011 @ 10:50 pm

    Retificação:

    A conjução do 3º verso – todavia – fica melhor no início.
    O 4º verso foi refeito, mas não estou conseguindo achar uma solução para a métrica e rima. Mas, já estando razoável avise.

    Mi/nha ca/rís/sima ami/ga, por favor, per/doe-me

    O mo/mento “fo/ra” mui/tís/simo des/fa/vorável.

    To/da/via, sua di/vi/nís/sima ima/gem fas/ci/nou-me.

    E me/u in/tuito foi de e/nal/te/cer sua no/bi/lís/sima pes/soa.

  576. 576

    admin said,

    December 1, 2011 @ 8:11 am

    Caro Marco:

    Maiúscula = Sílaba tônica
    MI/nha/ CA/ra-a/MI/ga-en/TEN/da-e/ POR/ fa/VOR/ per/DOE/-me
    O/ mo/MEN/to/ FÔ/ra-in/TEN/so-e/ BEM/ des/FA/vo/RÀ/vel
    TO/da/VI/a-a/ SU/a/ TEN/ra-i/MA/gem/ FAS/ci/NOU/-me
    QUAN/do-o/ MEU/ in/TEN/to/ E/ra/ SER/ só/ A/gra/DÁ/vel

    Quando se trabalha com versos longos, quase no limite da métrica que separa os significados de Poema e Prosa (14 sílabas poéticas), temos que ficar de olho nas sétimas sílabas, pois devem ser tônicas.

    A partir das 12 sílabas ganhamos novas regras para o verso, quando passamos a conviver com os conceitos de Cesura (ponto que o separa em duas metades) e Hemistíquio (nome dado a cada uma das metades).

    Se for o caso de um Verso Bárbaro (14 sílabas), a sétima sílaba, a da Cesura, além de tônica, tem que pertencer a um vocábulo oxítono, para definir rigorosamente cada Hemistíquio.

    No caso do Alexandrino Espanhol (13 sílabas), a Cesura é menos rigorosa quanto à tonicidade do vocábulo que contenha a sétima sílaba tônica.

    A declamação desses versos limítrofes dos poemas é sempre complicada, portanto é aconselhável trabalhar o Ritmo com tonicidades alternadas no sistema coração 1-1 (tônica-átona) nos com 13 sílabas, ou vice-versa nos com 14.

    Não há qualquer exigência quanto às Rimas, mas a elegância poética sugere que as sílabas centrais possuam ao menos sonâncias semelhantes.

    Na forma como refiz o seu pensamento original perceberá que usei o Alexandrino Espanhol, com Cadência 1-3-5-7-9-11-13; e tive felicidade de encaixar em todas as sétimas sílabas o som “TEN” nas cesuras dos vocábulos centrais dos versos.

    Espero não ter mudado muito o que você pretendia com a estrofe, ao ajustar o último verso para receber o salvador “Agradável”, mas foi o que melhor me ocorreu.

    Parabéns pelo texto. Você escreve muito bem, mesmo tendo a audácia de mergulhar nas águas mais profundas da Ciência Poética, pois não é muito fácil trabalhar com Alexandrinos Espanhóis e Bárbaros. Poucos foram os poetas do Português a se aventurarem com eles, dentre os quais, Castro Alves.

    Boa sorte com a nobre dama!
    Dalton.

  577. 577

    Marco said,

    December 2, 2011 @ 3:33 pm

    Obrigado pelas dicas. Depois dessa aula senti-me na obrigação de dar um apoio ao site. Não é grande coisa, mas acredito que já seja algo.
    Sobre aquele texto eu fiz, apenas, uma pequena modifcação para facilitar a leitura pelo destinatário.

    Mestre, vou importuná-lo mais uma vez:

    Na/ra, tu és ra/dian/te co/mo uma es/tre/la

    /A /sua fi/na fi/sio/nomia sus/ci/ta no ho/rizonte

    Re/fle/xo da sua ima/gem que re/ve/la

    /Aos /me/us olhos /uma vi/são ma/ra/vilho/sa.

    É! Mais um feito em acróstico. Acredito que o problema central seja com terceiro verso. Já o refiz “N” vezes! Mas, o verso não melhora. O pronome relativo pode ser removido?

    Atenciosamente,
    Marco Aurélio

  578. 578

    admin said,

    December 2, 2011 @ 5:15 pm

    Marco:

    O mais fácil é mudar o texto pra isto:

    A sua fisionomia suscita no horizonte,
    Reflexo que-a sua imagem-em si revela
    Aos meus olhos numa visão maravilhosa

    Caso queira mexer menos no texto, há um outro recurso poético chamado Anáclase, que consiste na captura do som de uma sílaba final do verso pela primeira do verso seguinte, ou da incial do verso pela final do anterior. Normalmente é feito com vogais em sílabas átonas, portanto nada impede que ocorra isto:

    A sua fisionomia suscita no hori/ZON/ te-e-o
    Reflexo da sua imagem se revela
    Aos meus olhos numa visão maravilhosa

    O “E” e o “O”, que iniciam a sintaxe do verso seguinte são capturados pelo som do átono “te”. Regra muito usada na MPB. O Chico adora Anáclases. Já fez isso até com sílabas tônicas para salvar o verso e cantamos a coisa normalmente sem perceber:

    Eu achei que era ela puxando um cor/DÂO-
    -DÃO Oito horas e danço de blusa amarela…

    Caso queira conferir -> http://www.youtube.com/watch?v=_Lnt6oyPcqI

    Espero ter ajudado.

    Grato.
    Dalton.

  579. 579

    fabiano said,

    December 5, 2011 @ 8:56 pm

    Oi…gostei dessa aula de poesia, gostaria da sua opnião sobre meu blog…
    Você pode dar uma olhada no meu blog? http://www.umdiavouteter.blogspot.com
    Não é poesia, são meus sentimentos…
    Por favor me diga o que acha…
    Obrigado.

  580. 580

    Marco said,

    December 5, 2011 @ 9:33 pm

    Sr. Dalton,

    Olá! Tudo bem? Camarada estou gostando bastante de elaborar esses textos, só que estou com dificuldade em relação à teoria. Você poderia me indicar algum um livro? De preferência de nível básico ou intermediário.

    Atenciosamente,
    Marco Aurélio

  581. 581

    admin said,

    December 5, 2011 @ 11:45 pm

    Fabiano:

    Dei uma passada lá no seu blog. Você tem pensamentos mais voltados a um mundo próprio. Quanto mais subjetivo é um texto, menor o seu entendimento pelas demais pessoas. Também pude perceber por eles que você está se experimentando neste mundo surdo que o cerca. Há um consagrado pensamento de Chico Buarque nesse tema:

    Quero lançar um grito desumano
    Que é uma maneira de ser escutado

    O máximo que posso fazer, por enquanto, é aconselhá-lo com a Ciência Poética na construção do poema, caso assim queira.

    Grato pela confiança, pela elegância e volte sempre.
    Dalton.

  582. 582

    admin said,

    December 6, 2011 @ 12:23 am

    Caro Marco:

    Com o gradativo desaparecimento do tema Versificação do conteúdo da disciplina Língua Portuguesa nas escolas, desde os anos sessenta, criou-se um profundo vácuo cultural na Poesia Brasileira. Creio que esse problema não se resumiu a nós, brasileiros, mas a todos os povos de linguagem latina. Os últimos livros mais voltados ao assunto datam da década de trinta, tais como os tratados de Versificação de Castilho e Said Ali.

    Dos autores mais recentes, vejo maior valor no trabalho do prof. Celso Cunha, nos seus livros didáticos voltados à disciplina.

    Por mais imodesta que se insinue a situação, sinto que o MPB Sapiens tem sido uma referência para vários idiomas nas questões básicas do verso. Hoje mesmo, ao conferir certo link do Sapiens, fui deparar com várias postagens minhas traduzidas para o grego. Se por um lado isso me envaidece, por outro preocupa, pois não posso fornecer aos leitores outras opiniões sobre o assunto, como é o seu caso.

    O máximo que posso fazer é o que tenho feito com você e os demais leitores que me procuram diariamente: ou ajudo diretamente por aqui, nos comentários, ou indico as postagens que possam auxiliá-los no estudo.

    Volte aqui tantas vezes quanto imagine necessárias. Prometo atendê-lo como sempre tenho feito.

    Grato pela confiança.
    Dalton.

  583. 583

    Thiago Jefferson said,

    December 16, 2011 @ 12:44 am

    Avalie o meu poema, os versos são livres, gostaria de saber apenas se o mote e o enredo é bom:

    Quem me dera fosse ar
    Para acariciar teu cabelo
    Tocar teu lábio com beijo
    Como uma brisa, sentimental!

    Quem me dera fosse água
    Para te refrescar em dia quente
    Descer em teu corpo eloqüente
    Oh musa, imortal!

    Quem me dera fosse terra
    Pra beijar os teus pés lentamente
    Te sustentar sutilmente
    Pro teu corpo, pedestal!

    Quem me dera fosse fogo
    Para aquecê-la por inteiro
    Fazer brotar o desejo
    Do amor, incondicional!

  584. 584

    admin said,

    December 16, 2011 @ 7:17 am

    Thiago Poeta:

    Linda descrição do Mote. Eu colocaria, ao invés de “pro”, No teu corpo pedestal. Pronto, já dei palpites demais no poema!

    Por mais que evitemos comparações, posso dizer que caso Vinícius de Moraes fosse modernista escreveria algo assim. Ou mesmo, até ele tenha sido e se esqueceu de fazer esse poema, deixando-o pra você.

    Corpo eloqüente foi uma linda tirada. Coisa de Taiguara: “Corpo imerso no teu corpo / E em teus braços se une em versos a canção”.

    Caso não conheça, dê uma escutada nisto: http://letras.terra.com.br/vinicius-de-moraes/86813/

    Grato pela confiança e volte sempre com esses “modestos” motes.
    Dalton.

  585. 585

    Vinicius said,

    December 16, 2011 @ 3:42 pm

    Queria que desse uma lida nesse “poema” por mim escrito e me ajuda-se a escrever mais e mais coisas melhores

    Vida
    Se não houvesse saudades
    nessas noites tão tardes
    não faria do tempo ilusão

    Parta
    Pois é a unica solução
    sua ida minha solidão
    a quem queremos enganar

    Saiba
    que não é assim tão querida
    mas me mostra o pranto nessa causa perdida
    para assim ao menos meu instante passar

    Muito obrigado!

  586. 586

    admin said,

    December 16, 2011 @ 4:16 pm

    Vinícius:

    A colocação das rimas está confusa. Tanto a idéia quanto o pensamento foram legais, mas a estética ficou desequilibrada. Por exemplo, todos os primeiros versos deveriam ser da mesma rima, seguidos de outros dois com outra rima e um final que rimaria com o último da estrofe seguinte. Assim:

    Eu
    Tento fazer poema
    Na minha forma pequena
    Da arte de versejar

    Meu
    Doce momento é inverso
    Ao sofrimento do verso
    No vento a esvoaçar

    Céu
    Dê-me agora a poesia
    Assim da noite pro dia
    Pro poema caminhar…

    Sacou a colocação das rimas?
    Tente fazer assim e depois volte para conversarmos.

    Grato pela confiança e volte.
    Dalton.

  587. 587

    Vinicius said,

    December 16, 2011 @ 5:41 pm

    Muito obrigado pela diga e o seguindo resolvi criar outro

    Veja
    o fado que criou
    não foi isso que desejou
    por ti não irei mais esperar

    Seja
    Aquilo que deixou de ser
    va viver como sempre quis fazer
    seque as lagrimas para o tempo mudar

    Beija
    a alma despida de razão
    e me faça a sua ilusão
    o motivo para que lutar

  588. 588

    admin said,

    December 17, 2011 @ 6:59 am

    Vinicius:

    Isso mesmo. Pode reparar que o poema ganhou uma estética sonora e visual com essa distribuição de rimas nas estrofes. Ficou muito bonito para o visual de quem apenas lê, mas o poema não é só estética visual.

    Há também a declamação, que continua sendo a parte mais importante de um poema que pode até virar letra de música. Aí começam as preocupações com o Ritmo Poético, que é o posicionamento das sílabas tônicas no verso e exige equilíbrio entre todos os versos de uma estrofe. Por exemplo, vejamos a sua primeira estrofe:

    VE / ja – 1
    o / FA / do / QUE / cri / OU – 2-4-6
    NÃO / foi / IS / so / QUE / de / se / JOU – 1-3-5-8
    por / TI / não / i / REI / MAIS / es / pe / RAR – 2-5-6-9

    Olhe como pode ficar:

    VE / ja-o
    FA / do / QUE / cri / OU – 1-3-5
    NÃO / foi / IS / so / QUE / de / se / JOU – 1-3-5-8
    E / por / TI / não / VOU / es / pe / RAR – 1-3-5-8

    Tente fazer o mesmo com as outras estrofes e evite colocar duas sílabas tônicas em seguida numa declamação. Leia sempre o poema em voz alta porque só assim você percebe se o Rirmo Poético tá legal ou não.

    Vai firme. Procure sempre escrever a idéia bruta tão logo ela surja em sua cabeça, porque ela é a mais valiosa. Depois você trata de lapidar a gema com esses truques vistos.

    Boa sorte e volte aqui pra mostrar.
    Dalton.

  589. 589

    Thiago Jefferson said,

    December 18, 2011 @ 3:05 pm

    Admin, Me senti honrado com as suas palavras a respeito do meu poema. Vinicius de Moraes é mesmo brilhante, ótimo poema e grande nome da MPB, me inspiro nele.

    Não conhecia a música, perfeita!

    Não conhecia o MPB Sapiens, passarei a frequentar esse espaço mais vezes, comentando e sendo comentado.

    Abraços!

  590. 590

    Thiago Jefferson said,

    December 22, 2011 @ 2:47 am

    Dalton, venho aqui novamente para pedir, por gentileza, a sua opinião a respeito de minha poesia que fiz sobre o Natal. Pode comentar ou criticar a vontade!

    Chama-se:

    A Noite Natalina

    Do ventre daquela jovem
    Um menino nasceria
    Para que se concretizasse
    Os textos da profecia
    Que supunham que viesse
    O poderoso Messias

    Seria o maior dos reis
    Em amor e fraternidade
    Lhe faltaria dinheiro
    E sobraria bondade
    De livrar-os do pecado
    Toda aquela sociedade

    E naquela manjedoura
    Em Belém, era a cidade
    Noite fria natalina
    Numa forte tempestade
    O Milagre aconteceu
    O nosso Deus fez-se carne.

  591. 591

    Thiago Jefferson said,

    December 22, 2011 @ 2:50 am

    Desculpa, o primeiro verso, ao invés da palavra “Jovem”, é a palavra “Virgem”.

  592. 592

    admin said,

    December 22, 2011 @ 10:01 am

    Thiago:

    Dessa vez tive que mexer um pouco mais no seu texto original, pois é o seu dom fazer poemas. Mas qualquer que seja o motivo do texto no poema é preciso, antes de tudo, ser de fácil leitura e compreensão. Por enquanto, sugiro-lhe que se preocupe mais com as Rimas. Quando você pesquisa qualquer coisa em dicionário encontra um gratificante crescimento interior pelo aprendizado novo de inúmeras descobertas. O que tenho aqui no Sapiens não é um dicionário de rimas, mas uma imensa relação delas pelos sons, cujo endereço está no cabeçalho do site: Rimas Brasileiras. Leia com atenção o “Modo de Usar” e use-o constantemente, porque facilita bastante a vida do poeta.

    As palavras são apenas instrumentos da nossa comunicação. O que as dirige é o sentimento que colocamos nelas quando as transformamos em poemas, e grande parte desse sentimento vem dos sons parecidos nos versos. Se as igrejas precisam de padres e pastores nos seus cultos, a Poesia também precisa deste humilde sacerdote por aqui:

    Do ventre daquela virgem
    Um menino nasceria
    Não seriam mais vertigem
    Os textos da profecia
    Que supunham e assumissem
    O poderoso Messias

    Seria o maior dos reis
    Em amor e fraternidade
    Lhe faltariam vinténs
    E sobraria bondade
    De livrar-os de verdade
    Dos pecados da sociedade

    E naquela manjedoura
    Na cidade de Belém
    Deu-se a noite do Natal
    Que trouxe o milagre do bem
    E Deus fez-se carne igual.

    Bom natal!
    Dalton.

  593. 593

    Thiago Jefferson said,

    December 22, 2011 @ 2:27 pm

    Dalton, obrigado, mais uma vez, pelas palavras e comentários. Esse site tem sido de forte ajuda no meu crescimento com a poesia…

    Quanto as rimas, como você pode notar, só havia isso no 2º 4º e 6° verso de cada estrofe. As vezes vejo textos assim, com as rimas dispersadas dessa forma, mas confesso, os demais versos não rimaram porque eu realmente não encontrei a palavra certa.

    Gostei da roupagem que deu a minha poesia, ficou brilhante, amigo!

    Feliz Natal e Boas festas, Dalton.

    Thiago Jefferson.

  594. 594

    Thiago Jefferson said,

    December 23, 2011 @ 12:28 am

    Dalton, só mais uma dúvida: Eu gostei demais da “cara” que fez ao meu poema, como falei no comentário anterior; porém, gostaria de ter uma certeza quanto a LICENÇA POÉTICA.

    Bom, os versos deveriam ficar, de acordo com a gramatica, assim:

    Não seriam mais vertigem (Vertigens, pois é plural);

    Que supunham e assumissem (E assumiria);

    Lhe faltariam vinténs (Faltariam-lhe);

    E sobraria bondade (E bondade sobraria);

    Porém, esses “erros” podem ser considerados propositais, com a finalidade de se construir uma boa rima e sonoridade aos versos, usando a famosa LICENÇA POÉTICA, ou devem ser concertados?

  595. 595

    admin said,

    December 23, 2011 @ 6:39 am

    Thiago:

    Devem ser evitados, embora haja uma enorme e milenar distância entre o gramático e o poeta. Por exemplo:

    Que da noite pro dia
    Você não vai crescer
    Vem, por favor não evites…
    Vou te envolver nos cabelos…

    Chico Buarque começou conjugando na terceira do singular e terminou na segunda. Mesóclise, por exemplo, cabe o uso num poema? Outro exemplo, agora com graciosa e correta utilização da ênclise:

    Vai minha tristeza e diz a ela
    Que sem ela não pode ser
    Diz-lhe numa prece…

    Grato.
    Dalton.

    Vinícius de Moraes era um dos defensores do uso correto da Gramática acima da Ciência Poética. Como o poema é o retrato escrito do linguajar popular, esses erros são aceitos sob o argumento de Licença Poética, mas devem ser evitados, coisa que não fiz, reconheço, ainda que apressadamente.

  596. 596

    Thiago Jefferson said,

    December 23, 2011 @ 2:13 pm

    Entendi, grande Dalton. Como você disse, também já li vários poemas e ouvi algumas músicas da MPB que usam a LICENÇA POÉTICA. Fiz algumas pequenas alterações no poema, o que me diz?:

    A NOITE NATALINA

    Do ventre daquela virgem
    Um menino nasceria
    Não seria mais vertigem
    O texto da profecia
    Que supunha e assumiria
    O poderoso Messias

    Seria o maior dos reis
    Em amor e fraternidade
    Lhe faltaria vinténs
    E sobraria bondade
    De livrar-nos de verdade
    Dos pecados da sociedade

    E naquela manjedoura
    Na cidade de Belém
    Deu-se a noite do Natal
    Que trouxe o milagre do bem
    E Deus fez-se carne igual.

  597. 597

    admin said,

    December 23, 2011 @ 4:50 pm

    Ficou muito melhor, Thiago. Mas evite usar três versos seguidos com a mesma rima após uma sequência em que usou Rima Alternada. Você pode usar o recurso dos três versos seguidos quando faz uma jogada de Rimas Opostas mais nobres: (1-5-9 / 2-3-4 / 6-7-8). Aliás, na literatura tivemos um poeta que ficou mais conhecido por essas rimas, só que agora não lembro.

  598. 598

    Thiago Jefferson said,

    December 26, 2011 @ 2:53 am

    Oi, Dalton, ando muito inspirado ultimamente. Criei dois micro-poemas, o que acha deles?:

    TEMOR
    Imortalizo minhas dores
    Nos versos d’uma poesia
    Só pra lembrar que um dia
    A dor que me corroia
    Não passava de temores

    LÁGRIMAS TUBULADAS
    Canalizei em meus olhos
    Pra ninguém mais avistar
    Os rios tristes e os poços
    Que vertiam de meu olhar

    Abraços!
    Thiago Jefferson

  599. 599

    admin said,

    December 26, 2011 @ 5:54 am

    Thiago:

    Percebo que você já está começando a acertar-se com as rimas sem perder o controle do texto. O próximo passo é começar a preocupar com o chamado Ritmo Poético, ou Cadência Poética, determinados pelo posicionamento das sílabas tônicas ao longo dos versos.
    Para percebermos o Ritmo é necessário que criemos o hábito de ler o poema em voz alta, porque poema é para ser declamado e não apenas lido. Durante a escrita, a coisa fica mais fácil quando começamos a Escandir os versos, pois a Escansão permite observar se o Ritmo está equilibrado ou não. Veja:

    ca/ na/ li/ ZEI/ em/ meus/ O/lhos
    pra/ nin/guém/ MAIS/ a/ vis/ TAR
    os/ ri/ os/ TRIS/ tes/ e-os/ PO/ ços
    que/ ver/ TI/ am/ do/ MEU/ o/ LHAR

    A contagem das sílabas de um verso – Métrica – termina na sua última sílaba tônica. Em sílabas átonas, o máximo que o nosso ouvido aceita sem reclamar são três em seguida. Quatro já não dá, porque acabamos transformando uma delas em tônica durante a declamação. Deixei as sílabas tônicas em maiúsculas. Essa estrofe Quadra que você fez possui uma irregularidade na Cadência. Dê uma estudada nela e tente corrigí-la.

    Amplexos.
    Dalton.

  600. 600

    Thiago Jefferson said,

    December 26, 2011 @ 4:41 pm

    Okay, Dalton. Grato pela ajuda, tentarei fazer algo melhor.

    Abraços!

    Boas Festas e Feliz Ano Novo.

    Thiago Jefferson.

  601. 601

    admin said,

    December 27, 2011 @ 7:11 am

    Thiago:

    Boas festas para você e os seus e tenho a certeza de sempre virão poemas melhores por você. Continue compondo e melhorando.
    Dalton.

  602. 602

    Ana Carolina Lima Da Rosa said,

    January 6, 2012 @ 12:36 am

    Olá.
    gostaria de saber, o que vc acha sobre meus poemas,pois quero melhorar e preciso de dicas.
    A algum tempo eu não escrevo.

  603. 603

    admin said,

    January 6, 2012 @ 8:21 am

    Ana Carolina:

    É necessário ter em vista que a parte mais valiosa de qualquer transmissão por texto está no motivo pelo qual se escreve qualquer coisa. No caso do seu texto “Quem Sou Eu”, trata-se de uma poética exposição de ego, que estando o texto disposto em versos dá a ideia de poema, mas são coisas bem diferentes.

    A beleza poética de um pensamento disposto em versos nem sempre é um poema. É poético por ser Belo, mas não é poema, pois este exige algumas atenções mais voltadas para o resultado sonoro da pronúncia em voz alta daquilo que foi descrito em versos, o que é conhecido por Declamação ou Recitação.

    Várias são as regras da Ciência Poética que cercam os poemas e o que os difere é a forma como o poeta se dedica aos versos. Por exemplo, o Ritmo Poético, também conhecido por Cadência, que implica em dar aos versos um equilíbrio sonoro determinado pelo posicionamento das sílabas tônicas ao longo deles, o que lhes dá um certo parentesco quando reunidos numa Estrofe, caracterizada pela exposição de um fragmento de texto dentro do contexto que é o poema.

    Se você estiver disposta ao aprendizado da Versificação sugiro os endereços Ciência Poética e Glossário Poético, que constam no cabeçalho do site. Estude e venha até aqui toda vez que surgirem dúvidas, porque sei que o meu texto também é de difícil compreensão em algumas ocasiões.

    Grato pela confiança e volte sempre. Será um prazer ajudá-la.
    Dalton.

  604. 604

    laudimara said,

    January 30, 2012 @ 8:42 pm

    nossa leegal . mais preciso d ajuda pra produzir 3 poemas tema o lugar onde vivo

  605. 605

    laudimara said,

    January 30, 2012 @ 8:43 pm

    nossa leegal . mais preciso d ajuda pra produzir 3 poemas tema o lugar onde vivo
    sera q alguem pode me ajudar

  606. 606

    laudimara said,

    January 30, 2012 @ 8:44 pm

    nossa leegal .

  607. 607

    laudimara said,

    January 30, 2012 @ 8:46 pm

    ajudaaaaaaaaaaa

  608. 608

    admin said,

    January 30, 2012 @ 10:42 pm

    Laudimara:

    Me perdoe a demora na resposta, pois hoje estive fora o dia todo. Poderei ajudá-la sim com os poemas. Passe alguns dados do lugar aonde vc mora.

    Grato pela confiança e volte.
    Dalton.

  609. 609

    julia said,

    February 8, 2012 @ 1:57 pm

    eu não gostei do seu modo de explicar como fazer um poema e não entendi nada

  610. 610

    admin said,

    February 8, 2012 @ 9:26 pm

    Julia:

    Me perdoe então pela forma errada de explicar. Caso você queira tentar novamente, me conte das suas dúvidas principais que tentartei ser mais claro.

    Grato pela visita e volte.
    Dalton.

  611. 611

    michael letras said,

    February 13, 2012 @ 5:52 pm

    Gostaria que você fizesse uma correção do poema criado por mim, mas gostaria de enviar-lhe para o teu Email (não sei o teu Email) desde ja agredeço

  612. 612

    admin said,

    February 13, 2012 @ 6:11 pm

    Certo.

  613. 613

    michael letras said,

    February 14, 2012 @ 10:45 pm

    oi Dalton estou Aguardando…

  614. 614

    admin said,

    February 15, 2012 @ 8:07 am

    Michael:

    Mandei um email para esse seu endereço ontem mesmo. Vou fazê-lo novamente agora para que você apenas responda colocando o poema. Confira bem a sua caixa de mensagens. Até lá.

  615. 615

    michael letras said,

    February 15, 2012 @ 11:27 pm

    oi Dalton Já enviei… Grato

  616. 616

    andreza said,

    February 22, 2012 @ 3:16 pm

    o nome deste poema é LOUCURA DO AMOR.

    alegria de viver,um sorriso,um prazer.para voce meu bem querer,te amei a vida inteira,voce para mim é tudo,meu amor sem fronteiras.a realidade da vida,sem voce nao tenho saida,meu grande amor,minha vida.

    eu q crie esse poema.GOSTOU???

  617. 617

    admin said,

    February 22, 2012 @ 3:28 pm

    Andreza:

    É um bonito poema, mas pode ficar melhor ainda. Quer aprender como faz?

    Volte sempre e obrigado pelo poema.
    Dalton.

  618. 618

    Carlos Eduardo said,

    February 23, 2012 @ 3:30 am

    Olá Admin, tenho 14 anos estou no 1° ano do ensino médio e quero ser um grande poeta, mas ainda não consigo fazer belos poemas. Eu faço poemas sentimentais e as vezes faço poemas humoristicos para alegrar o dia-a-dia.
    Dê uma olhada nesse meu poema que fiz para uma garota e diga-me o que achou. (Se disponivel)

    Sarah

    O brilho dos teus olhos me encantaram,
    Totalmente Profundo,
    Que a partir de agora,
    Vooc é a única pessoa q amo nesse mundo!

    O brilho do Sol é bonito,
    Mas o brilho do Sol
    Não é o bastante para
    Comparar com o brilho dos teus olhos
    Que é infinito!

    Por horas pensei no que dizer,
    Mas me sentí aflito,
    Tão aflito, sem saber o q fazer!

    A primeira vez que estou
    Dizendo que te quero,
    Só não sei a resposta
    Que eu tanto espero!

  619. 619

    admin said,

    February 23, 2012 @ 9:32 am

    Carlos Eduardo:

    Você está na idade certa para começar a aprender os segredos do Poeta.
    O poema é um texto normal, com as Orações do Período Sintático dispostas em linhas na forma de versos, logo, se o texto for bom, o poema terá boas chances de também ser. Veja:

    O brilho dos teus olhos me encantaram, totalmente profundo, que a partir de agora você é a única pessoa que amo nesse mundo.

    1- O brilho dos SEUS olhos me encantou. É tão profundo, que a partir de agora VOCÊ é a única pessoa que amo nesse mundo.

    2- O brilho dos TEUS olhos me encantou. É tão profundo, que a partir de agora ÉS a única pessoa que amo nesse mundo.

    Em 1 – usei a Terceira Pessoa do Singular. Em 2 – usei a Segunda Pessoa do Singular.

    Se você quer ser um ótimo poeta, não comece o poema usando a Segunda Pessoa pra depois misturar com a Terceira. Escolha uma e evite mudá-la ao longo de todo o poema.

    Há um recurso chamado “Licença Poética”, que permite ao poeta pequenos erros gramaticais em colocação irregular dos pronomes, mas não admite grosserias, porque daí o que deveria ser belo vira bagunça.

    Tomo como exemplo a obra de um consagrado poeta: Chico Buarque, que errou da mesma forma que você em algumas músicas. Observe esta ocorrência em Tatuagem:

    Quero ficar no TEU corpo
    Feito tatuagem
    Que é pra TE dar coragem
    Pra seguir viagem
    Quando a noite vem
    E também pra me perpetuar em TUA escrava
    Que VOCÊ pega, esfrega, nega
    Mas não lava.

    Chico é considerado um dos maiores poetas brasileiros de todos os tempos, mas nessa música deu uma “pisadinha na bola”. Foram poucas as falhas dele em toda a obra com centenas de poemas.

    Veja este outro caso ocorrido com Vinícius de Moraes:

    Vai minha tristeza
    E diz a ela
    Que sem ela não pode ser
    DIZ-ME numa prece
    Que ela regresse…

    Embora muitos críticos literários tenham dito que Vinícius usou de Licença Poética no quarto verso, isso não ocorreu na colocação do pronome, porque a regra das conjugações no Presente exigem Ênclise, que é o pronome após o verbo.
    O que Vinícius fez foi usar uma expressão totalmente fora de uso, mas gramaticalmente correta.

    Quantas pessoas usam falar DIZ-ME?

    Citei esses dois casos para você entender o processo e evitar ao máximo tais erros. Afinal, Chico Buarque ganhou a fama que tem por só ter feito isso em raríssimos casos. Portanto, você também pode errar sim, desde que não comece com a idéia de que o Erro gramatical é algo Normal.

    Não precisa preocupar-se com a Pontuação nos poemas, embora ela dê um charme todo especial a eles, quando bem usada.

    O brilho dos (s)teus olhos me ENCANTOU.

    Aqui você tem que escolher entre ENCANTARAM ou ENCANTOU. Para usar o primeiro caso tem que colocar “Os brilhos dos teus olhos me encantaram”. Para o segundo, “O brilho dos (s)teus olhos me encantou”.

    Isso tudo que escrevi não tem o propósito de deixar você desanimado com os poemas. Foi apenas uma forma que encontrei de alertá-lo desde o início. Hoje temos vários poetas escrevendo os seus poemas e ganhando uma boa grana com eles em músicas, mas quantos deles são iguais ao Chico ou ao Vinícius?

    Você, com os seus catorze anos, tem tudo para ser um bom poeta. O próprio poema apresentado é muito bom, com Rimas bem colocadas. Algo muito difícil para a sua idade.

    Cabe agora a você escolher parecer mais com Chico e Vinícius ou com a maioria que nem ouso colocar aqui no Sapiens.

    Não sou professor de Português e nem Poeta. Tenho algum conhecimento de Gramática, mas também não sei usá-la com a perfeição que lhe disse. Entendo muito de Versificação, ou Ciência Poética. Portanto, acho bom você fazer amizade com o seu professor de Português, mostrar a ele os textos e depois trazê-los pra cá, onde poderei ajudá-lo a transformar em poemas.

    O caminho melhor e mais curto é esse. Não custa dar uma mãozinha pro Futuro começando a coisa corretamente no Presente.

    Mostra o seu poema ao professor, que decerto mostrará as necessárias correções, reescreva-o e traga aqui para eu começar a ensinar-lhe os truques da Ciência Poética.

    Não desista e volte aqui muitas vezes. Será um prazer ajudá-lo.
    Dalton.

  620. 620

    Carlos Eduardo said,

    February 23, 2012 @ 4:40 pm

    Obrigado pela ajuda Dalton, voltarei aqui sempre!

  621. 621

    admin said,

    February 23, 2012 @ 4:51 pm

    Carlos:

    Estive pensando no que escrevi para você e lembrei que na sua idade eu também não tinha muita vontade de ficar conversando com professores. Pegava mal com o resto da turma. Um dia cheguei nele no recreio, lá na sala dos professores e expliquei o problema. Queria aprender a trabalhar com versos, mas tinha vergonha de falar disso na aula, então combinamos de eu entregar os textos pra ele no recreio e depois de uns dias ele me devolvia e explicava. Como pode perceber, a coisa deu certo.

    Caso você sinta algum problema, semelhante ao que tive na sua idade, tente encontrar uma solução parecida com a que encontrei. Boa sorte.
    Dalton.

  622. 622

    Carlos Eduardo said,

    February 23, 2012 @ 5:15 pm

    É Uma ótima solução!
    Obrigado pela dica Dalton.

  623. 623

    Carlos Eduardo said,

    February 24, 2012 @ 12:26 pm

    Vou produzir novos poemas e mostrá-los a você Dalton.

  624. 624

    Carlos Eduardo said,

    February 25, 2012 @ 7:07 pm

    Dalton, olhe o poema que fiz para uma amiga, e diga-me o que achou.

    Até aqui viajamos juntos.
    Passaram vilas e cidades, cachoeiras e rios, bosques e florestas…
    Não faltaram os grandes obstáculos.
    Frequentes foram as cercas, ajudando a transpor abismos…
    As subidas e descidas foram realidade sempre presente.
    Juntos, percorremos retas, nos apoiamos nas curvas, descobrimos cidades…
    Está chegando o momento de cada um seguir a viagem sozinho…
    Que as experiências compartilhadas no percurso até aqui sejam a alavanca para
    alcançarmos a alegria de chegar ao destino projetado.
    A nossa saudade e a nossa esperança de um reencontro aos que, por vários
    motivos, nos deixaram, seguindo outros caminhos.
    O nosso agradecimento àqueles que, mesmo de fora, mas sempre presentes, nos
    quiseram bem e nos apoiaram nos bons e nos maus momentos.
    Dividam conosco os méritos desta conquista, porque ela também pertence a
    vocês. Uma despedida é necessária antes de podermos nos encontrar outra vez.
    Que nossas despedidas sejam um eterno reencontro.

  625. 625

    admin said,

    February 27, 2012 @ 10:47 am

    Carlos Eduardo:

    Há uma regra que cerca os textos: Um Poema deve conter, no máximo, catorze Sílabas Poéticas em cada um dos versos. Acima disso, não é Poesia, mas Prosa.

    Quanto ao texto, requer menores reparos do que o anterior, mas os versos estão muito longos. Por exemplo:

    fre/QUEN/tes/ FO/ram-as/ CER/cas – 2-4-6

    a/ju/DAN/do-a/ trans/POR/ a/BIS/mos – 3-6-8

    Assim como coloquei, o texto é Poesia, mas:

    fre/QUEN/tes/ FO/ram-as/ CER/cas/ A/ju/DAN/do-a/ trans/POR/ a/BIS/mos – 2-4-6-8-10-13-15

    Vira Prosa.

    Vá ao cabeçalho do Sapiens e estude sobre Sílaba Poética, Métrica e Ritmo Poético. Reorganize o texto e volte aqui com o poema para conversarmos. Boa Sorte.
    Dalton.

  626. 626

    carol said,

    February 28, 2012 @ 4:24 pm

    oiiie,
    preciso fazer um poema (inedito) sobre a cidade de Marau, no RS, pois é ainersario de 57 anos da cidade e a pofessora de artes pediu pra fazer poemas em duplas, mas na minha dupla só eu q faço as coisas então estou fazendo praticamente sozinha e nao tenho mais ideias.

    OBS.: ja fiz 3 estrofes.

  627. 627

    carol said,

    February 28, 2012 @ 4:25 pm

    *aniversário da cidade

  628. 628

    admin said,

    February 28, 2012 @ 7:11 pm

    Carol:

    Passe algumas características da cidade e as 3 estrofes já feitas para que eu possa ajudá-la.

    Grato pela confiança e volte.
    Dalton.

  629. 629

    carol kehl said,

    February 29, 2012 @ 2:50 pm

    bom a cidade é no norte do rio grando do sul, e de descendentens italianos,é tranquila e aconchegante. é um pouco pequna mas bem desenvolvida. ela cede bastantes eventos como a expomarau que é de 2 em 2 anos, também o Marau em duas rodas, campeonatos de motocross, e é campeão na banda marcial.

    nao esta muito bom as lá vai as estrofes:
    Marau, parabéns
    pelos teus 57 anos de progresso
    no lazer e no comercio
    na educação e na industria

    Marau reluz paz e amor
    E quem nos visita
    se encanta com a alegria
    aproveita e fica

    cidade de talentos
    da musica e da dança.
    cidade que cede a expomarau
    uma feira internacional.

  630. 630

    admin said,

    February 29, 2012 @ 4:25 pm

    Carol:

    Acrescente ou tire o que você achar que não combina com a idéia original. Boa sorte.
    Dalton.

    Nascida pela batalha
    De um povo de além mar
    Chegado da velha Itália
    Nascida pra trabalhar

    É assim que surgiu Marau
    Dos passos mais altaneiros
    Nos pampas bem brasileiros
    Formou-se um belo sarau

    Cinquenta e sete bons anos
    Forjados num só progresso
    Transformariam-em sucesso
    Alguns dos mais simples planos

    A imigração italiana
    Plantou no seu solo certo
    As sementes do comércio
    Na essência soberana

    Sendo-a moeda o talento
    Da gente mais natural
    Com suor industrial
    Trabalha a qualquer momento

    Marau da música e dança
    Nascida da alegria
    Trazida da “Itália mia”
    Marau é sempre criança

    Da vida mais natural
    Das feiras, dos festivais
    Normais, internacionais
    -Parabéns bambina Marau!

  631. 631

    João said,

    March 12, 2012 @ 12:40 pm

    Exste pausa, uma estrutura lógica de pausa no poema?

    Por exmplo: ao fazer uma estrofe o poeta tem que pensar na estrutura de pausas da estrofe?

    Se sim. Como faz (e faço), o motivo de sua exiatencia, qual diferença faz.

    Agradeço.

  632. 632

    admin said,

    March 12, 2012 @ 12:56 pm

    João:

    A pausa em final de verso vem de acordo com a posição da sílaba tônica final. Se o verso terminar em sílaba tônica, numa palavra oxítona, e o verso seguinte também iniciar por sílaba tônica, a pausa tem que ser longa. Se terminar em sílaba átona e também iniciar com ela, a pausa deve ser curta. O tamanho da pausa depende do Ritmo Poético da declamação, ou da música, para que o declamador possa respirar e o ouvinte consiga entender o que está sendo dito ou cantado.

  633. 633

    ana paula said,

    March 13, 2012 @ 8:31 pm

    não seio de nada explique-me

  634. 634

    admin said,

    March 13, 2012 @ 11:12 pm

    Ana Paula:

    Primeiro é preciso escrever um texto que lhe agrade para depois conversarmos sobre ele, transformando-o em poema. Você pode escrever um texto comum e colocá-lo aqui?

    Fico aguardando.
    Dalton.

  635. 635

    Ana Maria said,

    March 24, 2012 @ 9:49 am

    Ola Dalton.
    Eu Gostaria Muito De Aprender A Fazer Poesias E Poemas Mais Não Consigo Não Vem Nada Na Minha Mente Eu Gostaria De Ajuda.
    Eu Iria Agradeser Muito Obg Tchau Abaços.

  636. 636

    admin said,

    March 25, 2012 @ 10:30 am

    Ana Maria:

    Qualquer coisa que se escreva, para ser bem feita, tem que ser escrita corretamente. Por exemplo, no seu recado há alguns enganos nas palavras, tais como, “…MAIS NÃO CONSIGO..” deveria ser “…MAS NÃO CONSIGO…”. O correto não é “…AGRADESSER…”, e sim “…AGRADECER…”. Sugiro a você que antes de qualquer coisa escreva corretamente o texto. Isso é fácil e a própria planilha Word tem um corretor automático de texto. Basta escrever e corrigir o que está errado seguindo as instruções da planilha. Feito isso começarei a lhe mostrar como transformar o seu texto em poema.

    Tenho uma boa sugestão para um texto. Nunca vi alguém escrevendo sobre a evolução do próprio texto, contando como era antes e como ficou. Tem tudo pra dar certo e virar um bonito poema. Escreva algo sobre o seu próprio texto e irei ajudá-la no restante. Está bom assim?

    Grato pela confiança e volte, será um prazer ajudá-la.
    Dalton.

  637. 637

    Ana Maria said,

    March 25, 2012 @ 1:39 pm

    Dalton
    Não Entendi Oq Vc Falou Dcp

  638. 638

    admin said,

    March 25, 2012 @ 7:13 pm

    Ana Maria:

    No seu comentário anterior você escreveu isto:

    “Ola Dalton.
    Eu Gostaria Muito De Aprender A Fazer Poesias E Poemas Mais Não Consigo Não Vem Nada Na Minha Mente Eu Gostaria De Ajuda.
    Eu Iria Agradeser Muito Obg Tchau Abaços”

    Foi a esses erros que me referi na resposta – Mais não consigo – Agradeser. Corrija essas coisas ao escrever, escreva um texto sobre você mesmo escrevendo e traga-o para cá que ajudarei você a transformá-lo em poema.

  639. 639

    luana said,

    March 26, 2012 @ 7:31 pm

    opss nao da certo, eu preciso de uma coisa facil pra 7 serie
    tema-fala serio professor

  640. 640

    admin said,

    March 26, 2012 @ 8:22 pm

    Luana:

    Às vezes o professor abusa
    E acaba me deixando confusa
    Com toda essa matéria
    Estudo pra caramba
    Pensando que vou ficar bamba
    E vejo que a coisa não é séria

    Estamos ficando cansados
    Já quase desanimados
    Com todo esse mistério
    Não sabemos de quem é a culpa
    Nem queremos cair na desculpa
    Só pedimos ao mestre: – Fala Sério!

    Taí, Luana. Coisa bem de sétima série. Boa sorte.

  641. 641

    luana said,

    March 27, 2012 @ 9:40 pm

    obrigado!

  642. 642

    nathalia said,

    March 28, 2012 @ 9:39 pm

    minha professora de portugues me pediu um poema com o tema fala serio professor como se alunos tivessem numa sala de aula e a professora tava dando aula legal ai o sinal bate e uma aluno fala : fala serio professor ja acabou a aula . por favor me ajudem

  643. 643

    laura said,

    March 28, 2012 @ 9:43 pm

    precizo de uma trova engrassada inventada com o tema buatam buatam tem que ter na trova por favor me ajudem

  644. 644

    laura said,

    March 28, 2012 @ 9:46 pm

    precizo de um poema com o tema fala serio professor como se alunos tivessen na sala de aula e a aula ta super legal e o sinal toca e o aluno fala : fala serio professor a aula ja acabou? por favor me ajudem o mais rapido pussivel se possivel pra hoje mesmo

  645. 645

    admin said,

    March 29, 2012 @ 8:52 am

    Quando a turma barulhenta
    Resolve ficar quieta
    Com a matéria gostosa
    Ninguém brinca ou inventa
    Ou mesmo sai da reta
    Perdendo tempo com prosa

    Mas a aula sempre acaba
    Quando a coisa interessa
    E ganhou algum critério
    O assunto vira cáca
    O professor sai com pressa
    E ninguém mais fala sério

    Era isso? Boa sorte, Laura.

  646. 646

    admin said,

    March 29, 2012 @ 9:28 am

    Eu ontem tive um sonho
    Que longe de ser medonho
    Não me causou amnésia
    Estava em pé num navio
    No mar com seu desafio
    A caminho da Indonésia

    O dia era limpo e claro
    E o mar com seu verde raro
    Começou a se agitar
    O céu ficou tão escuro
    O tempo ficou mais duro
    E o medo vinha do mar

    Sonhava com vilarejo
    Com flores e realejo
    Mas estava enganado
    Pois era outra cidade
    Com muita gente, é verdade
    Com preços pra lá de salgados

    Pessoas vendendo discos
    Ladrões transitando ariscos
    Em meio ao povo tan-tan
    Era uma gente risonha
    Com ares de sem-vergonha
    Em Buatan-Buatan

    Tentei acordar do sonho
    Porém fiquei só bisonho
    Querendo dançar valsas
    Pois quando estava com medo
    Muito mais tarde que cedo
    Senti que mijei nas calças

    Poderia ficar melhor, mas estou sem tempo agora, Nathalia. Boa sorte e me conte do resultado desta parceria nossa, eheh.
    Dalton.

  647. 647

    luan said,

    April 10, 2012 @ 5:09 pm

    muinto bom

  648. 648

    admin said,

    April 10, 2012 @ 6:48 pm

    Então volte sempre, Luan. Grato pela visita.
    Dalton.

  649. 649

    arthur said,

    May 8, 2012 @ 10:22 pm

    eu tenho que fazer um poema bem bonito na escola sobre a minha cidade , mas eu não consigo alguem pode me ajudar?

  650. 650

    admin said,

    May 9, 2012 @ 12:46 pm

    Artur:

    Quando vc tem que entregar o poema?
    Dalton.

  651. 651

    Thiago Jefferson said,

    May 13, 2012 @ 1:44 pm

    Oi, Dalton.

    Em minhas pesquisas a respeito de poesia, percebo que ultimamente alguns poetas estão deixando mais de lado as rimas (as vezes até inexistentes), e estão dando mais atenção a profundeza das emoções ali expostas, se assemelhando mais a poemas.

    Por essa razão, tentei criar um texto com os aspectos acima citados, e gostaria muito da sua opinião.

    TRAGANDO VERDADES

    Tomei outra dose
    de Whisky e Mágoa
    Forte, fria, falsa
    Como nosso amor

    Tombei a um canto
    Dessa casa escura
    Sua, minha, nossa
    Como sempre foi

    Terminei mais um dia
    Uma garrafa e uma vida

    … A etílica noite
    que sepultou a paixão.

    Thiago Jefferson.

  652. 652

    admin said,

    May 14, 2012 @ 10:15 am

    Caro Thiago:

    Uma das propostas do Modernismo Brasileiro (1922) era o chamado Verso Livre, que no entanto possuía algumas regras, como a proibição do uso de Cavalgamentos e Rimas. A primeira “proibição” do Verso Livre modernista era facilmente atingida, pois bastaria ao poeta dar ao verso a medida bastante ao alcance do equilíbrio semântico independente dos demais, mas a questão da ausência de Rimas sempre será apenas um sonho idealístico, já que, por possuirmos somente 5 vogais no nosso vocbulário, fica muito difícil evitá-las, já que o conceito de Rima parte da simples semelhança sonora entre duas palavras.

    Em suma, se numa estrofe o poeta usar duas vezes a mesma vogal tônica, em qualquer das sílabas, terá conseguido uma rima, independendo da sua vontade. Veja o exemplo da primeira estrofe do seu poema acima:

    tomei outra dose
    de whisky e mágoa
    forte, fria, falsa
    Como nosso amor

    Dose tem parentesco sonoro com Forte e Nosso e Mágoa tem parentesco com Falsa, e o Whisky tem com Fria.

    Na segunda estrofe, o mesmo ocorreu com Escura e Sua, formando uma Rima de Eco Toante em Assonância.

    A estrofe final, um Dístico, foi a que mais de aproximou de tal propósito, embora haja uma inconveniente vogal tônica O na parada. Talvez, assim, ficasse mais digna do modernismo. Veja:

    A etílica noite
    Da supulta paixão

    Tendo a estrofe todas as vogais tônicas diferentes, poderíamos afirmar que não houve rima.

    Creio que essa tendência dos novos poetas se aproxime mais da essência Simbolista, onde os poemas, por serem Subjetivos, na maioria das vezes eram paradoxais e nem um pouco compreendidos pelos ouvintes.

    Fazer um poema com rimas bem trabalhadas é muito difícil, porque exige muita pesquisa de vocabulário, mas fazê-lo sem rimas é uma missão quase impossível, com pouquíssimas chances de resultar em literatura, já que esta apenas resulta da compreensão comum do povo sobre um mesmo poeta.

    Isso não quer dizer que o poeta deva desistir de tentá-lo. Por ser um saudável desafio, aquele que conseguir tal feito, sem perder a objetividade no texto, será certamente reconhecido por todos os adeptos dos movimentos literários que tentaram fazê-lo sem o sucesso esperado.

    O desafio está aí. Bom divertimento.
    Abraços.

  653. 653

    Thiago Jefferson said,

    May 16, 2012 @ 8:18 pm

    Bem interessante essa proposta, Dalton, ainda não a conhecia em detalhes. É um belo de um desafio mesmo…

    Só para concluir, gostaria que me desse a sua opinião a respeito da poesia postada.

    Abs.

  654. 654

    admin said,

    May 17, 2012 @ 8:47 am

    Thiago:

    Ainda olhando para a construção poética do poema, gostei da configuração dada a ele. Possui a mesma idéia estrófica do Soneto Italiano, mas ao invés de dois Tercetos após as duas Quadras, você encerrou com dois Dísticos. Se o Soneto padrão exige que os tercetos finais apresentem ao menos uma rima comum, quando a proposta do poeta é evitá-las, ficou legal a forma com que você solucionou a ligação dos dísticos, através da Métrica, porque enquanto as quadras apresentaram versos regulares e pentasílabos, os dísticos tiveram métricas irregulares, mas repetitivas.

    Já tem um tempo que os poetas vêm tentando dar ao soneto as características que fujam às regras dos Decassílabos Heróicos e a ligação dos tercetos pelas rimas. Creio até que o momento exigiria um novo encontro literário entre Poetas e Gramáticos para que revissem as regras da Versificação. Como tal encontro ocorreu oficialmente só no final do século retrasado, por ocasião do Parnasianismo, e depois disso tivemos uma porrada de movimentos literários, cada vez mais voltados à subjetividade do poeta, penso que um novo Tratado de Versificação deva chegar com urgência para que nem poetas e nem poemas se percam nas confusas trilhas do paradoxo.

    Quanto ao texto, o seu poema leva todo o jeitão de “ressaca” resultante dum amor mal começado e, portanto, mal resolvido. Sugiro o seguinte remédio:

    http://letras.terra.com.br/mpb4/1299575/

    Muitos associam essa música àquela folia de engajamentos idealísticos da ditadura militar, mas pouquíssimos a associaram a uma outra, escrita pelo mesmo autor e na mesma época:

    http://letras.terra.com.br/mpb4/47537/

    É tão difícil saber o que se passa pela cabeça de um poeta… Abraços.

  655. 655

    Thiago Jefferson said,

    May 17, 2012 @ 1:17 pm

    Também penso da mesma forma, Dalton. Acredito que um Novo Acordo de Versificação cairia bem no momento, já que até hoje os poetas escreveram sobre quase tudo e de diversas formas, diferente do que existia na Europa antes da Semana de Arte Moderna no Brasil. Do jeito que está, fica difícil até esclarecer o que se enquadra em Literatura e o que não se enquadra.

    As letras desse autor acima citado são ótimas. É brilhante a maneira como ele trata o fim de um relacionamento; o modo como o texto corre nos deixa uma sonoridade linda. Gostei!

    Mas, algo que ainda está me deixando um pouco confuso: O meu poema TRAGANDO VERDADES, no momento atual, pode ou não ser considerado como um texto literário, em sua opinião?

  656. 656

    admin said,

    May 17, 2012 @ 6:43 pm

    Claro que pode, Thiago. A construção poética encaixa-se perfeitamente no conceito Parnasiano Brasileiro, com algumas pinceladas do posterior Simbolismo no texto. Veja, por exemplo, esta outra bela obra parnaso-simbolista:

    http://letras.terra.com.br/maria-bethania/400370/

    Abraços.

  657. 657

    ana giulia said,

    May 22, 2012 @ 8:42 pm

    eu tenho que fazer um falando de fora de casa como posso fazer

  658. 658

    admin said,

    May 22, 2012 @ 10:23 pm

    Ana Giulia:

    Como você está precisando fazer um poema que trate da vida fora de casa, a primeira coisa que tem a fazer é escrever um texto sobre como você enxerga as diferenças entre o que ocorre dentro de casa com o que ocorre fora dela. Escreva um pequeno texto que daí eu ensino a fazer o poema. Tá?

    Fico esperando.
    Dalton.

  659. 659

    adrielly said,

    May 28, 2012 @ 8:32 pm

    EU QUERO FAZER DOIS POEMAS PRA AMANHA DE TARDE E QUERO AJUDA

  660. 660

    admin said,

    May 28, 2012 @ 9:29 pm

    Adrielly:

    Do que trata e qual o tamanho de cada um dos poemas?

  661. 661

    ana carolina said,

    June 7, 2012 @ 12:58 am

    como escrever uma poesia que emociona tds as pessoas q lerem????????????????

  662. 662

    admin said,

    June 7, 2012 @ 7:32 am

    Ana Carolina:

    Escrevendo algo que deseja tudo do bom e do melhor para todas as pessoas. Alguma coisa que consiga acreditar no dia de amanhã com o mundo em paz e entendimento.

    Grato pela viita e volte sempre.
    Dalton.

  663. 663

    Adaiton said,

    June 17, 2012 @ 1:57 am

    olá,eu fiz alguns poemas com o intuito de mostrar o quanto amo a garota a quem os dedico apenas queria que você avaliasse um deles se possível.
    observação adoro jogos online e ela sabe disso…

    Meus amigos,sempre me chamam “vicio”
    Mas “vicio” por quê?
    Não fumo,não bebo
    Só sei te querer
    As vezes fico pensando

    Se jogar é um vicio
    Mas vicio não deve ser
    Porque enquanto jogo
    Ainda penso em você

    A verdade é essa
    Sou viciado em você
    Te amo,te amo
    Só sei te querer.

    A todo instante
    A qualquer momento
    É só em você
    Que se concentra meu pensamento

    As vezes o vento vem a soprar
    E ele meus pensamentos a levar
    Mas suas lembranças
    Não sumiram nem com o tempo

    Se te amar é um vicio
    Espero a cura não encontrar.
    Quero ficar contigo
    até o mundo acabar.

  664. 664

    admin said,

    June 17, 2012 @ 12:26 pm

    Adailton:
    A parte mais importante do poema você já fez, pois teve a coragem de tentar explicar por Palavras os confusos caminhos do Sentimento. Não sei qual é a sua idade, ou formação escolar, mas me atrevo a perguntar o que você quer que eu avalie no poema?

    Como simples declaração de amor, brotada do ego na forma de texto, está muito bom, mas pela ótica da Construção Poética mereceria algumas correções, que no entanto dependem da sua intenção no aprendizado da Ciência Poética. Por exemplo, veja como poderiam ficar as duas primeiras Estrofes:

    Me-a/pe/li/da/ram/ de/ “vi/cio” – 7 sílabas
    Mas/ “vi/cio”/ por/ quê? – 5 sílabas
    Não/ fu/mo,/ não/ be/bo – 5 sílabas
    Só/ sei/ te/ que/rer – 5 sílabas

    Às/ ve/zes/ fi/co/ pen/san/do – 7 sílabas
    Se/ jo/gar/ é-um/ ví/cio – 5 sílabas
    Ví/cio/ no-há/ de/ ser – 5 sílabas
    Por/que-en/quan/to/ jo/go – 5 sílabas
    Só/ pen/so-em/ vo/cê – 5 sílabas

    Na Construção Poética há uma regra – hoje vista apenas como “sugestão” – cujo nome é Métrica, que significa a quantidade de sílabas nos versos. A regra principal da Métrica é a de que a contagem das sílabas nos versos termina na última Sílaba Tônica de cada, independente de ocorrerem em palavras paroxítonas ou proparoxítonas. Portanto não estranhe as contagens que coloquei ao final de cada verso.

    Como o bom senso sugere que as estrofes apresentem a mesma aparência métrica, esse foi o motivo que me levou a reajustar os textos, para que ambas as estrofes começassem por verso de 7 sílabas e os demais apresentassem todos 5.

    Essa foi uma preocupação primária do poema, a da simples Estética das Estrofes. Existem outras preocupações como Ritmo Poético, que consiste no equilíbrio das posições das Sílabas Tônicas nos versos da estrofe; e das distribuições das Rimas, à princípio, apenas colocadas nos finais de versos.

    A preocupação com a Estética das estrofes é algo mais recente, porque analisa somente o visual do Poema Escrito, quando a razão original do poema é o Som da Declamação, que exigem o Equilíbrio Rítmico nas pronúncias das palavras.

    Hoje, qualquer texto descrito na forma de versos e com algumas rimas é reconhecido como Poema, mas, na realidade, a coisa não funciona bem assim, portanto só me resta agora saber da sua intenção:

    Você quer aprender realmente a fazer poemas, ou apenas escrever alguns textos bonitos para a namorada?

    Estarei sempre aqui para ajudá-lo nas duas intenções. Apenas prefiro deixar as coisas bem claras e honestas.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  665. 665

    Adaiton said,

    June 17, 2012 @ 12:34 pm

    Dalton muito obrigado,pelas dicas,neste momento estou no segundo ano do ensino médio,acho q minha idéia principal é impressionar a garota mais eu queria fazer isso da forma certo para q ela notace meu esforço.Brigadão cara…

  666. 666

    NEUZA GOMES said,

    June 17, 2012 @ 6:20 pm

    SIMPLESMENTE EU

    Não sou uma inventora
    Nem poeta, nem sábia
    Nem palestrante
    Nem escritora…

    Sou simplesmente eu
    Um ser pensante
    Uma alma perdida
    Querendo dar vida
    Registrando um viver
    lembranças de uma vagante

    Faço dos meus versos
    Simples e costumeiros
    Meus eternos companheiros
    Meus desabafos rimados
    Críticas dos meus lanceiros

    Mas de algo me regozijo
    Verdadeira e transparente
    Respeito seres existentes
    Deslumbrados iludidos
    Na passagem do tal apogeu.
    Desmascaro a utopia
    Sou assim, simplesmente eu.
    OLÁ…GOSTARIA DE SABER QUANDO DEVO USAR EM TODOS OS VERSOS, LETRAS MAIÚSCULA ? VERSO LIVRES COM O PORTUGUÊS CORRETO? TENHO ESTA DÚVIDA POIS FALAM QUE EM VERSOS RIMADOS NÃO PRECISA OBEDECER VÍRGULAS, LETRAS MAIÚSCULAS, MINÚSCULAS, ENFIM. REGRAS DE PORTUGUÊS. OBRIGADA

  667. 667

    NEUZA GOMES said,

    June 17, 2012 @ 6:22 pm

    OLÁ…GOSTARIA DE SABER QUANDO DEVO USAR EM TODOS OS VERSOS, LETRAS MAIÚSCULA ? VERSO LIVRES COM O PORTUGUÊS CORRETO? TENHO ESTA DÚVIDA POIS FALAM QUE EM VERSOS RIMADOS NÃO PRECISA OBEDECER VÍRGULAS, LETRAS MAIÚSCULAS, MINÚSCULAS, ENFIM. REGRAS DE PORTUGUÊS. OBRIGADA

  668. 668

    admin said,

    June 17, 2012 @ 9:01 pm

    Neuza Gomez:

    A questão do uso das letras maiúsculas, hoje, segue apenas como hábito do que um dia foi regra estética: Todos os versos começam por elas.

    Como o Verso Livre nunca alcançou as graças de um conceito claro e definido, até hoje não se sabe bem o que é ele, já que nada pode ser considerado “livre” quando cercado por regras. Dessa forma, o mais prudente é escrever o texto obedecendo o mais que possível as regras gramaticais, ainda que os resultados impliquem em desuso pela modernidade. Veja este exemplo de Vinícius de Moraes:

    Vai minha tristeza
    E diz a ela
    Que sem ela não pode ser
    “Diz-me numa prece”
    Que ela regresse
    Porque eu não posso mais sofrer

    Embora Vinícius tenha usado a correção gramatical para a colocação do pronome no Presente – Ênclise – ninguém costuma falar tão corretamente quanto se escreve e esse verso dele ficou rotulado pela crítica como Licença Poética; expressão vinda dos entendimentos entre poetas e gramáticos, nos tratados de versificação de outrora, que dava ao poeta a liberdade de colocar o pronome da forma que melhor ajustasse o equilíbrio do Ritmo Poético dos versos. Diante de tal definição, Vinícius não usou da Licença Poética, mas o desuso da correção gramatical no linguajar cotidiano fez com que assim fosse considerado.

    Não havendo qualquer obrigatoriedade definida para o aspecto Pontuação, qualquer uso dos sinais fica à cargo da vontade estética do poeta, mas é aconselhável que cada verso apresente interação sintática no fragmento que representa do Período do texto da estrofe. Não deve-se transferir parte do conteúdo sintático de um verso para o outro, anterior ou posterior, sem alguns cuidados vistos nas regras de um recurso poético chamado “Cavalgamento”.

    Quanto à obrigatoriedade dos versos terem rimas ou não, isso ocorre somente nos Poemas de Forma Fixa, como Baladas e Sonetos, cada qual com as suas regras de colocação nas rimas.

    A Versificação, ou Ciência Poética, não é mais um rígido Código de Leis resultante dos acordos entre poetas e gramáticos. É sim uma sugestão para o uso de certos procedimentos que ao longo dos milênios se mostraram belos e sensíveis, porque mais importante do que ser uma obra escrita, a arte do poema está no som resultante da declamação.

    Espero tê-la ajudado, cara colega.
    Prof. Dalton.

  669. 669

    Thiago Jefferson said,

    June 21, 2012 @ 2:18 pm

    Prof. Dalton, que tanto tens me ajudado na criação de poemas, gostaria de mais um favor: Tenho que escrever alguns versos para um livro que fui convidado, e queria muito que você me desse a sua opinião a respeito do texto; porém, não posso publicar aqui, para não perder o ineditismo. Poderia me passar algum e-mail para que eu o contate?

    Abs.

  670. 670

    admin said,

    June 21, 2012 @ 8:06 pm

    OK, Thiago. Vá até a sua caixa do hotmail.

  671. 671

    Thiago Jefferson said,

    June 22, 2012 @ 7:05 pm

    Te enviei o poema hoje pela manhã. Depois olha lá, Dalton.

  672. 672

    julia said,

    June 24, 2012 @ 8:15 pm

    bom meu nome é julia andessa do s da silva queria saber como eu faço um poema pq eu tenho um trabalho no colegio que é pra nos criarmos nosso proprios poemas e eu nao consigo fazer um me ensina ?

  673. 673

    admin said,

    June 25, 2012 @ 8:28 am

    Ensino sim, Julia, com prazer.

    Primeiro precisamos de um Assunto para escrevermos o poema. Como o poema vai ser escrito por você, escolha um assunto, escreva alguma coisa sobre ele e coloque aqui o seu texto para que eu possa mostrar como se transforma um texto comum num poema.

    Grato pela confiança e fico esperando o seu texto.
    Dalton.

  674. 674

    Thiago Jefferson said,

    July 21, 2012 @ 12:12 am

    Grande Dalton, Feliz Dia do Amigo!

    Escrevi um poema ontem, e como você é o meu grande conselheiro nesta arte em versos, gostaria muito da sua opinião. Eis o texto:

    BEBENDO OPRESSÃO

    E eu me pergunto até quando
    O álcool diluirá as minhas dores
    Perdidas em meio à rumores
    Nas noites repletas de morte

    Então me indago se um dia
    Conseguirei encarar estes mundos
    De tiranos cruéis e injustos
    Que ditam pela própria sorte…

    E a cada gole eu constato
    Que nascer louco é virtude
    Que és loucura buscar plenitude
    E que viver sóbrio é um porre!

    Thiago Galdino.

  675. 675

    admin said,

    July 21, 2012 @ 8:46 am

    Thiago:

    Gostei do texto do poema, mas a construção requer atenção e, talvez, reparos.

    Não sei se foi proposital, mas os primeiros versos das três quadras são Brancos. Isso pode ser um truque de texto ou não, já que em todos o poeta inicia a estrofe tratando de si mesmo, para que os outros três versos das estrofes expliquem a proposta do primeiro. Essa é uma jogada trovadoresca, onde o poeta procurava mostrar-se como solitário, ao conjugar o verbo na primeira pessoa do singular e deixá-lo sem companhia nas rimas com os demais.

    Esse efeito fica mais claro quando ele não usa nenhum outro verso da estrofe com qualquer outra conjugação própria, mas isso não acontece na segunda estrofe, quando o poeta se indaga no primeiro verso, mas continua conjugando no seguinte – Conseguirei.

    A correção é fácil, mas não direi como, já que o poema é seu e você tem capacidade para corrigir o texto dentro do contexto próprio.

    Não entendi esse “és” antes da loucura no penúltimo verso, já que o poema está voltado para a primeira pessoa do singular na narrativa.

    Dê uma mexidinha no poema e depois mostre como ficou, ok?

    Abraços.

  676. 676

    Thiago Jefferson said,

    July 23, 2012 @ 12:32 pm

    Oi, Dalton;

    Exatamamente, os primeiros versos das quadras são Brancos para der este ar de solidão e de trova.

    Alterei algumas coisinhas, como o título, o qual pus no plural, já que não se trata de uma única opressão sentida pelo poeta ao enxergar a sociedade atual. O segundo verso das duas primeiras estrofes também foram modificados, para que não haja a conjugação própria… quanto ao “és”, foi um mero erro quando o digitei via Word.

    Eis a nova versão:

    BEBENDO OPRESSÕES

    E eu me pergunto até quando
    O álcool diluirá estas dores
    Perdidas em meio à rumores
    Nas noites repletas de morte

    Então me indago se um dia
    Haverá salvação pr’estes mundos
    De tiranos cruéis e injustos
    Que ditam pela própria sorte…

    E a cada gole eu constato
    Que nascer louco é virtude
    Que é loucura buscar plenitude
    E que viver sóbrio é um porre!

    Thiago Galdino.

  677. 677

    admin said,

    July 24, 2012 @ 9:21 am

    Como diria o Chico, em Cálice – Mesmo calado o peito resta a cuca / Dos bêbados do centro da cidade.

    Ficou excelente, Thiago, parabéns!

    Abraços.

  678. 678

    Dorli da Silva Ramos said,

    August 7, 2012 @ 11:06 am

    Não gosto de fazer poesias rimadas e não sei a diferença entre poesia e poema, então eu vou escrevendo poesias rimadas ou não e textos. Essa poesia foi feita em 31/10/2011 e tem até agora mais de 8700 visualizações. Veja:

    Flores do campo

    Há muitos anos quando era criança
    Quando as belas flores do campo
    Tinham seus perfumes naturais
    E muitas gotículas de orvalho
    Lá ia eu apreciá-la e cheirá-las

    A cidade era bem pequenina
    Nos seus arredores e baixadas, só flores
    De todos os tipos e tamanhos a me encantar
    Vocês jovens jamais virão
    Tamanha maravilha natural

    Após alguns dias estava eu lá novamente
    E com dor no coração vi uma flor morta
    Apanhei-a com carinho e, na minha inocência
    Quis plantá-la num lindo vaso e cuidar

    Na esperança que ela ressuscitasse
    Quantas ilusões se perderam no tempo
    Hoje, não vejo mais tamanha beleza
    Pois as maravilhosas flores do campo
    Aqui já não existem mais

    Esta foi escrita em 04/08/2012

    Sublime amor
    É aquele que nao tem fronteira
    Infinito na sua morte derradeira
    Nasceu casual, pemanece ativo
    Carrega paixão, é feróz, obsessivo

    Uma chama que queima o corpo
    Depois da paixão o sorriso maroto
    É lindo encanto, ó magia do amor

    Olá

    O desespero toma conta, fico cego
    Medo que outro roube seus beijos
    Embriado e deleito em meus sonhos
    Vivo um viver dias o seu aconchego

    Um sublime amor é forte e não morre
    Se o vulcão não solta mais suas lavas
    Sobra o carinho da paixão que abrasavas

    Dorli

  679. 679

    Dorli da Silva Ramos said,

    August 7, 2012 @ 11:07 am

    Desculpe o erro o ” Olá” era no topo, é que não enxergo bem.
    Desculpe-me
    Dorli

  680. 680

    admin said,

    August 8, 2012 @ 9:11 am

    Dorli:

    Houve uma época em que Poesia e Poema eram sinônimos definidos por texto disposto em versos, mas com o passar dos anos o significado de Poesia derivou para o Belo, e o de Poema deixou de ser apenas o de um texto disposto em versos. Ganhou regras, pelos entendimentos entre poetas e gramáticos ao longo dos séculos, e hoje exige que o verso apresente coerências semântica e sintática.

    A rima não é obrigatória na construção poética, mas pela própria definição de rima, que é o parentesco sonoro das palavras à partir das vogais tônicas, é muito difícil evitá-las, já que o nosso vocabulário possui apenas cinco vogais.

    Embora você diga que não gosta de trabalhar com rimas, veja o que aconteceu com os seus poemas. Citarei apenas uma das passagens:

    É aquele que não tem fronteira
    Infinito na sua morte derradeira
    Nasceu casual, permanece ativo
    Carrega paixão, é feroz, obsessivo

    Trata-se de uma Quadra construída com Rimas Paralelas e nem tente me dizer que foi por acaso que me ofenderia.

    Decida aí cara! Ou gosta ou não gosta da Rima!

    Não fica usando a Rima do “Seu Lima”
    Que não faz nem sai de cima

    O seu texto é muito bonito, mas todo poema requer alguns cuidados posteriores para que não se mostre repetitivo na essência. Por exemplo, na estrofe citada acima, você usou “morte derradeira”, que resulta na seguinte pergunta:

    -Há alguma Morte que não seja Derradeira?

    A diferença entre a Poesia e o Poema é que ela usa apenas a beleza das palavras e ele a sensatez do texto.

    Parabéns pela grande visitação!

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  681. 681

    Dorli da Silva Ramos said,

    August 8, 2012 @ 10:16 am

    Olá
    Obrigada pela resposta
    Foi um descuido meu, fiz aí uma redundância
    Eu sou leiga, tenho 64 anos bem vividos e sempre querendo aprender.
    Por que não sai meus dados acima?
    Você é o cara!
    Dorli

  682. 682

    Dorli da Silva Ramos said,

    August 8, 2012 @ 10:46 am

    Olá!
    Um presentinho por me ajudar

    Como é bom…

    Ver…
    O pôr do sol
    dando lugar a lua
    e as estrelas
    Chuva caindo
    nas matas
    O orvalho pingando
    das folhas
    Chuva forte por chegar
    pássaros à procura de abrigo
    A enxurrada apressada
    O belo alvorecer
    O sol e a chuva
    O arco-íris
    Colorindo sonhos
    Sonhos à realizar
    Amor na praia
    Ondas batendo nas pedras
    Que são belas borbulhas de água
    A brisa…
    Beijo quente de um casal
    apaixonado
    Com amor sincero
    Amor eterno

    Dorli

  683. 683

    admin said,

    August 10, 2012 @ 9:25 am

    Oi Dorli.

    Neste poema senti um bonito texto que, embora tenha procurado evitar as rimas, não conseguiu. Enxurrada – Apressada (Rima de Eco) / Pedras – Belas; Sincero – Eterno (Rimas Toantes)…

    Essa tentativa de trabalhar o poema sem rimas ganhou maior força no Modernismo, com o seu chamado “Verso Livre”, que embora Livre, tinha um monte de regras e dentre elas a proibição do uso de rimas.

    A coisa não deu muito certo por aqui, quando chegou ao Brasil na Semana Literária de 1922, mas houve quem tenha tentado posteriormente, e com relativo sucesso, trabalhar com aquele Verso Livre cheio de regras: Carlos Drummond de Andrade foi o que melhor se ajustou com a idéia.

    Procure lê-lo. Terá uma boa base para novas tentativas nesse árduo tipo de construção poética, porque a coisa não é tão fácil assim.

    Grato pela elegância e volte sempre.
    Dalton.

  684. 684

    DAIANE said,

    August 21, 2012 @ 9:19 pm

    TÔ APRENDENDO !!!!!

  685. 685

    admin said,

    August 22, 2012 @ 10:28 am

    Daiane:

    Viu como não é difícil?
    Qualquer dúvida, pode perguntar, certo?

    Grato pela presença e volte sempre.
    Dalton.

  686. 686

    caroline said,

    August 22, 2012 @ 4:00 pm

    apredie a fazer poema pessando em coisas boasw

  687. 687

    Aglaure Corrêa Martins said,

    September 30, 2012 @ 1:01 pm

    Esse site é um dos melhores achados que garimpei na internet.
    Parabéns pelo desprendimento e por compartilhar essa preciosidade.
    A simplicidade de quem sabe verdadeiramente como você é o que classifico de “SER ELEGANTE”

    Aplausos de pé.
    Aglaure (Gall Marttins)

  688. 688

    admin said,

    October 1, 2012 @ 11:34 am

    Aglaure:

    Quando Vinícius de Moraes escreveu:

    A vida é a arte do encontro
    Embora haja tanto desencontro pela vida

    Também sabia que os garimpeiros, mais dia menos dia, acabam habitando os mesmos garimpos diante das mesmas pepitas.

    Grato pela lapidada de ego e volte sempre. Abraços.
    Dalton.

  689. 689

    Aglaure Corrêa Martins said,

    October 4, 2012 @ 9:56 pm

    Dalton,

    Você poderia de maneira prática (exemplificando) falar-me um pouco sobre rima rica, rima pobre, rima rara e rima preciosa?
    Confesso que li e reli conceitos, mas falta realmente a prática.

    Abraço e obrigada.

  690. 690

    admin said,

    October 5, 2012 @ 9:48 am

    Aglaure:

    Várias são as formas de qualificar as rimas. A primeira delas é quanto à colocação nos versos das estrofes, onde a mais pobre delas é a Paralela, em que o verso 1 rima com o 2 e o 3 com o 4.

    Aglaure minha cara
    A rima é sempre mais clara
    Quando o som é parecido
    Ainda que padecido

    No exemplo acima, a rima é Pobre em Colocação Paralela. Esses mesmos versos podem saltar na qualidade das colocações se estiverem dispostos de outra maneira:

    Aglaure minha cara
    Quando o som é parecido
    Ainda que padecido
    A rima é sempre mais clara

    Deixou de ser Pobre e Paralela e ficou Nobre e Oposta (1-4 e 2-3). Esses mesmos versos podem ganhar outra colocação nobre das Alternadas (1-3-e 2-4)

    Aglaure minha cara
    Ainda que padecido
    A rima é sempre mais clara
    Quando o som é parecido

    Até agora eu só tratei das rimas colocadas em final de verso, mas existem outras formas de colocação. Mudarei um pouco oo texto:

    Aglaure minha cara
    Que aclara o som parecido
    Padecido na jóia rara
    Que encara o verso vencido

    Veja que os finais de verso ganharam um Eco nas rimas, pois, mesmo mantendo a mesmice dos finais, invadiram os começos dos versos seguintes.

    Uma outra forma de avaliar um poema pelas rimas Pobres, Ricas, Preciosas… faz o analista olhar para a criatividade do poeta nas construções dos sons que habitam a estrofe. Qualquer rima que se baseie no som do seu nome, por ser raro no nosso vocabulário, acaba resultando em rima de alto quilate:

    Querida Aglaure
    Ferida pela magia
    Que principia o poema
    Na cena em que o verso exaure (de exaurir)

    Um poema é como nau frágil
    Cujo naufrágio se mostra
    Mais ágil na mesma pena
    Que apenas ao verso prostra (de prostrar)

    Como classificar a rima Nau Frágil com Naufrágio, ou Aglaure com Exaure, ou até Mostra com Prostra, que embora pertencendo à mesma categoria gramatical, característica das Rimas Pobres, apresentam um som pouquíssimo usado no nosso vocabulário?

    Veja o que Vinícius de Moraes e Gilberto Gil fazem com as rimas nessas músicas:

    http://letras.mus.br/vinicius-de-moraes/49278/

    Na do Vinícius a letra da postagem está errada, o correto é:

    Entre as flores da manhã se abrindo nas CORES do céu

    http://letras.mus.br/gilberto-gil/16131/

    Abacateiro com Acataremos. A Língua Portuguesa é inigualável nas possibilidades sonoras dos poemas.

    Espero tê-la ajudado. Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  691. 691

    Aglaure Corrêa Martins said,

    October 5, 2012 @ 9:52 pm

    Boa noite Dalton!

    Ajudou sim, sua didática é maravilhosa.
    Com simplicidade e sabedoria me fez entender melhor esse assunto. Eu sabia sobre a disposição das rimas nos versos, mas confesso que não sabia como classifica-las.
    Amo a poesia e arrisco alguns rabiscos, por esse motivo tenho tentado estudar.
    Vou exercitar esse aprendizado para fixar melhor.
    Copiei suas respostas, mas nunca esqueço de citar a fonte e autor viu?
    Só tenho a agradecer-lhe, Dalton.

    Abraço.

    *Posso perguntar mais? rsrs

  692. 692

    admin said,

    October 5, 2012 @ 10:39 pm

    Aglaure:

    Fico feliz que você esteja copiando as minhas postagens e levando a informação adiante, porque a minha proposta é exatamente essa: Semear novamente a MPB, que nas últimas décadas ganhou a aridez de um deserto na criatividade poética.
    Volte e pergunte quantas vezes necessitar. Estarei sempre aqui.

    Abraços.
    Dalton.

  693. 693

    Aglaure said,

    October 9, 2012 @ 2:02 pm

    Boa tarde Dalton!

    Aqui estou novamente.

    Gostaria de saber se quanto uso o eu lírico e componho uma poesia usando os pronomes ‘eu e me’ deixará de ser considerada poesia e passará a ser considerado um texto intimista confessional.

    Gostaria ainda de saber se por fazer uso dos pronomes possessivos na construção de um texto, mais precisamente poesia, o receptor(leitor) não fará o apossamento do texto? Por esse motivo também não é considerada poesia e sim outra vez um texto intimista confessional?

    Grata.
    Abraço.

  694. 694

    Aglaure said,

    October 9, 2012 @ 8:44 pm

    Olá Dalton!
    Boa noite!

    Aqui estou outra vez.

    Gostaria de saber se a poesia que compomos usando os pronomes “eu e me” não é considerada poesia passando apenas a ser considerada como um texto intimista confessional.

    Desde já agradeço.

    Abraço.
    Aglaure

  695. 695

    Aglaure said,

    October 9, 2012 @ 8:46 pm

    Desculpa Dalton, repeti a pergunta.
    Por favor desconsidere a ultima.

    Aglaure

  696. 696

    admin said,

    October 10, 2012 @ 12:05 am

    Aglaure:

    Qualquer texto escrito em versos com menos de 14 sílabas poéticas é considerado um Poema, acima das 14 é Prosa, que também pode ganhar ares poéticos se mantiver uma coerência rítmica entre os longos versos.

    À partir do encontro entre Gramáticos e Poetas ocorrido no Trovadorismo, século XVII, houve um entendimento para o uso franco dos pronomes possessivos nas Cantigas de Amor e Mistas (Cantiga de Amor seguida de Cantiga de Amigo), com o homem e a mulher contando dos sentimentos num mesmo poema, como ocorre nesta música do Vinícius de Moraes:

    http://www.youtube.com/watch?v=XAmlORWE8m0

    Durante um bom tempo o significado do termo Poesia esteve associado ao da construção de texto por versos, mas com o correr dos anos acabou virando também um adjetivo sinônimo de Belo, Beleza.

    Quanto ao termo “Eu Lírico”, trata-se de um pleonasmo inventado pelo neologismo, não se sabe ao certo quando. Provavelmente ocorreu no final dos anos 60 e começo dos 70, quando os jornais deixaram de ter os críticos literários e deram seus lugares aos “Articulistas”, não tão capazes quanto os antecessores.

    Como Apolo usava a Lira na declamação dos seus poemas, que sempre tratavam dos próprios feitos, o termo Lírico surgiu dessa lenda grega, passando a ser associado ao escritor, ou poeta, que estivesse tratando de si mesmo nas obras, estando portanto o pronome EU automaticamente associado à ideia de Próprio. Use somente Lírico, que por si só já entende e subentende o EU subordinado. Veja o exemplo:

    http://www.youtube.com/watch?v=csWeKOoLflE

    Pode usar todas as posses Líricas que quiser sem medo de ser uma poetisa feliz.
    Abraços.

  697. 697

    Aglaure said,

    October 10, 2012 @ 9:24 pm

    Boa noite Dalton!

    Menino… Você é sensacional!
    Eu lhe fiz uma pergunta e você me ensinou um “mundo”, além de me oportunizar a escutar essas maravilhas da NOSSA música.
    Obrigada!Mil vezes obrigada.

    Abraço.

    Vou deixar aqui o motivo da minha pergunta e o porquê dela.
    O motivo é uma que escrevi ( o título foi um mote) e o motivo foi uma crítica que recebi no RL de um poeta que tem vários livos publicados e se não me engano é crítico literário (sinceramente eu achei bom ele ter feito a crítica,me ajudou ,assim me despertou para que eu procurasse me informar melhor sobre o lirismo)

    Eis a poesia:

    MEUS LITORAIS

    É o sal das lágrimas, a saliva adocicada
    águas santificadas que banham meus litorais.

    É a lua que reflete e o sol que aquece
    a derme que margeia o que me transparece
    em meus temporais.

    É o beijo que implode asteroides
    ondas que gravitam em órbitas corporais.

    A beira do meu mar o teu ar me invade
    Inunda-me devastando-me os sentidos
    sentidos em vendavais.

    Aglaure Corrêa Martins
    JP09092011

    O link da citica:
    http://www.recantodasletras.com.br/poesiasdeamor/3212352

  698. 698

    admin said,

    October 11, 2012 @ 10:11 am

    Bom dia Aglaure:

    Esse tipo de construção poética começou a surgir no final do século retrasado, mais precisamente entre o Parnasianismo Brasileiro e o Simbolismo Francês, ou seja, entre os nossos conceitos de Poeta Livre, e os conceitos franceses do Poeta Subjetivo.

    Os surgimentos desses conceitos poéticos dividiu os poetas brasileiros em duas vertentes:

    Aqueles que se mantiveram fiéis ao Ritmo Poético nos poemas, mesmo usando Versificação Irregular (versos com distintas métricas).

    Outros que seguiram a linha evolutiva de Simbolismo -> Imagismo -> Modernismo -> Cubismo -> Dadaísmo -> Concretismo (perdoe se ficou faltando algum “ismo” aí pelo meio)

    Estes últimos evoluíram o poema até chegar a este ponto de entendimento pelo receptor:

    Terrrrrrrrra
    Errrrrrrrrrat
    Rrrrrrrrrrate
    Aterrrrrrrrrr

    E os anteriores conseguiram a parcialidade do entendimento visto em toda a MPB do século passado, e algo deste.

    Como nada é feito exclusivamente de qualidades boas ou más, pudemos ver no Modernismo gente como Drummond de Andrade, e no Concretismo, gente como Ferreira Gullar, que apenas acreditavam no que faziam, ainda que cercados por toda aquela verborragia de neologismos inventados pelo povo do “Veja Bem” na crítica.

    Citei os dois específicos porque ambos poderão explicar o seu poema bem melhor do que eu, com esta Geometria Poética toda importada do Classicismo.

    Procure pela obra Claro Enigma – Drummond

    Traduzir-se – Ferreira Gullar

    Mas não se atreva a ler o que já falei sobre ambos aqui no Sapiens. Foram opiniões próprias, mas impróprias aos poetas com menos de 50 anos de verso, eheh.

    Apenas uma observação etmológica. Se desdobrarmos certos termos utilizados podemos ter:

    Lito + Orais -> Lyptus – sistema genital de certas espécies vegetais.
    Tempo + Orais -> tempos orais, ou ritmos poéticos.
    Venda + Avais -> Escrever enquanto cego e assinar embaixo. O que faz um poeta no mágico instante da tradução do poema para as precárias palavras?

    Como exemplifico sempre com MPB, compare estas três formas do Simbolismo nela:

    http://letras.mus.br/maria-bethania/400370/

    http://letras.mus.br/chico-buarque/86002/

    http://letras.mus.br/chico-buarque/45152/

    Abraços e volte sempre.
    Dalton.

  699. 699

    Aglaure said,

    October 13, 2012 @ 6:27 pm

    Boa tarde Dalton!

    Grata mais uma vez e grata pela sugestão, vou procurar essa obra de Drummond.
    Visitei todos os links e li cuidadosamente.

    Quanto a observação etimológica foi bom saber, aliás é sempre bom saber…rs, eu sabia o que estava escrevendo quando usei metáforas, mas não sabia da etimologia de cada palavras.
    Confesso que “fiquei com a pulga atras da orelha” quando li: Venda + Avais -> Escrever enquanto cego e assinar embaixo. O que faz um poeta no mágico instante da tradução do poema para as precárias palavras?

    Você pode clarear para mim?

    Abraço.
    Obrigada.
    Aglaure

  700. 700

    admin said,

    October 13, 2012 @ 9:11 pm

    Aglaure:

    O que chamam de Inspiração, suponho ser um conjunto de ações que resultem no interior do artista uma espécie de imaginário “Quadro”. Alguns, mais felizes, conseguem até vê-lo, e põem-se a traduzí-lo rapidamente pelas palavras, tanto em prosa quanto em verso.
    A pintura, por ser apenas um instantâneo do subconsciente, costuma durar pouco tempo e, normalmente, a pressa faz com que a tradução manche o quadro, mas ainda assim o poeta assina embaixo daquilo que lhe veio sem as rédeas da lógica, ou as razões do abstrato, dão no mesmo.

    “…Mesmo miseráveis os poetas
    Os seus versos serão bons
    Mesmo porque as notas eram surdas…
    …Mesmo que você fuja de mim
    Por labirintos e alçapões
    Saiba que os poetas, como os cegos
    Podem ver na escuridão
    E eis que menos sábios do que antes
    Os seus lábios ofegantes
    Hão de se entregar assim…

    Vinícius de Moraes foi quem melhor descreveu a situação do Quadro Inspirador dos poetas no Soneto da Separação:

    …E da paixão fez-se o Pré-Sentimento
    E do “Momento Imóvel” fez-se o drama…

    Agora preciso sair, mas depois retorno.
    Abraços.

  701. 701

    Delfina da Silva said,

    November 2, 2012 @ 11:12 am

    Ola Boa tarde!!

    amei a ideia de apoiares as pessoas que tencionam conhecer e aprender esse lindo mundo totalmente envolvente q é a poesia…
    Eu gosto muito de escrever mas tenho duvidas se escrevo poesias ou poemas,gostaria de saber francamente qual a sua opinião sobre o que escrevo. Se possivel agradecia imenso que me sugerisses meios que me ajudariam de certa forma a compreender e passar a escrever melhor..

  702. 702

    admin said,

    November 2, 2012 @ 5:03 pm

    Cara Delfina:

    É um lindo poema esse seu. O texto dá uma idéia de ter atingido o limite do suportável, e as métricas dos versos acompanham os fragmentos descritivos da tradução, dando-lhe uma configuração de Ritmo Poético diferente da que normalmente
    é usada para avaliarmos um poema em sua Construção Poética.

    O que era para ser determinado pelas posições das sílabas tônicas de cada verso, perde essa essência ao sentirmos que as ondas são formadas pelas variações métricas dos versos, em estrofe única, com o Ritmo passando a vir dos significados dos textos associados aos diferentes comprimentos dos versos.

    Nos versos 4 e 5 você chega ao limite do poema e da prosa, que são as 14 sílabas poéticas.

    Aproveito a deixa para explicar os significados de Poesia e Poema. Não sei precisar quando esses termos, que eram sinônimos, deixaram de sê-lo, mas Poesia ganhou um significado mais próximo de algo de Notável Beleza, enquanto o do Poema continuou como descrição de um texto através de versos. Ou seja, enquanto o Poema ficou resumido às palavras e aos seus sons por declamação, a Poesia deixou de se referir simplesmente às palavras, mas a tudo que apresentasse rara beleza.
    Como cada verso possui Sílabas Poéticas, à partir do encontro entre Gramáticos e Poetas mo Trovadorismo ficou decidido que um texto contendo até 14 sílabas poéticas poderia ser entendido como verso poético, e acima desse número já seria Prosa, mesmo mantendo homogeneidade nos comprimentos das linhas acima das 14 sílabas.

    Fica difícil eu sugerir algo que melhore a sua construção poética. Tenho medo de estragar o que, talvez, seja algo novo nas cansadas trajetórias da análise poética pelas leis da Versificação.

    Você costuma ler em voz alta aquilo que escreve na forma de poemas?

    Uma coisa é escrever o poema num papel e outra é sentir a dança do Ritmo Poético vindo de uma declamação.

    Eu pediria a você um pouco mais de tempo para pensar antes de cometer qualquer bobagem com a literatura. Preciso colocar este poema numa fria e insensível estrutura de análise geométrica, mas só poderei fazer isso depois que o impacto desse ritmo novo passar, porque senão pecarei também pelo outro lado, o da emoção.

    Como estou no fim de uma peça que estou escrevendo, uma Ópera, às vezes fico meio disperso com relação ao MPB Sapiens, mas como venho todo dia por aqui, pelo menos uma vez por dia, peço que me mantenha sempre atento ao que estou me devendo, muito mais do que eu lhe deva diante dessa linda obra. Tentarei fazer a geometria do poema até domingo, mas, por favor, me lembre aqui pelos comentários, porque cada comentário novo, por ter outra cor em relação aos demais, faz com que eu preste atenção dentre os muitos outros que respondo diariamente.

    Grato pela visita, pela agradável surpresa e volte sempre.
    Dalton.

  703. 703

    Delfina da Silva said,

    November 3, 2012 @ 9:22 am

    Boa Tarde Dalton

    estou muito feliz pela avaliação que fez ao poema e muito surpreendida por ter gostado…
    Sim…Leio em voz alta tudo o que escrevo em foma de poemas…

    Muito grata e fico esperando a Geometria do meu poema até Domingo…
    Delfina

  704. 704

    admin said,

    November 3, 2012 @ 4:55 pm

    Delfina:

    Dê uma olhada na sua caixa de e-mail, porque deixei um recado lá com uma pergunta.

    Grato.

  705. 705

    Delfina da Silva said,

    November 3, 2012 @ 5:21 pm

    Boa Noite Dalton

    Procurei na caixa de entrada e não localizei mensagem alguma…

    gostaria que reeviasse por favor.

    Delfina

  706. 706

    admin said,

    November 3, 2012 @ 7:21 pm

    Certo, Delfina. Já reenviei.

  707. 707

    michel said,

    January 7, 2013 @ 7:20 pm

    olá pessoal da casa feliz! Só venho para vos desejar tudo de Bom para este ano novo que já entrou!!

  708. 708

    admin said,

    January 7, 2013 @ 8:04 pm

    Obrigado, Michel. Um bom 2013 para você também. Abraços.
    Dalton.

  709. 709

    Heloise said,

    January 10, 2013 @ 8:51 am

    olá, deixei de enviar poemas porque estou dedicando-me mais as redações, mas fiz alguns.
    veja esse:
    a vida é uma caixa de surpresas
    sejam boas ou ruins
    que nos fazem refletir
    fazer o bem ou o mau
    cabe a nós decidir

    o bem feito por alguém
    pode ter efeito em nós
    impelir-nos a fazer
    outro bem só por prazer

    pequenas ou longas vidas
    idas e vindas pelo mundo
    esperando aprender a ser
    como alguem que um dia fez algo por você

    não usei a forma correta de rimas, criador-criatura ou algo assim.
    e aí?

  710. 710

    Heloise said,

    January 11, 2013 @ 8:21 am

    Olá, Dalton…
    Já faz um bom tempo que não entro no site…
    Esse ano me dediquei mais a redações e menos a poemas…
    eu queria saber se há alguma diferença entre o poema e a poesia…
    se existe, qual é?

  711. 711

    Heloise said,

    January 11, 2013 @ 8:30 am

    Escrevi este, mas não me preucupei com as rimas e com as estrofes dele:
    Viver para saber

    A vida é uma caixa de surpresas
    Boas ou ruins
    Que nos fazem refletir
    Fazer o bem ou o mal
    Cabe a nós decidir

    O bem feito por alguém
    Pode ter efeito em nós
    Impelir-nos a fazer
    Outro bem só por prazer

    Pequenas ou longas vidas
    Idas e vindas pelo mundo
    Na expectativa de aprender
    Querendo ser como alguém
    Que um dia fez algo por você

    Fiz ele por fazer
    numa hora de prazo
    mas não ficou muito bom nas rimas
    não ficaram nem paralelas nem alternadas.
    se puder corrigi-lo, ficarei grata.

  712. 712

    admin said,

    January 11, 2013 @ 11:27 am

    Heloise:

    A vida é uma caixa de surpresas
    Boas ou ruins
    Que os fins fazem refletir
    Em ir c´o bem ou c´o mal pra mesa
    Cabe-nos só decidir

    O bem feito por alguém
    Pode ter efeito em nós
    Impelindo-nos também
    A outro bem fazer após

    Pequenas ou longas vidas
    Idas e vindas pelo mundo
    Fundo em espectativas
    Querendo ser como alguém
    Que um dia assim fez por você

    Espero não ter violado muito a sua ideia original.

    Grato pela confiança e volte mais vezes.
    Dalton.

  713. 713

    Thiago Galdino said,

    January 13, 2013 @ 3:59 pm

    Dalton, tudo bem? Estava eu nesta tarde de domingo sem nada para fazer, e me veio à cabeça alguns versinhos, já prontos… Gostaria da sua opinião, se possível.

    Lágrima…

    Limpa a alma de qualquer impureza
    Gota de sal encoberta em tristeza
    Dor em estado líquido
    Consolo do oprimido

    …Lágrima

  714. 714

    admin said,

    January 14, 2013 @ 9:31 am

    Thiago Galdino:

    Ficou muito bonito o poema. O jogo dos sons das vogais tônicas ao longo dos versos também ficou bem gostoso. Como o único som sem companhia foi o “estado”, já que a vogal tônica A surgiu no interior dos dois primeiros versos com o L ao lado, eu sugeriria a você trocar “em estado” por “no modo” para acompanhar a tendência sonora do “O” no quarto verso. Abraços.

    Dalton.

  715. 715

    Thiago Galdino said,

    January 14, 2013 @ 11:15 pm

    Lágrima…
    Limpa a alma de qualquer impureza
    Gota de sal encoberta em tristeza
    Dor no modo líquido
    Consolo do oprimido
    …Lágrima

    Realmente, Dalton, ficou bem melhor usando a sua sugestão. Muito obrigado, este site está sendo de enorme importância para o meu aprendizado poético, sobretudo por ser um dos poucos em que podemos tirar nossas dúvidas e receber sinceras opiniões de uma pessoa que conhece tanto o assunto como você. Abraços!

  716. 716

    admin said,

    January 15, 2013 @ 4:18 pm

    Thiago:

    Apenas faça no seu blog o mesmo que faço por aqui. Se você não puder resolver por lá, traga o problema para cá e volte pra lá com a solução. Na cultura poética, isso chama “Semear a Lanço”, Abraços.
    Dalton.

  717. 717

    Thiago Galdino said,

    January 17, 2013 @ 6:16 pm

    Fiz este no intervalo das aulas de Mecânica. Não sei se está muito bom, se puder corrigi-lo, agradeço.

    PROGRESSO?
    Procurando a liberdade
    Encontrei a solidão
    No peito do homem-máquina
    Que destrói em multidão
    As flores do seu jardim
    Em troca de algum cifrão.

  718. 718

    admin said,

    January 18, 2013 @ 10:59 am

    Thiago:

    Procurando a liberdade
    Vi em parte a solidão
    E na mão do homem-máquina
    A máxima multidão
    Co´as flores do seu jardim
    No fim por seu deus Cifrão

    Abraços. Dalton.

  719. 719

    Thamyris said,

    January 20, 2013 @ 2:19 pm

    KRA amooh fazer poesiia soou fá , vou deixar uma miinha akii , ta:
    quueem gostar por favoor fala , do mesmo quem nao gosta fala ai favoor gente:

    No meu peito ficou grande ferida
    De um amo que se foi sem mim dizer
    O meu peito ficou-se a padecer
    Quando lembro de tu na minha vida
    Eras pra mim o meu ponto de partida
    Nos momentos de saudades mais impura
    Um remedio pra mim a minha cura
    Ate passar o meu amor despercebido
    O silencio da noite e quem tem sido
    Testeminha das minhas amarguras

    boom gente e isso ai , o mote:
    O silencio da noite e quem tem sido
    Testemunha das minhas amarguras
    e de uma grande poeta do sertao, severina branca .
    e isso ai poor favor comenta ae…
    meeu nome e thamyriis souza.

  720. 720

    Thamyris said,

    January 20, 2013 @ 7:25 pm

    Gente da uma olhadiinha na minha poesia

  721. 721

    Thamyris said,

    January 20, 2013 @ 7:34 pm

    gostei de algumas criticas e ideias de thiago e admin se voces poderem dar uma olhadiinha e talvez julgar e agradeço.

  722. 722

    Thamyris said,

    January 21, 2013 @ 8:53 pm

    :(

  723. 723

    admin said,

    January 22, 2013 @ 6:59 am

    Thamyris: Estou viajando e perdoe se ainda não lhe respondi a contento, mas creio que o farei tão logo eu retorne para casa, o que só ocorrerá em dois dias, para poder ajudá-la com o poema do comentário, que ainda não aprovei para não perdê-lo de vista dentre os demais comentários.

    Grato pela confiança e aguarde.
    Dalton.

  724. 724

    Thamyris said,

    January 22, 2013 @ 6:03 pm

    valeeu voou espeerar siim.:)

  725. 725

    Thamyris said,

    January 22, 2013 @ 7:28 pm

    No arquivo da mente eu to guardando
    Os teus beijos, teu carinho teus abraços
    Se eu podesse te prendia entre meus braços
    So pra um dia nao te ver partindo
    Eu te peço se eu tiver mim confundindo
    Nao mim peça partirei na mesma hora
    Lembrarei dos momentos em autrora
    E nao mais chorarei na despedida
    Cheguei tarde demais na sua vida
    Pra poder construir alguma historia.

    essa aii e miinha tbm…

  726. 726

    admin said,

    January 25, 2013 @ 4:20 pm

    Ainda estou viajando, Thamyris, mas creio que volte no domingo e na segunda poderei dizer algo a respeito dos dois poemas. Grato.
    Dalton.

  727. 727

    Thamyris said,

    January 25, 2013 @ 5:15 pm

    estou aguardando
    ;0

  728. 728

    admin said,

    January 26, 2013 @ 12:34 pm

    Thamyris:

    Meu nome é Dalton, o (Adm) do blog.

    É um bonito poema esse seu, mas apresentou algumas irregularidades nos comprimentos dos versos e na correção do texto, cujas falhas procurei mostrar colocando o correto entre parênteses ao lado do erro.

    Na questão dos comprimentos diferentes nos versos há muito o que conversarmos antes de eu opinar. Percebi que você usou versos com dez ou onze sílabas poéticas. Nada a impede de fazer isso com a Métrica, desde que os surgimentos desses versos no poema tenha uma regularidade. Por exemplo: depois de três versos com dez sílabas você coloca outros três com onze, ou vice versa. Há também um verso com doze sílabas, perdido entre os com dez e onze.

    Reescreva esse seu poema, sem erros de Português nas acentuações das palavras, conjugações, pronomes etc.; defina a escolha dos versos com dez ou onze sílabas poéticas e daí em diante poderei colaborar dando dicas sobre o Ritmo Poético, as Rimas, bem como a separação dos assuntos em Estrofes.

    A princípio, sugiro-lhe escrever os poemas num editor de texto que tenha corretor gramatical e ortográfico. Verifique em seguida as palavras sublinhadas em vermelho, corrija-as e, uma vez correto o texto, publique-o.

    Grato pela confiança e volte.
    Dalton.

    No meu peito ficou grande ferida 10
    De um amo que se foi sem mim (me) dizer 10
    O meu peito ficou-se a padecer 10
    Quando lembro de (que) tu na minha vida 11
    Eras pra mim o meu ponto de partida 11
    Nos momentos de saudades mais impura(s) 11
    Um reme(é)dio pra mim a(s) minha(s) cura(s) 11
    Ate(é) passar o meu amor despercebido 12
    O sile(ê)ncio da noite e quem tem sido 10
    Testemunha das minhas amarguras 10

  729. 729

    admin said,

    January 26, 2013 @ 12:43 pm

    Thamyris:

    As mesmas observações que fiz sobre o primeiro poema também valem para este aqui.
    Dalton.

    No arquivo da mente eu to guardando 10
    Os teus beijos, teu carinho teus abraços 11
    Se eu po(u)desse te prendia entre meus braços 11
    So(ó) pra um dia na(ã)o te ver partindo 10
    Eu te peço se eu tiver mim(me) confundindo 11
    Na(ã)o mim(me) peça(s) partirei na mesma hora 11
    Lembrarei dos momentos em(de) a(o)utrora 10
    E na(ã)o mais chorarei na despedida 10
    Cheguei tarde demais na sua vida 10
    Pra poder construir alguma historia. 10

  730. 730

    Vívian said,

    January 27, 2013 @ 7:06 pm

    preciso de ajuda; o texto a seguir pode ser chamado de poema? :

    A felicidade muitas vezes se encontra no escuro, no fim do túnel, no fim de toda tristeza, pobreza, no começo de nova beleza, mas somente para quem busca… Somente para quem busca! Nunca desista de lutar pela felicidade, pois a vida te reserva um plano, sempre há possibilidades, mas quando se tem a resposta, você costuma mudar a pergunta. Tínhamos um plano e você mudou de ideia, tivemos novas ideias, e você mudou de plano… Mudou! Você nunca faz da vida um caminho diario para segui-lo, a procura de quem te procura! Você não entende que tentar outra vez não é o mesmo que sofrer de novo? Não entende que tentar outra vez é uma forma de lutar e vencer? Não! Você não parou pra ver que se aprende com os erros… Pare pra ver que existem possibilidades, não mude as perguntas, respostas, planos e ideias, ouça; existem possibilidades! Você tem que falar mais alto, fala pra tristeza que Deus ama teu sorriso. Fala! DEus ama teu sorriso! Ama teu sorriso! Não procure perfeição, procure felicidade, sabe? Entende?! Ainda há possibilidades!

    vc gostou do meu texto?

  731. 731

    Thamyris said,

    January 28, 2013 @ 6:33 pm

    POOODE DEIIXAR , COMIGO VOOU TENTAR

  732. 732

    Thamyris said,

    January 28, 2013 @ 6:56 pm

    No arquivo da mente eu too guardando 10
    Os teus beijos, teu carinho teus abraços 11
    Se eu pudesse te prendia entre meus braços 11
    Só pra um dia não te ver partindo 10
    Eu te peço se eu tiver me confundindo 11
    Não me peças partirei na mesma hora 11
    Lembrarei os momentos de outrora 10
    E não mais chorarei na despedida 10
    Cheguei tarde demais na sua vida 10
    Pra poder construir alguma historia. 10

  733. 733

    Thamyris said,

    January 28, 2013 @ 7:01 pm

    No meu peito ficou grande ferida 10
    De um amo que se foi sem me dizer 10
    O meu peito ficou-se a padecer 10
    Quando lembro que tu na minha vida 11
    Es pra mim o meu ponto de partida 11
    Nos momentos de saudades mais impuras 11
    Um remédio pra mim as minhas curas 11
    Até passar meu amor despercebido 12
    O silêncio da noite e quem tem sido 10
    Testemunha das minhas amarguras 10

  734. 734

    Thamyris said,

    January 28, 2013 @ 7:04 pm

    euu preciso de ajuuda ne …
    kkkkk

  735. 735

    admin said,

    January 29, 2013 @ 8:36 am

    Vivian:

    Todo poema resulta de um texto normal, cujos períodos sintáticos são comumente dispostos em estrofes, e os versos são as Orações de tais Períodos Estróficos.

    Todo bom poema resulta de um bom pensamento, mas todo poema ótimo resulta do bom pensamento colocado num texto correto, e para isso é imperativo não usar-se muito da Licença Poética, que implica em certas concessões gramaticais aos poetas nas disposições dos Pronomes, de modo a atingir-se o equilíbrio do Ritmo Poético, já que as tendências mais modernas das construções poéticas não mais exigem identidade nos comprimentos dos versos, tornando a Métrica algo menos necessário à Estética da descrição.

    O seu pensamento é bom e com poucos erros de concordância, embora a mistura da segunda com a terceira pessoa do singular não seja algo ainda admitido pela Licença Poética, portanto, como você se dirigiu mais vezes ao Ele(a) usando o VOCÊ, sugiro que troque no texto todos os TE de segunda pessoa pelos LHE de terceira.

    Como pode reparar, eu apenas redistribuí o seu texto original na forma de estrofes e versos. Poderia ser bem diferente do que fiz, mas isso não caberia a mim decidir, e sim a quem escreveu o texto. Caso você queira aprender a redigir os seus textos na forma poética, sugiro que pesquise, no cabeçalho das páginas do site, o endereço, Ciência Poética, pois partindo dele você terá todas as informações necessárias para atingí-la rapidamente, já que possui um bom texto.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

    A felicidade muitas vezes
    Encontra-se no escuro
    No fim do túnel
    No fim de toda tristeza
    Pobreza
    No começo de nova beleza
    Mas somente para quem busca…

    Somente para quem busca!

    Nunca desista de lutar pela felicidade
    Pois a vida te reserva um plano
    Sempre há possibilidades
    Mas quando se tem a resposta
    Você costuma mudar a pergunta.

    Tínhamos um plano
    E você mudou de ideia
    Tivemos novas ideias
    E você mudou de plano…

    Mudou!

    Você nunca faz da vida
    Um caminho diario para segui-lo
    A procura de quem te procura!

    Você não entende
    Que tentar outra vez
    Não é o mesmo que sofrer de novo?

    Não entende
    Que tentar outra vez
    É uma forma de lutar e vencer?

    Não!
    Você não parou pra ver
    Que se aprende com os erros…

    Pare pra ver
    Que existem possibilidades
    Não mude as perguntas
    Respostas, planos e ideias

    Ouça:
    - Existem possibilidades!

    Você tem que falar mais alto
    Fala pra tristeza
    Que Deus ama teu sorriso.

    Fala:
    -DEus ama teu sorriso!
    Ama teu sorriso!

    Não procure perfeição
    Procure felicidade
    Sabe?

    Entende?
    Ainda há possibilidades!

  736. 736

    admin said,

    January 29, 2013 @ 9:06 am

    Thamyris:

    A ajuda não precisa ser tão grande assim. Se você olhar bem, verá que os dois poemas primaram por apresentar só dois comprimentos de verso: 10 e 11 sílabas poéticas. Aliás, eu sugeriria que começasse a estudar a Sílaba Poética, para à partir de então entender o Ritmo Poético, que implica no posicionamento das sílabas tônicas ao longo dos versos para conseguir um equilíbrio na declamação.

    Comece estudando Ciência Poética, que fica no cabeçalho das páginas do site. Nesse endereço você encontrará todas as dicas necessárias à boa construção poética dos textos. Daí em diante será mais fácil reescrever os textos adequando-os às estruturas poéticas que você prefira.

    Veja, por exemplo, o que farei com o único verso com 12 sílabas: “Até passar o (um) amor despercebido”. No texto original, pela quantidade de “meu, minha, me…” usada nos demais versos, qualquer leitor entenderá que o “amor despercebido” é o seu, logo, não precisava ter colocado aquele MEU nesse verso. Se você usar “o amor”, poderá ter um verso com 10 sílabas, porque haverá uma fusão do O com o A de amor, ficando o-a / mor. Se você quiser dar ao verso as 11 sílabas, basta usar o UM, que não permite fusão com o A do amor, e forma anterior ganha mais uma sílaba.

    Reescreva os poemas tentando deixá-los com todos os versos em mesmo comprimento, porque assim é o caminho mais fácil para entender o Ritmo Poético, que é o que mais vale nos poemas. Estude Sílaba Poética e bom divertimento com a Métrica.

    Aguardo notícias.
    Dalton.

  737. 737

    Vívian said,

    January 29, 2013 @ 10:12 pm

    Obrigado pela ajuda, vou prestar mais atenção agora quando for criar algo, e com suas dicas tudo ficou mais fácil

  738. 738

    admin said,

    January 30, 2013 @ 8:18 am

    Vivian:

    Bom estudo e quando precisar volte sempre.
    Dalton.

  739. 739

    Vívian said,

    January 31, 2013 @ 9:52 pm

    Oi Dalton, aqui vai mais um de meus textos, que como sempre, fico insegura em acreditar que o texto que escrevi é um texto bem escrito ;s

    “Você faz faxina no seu quarto, no seu escritório, faz faxina em tudo que está sujo, em tudo que te incomoda, porém nunca, nunca procurou limpar tudo, tudo que te perturba, tormenta e chega a lhe chatear, nunca procurou limpar tudo o que incomoda a sua alma. Você nunca descansa, nunca desliga a mente, não se desliga por um tempo, você nunca chegou enfrente a realidade, não ver que é preciso gerenciar os pensamentos? Pare com isso. Não tem mais como voltar atrás. Chegou a hora em que você faz velório sem olhar para o relógio e ver que a morte não chegou. Você não ver que é preciso gerenciar os pensamentos? Por que faz velório se vê que ainda vive? Pare… Pare de fazer velório antes de morto! Você não entende, não entende o significado disse, eu entendo, te explico, e você não me entende… Volto a repetir; você antecipa o sofrimento, mas não se pode viver de lamento, pois não seria viver. Você antecipa o sofrimento! Antecipa o sofrimento; antecipa-o e vive problemas não ocorridos. Problemas não ocorridos! Tais problemas que talvez, com positividade, não cheguem a ocorrer!
    Você não merece sofrer, Deus não te abandonou, sempre está com você! Você merece tanto, merece tanto a tão bela felicidade, sabe? Você merece muito dormir na tranquilidade e sempre, pra sempre, acordar com Deus, como se toda segunda fosse sexta, com um sorriso que mostra que agora sim a felicidade foi eleita!
    Você merece! Merece pessoas verdadeiras, amigas próximas, e muita, muita gente desinteressada, gente que tem como maior qualidade o mais belo e bom caráter!
    Você é um gênio, todo mundo é. Mas deixe o orgulho de lado, pare de julgar. Se o gato julgar o peixe, julgá-lo por não ser capaz de escalar, o peixe irá passar o decorrer da vida se achando um ser estúpido… Estúpido!

  740. 740

    admin said,

    February 1, 2013 @ 8:03 am

    Vivian:

    Este texto está muito repetitivo e continua apresentando mistura de segunda e terceira Pessoas do Singular. Usei letras maiúsculas nos erros.

    No comentário anterior, deixei o seguinte recado: “Comece estudando Ciência Poética, que fica no cabeçalho das páginas do site. Nesse endereço você encontrará todas as dicas necessárias à boa construção poética dos textos. Daí em diante será mais fácil reescrever os textos adequando-os às estruturas poéticas que você prefira.”

    - Você não entendeu a sugestão?

    Se você tivesse seguido o que sugeri, esta nossa nova conversa já estaria ocorrendo sobre um texto disposto na forma de versos, pois a minha proposta por aqui não é a de corrigir textos. Não tenho tamanha pretensão. Apenas procuro ajudar as pessoas a transformarem os seus textos em poemas.

    Imagino como você deva estar se sentindo. Tem um texto dirigido a alguém e precisa mostrá-lo de alguma forma. Acho isso muito bonito, pois não deixa de ser a Luz da Criatividade querendo manifestar-se, mas então o melhor que tenho a fazer é sugerir-lhe um site com maior abrangência que este, que é voltado para os textos construídos em Versificação. O Recanto das Letras é um bom site para a iniciação dos novos escritores.

    Se a sua intenção é a de realmente escrever poemas, continuaremos conversando por aqui, mas esta será a última vez que transformarei um texto corrido seu na forma de versos. Faça o que já lhe sugeri duas vezes e volte com outro texto já descrito em poema. Boa Sorte!
    Dalton.

    Você faz faxina no seu quarto,
    no seu escritório,
    faz faxina em tudo que está sujo,
    em tudo que LHE incomoda,
    porém nunca,
    nunca procurou limpar tudo,
    tudo O que LHE perturba,
    Atormenta e chega a lhe chatear,
    nunca procurou limpar tudo o que incomoda
    a sua alma.

    Você nunca descansa,
    nunca desliga a mente,
    não se desliga por um tempo,
    você nunca chegou enfrente À realidade,
    não VÊ que é preciso gerenciar os pensamentos?

    Pare com isso.
    Não tem mais como voltar atrás.
    Chegou a hora em que você faz velório
    sem olhar para o relógio
    e ver que a morte não chegou.

    Você não VÊ
    que é preciso gerenciar os pensamentos?
    Por que faz velório se vê que ainda vive?

    Pare…
    Pare de fazer velório antes de morto!

    Você não entende,
    não entende o significado dissO,
    eu entendo, LHE explico, e você não me entende…

    Volto a repetir;
    você antecipa o sofrimento,
    mas não se pode viver de lamento,
    pois não seria viver.

    Você antecipa o sofrimento!
    Antecipa o sofrimento;
    antecipa-o e vive problemas não ocorridos.
    Problemas não ocorridos!
    Tais problemas que talvez,
    com positividade, não cheguem a ocorrer!

    Você não merece sofrer,
    Deus não LHE abandonou,
    sempre está com você!

    Você merece tanto,
    merece tanto a tão bela felicidade, sabe?
    Você merece muito dormir na tranquilidade
    e sempre, pra sempre, acordar com Deus,
    como se toda segunda fosse sexta,
    com um sorriso que mostra
    que agora sim a felicidade foi eleita!

    Você merece!
    Merece pessoas verdadeiras,
    amigas próximas, e muita,
    muita gente desinteressada,
    gente que tem como maior qualidade
    o mais belo e bom caráter!

    Você é um gênio,
    todo mundo é.
    Mas deixe o orgulho de lado,
    pare de julgar.
    Se o gato julgar o peixe,
    julgá-lo por não ser capaz de escalar,
    o peixe irá passar o decorrer da vida
    se achando um ser estúpido…
    Estúpido!

  741. 741

    Thiago Galdino said,

    February 6, 2013 @ 12:30 am

    Dalton, como vai?

    Escrevi um poema em que o eu-lirico faz uma reflexão sobre a sua busca pela mulher amada e os momentos perdidos em que os dois viveram uma paixão urbana. Porém, achei os versos meio longos, embora o sentido esteja completo desta forma… Poderia me ajudar com uma crítica e/ou correção?

    AINDA TE ESPERO…
    Eu ainda te espero nos sábados a tarde, em bancos de mármore, nas flores urbanas…
    Eu ainda te espero nas praças monótonas, nas calçadas quentes, sob o sol das semanas…
    Eu ainda te espero em degraus corroídos, em pontes de mundos, em vidas corridas…
    Eu ainda te espero em tempos de chuva, em lanches de rua, em abraços de idas…

  742. 742

    admin said,

    February 6, 2013 @ 9:11 am

    Thiago Galdino:

    Embora, atualmente, o pessoal costume chamar de poema um grupo de versos com qualquer comprimento, há uma regra que persitiu ao longo dos anos desde o Tratado de Versificação do Trovadorismo:

    - Versos com menos de catorze sílabas poéticas constituem o Poema. Acima de catorze é Prosa!

    Talvez, a coisa ficasse melhor assim:

    Ainda te espero no sábado à tarde,
    Em bancos de mármore,
    Nas flores urbanas…

    Ainda te espero nas praças monótonas,
    Nas calçadas quentes,
    No sol das semanas…

    Ainda te espero em degraus corroídos,
    Em pontes de mundos,
    Em vidas corridas…

    Ainda te espero em tempos de chuva,
    Em lanches de rua,
    Em idas de vindas…

    Apenas transformei a sua mega quadra de Prosa em 4 tercetos do bonito Poema da Espera, com pequenos ajustes métricos e rímicos.

    Grato pela confiança e volte sempre.
    Dalton.

  743. 743

    Thiago Galdino said,

    February 6, 2013 @ 2:50 pm

    Dalton, a sua alteração foi simplesmente genial! Eu ainda não conhecia esta regra poética. Este blog tem me proporcionado um aprendizado constante.

    Muito obrigado, realmente!

  744. 744

    Thiago Galdino said,

    February 7, 2013 @ 12:58 am

    Dalton, olha eu aqui de novo (risos). Gostaria da sua correção a respeito deste que acabei de criar. Como você pode notar, os versos não rimam (exceto o último da primeira estrofe com o seu correspondente da segunda), o que foi intencional desta vez (inclusive a falta de rima), mas senti falta de todos eles terem a mesma quantidade de sílabas poéticas que o correspondente da estrofe seguinte. Usarei como exemplo um texto que encontrei nesta mesma postagem:

    No arquivo da mente eu too guardando 10
    Os teus beijos, teu carinho teus abraços 11
    Se eu pudesse te prendia entre meus braços 11

    Só pra um dia não te ver partindo 10
    Eu te peço se eu tiver me confundindo 11
    Não me peças partirei na mesma hora 11

    Perceba que o primeiro de cada estrofe possui 10 sílabas poéticas, assim como os seus correspondentes da segunda). Você poderia me ajudar, primeiramente opinando e consertando a métrica, se possível for? Segue abaixo o meu poema:

    QUIMERA MARGINALIZADA

    Antes que caia sobre o asfalto
    As cinzas dos devaneios,
    Ei de fumá-los com vontade.

    Intoxicar-me de utopias
    Ainda parece melhor que
    Considerar a realidade.

  745. 745

    admin said,

    February 7, 2013 @ 7:34 am

    Thiago Galdino:
    Não sei qual foi a sua intenção primária. Se deixar nos tercetos os segundos versos com 7 sílabas e os demais com 8, ou se tentar deixar todos com 8. Caso você opte pela segunda possibilidade, basta colocar no segundo verso do primeiro terceto um MEUS antes de DEVANEIOS, e no segundo do segundo um AINDA normal, já que usei o INDA apenas para deixar o verso com 7 sílabas. Abraços.

    QUIMERA MARGINALIZADA

    An/tes/ que/ ca/ia/ so/bre-o-as/fal/to -8
    As/ cin/zas/ dos/ de/va/ne/ios, – 7
    Hei/ de/ fu/má/-los/ com/ von/ta/de. – 8

    In/to/xi/car/-me/ de-u/to/pi/as – 8
    In/da/ pa/re/ce/ me/lhor – 7
    Que/ con/tem/plar/ a/ rea/li/da/de. – 8

  746. 746

    livia said,

    February 24, 2013 @ 12:01 pm

    como transformar um texto em poema?

  747. 747

    admin said,

    February 24, 2013 @ 5:41 pm

    Livia:

    A grosso modo, basta transformar as Orações dos Períodos Sintáticos do texto em versos.

    Grato pela confiança e, diante de novas dúvidas, volte sempre.
    Dalton.

  748. 748

    Heloise said,

    March 25, 2013 @ 5:34 pm

    Olá,
    Preciso fazer uma intertextualidade do poema “Canção do Exílio”, posso escolher qualquer tema.
    Eu gostaria de uma sugestão de tema, se puder me dar uma dica sobre isso, ficarei grata.

  749. 749

    admin said,

    March 25, 2013 @ 6:27 pm

    Heloise:

    Há uma interessante coincidência entre esse poema do Gonçalves Dias, a música Sabiá, do Chico Buarque e os militares.

    Quem diria, Chico Buarque em sintonia com os militares?

    Basta comparar as canções Sabiá (1968) e Canção do Expedicionário (1945) para sentir a Canção do Exílio em ambas:

    http://www.youtube.com/watch?v=PR5o8xjvFRc

    http://www.youtube.com/watch?v=ko5wpwb8WL0

    Espero ter ajudado na questão da intertextualidade.

    Boa sorte e grato pela confiança.
    Dalton

  750. 750

    Heloise said,

    March 26, 2013 @ 3:53 pm

    eu fiz uma parodia da canção do exílio, mas não gostei muito:

    Minha terra tem doenças
    Grande parte encontro eu cá
    A pessoa que adoece
    Pode ser que não voltará

    Nossos médicos tem mais folga
    Nossas filas mais revolta
    Nossos jovens menos vida
    Nossos doentes morrem de coléra

    Ao cismar sozinha a noite
    Medo tenho de internar
    De ter que ir para o SUS
    E esperar o médico chegar
    De tomar uma injeção
    E de ouvir que virose há

    Não permita Deus que eu tenha
    De tais filas enfrentar
    E esperar os doutores
    Que vivem a negligenciar
    Melhor seria viver
    Sem precisar consultar

  751. 751

    admin said,

    March 26, 2013 @ 5:13 pm

    Heloise:

    Veja se assim lhe agrada. O título serve também como homenagem ao Gonçalves Dias, rs. Boa sorte.

    O Exílio dos “Dias”

    Minha terra tem doenças
    Grande parte encontro eu cá
    A pessoa já nem pensa
    Se verá um sabiá

    Nossos médicos têm folga
    Nossas filas têm revolta
    Nesta vida que n´o empolga
    A saúde então se solta

    Ao cismar sozinha à noite
    Tenho medo de internar
    Sem saber se vou voltar
    Pois o SUS é um açoite
    Que se põe a injetar
    A virose que nem há

    Não permita Deus que eu tenha
    Essas filas que enfrentar
    E os doutores esperar
    Cada qual com sua senha
    Para negligenciar
    - Eu não quero consultar!

    P.S. Se você quiser, pode trocar a última estrofe por esta:

    Por mais filas que eu enfrente
    Não permita Deus que eu tente
    Junto ao SUS me consultar
    Eu ainda tenho em mente
    Ter saúde permanente
    Para ouvir um sabiá.

  752. 752

    Heloise said,

    March 26, 2013 @ 10:00 pm

    Muito obrigado pelas sugestões, apreciei a segunda sugestão do útimo verso.
    Continuarei a mandar versos para serem corrigidas.

  753. 753

    livia said,

    April 11, 2013 @ 2:31 pm

    a menina quer uma cavalo que obedesa a ala ques goste de ir nas cavalgado galopar no campo um cavalo que saiba falar imgles frances e clara portugues uma cavalo saiba o nome de tudo e que entenda o relogia

  754. 754

    livia said,

    April 11, 2013 @ 2:36 pm

    numa rua eu via um gatinho amarelo olhava para min com uam carinha de inocen todo dia nessa rua eu levava agua par esse indefeso

  755. 755

    livia said,

    April 11, 2013 @ 2:41 pm

    a menina quer uma cocota que saiba inventar historias e musicas sertanejas que saiba daçar bale classico e moderno e tambem sanq e que saiba escrever ler e goste de andar a cavalo e pescar a menina quer uma cocota que nao bilisq nao fuja e nao grite o dia toda a menina que uma cocota de qando ela possa dessabafar

  756. 756

    admin said,

    April 11, 2013 @ 6:16 pm

    Quantos anos você tem, Livia?

  757. 757

    livia said,

    April 11, 2013 @ 10:07 pm

    eu tenho 8 anos

  758. 758

    livia said,

    April 11, 2013 @ 10:13 pm

    a menina quer um gato
    que não salte pelos e que não arranhe mas que saiba miar e dançar bale

  759. 759

    admin said,

    April 12, 2013 @ 9:09 am

    Parabéns, Livia.

    Você escreve muito bem. Continue escrevendo aqui para lermos.
    Dalton.

  760. 760

    livia said,

    April 12, 2013 @ 2:07 pm

    brigado

  761. 761

    thigo said,

    April 12, 2013 @ 2:12 pm

    o menino que um cachorro
    o menino que um cachorroque não lati a noite toda e nem morda omenino quer um cachorro que goste de jogar futebol e que morda

  762. 762

    thigo said,

    April 12, 2013 @ 2:13 pm

    quantosanos voce tem admin

  763. 763

    admin said,

    April 13, 2013 @ 12:23 am

    Oi Thigo. Meu nome é Dalton e tenho sessenta e dois anos. E você, quantos tem?

  764. 764

    beatris nascimento silva said,

    May 6, 2013 @ 2:41 pm

    Meu querido cidadão,para não causar confusão,respeite a sinalização,a mobilidade tenha responsabilidade e atenção.

    ficou boa ?
    essa frase inventei quando ia ter um concurso de frases da autovias ai eu ganhei em 2012. :)

  765. 765

    admin said,

    May 7, 2013 @ 8:47 am

    Foi um bonito pensamento, Beatris Nascimento Silva, Parabéns!

    Você está cursando qual ano na escola?
    Dalton.

  766. 766

    Heloise said,

    May 16, 2013 @ 4:26 pm

    Isolado na Multidão

    “Se ao menos uma flecha me acertasse o coração
    Não sentiria tanto a dor de sofrer humilhação”
    Assim diz quem sente carente
    Quem não se acostuma em outro ambiente.

    “Diga-me com quem tu andas, que direi quem tu és”
    Verteria o ditado, colocaria no revés.
    Nem sempre a vida é fácil, nem sempre a vida é bela
    Adaptar-se ao seu meio, sempre vem como sequela.

    Se um dia precisasse mudar de repente
    Amigos ficariam no passado, outros no presente
    Sofrer mudanças e não se adaptar
    É a pior coisa que poderia se esperar

    Ser rejeitado ou ser impertinente
    Seria gravíssimo, mas não há male permanente
    Escola, família, ou em qualquer lugar
    Você é produto do meio, isso não vai mudar
    Entender que a vida não é só solidão
    É um começo para não ser: Isolado na multidão!

  767. 767

    Heloise said,

    May 16, 2013 @ 4:28 pm

    Dalton, poderia corrigir o poema acima? Não achei tão interessante quanto a metrica…

  768. 768

    admin said,

    May 17, 2013 @ 12:27 pm

    Heloise:

    Estou no meio de um serviço e, de imediato, não poderei ajudá-la, mas assim que sobrar um tempo prometo voltar ao assunto, já que deixei o comentário do seu poema sem “aprovar”, como forma de ser lembrado cada vez que entrar no site.

    Perdão pela possível demora e grato pelo entendimento.
    Dalton.

  769. 769

    admin said,

    May 27, 2013 @ 9:50 am

    Heloise:

    Não vou corrigir o seu poema. Irei apenas aconselhar o que fazer, pois essa será a melhor forma de você aprender a fazê-lo.

    Há uma regra que limita o verso às 14 Sílabas Poéticas, pois à partir das 15, deixa de ser Poema e vira Prosa. Vários poetas já mostraram que essa regra pode ser burlada sem que o poema perca a sua essência rítmica, mas isso só é possível quando dão aos versos longos cadências idênticas.

    Estude um pouco mais sobre Sílabas Poéticas e Ritmo Poético, no endereço Ciência Poética, que consta no cabeçalho das páginas.

    Outro truque para trabalhar com versos tão longos está nas rimas, e consiste na colocação de Rimas Centrais, fazendo com os centros deles também rimem. Darei apenas um exemplo de como fazer a coisa:

    se-ao/ ME/nos/ U/ma/ FLE/cha/ ME-A/cer/TAS/se-o/ CO/ra/ÇÃO – 2-4-6-8-10-12-14

    eu/ NÃO/ te/RI/a-a/ QUEI/xa/ DE/ so/FRER/ hu/ MI/lha/ÇÃO – 2-4-6-8-10-12-14

    Você pode intercalá-los com versos menores na estrofe, desde que estes apresentem identidade rítmica com os longos.

    Tente mexer nesse mesmo poema e volte com as soluções propostas por mim.

    Bom estudo.
    Dalton.

  770. 770

    Marília said,

    June 2, 2013 @ 1:23 pm

    Gente, preciso fazer um poema, uma poesia ou algo assim, para um trabalho do Colégio, o tema é: “O amor está n ar “, mas n sei como fazer. A quantidade de linhas é livre, mas só n pode ficar muuuito extenso. Alguém pode me ajudar por favor ??

  771. 771

    admin said,

    June 3, 2013 @ 11:38 am

    Marília:

    Primeiro preciso saber qual ano escolar você está cursando. Depois preciso que você escreva um texto seu sobre o tema proposto e então ensino a transformá-lo em poema. Esse tema, “O amor está no ar” já foi refrão de um samba enredo no carnaval de 1998, que homenageou o poeta Vinícius de Moraes: Orfeu da Conceição. Você pode usá-lo para inspirar o seu texto:

    http://www.youtube.com/watch?v=u-7sy9gCGjw

  772. 772

    Heloise said,

    June 17, 2013 @ 9:04 pm

    Palavras
    Se pudesse dizer meu sofrimento
    Palavras resumiriam esse tormento
    Com elas fui ferida, com elas fui curada.
    Delas tive alivio, por elas fui enlaçada.

    Saem da boca, passam pelos ouvidos,
    São injetadas no coração.
    Incitam sentimentos profundos,
    Levam do ódio à paixão.

    Por falar, por escrever,
    De dentro saem, a se atrever.
    Um momento de reflexão,
    Talvez bastasse para evitar rebelião.

    Mais perigosas que espadas,
    Mais doces que o mel
    Dois tipos de palavras,
    Que saem do mesmo fel.

    Doces e amargas.
    Cuidadosas e espinhosas.
    Destroem e curam.
    Mas o importante: palavras duram.

  773. 773

    Heloise said,

    June 17, 2013 @ 9:06 pm

    Dalton,
    Deixei aquele poema acima, no que preciso melhorar?
    grata desde já

  774. 774

    admin said,

    June 19, 2013 @ 10:20 am

    Heloise:

    Procure dispôr as rimas da forma que você fez na penúltima estrofe, Rimas Alternadas.

    Exercite construir os poemas dessa forma e perceberá que ficarão mais poéticos e menos previsíveis.

    Dalton.

  775. 775

    Heloise said,

    June 19, 2013 @ 7:16 pm

    Dalton,
    Obrigada pela ajuda, mas se assim fizer a primeira estrofe não ficará legal.
    Como farei isso?
    Grata

  776. 776

    Heloise said,

    June 19, 2013 @ 7:39 pm

    Inverti, mas não ficou muito bom:

    Palavras
    Na escuridão da noite, palavras resumem meu tormento
    Com elas fui ferida, com elas fui curada
    Ao descrever meu sofrimento,
    Delas tive alívio, por elas fui enlaçada

    Saem da boca, passam pelos ouvidos
    São injetadas no coração
    Incitam sentimentos profundos
    Levam do ódio à paixão

    Por falar, por escrever
    Depois de muito refletir
    Saindo de dentro a se atrever
    Bastando, para rebelião impedir

    Mais perigosas que espadas
    Mais doces que o mel
    Dois tipos de palavras
    Que saem do mesmo fel

    Cuidadosas e espinhosas
    Destroem e curam
    Doces e amargas
    Palavras duram

    A métrica não ficou muito boa, como faço quanto ao primeiro verso?

  777. 777

    admin said,

    June 20, 2013 @ 10:06 am

    Heloise:

    Talvez eu tenha me expressado mal no último comentário, quando dei o exemplo da penúltima estrofe do poema citado.

    Não sugeri que você modificasse esse próprio poema. Dei apenas uma dica de rimas para a construção dos seus futuros poemas, porque, depois de feito o poema, chega a ser até pecado mexer na forma original.

    Se você reparar no comentário do Gabriel, perceberá que ele gostou do seu poema nessa forma original, e isso é o mais importante.

    Boa sorte, continue escrevendo e colocando aqui.
    Dalton.

  778. 778

    Heloise said,

    June 20, 2013 @ 2:02 pm

    Obrigada pelas dicas Dalton,
    postarei sim. E como posso fazer rimas ricas?

  779. 779

    Thiago Galdino said,

    June 20, 2013 @ 6:07 pm

    Dalton, tudo bem?

    Tenho acompanhado as manifestações Brasil afora, e suas reivindicações em busca de melhorias na saúde, educação, redução da tarifa do transporte público, proibição da PEC 37, etc. Estes protestos me inspiraram, de certa forma, a criar um poema sobre o tema. Gostaria da sua crítica e, se necessário, correção:

    REVOLUÇÃO DO VINAGRE

    Abracem balas
    Retenham dor
    Recebam bombas
    Atirem flor
    Aceitem chutes
    Roguem o amor.

  780. 780

    admin said,

    June 21, 2013 @ 9:16 am

    Heloise:

    No cabeçalho das páginas do Sapiens há o endereço: Ciência Poética. Dê uma pesquisada no conteúdo e encontrará uma boa matéria sobre Rimas, suas colocações, qualidades etc.

  781. 781

    admin said,

    June 21, 2013 @ 9:24 am

    Thiago:

    Só o último verso ficou fora do Ritmo Poético. Com um truque de mudar a tonicidade do “ROguem” para “roGUEM” na declamação, até daria para manter o mesmo verso, mas acho que ficaria feio.

    Talvez, se você colocar um “E” no começo dele tudo fique mais fácil.

    Dalton.

  782. 782

    Thiago Galdino said,

    June 21, 2013 @ 9:48 pm

    Realmente, Dalton, você tem razão. No momento da elaboração do poema, talvez por pressa, acabei cometendo este deslize (e confesso que estava declamando como “roGUEM”, sem ao menos perceber o quanto estava estranho). Muito obrigado!

    O que tem a me dizer sobre este?:

    A BOCA do
    revolver
    não calará
    a voz d’um
    povo!

  783. 783

    admin said,

    June 22, 2013 @ 1:51 pm

    Thiago:

    Ficou bom, mas se eu fosse o Adoniram Barbosa, certamente sugeriria a seguinte forma:

    Nem a boca
    Do revórve
    Calará
    A voz dum povo
    Do automórve

    Rs e Abraços.

  784. 784

    Thiago Galdino said,

    June 26, 2013 @ 2:20 pm

    Ótimo comentário, Dalton! Gostei de sua égide… Me fez relembrar o grande Adoniram. rs’

    Abraços!

  785. 785

    Heloise said,

    June 30, 2013 @ 11:08 pm

    Dalton, fiz esse poema, veja se ficou bom:

    No casulo da paixão

    Um sofrimento me atormenta
    Em sóis e luas não sei dizer
    Mas uma palavra me acalenta
    Outras não sou capaz de entender

    Sei o que é, de dentro sai
    E quem sofre é o coração
    Porque de quem se atrai
    Só lhe resta a ilusão

    Não sei se é correspondido
    A cegueira não me deixa ver
    Pela razão não é compreendido
    A emoção faz a ferida crescer

    Pareço boba por onde passo
    Sonho acordada, acordo dormindo
    Por todo lugar sigo um rastro
    É PAIXÃO o que estou sentindo

  786. 786

    admin said,

    July 3, 2013 @ 9:50 pm

    Heloise:

    Melhorou muito na questão das Rimas Alternadas. O próximo passo é o estudo do Ritmo Poético, ou Cadência Poética, que deve estudar lá no endereço Ciência Poética, que consta no cabeçalho do site.

    O seu texto ficou muito bonito e pode ficar melhor ainda, pode crer, você tem competência para isso. Parabéns.
    Dalton.

  787. 787

    Heloise said,

    July 9, 2013 @ 12:09 pm

    Dalton, fiz essa poesia sobre POESIA:

    POESIA
    Nasci poeta, poeta sou
    No momento da inspiração
    O charme da poesia me levou

    A todo instante, qualquer lugar
    As letras voam, palavras rimam
    E com elas vem o desejo de dialogar
    Com os meus versos, eles me ensinam

    O vento traz uma frase
    As árvores emitem um som
    A natureza passa por fase
    Assim também o meu dom

    Na escuridão da noite ou no raiar do dia
    A agonia de mim se atrai
    Sei que é hora de escrever poesia

    Sei que não ficou um soneto muito bom, mas o que achou?
    Poderia dividir as sílabas poéticas para mim, por favor?
    Não sou muito boa nisso.

    Grata desde já

  788. 788

    Heloise said,

    July 10, 2013 @ 1:22 pm

    Esquivando da felicidade

    Tento abraçar o impossível
    Não quero o que gosto, não gosto do que quero
    Fujo da alegria, sou incompreensível
    Me esquivo da felicidade
    Quero substituto para o insubstituível

    Quero sarar uma doença sem cura
    Desejo soprar ao vento meu tormento
    Para então levar meu sofrimento
    E voltarei a abraçar com ternura

    Mas fugir não adiantará
    A tristeza não cura, não alcança
    Voltarei a sonhar como criança
    E assim a felicidade me encontrará

  789. 789

    admin said,

    July 13, 2013 @ 10:25 pm

    Heloise:

    Temos dois tipos de Soneto. Ambos contendo 14 versos Decassílabos Heroicos como regra principal. O Soneto Italiano exige que os versos sejam distribuídos em duas Quadras, seguidas por dois Tercetos, e a regra final exige que haja pelo menos um grupo de rimas comum a ambos os tercetos. O Soneto Inglês exige os versos distribuídos em três Quadras e um Dístico, com Rima Paralela neste último.

    Como pode ver, o seu poema não é um soneto. É uma construção poética similar no total de versos e nos tipos de estrofes, contudo, é um belo poema lírico, já que trata dos sentimentos próprios do poeta (poetisa).

    Mesmo os poemas normais, que não possuam forma fixa regrada, caso do Soneto e da Balada, também possuem algumas regras na distribuição sintática do texto. Veja o que ocorreu com os versos 6 e 7:

    E com elas vem o desejo de dialogar
    Com os meus versos, eles me ensinam.

    Normalmente, cada estrofe possui um ou mais Períodos Sintáticos, com os versos funcionando como as Orações de tais períodos. A beleza do poema mora justamente ai, na arte do poeta distribuir o texto em orações com comprimentos silábicos idênticos ou semelhantes, desde que ambas as formas mostrem um equilíbrio no Ritmo Poético, adequado pelos espaços átonos entre as sílabas tônicas, e que acabem tornando a declamação atraente.

    Se você reparar, pela lógica sintática, os versos deveriam apresentar outras possibilidades de distribuição:

    E com elas
    Vem o desejo de dialogar com os meus versos
    Eles me ensinam

    E com elas vem o desejo
    De dialogar com os meus versos
    Eles me ensinam

    Não vou escandir esse poema. Sugiro que você estude um pouco mais sobre a distribuição do texto nos versos e estrofes, tente refazer esse mesmo poema e volte.

    Peço perdão pela demora nas respostas, pois estou com o pc meio doente e não tenho podido levar a coisa normalmente por aqui.
    Dalton.

  790. 790

    Heloise said,

    July 14, 2013 @ 12:27 pm

    Muito obrigada Dalton,
    Ajudou muito seus comentários…

  791. 791

    Leila said,

    July 22, 2013 @ 3:34 pm

    Queria fazer um poema não só porque tenho tarefa pra fazer mas também porque acho tão lindo os poemas que vejo nos sites em que entro

  792. 792

    Leila said,

    July 22, 2013 @ 3:38 pm

    Mas o poema que tenho que fazer tem de estar ligado ao tema da adolescência e a sexualidade agora só não sei como fazê-lo me da uma ajuda por favor.

  793. 793

    admin said,

    July 23, 2013 @ 7:45 am

    Leila:

    Qualquer poema é um texto comum transformado em versos com alguns truques.

    Escreva um texto seu sobre o tema, coloque-o aqui e mostrarei como pode ocorrer a transformação.

    Grato pela confiança e volte.
    Dalton.

  794. 794

    Pedro said,

    August 19, 2013 @ 4:28 pm

    Olá, existe alguma bibliografia indicada? Algo que trate de modo aprofundado as questões técnicas e estruturais relacionadas ao fazer poético? Me indicaram o livro “Artesanatos de Poesia”, de Mário Faustino, mas não sei o quanto ele se encaixa nessa minha demanda. É um bom livro nesse âmbito? Há outros? Desculpe se estou repetindo algum comentário, confesso que não li todos! Obrigado e parabéns pelo trabalho desenvolvido por aqui!

  795. 795

    admin said,

    August 19, 2013 @ 7:51 pm

    Pedro:

    Até hoje, completos e confiáveis só encontrei dois, e ambos bem antigos:

    1- Tratado de Versificação Portuguesa (Said Ali)

    2- Tratado de Versificação (Castilho)

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  796. 796

    Pedro said,

    August 22, 2013 @ 10:45 pm

    E você acha que vale o estudo. Dalton? Ou por serem antigos são desatualizados e não tão úteis?
    Eu que agradeço a disposição em ajudar!

  797. 797

    admin said,

    August 23, 2013 @ 9:44 am

    Pedro:

    Os livros que sugeri representam uma síntese do que a humanidade já fez no campo da Versificação. A Ciência Poética é apenas um estudo da coisa escrita de forma agradável, e não um conjunto de leis para o poeta escrever os seus poemas.

    Cada um escolhe a forma que melhor traduza o motivo pelo qual resolva escrever.

    Ao longo das décadas, tivemos uma perda significativa dessas informações básicas da Construção Poética e, obviamente, isso coincidiu com as perdas da História e da Cultura e aumento da violência entre os homens.

    Diante desse quadro progressivo, alguns poetas, por ocasião do Simbolismo, começaram a Traduzir os seus textos por vertentes mais subjetivas, e com isso tornaram-se paradoxais e, também obviamente, passaram a ser pouco entendidos.

    Essa nova sequência, da Construção Poética Paradoxal, acabou resultando em poemas do tipo:

    TTTTeeeerrrraaaa
    EEEErrrraaaatttt
    RRRRaaaatttteeee
    AAAAtttteeeerrrr

    Sempre acharei que qualquer estudo do Ontem valha a pena, porque senão o Hoje torna-se inexplicável e a insegurança prevalecerá na quebra das raízes culturais de qualquer povo, de natureza dócil ou violenta.

    Por falar em Construção Poética, validade do seu estudo e incoerências de paradoxos, agora há pouco eu estava escutando esta música:

    http://letras.mus.br/joao-gilberto/1225692/

    Grato pelo retorno e volte sempre, Pedro.
    Dalton.

  798. 798

    Pedro said,

    August 27, 2013 @ 4:14 pm

    Dalton,
    também acredito que o estudo é sempre muito válido. Já escrevo os meus poemas há algum tempo e aos poucos vamos sentindo necessidade de elaborar um tanto mais aquilo que escrevemos. O que no princípio era só uma válvula de escape, passou a ser uma possibilidade concreta de expressão artística. Sou músico, mas sempre me vi envolvido com a palavra! Aliás, acredito que sejam indissociáveis música e palavra, senão a expressão da mesma vertente! O estudo que busco a respeito da poesia é justamente para poder ter na manga recursos diversificados que me permitam transitar até a “forma que melhor traduza o motivo pelo qual resolva escrever.”
    Mais uma vez, grato pela disponibilidade!
    Pedro

  799. 799

    admin said,

    August 28, 2013 @ 10:04 pm

    Pedro:

    Você tem razão ao suspeitar o íntimo parentesco entre a Palavra e a Música. Vários são os motivos que o comprovam. A começar pelo Ritmo Poético, ditado pelas sílabas tônicas entre as átonas, como se o poema fosse um apanhado de frases melódicas que apresentem notas mais altas entre as demais médias e baixas.

    Quando citei sobre os Tratados de Versificação no último diálogo, me referia também ao que os anos de confusão causaram no conceito de Pé de Verso, que é apenas um fragmento rítmico do verso, e não o verso em si, como o tempo se encarregou de corromper. Por exemplo, a música Construção, do Chico, tem duas interpretações: Uma vinda da simples leitura do texto, outra do ouvido poético de quem a escuta e analisa.

    Todos os versos apresentam o mesmo ritmo poético: Quem apenas lê, observa 2-4-6-8-10-12, ao ver todos os versos terminados em proparoxítonas, já rotula: – Poema inteiro feito em Alexandrinos Dactílicos! Algo muito exaltado pela crítica musical dos anos 70.

    Mas, ao ouvir a interpretação do autor, nota-se que ele acentua e alonga o tempo da última sílaba de cada verso, transformando-o em 2-4-6-8-10-12-14.

    O termo, Alexandrino Dactílico, é usado erroneamente, já que alguns o nomeiam dessa forma apenas por terminar em proparoxítona, e não pelos Pés de Verso que o formam, o que é impossível de ocorrer, já que o Pé Dáctilo, por ter um tempo forte seguido de dois fracos, daria para fazer, quando muito, o ritmo 1-4-7-10-13. Os versos de Construção, na realidade, ao invés de Alexandrinos Dactílicos são Bárbaros Jâmbicos, já que o pé Jambo é formado por um tempo fraco seguido de forte.

    Citei o Pé de Verso para lembrar que o primeiro deles, que apresenta um tempo forte seguido por um fraco, foi batizado com o nome Coreu, que acabou dando origem ao termo Coreografia e, curiosamente, apresenta batida semelhante à do Coração, cuja pronúncia, em italiano, é “Cuore”.

    Como pode notar, Pedro, a Palavra e a Música se entendem bem na Dança das sílabas e notas.

    Abraços.

  800. 800

    tais said,

    October 17, 2013 @ 6:25 am

    Olá Dalton,
    Sempre quis aprender a fazer poema, mas nunca consegui ficar satisfeita com o resultado. Leio muitos poemas e tenho muita vontade de escrever algo bonito que me deixasse realizada pelo meu feito e gostaria de algumas dicas de como transformar em poema alguns sentimentos que temos típico da adolescência.
    Mas antes dessas dicas preciso urgentemente de sua ajuda. Meu professor pediu um poema sobre a matéria que estamos estudando em filosofia, estética. Fiz algumas estrofes, mas preciso de sua ajuda não estou gostando do resultado. Como deixar mais fácil de fazer esses tipos de poemas sobre matérias que estudamos na escola.
    Ai está minhas estrofes

    Estética vem do grego e significa percepção
    Foi assim que foi empregada por Alexander um filosofo alemão
    Com objetivo de estudar o belo em sua aparição

    Estudou obras de arte e inaugurou uma nova concepção
    Afirmou que artistas dão sentimento aos seus trabalhos de grande beleza
    Modificando assim a natureza

    Para Platão e Aristóteles a arte é a imitação da realidade
    Platão identifica o belo com a perfeição e a verdade
    Não pode residir no mundo sensível para não afastar o verdadeiro conhecimento

    Para Aristóteles a mimese não é pura imitação
    Mas criação que envolve criatividade e iniciativa
    E o artista pode transpor limites da natureza mediante sua capacidade criativa

  801. 801

    admin said,

    October 18, 2013 @ 9:02 am

    Tais:

    O Poema Acróstico costuma causar bastante impacto nesses casos. Veja como pode ficar esse seu texto:

    ESTÉTICA. ESTÉTICA GREGA.

    E stética vem do grego
    S ignifica pecepção
    T endo Alexandre
    E studioso filósofo alemão
    Tratado bem do grande tema
    I nteressado pelo Belo em aparição
    C ultural na sua concepção
    A firmando sobre os artistas:

    E sses dão ao sentimento
    S uas normas de beleza
    T ransformando a natureza
    E xemplos de Platão e Aristóteles
    T ratam da Arte unida ao Belo
    I ngressando nas trilhas da Verdade
    C ompararam o mundo real
    A o verdadeiro conhecimento

    G rande Aristóteles disse:
    R ealmente é Mimese
    E não imitação
    G uardando a criatividade da Criação
    A o natural limite criador do artista

    Grato pela visita, pela confiança e boa sorte.
    Dalton.

  802. 802

    ana said,

    November 1, 2013 @ 10:11 am

    as vezes tenho duvida domo fazer um poema

  803. 803

    admin said,

    November 1, 2013 @ 8:51 pm

    Ana:

    Qualquer poema é um texto normal redigido na forma de versos. Portanto, o começo de um poema depende da sua vontade de escrever sobre um certo assunto.

    Como todo assunto pode conter um ou mais pensamentos no desenvolvimento, surgirão parágrafos com Períodos Sintáticos divididos em Orações. O segredo do texto na forma de poema é você, inicialmente, dispôr as orações como versos em estrofe única, e à proporção em que você desenvolve a prática, começa a separar os assuntos em estrofes próprias e assim por diante.

    Sugiro que você vá até o cabeçalho das páginas e clique no endereço, CIÊNCIA POÉTICA. Lá você terá todas as explicações necessárias para o desenvolvimento da sua escrita poética. Caso precise de ajuda, volte aqui quando quiser que eu ajudo nos esclarecimentos.

    Grato pela visita e volte sempre.
    Dalton.

  804. 804

    http://www.fofuchasecompanhia.pt/loja/placas-de-porta-eva/ said,

    January 23, 2014 @ 11:08 pm

    I actually do believe in all of the basics you could have brought to this page. They can be extremely effective and definately will undoubtedly function. Nonetheless, the posts are very shorter instructor can. Might you please prolong them somewhat through subsequent time frame? We appreciate you the actual write-up.

  805. 805

    lucas said,

    February 12, 2014 @ 2:47 pm

    eu quero fazer mais eu acho que as palavras não combina umas com as outras como eu faço elas combinarem????

  806. 806

    admin said,

    February 12, 2014 @ 9:38 pm

    Lucas:

    Primeiro você escolhe um assunto dentro da sua cabeça. Em seguida, tenta descrevê-lo por palavras ao escrever um pequeno texto e depois traga-o aqui que mostro como transformar o seu texto em poema, certo?

  807. 807

    Elena said,

    August 13, 2014 @ 11:01 pm

    Olá Dalton,
    Bom, eu costumava apenas ler, mas agora percebo que não é o bastante.
    Sinto a necessidade de escrever.. pois do nada surgem palavras em minha mente, estando eu, feliz ou triste.. não importa é indiferente, elas apenas vem e eu preciso parar tudo.. para tentar organizar a minha mente..
    Escrever.. apenas escrever o que estou sinto naquele instante.

    —————————————————————————————————————
    Fiz este agora.. me ajude, diga-me o que achas?

    Palavras ao vento.

    Distante de ti, estou..
    Ó solidão, não amargures o meu ser..
    Por sua ausência minha alma triste chora, na ânsia de querer
    o que não pode ter..
    Eu me perco em pensamentos à tua procura..
    Lembranças e mais lembranças..qualquer uma serviria, mas tão logo
    essa?
    Ó coração, não te cansas de sofrer?
    maldito sorriso que me encanta, costumavas iluminar o meu ser!!
    agora apenas dor e sofrimento.. haaa
    Não!! não, posso mais…
    Cansada estou de amar-te com minha alma, e tu não o corresponder
    chorando te escrevo minhas ultimas palavras, é o só o que me resta.
    escrever na esperança de deixar-te partir …
    e é jogando palavras ao vento que me despeço…
    Quem sabe um dia elas chegam a ti?
    Então, e só ai então, saberás que um dia existiu alguém
    que de amores morreu por ti.

  808. 808

    admin said,

    August 14, 2014 @ 8:55 am

    Elena:

    São incontáveis os textos que já perdi por não querer parar o que estava fazendo e escrever sobre algum pensamento intrometido.

    Podemos dar ao texto natural o estilo que bem entendermos, como o que você acabou de fazer, cuja arquitetura descritiva sugere ser um poema.

    Atualmente, com as várias concessões dadas ao significado do termo Poesia, esse seu texto pode ser entendido como tal. A diferença entre ele e o poema está nas demais Fases da Tradução.

    1- O que aconteceu com você foi um sentimento abstrato – Inspiração – que necessitava ser traduzido e exposto de alguma forma – desenho, escultura, texto etc.; o que considero o mais importante.

    2- Toda vez que tentamos traduzir o “Quadro Abstrato” por qualquer dessas formas fornecemos algumas manchas para ele, e ao fazermos isso, dificilmente ficamos contentes com o resultado sem a necessidade de colocar algo mais.

    3- Uma vez traduzido o sentimento abstrato por palavras, ao tentar transformar o texto em Poema o poeta, tendo que obedecer a uma série de regras para torná-lo um poema em aparência e fato; acaba fornecendo ao quadro original outras manchas na essência que usamos tratar por “Inspiração”.

    Ser um poeta é sempre estar disposto a ficar escravo do poema resultante, pois toda vez que lido sugerirá mudanças e complementos. Esse seu texto, por exemplo, pode virar um Poema de Fato, com um mínimo de mudanças no texto original. Posso até reescrevê-lo nessa forma, mas antes preciso saber das suas intenções, após analisar tudo o que escrevi acima sobre a original Inspiração e as Manchas posteriores da tradução.

    Pense bem antes de querer virar poetiza e conte-me após, pois estarei sempre por aqui para ajudá-la.

    Grato pela confiança e volte.
    Dalton.

Comentário RSS · TrackBack URI

Deixe um comentário